Você está na página 1de 9

ANEXO 1

PROJETO INTEGRADOR IV:


Planejamento das atividades de 2018.02

Prof. Victor F. L. Nunes – responsável pelo Projeto Integrador IV

1. INTRODUÇÃO
As indicações a seguir compõem uma proposta para o desenvolvimento das
atividades do Projeto Integrador no 4º (terceiro) período do Curso de Direito das
Faculdades Unificadas de Leopoldina. Considerei, para realizá-la, as diretrizes
traçadas no Manual de Pesquisa da Rede de Ensino Doctum, bem como o projeto-
base do Núcleo de Área do Direito da Rede para o Projeto Integrador. Busquei
conformá-lo ao conjunto de disciplinas oferecidas aos discentes neste momento do
curso. Nesta linha, o Projeto Integrador IV pretende oferecer ao alunado uma
oportunidade de desenvolver um estudo transdisciplinar que envolve, além das
disciplinas do semestre, a integração entre ensino, pesquisa e extensão.
Aproveito para encaminhar o presente planejamento à ciência dos demais
professores do período, uma vez que é preciso contar com a cooperação de todos
no desenvolvimento das atividades deste componente curricular. Especialmente,
gostaria de contar com o apoio de todos para promover também a discussão dos
textos que compreendem a bibliografia deste projeto. Busquei selecioná-los de modo
a envolver a maior quantidade de disciplinas e, à primeira vista, consegui, ao menos,
contemplar: Direito Constitucional, Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e
Processual Penal.
Para sistematizar e apresentar o desenvolvimento das atividades, faz-se
necessário expor, brevemente, a temática, bem como o planejamento das atividades
deste componente curricular. Em seguida, apresentarei a proposta do Trabalho
Integrador, bem como o Projeto de Pesquisa, os quais devem ser desenvolvidos
neste período. Por fim, será exposta a distribuição dos pontos no processo de
avaliação continuada e na Prova Integradora.
Projeto Integrador IV

2. TEMÁTICA – O Direito e elas: questões (jurídicas) de gênero


Considerando que a formação do jurista deve, nos termos do Projeto
Pedagógico do Curso (PPC) de Direito das Faculdades Unificadas de Leopoldina
(FUL), preocupar-se com a formação cidadã do corpo discente do Curso de Direito –
registre-se, de passagem, que a formação integral da pessoa é um objetivo
constitucional, inscrito no art. 205 da Lei Maior: “A educação, direito de todos e dever
do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da
sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o
exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho” (grifei) –, imperativo é,
portanto, que o jurista se forme voltado ao exercício da cidadania, bem como ao
exercício das carreiras jurídicas de modo a garantir o Estado Democrático de Direito.
Nesta linha, compreender as raízes das desigualdades brasileiras e refletir de forma
profunda sobre como enfrentá-las é não apenas um exercício profissionalizante, mas
também uma obrigação cidadã.
A questão fundamental que inspira este projeto é: em que medida o Direito
(re)conhece o sujeito feminino?
Assim como a questão racial, que inspirou o Projeto Integrador III, o feminino
também merece reflexão. Afinal o patriarcado, mais antigo do que o próprio
preconceito racial, desenvolveu rígidas estruturas que, certamente, não deixaram de
afetar as relações jurídicas. A forma do Direito que conhecemos – e também seu
conteúdo – foi determinada conforme um padrão de sujeito de direito que, apesar da
aparência neutra, mascara, porque pressupõe, a identidade masculina.
O sujeito (de direito) oculto é masculino e desvelar esta pressuposição é uma
tarefa que se impõe não apenas como medida de igualdade ou de reconhecimento.
Não será possível estabelecer relações sociais, contemporaneamente marcadas
pela forma jurídica, senão as já baseadas em estruturas de dominação (de gênero,
raciais, econômica, etc.), sem que se desenvolva uma profunda reflexão sobre as
raízes dos conceitos jurídicos mais elementares.
Se considerarmos que não é possível redesenhar a estrutura jurídica sem
refletir sobre seus próprios fundamentos, não será possível deixar de reconhecer a
relevância da compreensão da máscara de gênero que encobre o Direito. Esta
tarefa ganha ainda mais relevo uma vez que o Direito contemporâneo não apenas
Projeto Integrador IV

pretende a proteção do sujeito de direito. Há, no horizonte normativo, uma pretensão


ainda maior, qual seja: a garantia do desenvolvimento do sujeito em suas mais
diversas perspectivas. Neste caso, a garantia dos Direitos Fundamentais e dos
Direitos Humanos em geral, tampouco prescinde desta reflexão.

3. CRONOGRAMA E PLANEJAMENTO
As atividades estão planejadas conforme o cronograma abaixo:

Semana Data Trabalho Integrador Projeto de Pesquisa


1 07/08 Apresentação do Curso Apresentação do Curso
Divisão das tarefas e Divisão das tarefas e
2 14/08
considerações inciais considerações iniciais
Imaginário feminista e Direito: Imaginário feminista e Direito:
3 21/08
perspectivas contemporâneas perspectivas contemporâneas
25/08
4 Dúvidas e orientações Dúvidas e orientações
(sábado)
5 28/08 Texto 1 –
6 04/09 – Artigo 1
7 11/09 Texto 2 –.
8 18/09 – Artigo 2
Semana de Provas da 1ª Semana de Provas da 1ª
9 25/09
Etapa de Notas Etapa de Notas
10 02/10 Texto 3 –
06/10
11 Dúvidas e orientações Dúvidas e orientações
(sábado)
12 09/10 – Artigo 3
13 16/10 Texto 4 –
14 23/10 – Artigo 4
Apresentação do Produto Final Apresentação do Produto Final
15 30/10
de Extensão de Extensão
Entrega do Produto Final de Entrega do Produto Final de
16 06/11
Pesquisa Pesquisa
17 13/11 Ateliê Científico Ateliê Científico
18 18/11 Encerramento Encerramento
Semana de Provas da 1ª Semana de Provas da 1ª
19 27/11
Etapa de Notas Etapa de Notas
Projeto Integrador IV

20 04/12 Prova Integradora Prova Integradora

Para a operacionalização das atividades a turma será divida em 16


(dezesseis) trios, conforme o número de alunos matriculados, de modo a se
formarem 16 grupos de trabalho. A cada semana, um artigo/texto será objeto de
discussão e dois grupos devem preparar a apresentação e outros dois a arguição do
capítulo.
O sorteio dos temas, bem como das tarefas respectivas ocorrerá na segunda
semana de aulas, tão logo os alunos tenham estabelecido os grupos de trabalho.
Cada grupo será escalado para tratar de um texto objeto de Trabalho Integrador,
bem como de um dos artigos a serem estudados para os trabalhos do Projeto de
Pesquisa.
Deverão ser observadas as seguintes regras para distribuição dos trabalhos:
• A ordem de apresentação/arguição do Trabalho Integrador (TI) e do Projeto
de Pesquisa (PP) serão invertidas. Deste modo, o primeiro grupo a trabalhar
o TI, será o último do PP e vice-versa; o segundo grupo a trabalhar o TI será
o terceiro do PP e vice-versa;
• Os grupos que apresentarem o TI, arguirão o PP e vice-versa;
• Os grupos responsáveis pela apresentação do TI deverão apresentar também
uma notícia que ilustre o objeto da exposição e que instruirá também as
discussões;
• O tempo de apresentação é de 15 (quinze) minutos para ambos os trabalhos;
• O tempo de arguição é de 05 (cinco) minutos para ambos os trabalhos.
Os grupos que não estiverem envolvidos na apresentação ou na arguição dos
trabalhos não estão dispensados da leitura, uma vez que a participação é objeto de
avaliação e será aferida, nos termos do tópico 6 a seguir, bem como os textos objeto
deste projeto serão também substrato para formulação de questões para a Prova
Integradora.

3.1 Avaliações e critérios


A distribuição dos pontos será a seguinte:
Projeto Integrador IV

Atividade Primeira Etapa de Notas Valor Segunda Etapa de Notas Valor


Trabalho Produto parcial de
10 Produto Final de Extensão 10
Integrador Extensão
Projeto de
Resumo do texto base 10 Resenha crítica 10
Pesquisa
Apresentação Apresentação/Arguição 10 Apresentação/Arguição 10
Avaliação
Participação + Frequência 10 Participação + Frequência 10
Continuada1
Prova Conforme Projeto
Não se aplica – 20
Integradora Pedagógico do Curso

Os produtos de extensão (Trabalho Integrador) e de pesquisa (Projeto de


Pesquisa), serão expostos a seguir. Quanto às apresentações/arguições, estas
serão avaliadas em 10 (dez) pontos por etapa.
As apresentações serão avaliadas com base nos seguintes critérios:
• Clareza e precisão das ideias apresentadas;
• Observância do tempo para apresentação;
• Para o TI: pertinência da relação entre o objeto do texto e a notícia.
As arguições serão avaliadas com base nos seguintes critérios:
• Pertinência das inferências e/ou das relações realizadas;
• Observância do tempo para arguição.

4. TRABALHO INTEGRADOR
O Trabalho Integrador terá como escopo principal a produção de produtos de
extensão, mas não se descuidará da interface com a pesquisa. Para tanto, a
temática comum das atividades a serem desenvolvidas ao longo do semestre deve
retroalimentar o processo de reflexão crítica das(os) discentes com relação à
temática proposta.
O Trabalho Integrador trabalhará textos voltados a instigar a reflexão sobre o
tratamento dispensado às mulheres pela sociedade ocidental. Os textos objeto de
apresentação/arguição serão os seguintes, nesta ordem:

1 A ausência não justificada do aluno importa no desconto de 01 ponto neste quesito, no entanto,
caso a ausência se dê em dia em que o aluno seja responsável pela apresentação ou exposição
de conteúdo, ser-lhe-á atribuída também nota zero na atividade.
Projeto Integrador IV

I. NICHOLSON, Linda. Interpretando o gênero. Estudos Feministas. vol. 8, n. 2,


jul./dez. 2000, p. 09 – 41;
II. SCOTT, Joan W. O enigma da igualdade. Estudos Feministas. vol. 13, n. 1,
jan./abr. 2005, p. 11 – 30;
III. SARTI, Cynthia Andersen. O feminismo brasileiro desde os anos 1970:
revisitando uma trajetória. Estudos Feministas. vol. 12 n. 2, mai./ago. 2004, p.
35 – 50;
IV. WELSER-LANG, Daniel. A construção do masculino: dominação das
mulheres e homofobia. Estudos Feministas. vol. 9 n. 2,jul./dez. 2001, p. 460 –
482.
A proposta do Trabalho Integrador é desenvolver uma campanha educativa
voltada ao (re)conhecimento do papel da mulher na sociedade contemporânea. Para
cada uma das etapas, cada grupo deverá apresentar três (03) imagens. Cada
imagens deverá apresentar uma reflexão sobre o tratamento da mulher atualmente.
Serão, portanto, 06 (seis) imagens por grupo, 03 (três) para cada etapa
de notas. A ideia é que as 06 (seis) imagens totais juntas formem uma campanha
que possa ser divulgada por WhatsApp ou outro aplicativo de trocas de mensagens.

5. PROJETO DE PESQUISA
O Projeto de Pesquisa, volta-se ao desenvolvimento de habilidades
essenciais ao raciocínio jurídico, bem como à reflexão sobre a tratamento jurídico
face à desigualdade de gênero, almejando compreender os reflexos do machismo –
e colateralmente da própria homofobia – na efetivação dos direitos fundamentais,
especialmente, com relação das mulheres.
Servirá de referencial teórico o texto:

FRASER, Nancy. Mapeando a imaginação feminista: da redistribuição ao


reconhecimento e à representação. Revista de Estudos Feministas. vol. 15, n.
2, mai./ago. 2007, p. 291 – 308.
Este será objeto de exposição e debate na terceira aula do curso, nos termos
do cronograma apresentado no item 3.
Projeto Integrador IV

O texto-base será objeto de resumo, o qual servirá de base para a


resenha crítica, produto final do Projeto de Pesquisa. Cada grupo deverá
entregar seu resumo ao final da Primeira (1ª) Etapa de Notas.
Os artigos objeto de apresentação/arguição serão os seguintes, nesta ordem:

1. MATTOS, Cristiane Araújo de. “Patriarcado público”: esteriótipos de gênero e


acesso à justiça no Brasil. Ágora. n. 22, 2015, p. 158 – 169.
2. VIVEIROS DE CASTRO, Thamis Dalsenter. Notas sobre a cláusula geral dos
bons costumes: a relevância da historicidade dos institutos tradicionais do
Direito Civil. Pensar. vol. 22, n. 2, mai./ago. 2017, p. 425 – 442;
3. BRAGA, Ana Gabriela Mendes. Entre a soberania da lei e o chão da prisão.
Revista Direito GV. vol.11, n. 2, jul./dez. 2015, p. 523 – 546;
4. ALMEIDA, Leonardo Monteiro Crespo de. Subjetividade, gênero e Estado de
Direito no contexto das democracias liberais contemporâneas. Direito, Estado
e Sociedade. n. 46, jan./jun. 2015, p. 192 – 222.
Estes textos serão objeto da resenha crítica a ser formulada pelos
grupos. Cada grupo deve selecionar um (01) texto, que não precisará ser o
mesmo sorteado para sua apresentação/arguição, para resenhar, tomando o
texto-base como referencial crítico. O melhor trabalho representará a turma no
Ateliê Científico do primeiro semestre letivo de 2018 das Faculdades Unificas de
Leopoldina

