Você está na página 1de 29

ORGANIZAÇÕES

INTERNACIONAIS

Prof. Maria de Lourdes Monteiro


Albertini
Teoria Geral das Organizações
Internacionais
O Sociedade internacional – reconhecida para lidar
com questões de ordem e caos
O Parte da ideia de que existe uma estrutura
socialmente organizada que estabelece regras
O O direito é o elemento que une os membros de uma
comunidade, ao aderirem a valores e critério
estabelecidos.
O O direito reflete os ideais de uma determinada
sociedade.
O No caso do Direito Internacional o principal sujeito é
o Estado soberano
O Portanto, não há coerção. Há cooperação e
constrangimento
Teoria Geral das Organizações
Internacionais
O Regime internacional é um conjunto de princípios, normas,
regras e procedimentos destinados a resolver um conjunto
de questões em uma determinada área temática das
relações internacionais para a qual convergem as
expectativas dos atores internacionais

O KRASNER: Definição de Regime: Conjunto de princípios,


normas, regras e procedimentos decisórios em torno cós
quais as expectativas dos atores convergem.
O Princípios: idéias gerais sobre como o mundo funciona
O Normas: estabelecem as obrigações e os direitos dos
atores
O Regras: prescrições específicas de ações
(procedimental)
O -
Teoria Geral das Organizações
Internacionais II
O Quando os princípios e as regras
mudam, a natureza do regime muda.
O - Em alguns casos os Regimes produzem
OIs.
O * Quanto maior a expectativa difundida no
sistema de que todos (ou quase todos)
irão respeitar a regra, maior a
possibilidade de que as regras sejam
respeitadas -> reciprocidade difusa.
O -
Teoria Geral das Organizações
Internacionais II
O Quando os princípios e as regras
mudam, a natureza do regime muda.
O - Em alguns casos os Regimes produzem
OIs.
O * Quanto maior a expectativa difundida no
sistema de que todos (ou quase todos)
irão respeitar a regra, maior a
possibilidade de que as regras sejam
respeitadas -> reciprocidade difusa.
O -
Teoria das Organizações
Internacionais
Por que os Estados criam OI’s?
O para ajudar na estabelecer uma ordem
internacional e um conjunto de acordos
políticos. É uma forma de preservação de
poder.
O Visão institucionalista – os Estados criam
instituições para tentar produzir
cooperação, superar problemas a partir
de uma escolha coletiva. Visa ganhos
mútuos
Teoria das Organizações
Internacionais
Institucionalismo
O Problema central : Condições para a emergência,
efetividade e transformação de instituições
internacionais.
O Problemas só existem quando se torna a perspectiva
de vários atores em uma interação estratégica.
O Instituições são criadas para resolver os problemas
de interação entre os atores, através de
monitoramento/enforcement. – (Os custos são
menores do que os benefícios advindos das
interações).
O Estrutura institucional é fruto da diversidade de
interesses e da distribuição relativa de recursos de
poder em uma circunstância específica.
Teoria das Organizações
Internacionais
Construtivismo
Ruggie

O Poder não pode ser entendido fora do propósito


social
O As preferências dos atores são construídas
socialmente
O Definição: Constituem as preferências dos atores
porque elas não são externas a eles.
O Regras se tornam princípios generalizados de
conduta.
AS OIG’s
O Forma mais institucionalizada de se realizar a cooperação, por possuírem
certos aparatos como normas, regras, leis, procedimentos para a resolução
de disputas.
O 2 características que levam os Estados a agirem via Organização
Internacional:
O Centralização -> das atividades coletivas. Maior eficiência
O Independência -> estabilidade de agir autonomamente e a capacidade
de manter-se neutra.
O Autonomia
O Neutralidade

O Centralização e Independência tem efeitos políticos maiores do que mera


eficiência.
O
O Independência -> permite que a OI alcance entendimentos, influencie os
termos da interação entre os Estados, elabora normas e resolva
problemas entre os membros.
O Centralização -> altera a percepção dos Estados em um contexto de
interação.
AS OIG’s I
O As OI proporcionam um ambiente de interação
estável que consegue uma resposta rápida a
eventos.
O Elas moldam o contexto político
O Funções:
O Implementar acordos
O Resolver disputas
O Assistência técnica
O Elaborar normas
O Estados racionais utilizarão das OIs quando o
valor dessas funções superar o custo da ação
unilateral.
O São fóruns onde os Estados podem interagir
melhor.
AS OIG’s II

O Aparato burocrático criado para gerencia regimes.


