Você está na página 1de 14

AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ÍNDICE
Aplicação da Lei Processual Penal no Tempo������������������������������������������������������������������������������������������������2
Normas Processuais Penais Materiais, Normas Mistas ou Normas Híbridas�����������������������������������������������2
Lei Processual Penal No Espaço�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������2

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou 1
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

Aplicação da Lei Processual Lei Processual Penal No Espaço


Penal no Tempo De acordo com o CPP a regra é que, vigora o princípio
Artigo 2° do CPP. da territorialidade, é aplicada lei processual penal brasileira nos
crimes cometidos no Brasil.
Tratando-se de processo penal, a lei processual penal apli-
ca-se imediatamente (principio da aplicação imediata ou isola- Exceções
mento dos atos processuais). Lei do estrangeiro, Tratados.
Exceção: Artigo 3° da lei de introdução ao código de Exemplo: Lei de convenção de Viena. Diplomata que
processo penal comete crime aqui no Brasil é aplicada a Lei do país dele.
De acordo com a lei de introdução, o prazo já iniciado é Com relação a Consul a imunidade é relativa, este somente
aplicado se o prazo da lei nova for menor. terá imunidade se o crime praticado for em razão das funções.
Exemplo: Caso seja iniciado um prazo de 15 dias e uma A embaixada não é território do país que representa.
lei nova venha e determine que o prazo é de 10 dias em deter- Prerrogativas do Presidente da República, Ministros:
minado caso. Logo, o prazo já iniciado é mantido, pois o prazo No caso de crimes de responsabilidade não é aplicado o
trazido pela lei nova é menor. CPP, pois esses crimes são consideradas infrações politico ad-
Normas Processuais Penais Materiais, ministrativo.
Normas Mistas ou Normas Híbridas Crimes Militares.
Normas penais híbridas são aquelas que apesar de ser Tratando-se desses crimes será aplicada a Lei Militar.
uma norma processual, possui conteúdo manifestamente de Competência do Tribunal especial
direito penal material e, nesse caso, a norma é considerada Lei de segurança nacional.
uma norma penal. Crimes de Imprensa.
Exemplo: Interpretação da Lei Processual Penal
1) Prazos para prisões; Interpretação extensiva, nos casos em que o cônjuge
2) Prazos de decadência; poderá representar o ofendido.
3) Prazos de perempção. EXERCÍCIOS
Nesses casos, o prazo será contado como se norma 01. Em caso de leis processuais penais hibridas o juiz deve
de direito material fosse e o juiz não pode cindir a norma e cindir o conteúdo das regras aplicando imediatamente o
aplicar a parte processual numa parte e a parte penal em outra. conteúdo processual penal e fazendo retroagir o direito
Portanto, a norma retroagirá para beneficiar o réu. material desde que mais benéfico ao acusado.
Vigência de Norma Certo ( ) Errado ( )
A vigência da norma é quando a lei já pode ser aplicada a GABARITO
um caso concreto, ou seja, quando ela entra em vigor. A vigência 1 - ERRADO
pode ser determinada pela própria lei, normalmente, nesses Anotações:
casos, a lei determina ou um prazo razoável para vigência da lei __________________________________________
ou uma vigência imediata, a depender da importância da lei. ___________________________________________
Caso a lei seja omissa em relação à sua vigência, o prazo é de- __________________________________________
terminado pela lei de introdução às normas do direito brasileiro ___________________________________________
(antiga LICC), esse prazo será de 45 dias para vigência da lei em ___________________________________________
território nacional e de três meses para aplicação no estrangeiro. __________________________________________
___________________________________________
Revogação ___________________________________________
Somente uma lei poderá revogar outra. A lei que revoga é ___________________________________________
chamada de lei revogadora. ___________________________________________
→→ Revogações Parciais: ___________________________________________
___________________________________________
Quando a lei não revoga toda a matéria, mas tão somente __________________________________________
parte dela, chama-se derrogação. ___________________________________________
→→ Revogações Totais: ___________________________________________
Quando a lei revogadora revoga toda a matéria chama-se ___________________________________________
ab-rogação. ___________________________________________
___________________________________________
Repristinação ___________________________________________
A repristinação ocorre quando uma lei revoga outra lei re- __________________________________________
vogadora de uma lei anterior. Como exemplo temos a Lei A, ___________________________________________
veio a Lei B e revogou a A, posterior a isso apareceu a lei C e ___________________________________________
revogou a Lei B, validando novamente a Lei A. A repristinação ___________________________________________
é esse retorno da lei A ___________________________________________
Obs.: Só existirá a repristinação quando ela for expressa. ___________________________________________
2 Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ÍNDICE
Sujeitos da Relação Processual����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Juiz������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Impedimento dos Juízes�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Suspeição dos Juízes�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Incompatibilidade do Juiz���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Disposições Constitucionais ou Predicamentos Da Magistratura����������������������������������������������������������������3

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou 1
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

