Você está na página 1de 10

01. Um caminhão, com massa total de 10.

000 kg, está percorrendo uma curva


circular plana e horizontal a 72 km/h (ou seja, 20 m/s) quando encontra uma
mancha de óleo na pista e perde completamente a aderência. O caminhão encosta
então no muro lateral que acompanha a curva e que o mantém em trajetória
circular de raio igual a 90 m. O coeficiente de atrito entre o caminhão e o muro vale
0,3. Podemos afirmar que, ao encostar no muro, o caminhão começa a perder
velocidade à razão de, aproximadamente. Se a velocidade do veículo está acima da
permitida, o computador envia um sinal para que a câmera fotografe sua placa
traseira no momento em que esta estiver sobre a linha tracejada.

a) 0,07 m . s-2

b) 1,3 m . s-2

c) 3,0 m . s-2

d) 10 m . s-2

e) 67 m . s-2

02. A figura abaixo mostra o esquema simplificado de um dispositivo colocado em


uma rua para controle de velocidade de automóveis (dispositivo popularmente
chamado de radar)

Os sensores S1 e S2 e a câmera estão ligados a um computador. Os sensores


enviam um sinal ao computador sempre que são pressionados pelas rodas de um
veículo. Para um certo veículo, os sinais dos censores foram os seguintes:

a) determine a velocidade do veículo em km/h


b) calcule a distância entre os eixos do veículo

a) v = 75 km/h ; = 3,1 m

b) v = 72 km/h ; = 3,0 m

c) v = 70 km/h ; = 2,9 m
d) v = 73 km/h ; = 2,9 m

e) v = 74 km/h ; = 3,0 m

03. As histórias de super-heróis estão sempre repletas de feitos incríveis. Um


desses feitos é o salvamento, no último segundo, da mocinha que cai de uma
grande altura. Considere a situação em que a desafortunada caia, a partir do
repouso, de uma altura de 81,0 m e que nosso super-herói a intercepte 1,0 m
antes de ela chegar ao solo, demorando 0,05 s para detê-la, isto é, para anular sua
velocidade vertical. Considere que a massa da mocinha é de 50 kg e despreze a
resistência do ar.
a) calcule a força média aplicada pelo super-herói sobre a mocinha, para detê-la
b)uma aceleração 8 vezes maior que a gravidade (8g) é letal para um ser humano.
Determine quantas vezes a aceleração à qual a mocinha foi submetida é maior que
a aceleração letal.
.
a) F = 40400 N ; + 20
.
b) F = 40300 N ; +10
.
c) F = 40500 N ; -10
.
d) F = 40600 N ; -20
.
e) F = 40700 N ; -20

04. Dois móveis, (1) e (2), partem do repouso de um mesmo ponto e passam a se
mover na mesma estrada. . O móvel (2) no entanto, parte 3,0s depois do móvel
(1). A figura abaixo representa, em gráfico cartesiano, como suas velocidades
escalares variam em função do tempo durante 18s a contar da partida do móvel
(1).

a) calcule as acelerações escalares dos móveis (1) e (2) depois de iniciados os seus
movimentos.
b) verifique se, até o instante t = 18 s, o móvel (2) conseguiu alcançar o móvel(1).

a) 2,0 m/s2 e 1,5 m/s2 ; não

b) 1,5 m/s2 e 2,0 m/s2 ; sim

c) 1,3 m/s2 e 1,7 m/s2 ; não

d) 1,5 m/s2 e 2,0 m/s2 ; não

e) 2,0 m/s2 e 1,5 m/s2 ; sim

05. O gráfico abaixo descreve o deslocamento vertical y, para baixo, de um surfista


aéreo de massa igual a 75kg, em função do tempo t. A origem y = 0, em t = 0, é
tomada na altura do salto. Nesse movimento, a força R de resistência do ar é
proporcional ao quadrado da velocidade v do surfista (R = kv2, onde k é uma
constante que de pende principalmente da densidade do ar e da geometria do
surfista). A velocidade inicial do surfista é nula; cresce com o tempo, por
aproximadamente 10s, e tende para uma velocidade constante denominada
velocidade limite (vL)

Determine:
a) o valor da velocidade limite vL
b) o valor da constante k no S1
c) a aceleração do surfista quando sua velocidade for metade da velocidade limite

a) 40 m/s ; k = 0,28 (SI) ; 6,5 m/s2

b) 30 m/s ; k= 0,20 (SI) ; 6,0 m/s2

c) 45 m/s ; k = 0,35 (SI) ; 7,0 m/s2

d) 48 m/s ; k = 0,29 (SI) ; 8,0 m/s2

e) 50 m/s ; k = 0,30 (SI) ; 7,5 m/s2

06. Uma onda eletromagnética propaga-se no ar com velocidade praticamente


igual à luz no vácuo (c = 3 x 108 m/s), enquanto o som propaga-se no ar com
velocidade aproximada de 330 m/s. Deseja-se produzir uma onda audível que se
propague no ar com o mesmo comprimento de onda daquelas utilizadas para
transmissões de rádio em freqüência modulada (FM) de 100 MHz (100 x 106 Hz). A
freqüência da onda audível deverá ser aproximadamente de:

