Você está na página 1de 2

Stéfhanie Moura Guimarães - 20170097

Novembro 2018

Recensão Sebenta
Iconologia e Iconografia

MANUEL J. GANDRA, "Noese e técnica do símbolo 1: indagações acerca do imaginário da


cultura simbólica", Mafra, 2017, pp. 11-21.

A referida obra nos seus capítulos inaugurais desenvolve o estudo acerca da arte
através da Iconografia ao fazer alusão às pinturas e retratos aplicados na antiguidade, bem
como ao conjunto de representações de uma pessoa ou tema, desde a criação de obras
materializadas em personalidades da época ou ainda através da produção do estudo de
determinado assunto, passando aos dias atuais por meio das representações artísticas e outros
exemplos.
Não obstante, coloca como questão a Iconologia através do estudo da representação
das figuras alegóricas e de suas características para apresentar o estudo cultural de uma obra
de arte através da interpretação filosófica, histórica e social – para além de outros fatores –
que possibilitam auxiliar, a correta interpretação e significado de uma obra em conjunto com
a Iconografia.
Muito embora distintas, em determinados níveis a Iconografia e a Iconologia dão
lugar a interpretações similares. Importa notar, todavia, que a distinção subjacente passa por
determinar, de acordo com a obra, que a primeira tem por objeto o significado que
acompanham as obras de artes, enquanto a segunda, por oposição, compreende o
conhecimento através da forma.
Entretanto, a relação que se faz presente entre a Iconografia e a Iconologia
possibilitam a construção do método de análise das obras. Neste sentido, podemos destacar
através de um processo analítico níveis que nos auxiliam a percepção dos detalhes e sentidos
presentes no contexto artístico.
Sendo assim, ainda que haja espaço para um momento anterior no decorrer da análise
pré-iconográfica ao nos limitarmos ao universo dos motivos para determinada obra possuir
certas características, temos pelo significado primário ou natural da obra, subdivido entre
factual e exprimível, a possibilidade de perceber o mundo dos motivos artísticos, podendo
assim alcançar certas configurações subjacentes a obra, qualidades que nelas se expressam ou
os objetos ali colocados e o seres representados que partem sobretudo das experiências
práticas já vivenciadas e que são afetadas diretamente pela história e o tempo em que estamos
submetidos (factos históricos, eventos etc).
Mais além, através do significado secundário ou convencional por meio da análise
iconográfica, podemos fazer a conexão dos motivos artísticos das obras com os temas ou
conceitos que carregam certos elementos da história, como as imagens de santos ou outras
alegorias ao mesmo nível e que tem na constituição elementos celebrados por determinados
povos, à exemplo dos Cristãos.
Por último, a representação de uma imagem ou obra pode ser colocada em causa
através da conexão dos motivos artísticos, combinação desses motivos e dos conceitos e,
neste sentido, possibilita por meio da interpretação iconográfica entender as crenças ou

Arte, Cultura e Comunicação !1


valores que nascem como resultado da personalidade artística e que se concretiza na obra
com a influência da realidade enfrentada.
Dessa maneira, serão ferramentas de interpretação na análise fundamentada de uma
obra artística as experiências práticas acumuladas por determinado indivíduo, com base na
sua história e interação com o mundo, ou ainda por seu conhecimento científico-literário
adquirido através do estudo de conceitos e assuntos que lhe farão familiares aos mais
diversos temas, para além da própria intuição sintética que, neste sentido, caminha em
encontro à essência do ser humano.
Entretanto, de acordo com a obra, devemos nos valer de correções para se alcançar
um estudo onde a análise da obra não se edifique por apenas o olhar do historiador da arte,
uma vez que o resultado poderá ser impacto pela própria personalidade e aptidão do
investigado. Neste sentido, a visão deverá ter como peso e medida a compreensão dos
processos históricos e a tradição que se enfrenta, para que seja possível realizar a análise
crítica e o estudo através da criação do processo de análise das obras artísticas com perícia.

Arte, Cultura e Comunicação !2