II. Ele próprio houver desempenhado qualquer dessas


Sujeitos da Relação Processual funções ou servido como testemunha;
Do Juiz, do Ministério Público, do Acusado e Defensor, III. Tiver funcionado como juiz de outra instância, pro-
Dos Assistentes e Auxiliares da Justiça. nunciando-se, de fato ou de direito, sobre a questão;
Juiz IV. Ele próprio ou seu cônjuge ou parente, consanguíneo
É o responsável pela aplicação do direito ao caso concreto, ou afim em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusive,
mas não é parte no processo penal, pois parte é quem tem in- for parte ou diretamente interessado no feito.
teresse na causa. O juiz deve sempre ser imparcial, ou seja, não Suspeição dos Juízes
pode tomar partido para nenhuma das partes, cabendo a ele
Suspeição é obstáculo ao exercício da função. Nesse caso,
somente a condução do processo e o julgamento justo, lem-
existe interesse do juiz na matéria em debate.
brando que até o trânsito em julgado de uma sentença conde-
natória todos são juridicamente inocentes, sendo assim, é inad- Caso o juiz seja declarado suspeito, os atos por ele pra-
missível no processo a presença do juiz parcial, que já formou ticados são nulos e em alguns casos podem ser ratificados
o seu juízo quanto ao caso antes mesmo de ouvir as partes, e pelo juiz substituto que irá julgar a lide. A suspeição difere
receber as hipóteses de defesas e acusações. do impedimento em vários aspectos, dentre eles destaca-se
O juiz também é responsável pela presidência do processo que as suspeições podem ser vencidas pelas partes, ou seja,
penal, estando acima das partes (acusação e réu) na tríplice as partes podem aceitar o julgamento do juiz suspeito (desde
relação processual. que este também não se importe em julgar o conflito) e caso
isso aconteça, a suspeição será vencida, já o impedimento não
poderá ser vencido pelas partes.
As hipóteses de suspeição estão descritas no art. 254 e são
elas:
I. Se for amigo íntimo ou inimigo capital de qualquer deles;
II. Se ele, seu cônjuge, ascendente ou descendente, es-
tiverem respondendo a processo por fato análogo, sobre cujo
caráter criminoso haja controvérsia;
III. Se ele, seu cônjuge, ou parente, consanguíneo, ou afim,
até o terceiro grau, inclusive, sustentar demanda ou responder a
Para que o juiz possa cumprir com a sua função de aplicar processo que tenha de ser julgado por qualquer das partes;
a lei ao caso concreto, estará em suas mãos o poder de polícia
durante as audiências que preside e não se admite que as forças IV. Se tiver aconselhado qualquer das partes;
de segurança presentes numa audiência criminal se subordi- V. Se for credor ou devedor, tutor ou curador, de qualquer
nem a qualquer outra autoridade que não seja o juiz. das partes;
Também é o responsável por dar o impulso necessário ao VI. Se for sócio, acionista ou administrador de sociedade
bom andamento do processo, sendo sua competência zelar pela interessada no processo.
celeridade do processo, conforme preceituado no art. 5º inc.
LXXVIII da CF: Incompatibilidade do Juiz
“LXXVIII a todos, no âmbito judicial e administrativo, são Os casos de incompatibilidade estão previstos no artigo
assegurados a razoável duração do processo e os meios que 253 do código de processo penal e traz regras, como se fosse de
garantam a celeridade de sua tramitação.” impedimento, só que será entre os juízes nos juízos coletivos:
A pessoa do juiz representa o poder jurisdicional do Estado Art. 253 - Nos juízos coletivos, não poderão servir no mesmo
e tal poder, apesar de tão grande, é totalmente vinculado à lei, processo os juízes que forem entre si parentes, consanguíneos ou
assim sendo, o juiz, na condução dos processos que preside, afins, em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusive.
deve respeitar e fazer respeitar cada etapa procedimental e se O impedimento ou suspeição decorrente de parentesco
por acaso houver um descumprimento na sequência dos atos, por afinidade cessará pela dissolução do casamento que Ihe
tal será nulo. tiver dado causa, salvo sobrevindo descendentes; mas ainda
Impedimento dos Juízes que dissolvido o casamento sem descendentes, não funcionará
como juiz o sogro, o padrasto, o cunhado, o genro ou enteado
Impedimento é obstáculo ou embaraço ao exercício da de quem for parte no processo.
função no processo. Nesses casos, o juiz é declarado parcial,
pois existe vínculo entre o juiz e o objeto do litígio, assim Por dissolução do casamento entende-se o divórcio, pois
sendo, é inadmissível que ele presida o processo, e a atuação em caso de separação judicial, enquanto não for julgado o
de um juiz impedido no processo é a inexistência dos atos pra- divórcio, haverá impedimento.
ticados (observe bem que não se fala em nulidade e sim em ato A suspeição não poderá ser declarada nem reconhecida,
inexistente, o próprio processo não existe). quando a parte injuriar o juiz ou de propósito der motivo para
As hipóteses de impedimento são descritas taxativamente criá-la. Seria, por exemplo, o caso de uma das partes ofender o
no art. 252 do CPP e são elas: juiz fora do julgamento e até mesmo do fórum e alegar depois
I. Tiver funcionado seu cônjuge ou parente, consanguíneo que entre a parte e o juiz existe inimizade. Tal fato não é carac-
ou afim, em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusi- terizado suspeição, pois a suspeição deve existir antes do julga-
ve, como defensor ou advogado, órgão do Ministério Público, mento e como decorrência natural das relações humanas, não
autoridade policial, auxiliar da justiça ou perito; por má-fé para garantir um estado de ilegalidade.
2 Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

Disposições Constitucionais ou Predica- funcionar como juiz o sogro, o padrasto, o cunhado, o


genro ou enteado de quem for parte no processo.
mentos Da Magistratura
GABARITO
1) Vitaliciedade
1-B
A vitaliciedade no primeiro grau só será adquirida após dois
Anotações:
anos de exercício, dependendo a perda do cargo, nesse período,
de deliberação do tribunal a que o juiz estiver vinculado, e, nos __________________________________________
demais casos, de sentença judicial transitada em julgado; ___________________________________________
__________________________________________
2) Inamovibilidade
___________________________________________
A inamovibilidade será excepcionada por motivo de inte- ___________________________________________
resse público, na forma do art. 93, VIII; __________________________________________
Art. 93 VIII - O ato de remoção, disponibilidade e aposen- __________________________________________
tadoria do magistrado, por interesse público, fundar-se-á em ___________________________________________
decisão por voto da maioria absoluta do respectivo tribunal ou __________________________________________
do Conselho Nacional de Justiça, assegurada ampla defesa; ___________________________________________
3) Irredutibilidade de Subsídio ___________________________________________
Impedimentos ou Vedações Constitucionais __________________________________________
__________________________________________
I. exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo ou
___________________________________________
função, salvo uma de magistério;
___________________________________________
II. receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou partici- ___________________________________________
pação em processo; ___________________________________________
III. dedicar-se à atividade político-partidária. ___________________________________________
IV. receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou con- ___________________________________________
tribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou privadas, __________________________________________
ressalvadas as exceções previstas em lei; ___________________________________________
___________________________________________
V. exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual se
___________________________________________
afastou, antes de decorridos três anos do afastamento do cargo
___________________________________________
por aposentadoria ou exoneração.
___________________________________________
EXERCÍCIOS ___________________________________________
01. Relativamente à pessoa do juiz que presidir a tramitação ___________________________________________
e julgamento do processo criminal, pode-se afirmar, ___________________________________________
dentre as proposições abaixo, que apenas uma alternati- ___________________________________________
va é CORRETA. Assinale-a: ___________________________________________
a) O juiz não poderá exercer jurisdição no processo em ___________________________________________
que tiver funcionado seu cônjuge ou parente, consan- ___________________________________________
guíneo ou afim, em linha reta ou colateral até o quinto ___________________________________________
grau, inclusive, como defensor ou advogado, órgão do ___________________________________________
Ministério Público, autoridade policial, auxiliar da ___________________________________________
justiça ou perito. ___________________________________________
b) Incumbe ao juiz prover à regularidade do processo, ___________________________________________
mantendo a ordem no curso dos respectivos atos, e, se ___________________________________________
necessário, poderá requisitar a força pública; de outro ___________________________________________
lado, não poderá ser declarada suspeição e nem ser re- ___________________________________________
conhecida, quando a parte injuriar o juiz ou de propó- ___________________________________________
sito der motivo para criá-la. __________________________________________
___________________________________________
c) O juiz não poderá exercer jurisdição no processo em ___________________________________________
que tiver funcionado seu cônjuge ou parente, consan- ___________________________________________
guíneo ou afim, em linha reta ou colateral até o quarto ___________________________________________
grau, inclusive, como defensor ou advogado, órgão do ___________________________________________
Ministério Público, autoridade policial, auxiliar da ___________________________________________
justiça ou perito. ___________________________________________
d) Nos juízos coletivos, não poderão servir no mesmo ___________________________________________
processo os juízes que forem entre si parentes, consan- ___________________________________________
guíneos ou afins, em linha reta ou colateral até o quarto ___________________________________________
grau, inclusive. ___________________________________________
e) O impedimento ou suspeição decorrente de parentesco ___________________________________________
por afinidade cessará pela dissolução do casamento que ___________________________________________
Ihe tiver dado causa, salvo sobrevindo descendentes; __________________________________________
mas, dissolvido o casamento sem descendentes, poderá ___________________________________________
Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou 3
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ÍNDICE
Sujeitos da Relação Processual����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Ministério Público��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Acusado (Réu ou Querelado)����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Assistente���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Funcionários da Justiça������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou 1
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

Sujeitos da Relação Processual Acusado (Réu ou Querelado)


Ministério Público É parte no processo penal, está no polo passivo da ação
penal, assim sendo, é a pessoa denunciada ou contra quem se
O Ministério Público é instituição permanente, essencial dirigiu a queixa-crime. O acusado tem interesse na demons-
à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da tração da inocência e, por isso, não é obrigado a colaborar com
ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e a acusação, pois não é obrigado a produzir provas contra si
individuais indisponíveis, tendo como princípios institucionais mesmo (nemo tenetur se detegere), mas a confissão é aceita,
a unidade, a indivisibilidade e a independência funcional. desde que balizada (apoiada) em outras provas.
O promotor é sujeito e parte imparcial no processo, pois A impossibilidade de identificação do acusado com o seu
apesar de ser o responsável pela promoção do processo, sua verdadeiro nome ou outros qualificativos não retardará a ação
conduta não pode ser balizada pela relação com as partes ou penal, quando certa a identidade física. A qualquer tempo, no
com a causa e sim pela promoção da justiça que é sempre o curso do processo, do julgamento ou da execução da sentença,
objetivo da atuação do membro do parquet. se for descoberta a sua qualificação, far-se-á a retificação, por
O MP é o titular da ação penal pública e o fiscal da ação termo, nos autos, sem prejuízo da validade dos atos precedentes.
penal privada. Se o acusado não atender à intimação para o interrogató-
As hipóteses de impedimento ou suspeição dos membros rio, reconhecimento ou qualquer outro ato que, sem ele, não
do Ministério Público são as mesmas estudadas anteriormente possa ser realizado, a autoridade poderá mandar conduzi-lo à
que podem ser imputadas aos juízes, ou seja, o rol de impedi- sua presença.
mentos vem descrito no art. 252 e o rol de suspeições no art. O mandado conterá, além da ordem de condução, os re-
254. Essa é a previsão do artigo 258 do CPP: quisitos mencionados no art. 352, no que Ihe for aplicável.
Art. 258 - Os órgãos do Ministério Público não funciona- Nenhum acusado, ainda que ausente ou foragido, será processa-
rão nos processos em que o juiz ou qualquer das partes for seu do ou julgado sem defensor. No entanto, caso ele seja advogado,
cônjuge, ou parente, consanguíneo ou afim, em linha reta ou poderá fazer a própria defesa. Pois, ao acusado é garantido o
colateral, até o terceiro grau, inclusive, e a eles se estendem, no direito de ser assistido por defesa técnica (também é um dever a
que Ihes for aplicável, as prescrições relativas à suspeição e aos defesa técnica para o deslinde do processo e a ausência de defesa
impedimentos dos juízes. é hipótese de nulidade absoluta do processo); mesmo que o
acusado seja fugitivo da justiça, tal direito é garantido.
Classificação do Ministério Público Caso o acusado seja pobre e não tenha condições de cons-
O MP é dividido em MP Estadual e MP da União e fazem tituir advogado, a defesa será feita por defensor dativo ou pela
parte do MPU os seguintes órgãos: Ministério Público Federal defensoria pública.
(também desempenha a função de Ministério Público Elei- O CPP, em seu art. 262, fala que o acusado menor será
toral), Ministério Público do Trabalho, Ministério Público acompanhado por curador. É importante ressaltar neste caso
Militar e Ministério Público do DF e Territórios. No Minis- que não existe mais a figura do acusado menor (pessoa entre 18
tério Público Estadual, quem exerce a função é o promotor de e 21 anos de idade), pois o Código Civil declara que o maior de
justiça tendo como chefe o procurador-geral de justiça. No mi- 18 anos é plenamente capaz, o que não acontecia na época da
nistério Público da União quem exerce a função é o procura- redação do código de processo penal.
dor, seja o procurador da república, o procurador do trabalho,
o procurador da justiça militar, tendo como chefe o procura- Defensor
dor-geral da República. Não é parte no processo, mas sim o representante do
acusado e sua atuação deve ser intencionada a garantir a decisão
Garantias do MP mais favorável ao seu cliente, ou seja, caso o cliente seja culpado
I. as seguintes garantias: do fato imputado o advogado deve lutar pela pena mais branda,
a) vitaliciedade, após dois anos de exercício, não caso seja inocente, o advogado deve pleitear a absolvição.
podendo perder o cargo senão por sentença judicial A ausência de defesa é hipótese de nulidade absoluta, assim
transitada em julgado; sendo, o CPP admite que quando o advogado não puder com-
b) inamovibilidade, salvo por motivo de interesse público, parecer, por motivo justificado, a audiência poderá ser remar-
mediante decisão do órgão colegiado competente do Mi- cada, mas, nesse caso, cabe ao advogado provar a causa justifi-
nistério Público, pelo voto da maioria absoluta de seus cadora de sua ausência.
membros, assegurada ampla defesa;
Nomeação do Advogado
c) irredutibilidade de subsídio.
Se o acusado não o tiver, ser-lhe-á nomeado defensor pelo
Vedações Constitucionais ao MP juiz, ressalvado o seu direito de, a todo tempo, nomear outro
a) receber, a qualquer título e sob qualquer pretexto, hono- de sua confiança, ou a si mesmo defender-se, caso tenha ha-
rários, percentagens ou custas processuais; bilitação. O advogado pode ser nomeado por instrumento de
b) exercer a advocacia; mandato ou de termo de audiência quando for indicado no
curso do interrogatório.
c) participar de sociedade comercial, na forma da lei;
Caso o advogado seja parente do juiz ou do promotor, esta-
d) exercer, ainda que em disponibilidade, qualquer outra
função pública, salvo uma de magistério;
remos diante de hipótese de impedimento.
e) exercer atividade político-partidária; Assistente
f) receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou contri- Assistente é o ofendido ou representante legal, ou seja, a
buições de pessoas físicas, entidades públicas ou privadas, vítima do fato criminoso, pode ser pessoa física ou jurídica,
ressalvadas as exceções previstas em lei. basta, para isso, que seja a vítima da ação criminosa, podendo
2 Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

ainda, na falta do ofendido, ser assistente os sucessores da c) não der o laudo, ou concorrer para que a perícia não seja
vítima, quais sejam, o cônjuge, o ascendente, o descendente e o feita, nos prazos estabelecidos.
irmão (CADI) e tem o objetivo de auxiliar o MP na acusação No caso de não-comparecimento do perito, sem justa
que será ouvido antes de ser admitido o assistente no processo. causa, a autoridade poderá determinar a sua condução.
A admissão é feita por despacho do juiz e desse despacho de
aceitação ou não, caberá recurso. Impedimentos
O assistente será admitido enquanto não passar em julgado Não poderão funcionar como peritos no processo as se-
a sentença e receberá a causa no estado em que se achar. Vale guintes pessoas:
ressaltar que o corréu no mesmo processo não poderá intervir ˃˃ Sujeitas à pena restritiva de direitos impeditivas do
como assistente do Ministério Público. cargo, emprego ou função pública.
As associações de titulares de direitos de autor e os que lhes ˃˃ Os que tiverem prestado depoimento no processo ou
são conexos poderão, em seu próprio nome, funcionar como opinado anteriormente sobre o objeto da perícia;
assistente da acusação nos crimes previstos no art. 184 do ˃˃ Os analfabetos e os menores de 21 anos.
Código Penal (violação de direito autoral), quando praticado
Suspeição
em detrimento de qualquer de seus associados.
Ao assistente são garantidas as seguintes prerrogativas: São as mesmas hipóteses aplicadas ao juiz (art. 254 do
CPP).
˃˃ propor meios de prova e o juiz decidirá, ouvido o MP,
acerca da realização de provas proposta pelo assistente, Intérprete
decisão da qual não cabe recurso. É a pessoa especialista em idiomas ou linguagens (exemplo:
˃˃ requerer perguntas às testemunhas, libras) que vai intermediar as partes quando for necessário.
˃˃ aditar o libelo e os articulados, É espécie de perito e, assim sendo, todas as regras acima
˃˃ participar do debate oral, estudadas quanto aos peritos são aplicadas aos intérpretes.
˃˃ arrazoar os recursos interpostos pelo Ministério Público Os intérpretes são, para todos os efeitos, equiparados aos
ou por ele próprio. Vale notar que o prazo para o as- peritos.
sistente recorrer, supletivamente, começa a correr ime- EXERCÍCIO
diatamente após o transcurso do prazo do Ministério 01. A respeito dos auxiliares da justiça, considere:
Público (súmula 448, STF). I. As partes poderão intervir na nomeação dos peritos, in-
˃˃ O assistente poderá requerer a prisão preventiva. dicando nomes para o exercício dessa função.
No Tribunal do Júri, o assistente somente será admitido se II. Não poderão ser peritos os que tiverem prestado depoi-
tiver requerido sua habilitação até 5 (cinco) dias antes da data mento no processo.
da sessão na qual pretenda atuar. III. Não poderão ser peritos os que tiverem opinado ante-
Funcionários da Justiça riormente sobre o objeto da perícia.
São os servidores públicos que atuam no poder judiciário. IV. Os intérpretes são, para todos os efeitos, equiarados aos
peritos.
As hipóteses de suspeição dos juízes se estendem aos fun-
cionários da justiça no que lhes for aplicável. Está correto o que consta somente em?
a) II e IV.
Peritos e Intérpretes
b) I, II e IV
Peritos
c) I e III
Perito é o especialista em determinada área do conheci-
d) II, III e IV
mento humano que atua como auxiliar da administração da
justiça. Tem a incumbência de produzir laudos periciais dentro e) II e III
da sua área de conhecimento para contribuir na busca da GABARITO
verdade real que é o objetivo do processo penal e, por isso, não 1-D
pode ter a sua escolha influenciada pelas partes.
Anotações:
Classificação __________________________________________
Os peritos são classificados em oficiais e não oficiais e ___________________________________________
mesmo sendo perito não oficial estará sujeito à disciplina __________________________________________
judiciária. ___________________________________________
Obrigações dos Peritos ___________________________________________
__________________________________________
O perito nomeado pela autoridade será obrigado a aceitar o ___________________________________________
encargo, sob pena de multa de cem a quinhentos mil-réis, salvo ___________________________________________
escusa atendível. ___________________________________________
Incorrerá na mesma multa o perito que, sem justa causa, ___________________________________________
provada imediatamente: ___________________________________________
a) deixar de acudir à intimação ou ao chamado da au- ___________________________________________
toridade; __________________________________________
b) não comparecer no dia e local designados para o exame; ___________________________________________
___________________________________________
Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou 3
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ÍNDICE
Atos Processuais ...........................................................................................................................................2
Espécies de Atos e Classificação .................................................................................................................2

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou 1
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

2) Decisões interlocutórias mistas terminativas de


Atos Processuais mérito – São decisões que julgam o mérito, mas não condenam
O ato jurídico é uma declaração de vontade que visa a nem absolvem o acusado, referem-se a questões materiais, rela-
provocar uma consequência jurídica. Dentre os atos jurídicos, tivas ao próprio delito. Ex.: Reconhecimento da prescrição, etc.
existe uma espécie que é p ato processual, sendo ato processual 3) Decisões interlocutórias mistas não terminativas
aquele ato jurídico praticado para criar, modificar ou extinguir – São decisões que encerram uma fase do procedimento. Ex.:
direitos processuais. decisão de pronúncia no tribunal do júri.
Ato processual é toda conduta dos sujeitos do processo que Decisões definitivas: São as decisões que adentram ao
tenha por efeito a criação, modificação ou extinção de situações mérito da questão e se subdivide em condenatórias e absolutó-
jurídicas processuais. O direito somente pode ser acionado no rias:
momento em que é violado e se faz conforme esteja nos códigos
de processo. Os atos processuais também podem ser condutas → Sentença definitiva condenatória: É a sentença que
praticadas pelos juízes e auxiliares para dar andamento ao adentra ao mérito da questão e condena o réu acolhendo
processo. Procedimento é o conjunto de atos processuais. total ou parcialmente o pedido da acusação
→ Sentença definitiva absolutória: As sentenças absolu-
Espécies de Atos e Classificação tórias se subdividem em sentença absolutória própria que
Atos simples – são os resultam da manifestação de é aquela que adentra ao mérito e não acolhe o pedido da
vontade de uma só pessoa, seja um órgão monocrático ou cole- acusação absolvendo totalmente o réu e sentença absolutó-
giado (denúncia, sentença, interrogatório, acórdão, etc.); ria imprópria que é aquela que entende que o acusado não
Atos complexos – são aqueles em que observa uma série praticou infração penal por se inimputável, pois possuía de-
de atos entrelaçados, duas o mais manifestações de vontades senvolvimento mental incompleto ou retardado e ao tempo
no sentido de produção do ato (sessões, audiências, sentença do da ação ou omissão era incapaz de entender o caráter ilícito
presidente do tribunal do júri, etc.); do fato e de determinar-se de acordo com esse entendimen-
Atos compostos - é o que resulta da manifestação de to, nesse caso temos a chamada ação de prevenção penal.
vontade de um só agente, dependendo, contudo, para ter b) Atos de Documentação: assinatura de edital.
eficácia da verificação e aceitação feita por outro agente (perdão c) Despachos de Mero Expediente: Vista ao MP (o mais
do ofendido, que depende da aceitação do querelado, etc.). usado no judiciário),
Atos das Partes Atos dos Auxiliares do Juiz
a) Atos postulatórios: pedido da proteção jurisdicional a) Atos de Movimentação: Conclusão dos autos ao juiz,
do Estado, diante do cometimento de uma infração. A capa- etc.
cidade postulatória é um pressuposto processual, não podendo b) Atos de Execução: citação, intimação, notificação, etc.
nenhum réu ficar sem a defesa técnica (feita por advogado),
c) Atos de Documentação: carimbar páginas, autuação.
salvo quando ele mesmo for advogado.
b) Atos instrutórios: são atos destinados à comprovação Atos de Terceiros
das afirmações feitas em juízo com a finalidade de convencer a) Terceiro Interessado – Prestar fiança, etc.;
o juiz em sua sentença. Ex.: Alegações, pedido de acareação, b) Terceiro Desinteressado - Prestar testemunho, etc.;
produção de provas, etc. EXERCÍCIOS
c) Atos dispositivos: são atos das partes que dispensam a De acordo com os atos processuais julgue a assertiva a
tutela jurisdicional do estado, elas dispõem de algum direito, seguir:
por isso dispositivo. Ex.: Nos crimes de ação penal privada, o
perdão do ofendido ou a renúncia ao direito de queixa. 01. Considera-se decisão interlocutória mista terminativa de
mérito aquele que a decisão encerra uma fase do procedi-
d) Atos materiais ou reais: São condutas não verbais, ma- mento, mas não aquela que acaba com o processo.
teriais das partes no processo. Ex.: Comparecimento em au-
diência, juntada de documentos. Certo ( ) Errado ( )
02. Considera-se ato complexo aquele que estulta da ma-
Atos dos Juízes nifestação de vontade de um só agente, dependendo
a) Atos decisórios: São as chamadas decisões e podem ser contudo parte ter eficácia da verificação e aceitação feita
decisões interlocutórias ou definitivas (sentenças finais). por outro agente.
As decisões interlocutórias se subdividem em interlocutó- Certo ( ) Errado ( )
rias simples, interlocutórias mistas:
GABARITO
Decisões interlocutórias simples: São decisões que não
1 - ERRADO
adentram ao mérito do processo, mas que são importantes
para o andamento do processo como o recebimento de uma 2 - ERRADO
denúncia, a decretação de uma prisão preventiva, etc. Anotações:
Decisões interlocutórias mistas: As decisões interlocutórias ___________________________________________
mistas se subdividem em terminativas, terminativas de mérito __________________________________________
e não terminativas. ___________________________________________
1) Decisões interlocutórias mistas terminativas – São ___________________________________________
decisões que encerram o andamento do processo sem o julga- ___________________________________________
mento do mérito, referem-se a questões processuais. Ex.: não ___________________________________________
recebimento da denúncia, acolhimento de coisa julgada. ___________________________________________
2 Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ÍNDICE
Prazos: Características, Princípios e Contagem���������������������������������������������������������������������������������������������2
Princípios Aplicáveis aos Prazos Processuais Penais�����������������������������������������������������������������������������������2
Características e Contagem dos Prazos Processuais Penais������������������������������������������������������������������������2
Contagem Prática���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3
Norma Híbrida�������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3
Disposições Gerais��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3
Exercícios���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������4

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou 1
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

irredutibilidade dos subsídios, entender que tais normas não


Prazos: Características, Prin- foram recepcionadas pela Constituição Federal de 1988 e, por
cípios e Contagem isso, não teriam nenhuma validade.
Conforme preleciona o magistério de Denilson Feitosa, Importante: Vale notar que o Ministério Público tem
prazo processual é o intervalo de tempo a partir do qual e até natureza dúplice, pois é um órgão estatal e ao mesmo tempo
o qual um ato processual deve, pode ou não deve ser pratica- é parte no processo (órgão acusador das ações penais públicas),
do. Portanto, prazo é o tempo necessário a pratica de um ato portanto, em relação as seus deveres funcionais os prazos do
(positivo ou negativo) dentro de um processo. Sendo o início MP são impróprios, como o oferecimento de denúncia, e em
do prazo denominado de termo inicial e o término do prazo de relação às suas faculdades como parte no processo, seus prazos
termo final. serão próprios, como o prazo para recorrer, pois caso o MP não
Os prazos de subdividem em várias espécies a depender do recorra, ocorrerá a preclusão temporal.
tipo de classificação. Logo, vamos a elas: Princípios Aplicáveis aos Prazos Proces-
→→ Quanto à fonte: Em relação à fonte os prazos podem ser suais Penais
legais (determinado por lei), judiciais (fixado pelo juiz) ou
convencionais (convencionado entre as parte). Conforme preceitua Denilson Feitoza abordando aponta-
mento da doutrina em geral, os princípios aplicáveis aos prazos
Nota: No processo penal não é cabível prazo convencional,
processuais são:
pois não é dado as partes o direito de convencionar os prazos,
subsistindo, no entanto, no campo do direito processual civil 1) Princípio da igualdade de tratamento
→→ Quanto à prorrogabilidade: Em relação a prorrogação 2) Princípio da preclusão (perda do direito em virtude da
os prazos podem ser prorrogáveis (aqueles que podem ser perda do prazo)
prorrogados, também denominados ordinatórios ou di- 3) Princípio da brevidade (o prazo será o mais breve
latórios) ou improrrogáveis (aqueles que não podem ser possível)
prorrogados, também denominados peremptórios). 4) Princípio da improrrogabilidade (não podem ser pror-
Importante: Conforme o artigo 798 CPP, os prazos, em rogados por vontade dos sujeitos processuais)
regra, são improrrogáveis. 5) Princípio da continuidade (os prazos são contínuos)
Art. 798 - Todos os prazos correrão em cartório e serão contínuos 6) Princípio da utilidade (o prazo deverá ter sua duração de
e peremptórios, não se interrompendo por férias, domingo acordo com a complexidade do motivo)
ou dia feriado.
7) Princípio da irredutibilidade (os prazos não podem ser
→→ Quanto à simultaneidade subjetiva: Em relação à indi- reduzidos pelo juiz)
vidualização os prazos podem ser comuns (nesse caso os
8) Princípio da economia processual
prazos correm igualmente para ambas as partes) ou indi-
viduais (corre somente para uma das partes, também de- 9) Princípio do contraditório
nominado de prazo particular). Características e Contagem dos Prazos
Quanto ao sujeito: Em relação aos sujeitos os prazos Processuais Penais
podem ser próprios ou impróprios.
Primeiro ponto a ser tocado quando se fala em contagem
1) Prazos próprios: São aqueles que geralmente sofrem pre- dos prazos processuais é que sua contagem se faz de acordo
clusão temporal, pois são prazos para as partes (defensor, que- com o calendário comum ou gregoriano, seguindo preceito do
relante, assistente). código penal no artigo 10, segunda parte:
2) Prazos impróprios: Os prazos impróprios não são pre- Art. 10 - O dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Con-
clusivos, ou seja, quando do seu termo final, continua a parte tam-se os dias, os meses e os anos pelo calendário comum.
obrigada a executá-lo. Em regra os prazos impróprios são dire-
Na contagem dos prazos processais penais teremos que
cionados aos juízes e auxiliares da justiça. Portanto, caso um
diferenciar dois momentos importantes, o primeiro deles é
prazo seja destinado a um ato do juiz e este não cumpra, poderá
quando começa a correr o prazo, entenda como se fosse uma
cumpri-lo depois de terminar o prazo sem que tenha ocorrido
autorização para que o prazo pudesse se iniciar e o segundo
preclusão temporal. Vale ressaltar que o CPP prevê que caso o
momento, depois de autorizado a correr é o momento em que
juiz ou MP descumpra seus prazos sofrerá sanções conforme o
se inicia a contagem. Portanto, o primeiro momento é quando
artigo 801 e 802, a saber:
o prazo começa a correr e o segundo é quando realmente se
Art. 801 - Findos os respectivos prazos, os juízes e os órgãos do Mi- começa a contar. Para ficar claro, entenda que o primeiro é
nistério Público, responsáveis pelo retardamento, perderão tantos a autorização para que se inicie a contagem e o segundo é a
dias de vencimentos quantos forem os excedidos. Na contagem do
contagem propriamente dita.
tempo de serviço, para o efeito de promoção e aposentadoria, a
perda será do dobro dos dias excedidos. →→ Os prazos começam a correr, em regra, de acordo com o
Art. 802 - O desconto referido no artigo antecedente far-se-á
art. 798 § 5° do CPP:
à vista da certidão do escrivão do processo ou do secretário do Art. 798 § 5º - Salvo os casos expressos, os prazos correrão:
tribunal, que deverão, de ofício, ou a requerimento de qualquer a) da intimação;
interessado, remetê-la às repartições encarregadas do pagamento b) da audiência ou sessão em que for proferida a decisão, se
e da contagem do tempo de serviço, sob pena de incorrerem, de a ela estiver presente a parte;
pleno direito, na multa de quinhentos mil-réis, imposta por au-
toridade fiscal. c) do dia em que a parte manifestar nos autos ciência ine-
quívoca da sentença ou despacho.
No entanto, a doutrina majoritária calcada na
Em consonância com o art. 798 §5°, a, o STF editou a
2 Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

súmula 710 para acabar com a divergência que ocorria na não poderá cindir a norma e aplicar somente a parte proces-
doutrina e jurisprudência: sual num ponto e a parte penal em outro. Exemplos de normas
Súmula 710, STF - No processo penal, contam-se os prazos da híbridas são aquelas que tratam do prazo de prisões cautelares,
data da intimação, e não da juntada aos autos do mandado ou os prazos para oferecimento de queixa-crime, pois importam
da carta precatória ou de ordem. em decadência.
Esse primeiro momento define que o prazo proces- A norma a ser seguida está no artigo 10 do CP, primeira
sual penal começa a correr, mas não começará a ser contado, parte:
pois define os outros parágrafos do artigo 798 que os prazos Art. 10 - O dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Con-
começam a ser contado a partir do dia seguinte: tam-se os dias, os meses e os anos pelo calendário comum.
Art. 798 - Portanto, diferentemente da contagem dos prazos no
§1º - Não se computará no prazo o dia do começo, incluindo-se, código de processo penal, no código penal, o primeiro dia é
porém, o do vencimento. incluído no prazo. De forma prática, é só somarmos o prazo
§2º - A terminação dos prazos será certificada nos autos pelo ao dia que o prazo começa a correr e excluirmos um dia ao
escrivão; será, porém, considerado findo o prazo, ainda que término do prazo, vale ressaltar também que o prazo penal não
omitida aquela formalidade, se feita a prova do dia em que se prorroga, nem em seu início, nem em seu fim se a data de
começou a correr. início for em fim de semana. Para exemplificarmos e melhorar
§3º - O prazo que terminar em domingo ou dia feriado conside- o entendimento, analisaremos o seguinte caso hipotético:
rar-se-á prorrogado até o dia útil imediato. (exceção à improrro- João foi injuriado (injúria simples) no dia 03.02.13 pelo
gabilidade) seu colega de trabalho quando ia apresentar uma proposta de
§4o - Não correrão os prazos, se houver impedimento do juiz, aumento para seu chefe, tomando, de pronto, conhecimento
força maior, ou obstáculo judicial oposto pela parte contrária. da injúria e apresentou a devida queixa-crime no dia 03.08.13,
(não serão contados) decida se a queixa-crime deve ser recebida ou não.
Vale ressaltar que se a intimação é numa sexta-feira, dia em Primeiro, cabe ressaltar que a injúria é um crime contra
que começa a correr o prazo, em regra, a contagem deveria ser honra, e, por ser a injúria simples, será de ação penal privada
no dia seguinte, sábado, no entanto, para o início da contagem que deverá ser intentado no prazo de 06 meses após o conhe-
também se faz ser necessário um dia útil, portanto, segunda- cimento da autoria do crime, o conhecimento do autor do
feira, caso não seja feriado, esse entendimento foi externado crime foi automático, portanto o prazo para apresentar a quei-
pelo STF na súmula 310: xa-crime se iniciou no próprio dia 03.02.13. Como o prazo
Súmula 310, STF - Quando a intimação tiver lugar na sexta- tem caráter dúplice, tanto penal material quanto processual, a
feira, ou a publicação com efeito de Intimação for feita nesse dia, contagem deve ser feita de acordo com o código penal, incluin-
o prazo judicial terá início na segunda-feira imediata, salvo se do o dia de início. Portanto, basta projetar-se o prazo seis meses
não houver expediente, caso em que começara no primeiro dia a frente e diminuirmos um dia, com a projeção do prazo che-
útil que se seguir. gar-se-á ao dia 03.08.13 e diminuindo-se um dia, chegaremos
ao dia 02.08.13.
Contagem Prática
Concluindo, a queixa-crime não deverá ser recebida, pois
Uma forma prática de contar os prazos pode ser determi- foi intentada fora do prazo, logo, trata-se de uma queixa-cri-
nada da seguinte forma, suponhamos que determinado réu me intempestiva. Com o término no prazo, podemos dizer
tenha que entrar com recurso de apelação contra uma sentença que ocorreu a decadência do direito de queixa e a consequente
penal condenatória, primeiro ponto a se observar é o dia da extinção da punibilidade pela decadência.
intimação e não da juntada de intimação (regra do código
Um outro exemplo interessante que comumente cai em
de processo civil). Suponhamos ainda que a intimação tenha
concursos públicos é o prazo de prisão cautelar, vamos a um
ocorrido no dia 31.01.13 (quinta-feira). Portanto a contagem
exemplo:
só se inicia no dia seguinte, dia 01.02.13, contando-se os cinco
dias o prazo terminará no dia 05.02.13 (terça-feira), vale notar Pedro foi preso temporariamente no dia 06.02.13 (quarta-
que o dia 05.02.13 é um dia útil, portanto, poderá apelar até feira) por volta de onze e meia da noite, por motivo de prisão
essa terça-feira. De forma prática, se somarmos 05 dias ao dia temporária expedida em seu nome. Diante do caso, responda
da intimação, chegaremos ao mesmo resultado. Portanto, se quando deverá ser solto pelo término da prisão temporária.
começássemos a contar do dia 31.01.13 e somássemos 05 dias, Como os prazos para prisões cautelares têm natureza
cairíamos naturalmente no dia 05.02.13, dia do término do híbrida devem ser contados de acordo com o código penal, ou
prazo. seja, inclui-se o dia do início do prazo, portanto, o dia 06.02.13
No que tange aos prazos em meses e anos, conforme art. deverá ser contado, mesmo que a prisão tenha ocorrido onze
10 do código penal, é só projetar o prazo para a data do mês ou e meia da noite. O prazo para término da prisão temporária é
ano em questão. Por exemplo, se o prazo é de 06 meses e a in- de 05 dias, podendo ser prorrogado por mais 05 dias. O caso
timação foi feita em 29.01.13, projetando-se 06 meses à frente analisado não fala que o prazo foi prorrogado, logo, soma-se 05
após a intimação chegaremos ao dia 29.07.13, uma segunda- dias ao início do prazo, como se conta o dia 06, a contagem fica
feira, portanto o prazo terminará nesse dia, independentemen- da seguinte forma: 06, 07, 08, 09, 10. Portanto, ao final do dia
te da quantidade de dias que cada mês tenha. 10.02.13 o investigado deverá ser solto, ou seja, à meia noite.
Norma Híbrida Disposições Gerais
As normas híbridas ou mistas são normas processuais que O próprio código de processo penal trouxe alguns prazos
também possuem caráter penal, sendo assim, a contagem do a serem contados, para quando não existir nenhuma norma re-
prazo deverá ser feita de acordo com a norma penal, pois o juiz guladora, são eles:
Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou 3
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
AlfaCon Concursos Públicos