a) 110 Hz

b) 1.033 Hz

c) 11.000 Hz

d) 108 Hz

e) 9 x 1013 Hz

07. Um disco de raio r gira com velocidade angular constante. Na borda do disco,
está presa uma placa fina de material facilmente perfurável. Um projétil é
disparado com velocidade v em direção ao eixo do disco, conforme mostra a figura,
e fura a placa no ponto A. Enquanto o projétil prossegue sua trajetória sobre o
disco, a placa gira meia circunferência, de forma que o projétil atravessa mais uma
vez o mesmo orifício que havia perfurado. Considere a velocidade do projétil
constante a sua trajetória retilínea. O módulo da velocidade v do projétil é:
a)

b)

c)
d)
e)

08. Uma criança montada em um velocipede se desloca em trajetoria retilílea, com


velocidade constante em relação ao chão. A roda dianteira descreve uma volta
completa em um segundo. O raio da roda dianteira vale 24 cm, e o das traseiras 16
cm. Podemos afirmar que as rodas traseiras completaram uma volta em
aproximadamente:

a) 1/2s

b) 2/3s

c) 1s

d) 3/2s

e) 2s

09. Na figura estão representadas as velocidades, em função do tempo,


desenvolvidas por um atleta, em dois treinos A e B, para uma corrida de 100m
rasos.

Com relação aos tempos gastos pelo atleta para percorrer os 100m, podemos
afirmar que, aproximadamente,

a) no B levou 0,4s a menos que no A


b) no B levou 1,0s a menos que no A

c) no A levou 0,4s a menos que no B

d) no A levou 1,0 s a menos que no B

e) no A e no B levou o mesmo tempo

10. Algo muito comum nos filmes de ficção científica é o fato de os personagens
não flutuarem no interior das naves espaciais. Mesmo estando no espaço sideral,
na ausência de campos gravitacionais externos, eles se movem como se existisse
uma força que os prendesse ao chão das espaçonaves. Um filme que se preocupa
com esta questão é 2001, uma Odisséia no Espaço, de Stanley Kubrick. Nesse filme
a gravidade é simulada pela rotação da estação espacial, que cria um peso efetivo
agindo sobre o astronauta. A estação espacial, em forma de cilindro oco, mostrada
abaixo, gira com a velocidade angular constante de 0,2 rad/s em torno de um eixo
horizontal E perpendicular à página. O raio R da espaçonave é 40 m.

a) calcule a velocidade tangencial do astronauta representado na figura.


b) determine a força de reação que o chão da espaçonave aplica no astronauta que
tem massa m=80 kg.

a) v = 8 m/s ; N = 128N

b) v = 6 m/s ; N = 124N

c) v = 7 m/s ; 126N

d) v = 9 m/s ; N = 130N

e) v = 8 m/s ; 126N

11. Dois trens A e B fazem manobra em uma estação ferroviária deslocando-se


paralelamente sobre trilhos retilíneos. No instante t = 0s eles estão lado a lado. O
gráfico representa as velocidades dos dois trens a partir do instante t = 0s até t =
150s, quando termina a manobra.
A distância entre os dois trens no final da manobra é:

a) 0m

b) 50m

c) 100 m

d) 250 m

e) 500 m

12. A figura abaixo mostra, numa mesma escala, o desenho de um objeto


retangular e sua imagem, formada a 50 cm de uma lente convergente de distância
focal f. O objeto e a imagem estão em planos perpendiculares ao eixo óptico da
lente. Podemos afirmar que o objeto e a imagem

a) estão do mesmo lado da lente e que f = 150 cm

b) estão em lados opostos da lente e que f = 150 cm

c) estão do mesmo lado da lente e que f = 37,5 cm

d) estão em lados opostos da lente e que f = 37,5 cm

e) podem estar tanto do mesmo lado como em lados opostos da lente e que f =
37,5 cm

13. Um automóvel trafega com velocidade constante de 12 m/s por uma avenida e
se aproxima de um cruzamento onde há um semaforo com fiscalização eletrônica.
Quando o automóvel se encontra a uma distância de 30 m do cruzamento, o sinal
muda de verde para amarelo. O motorista deve decidir entre parar o carro antes de
chegar ao cruzamento ou acelerar o carro e passar pelo cruzamento antes de o
sinal mudar para vermelho. Este sinal permanece amarelo por 2,2 s. O tempo de
reação do motorista (tempo decorrido entre o momento em que o motorista vê a
mudança de sinal e o momento em que realiza a ação) é 0,5 s.
a) determine a mínima aceleração constante que o carro deve ter
para parar antes de atingir o cruzamento e não ser multado
b) calcule a menor aceleração constante que o carro deve ter para
passar pelo cruzamento sem ser multado. Aproxime 1,72 = 3,0.

