Você está na página 1de 2

Departamento de Línguas

9º Ano | Português
Ficha informativa nº 10 | novembro | Ano Letivo 2019/2020

Auto do Barca do Inferno, Cena II, O Fidalgo (D. Anrique)

Fidalgo – personagem-tipo que representa a classe social da nobreza.

Percurso Argumentos Caracterização


Cénico Acusação Defesa da Personagem
(do Diabo e do Anjo) (da própria personagem)
Arrogância. Falta de qualidade da barca Confiante
1.Barca do - “também cá zombais?” infernal. Altivo
Diabo - “Parece-me isso cortiço.” Vaidoso
Vida de prazeres e luxos. Presunçoso
- “E ti viveste a teu Orações em sua intenção. Arrogante
prazer” - “leixo na outra vida quem Convicto da sua
reze sempre por mim.” salvação.
2. Barca do Altivo,
Anjo Vaidade e presunção. Condição social presunçoso,
- “Pera vossa fantesia” - “Sou fidalgo de solar.” irritado (pelo
desprezo do Anjo);
Vida de privilégios. Sua importância na
- “foste fumoso.” sociedade. Desiludido (por ter
- “Pera senhor de tal marca” acreditado que a
Altivez e orgulho. condição social o
salvaria);
- “fumosa senhoria”

Tirania e opressão do Tirano.


povo.
- “Não se embarca tirania
/ neste batel divinal.”
- “tirania / do pobre povo
queixoso”

3. Barca do Imoralidade, infidelidade Ingénuo (por


Diabo e falsa religiosidade (traiu acreditar no amor da
a mulher). amante e na dor/fé
- “ó namorado sandeu / o da mulher).
maior que nunca vi!”.
Resignado (entra
na barca do Diabo).

Símbolos Cénicos Tipos de Cómico (Exemplos)


Cómico de situação: O Fidalgo
Manto e Cadeira de Espaldas: símbolos confunde o Diabo com uma figura
da vaidade, do estatuto social, do poder, feminina.
do luxo e da vida de privilégios da nobreza. Cómico de caráter: atitude superior do
Fidalgo no início da cena, julgando
Pajem: símbolo da opressão e da tirania poder manter os privilégios e o tipo de
exercida sobre o povo. tratamento que tinha em vida.
Cómico de linguagem: Linguagem
grosseira utilizada pelo Fidalgo, quando
fica impaciente por estar a ser ignorado
pelo Anjo.
Intenção Crítica
Gil Vicente, ao colocar nas vozes do Diabo e do Anjo a
sentença condenatória do Fidalgo porque “vivera a seu prazer”
e “desprezara os pequenos”, denuncia a vida e as atitudes
assumidas por muitos fidalgosCaracterização
da época. da personagem
O pajem, o rabo, a cadeira de espaldas
O Fidalgo “vivera a seu prazer”:
Símbolos
o denúncia da corrupção dos costumes;
o a infidelidade doCuidada
Fidalgo, eda
familiar,
esposaoscilando entre o respeito e o desrespeito
e da amante;
Linguagem
o crítica à vaidade e à presunção.

Diabo:
O Fidalgo “desprezara os trocista (v.36), ocioso (v.47), pecador (v.65), vaidoso
pequenos”:
Pelas outras
o personagens (v.122),
denúncia da tirania namoradeiro
exploração (v. 134), ingénuo (v.138-139)
dos pequenos;
o Anjo:e tirano
crítica à importância poder (v.
da 82, 100),
classe vaidoso
social a que(v. 86-87), presunçoso (v. 97,99),
o Fidalgo pertencia e de que julga continuar a(v.102-103)
explorador e cruel (v. 101), egoísta
arrogante
usufruir depois da morte. e presunçoso (v.31, 80-81, 85, 88-89), revoltado (v. 70-
Pelas suas ações 73), ingénuo e enganado (v. 114-119, 136-137, 141), resignado (v.
Assim, o Fidalgo é uma112-113, 119) e suplicante
personagem-tipo, através(v.
da148)
qual
Gil Vicente denuncia os vícios da nobreza:
 a vida de luxúria;
 a vaidade e a presunção;
 a exploração dos pobres;
 a crença de que o estatuto social tudo permite e de
tudo salva, estando mesmo acima da religião.

Esta crítica é extensiva a toda a classe, como fica claro na


alusão ao pai de D. Anrique, que também foi condenado –
“Mandai meter a cadeira / que assi passou vosso pai.”
O pajem não entra na barca porque não representa um
tipo, mas tem uma função simbólica importante ao representar
um elemento do povo, principal vítima da tirania e da opressão
da nobreza.
Gil Vicente, mais suavemente, critica também as mulheres
da Corte que levavam uma vida depravada, não preservando
valores como a fidelidade, a seriedade e a moralidade.
Aparecem como sendo mulheres falsas, mentirosas, simuladas
e muito levianas.