Você está na página 1de 14

AULA 3 Cidadania: direitos e deveres do cidadão

Trata-se de um conceito em constante construção: a cidadania refere às


atitudes dos indivíduos, determinando um conjunto de direitos e deveres
que funcionam como parâmetros da vida em sociedade. A cidadania é plena
quando contempla direitos e deveres civis, sociais e políticos.

Cidadania: direito de ter direitos

É muito importante entender bem o que é cidadania. Uma palavra usada todos os dias e que
tem vários sentidos. Mas hoje significa, em essência, o direito de viver decentemente.
Cidadania é o direito de ter uma ideia e poder expressá-la. É poder votar em quem quiser sem
constrangimento. É devolver um produto estragado e receber o dinheiro de volta. É o direito de ser
negro sem ser discriminado, de praticar uma religião sem ser perseguido.
Há detalhes que parecem insignificantes, mas revelam estágios de cidadania. Respeitar o
sinal vermelho no trânsito, não jogar papel na rua, não destruir telefones públicos. Por trás desse
comportamento, está o respeito à coisa pública.
O direito de ter direitos é uma conquista da humanidade.
(Gilberto Dimenstein. Cidadão de Papel. São Paulo: Ática, 1995).

Sociologia 3 - Aula 3 33 Instituto Universal Brasileiro


Cidadania
Conceito de cidadania: desse privilégio: homens como comer-
significado e origem ciantes e artesãos; mulheres; escravos;
estrangeiros.

Cidade-Estado: Grécia Antiga e Roma

É importante ressaltar que os moder-


nos conceitos de ideais políticos, como os
de justiça, liberdade, governo constitucional
e respeito às leis emergiram de conceitos de
pensadores helênico (Grécia Antiga) sobre as
instituições da cidade-Estado.

A palavra “cidadania” deriva do latim civitas,


"cidade", entendida como uma reunião de cida-
dãos. Surgiu numa forma de organização espe-
cífica, a cidade-Estado, a partir do século 9 a.C.,
na região mediterrânea.
Nas cidades-Estados gregas, eram con- Em Roma, também vamos encontrar a
siderados cidadãos aqueles que participavam ideia de cidadania como a capacidade para
de todas as decisões e tarefas pertinentes à exercer direitos políticos e civis e a distinção
vida da comunidade: colaboravam nas deci- entre os que tinham esse privilégio e os que
sões políticas, elaboravam normas, tinham não tinham. Somente os homens livres eram
desempenho na vida pública, na organização cidadãos romanos, mas nem todos. Ainda ha-
de festividades, nos rituais religiosos, enfim, via os clientes, homens livres que mantinham
em todos os eventos públicos. um acordo com um aristocrata que lhe forne-
Somente os cidadãos tinham condições cia a terra para cultivar em troca de uma taxa.
de opinar sobre os rumos da sociedade, e só Em Roma, existiam três classes sociais:
eles eram considerados livres, com direitos e
garantias sobre sua pessoa e seus bens. • Os patrícios, descendentes dos
fundadores;
Quem eram os cidadãos? • Os plebeus, descendentes de es-
trangeiros;
Como regra geral, para ser cidadão,
era preciso ser proprietário de terras, ser • Os escravos, que eram os prisio-
livre e estar disponível para ter o direito de neiros de guerra, e os que tinham dívidas
participação na vida pública. Excluíam-se não pagas.

Sociologia 3 - Aula 3 34 Instituto Universal Brasileiro


Os plebeus não eram considerados ci- Evolução do conceito de cidadão
dadãos, ao contrário dos patrícios que tinham
todos os direitos políticos, civis e religiosos, Entretanto, no fim da Idade Moderna, a
fato que gerou muitas lutas internas na socie- sociedade começava a questionar, de manei-
dade romana. Aos poucos, com a expansão ra mais veemente, as distorções e privilégios
militar romana, os plebeus tiveram acesso ao que o clero e a nobreza insistiam em manter
serviço militar e conquistaram alguns direitos sobre o povo.
políticos. Pensadores iluministas, como Rous-
Embora o direito romano protegesse as seau, Montesquieu, Diderot, Voltaire e outros
liberdades individuais e reconhecesse a auto- que marcariam a história da cidadania, passa-
nomia da família com o pátrio poder, não as- ram a defender um governo democrático, com
segurava igualdade entre os homens. ampla participação popular e o fim dos privi-
Com a queda do Império Romano e o iní- légios de classe, propagando ideais de liber-
cio da Idade Média, assistimos às profundas dade e igualdade como direitos fundamentais
mudanças que vimos anteriormente. A Igreja do homem. Defendiam, também, na política, o
torna-se a instituição básica do processo de poder tripartite.
transição para o período medieval. É interessante observar que alguns des-
As cidades-Estados passam a ser re- ses ideais já tinham sido discutidos no início
guladas pela Igreja, e não mais pelo Estado. do constitucionalismo inglês, em 1215, quan-
A doutrina católica, ao declarar a liberdade e do o rei João Sem Terra foi forçado a assinar
igualdade de todos os homens e a unidade fa- a Carta Magna.
miliar, introduz importantes e profundas trans- A partir das monarquias nacionais, surgi-
formações com relação ao direito e ao Estado. ram as nações, governos e instituições nacio-
A estrutura social do feudalismo, que ti- nais. Mas somente na Idade Contemporânea,
nha no ápice de uma pirâmide o rei e o su- com o advento do Estado Liberal de Direito, o
serano e, na sua base, o campesinato, com cidadão é chamado a participar do poder polí-
os quais se estabelecia uma relação de de- tico por meio do processo eleitoral.
pendência e lealdade, anulou os princípios de Os iluministas abrem espaço para o Es-
cidadão e cidadania. Só a partir de meados tado de Direito, ao propor uma nova percep-
do século 17 que eles serão retomados com a ção da relação entre Estado e indivíduos, isto
formação dos Estados modernos. é, uma relação entre indivíduos dotados de ra-
zão e possuidores de "direitos naturais", com
os quais o homem nasce, como direito à vida,
à liberdade e à propriedade.

