Você está na página 1de 4

Gestação

Para entrar na linha de reprodução o paciente deve possuir uma genetica adequada, pois
existem varios problemas devido a falta de controle genetico de animais. Existem varias
enfermidades enfermidades observadas nos pacientes que tirariam ele da reprodução
como criptorquidismo, esternose nasal, sindrome do bradicefalico.
Antes de submeter o animal a reprodução deve se saber o porque de fazer isso, não pode
colocar ele porque quer ter um filhotinho dele, ou só uma vez antes de castrar. O filhote
vem muitas vezes com o temperamento diferente do dos pais, as vezes a mãe é docil e o
filho vem agitado.
O canil deve ter controle de genetica, venda adequada e acompanhar a ninhada para
observar se vai apresentar alguma alteração genetica.
Os reprodutores devem estar devidamente imunizados, pois a imunidade irá ser transmitida
aos filhotes através do leite (cerca de 90%).
Além de ser feito o controle de endo e ectoparasitas dos pais.
Isso tudo deve ser realizado antes de cruzar.
Deve-se saber os motivos pelo qual irá cruzar, se terar condições de manter a ninhada, não
planejar nada perto do parto (nenhuma viagem).
Durante a gestação:
O periodo gestacional dura em media 9 semanas, nas cadelas de 57 a 62 dias, ja as gatas
podem ir até 65 dias.
Em geral não se deve mexer muito na dieta para não se ter alterações gastrointestinais. A
nutrição deve ser mudada nas gatas desde o inicio para ração de filhotes (depende muito
do animal, gato possui dificuldade na troca da alimentação) e cadelas no terço final da
gestação. Essa mudança para ração de filhotes ajuda num desmame mais automatico para
os filhotes, eles vão parando de mamar e se alimentam da ração da mãe. Existem muitas
suplementações no mercado como probioticos e nutraceuticos. Deve-se acompanhar o
peso e o escorre corporal da mãe para que ela não ganhe muito peso, não altere muito o
escorre corporal dela.
Parto:
Quando a cadela for parir ela fica mais quieta/amoada (mudança comportamental), sua
temperatura cai de 0,5 a 1°C nas priemiras 12 a 24h, tendo que ter um acompanhamento
constante para que isso seja percebido. O animal fica mais ou menos 1 semana mais quieto
e ingerindo menor quantidade de alimentos. Gatas tem tendencia a se esconder, devendo
montar um ninho para acomodar o animal na hora do parto.
Alguns criatorios possuem canis de maternidade.
O parto é dividido em 3 estagios.
1° mudança de comportamento com começo das contrações uterinas. O animal se aquieta,
se tem a queda da temperatura, hiporexia a anorexia.
2° expulsão dos fetos. Onde o ideal é que ele saia cranialmente (cabeça saia primeiro).
Deve durar de 3 a 6h, não podendo passar de 12 a 24h (até 24h sem causar dans ao feto
e a femea). O intervalo entre as parição (entre a saida dos fetos) não deve exceder 2h. Em
ninhadas grandes a femea pari a maioria descansa e depois expulsa o resatante, ex: 12
filhotes,a femea pode parir 10 filhos em 8h, descansa e depois de algumas horas pari os
outros 2. O animal deve parir em local quieto e calmo, não deve sofrer estresse, pois o
estresse da mãe pode interferir gerando distocia. Evitar deslocar o paciente, como levar ele
para clinica, só deve ser feito em casos de distocias/emergencia.
3° termino, onde se tem a saída das placentas. Elas devem sair junto ou logo após a saida
dos fetos. Não pode ficar restos placentarios dentro da femea, ela deve ser totalmente
eliminada. Lili espera o animal descansar e depois palpar, se for um parto dificil pode se
contar as placentas ou pedir uma ultra, ela não gosta de usar farmaco (como placentina)
sem uma necessidade especifica, pois pode gerar rompimento de utero. Animal ingerir
placenta é só comportamento, não se tem necessidade de em partos cesarias guardar para
o animal ingerir depois. Ela come a placenta para manter o seu ambiente limpo, assim como
ingere as fezes e urina dos filhotes.
