Você está na página 1de 6

Conto Contigo 9

GRUPO I
Oralidade
Para responderes aos itens que se seguem, vais ouvir, duas vezes, o poema “Procissão”,
de António Lopes Ribeiro, declamado por João Villaret.
https://www.youtube.com/watch?v=c9pKhCYZEoQ

Responde às questões que se seguem.

1. Identifica três das personagens intervenientes na procissão.

1.1. Aponta uma característica para cada uma dessas personagens.

2. Descreve o ambiente vivido naquele dia.

2.1. Consideras que o ritmo e o tom estão adequados ao longo da declamação?


Justifica.

GRUPO II
Leitura

Lê o texto com atenção.

O Real Convento de Mafra possui um conjunto de dois carrilhões, ou seja, uma série
de sinos afinados musicalmente entre si. No caso de Mafra são noventa e oito sinos, o que
os torna uns dos maiores carrilhões históricos do mundo.
Segundo a tradição, a mando d’El-Rei, o Marquês de Abrantes procurou informar-se
do preço de um carrilhão tendo-lhe sido indicado o valor de 400.000$00 réis, quantia tida
como demasiado elevada para um país tão pequeno. Ao que D. João V, ofendido – era o
monarca mais rico do seu tempo – terá respondido: “Não supunha que fosse tão

1
Conto Contigo 9

barato; quero dois!” Assim, foi executado em Liége, nas oficinas de Nicolau Levache, o
carrilhão da torre norte e, em Antuérpia, na fundição de Willem Witlockx, o da torre sul.
Cada torre sineira tinha cinquenta e oito sinos, pertencendo a cada carrilhão quarenta
e nove. Os sinos de primeira grandeza pesam cada um 625 arrobas [1 arroba = 14,688 kg],
ou seja, mais de 9.180 kg. Os de segunda grandeza pesam cada um 291 arrobas, ou
seja, 4.270 kg cada, os de terceira 231 arrobas, o que corresponde a 3.392 kg cada, os
de quarta, 99 arrobas, pesam 1.454 kg cada e assim vão diminuindo até sinos de 1 de
arroba, os mais pequenos, com cerca de 15 kg cada um. Finalmente, as rodas e engenhos
dos carrilhões pesam 1.420 quintais [1 quintal = 58,752 kg], ou seja, 83.427,84 kg.
Ambos os carrilhões são compostos simultaneamente por dois sistemas:
- O sistema mecânico funciona como um órgão de Barbieri, com dois enormes cilindros de
bronze onde se colocam cavilhas representando notas musicais. Quando acionado pelo
mecanismo dos relógios, o movimento dos cilindros faz as cavilhas baterem em teclas
metálicas ou papagaios, movendo os martelos dos sinos de acordo com a melodia
programada. O carrilhão mecânico tocava a todas os quartos, meias e horas certas, do
nascer ao pôr- do-sol.
- O sistema manual é acionado por um carrilhanista, tocando com as mãos e os pés num
teclado que faz acionar os badalos dos sinos.
Outros sinos pontuavam a vida do convento, como é o caso do Sino das Aulas, que
marcava o início destas, o Sino da Enfermaria ou da Agonia, assim chamado pois era tocado
quando algum frade estava próximo da morte, o sino do refeitório que tocava para assinalar
as horas das refeições e, por fim, o sino da Féria, também chamado o sino do bacalhau,
porque tocava apenas nos dias de jejum, às matinas, vésperas e horas da missa, como nos
diz Frei João de Santa Ana.
http://www.palaciomafra.gov.pt/pt-PT/basilicamenu/carrilhoesmenu/ContentList.aspx (adaptado)
(consultado em 28/09/2018)

Para responderes a cada item (1. a 4.), seleciona a opção que permite obter uma afirmação
adequada ao sentido do texto. Escreve o número do item e a letra que identifica a opção
escolhida.

1.
(A) Os noventa e oito sinos do Convento de Mafra possuem interesse pouco
relevante do ponto de vista histórico.

2
Conto Contigo 9

(B) O convento de Mafra destaca-se mundialmente pelo par de carrilhões que


possui.
(C) Os noventa e oito sinos dos carrilhões do Convento de Mafra são
independentes a nível musical.
(D) O Convento de Mafra possui um único carrilhão de sinos afinados de
grande valor histórico.

2. O rei D. João V
(A) informou-se sobre o preço de cada carrilhão, a pedido do Marquês de Abrantes.
(B) sentiu-se ofendido por ter de pagar uma quantia exorbitante por um carrilhão para
a torre norte do Convento.
(C) encomendou dois carrilhões mais baratos para as torres do Convento de Mafra.
(D) não se retraiu ao saber o preço de cada carrilhão e evidenciou a sua
superioridade.

3.
(A) Os sinos dos carrilhões pesam, aproximadamente, entre 1 arroba e um quintal.
(B) Um dos carrilhões é composto por um sistema manual e o outro por um sistema
mecânico, complementando-se entre si.
(C) O peso dos sinos dos carrilhões situa-se entre, aproximadamente, 1 arroba e 630
arrobas.
(D) O sistema mecânico que rege os sinos é complexo, apesar de fácil manuseamento
pelo carrilhanista.

4. Na frase “Não supunha que fosse tão barato; quero dois!” (segundo parágrafo) está
presente uma
(A) metáfora.
(B) antítese.
(C) hipérbole.
(D) ironia.

3
Conto Contigo 9

GRUPO III

Educação literária

Lê o poema de Fernando Pessoa. Se necessário, consulta as notas.

Ó sino da minha aldeia,


Dolente1 na tarde calma,
Cada tua badalada
Soa dentro da minha alma.

E é tão lento o teu soar,


Tão como triste da vida,
Que já a primeira pancada
tem o som de repetida.

Por mais que me tanjas2 perto


Quando passo, sempre errante,
És para mim como um sonho.
Soas-me na alma distante.

A cada pancada tua


Vibrante no céu aberto,
Sinto mais longe o passado,
sinto a saudade mais perto.
Fernando Pessoa, Obra Poética, Volume I. Lisboa: Círculo de Leitores, 1986.

NOTAS
1 triste
2 toques; soes

1. Ao longo do texto, o sujeito poético interpela um “tu”.

1.1. Identifica a entidade a que o sujeito poético se dirige.

1.2. Indica, justificando, um recurso expressivo usado pelo “eu” na sua interpelação.

2. Refere duas características do “sino”.

3. Explica o efeito que o som do sino tem no sujeito poético.


4. Transcreve o verso que evidencia o sentimento que domina o sujeito poético.
5. Indica o tema deste texto.
6. Faz o esquema rimático do poema.

4
Conto Contigo 9

GRUPO IV
Gramática

1. Identifica a classe e a subclasse da palavra destacada em cada uma das frases.


1.1. “És para mim como um sonho.”

1.2. “Que já a primeira pancada”

2. Associa cada constituinte da coluna A à função sintática que lhe corresponde na coluna
B.

COLUNA A COLUNA B

(a) “Quando passo,” (v.10) (1) Complemento direto


(b) “Dolente na tarde calma,” (v.2) (2) Modificador do nome apositivo
(c) “O teu soar,” (v.5) (3) Modificador
(d) “Ó sino da minha aldeia,” (v.1) (4) Vocativo
(5) sujeito

3. Reescreve a frase seguinte, conjugando a forma verbal no condicional. Faz apenas as


alterações necessárias.
“Soas-me na alma distante.”

3.1. Reescreve a frase obtida na negativa.

4. Qual das opções apresenta a classificação da oração seguinte?


Que já a primeira pancada / tem o som de repetida. (vv. 7, 8)

(A) Oração subordinada adverbial consecutiva.


(B) Oração subordinada adjetiva relativa.
(C) Oração subordinada adverbial comparativa.
(D) Oração subordinada substantiva completiva.

5
Conto Contigo 9

GRUPO V
Escrita

Com o passar dos anos, as pessoas têm tendência para recordar momentos do seu
passado que as marcaram de alguma forma.
Redige um texto memorialístico, em que relembres um episódio da tua infância (real ou
imaginário) que te marcou de forma positiva ou negativa.
O texto deve ter um mínimo de 180 e um máximo de 240 palavras.

Bom trabalho!

Interesses relacionados