Suserano x Campesinato

Suserano é a denominação que in-


dica os senhores feudais; já campesina-
to se refere a um grupo de operários do
campo.

Nessa primeira fase, a sociedade


ainda era organizada em clero, nobreza e
povo, e o poder centralizava-se na figura do La Marseillaise, de Louis Cabanes (1895)
rei. Língua, cultura e ideais comuns auxilia-
ram na formação dos Estados nacionais. Essas ideias foram muito importantes
para a concepção atual de cidadania, cuja
Sociologia 3 - Aula 3 35 Instituto Universal Brasileiro
base é a noção de Direito. Hoje falamos em
direitos civis, políticos, sociais e humanos, organização de partidos e sindicatos, de
mas ainda não temos muita clareza a respeito manifestações sociais.
de cada um deles. Direitos sociais. Dizem respeito às
necessidades básicas do ser humano,
como alimentação, habitação, saúde,
educação, trabalho, salário justo, aposen-
tadoria etc.
Direitos humanos. São fundamen-
Documentos fundamentais tais e, sem eles, o indivíduo não é capaz
para a formação da cidadania de participar plenamente da vida em so-
ao longo da História ciedade. São o direito à vida, à liberdade,
à igualdade de direitos e oportunidades
• Bill of Rights (Carta de Direitos), e o direito de ser reconhecido e tratado
promulgada em 1689 pelo parlamento in- como pessoa, não importa qual seja sua
glês, protegendo o povo dos atos arbitrá- nacionalidade, etnia, cor da pele, idade,
rios do rei, a qual precedeu o fim do abso- gênero, origem social, faculdades físicas
lutismo. ou mentais, antecedentes criminais ou
• Declaração de Independência dos qualquer outra característica.
Estados Unidos, proclamada em 1776,
que inspirou o documento seguinte, de
grande importância. Cidadania Contemporânea
• Declaração dos Direitos do Ho-
mem e do Cidadão, proclamada em 26
de agosto de 1789 que, em seu primeiro
artigo, declara: "Os homens nascem e são
livres e iguais em direitos..."
• Declaração Universal dos Direitos
Humanos, de 1948, documento que reúne
as aspirações expressas nos documentos
anteriores e sistematiza os princípios funda-
mentais para todos os cidadãos.

Direitos do Indivíduo

Direitos civis. Referem-se à liber-


dade do indivíduo, estando fundamenta- Os direitos que vimos foram sagrados na
dos na existência da justiça e da lei. Estão Declaração Universal dos Direitos Humanos,
contemplados: o direito de ir e vir, de es- proclamada pela ONU (Organização das Na-
colher o trabalho, de se manifestar e se ções Unidas), em 10 de dezembro de 1948.
organizar, direito da inviolabilidade de seu Essa Declaração estabelece o seguinte:
lar e de sua correspondência, de não ser
preso e não sofrer punição a não ser pela • Todos os homens nascem livres
autoridade competente. e iguais em dignidade e direitos, e de-
Direitos políticos. Referem-se à vem agir entre si com "espírito de frater-
participação do cidadão no governo da so- nidade";
ciedade, votando e também sendo votado, • Os direitos e liberdades constan-
por meio de manifestações políticas, da tes nesse documento se referem a todos