É importante se realizar um diagnostico gestacional previo, como usar a ultrassonografia
para se ter uma ideia media de filhotes que irão nascer, tendo que ser feito entre 20 a 25
dias (contando a partir do cio e da cobertura). No final da gestação a ultrassonografia por
sobreposição pode errar o numero de filhotes, sendo interessante no final da gestação um
exame radiografico.
Os sinais de distocias são:
Esforços muito grandes por muito tempo sem saida de feto. Intervalo de mais de 2h entre
a saida dos fetos. Feto aparentemente preso no canal. Remoção de filhotes mortos. Sinais
de doenças maternas. Perda de sangue acentuada, não pode ser sangue vivo como em
processos hemorragicos, ele deve sair meio esverdeado.
Se possivel não deve se remover a mãe caso tenha saido algum filhote, ideal é a consulta
ser a domicilio, com intuito de minimizar o estresse de locomoção.
Nascimento:
A infancia é dividida em: periodo neonatal do nascimento até 2 semana (ocorrem as maiores
mudanças), periodo de transição 2 a 4 semanas e filhote a partir da 5 semana (a partir do
segundo mês).
A femea muda seu comportamento, ela tende a fica junto dos filhotes durante 7 a 10 dias,
aquecendo, amamentando e lambendo, pois nessa idade os filhotes tende a morrer de
hipotermia e hipoglicemia. Até 10 dias de vida o centro de termorregulação não está maduro
o suficiente para controlar a temperatura corporea do animal (controlar o ganho ou perda
de calor). Filhotes que se afastam da mãe vem a obito. Os filhotes devem ser mantidos em
ambientes isolados do ambientes, como em ninheiras ou caminhas, para que se
mantenham aquecidos.
Ao nascer deve se observar se o filhote ingeriu colostro pois é por onde passa maior
quantidade de IgG pro filhote. IgG são celulas de defesa de memoria (do tempo), ja IgM é
primaria ou seja, significa que a infecção foi recente, pois ela só está no primeiro momento
da infecção. A mãe deve ter muita IgG pois se ela tiver muita IgM significa que ela está
doente. O filhote só absorve essas imunoglobulinas até 16 a 24 dias, depois disso seu trato
gastrointestinal para absorver, ou seja, quando o filhote nasce ele está apto/preparado para
receber/absorver essas macromoleculas, depois de um tempo ele perde essa capacidade
de absorver essas moleculas (elas não atravessam mais as vilosidades intestinais). Entre
as microvilosidades intestinais existem espaços entre os enterocitos, que é maior no
neonato, permitindo a passagem de IgG, com o tempo esse espaço vai se fechando, por
isso se deve ingerir bastante colostro no primeiro momento neonatal, pois o animal está
apto a absorver a melhor/maior quantidade de imunoglobulinas que irá conceder proteção
no periodo do 1mês.
As principais doenças infecciosas que acometem neonatos são herpes virus tipo1 canino
(mata o filhote), CPP ou PVC= parvovirus canino em neonatos além de gastroenterite
contendo sangue pode causar miocardite/endocardite pois é um virus que se instala em
celulas em alta atividade mitotica para sua multiplicação, e em neonatos o coração
apresenta essa caracteristica (final da gestação até o nascimento), por está sofrendo
intensas modificações (como se fosse um termino de formação cardiaca), gerando morte
subita nos filhotes se não possuirem a proteção da mãe. Esse virus (PVC) possui também
tropismo pela medula ossea, causando panleucopenia felina nos gatos, gerando lesões a
nivel hematologico. Sendo de grande importancia a ingestão de colostro, pois o filhote fica
protegido pelo anticorpo materno, quase não se ouvindo mais casos de miocardite em
neonatos.
