Você está na página 1de 12

Estado brasileiro e Partidos políticos

AULA 2 Quando se pensa na formação do Estado brasileiro, é preciso conside-


rar um fator histórico primordial: a colonização portuguesa. Na análise
sociológica desse fator, destaca-se uma característica marcante: o “pa-
trimonialismo”, prática comum à maioria dos governos absolutistas.

O patrimonialismo é a característica de um Estado que não possui dis-


tinções entre os limites do público e do privado

No Brasil, o patrimonialismo foi implantado pelo Estado colonial português, quando o processo
de concessão de títulos e poderes quase absolutos aos senhores de terra legou à posteridade uma
prática político-administrativa em que o público e o privado não se distinguem perante as autori-
dades. Assim, torna-se “natural” desde o período colonial (1500-1822), perpassando pelo período
Imperial (1822-1889) e chegando mesmo à República Velha (1889-1930) a confusão entre o público
e o privado. O patrimonialismo é uma idéia essencial para a definição do “Homem Cordial”, conceito
idealizado pelo sociólogo Sérgio Buarque de Holanda em Raízes do Brasil.
Victor Nunes Leal, em seu clássico Coronelismo: enxada e voto trabalha de modo magistral o
patrimonialismo no Brasil. Para este autor, a medida que o poder público ia se afirmando sobre o po-
der privado, o Estado imperial teria extra-legalmente tolerado que o fazendeiro (o chamado “coronel”)
embarcasse dentro da “canoa” do Estado moderno, em troca da “força moral” (dos votos). E o Estado
brasileiro continuou, embora ilegalmente, homologando os poderes formais e informais destas figu-
ras. Já os fazendeiros, souberam adaptar-se aos novos tempos, e embarcaram também na “canoa
sem remo” da república. O legado do poder privado, mesmo hoje, ainda sobrevive dentro da máquina
governamental com o uso e presença do “jeitinho brasileiro”, quando a maioria dos políticos veem o
cargo público que ocupam como uma “propriedade privada” sua, ou de sua família, em detrimento
dos interesses da coletividade.

Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Patrimonialismo. Acesso em: 20.10.2014. Texto adaptado.

Sociologia 3 - Aula 2 21 Instituto Universal Brasileiro


Estado Brasileiro e Partidos Políticos
Origem e formação do Vimos que o Estado patrimonialista se
alterou com o sistema capitalista, mudando
Estado brasileiro suas estruturas internas e especializando
cada vez mais seus administradores, juris-
tas, militares. Os reis de Portugal, no entan-
to, andaram na contramão da História, ce-
dendo as sesmarias (terras não cultivadas) a
nobres portugueses que, para cultivá-las, to-
maram à força a mão de obra indígena local
ou trouxe da África o trabalho escravo, que
marcaria para sempre as relações sociais em
nosso país. Esse Estado se colocava acima
dos grupos sociais, interferia na economia e
elaborava normas jurídicas sem ouvir as ins-
tituições da sociedade.
A colônia era fortemente controlada
Histórico de dominação patrimonialista pelo Estado português, que ditava as al-
O Brasil, assim que passou a ser colo- terações econômicas, sociais e políticas.
nizado por Portugal, contou com a gerência Com a independência do Brasil em 1822,
de um Estado absolutista e patrimonialista, era de se esperar que aos poucos fossem
que logo procurou a melhor via para prote- introduzidas mudanças no âmbito social,
ger suas conquistas. liberando aos poucos o país do jugo do Es-
A dominação patrimonialista é exerci- tado. Mas isso não ocorreu, passando-se
da numa forma de dependência econômica para o Estado outras atribuições, como a
dos dominados e de sentimento de lealdade regularização da estrutura agrária e a cria-
destes aos seus dominadores, a exemplo do ção de empregos.
que sucedia no sistema feudal. Nesse caso,
porém, o Estado desenvolveu um estamen-
to burocrático, em que os nobres ocupavam Monarquia, Parlamentarismo e República
cargos a troco de favores políticos, portanto A Constituição de 1824 formulou o Esta-
longe do Estado racional. do e elegeu o poder moderador, representado
pelo monarca (Monarquia), como o principal
instrumento de dominação sobre o ministério
(executivo), a câmara e o senado (legislati-
vo), a representação (eleições), o judiciário
(magistrados) e a administração provincial.
Estamento. Constitui uma forma de Quando em 1847 se instituiu o Parla-
estratificação social com camadas fechadas, mentarismo, após várias revoltas de forças
com pouca mobilidade social. Historicamen- políticas liberais contra o poder do rei, o
te, os estamentos caracterizavam a socieda- que houve, na verdade, foi uma tentativa
de feudal da Idade Média, mas o conceito foi de conciliação entre o poder moderador e
ampliado. A expressão estamento burocrá- algumas idéias liberais democráticas de
tico foi utilizada por sociólogos brasileiros, uma parcela da nação.
sempre associada ao patrimonialismo. Com a proclamação da República,
consagrada federativa pela Constituição de
Sociologia 3 - Aula 2 22 Instituto Universal Brasileiro
1891, as províncias (Estados atuais) ga- nada mais foi que um instrumento para colo-
nharam autonomia, cada qual com sua pró- car o governo federal a serviço dos Estados
pria Constituição, forças armadas, códigos produtores de café.
eleitorais e jurídicos, autonomia para tomar
empréstimos no exterior e criar impostos de
exportação. Cada província também teve
o poder executivo, legislativo e judiciário,
eleição escolhida por sufrágio universal em
eleições majoritárias e proporcionais, e em Passando pela História de nosso
um sistema presidencialista. país, vemos que os produtores do café
sempre foram privilegiados pelo go-
verno central, seja com o Convênio de
Taubaté (1906), que desvalorizava a
moeda brasileira para favorecer a ex-
portação do produto; ou pela compra
A palavra República tem origem no dos estoques, quando havia exceden-
latim res publica, cujo significado é “coisa te de produção.
pública”; aplicado, por extensão aos bens
ou patrimônio público.
Política das oligarquias

Estado liberal & Produção de café Os conflitos regionais e as lutas


das oligarquias pelo poder dos Estados
ficaram à margem do governo central.
Os partidos republicanos dominantes
controlavam as eleições, que não eram
livres, de modo que as possibilidades
de que o poder fosse ocupado pela
oposição eram quase nulas.
Esse estado político-econômico
perdurou sem conflitos enquanto foi
mantida essa política de aliança dos
Estados de Minas Gerais e São Pau-
lo, e inclusive foi praticado também nos
É importante ressaltar que o Estado municípios.
republicano federativo tinha um objetivo: O dinamismo econômico da
dar suporte à produção cafeeira, que ocu- agroindústria cafeeira passou a domi-
pava grandes extensões de terra e estava nar a federação, caracterizando o Es-
voltada para a exportação, de certa forma tado liberal no Brasil como oligárquico,
atendendo a uma classe de proprietários ou seja, formado por poucos.
rurais vindos do império. Como vimos, recebemos um Esta-
Entretanto, houve aqui uma ruptura do pronto de Portugal, que foi se acomo-
do que seria uma república federativa, uma dando às necessidades de uma classe
vez que ao poder federal era permitido in- de burocratas e produtores, instalando-
tervir nas províncias, conforme o artigo 6° se o capitalismo liberal sem lutas san-
da Constituição de 1891, para assegurar a grentas, sem um regime democrático
ordem, a estabilidade e o cumprimento das e sem o apoio do povo em geral. Com
leis federais. isso, uma grande parcela da população
A criação da política dos governadores, ficou excluída dos benefícios da vida
durante o governo de Campos Sales (1900),
Sociologia 3 - Aula 2 23 Instituto Universal Brasileiro
moderna, principalmente trabalhadores Governos populistas
assalariados. O parlamento retoma com a redemo-
A crise econômica de 1929, os cratização de 1946 a 1964, mas funciona de
movimentos políticos em nosso país, forma dependente do poder executivo. Nessa
como o tenentismo e as ações do Par- fase, ampliam-se as responsabilidades esta-
tido Comunista do Brasil, e a queda da tais pela educação e saúde pública, em res-
política oligárquica ocasionaram impor- posta à sociedade civil que se industrializava
tantes mudanças. e necessitava de mão de obra qualificada para
a produção e a prestação de serviços. Apenas
uma pequena parcela da sociedade, entretan-
Estado Novo to, se beneficiava das medidas adotadas pelo
Com a queda da República Velha (ou Estado. Período identificado pelos historiado-
Primeira República), em 1930, o Brasil dá res como República Liberal, inclui entre os go-
um grande passo rumo à industrialização da vernos populistas a Era Vargas.
economia capitalista. Já tínhamos a base de
uma indústria de bens de capital para a trans- Ditadura Militar
formação do café e, a partir daí, inicia-se a
industrialização, com a produção de bens
de capital, ou seja, produção de maquinário
para a indústria.