Sociologia 3 - Aula 3 36 Instituto Universal Brasileiro


os homens, sem qualquer discriminação
de cor, etnia, sexo, língua, religião, opinião
política ou de outra natureza, origem etc.;
• Ninguém pode ser mantido em
escravidão ou sofrer tortura ou tratamento A Declaração Universal dos Direi-
desumano ou degradante; tos Humanos (DUDH) é considerada um
• Ninguém pode ser arbitrariamente marco na história dos direitos humanos;
preso, detido ou exilado; tem trinta artigos que englobam todos os
• Todo homem tem direito a uma direitos do cidadão e constitui a base da
justa e pública audiência por um tribunal Constituição Brasileira.
independente e imparcial para tratar de
seus direitos e deveres, ou de qualquer
acusação criminal contra ele; Cidadania no Brasil
• Todo homem tem direito à liberda-
de de reunião e associação pacíficas, e
ninguém pode ser obrigado a fazer parte
de uma associação;
• Todo homem tem igual direito de
acesso ao serviço público de seu país,
tem direito ao trabalho, à livre escolha de
emprego, a condições justas e favoráveis
de trabalho, à proteção contra o desem-
prego, tem direito a igual remuneração
por igual trabalho, a uma remuneração
justa com a qual possa manter sua família Sua história é inseparável das lutas pelos
com dignidade; direitos fundamentais da pessoa, lutas marcadas
• O homem pode organizar-se em pela violência, massacres, exclusão, que caracte-
sindicatos para proteger seus direitos; rizaram o Brasil desde o início de sua colonização.
• Todo homem tem direito ao lazer, Como vimos anteriormente, a escravidão
com fixação de horas de trabalho e férias foi um dos entraves ao desenvolvimento da cida-
remuneradas periódicas; dania em nosso país, depois marcado pelos pe-
• Alimentação, vestuário, habita- ríodos de Ditadura Militar, principalmente o último,
ção, cuidados médicos, previdência social que representou um retrocesso nos movimentos
em caso de aposentadoria, viuvez, doen- para a construção de uma nação mais justa.
ça, invalidez, velhice são direitos de todo Enquanto na Europa e Estados Unidos as-
homem; sistíamos à formação do Estado do Bem-Estar
• A maternidade e a infância têm di- Social, no Brasil, o povo era afastado das de-
reito a cuidados e assistência especiais, cisões políticas, e seus direitos civis eram anu-
e toda criança, nascida dentro ou fora do lados: havia um alto índice de analfabetismo,
casamento, gozará da mesma proteção falta de habitação, falta de saneamento básico,
social; doenças endémicas, precariedade de atendi-
• Todo homem tem direito à instru- mento na saúde pública. Essa situação mostra
ção gratuita, ao menos nos graus elemen- o quanto era incipiente a cidadania no Brasil.
tares e fundamentais;
• Todo homem tem o direito de to- Movimentos sociais e
mar parte das decisões políticas de seu cidadania reprimida
país diretamente ou por meio de seus re-
presentantes livremente escolhidos. Durante a Ditadura Militar, no entanto,
não obstante a proibição de toda manifes-
Sociologia 3 - Aula 3 37 Instituto Universal Brasileiro
tação popular que viesse atentar contra "a
ordem pública", ocorreram movimentos so- • Repressão pela força: as pessoas
ciais diferentes daqueles que haviam sido passaram a ser vigiadas por órgãos de
abafados. segurança e informação, controlados por
Tais movimentos reivindicavam o aten- militares, até em salas de aula de cursos
dimento do Estado a necessidades urbanas considerados "subversivos" existiam esses
como creches, melhoria de transportes cole- vigias; tais órgãos vigiavam, averiguavam,
tivos, postos de saúde, regulamentação de interrogavam e prendiam pessoas consi-
loteamentos clandestinos. Esses movimentos deradas suspeitas. Até hoje existem pes-
evidenciavam a noção de cidadania e iriam re- soas desaparecidas cujo fim os familiares
fletir-se na Constituição de 1988. desconhecem; os suspeitos eram tortura-
Trata-se de uma cidadania ativa, em dos, no intuito de que denunciassem opo-
que os cidadãos têm o direito e o dever de sicionistas do governo.
participar ativamente das decisões políticas. • Esvaziamento dos representantes
Essa postura dos cidadãos, que não espera- da oposição ao regime militar: centenas
vam com passividade a concessão de direitos de políticos, dirigentes sindicais, funcioná-
pelo Estado (cidadania passiva), foi absorvida rios públicos, professores universitários e
na Constituição de 1988, ampliando a partici- pesquisadores científicos foram cassados
pação popular na gestão pública por meio do ou perderam seus cargos ou se exilaram
referendo popular, do plebiscito e da iniciativa no exterior.
de proposição de lei pela população median-
te abaixo-assinado contendo um determinado
número de assinaturas. Constituição Brasileira de 1988
No referendo, o povo é chamado a se
manifestar por voto sobre uma lei após ter
sido elaborada, enquanto no plebiscito o povo
é chamado a se manifestar sobre um tema im-
portante, antes que uma lei seja elaborada.
À cidadania processada nesse período
chamamos de cidadania reprimida, uma vez
que os direitos do cidadão foram ceifados pelos
seguintes instrumentos do governo militar:

• Cassação de direitos políticos:


diversos líderes políticos, sindicais, intelec-
tuais e mesmo militares tiveram seus direi- Em 1986 formou-se a Assembleia Cons-
tos de votar e de serem votados cassados tituinte, cuja finalidade era elaborar uma nova
por dez anos; outros foram obrigados a se Carta Magna para o Brasil, em que estives-
aposentar e deixar suas funções. sem registrados os avanços em termos de
cidadania e direitos humanos de um Estado
• Amordaçamento: o direito de opi-
democrático, porque sem democracia, não
nião foi restringido, e os meios de comuni-
existe cidadania.
cação submetidos à censura.
Concebida no processo de redemocra-
• Anulação da representatividade tização, logo após o período da ditadura mi-
popular no governo: fechou-se o Con- litar, a Constituição foi aprovada em 1988.
gresso Nacional por duas vezes, e foi Até outubro de 2017 foram acrescentadas
decretado estado de sítio; introduziu-se 104 emendas constitucionais, sendo 97 or-
uma nova lei de segurança nacional, que dinárias, 6 de revisão e um tratado interna-
incluía pena de morte por fuzilamento. cional. Em 2018 a Constituição completou
30 anos.
Sociologia 3 - Aula 3 38 Instituto Universal Brasileiro
a cidadania, a dignidade da pessoa humana,
os valores sociais do trabalho e da livre ini-
ciativa e o pluralismo político, constando, no
Parágrafo único, que "todo o poder emana do
povo, que o exerce por meio de representan-
Constituição cidadã tes eleitos ou diretamente nos termos desta
Constituição".
Assim, em 27 de julho de 1988, o O artigo 2° declara que os poderes da
então presidente da Constituinte (conse- União são independentes e harmônicos entre
lho formado para elaborar a nova Consti- si: o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. No
tuição), Ulysses Guimarães (1916-1992), artigo 3°, colocam-se os objetivos fundamen-
declarou em seu discurso que esta é a: tais da República Federativa do Brasil:
"Constituição ci- I - construir uma sociedade livre, justa
dadã, porque recupe-
e solidária;
rará como cidadãos
milhões de brasilei- II - garantir o desenvolvimento nacional;
ros, vítimas da pior
das discriminações: a
III - erradicar a pobreza e a margina-
miséria (...). Cidadão lização e reduzir as desigualdades sociais
é usuário de bens e e regionais;
serviços do desen- IV - promover o bem de todos, sem
volvimento. Isso hoje preconceitos de origem, raça, sexo, cor,
não acontece com milhões de brasilei-
idade e quaisquer outras formas de discri-
ros, segregados nos guetos da persegui-
ção social."
minação.