Existe uma avaliação de apgar, usada na medicina humana, que vem sendo usada na
veterinaria para avaliar a vitalidade do feto. Onde o escore 2 é o normal, o animal apresenta
frequencia de 200 a 250, movimentos respiratorios de 15 a 40 e choro, reflexo de
irritabilidade ao ser manuseado, motilidade (se ele consegue se mover) e a coloração da
mucosa que deve ser rosea. Na 1 o animal apresenta bradicardia (batimentos <200),
frequencia respiratorias < 15, pouco reflexo, poucos movimentos e cianotico. No 0os
batimentos, movimentos respiratorios e reflexos estão ausentes, e suas mucosas estão
palidas.
Reflexos avaliados:
Termotropismo deve estar positivo, animal se rastejando em direção a femea ou aos irmãos
para se aquecer. Reflexo de sucção, onde se coloca o dedo limpo na boca do filhote para
ver se ele está conseguindo sugar. Reflexo de estimulação do focinho, onde impressa o
fucinho na mão ou em algum lugar e o filhote tende a balançar a cabeça, ele faz esse
movimento na mãe para achar a teta. Reflexo anugenital, onde se manipula para ver se ele
vai mictar ou defecar. Aprumo vestibular que é responsavel pelo equilibrio, coloca o animal
na mão e observa se ele consegue se manter estavel, pois a função motora é controlada
pelo cerebelo, já a região vestibular é responsavel pelo equilibrio, dando para saber se tem
algum dano nessa região. Reflexo de dor, onde deve pressionar o coxim e observar se ele
vai ter reflexo, senão precionar com a pinça, senão tiver reflexo espetar com uma agulha.
Temperatura do ambiente X temperatura do neonato
1semana – neonato 36 a 37°C – ambiente 30 a 32°C
2semana – neonato 37°C – ambiente 27°C
3semana – neonato 37C – ambiente 27°C
Colchão termico deveter cuidado para não queimar o animal, tendo que colocar um tecido
entre o animal e o colchão.
Parametros gerais do filhote:
A temperatura controlada 2 a 3 semanas, abertura de olhos e ouvidos deve ocorrer até 2
semanas – cães: 12 a 15dias, gatos: 6 a 14das -, percepção visual de 3 a 4 semanas,
reação ao som 3 a 4 semanas, movimentação 1° semana rastejamento – 2° semana se
mantem com os posteriores – 3° a 4° semanas já tem força motora muscular para
deambulação,
A abertura de olho é medio lateral, ele começa abrir no canto medial e vai totalmente no
canto lateral da fissura palpebral. Pode ocorrer simblefaro onde a palpebra está aderida ao
globo ocular (cornea) por lesão, tendo como unico tratamento o cirurgico. Algumas
literaturas afirmam que o animal só enxerga perfeitamente em torno de 8 a 16 semanas.
Devido a reação ao som, a partir da 3 semana se observa uma interação maior entre os
filhotes, como vocalizações e brincadeiras.
Nutrição:
Avalia se o paciente está ganhando peso. Gatos possui uma padronização ao seu peso
medio de nascimento ser 100g, ganhando de 10 a 15g por dia ou de 5 a 10% ao dia. Já os
cães podem nascer de 75 a 700g e vai ganhar 2 a 4 g/dia/kg de peso adulto, ex: se o adulto
tiver 10kg o filhote vai ganhar de 20 a 40g/dia. Se não tiver ideia do peso do adulto o ideal
é monitorar o escorre corporal desse animal.
Eliminação de fezes e urina:
É feita atraves do estimulo materno, lambedura.
Desmame:
É feito geralmente a partir da 4° semana, por isso ele deve estar em contato com a mãe
ingerindo ração de filhote, pois ele ira “beliscar” de vez em quando. Ter cuidado com vasilha
de água pois eles podem entrar dentro. Vasilha de agua deve ser rasa, para trocar toda
hoara, e a ração colocar um pouquinho toda hora.