A Ditadura Militar, período que durou


de 1964 a 1984, propiciou uma fase de
grande industrialização, com o Estado cen-
tralizador e o capital sendo os protagonis-
tas dessa situação. O parlamento nacional
continuou distante das tomadas de decisão
nesse processo político-econômico.

Estado neoliberal: século 21


Após 1984, houve a democratização do
país e assistimos à privatização de indústrias
Vários conflitos originados dessa po- estatais. No início do século 21, o Estado
lítica econômica levaram à centralização brasileiro tem governos que enfatizam a polí-
do poder, culminando com o Golpe de tica neoliberal, mas permanece um forte po-
Estado do governo de Getúlio Vargas em der estatal herdado de nossa história política,
1937, instituindo o Estado Novo que se es- econômica e social.
tendeu até 1945. O período ficou conhe- O conceito de neoliberalismo passa
cido como a Era Vargas. Não houve mais por uma evolução de sentido. Atualmente,
eleições, de modo que foi implantado um caracteriza-se pelo apoio a uma maior li-
regime ditatorial. beralização econômica, privatização, livre-
Sociologia 3 - Aula 2 24 Instituto Universal Brasileiro
comércio, mercados abertos, a desregula- Poder legislativo
mentação, além de reduções nos gastos do
governo, a fim de reforçar o papel do setor É exercido pelo Congresso Nacional,
privado na economia. no âmbito federal, formado por um sistema
No caso do Estado brasileiro, há mo- bicameral: Câmara dos deputados e Sena-
mentos cíclicos nas diferentes esferas, em do. Se uma matéria tem início na Câmara
que é possível observar que, além do neo- dos deputados, o Senado faz sua revisão,
liberalismo, há reflexos da política de Bem e vice-versa.
Estar Social, na qual o Estado se torna
responsável por atender as demandas da
população, regulando serviços, bem como
fornecendo à sociedade esses mesmos
serviços como forma de garantir melhor
qualidade de vida.

O Estado brasileiro conforme a


Constituição de 1988
Segundo a Constituição em vigor, o
Brasil formou um Estado Democrático de
Direito, cujo modelo de governo é a Re-
pública Federativa, formada pela União in- A câmara é composta por 513 depu-
dissolúvel dos Estados e municípios e do tados, eleitos para um mandato de quatro
Distrito Federal. anos. Os deputados representam a popu-
lação de cada Estado e do Distrito Federal,
de forma proporcional, respeitando o limite
mínimo de oito deputados e máximo de se-
tenta para cada unidade da Federação.
O Senado é composto por 81 senado-
res, eleitos por um mandato de oito anos.
Cada Estado é representado por três sena-
dores, bem como o Distrito Federal.

Competências do Congresso Nacional

• Elaborar emendas à Constituição;


• Preparar leis complementares, or-
dinárias, leis delegadas, medidas provisó-
rias, decretos legislativos e resoluções;
• Exercer o processo legislativo so-
bre todas as matérias de competência da
União (Estado) como: questões tributárias,
arrecadação e distribuição de recursos;
O sistema de governo é o presi- • Elaborar leis e planejamento orça-
dencialista, e a Constituição tem como mentário, que definem como os recursos
um de seus princípios fundamentais do governo serão gastos;
a independência entre os poderes da • Criar programas de desenvolvimento;
União, que são o legislativo, o executi- • Criar órgãos, cargos e empregos
vo e o judiciário. públicos federais;
• Trabalhar com questões monetá-
Sociologia 3 - Aula 2 25 Instituto Universal Brasileiro
rias, financeiras, cambiais etc.; Constitui o governo do Estado e exerce
• Autorizar o presidente da República a função administrativa, atuando direta ou in-
declarar guerra ou celebrar a paz ou permitir diretamente na execução de programas e na
o trânsito no país de forças estrangeiras; prestação de serviços públicos, em nível es-
• Autorizar o afastamento do presidente tadual (governador) ou federal (presidente).
ou do vice-presidente por mais de 15 dias;
• Fixar os subsídios do presidente, do Esfera federal
vice, dos deputados, dos senadores;
• Julgar as contas do presidente, fis- O poder executivo tem a função é vi-
calizar os atos do poder executivo, além de giar e controlar os demais poderes, nomear
várias outras atribuições. os ministros do Supremo Tribunal Federal
(STF) e dos demais tribunais superiores,
Ao Congresso, compete ainda de- além de participar da elaboração de leis,
cidir sobre acordos e tratados interna- por meio da sanção (aprovação) ou veto
cionais que impliquem algum prejuízo (rejeição) aos projetos, e também da esco-
para o patrimônio nacional. lha dos ministros do Tribunal de Contas da
União (TCU). O presidente exerce ainda o
Atribuições exclusivas da controle supremo das Forças Armadas.
Câmara dos deputados
Esfera estadual
• Autorizar instauração de processo
contra o presidente e o vice-presidente da O poder executivo estadual é exerci-
República e os ministros de Estado; do pelo governador, eleito por mandato de
• Fazer fiscalização contábil, financei- quatro anos. O governador tem como seus
ra, orçamentaria, operacional e patrimonial auxiliares diretos o vice-governador e os
do Estado, que são as mais importantes. secretários estaduais. Exerce em seu ter-
ritório toda competência que não lhe seja
Atribuições exclusivas do Senado vedada pela Constituição Federal. Entre
outros objetivos, deve garantir que os di-
• Processar e julgar o presidente e o reitos e garantias fundamentais não sejam
vice-presidente da República, ministros de violados e garantir o respeito à unidade da
Estado, comandantes das Forças Armadas, Federação, à Constituição Federal e à Es-
ministros do Supremo Tribunal Federal, tadual. A organização político-administrati-
procurador-geral da República e o advoga- va compreende os municípios, regidos por
do geral da União nos casos de crime de leis próprias. A ênfase deve estar na ques-
responsabilidade; tão social e não apenas na econômica.
• Aprovar operações de empréstimo
externo da União, Estados, Distrito Federal Esfera municipal
e municípios.
O poder executivo municipal tem
Poder executivo como chefe o prefeito, que é escolhido para
exercer o mandato de quatro anos, tendo
como auxiliares diretos o vice-prefeito e
os secretários municipais. O prefeito tem
funções políticas e administrativas que se
traduzem no planejamento das atividades,
obras e serviços municipais. Cabem ao
prefeito também a apresentação, a sanção,
a promulgação e o veto de proposições e
projetos de lei. O executivo municipal tem
Sociologia 3 - Aula 2 26 Instituto Universal Brasileiro
o dever de, em cada ano, apresentar a pro- As justiças trabalhista, eleitoral e militar
posta orçamentária à câmara dos vereado- são consideradas especializadas.
res, para sua aprovação. Os órgãos do poder judiciário são: Su-
premo Tribunal Federal, Conselho Nacional
de Justiça, Superior Tribunal de Justiça, os tri-
Poder judiciário
bunais regionais federais e juízes federais, os
Tem uma estrutura complexa, com- tribunais e juízes do trabalho, os eleitorais e os
posta de uma série de órgãos que possuem militares dos Estados e do Distrito Federal.
diferentes hierarquias e obedecem à divi-
são das esferas de governo da União.

A teoria dos três poderes foi desen-


volvida pelo filósofo Charles de Montes-
quieu em seu livro O Espírito das Leis
(1748). Com base na afirmação de que
“só o poder freia o poder”, Montesquieu
afirmava que para não haver abusos,
era necessário, por meios legais, dividir
o Poder de Estado em Executivo, Legis-
lativo e Judiciário. No Brasil, esses são
Em nosso país, o poder judiciário é exercidos respectivamente, pelo presi-
dividido em uma justiça de âmbito federal dente da república, Congresso Nacional
(comum ou especializada) e outra estadual. e Supremo Tribunal Federal (STF).

Quadro descritivo: composição e atuaçãodos poderes


governamentais nas esferas do Estado brasileiro

Executivo Legislativo Judiciário


Justiça Federal
Congresso Nacional Comum (Tribunais
Presidência da
Superiores, Regionais
República
e Juízes Federais)
Federal
Quem exerce: Justiça Federal Es-
Quem exerce:
Senadores e deputados pecializada (Justiça
Presidente e ministros.
federais. Eleitoral, Militar e do
Trabalho.
Governo Assembléia ou Câ-
mara Legislativa
Tribunal de Justiça e
Estadual Quem exerce:
Juízes Estaduais.
Governador e secre- Quem exerce:
tários de Estado. Deputados estaduais.