Ulysses Guimarães
Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre. Título II - Dos Direitos
e Garantias Fundamentais

Capítulo l - Dos Direitos e


Alguns artigos da Carta Magna do
Deveres Individuais e Coletivos
Estado Democrático de Direito
Vejamos agora alguns artigos de nossa No artigo 5° deste capítulo, é dito o se-
Carta Magna pertinentes ao assunto de nossa guinte:
aula, porém de forma resumida, dada sua exten-
são. Seria interessante, no entanto, sua leitura Todos são iguais perante a lei, sem
completa, pois esse documento nos dá ciência distinção de qualquer natureza, garantin-
de todos os nossos direitos e deveres, com rela- do-se aos brasileiros e aos estrangeiros
ção à sociedade como um todo e ao Estado. residentes no País a inviolabilidade do
direito à vida, à liberdade, à igualdade, à
Título l - Dos Princípios Fundamentais segurança e à propriedade, nos termos
seguintes:
Nesse título, é definida a forma de Esta-
do brasileiro já no artigo 1°: "República Fede- I - homens e mulheres são iguais em
rativa do Brasil formada pela União indisso- direitos e obrigações, nos termos desta
lúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Constituição;
Federal, constitui-se em Estado Democrático II - ninguém será obrigado a fazer ou
de Direito". deixar de fazer alguma coisa senão em vir-
Nesse mesmo Artigo, apresentam-se tude de lei;
os fundamentos desse Estado: a soberania,
Sociologia 3 - Aula 3 39 Instituto Universal Brasileiro
III - ninguém será submetido à tortura I - plebiscito;
nem a tratamento desumano ou degradante;
II - referendo;
IV - é livre a manifestação do pensa-
III - iniciativa popular.
mento, sendo vedado o anonimato;
V - é assegurado o direito de res- Torna-se obrigatório o alista-
posta, proporcional ao agravo, além da mento eleitoral e o voto para maio-
indenização por dano material, moral ou res de 18 anos.
à imagem;
VI - é inviolável a liberdade de cons-
ciência e de crença, sendo assegurado o li- Título VIII - Da Ordem Social
vre exercício dos cultos religiosos e garan-
tida, na forma da lei, a proteção aos locais Capítulo VII - Da Família, da Criança,
de culto e às suas liturgias; do Adolescente e do Idoso

Nesse mesmo Capítulo, também se No artigo 226, o documento declara pro-


assegura a não perseguição por crença reli- teção especial à família. No artigo 227, temos
giosa, ou por convicção política ou filosófica, o seguinte:
devendo ser livre a expressão da atividade
intelectual, artística, científica e de comunica- É dever da família, da sociedade
ção, independentemente de censura ou licen- e do Estado assegurar à criança e ao
ça. A intimidade, a vida privada, a honra e a adolescente, com absoluta prioridade, o
imagem das pessoas são invioláveis; assim direito à vida, à saúde, à alimentação,
como sua casa, considerada "asilo inviolável". à educação, ao lazer, à profissionaliza-
Toda correspondência é inviolável também. ção, à cultura, à dignidade, ao respeito,
à liberdade e à convivência familiar e
Capítulo II - Dos Direitos Sociais comunitária, além de colocá-los a salvo
de toda forma de negligência, discrimina-
O artigo 6° desse capítulo elenca os direi- ção, exploração, violência, crueldade e
tos sociais do indivíduo: a educação, a saúde, opressão.
o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a
previdência social, a proteção à maternidade Ao Estado compete promover programas
e à infância, a assistência aos desamparados, de assistência integral à saúde da criança e
na forma desta Constituição (Emenda Consti- do adolescente, admitindo a participação de
tucional n° 26, de 2000). entidades não governamentais (ONGs). São
O artigo 7° trata dos direitos dos traba- deveres dos pais assistir, criar e educar os fi-
lhadores, como salário justo, obediência ao lhos menores, e o filhos maiores têm o dever
piso, férias, fundo de garantia, enfim, todos os de ajudar e amparar os pais na velhice, carên-
direitos consolidados nas leis trabalhistas. cia ou enfermidade. Juntos, família, sociedade
e Estado têm o dever de amparar as pessoas
Capítulo IV- Dos Direitos Políticos idosas, garantindo-lhe uma vida digna.