Art. 800 - Os juízes singulares darão seus despachos e decisões ___________________________________________


dentro dos prazos seguintes, quando outros não estiverem esta- ___________________________________________
belecidos: ___________________________________________
I. de dez dias, se a decisão for definitiva, ou interlocutória ___________________________________________
mista; ___________________________________________
II. de cinco dias, se for interlocutória simples; ___________________________________________
III. de um dia, se se tratar de despacho de expediente. ___________________________________________
___________________________________________
§1º - Os prazos para o juiz contar-se-ão do termo de conclusão. ___________________________________________
§2º - Os prazos do Ministério Público contar-se-ão do termo de ___________________________________________
vista, salvo para a interposição do recurso (art. 798, § 5o). ___________________________________________
§3º - Em qualquer instância, declarando motivo justo, poderá o ___________________________________________
juiz exceder por igual tempo os prazos a ele fixados neste Código. ___________________________________________
§4º - O escrivão que não enviar os autos ao juiz ou ao órgão do ___________________________________________
Ministério Público no dia em que assinar termo de conclusão ou ___________________________________________
de vista estará sujeito à sanção estabelecida no art. 799. ___________________________________________
Art. 797 - Excetuadas as sessões de julgamento, que não serão ___________________________________________
marcadas para domingo ou dia feriado, os demais atos do processo ___________________________________________
poderão ser praticados em período de férias, em domingos e dias ___________________________________________
feriados. Todavia, os julgamentos iniciados em dia útil não se ___________________________________________
interromperão pela superveniência de feriado ou domingo. ___________________________________________
Art. 799 - O escrivão, sob pena de multa de cinquenta a qui- ___________________________________________
nhentos mil-réis e, na reincidência, suspensão até 30 (trinta) ___________________________________________
dias, executará dentro do prazo de dois dias os atos determinados ___________________________________________
em lei ou ordenados pelo juiz. ___________________________________________
Art. 803 - Salvo nos casos expressos em lei, é proibida a retirada ___________________________________________
de autos do cartório, ainda que em confiança, sob pena de respon- ___________________________________________
sabilidade do escrivão. ___________________________________________
___________________________________________
Exercícios ___________________________________________
01. O réu foi interrogado numa sexta-feira, estando seu ___________________________________________
defensor constituído presente ao ato, tendo ambos saído ___________________________________________
intimados do prazo de 3 dias para oferecimento de defesa ___________________________________________
prévia. Nesse caso, considerando que não há feriados na ___________________________________________
semana seguinte, o prazo terá início na: ___________________________________________
a) Sexta-feira e terminará na quinta-feira. ___________________________________________
___________________________________________
b) Sexta-feira e terminará no domingo.
___________________________________________
c) Sexta-feira e terminará na segunda-feira. ___________________________________________
d) Segunda-feira e terminará na quarta-feira. ___________________________________________
e) Segunda-feira e terminará na quinta-feira. ___________________________________________
___________________________________________
Gabarito
___________________________________________
01 - D ___________________________________________
Anotações: ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
___________________________________________ ___________________________________________
4 Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com fins comerciais ou
não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.

Você também pode gostar