Você está na página 1de 6

MANUAL CASEIRO

Lei nº 4.898/1965

JÁ CAIU. vamos treinar?


1. (Ano: 2018. Banca: UEG. Órgão: PC-GO. Prova: Delegado de Polícia). Segundo a Lei n. 4.898/1965,
as penas cominadas aos crimes de abuso de autoridade poderão ser aplicadas autônoma ou
cumulativamente, e consistirão, além da multa, em

a) detenção por cinco a trinta dias, bem como perda do cargo e a inabilitação para o exercício de qualquer
outra função pública por prazo até um ano.

b) detenção por um a nove meses, bem como perda do cargo e a inabilitação para o exercício de qualquer
outra função pública por prazo até dois anos.

c) detenção por três meses a um ano, bem como perda do cargo e a inabilitação para o exercício de qualquer
outra função pública por prazo até quatro anos.

d) detenção por um a três anos, bem como perda do cargo e a inabilitação para o exercício de qualquer outra
função pública por prazo até cinco anos.

e) detenção por dez dias a seis meses, bem como perda do cargo e a inabilitação para o exercício de qualquer
outra função pública por prazo até três anos.

2. (Ano: 2016. Banca: FUNCAB. Órgão: PC-PA. Prova: Delegado de Polícia Civil). Cuida a Lei n°
4.898, de 1965, do direito de representação e do processo de responsabilidade administrativa, civil e
penal, nos casos de abuso de autoridade. Sobre o tema, analise as assertivas a seguir e assinale a
correta.

a) Os crimes do art. 3⁰ da Lei n⁰ 4.898 são classificados como delitos de mão própria.

b) O abuso de autoridade praticado por militar em serviço é da competência da Justiça Militar, estadual ou
federal.

c) Aos crimes previstos na Lei n° 4.898 não se aplica o instituto da transação penal, contemplado pelo art.
76 da Lei n° 9.099.

d) Sequer excepcionalmente os crimes previsto na Lei n° 4.898 admitem a modalidade culposa.

e) Somente será considerado autoridade para a finalidade de aplicação da Lei n° 4898 o ocupante remunerado
de cargo, emprego ou função pública, de natureza civil ou militar.
MANUAL CASEIRO
3. (Ano: 2015. Banca: FUNIVERSA. Órgão: PC-DF. Prova: Delegado de Polícia). No que diz respeito
ao direito de representação e ao processo de responsabilidade administrativa civil e penal nos casos de
abuso de autoridade, assinale a alternativa correta, conforme o disposto na Lei n.º 4.898/1965.

a) Configura crime de tortura, e não de abuso de autoridade, a execução de medida privativa da liberdade
individual sem as formalidades legais.

b) O delegado de polícia que submete pessoa sob sua guarda a situação vexaminosa pratica crime de tortura,
e não de abuso de autoridade.

c) A lei não prevê, como abuso de autoridade eventual, atentado ao livre exercício do culto religioso.

d) Para fins da lei mencionada, considera-se autoridade quem exerce cargo, emprego ou função pública, de
natureza civil ou militar, ainda que transitoriamente e sem remuneração.

e) A conduta de um delegado de polícia que deixe de comunicar, imediatamente, ao juiz competente a prisão
de determinada pessoa poderá configurar prevaricação, mas não abuso de autoridade.

4. (Ano: 2013. Banca: COPS-UEL. Órgão: PC-PR. Prova: Delegado de Polícia). Assinale a alternativa
que apresenta, corretamente, afirmações quanto aos crimes de abuso de autoridade tipificados na Lei
nº 4.898/1965.

a) São crimes de ação penal pública condicionada, uma vez que o Art. 1º da Lei trata do direito de
representação, sendo esta a condição de procedibilidade para a propositura da ação penal.

b) A competência para processar e julgar crimes de abuso de autoridade praticados por militares no exercício
de suas funções será da Justiça Militar, uma vez que possuem prerrogativa de função.

c) Para efeitos de aplicabilidade da Lei, os militares estão excluídos, uma vez que a eles será aplicado o
Código Penal Militar.

d) São crimes de ação penal pública incondicionada, uma vez que o Art. 1º da Lei trata do direito de
representação, sendo esta nada mais do que o direito de petição estampado no Art. 5º, inciso XXXIV da
Constituição Federal.

e) Considera-se autoridade qualquer pessoa que exerça cargo, emprego ou função pública, excluindo-se
aqueles que exercem cargo, emprego ou função pública de forma transitória e sem remuneração.