Prefeitura Câmara de
Vereadores
Municipal Quem exerce: -
Prefeito e secretários Quem exerce:
municipais Vereadores

Sociologia 3 - Aula 2 27 Instituto Universal Brasileiro


Partidos Políticos Embora houvesse diferenças em seus
programas partidários, quando no poder, os
Para completar, vejamos a formação dos liberais e os conservadores se pareciam. Am-
partidos políticos e sua atuação nos diferentes bos lutavam pela ocupação de cargos e por pri-
governos, para também entendermos a sua vilégios que só o Estado poderia oferecer.
ideologia.
► Partido Democrático e Partido
Conceito de ideologia. Surgiu no sé- Republicano
culo 18 com o filósofo francês Destutt de Tra-
cy (1754-1836), para designar a “ciência das
O Partido Democrático não teve penetra-
idéias”. Mais tarde, com a contribuição de ou-
tros pensadores, Karl Marx e o alemão Friedrich ção nas camadas mais baixas da sociedade, pois
Engels (1820-1895), o conceito agrega o senti- seu papel era legitimar a dominação da velha oli-
do de consciência social de uma classe domi- garquia. No período republicano, o domínio foi do
nante ou conjunto de ideias falsas destinadas a Partido Republicano e de seus representantes
mascarar a realidade social aos olhos da classe regionais. Durante a política dos governadores,
dominada. Atualmente usa-se este termo como praticamente não existiu oposição parlamentar.
o conjunto de ideias dominantes numa socieda- Próximo do fim da República Velha, era formado
de ou como “visão de mundo” de uma classe o Partido Democrático, em 1926, como uma va-
social, de uma sociedade ou de uma época. riante do velho republicanismo.

► Ideologia dos Anarquistas e Parti-


Como surgiram os partidos no Brasil? do Comunista
Diferentemente do que ocorreu nos Esta-
dos Unidos e na Europa, onde os partidos po- Diferentemente do que ocorreu na Fran-
líticos foram importantes instrumentos de luta, ça, as camadas mais baixas não foram no
de reivindicação, de transformação social, aqui início republicanas, optando pelo anarquis-
o capitalismo tardio e a sociedade escravocrata mo ou pelo comunismo para a construção de
ou excludente fizeram da vida política um espa- uma sociedade mais justa. Os anarquistas ti-
ço reservado para poucos e que dispensa a par- veram uma participação muito importante na
ticipação das classes médias no poder político. greve geral de 1917 no Brasil, e os comunis-
tas fundaram o Partido Comunista em 1922.
► Partido Moderado: base para o Par-
tido Conservador e o Partido Liberal

No Primeiro Reinado, surgem os liberais


que formam o Partido Moderado, em oposição
aos liberais extremados. Na regência de Diogo Anarquismo. Filosofia política que en-
Antônio Feijó (1784-1843), como consequência globa teorias, métodos e ações que objetivam a
de conflitos no interior do Partido Moderado se eliminação total de todas as formas de governo
subdividiu em dois grupos: os regressistas, que compulsório, sendo contra qualquer tipo de or-
formariam o Partido Conservador; e os progres- dem hierárquica que não seja livremente aceita.
sistas, que formariam a base do Partido Liberal.
Esses partidos atuaram em regime parla-
Partidos de oposição radical
mentar, bipartidário, baseado na troca de gabi-
netes, que tinha como modelo o parlamentaris-
No decorrer de nossa história política, ve-
mo inglês. É interessante observar que ambos mos que os opositores mais radicais nunca che-
vinham de um mesmo estamento e grupos so- garam ao poder. Embora tivessem tido impor-
ciais que representavam a classe dominante. tância no sentido de revelar os problemas mais
As diferenças apareciam em momento de con- sérios da formação social brasileira, a classe
flito e tinham um cunho regional.
Sociologia 3 - Aula 2 28 Instituto Universal Brasileiro
dirigente jamais conseguiu absorver essas críti- Número Um. Mas a situação política mos-
cas de forma democrática. Sempre houve forte trou que seriam necessárias novas medidas para
repressão às críticas radicais, e surgiram regi- barrar a oposição e então foi decretado em 1965
mes políticos ditatoriais, restringindo ainda mais o Ato Institucional Número Dois (AI-2). O novo
as liberdades. Foi assim no Getulismo e depois Ato era mais rígido que o primeiro e reforçava as
na Ditatura Militar, períodos em que a vida parla- ações do Executivo, era composto por trinta e
mentar foi extinta e permaneceu sem qualquer três artigos. Foi o AI-2 que determinou o fim de
representante político legitimado pelo voto. mais de dez partidos políticos existentes no Bra-
sil (representados pelas siglas PSB, PTB, UDN,
► Novos partidos PSP, PDC, MTR, PTN, PST, PSB, PRP, PR, PL,
PRT), estabelecendo um sistema bipartidário
Depois do Getulismo, em 1946, com a (ARENA e MDB).
nova Constituição, o legislativo foi se recu-
perando, sendo criados novos partidos: ► A partir de 1979: volta do pluripar-
• Partido Social Democrático (PSD); tidarismo
• União Democrática Nacional (UDN);
• Partido Trabalhista Brasileiro (PTB); Mudanças estavam acontecendo no
• Partido Comunista Brasileiro (PCB); seio da sociedade, principalmente no interior,
• Partido Socialista Brasileiro (PSB); ensejadas pelo desenvolvimento da econo-
• Partido Republicano Progressista mia. Os partidos comprometidos com uma
(PRP) e outros. sociedade mais igualitária tinham seus an-
seios anulados pelos grandes empresários
► Golpe militar e criação do biparti- (nacionais e do exterior), dirigentes políticos,
darismo: ARENA e MDB altos burocratas, intelectuais etc. Estes con-
tavam com o apoio da política centralizadora
Com a criação dos partidos parecia ter se do Estado, que beneficiava a classe dirigente
iniciado a construção de uma democracia libe- no confronto com as forças sociais democrá-
ral. Mas, viu-se que não era bem assim: primei- ticas, uma vez que projetos para beneficiar
ro ocorreu a cassação do Partido Comunista em certos setores não passavam pelo parlamen-
1947; e em 1964, com o golpe militar, todos os to, que não tinha poder real de decisão. Em
partidos foram cassados. Por meio de um Ato 1979, após a Anistia, os partidos políticos fo-
Institucional, criaram-se a Aliança Renovadora ram autorizados a funcionar. Assim se esta-
Nacional (ARENA) e o Movimento Democrático beleceram a maioria dos partidos que hoje
Brasileiro (MDB). O primeiro apoiava o regime, estão em atividade.
por isso também chamado de partido da situa- Não havia espaço para a oposição de-
ção; e o segundo, deveria fazer uma oposição fender suas idéias dentro do parlamento, mas
consentida, identificado como partido de oposi- a própria realidade econômica e social criou
ção. Durante o militarismo, segmentos sociais condições para seu fortalecimento. Foi assim
ganharam força no sentido de derrubar o regime que, em 1980, foi fundado o Partido dos Tra-
militar, e o MDB foi o partido que juntou todos balhadores (PT) com uma nova proposta de
esses segmentos. fazer política. A massa de trabalhadores as-
salariados formou a base do PT, dando voz
àqueles que não podiam tê-la em razão de
nossa sociedade ser marcada pelo domínio
de poderosos grupos econômicos e políticos.
Mas o que foi extraordinário na época parece
A tomada do poder pelos militares por meio que convergiu e perdeu suas bases primitivas,
do golpe em 1964 foi seguida por medidas que reflexo de mudanças no mundo do trabalho
visavam estabelecer o novo regime. Para isso
que fez os funcionários das indústrias perde-
foi publicado no mesmo ano o Ato Institucional
rem sua identidade anterior.
Sociologia 3 - Aula 2 29 Instituto Universal Brasileiro
Nas primeiras décadas do século 21, o Bra- 1945, período conhecido como Era Vargas.
sil chega a mais de trinta partidos políticos, mas a
ideologia partidária é muito discutível, haja vista as Governos populistas
conspirações e os acertos partidários. Muitos par-
tidos racham, gerando outras siglas; outros desa- O parlamento retoma com a redemocratiza-
parecem; ou mudam de nome, cores e bandeiras, ção de 1946 a 1964, mas funciona de forma de-
porém suas lideranças se mantêm as mesmas. pendente do poder executivo. Alguns historiadores
incluem Vargas no bloco de governos populistas.

Ditadura Militar

Período que durou de 1964 a 1984, pro-


piciou uma fase de grande industrialização,
Estado Brasileiro e Partidos Políticos com o Estado centralizador e o capital sendo
os protagonistas dessa situação.
O Brasil, assim que passou a ser colo-
nizado por Portugal, contou com a gerência Estado neoliberal: século 21
de um Estado absolutista e patrimonialista. A
dominação patrimonialista é exercida numa Após 1984, houve a democratização do
forma de dependência econômica, marcada país e assistimos à privatização de estatais. No
pela ausência de limites entre o público e o início do século 21, o Estado brasileiro tem go-
privado por parte dos administradores. vernos que enfatizam a política neoliberal, mas
permanece um forte poder estatal herdado de
Monarquia, parlamentarismo e república nossa história política, econômica e social.
Monarquia. A Constituição de 1824 for- O Estado brasileiro conforme a
mulou o Estado e elegeu o poder moderador (mo- Constituição de 1988
narca), como o principal instrumento de domina-
ção sobre o ministério (executivo), a câmara e o Segundo a Constituição em vigor, o Bra-
senado (legislativo) e o judiciário (magistrados). sil formou um Estado Democrático de Direito,
Parlamentarismo. Quando em 1847 se cujo modelo de governo é a República Fede-
instituiu o parlamentarismo, o que houve, na rativa, formada pela União indissolúvel dos
verdade, foi uma tentativa de conciliação entre Estados e municípios e do Distrito Federal.
o poder moderador e algumas ideias liberais
democráticas de uma parcela da nação. Como surgiram os partidos no Brasil?
República. Com a proclamação da Re-
pública, consagrada federativa pela Constitui- Aqui o capitalismo tardio e a sociedade
ção de 1891, as províncias (Estados atuais) escravocrata ou excludente fizeram da vida
ganharam autonomia, cada qual com sua pró- política um espaço reservado para poucos e
pria Constituição. que dispensa a participação das classes mé-
dias no poder político.
Estado liberal & Produção de café
► Partido Moderado (1930-40): base
O Estado republicano federativo tinha para o Partido Conservador e o Partido Liberal
um objetivo: dar suporte à produção cafeeira. ► Partido Democrático e Partido Repu-
blicano (1926)
Estado Novo ► Ideologia dos Anarquistas e Partido
Comunista (1922)
Vários conflitos originados da política eco- ► Novos partidos (1946)
nômica da Revolução de 1930 levaram à cen- ► Golpe militar (1964) e criação do bi-
tralização do poder, culminando com o Golpe de partidarismo: ARENA e MDB
Estado do governo de Getúlio Vargas em 1937, ► A partir de 1979: volta o pluripartida-
instituindo o Estado Novo que se estendeu até rismo

Sociologia 3 - Aula 2 30 Instituto Universal Brasileiro


estatal ou qualquer outra forma de poder.

a) ( ) I e III
b) ( ) II e III
c) ( ) I e II
1. Na obra Raízes do Brasil, publica- d) ( ) I, II e III
da em 1936, o sociólogo Sérgio Buarque de
Holanda aplica o conceito de patrimonialis- 4. Considere as funções dos poderes
mo para interpretar as estruturas políticas e do Estado federal brasileiro em relação às
econômicas emergentes na sociedade bra- leis e identifique (1) para função do poder
sileira. O patrimonialismo descreve: legislativo, (2) para função do poder execu-
tivo e (3) para função do poder judiciário;
a) ( ) a falta de distinção, por parte em seguida, assinale a alternativa com a
dos líderes políticos, entre o patrimônio pú- sequência de números correta.
blico e o privado.
b) ( ) a ação consciente da população ( ) Execução das leis.
e dos governos no trato do patrimônio público. ( ) Criação das leis.
c) ( ) um comportamento em que o ( ) Fiscalização do cumprimento das
patrimônio público não é utilizado como se leis.
fosse propriedade privada.
d) ( ) um fenômeno que se restringe a) ( ) 2, 3, 1.
exclusivamente aos governos absolutistas, b) ( ) 3, 2, 1.
sem reflexos na atualidade. c) ( ) 1, 3, 2.
d) ( ) 2, 1, 3.
2. A Constituição de 1891, elaborada
no início do período republicano, garantiu
alguns avanços, embora estivesse vincu- 5. (Enem. Adaptada) Leia o texto e
lada aos interesses das elites agrárias do as explicações para identificar a alternativa
país. A política econômica do período da correta.
Primeira República (1889-1930) tinha como
objetivo central dar suporte à produção: PSD - PTB - UDN
PSP - PDC - MTR
a) ( ) cafeeira. PTN - PST - PSB
PRP - PR - PL - PRT
b) ( ) de cana-de-açúcar.
Finados
c) ( ) automobilística.

d) ( ) de carne bovina. FORTUNA. Correio da Manhã, ano 65.
n. 22 264, 02.11.1965
3. Identifique as afirmativas corretas.
O texto foi publicado no jornal Correio
I – Com a queda da República Ve- da Manhã, no dia de Finados de 1965. Sua
lha, em 1930, e o início da Era Vargas, em relação com os direitos políticos existentes
1937, o Brasil deu um grande passo rumo à no período indica a:
industrialização da economia.
II – No período da Ditadura Militar a) ( ) extinção dos partidos nanicos.
(1964-1985), o Estado tinha caráter cen- b) ( ) retomada dos partidos esta-
tralizador, e o parlamento ficava distancia- duais.
do das tomadas de decisão. c) ( ) adoção do bipartidarismo re-
III – No início do século 21, o Estado gulado.
brasileiro é marcado pela política neolibe- d) ( ) valorização da representação
ral, totalmente livre da herança do poder parlamentar.
Sociologia 3 - Aula 2 31 Instituto Universal Brasileiro
Vargas, em 1937, o Brasil, realmente, deu um
grande passo rumo à industrialização da eco-
nomia. II - No período da Ditadura Militar (1964-
1985), o Estado tinha caráter centralizador, e
o parlamento ficava distanciado das tomadas
1. a) ( x ) a falta de distinção, por parte de decisão. A parte inicial da afirmativa III está
dos líderes políticos, entre o patrimônio pú- correta, pois no início do século 21, o Estado
blico e o privado. brasileiro é marcado pela política neoliberal.
Mas o neoliberalismo não está totalmente livre
Comentário. Patrimonialismo é um termo da herança do poder estatal ou qualquer outra
utilizado para descrever a falta de distinção por forma de poder; pelo contrário.
parte dos líderes políticos entre o patrimônio
público e o privado em um determinado go- 4. d) ( x ) 2, 1, 3.
verno de determinada sociedade. Mediante tal
prática, os governantes consideram o Estado Comentário. Confira a ordem e explica-
como seu patrimônio, numa total confusão en- ções corretas.
tre o que é público e o que é privado, noção ( 2 ) Execução das leis. Poder executivo:
que prevaleceu durante o período dos estados exerce principalmente a função administrativa
absolutistas. Mas o fenômeno do patrimonialis- de gerenciar o Estado, aplicando a lei nas vá-
mo não se restringe exclusivamente aos gover- rias esferas.
nos absolutistas. Apesar de ser abominado na ( 1 ) Criação das leis. Poder legislativo:
administração pública moderna, ainda pode ser exercido pelo Congresso Nacional, composto
verificado nos casos de corrupção que ocorrem pela Câmara dos Deputados e pelo Senado
no poder público. Federal. As duas casas possuem poder equiva-
lente, mas características distintas.
2. a) ( x ) cafeeira. ( 3 ) Fiscalização do cumprimento das
leis. Poder judiciário: verifica a legalidade das
Comentário. No período da Primeira leis em relação à constituição e seu cumpri-
República (1889-1930), a economia brasileira mento. Os juízes dos diferentes tribunais são
permanece centrada na produção cafeeira; e nomeados pelo poder Executivo.
a política é dominada pela oligarquia do café.
Também chamada República Velha, foi subdi- 5. c) ( x ) adoção do bipartidarismo re-
vidida pelos historiadores em dois períodos: gulado.
República da Espada (1889-1894), com poder
mais centralizador; e República Oligárquica Comentário. O texto apresenta os par-
(1894-1930), com maior poder para as eli- tidos que foram extintos em outubro de 1965,
tes regionais como São Paulo (oligarquia do após a promulgação do AI-2, em 1966. Daí a
café). Os capitais da cafeicultura contribuem associação com o dia de finados. Com esse se-
com avanços no processo de modernização gundo ato institucional, os militares aumentam
e diversificação das atividades econômicas. a repressão, vários partidos têm suas sedes in-
As oligarquias dominantes (São Pulo e Minas vadidas e o poder Judiciário passa a sofrer in-
Gerais) se revezavam no poder, por isso o pe- tervenções do governo militar. Com o pluriparti-
ríodo recebe a denominação “política do café darismo extinto, é estabelecido o bipartidarismo
com leite”. Mas a superprodução cafeeira e a em que o partido da situação era representado
política de valorização do café foram profun- pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA), e
damente afetadas pela crise mundial de 1929. a oposição era feita pelo Movimento Democrá-
Um dos fatores que justificaram o golpe de tico Brasileiro (MDB), mas de forma controlada.
1930. Os partidos foram obrigados a se integrar a um
desses grupos: o alinhado com o regime militar
3. c) ( x ) I e II e o da oposição consentida. Como os partidos
da esquerda mais radical haviam sido cassa-
Comentário. As afirmativas I e II estão dos, os conservadores formaram a ARENA e
absolutamente corretas. I - Com a queda da os de centro-esquerda e liberais-democratas
República Velha, em 1930, e o início da Era se juntaram ao MDB.

Sociologia 3 - Aula 2 32 Instituto Universal Brasileiro