Você está na página 1de 4

Informativo Técnico

Por que a eficiência energética em processos


de combustão é tão importante?

A combustão é a forma mais empregada na


indústria para produção de calor, vapor e energia, A eficiência energética térmica do equipamento
está relacionada com o aproveitamento da
através da queima de combustíveis fósseis ou
renováveis em fornos, caldeiras ou aquecedores. energia liberada da combustão e pode estar
limitada à:
Desta forma, grande parte dos custos de uma
. Perdas por radiação e convecção pelas paredes
indústria está relacionada com a aquisição de
ou mobília do forno;
combustível, geração de calor, operação e
. Perdas por descargas de fundo em caldeiras;
manutenção de todo o sistema. Por isso, a
. Perdas por baixa troca de calor devido à
eficiência energética destes equipamentos é
superfícies sujas, incrustadas;
essencial, porque além do impacto econômico há
. Perdas devido à deficiências no equipamento de
também o ambiental.
queima relacionadas ao dimensionamento e
A necessidade de processos de combustão afinados projeto;
e eficientes é importante para manutenção de
maiores rendimentos térmicos dos equipamentos.
A combustão eficiente compreende o melhor
aproveitamento da energia contida no combustível,
onde a queima possa ser mais econômica e com
baixas emissões de poluentes para a atmosfera.

Combustíveis mais utilizados na indústria:


Bagaço de cana (50% umidade) - 1.695 kcal/kg
Lenha (eucalipto 40% umidade) - 2.600 kcal/kg
Serragem (20% umidade) - 3.500 kcal/kg
Óleos pesados (BPF) - 9.400 a 9.650 kcal/kg
Óleo de xisto - 9.700 kcal/kg
Gás natural (Gasbol) - 8.650 kcal/m³ Como aumentar a eficiência da
GLP (médio) - 11.025 kcal/kg combustão?

Fatores que afetam a eficiência A eficiência da combustão depende de fatores


relacionados tanto a natureza do combustível,
utilizado, quanto das condições operacionais.
A eficiência da combustão está diretamente
Aumentar a eficiência de combustão , passará,
relacionada à diversos fatores, mas certamente necessariamente pela otimização de todos os
as perdas de energia ocorridas durante todo o fatores já relatados e o conhecimento das variáveis
processo representam os elementos mais do processo.
importantes. A eficiência energética leva em consideração
A relação da eficiência com as perdas costuma apenas duas variáveis: o quanto entra de
envolver uma enorme dinâmica de parâmetros, combustível e o quanto sai de energia pela
que devem ser avaliados detalhadamente. Entre chaminé. O entendimento a cerca dessas
as perdas mais comuns que afetam a eficiência variáveis é de fundamental importância para
da combustão podemos citar: obter-se o máximo de benefícios que esta técnica
. Perdas de calor pela chaminé, associadas à pode proporcionar.
queima incompleta do combustível, ao desajuste A simples observação da chama ou da fumaça no
da relação ar/combustível, a falta ou excesso de topo da chaminé, não revela o que se perde de
ar na combustão ou altas temperaturas; combustível.
. Perdas devido à qualidade do combustível; Assim sendo, a eficiência, em qualquer área
. Entradas de ar falso por portas e frestas; necessita obrigatoriamente de dois itens:
. Deficiência do aparelho de combustão; equipamentos adequados e pessoal qualificado.

1
Por exemplo, se um combustível for queimado
Como se processa a combustão? com 20% de excesso de ar, então a proporção de
trabalho de ar/combustível é 1,20 vezes a
Reações de combustão são reações químicas que proporção estequiométrica. O ar em excesso,
envolvem a oxidação completa de um então, não participa diretamente da combustão, e
combustível. sai do processo junto com os produtos da
Combustível + comburente (ar) calor gases de combustão
combustão.

Os principais elementos químicos que constituem


um combustível são o carbono, hidrogênio e
alguns casos o enxofre. Estes elementos reagem
com oxigênio, e na sua forma pura apresentam a
seguinte liberação de calor, segundo as reações:

C + O2  CO2 + calor de reação


H2 + ½ O2  H2O + calor de reação
S + O2  SO2 + calor de reação

O conhecimento das necessidades de ar para


combustão, bem como da composição e volume
dos produtos de combustão é fundamental para o
projeto e controle de equipamentos de Os teores de CO2 e O2 são as medidas mais usadas
combustão. A estequiometria química nos para determinação do excesso de ar através da
fornece os principais dados necessários aos análise dos gases de combustão. Desde que a
cálculos de combustão: composição elementar da maioria dos
combustíveis industriais não varia
Elemento Peso Atômico consideravelmente, é possível construir um
Carbono 12 gráfico que relaciona o excesso de ar com o teor
Hidrogênio 1 de CO2 ou O2 nos produtos de combustão.
Oxigênio 16
Nitrogênio 14 A queima de um combustível utilizando-se
Enxofre 32 somente a quantidade necessária de ar,
teoricamente não deve gerar CO nem liberar O2
Composição do ar atmosférico nos produtos da combustão, pois todo o carbono
Elemento Em massa Em volume passou para CO2. Diz-se então que o CO2 é o
Oxigênio 23,2% 21%
Nitrogênio 76,8% 79%
estequiométrico quando o excesso de ar for igual
Relação molar O2/N2 3,76 a zero (λ = 1). A medida que o excesso de ar vai
aumentando, o CO2 é diluído na mistura e o O2 é
crescente. O CO pode ser formado devido à
Ar : ponto chave para melhorar o insuficiência de ar para combustão completa.
consumo Na maioria de reações de combustão reais,
sempre aparecem produtos de combustão
Qualquer combustível convencional requer, de completa e incompleta.
acordo com sua composição, uma quantidade O excesso de ar ideal vai depender do estado
específica e calculável de oxigênio (e portanto, de físico do combustível e da forma como que é
ar, uma vez que este é o agente comum de misturado com o ar, na literatura encontramos:
fornecimento) para atingir teoricamente uma
reação completa. Menos do que essa quantidade,
gera perdas excessivas de calor através do gás de
combustão. Na prática, a fim de se garantir Combustível Excesso de ar
combustão completa, é utilizado um pouco mais Gases 10%
do que a quantidade teórica necessária, o que Líquidos 20%
chamamos de excesso de ar. Sólidos 50% ou mais

2
Como medimos as perdas na
Através do exame da equação, conclui-se que
combustão? duas variáveis importantes tem influencia na
O principal objetivo da queima de um perda de calor pelos gases de combustão:
combustível é o aproveitamento de energia,  A temperatura de saída dos gases
geralmente feito com a geração de vapor de água  O coeficiente de excesso de ar
ou o aquecimento de algum material ou produto. Para minimizar as perdas, a menor temperatura
Seja qual for o processo, a energia introduzida ao de saída é desejável, com o objetivo de melhor
sistema na forma do poder calorífico do aproveitamento do calor sensível contido nos
combustível é transformado em calor útil e gases. A temperatura de saída nem sempre é
perdas de calor conforme a equação: possível de ser controlada, já que dependendo do
Qu= E1 -  perdas aumento da troca de calor dos gases com o fluído
Onde : de trabalho ou material a ser aquecido, implica
Qu: energia útil produzida normalmente em aumento da área de troca de
E1: energia total que entra calor, que é um parâmetro original do projeto e
construção de equipamentos.
 perdas: soma de todas as perdas de calor e
O aumento da área de troca pode ser feito através
energia na operação do sistema.
da adição de recuperadores de calor, pré-
aquecendo o ar de combustão ou a água de
Definindo o rendimento térmico de
alimentação de caldeiras.
equipamentos como a relação entre a energia útil
produzida e a energia consumida, temos que:
A limitação na redução de temperatura de saída
dos gases está na temperatura de processo, já que
η = E1 -  perdas = 1 -  perdas há sempre a necessidade de um diferencial de
E1 E1 temperatura para haver transmissão de calor, e
na temperatura de orvalho dos produtos de
combustão quando se trata de combustíveis com
É óbvio que a diminuição das perdas aumenta o enxofre.
aproveitamento da energia do combustível. A
principal perda de calor em equipamentos de A outra variável é o excesso de ar, que deve ser
combustão está contida no calor arrastado pelos mínimo até o limite onde possa ocorrer
produtos de combustão e dispersados na combustão incompleta. Isto normalmente pode
atmosfera. Devido ao fato que, na prática, a perda ser obtido através da regulagem do queimador
de calor por entalpia dos produtos de combustão com o menor excesso de ar possível,
é normalmente a mais preponderante, o controle identificando pela análise dos produtos de
desta perda mostra-se extremamente útil. combustão, o teor de CO2 ou O2 para o controle
de excesso de ar e CO ou HC totais para
Aplicando-se um balanço genérico de massa e determinação de combustão completa.
energia num equipamento de combustão, a Na prática, o ajuste do excesso de ar pode gerar
porcentagem de perda de calor pelos produtos de economias de 5 a 20 % de combustível.
combustão pode ser calculada através da
equação:

