O CONCEITO DE ALIENAÇÃO EM KARL MARX E SUA INFLUÊNCIA NA HISTÓRIA

- A Revolução Industrial
- Karl Marx – Bibliografia - O que é Alienação – História - Rerum Novarum e o Papa Leão XIII Aluno – José Elizeu Gilson Alves Pereira – RA 32957
A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
A Revolução Industrial constitui em um conjunto de mudanças tecnológicas com profundo impacto no processo produtivo em nível econômico e social. Iniciada na Inglaterra em meados do século XVIII expandiu-se pelo mundo a partir do século XIX. Ao longo do processo, a era da agricultura foi superada, a máquina foi imperando o trabalho humano, uma nova relação entre capital trabalho se impôs, novas relações entre nações se estabeleceram e surgiu o fenômeno da cultura de massa, entre outros eventos. A substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia matriz e do modo de produção doméstico pelo sistema fabril, revolução em função do enorme impacto sobre a estrutura da sociedade, num processo de transformação acompanhado por notável evolução tecnológica.

KARL MARX – BIBLIOGRAFIA
Economista, filósofo e socialista alemão, Karl Marx nasceu em Trier em 5 de Maio de 1818 e morreu em Londres a 14 de Março de 1883. Estudou na universidade de Berlim, principalmente a filosofia hegeliana, e formou-se em Iena, em 1841, com a Tese Sobre as diferenças da filosofia da natureza de Demócrito e de Epicuro. Em 1842 assumiu a chefia da redação do Jornal Renano em Colônia, onde seus artigos radical-democratas imitaram as autoridades. Em 1843, mudou-se para Paris, editando em 1844 o primeiro volume dos Anais Gemânico-Franceses, órgão principal dos hegelianos da esquerda. Entretanto, romperam logo com os líderes deste movimento, Bruno Bauer e Ruge. Em 1844, conheceu em Paris Friedrich Engels, começo de uma amizade íntima durante a vida toda. Foi, no ano seguinte, expulso da França, radicando-se em Bruxelas e participando de organizações clandestinas de operários e exilados. Ao mesmo tempo em que na França estourou a revolução, em 24 de fevereiro de 1848, Marx e Engels publicaram o folheto O Manifesto Comunista, primeiro esboço da teoria revolucionária que, mais

Não viveu bastante para assistir às vitórias eleitorais deste partido e de outros agrupamentos socialistas da Europa. Ainda assim. o que não deixa de ser irônico. liderados por Bakunin. tornando-se sua própria negação. e assim buscar alguns motivos por quais aas pessoas se alienam. abstruido de processos sócio-econômicos concreto. porém. os processos alienantes da vida humana foram tratados de maneira atemporal. deixar a própria face na natureza. Ora fazer história demanda se objetivar no produto for fora de si. O QUE É ALIENAÇÃO – HISTÓRIA A palavra Alienação tem várias definições: cessão de bens. É que o homem é o único animal que produz sua própria existência. dedicou-se a vastos estudos econômicos e históricos. O louco. O suicídio. a associação foi praticamente dissolvida. loucura. mas sua situação material esteve sempre muito precária. na qual se registra uma anulação da personalidade individual. Alienação refere-se a diminuição da capacidade dos indivíduos em pensar e agir por si próprios. Marx foi co-fundador da Associação Internacional dos Operários. Em 1867 publicou o primeiro volume da sua obra principal. A Alienação trata-se do mistério de ser ou não ser. depois chamada Internacional. ele é o nosso modo de ser. logo depois. sendo um fenômeno que indica qualquer desordem mental. a trilha que conduz o homem a perder-se é a mesma que o constrói. para Londres. insere-se no quadro de alienação. transparência de domínio de algo. no Congresso de Haia. arrombamento de espírito. Dentro da I Internacional encontrou Marx a oposição tenaz dos anarquistas. e em 1872. Escrevia artigos para jornais norte-americanos. Voltou para Paris. O Capital. primeiro jornal diário francamente socialista. Em compensação. seria chamada marxista. que foi. nessa época. em 1875. mas assumiu logo a chefia do Novo Jornal Renano em colônia. Depois da derrota de todos os movimentos revolucionários na Europa e o fechamento do jornal cujos redatores foram denunciados e processados. defraudados. sendo freqüentador assíduo da sala de leituras do British Museum. do Partido Social-Democrático alemão. é alguém que deixou de pertencer a si mesmo. perturbação mental. desempenhando dominante papel de direção. proibido. sobre a política exterior. A partir desses significados traçam algumas diretrizes para melhor analisar o que é alienação. somos o que somos pelo trabalho. Foi generosamente ajudado por Engels. era de que o sujeito estava tomado por espíritos (ou pelo demônio). _ O trabalho: Chegamos no inferno pelo paraíso do trabalho e também atingimos o paraíso pelo inferno do trabalho. . Alguém que não sou eu me invadiu e me representou. pois uma pessoa alienada carece de si mesmo. Em 1864. Uma das explicações para a loucura. _ Vimos que o homem se divorcia de si mesmo pela alienação e. Em Londres. é um estranho perante si próprio. Marx foi para Paris e daí expulso. onde fixou residência. que vivia em Manchester em boas condições financeiras. Já se transformou em lugar.tarde. Marx podia patrocinar a fundação. Comum dizermos: somos um ser histórico.