5. (Ano: 2013. Banca: UEG. Órgão: PC-GO. Prova: Delegado de Polícia - 2ª prova). A Lei n. 4898/65
(Abuso de Autoridade) estabelece a responsabilização criminal, civil e administrativa da autoridade
que comete abuso no exercício de suas funções. Sobre a referida legislação, tem-se o seguinte:
MANUAL CASEIRO
a) quando o abuso for cometido por agente de autoridade policial, civil ou militar, de qualquer categoria,
poderá ser cominada pena autônoma ou acessória, de não poder o acusado exercer funções de natureza
policial ou militar no município da culpa, por prazo de 1 a 5 anos.

b) a responsabilização criminal será promovida pelo Ministério Público mediante ação penal pública
condicionada à representação do ofendido como condição de procedibilidade.

c) a responsabilidade civil poderá ser buscada pelo ofendido somente em face da autoridade autora do delito,
através de advogado constituído.

d) a responsabilidade administrativa poderá ensejar uma sanção de suspensão do cargo, função ou posto por
prazo de 15 a 180 dias, com perda de vencimentos e vantagens.

6. (Ano: 2011. Banca: CESPE. Órgão: PC-ES. Prova: Delegado de Polícia). Considere que um agente
policial, acompanhado de um amigo estranho aos quadros da administração pública, mas com pleno
conhecimento da condição funcional do primeiro, efetuem a prisão ilegal de um cidadão. Nesse caso,
ambos responderão pelo crime de abuso de autoridade, independentemente da condição de particular
do coautor.

7. (Ano: 2009. Banca: FUNCAB. Órgão: PC-RO. Prova: Delegado de Polícia). Sobre a Lei nº
4.898/1965, que regula o processo de responsabilidade administrativa, civil e penal, nos casos de abuso
de autoridade, é correto afirmar que:

a) o processo administrativo disciplinado na referida lei será sempre sobrestado para o fim de aguardar a
decisão da ação penal ou civil.

b) a ação penal nos crimes tratados por essa lei é pública incondicionada.

c) a ação penal depende de representação do ofendido, que será exercida por meio de petição dirigida à
autoridade policial.

d) o crime de abuso de autoridade consistente no atentado à liberdade de locomoção admite tentativa.

e) considera-se autoridade, para os efeitos dessa lei, quem exerce cargo, emprego ou função pública de modo
definitivo e mediante remuneração.

8. (Ano: 2009. Banca: FUNIVERSA. Órgão: PC-DF. Prova: Delegado de Polícia). Considere que
Marcos dirigiu ao Ministério Público uma petição em que ofereceu representação contra um delegado
de polícia do Distrito Federal, argumentando que esse agente público deu-lhe um tapa no rosto no
MANUAL CASEIRO
interior de uma delegacia de polícia e que, portanto, incidiu em abuso de autoridade consistente na
prática de ato que violou a sua incolumidade física. Considerando que, em sua petição, Marcos
descreveu minuciosamente o fato que considerou abusivo, apontou testemunhas e apresentou laudo de
corpo de delito que demonstrava a existência de lesões na data indicada, o membro do Ministério
Público (MP) dispensou a realização de inquérito policial e deu início à ação penal, oferecendo a
denúncia.