P= [1+(A/C) esteq  Cp (Tg –Tar)

PC
Onde:
P = percentagem de perdas de calor pelos
gases de combustão
(A/C)esteq = relação Ar/Combustível
estequiométrica do combustível
 = coeficiente de excesso de ar
Cp = calor especifico médio dos gases de O controle da relação ar/combustível é essencial
combustão (1050 J/kg ºC) para uma combustão econômica.
Tg = temperatura de saída dos gases combustão
Tar = temperatura do ar
PC = poder calorífico do combustível
3
Analisar os gases da combustão é
fundamental para economizar
A busca pela eficiência do consumo de
combustível em caldeiras/fornos tem relação
direta com a medição dos gases presentes na
queima. Assim, é imprescindível que sejam feitas
constantes medições dos teores dos gases Monitoramento da combustão
durante o processo de combustão. com analisador portátil

Principais gases a serem medidos:


. O2 (oxigênio)
. CO2 (dióxido de carbono),
. CO (monóxido de carbono)

Vale lembrar que o monitoramento preciso da Sonda de medição


concentração de O2 e de CO na saída da chaminé é contínua de O2
fator decisivo para o controle do excesso de ar
durante o processo de combustão.
Medidor de fuligem para
A medição dos gases nos informa: queimadores a óleo.

. Se a queima está completa ou não;


. Se o calor desprendido na fornalha está sendo
bem aproveitado;
. Se há altos níveis de poluição;
. Se o volume de ar é ideal.

Além da medição destes gases, o controle da Conheça o rendimento de seus equipamentos e


fuligem, em queimadores a óleo, temperatura dos saiba quanto poderá economizar.
gases, pressão de fornalha e de tiragem, FALE CONOSCO
representam também importantes medidas a
serem controladas.

Valores de referência para ajuste de sistemas de queima*

Combustível %CO2 %CO2 %O2 CO ppm Índice Excesso


máx. de de ar
fuligem
Óleos pesados 15,8 11,5 a 14 2,5 a 5,5 < 50 3 15 a 35%
Gás natural 12,0 9 a 10,5 2a5 < 30 0 10 a 30%
GLP 13,8 10,5 a 12,5 2,5 a 5,5 < 30 0 15 a 35%
Lenha (40% umid) 20,1 10 a 13 7,5 a 10,5 < 1.000 3 55 a 105%
Cavaco (35% umid) 20,1 11,5 a 14,5 6a9 < 500 3 40 a 80%
Bagaço de cana (50% umid) 19,8 14 a 16 4a6 < 500 3 25 a 40%
Obs.: (*) Estes valores podem variar, conforme características do combustível ,
do processo, dos padrões ambientais exigidos entre outros fatores.

Infotec nº 26
Conheça nossos serviços e Zetec Tecnologia Ambiental Ltda
treinamentos em
combustão industrial: tecnico@zetecambiental.com.br
www.zetecambiental.com.br tel. (11) 3807-3858 - SP