6. PARTICIPAÇÃO E PROVA INTEGRADORA


Para finalizar, gostaria de apresentar a distribuição dos 10 (dez) pontos de
participação por etapa, os quais serão distribuídos da seguinte forma 2:
1. O(a) aluno(a) que se ausentar da aula perderá 1,0 ponto por dia;
2. O aluno que não postar ou entregar os trabalhos no prazo, o que inclui
ausentar-se no dia da sua apresentação, perderá 1 ponto por dia de atraso,
sem prejuízo da penalização na pontuação do trabalho atrasado;
3. O aluno ou grupo que, durante a aula, estiver desenvolvendo atividade
diversa da indicada para o dia terá descontado 1 ponto por dia em que
praticar esta conduta;

2 Ausências justificadas por motivos de saúde, obrigações trabalhistas ou casos de força maior não
serão penalizadas.
Projeto Integrador IV

4. A falta de participação do grupo em todas as apresentações/arguições da


etapa importa em perda de 05 pontos de participação.
Destaco, finalmente, que ao final do semestre deve ser realizada a Prova
Integradora, que distribui 20 pontos a todas as disciplinas do período.
Oportunamente, os parâmetros de avaliação serão objeto de apresentação aos
discentes.

7. CONCLUSÃO
Eventuais omissões ou inconsistências serão sanadas no momento em que
surgirem e, caso apareçam ao longo do andamento do semestre, serão objeto de
ampla divulgação perante a turma e, também, serão comunicadas à Coordenação
do Curso de Direito. Ainda assim, os alunos devem comprometer-se em se manter
atualizados dos trabalhos e das normas que este planejamento institui, sob pena se
lhes serem imputadas as consequências aqui previstas.
Espero ter sido claro na exposição do planejamento. Agradeço a atenção e a
paciência de todos e espero poder contar com sua colaboração.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALMEIDA, Leonardo Monteiro Crespo de. Subjetividade, gênero e Estado de Direito


no contexto das democracias liberais contemporâneas. Direito, Estado e Sociedade.
n. 46, jan./jun. 2015, p. 192 – 222.
BRAGA, Ana Gabriela Mendes. Entre a soberania da lei e o chão da prisão. Revista
Direito GV. vol.11, n. 2, jul./dez. 2015, p. 523 – 546.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 05 de outubro 1988 (texto
compilado). Brasília: Diário Oficial da União. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 04
de ago. de 2018.
COORDENAÇÃO GERAL DE PESQUISA DA REDE DE ENSINO DOCTUM.
ALBUQUERQUE, Heloisa; OLIVEIRA, Ariete Pontes de. Manual de Pesquisa da
Rede. Caratinga: Doctum, 2017.
FRASER, Nancy. Mapeando a imaginação feminista: da redistribuição ao
reconhecimento e à representação. Revista de Estudos Feministas. vol. 15, n. 2,
mai./ago. 2007, p. 291 – 308.
Projeto Integrador IV

GUSTIN, Miracy Barbosa de Sousa; DIAS, Maria Tereza Fonseca. (Re)pensando a


pesquisa jurídica: teoria e prática. 3. Ed. Belo Horizonte: DelRey, 2010.
MATTOS, Cristiane Araújo de. “Patriarcado público”: esteriótipos de gênero e acesso
à justiça no Brasil. Ágora. n. 22, 2015, p. 158 – 169.
NICHOLSON, Linda. Interpretando o gênero. Estudos Feministas. vol. 8, n. 2,
jul./dez. 2000, p. 09 – 41.
SARTI, Cynthia Andersen. O feminismo brasileiro desde os anos 1970: revisitando
uma trajetória. Estudos Feministas. vol. 12 n. 2, mai./ago. 2004, p. 35 – 50.
SCOTT, Joan W. O enigma da igualdade. Estudos Feministas. vol. 13, n. 1, jan./abr.
2005, p. 11 – 30.
VIVEIROS DE CASTRO, Thamis Dalsenter. Notas sobre a cláusula geral dos bons
costumes: a relevância da historicidade dos institutos tradicionais do Direito Civil.
Pensar. vol. 22, n. 2, mai./ago. 2017, p. 425 – 442.
WELSER-LANG, Daniel. A construção do masculino: dominação das mulheres e
homofobia. Estudos Feministas. vol. 9 n. 2,jul./dez. 2001, p. 460 – 482.