As indústrias utilizam de força de trabalho. Que bruxos operam tal feitiçaria? Como a criação se transforma em tortura? O conceito de Alienação e histórico. da auto-alienação do trabalho. Portanto. e por outro colaborando com sua alienação e suas respectivas explorações. No trabalho. ocorre ruptura. que é o fato da pessoa idolatrar certos objetos (automóveis.. Procuravam demonstrar a injustiça social que havia no capitalismo. destruindo a posse individual dos meios de produção. Marx expõe pela primeira vez a alienação da sociedade burguesa – fetichismo. que deve ser feita pela política. sendo que os funcionários não necessitam ter conhecimento do funcionamento da indústria inteira. “Karl Max. necessitando de vários funcionários na obtenção de um produto. pela primeira vez o termo “alienação no trabalho “e suas conseqüências no cotidiano das pessoas. e a consciência alienada“ é o reflexo da atividade alienada ou da alienação da atividade.Se o homem se projeta no seu trabalho. uma cisão. “A atividade produtiva é. sendo a mais-valia uma grande arma do sistema. ou seja. a produção é totalmente coletivizada. o que ocorreu com ele se produzirá de alguma forma conosco. Depositamos nele nossa alma. Por isso. também sustentando o consumo. organizado na sociedade capitalista. jóias. A produção depende do concurso e. A mágica se realiza pelo trabalho. Por conseguinte. ao se consumir de um produto que não é por si produzido se fecha o ciclo de alienação. ao criar algo fora de si. afirmando que se tratava de um regime econômico de exploração. Dizíamos que a alienação implica ser e não ser ao mesmo tempo. que vem a ser a usurpação do trabalhador pra que mais mercadorias sejam produzidas e vendidas acima do preço investido no trabalhador. a fonte da consciência. Onde quer que o capital imponha relações entre. então com a prática do trabalho desenvolve seu raciocínio e sempre aprende uma “nova lição”. se preocupava muito com a questão da alienação do homem. assim rompendo o homem de si mesmo. mas nenhum deles dominando todo o processoindividualização. portanto.). a diferença do homem esta na sua criatividade de procurar soluções para seus problemas. o funcionário se nega no objeto criado. um divórcio entre o produto e o produtor. Após Marx confrontar a economia política. Sendo que o concurso produz a produção. A produção consome a força de trabalho. “Os manuscritos econômico-filosóficos de 1844” e “Elementos para a crítica da economia política (1857-58)”. a alienação se manifesta a partir do momento que o objeto fabricado se torna alheio ao sujeito criador. que são os produtos confeccionados pelos trabalhadores explorados. HISTÓRIA – A história afirma que o homem evolui de acordo com seu trabalho. Vê a necessidade de provocar uma revolução na economia. consome o que não produz. O importante não é mais o sentimento. etc. . e o lucro. vice-versa. isto é. mas perdemos quando ele nos abandona. seu jeito de ser humano. a consciência. e sem o consumo o trabalhador não produz. Pois quando um produto é comprado estará alimentando pessoas por um lado. pois a cada mercadoria consumida vira uma mercadoria a ser produzida. a alienação no trabalho é gerada na sociedade devido à mercadoria. Assim. mercadorias. principalmente em duas de suas obras. o trabalhador produz o que não consome. a alienação se manifesta: e a relação social engendrada pelo capital .

A questão social e a Igreja. Fala da corrupção dos costumes da época. d. pela maior parte. que são principalmente recomendáveis as associações e que estas deverão ser prudentes organizadas = SINDICATOS. laçada par o mundo no dia 15 de maio de 1. Sem o concurso da Igreja os esforços dos homens não obterão êxitos satisfatórios. Nesta parte discorre sobre a garantia da propriedade e da paz. vir em auxilio dos homens das classes inferiores. . a.A Questão Social e o Socialismo. algumas alienadas sem saber e outras que não esboçam nenhum posicionamento. RERUM NOVARUM Carta Encíclica do |Papa Leão XIII. Ela constrói uma consciência fragmentada. numa situação de infortúnio e de miséria imerecida. de conflitos.. atendendo a que eles estão. e critica a situação de miséria e pobreza que os trabalhadores estavam submetidos em razão de um liberalismo irresponsável. é necessário. que vem a serem algumas visões que as pessoas tem de um determinado assunto. que passa a ilusão as pessoas de possuir tudo o que desejam a respeito de bens materiais. e de certa forma advindos da Revolução Industrial. Considera erro capital que ricos e pobres são classes destinadas a se degladiarem. Do adequado regime do trabalho. Os trabalhadores estavam sendo vítimas da cobiça de uma concorrência desenfreada da ganância e de leis que haviam perdido o sentido e os princípios cristãos. Neste capitulo considera de incalculável vantagem as associações de socorro e previdência dos trabalhadores.pensamentos. O Papa trata de um modo especial sobre a situação dos trabalhadores. quer dar uma resposta sobre os problemas sociais vigentes. A alienação não se trata de produto da consciência coletiva.A Questão Social e a Ação Conjunta de Patrões e Empregados.. Mas. da proteção da idade e do sexo do trabalhador e defende o justo salário. com medidas prontas e eficazes. de um capitalismo selvagem e de patrões desumanos. Começa esta carta fazendo um levantamento da situação social da época e da crise social que o mundo passava.891. mas sim o que a pessoa tem.A Questão Social e o Estado. Critica também a concentração das riquezas nas mãos de poucos e do mau uso que faziam dela. Sendo o dinheiro o maior fetiche desta cultura. c. b.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful