Você está na página 1de 110

ESCLEROLOGIA

Professor : Rafael Azambuja Gonçalves

• Ph.D em Naturopatia;
• Pós-graduado em iridologia;
• Microseometista irídeo;
• Laserterapeuta;
• Ozonioterapeuta;
• Quiropraxista Chinês.
Uns sentem a chuva,
outros apenas se molham.

Bob Dylan
Esclerologia
A ciência e a arte de estudar o ser humano pela esclera.
NOTA
O curso de esclerologia foi projetado
para fornecer entrada de nível
de competências na ciência e na
arte de esclerologia.
Ele leva em conta os desejos de ambos

(1)aqueles que simplesmente


desejam adicionar esclerologia às suas
competências de avaliação, e

(2)aqueles que querem um certificado


de extensão universitária de
proficiência que atesta a sua capacidade
básica no ofício.

O certificado é o reconhecido pelo


sindicato e a federação nacional dos
terapeutas e tem a chancela da
Faculdade Facei.
Definido Sclerologia

• Sclerologia é a ciência e arte de observar as marcas


texturas e cores no branco dos olhos como sinais de
saúde comprometida.
• Estas marcações constituem imagens de condições que
são positivos ou negativos e representam mudanças
estruturais e funcionais do corpo-mente.

Leonard Mehlmauer
Quem pratica?
Entre os profissionais de saúde, Iridologistas são exclusivamente
qualificados e interessados em Sclerologia, e por razões óbvias. A
Sclerologia se presta bem a Iridologia-prática, embora possa ser
utilizado facilmente e habilmente por qualquer profissional de saúde. Note-se
a justaposição, esclera/íris! Além disso, a informação na Esclera é
complementar à mostrada nas íris.

A maioria da população mundial tem olhos castanhos,muitos dos quais são


muito escuros. Olhos castanhos escuros podem apresentar aos
Iridologistas problemas com a avaliação e muitas dificuldades de
interpretação. Isto nunca é o caso com a Sclerologia, contanto
que um compreenda o significado das marcações, que são
facilmente vistos não importa quão escuro os olhos.
MONTAGEM, esclera/íris
O que precisamos identificar

1- Quadrante
2 - Órgão afetado
3- Tipo de sinal ou linha
4- Origem,destino,direção
O que precisamos identificar
1- Quadrante
2 - Órgão afetado
3- Tipo de sinal ou linha
4- Origem,destino,direção
O que precisamos identificar

1- Quadrante
2 - Órgão afetado
3- Tipo de sinal ou linha
4- Origem,destino,direção
O que precisamos identificar
1- quadrante
2 - órgão afetado
3- tipo de sinal ou linha
4- origem,destino,direção
Nós temos 8 Quadrantes

Medial direito Medial esquerdo Superior direita Superior esq.

Temporal direito Temporal esq. Inferior direita Inferior esq.


SUPERIOR DIREITA
MEDIAL DIREITO
TEMPORAL DIREITO
INFERIOR DIREITA
SUPERIOR ESQUERDA
TEMPORAL ESQUERDA
INFERIOR ESQUERDA
MEDIAL ESQUERDA
Marcas na esclera
10 tipos e as qualidades básicas dessas marcas
Linhas primárias
Linhas secundárias
Simples
FORQUILHA
Compostas
Comprimento- larga
Comprimento - curta
Espessura- grossa
Espessura – fina
Profundidade
Camadas da esclera
Forma – curva
Forma – reta
Forma - angular
Cor - vermelha
Cor – azul
Cor - rosa
Intensidade - continua
Intensidade - descontinuada
Localização
Justa posição - proximidade
Congestionamentos
Ramificações de linha mostram a propagação da doença.

Linha larga ramificada Linha de influencia


Forquilhas, traumas, feridas
Forquilhas
Gancho e gel
Doença secundária de pele.
Sinais da Conjuntiva
• Diferenciação de clínicos, pré-clínicos e de dados
genéticos
- Frequentemente denominado sinais na esclera,
embora a esclera seja muito fibrosa e em grande
parte livre de veias e vasos, além de aquelas que
parecem mergulhar no branco da esclera. Alguns dos
vasos da conjuntiva , veias e artérias são genéticos,
alguns desenvolvem como experiência de vida e
alguns são transitórios na resolução de um
problema.
Pinguécula
Pterígeo
Vaso de meandro
Meandro bordado
Convoluto
Espiral de vaso tipo “saca rolha”.
Sinal tipo ampola
Vaso tangencial
Vasos cardinais
Garfo traumático
Forquilha de trauma na Esclera
• A Forquilha da esclera ou forca de trauma, ou até mesmo, dedo de trauma,
de acordo com alguns, é o sinal mais importante da esclera que nós
precisamos prestar atenção no mar de vasos vermelhos na conjuntiva e na
esclera. Pode ser genético ou desenvolvido. Isto pode ser afirmado por
experiência e através de autoridades nesta área de estudo ao redor do
mundo. Novamente, nós precisamos de estudos clínicos mais amplos para
apresentar as atualidades neste campo.

• A Forquilha de trauma ou Dedo de trauma indica uma queda severa na


resistência funcional e na imunidade. O sinal de Forquilha aponta para a área
da íris onde o paciente tem o problema, então, por exemplo, aos 40’ na íris
direita, a manifestação seria do fígado frontal, ou aos 15’ na íris temporal
esquerda, nós estaríamos procurando por uma condição do coração.
Sinal tipo possa vascular
Sinal tipo arcus de pressão sanguínea
Sinal tipo pérolas vasculares
• HEMATOPATIAS
Sinal conjuntival de aneurisma
Sinal de Hipertensão na Conjuntiva

• Sinal
genético de
Aneurisma
Vaso de Porcelana

História Biogenética e
Tendência a diabetes mellitus tipo 2
Episclerite - muitas vezes
desencadeada através de
estresse ou consumo excessivo
de açúcar
Sinal na Conjuntiva- Labirinto

Sinal inflamação / infecção de rim Podem desaparecer uma vez


o sistema renal retomar a valores normais. indicado na maioria
dos casos.
Irite Juvenil

Conjuntivite -
Associado

Oculoheel
colírio e mirtilo
(Vaccinium
myrtillus fr)
internamente
Melanosis na Conjuntiva

Normal para a íris marrom pura


(hematogenica). Nem um sinal de
doença na pura íris marrom. com
íris castanhas são menos
susceptíveis de ser deficiente em
zinco, em comparação com
aqueles com íris azuis ou mista,
devido ao elevado teor de
melanina no sangue, olhos, a pele,
etc -, que se liga prontamente com
moléculas de zinco
História genética
de Hipertensão.
Este Paciente tem
histamina maior.
(Note a rede de
vasos finos)
Sinal de embarcação de
mergulho - clarificado, através
de microscópio como vasos de
mergulho existentes, indicam
complicações na condição de
patologia cardíaca ou em
desenvolvimento – são
aconselhados exames.
Vasos Circulares

•Apoio
Vascular -
Crataegus ,
Blueberry,
malato de
magnésio e
Co-enzima
Q-10
Sinal de Hipertensão na Conjuntiva

• Veia Sinuosa –
note que
endireitou a veia
perto do limbo da
íris inflamação .
Note a Pinguécula
e o arco corneal -
fígado / suporte
hormonal.
Inflamação da Conjuntiva
Sinais Conjuntivais de porcelana
e favo de mel

Tendência de açúcar no sangue e


hipertensão
Sinal na Conjuntiva- Pós inflamatória

• Guna-Matrix, Galium,
Lymphomyosot,(Myosoti
s arvensis D3) beterraba
e mamão são indicados.
Veias inchadas com
curvas é indicativo de
situação pró-inflamatório
e congestão de linfa.
Agregação de complexos
imunes (detritos tóxicos)
Pinguécula Conjuntival (Pterígio)

• Sempre atraem
vascularização
extra, dar apoio ao
fígado.
• Desmodium
,(Calêndula) ,
Cynara(Alcachofra),
Carduus Marianus
(Milk Thistle em
ingles) ou Coleus
forskohlii(BOLDO )
são todos
extremamente
benéficos.
Veia reta conjuntival
• Verifique a região adjacente.
• Geralmente indica um
problema, semelhante a um
Traumafork, Quanto mais
próximo do limbus , mais
pertinente será o sinal.
Frequentemente genética.
Porcelana Conjuntival Superior Nasal

• História Biogenética
- Diabetes mellitus.
• Note cúpula
levantada na esclera
(GEL)
Varizes Conjuntivais
• Sinais de meandro com
Fronteira,ou seja,
delimitados por dois
outros vasos retos é
indicativo de
hemorróidas e
hipertensão da veia
porta.
• Paeonia é indicado quer
homeopaticamente ou
em fitoterapia.
Conjuntiva em Favo de mel
• Reação alérgica a
açúcar refinado.
Além disso, observe os
vasos gêmeos indicativos
de linfadenopatia
Bolhas conjuntivais

• Histamina elevada,
aumento da degranulação
dos mastócitos e alergias
Casos clínicos

Veja o que você aprendeu!


O que precisamos identificar

1- quadrante 2
- órgão afetado
3- tipo de sinal ou linha
4- origem,destino,direção