a) 2,4 m/s2 ; 3,0 m/s2

b) 2,9 m/s2 ; 2,5 m/s2

c) 3,0 m/s2 ; 2,4 m/s2

d) 3,5 m/s2 ; 3,0 m/s2

e) 3,3 m/s2 ; 2,7 m/s2

14. Uma pessoa puxa um caixote, com uma força F, ao longo de uma rampa
inclinada de 30° com a horizontal, conforme a figura, sendo desprezível o atrito
entre o caixote e a rampa. O caixote, de massa m, desloca-se com velocidade v
constante, durante um certo intervalo de tempo . Considere as seguintes
afirmações:
I O trabalho realizado pela força F é igual a F v
II o trabalho realizado pela força F é igual a m g v /2
III A energia potencial gravitacional varia de m g v /2

a) III

b) I e II

c) I e III

d) II e III

e) I, II e III

15. A figura representa uma roda-gigante que gira com velocidade angular
constante em torno do eixo horizontal fixo que passa por seu centro C.

Numa das cadeiras há um passageiro, de 60 kg de massa, sentado sobre uma


balança de mola (dinamômetro), cuja indicação varia de acordo com a posição do
passageiro. No ponto mais alto da trajetória o dinamômetro indica 234N e no ponto
mais baixo indica 954N. Considere a variação do comprimento da mola desprezível
quando comparada ao raio da roda.

Calcule o valor da aceleração local da gravidade.


a) 7,9 m/s2

b) 9,7 m/s2

c) 8,9 m/s2

d) 9,9 m/s2

e) 9,8 m/s2

16. As velocidades de crescimento vertical de duas plantas A e B, de espécies


diferentes, variaram, em função do tempo decorrido após o plantio de suas
sementes, como mostra o gráfico.

É possível afirmar que:

a) A atinge uma altura maior do que B

b) B atinge uma altura final maior do que A

c) A e B atingem a mesma altura final

d) A e B atingem a mesma altura no instante t0.

e) A e B mantêm altura constante entre os instantes t1 e t2.

17. Um carrinho é largado do alto de uma montanha russa, conforme a figura. Ele
se movimenta sem atrito, e sem soltar-se dos trilhos, até atingir o plano horizontal.
Sabe-se que os raios de curvatura da pista em A e B são iguais. Considere as
seguintes informações:
I - no ponto A, a resultante das forças que agem sobre o carrinho é dirigida para
baixo.
II - a intensidade da força centrípeta que age sobre o carrinho é maior em A do que
em B.
III - No ponto B, o peso do carrinho é maior do que a intensidade da força normal
que o trilho exerce sobre ele

Está correto apenas o que se afirma em:

a) I

b) II
c) III

d) I e II

e) II e III

18. Duas pequenas esferas de aço são abandonadas a uma mesma altura h do
solo. A esfera (1) cai verticalmente. A esfera (2) desce uma rampa inclinada 30°
com a horizontal, como mostra a figura

Considerando os atritos desprezíveis, calcule a razão t1/t2 entre os tempos gastos


pelas esferas (1) e (2) respectivamente, para chegarem ao solo.

a) 1/2

b) 1/3

c) 1/4

d) 1/5

e) 2/3

19.

O gráfico abaixo representa, em função do tempo, a altura em relação ao chão de


um ponto localizado na borda de uma das rodas de um automóvel em movimento.
Aproxime Considere uma volta completa da roda e determine:

a) a velocidade angular da roda


b) a componente vertical da velocidade média do ponto em relação ao chão
c) a componente horizontal da velocidade média do ponto em relação ao chão

a)

b)

c)

d)
20. "Erro na NASA pode ter destruído sonda" (Folha de S. Paulo, 01/10/1999)
Para muita gente, as unidades em problemas de Física representam um mero
detalhe sem importância. No entanto, o descuido ou a confusão com unidades pode
ter consequências catastróficas, como aconteceu recentemente com a NASA. A
agência espacial americana admitiu que a provável causa da perda de uma sonda
enviada a Marte estaria relacionada com um problema de conversão de unidade.
Foi fornecido ao sistema de navegação da sonda o raio de sua órbita em metros,
quando, na verdade, este valor deveria estar em pés. O raio de uma órbita circular
segura para a sonda seria r = 2,1 x 105m, mas o sistema de navegação interpretou
esse dados como sendo em pés. Como o raio da órbita ficou menor, a sonda
desintegrou-se devido ao calor gerado pelo atrito com a atmosfera marciana.
a) calcule, para essa órbita fatídica, o raio em metros.
Considere 1 pé = 0,30 m
b) Considerando que a velocidade linear da sonda é inversamente proporcional ao
raio da órbita, determine a razão entre as velocidades lineares na órbita fatídica e
na órbita segura.

a) r' = 6,1 . 104 m ; v'/v = 10/3

b) r' = 6,3 . 104m ; v'/v = 12/3

c) r' = 6,3 . 104 m ; v'/v = 10/3

d) r' = 6,1 . 104 m ; v'/v = 8/3

e) r' = 6,1 . 104 m ; v'/v = 9/3

01 - B 02 - B 03 - C 04 - D 05 - E

06 - A 07 - B 08 - B 09 - C 10 - D

11 - D 12 - D 13 - C 14 - E 15 - D

16 - B 17 - E 18 - A 19 - D 20 - C