No artigo 14, temos o seguinte: Capítulo VIII - Dos Índios

A soberania popular será exercida O artigo 231 reconhece a cultura indíge-


pelo sufrágio universal e pelo voto direto e na e seus direitos às terras por eles habitadas.
secreto, com valor igual para todos, e, nos São deles todos os recursos existentes em
termos da lei, mediante: seu território, podendo-se explorá-los apenas
com autorização do Congresso Nacional.
Sociologia 3 - Aula 3 40 Instituto Universal Brasileiro
As terras são inalienáveis e indisponí- concepções, e em resposta aos fenômenos
veis, e os direitos sobre elas não prescrevem. de violência na sociedade, em 20 de novem-
Os índios não podem ser delas removidos, a bro de 1959, representantes de centenas de
não ser em casos de catástrofe ou epidemia países, durante a Assembleia Geral das Na-
que ponha em risco sua população, ou o inte- ções Unidas, assinaram a Declaração dos Di-
resse da soberania do País. reitos da Criança, constante de dez itens.
No Brasil, o processo foi lento. Somente
em 13 de julho de 1990 foi aprovada a lei n°
Nossa Constituição é bastante 8.069, que instituiu o Estatuto da Criança e do
abrangente, e é nosso dever fazer Adolescente (ECA), que serve de referência
que o instrumento legal que dirige a mundial. A adolescência é amparada por lei
vida de cada um de nós como cida- no sentido de preparo educativo-cultural, la-
dão seja obedecido. zer, convivência familiar e comunitária, profis-
sionalização, proteção no trabalho, proteção
contra a marginalidade por meio de projetos
Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA educativos nas áreas de artes, esportes, infor-
mática. Considera-se criança o indivíduo que
tem de zero a 12 anos incompletos; e adoles-
cente, de 12 anos completos até 18.

Dez princípios da Declaração dos


Direitos das Crianças

Se observados pela sociedade e por


todo cidadão, podem escrever um futuro me-
lhor para nosso país. São eles:

1 - Toda criança tem direito à igual-


dade, sem nenhuma discriminação por
Nos anos de 1960, a necessidade de raça, cor, sexo, língua, religião, país de
mão de obra no setor industrial, que passou origem, classe social ou riqueza. Toda e
a requisitar o trabalho feminino, alterou a qualquer criança do mundo deve ter seus
estrutura familiar, e as crianças passaram a direitos respeitados.
viver uma situação de abandono no mundo 2 - Toda criança tem direito à prote-
capitalista. Essas crianças, na adolescên- ção especial, e a todas as facilidades e
cia, começaram a cometer atos infracionais oportunidades para se desenvolver ple-
e a formar gangues, agindo com violência e namente, com liberdade e dignidade.
revolta.
Com essa nova situação social, surgiram 3 - Desde o dia em que nasce, toda
movimentos sociais em defesa dos direitos da criança tem direito a um nome e uma na-
criança e do adolescente. Os atos de infra- cionalidade, ou seja, ser cidadão de um
ção passaram a ocupar a mídia, chamando a país.
atenção da sociedade para que essa fase da 4 - As crianças têm direito a crescer
adolescência e suas manifestações fossem com saúde. As mães devem cuidar-se
objeto de uma compreensão maior. para que nasçam com saúde e dispen-
A Psicologia e as ciências jurídicas, por sar-lhes cuidados especiais, para que
meio de pesquisas e reflexão, passaram a sejam saudáveis. Toda criança também
compreender a criança e o adolescente como tem direito a alimentação, habitação, re-
sujeitos em formação e, por isso, alvos de creação e assistência médica.
educação diferenciada. E, a partir de novas
Sociologia 3 - Aula 3 41 Instituto Universal Brasileiro
5 - Crianças com deficiência física Outras Leis que defendem
ou mental devem receber educação e os nossos direitos
cuidados especiais.
6 - Toda criança deve crescer
em um ambiente de amor, segurança
e compreensão. As crianças devem
ser criadas sob o cuidado dos pais. O
governo e a sociedade têm a obriga-
ção de fornecer cuidados especiais às
crianças.
7 - Toda criança tem direito a re-
ceber educação gratuita e de qualida-
de, que lhe possibilite ter oportunidades Além desses estatutos, temos ainda o
iguais para desenvolver suas habilida- Código de Defesa do Consumidor, que nos
des. Deve também ter lazer. ampara quando compramos, por exemplo, um
8 - Seja em uma emergência ou produto que não corresponde às especifica-
acidente, ou em qualquer outro caso, a ções e finalidades esperadas, ou quando so-
criança deverá ser a primeira a receber mos enganados em contratos.
proteção e socorro dos adultos. Temos também o Estatuto das Cidades,
que estabelece normas que regulam o uso
9 - Nenhuma criança deverá sofrer da propriedade urbana em prol do bem co-
em virtude de descaso dos responsá- letivo, da segurança e do bem-estar dos ci-
veis ou do governo, nem por crueldade dadãos, bem como do equilíbrio ambiental.
e exploração. Nenhuma criança deverá Esse Estatuto dá "garantia do direito a cida-
trabalhar antes da idade mínima, nem des sustentáveis, entendido como direito à
será levada a fazer atividades que pre- terra urbana, à moradia, ao saneamento da
judiquem sua saúde, educação e desen- comunidade...”.
volvimento.
10 - A criança deverá ser protegi- Constituição Brasileira de 1988
da contra qualquer tipo de preconceito,
seja de raça, religião ou posição social. Durante essa aula, tratamos de todos
Toda criança deverá crescer em um os documentos e da história de construção à
ambiente de compreensão, tolerância cidadania. A Constituição e os estatutos nos
e amizade, de paz e de fraternidade conferem direitos. Mas também nos confe-
universal. rem deveres, os deveres do cidadão.
A Lei que estabelece esse estatuto
é o de n° 10.257, de 10 de julho de 2001,
a qual regulamenta os artigos 182 e 183
da Constituição Federal.

