Você está na página 1de 2

O desequilíbrio da matriz de transporte de carga brasileiro

A matriz de transporte de cargas brasileira, atualmente utiliza os modais: aéreo, ferroviário,


dutoviário, hidroviário e rodoviário. No entanto os mais utilizados são o ferroviário, hidroviário e
rodoviário. Este último é o modal predominante atualmente, embora tenha seus custos mais
elevados, se comparado com os outros dois. O modal ferroviário, considerado como um dos mais
econômicos, de maior capacidade e mais seguro, já foi muito utilizado no país, mas acabou sendo
deixado de lado devido às más decisões tomadas no passado, que deixaram grande parte da malha
ferroviária subutilizada. O modal hidroviário, que hoje responde por cerca de 20%, tem sua
capacidade de expansão limitada às condições hidrográficas do território nacional, não sendo,
portanto, passível de grandes investimentos, que não sejam os de melhorias nas estruturas
portuárias.
No auge do investimento em infraestrutura de transporte, os interesses econômicos de
estrangeiros, sobretudo da indústria petroleira e automobilística, influenciaram o governo no sentido
de desenvolvimento de estradas, deixando de lado o desenvolvimento de ferrovias. Com isso, o
elevado investimento para expandir o setor rodoviário, causou um desequilíbrio no setor de
transportes, que hoje, segundo FILHO (2018), diversos levantamentos diferentes, está com cerca de
15% de transporte de carga por ferrovia, contra 60% de transporte pelo modal rodoviário. Este pode
ser considerado o principal motivo pelo desequilíbrio, no entanto a sua continuidade deve-se ao fato
de alguns poucos projetos de expansão da malha ferroviária que, por serem de longo prazos,
acabaram esquecidos com as trocas de governo ao renovarem suas agendas.
Atualmente existe uma perspectiva de expansão no modal de transporte ferroviário,
exatamente por seu potencial estratégico de desenvolvimento econômico. Recentemente, no dia 28
de março do corrente ano, foi feito leilão para concessão de um trecho de ferrovia, dentro de um
plano de investimento no transporte de cargas no país. O trecho que foi leiloado, tem 1.537 km e
vai de Porto Nacional, no Tocantins, a Estrela d'Oeste, em São Paulo. A ferrovia é tida como um dos
principais projetos para escoamento da produção agrícola do país. Segundo o portal G1, este é o
primeiro leilão de ferrovias em mais de 10 anos, e ainda, o Ministro da Infraestrutura teria afirmado
que mais duas concessões de ferrovia devem ocorrer nos próximos meses. Na lista de concessões,
estão a Ferrogrão e a Fiol (Ferrovia de Integração Oeste-Leste). "Ambas estão em estágio avançado
e já passaram por consulta pública".
Fontes:

FILHO, Manuel Alves. Desequilíbrio congestiona matriz de transporte brasileira. Publicada em 15


de junho de 18; Jornal da UNICAMP, online. Disponível em:
<https://www.unicamp.br/unicamp/index.php/ju/noticias/2018/06/15/desequilibrio-congestiona-
matriz-de-transporte-brasileira> - Acesso em 17/04/2019.

Portal Nação Democrática. Motivos que Levaram ao Desequilíbrio da Matriz de Transportes de


Carga Brasileira, disponível em: <http://nacaodemocratica.blogspot.com/2012/06/motivos-que-
levaram-ao-desequilibrio-da.html> - Acesso em 18/04/2019.

Portal Prestex. Modais de transporte de carga no Brasil - Conheça os 5 principais – Disponível em:
<https://www.prestex.com.br/blog/modais-de-transporte-de-carga-no-brasil-conheca-os-5-
principais/> Acesso em 18/04/2019.

Portal G1. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/03/28/rumo-vence-leilao-


de-trecho-da-ferrovia-norte-sul.ghtml> acesso em 16/04/2019.