Acerca dessa situação hipotética, assinale a alternativa correta.

a) O MP praticou ato ilícito ao oferecer a denúncia sem o prévio inquérito policial, por ser essa uma exigência
legal indeclinável, em garantia ao princípio da ampla defesa.

b) A representação de Marcos não deveria ter sido acolhida porque a violação da incolumidade física constitui
crime específico e, portanto, não pode ser tipificada como abuso de autoridade.

c) No referido processo, é possível a aplicação cumulativa de penas de multa, de detenção, de perda do cargo
e de inabilitação temporária para o exercício de funções públicas.

d) O depoimento judicial de Marcos não deverá ser levado em consideração como elemento de instrução
probatória pelo Poder Judiciário, por ter sido Marcos a pessoa que representou contra o delegado.

e) Caso seja sujeito a prisão preventiva, o referido delegado terá direito a permanecer em sala especial durante
o curso da ação penal. Porém, uma vez transitada em julgado eventual decisão condenatória, ele deverá
cumprir a pena em estabelecimento penitenciário juntamente com o restante dos presos, sendo ilícito
conferir-lhe tratamento diferenciado.

9. (Ano: 2009. Banca: UESPI. Órgão: PC-PI. Prova: Delegado de Polícia). Constitui abuso de
autoridade (Lei 4.898/65):

a) ordenar ou executar medida privativa da liberdade individual, com as formalidades legais.

b) submeter pessoa sob sua guarda ou custódia a qualquer tipo de vexame ou constrangimento.

c) deixar de comunicar, imediatamente, ao juiz competente a prisão ou detenção de qualquer pessoa.

d) deixar o Juiz de ordenar o relaxamento de prisão ou detenção legal que lhe seja comunicada.

e) levar à prisão e nela deter quem quer que se proponha a prestar fiança, não permitida em lei.
MANUAL CASEIRO
10. (Ano: 2009. Banca: CESPE. Órgão: PC-RN. Prova: Delegado de Polícia). Acerca do direito de
representação e do processo de responsabilidade administrativa civil e penal, nos casos de abuso de
autoridade, assinale a opção incorreta.

a) O direito de representação será dirigido ao MP competente para dar início à ação penal contra a autoridade
apontada como culpada, não podendo ser dirigido ao juiz ou à polícia.

b) A representação será encaminhada à autoridade superior àquela acusada de ter cometido o abuso, com
competência legal para aplicar a sanção necessária, se for o caso.

c) Caso um policial e outra pessoa, não pertencente aos quadros da administração pública e com
conhecimento da condição de autoridade do policial, efetuem, juntos, uma prisão ilegal, responderão ambos
por abuso de autoridade.

d) É admissível a participação, ou seja, o auxílio de terceiro para o cometimento do delito de abuso de


autoridade, sem que o terceiro pratique, diretamente, a figura típica.

e) O autor do abuso de autoridade está sujeito a responder pelo ato nas esferas administrativa, civil e penal.
A sanção civil depende do ajuizamento da ação correspondente a ser proposta pela vítima.

GABARITO

1 – E; 2 – D; 3 –D; 4 –D; 5 – A; 6 – C; 7 – B; 8 – C; 9 – C; 10 – A.

Sugerimos a leitura dos dispositivos legais abaixo:

 Ver art. 6º, §3º alínea “b” da Lei n. 4.898/1965;


 Ver art. 3º alínea “e” da Lei n. 4.898/1965;
 Ver art. 4º alínea “a” da Lei n. 4.898/1965;
 Ver art. 4º alínea “b” da Lei n. 4.898/1965;
 Ver art. 6º §5º da Lei n. 4.898/1965;
 Ver art. 2º alínea “a” e “b” da Lei n. 4.898/1965.

Analisando as provas anteriores, constatamos que o tema foi cobrado nos concursos abaixo. Vejamos:

 PC/GO 2018
 PC/PA 2016
 PC/DF 2015
 PC/GO 2013
 PC/ES 2011
MANUAL CASEIRO
 PC/RO 2009
 PC/DF 2009
 PC/PI 2009