Em nossa Constituição de 1988, já Respeito às leis e aos bens públicos


tínhamos o amparo à infância e à adoles-
cência, bem como ao índio e ao idoso, que Respeitar as leis, não beber quando for
constituem segmentos humanos específi- dirigir, obedecer aos sinais do trânsito também
cos e que merecem, portanto, um cuidado são atitudes cidadãs. Em nossas cidades, temos
especial do Estado e da sociedade. praças, ruas, locais para lazer, com arborização
e jardins, lugares onde podemos, às vezes, sen-
Sociologia 3 - Aula 3 42 Instituto Universal Brasileiro
tar, ler um livro, meditar etc. Esses lugares foram deveriam ser tratados pelo Estado, que, no
construídos e mantidos com o dinheiro público, entanto, não consegue fazê-lo. Estas organi-
ou seja, com a participação de cada brasileiro zações estimulam comportamentos solidários,
que de alguma forma pagou impostos. Esses dedicando-se a questões como ecologia, paz
bens públicos, portanto, são bens do cidadão e alfabetização entre outras. Podemos dizer
que, como tal, deve procurar preservá-los. que as ONGs, entre a esfera pública e a pri-
vada, formam uma terceira esfera no seio da
Preservação ambiental sociedade, de mobilização da população para
atitudes cidadãs.
Todos nós, cidadãos brasileiros, temos o
dever de cuidar de nossa cidade, das matas, A construção da cidadania em
lutando pela preservação ambiental. Devemos meio às questões sociais
cuidar das crianças, quando as vemos sós ou
em perigo, não jogar papel nas ruas, garrafas, Infelizmente, continuamos assistin-
ou seja lá o que for, cujo destino deveria ser o do à desumanização e à “coisificação”
lixo, é um dever do cidadão. do outro, apesar de termos uma "Consti-
tuição cidadã" e um Estatuto da Criança
Ética profissional e do Adolescente que é uma referência
mundial, e também leis que preservam o
A ética profissional, a postura no am- direito de cuidados especiais ao idoso e
biente de trabalho, de respeito e cooperação, aos índios.
o respeito pelo cliente, no seu atendimento, Vemos idosos desassistidos pelo po-
o respeito pelas coisas públicas, quando se der público e pela família, que em grande
trata de funcionário público, quando o desper- número não têm condições de dar-lhes
dício deve ser a todo custo evitado, pois o di- atenção e cuidados necessários; vemos
nheiro é de todos nós, cidadãos. Isto e muitas mães que precisam trabalhar e deixam
outras condições, previstas na Constituição e seus filhos aos cuidados de outra criança
nos estatutos e códigos, geram a cidadania, ou então trancados em casa; vemos ado-
fundamentais para isso haver igualdade, liber- lescentes marginalizados e entregues às
dade e fraternidade. drogas, de onde tiram o sustento, ou aca-
lentam o vício.
Cidadania implica em participação social Apesar dos esforços públicos, nos-
so sistema educacional é discriminante,
A opinião pública e a sociedade civil per- e sua má qualidade gera desigualdades
meiam a esfera pública, que é o Estado e seus e impõe barreiras para o futuro profis-
três poderes, e outras instituições políticas; e a es- sional.
fera privada, em que ocorrem as atividades econô- Na elaboração de todas estas leis,
micas, a vida familiar e as relações sociais. houve a melhor das intenções e nas mu-
A sociedade civil é formada pelas organi- danças para que o preparo fosse igual
zações privadas sem fins lucrativos, que têm para todos também; mas, até agora, não
importante participação na vida pública. São vimos muito progresso. Como cidadãos,
exemplos disto a Ordem dos Advogados do Bra- podemos lutar por isto. A cidadania não
sil (OAB), a Associação Brasileira de Imprensa ficou estagnada, cada vitória foi alcan-
(ABI), as Organizações Não Governamentais çada passo a passo, com a colaboração
(ONGs), as diferentes igrejas organizadas, a daqueles que conseguiram ver além da
União Nacional dos Estudantes (UNE). esfera do poder e das finanças. A cidada-
As ONGs constituem um setor autôno- nia é construída e muito tem que ser feito
mo, formado pelas organizações comunitá- ainda, aqui e no mundo para o seu pleno
rias autônomas, voltadas para a solução de exercício.
grandes problemas sociais. Tais problemas
Sociologia 3 - Aula 3 43 Instituto Universal Brasileiro
Movimentos sociais e cidadania reprimida
Durante a Ditadura Militar, no entanto,
não obstante a proibição de toda manifesta-
ção popular que viesse atentar contra "a or-
Cidadania dem pública", ocorreram movimentos sociais
diferentes daqueles que haviam sido abafa-
Conceito de cidadania: significado e origem
dos. À cidadania processada nesse período
A palavra “cidadania” deriva do latim civitas, chamamos de cidadania reprimida.
"cidade", entendida como uma reunião de ci-
dadãos. Eram considerados cidadãos aqueles Constituição Brasileira de 1988
que participavam de todas as decisões e tarefas
Em 1986 formou-se a Assembleia Consti-
pertinentes à vida da comunidade, sobretudo
tuinte, cuja finalidade era elaborar uma nova Carta
nas cidades-Estado gregas e romanas.
Magna para o Brasil, em que estivessem registra-
dos os avanços em termos de cidadania e direitos
Evolução do conceito de cidadão
humanos de um Estado democrático. Em 1988
Pensadores iluministas marcaram a história Ulysses Guimarães (1916-1992), declarou em
da cidadania, passaram a defender um governo seu discurso que esta pode ser considerada a:
democrático, com ampla participação popular e o “Constituição cidadã, porque recuperará como ci-
fim dos privilégios de classe, propagando ideais de dadãos milhões de brasileiros, vítimas da pior das
liberdade e igualdade como direitos fundamentais discriminações: a miséria (...). Cidadão é usuário
do homem; e a participação política. Essas ideias de bens e serviços do desenvolvimento.”.
foram muito importantes para a concepção atual de
A Constituição Brasileira é bastante
cidadania, cuja base é a noção de Direito. abrangente, e é nosso dever fazer que o ins-
trumento legal que dirige a vida de cada um de
Documentos fundamentais para a nós como cidadão seja obedecido.
formação da cidadania ao longo da História
• Bill of Rights (Carta de Direitos) 1689. Estatuto da Criança e do Adolescente
• Declaração de Independência dos Es-
No Brasil, em 1990, foi aprovada a lei n°
tados Unidos, 1776.
8.069, que instituiu o Estatuto da Criança e do
• Declaração dos Direitos do Homem e
Adolescente (ECA), que serve de referência
do Cidadão 1789.
mundial.
• Declaração Universal dos Direitos Hu-
manos, de 1948.
Outras Leis que defendem os nossos direitos
Cidadania Contemporânea Código de Defesa do Consumidor e Es-
tatuto das Cidades.
A Declaração Universal dos Direitos Hu-
manos (DUDH) é considerada um marco na
E os deveres do cidadão?
história dos direitos humanos; tem trinta arti-
gos que englobam todos os direitos do cidadão • Respeito às leis e aos bens públicos
e constitui a base da Constituição Brasileira. • Preservação ambiental
• Ética profissional
Cidadania no Brasil
Cidadania implica em participação social
A história da cidadania no Brasil é inse-
parável das lutas pelos direitos fundamentais A opinião pública e a sociedade civil
da pessoa, marcadas pela violência, massa- permeiam a esfera pública, que é o Estado e
cres, exclusão, que caracterizaram o Brasil seus três poderes, e outras instituições polí-
desde o início de sua colonização. A escravi- ticas; e a esfera privada, em que ocorrem as
dão foi um dos entraves ao desenvolvimento atividades econômicas, a vida familiar e as
da cidadania em nosso país; e depois os pe- relações sociais. A sociedade civil têm impor-
ríodos de Ditadura Militar. tante participação na vida pública.

Sociologia 3 - Aula 3 44 Instituto Universal Brasileiro


4. (Enem. Adaptada).
Completamente analfabeto, ou quase, sem
assistência médica, não lendo jornais, nem revis-
tas, nas quais se limita a ver as figuras, o trabalha-
dor rural, a não ser em casos esporádicos, tem o
1. A cidadania que se constrói hoje, com patrão na conta de benfeitor. No plano político, ele
base nos direitos civis, sociais, políticos, e no luta com o “coronel” e pelo “coronel”. Aí, estão os
votos de cabresto, que resultam, em grande parte,
conceito de nacionalidade, surgiu na virada da da nossa organização econômica rural.
Idade Média para a Idade Moderna. Que mo-
LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto.
vimento assentou os fundamentos da cidada- São Paulo: Alfa-Ômega, 1978 (adaptado).
nia, por meio de seus pensadores e filósofos?
No Brasil, o coronelismo, fenômeno polí-
a) ( ) Iluminismo. tico da Primeira República (1889-1930), tinha
b) ( ) Liberalismo. como uma de suas principais características
c) ( ) Comunismo. o controle do voto, o que limitava, portanto, o
d) ( ) Nacionalismo. exercício da cidadania. Nesse período, esta prá-
tica estava vinculada a uma estrutura social:
2. Cada item consta de alguns direitos
dos cidadãos. Coloque, no espaço entre pa- a) ( ) igualitária, com um nível satisfató-
rênteses, número (1) para direitos civis, (2) rio de distribuição da renda.
para direitos políticos, (3) para direitos sociais b) ( ) estagnada, com uma relativa har-
e (4) para direitos humanos. monia entre as classes.
c) ( ) tradicional, com a manutenção da
( ) Direito de escolha de trabalho e de escravidão nos engenhos.
manifestação na sociedade. d) ( ) agrária, marcada pela concentra-
( ) Direito à vida, à liberdade, à igual- ção da terra e do poder político local e regional.
dade de oportunidades, à dignidade.
( ) Direito à formação de partidos, sin- 5. (Enem. Adaptada).
dicatos e às manifestações sociais.
No Brasil, a condição cidadã, embora de-
( ) Direito à educação, saúde, moradia penda da leitura e da escrita, não se basta pela
e proteção à criança. enunciação do direito, nem pelo domínio desses
instrumentos, o que, sem dúvida, viabiliza melhor
a) ( ) 4, 1, 3, 2. participação social. A condição cidadã depende,
b) ( ) 2, 3, 4, 1. seguramente, da ruptura com o ciclo da pobreza,
que penaliza um largo contingente populacional
c) ( ) 1, 4, 2, 3.
d) ( ) 3, 1, 2, 4. Formação de leitores e construção da
cidadania, memória e presença do PROLE.
Rio de Janeiro: FBN, 2008.
3. A carta que sagrou os direitos do ci-
dadão no mundo ocidental, estabelecendo Ao argumentar que a aquisição das habi-
os parâmetros da cidadania contemporâ- lidades de leitura e escrita não são suficientes
nea, foi a: para garantir o exercício da cidadania, o autor:

a) ( ) Declaração dos Direitos do Homem a) ( ) critica os processos de aquisição


e do Cidadão, em 1789. da leitura e da escrita.
b) ( ) Bill of Rights (Carta de Direitos), b) ( ) fala sobre o domínio da leitura e
em 1689. da escrita no Brasil.
c) ( ) Declaração da Independência c) ( ) incentiva a participação efetiva na
dos Estados Unidos, em 1776. vida da comunidade.
d) ( ) Declaração Universal dos Direitos d) ( ) faz uma avaliação crítica a respei-
Humanos, em 1948. to da condição cidadã do brasileiro.
Sociologia 3 - Aula 3 45 Instituto Universal Brasileiro
do cidadão no governo da sociedade; (3) di-
reitos sociais contemplam as necessidades
básicas do ser humano como habitação, saú-
de, educação etc.

1. a) ( x ) Iluminismo. 3. d) ( x
) Declaração Universal dos
Direitos Humanos, em 1948.
Comentário. Iluminismo é a resposta
correta, pois importantes pensadores e filó- Comentário. A resposta correta é a d.
sofos iluministas se manifestaram em defesa As demais alternativas apresentam importan-
de um Estado democrático, ressaltando direi- tes documentos que culminaram na procla-
tos como liberdade, igualdade e participação mação da Declaração Universal dos Direitos
popular no governo. Já as demais respostas Humanos (DUDH), em 1948. Composta por
estão incorretas; muito embora o Liberalismo trinta artigos que englobam todos os direitos
tenha contribuído para a expansão da cida- do cidadão continuam a orientar a construção
dania, e as ideias comunistas também. Já o da cidadania na contemporaneidade.
nacionalismo exagerado, em determinados
momentos da História, levou à conflagração 4. d) ( x ) agrária, marcada pela con-
social. centração da terra e do poder político local
e regional.
2. c) ( x ) 1, 4, 2, 3.
Comentário. Durante a República Velha
Comentário. Nos espaços entre parên- (1889-1930), as oligarquias agrárias exerciam
teses, deveriam ser colocados: número (1) o controle da máquina eleitoral por meio do
para direitos civis, (2) para direitos políti- coronelismo que concentravam o poder lo-
cos, (3) para direitos sociais e (4) para direi- cal. Essa prática ficou conhecida como “curral
tos humanos. Ficando assim: eleitoral” ou “voto de cabresto”. Além disso,
foram criados outros mecanismos de controle
( 1 ) Direito de escolha de trabalho e de político, como a Política do Café com Leite:
manifestação na sociedade. que exerciam o controle do governo federal
pelas oligarquias do café, em São Paulo, e do
( 4 ) Direito à vida, à liberdade, à igual- leite, em Minas. Dessa forma, a manipulação
dade de oportunidades, à dignidade. do voto desconsiderava o princípio de cidada-
nia e dos direitos políticos.
( 2 ) Direito à formação de partidos, sin-
dicatos e às manifestações sociais. 5. d) ( x ) faz uma avaliação crítica a
respeito da condição cidadã do brasileiro.
( 3 ) Direito à educação, saúde, moradia
e proteção à criança. Comentário. A intenção do autor é fa-
zer uma avaliação crítica a respeito da con-
Apesar de serem fundamentalmente di- dição cidadã do brasileiro, argumentando
reitos, eles podem ser subdivididos como indi- que as habilidades de leitura e escrita não
ca a ordem de numeração: (1) direitos civis, são suficientes para garantir a cidadania. É
normalmente, têm fundamentos na justiça e claro que o domínio desses instrumentos é
são protegidos por lei: dentre eles, o direito importante para viabilizar a participação so-
de escolha do trabalho, de manifestação e or- cial. Mas a condição cidadã muitas vezes
ganização; (4) direitos humanos são funda- depende da ruptura do ciclo da pobreza de
mentais e se estendem a todos como o direito um grande número de pessoas que não têm
à vida e à liberdade; (2) direitos políticos re- acesso aos direitos básicos e essenciais
ferem-se mais especificamente à participação de cidadãos.
Sociologia 3 - Aula 3 46 Instituto Universal Brasileiro