São uma forma de institucionalização da
cooperação internacional.
O São mecanismos de cooperação entre Estados e
atores.
O Se transformam elas mesmas em atores.
O Contribuem para a gestão e gestação de normas e
regras.
O Efeitos sobre a obediência dos Estados às regras.
O Problemas de Legitimidade:
AS OIG’s III

O Sua legitimação é dada pelos Estados


O Sua legitimação é fruto da sua neutralidade e da sua
capacidade de centralizar agenda.
O Autoridade racional-legal
O São intensivas produtoras de conhecimento.
O Processo decisório:
O Maioria simples -> Menor assimetria de pay-offs
O Maioria Qualificada -> 2/3
O Consenso -> unanimidade (todos tem veto, não reflete a
estrutura de poder no sistema).

O
O Sistema legal Internacional
O Compreende as normas, os processos e
as instituições
O A interação entre esses três elementos
constitui a autoridade, legitimidade e
efetividade do Direito Internacional
O Funciona dentro da aplicação dos
princípios da cooperação e do
constrangimento
O Que são?
O Pessoas jurídicas de Direito Internacional
Público
O Parte da ideia de institucionalização do
Direito Internacional
O Constituídas por um Tratado Internacional
O Governança global (?) (ideia de difusão de
autoridade)
O Parte do princípio da cooperação
O Criam estruturas normativas – legitimidade
para criar normas e regras
Os ideais de
institucionalização
O Direito Internacional fundamentalmente
interestatal (1648 – 1918) – foco nas
relações entre Estados - fortalecimento da
soberania estatal
O 1919 marco histórico fundamental –
criação da Liga das Nações
O Fortalecimento dos valores humanos
relativisando os valores meramente
estatais – Louis Henkin
Características das
Organizações Internacionais
Governamentais (OIG’s)
O Constituídas por tratados internacionais –
regidas pelo pacta sunt servanda – que
tornam-se seus estatutos porque
estabelecem direitos e obrigações
O tem personalidade jurídica distinta dos seus
membros (são sujeitos de direito
Internacional)
O Possuem órgãos de caráter permanente
distintos e independentes dos seus membros
O Primam pelos seus interesses e pelos
interesses coletivos
O Gozam de imunidades e privilégios
necessários para o exercício de suas funções
Características das
Organizações Internacionais
Governamentais (OIG’s) II
O Possuem processo decisório próprio, pois
legitimado pelo tratado constitutivo e
assinatura de seus membros ou por
deliberações multilaterais em foruns e
assembleias.
O Os órgãos deliberativos podem ou não conter
a participação de todos os membros da
organização
O O descumprimento das obrigações
assumidas levam a consequencias diversas
tais como um sistema de sanções (suspensão
de direitos e exclusão dos quadros da
organização)
Características das
Organizações Internacionais
Governamentais (OIG’s) III
O O quadro de funcionários se
caracterizam por serem funcionários
públicos de direito internacional a serviço
da organização e desvinculados dos seus
interesses nacionais (são chamados de
paradiplomáticos)
TIPOS
Pelos seus membros:
O Podem ser intergovernamentais (OIG’s)
ou não governamentais (ONG’s)
O As ONG’s se caracterizam por serem
constituídas por indivíduos – é a
sociedade civil organizada
O OIG’s – são organizações interestatais –
instituídas pelos Estados e para os
Estados
TIPOS II
Pelo seu alcance:

O Globais
O Regionais

Pela área de atuação:


O Política
O Econômica
O Segurança
O Epistêmica
O Jurisdicional
Organizações Internacionais
com vocação universal
Princípios:
O Proibição do uso da força – solução
pacífica de conflitos
O Segurança coletiva (“Uniting for peace” –
Manter a paz e a segurança
internacionais)
O Princípio da igualdade soberana de todos
os países
O Autodeterminação dos povos
Organizações Internacionais
regionais
O Fim da Guerra Fria
O Grande crescimento dessas instituições
como forma de gerar paz e segurança,
mas ainda cooperação econômica
O São definidas por delimitação geográfica ,
espaços delimitados, história e cultura
compartilhadas, costumes ou medo.
O São grupos de Estados dispostos a
perseguir os mesmos objetivos relativos
aos espaços compartilhados.
Organizações Internacionais
regionais II
O Podem alcançar todo um espaço continental,
como a Organização da Unidade Africana
(OUA) – hoje União Africana
O Ou partes sub-regionais (ASEAN) –
Associação das Nações do Sudeste Asiático
O Podem incluir todos os países dentro de um
espaço (OSCE – Organização para a
Segurança e cooperação na Europa) ou pode
não incluir todos como no caso da OTAN
(Organização do Tratado do Atlântico Norte)
Organizações Internacionais
regionais II
O As de cunho econômico se pautam em
algumas classificações evolutivas de
integração:
O Área de livre comércio
O União Aduaneira
O Mercado Comum
O Integração econômica e política
Organizações Internacionais
regionais II
O As de cunho econômico se pautam em
algumas classificações evolutivas de
integração:
O Área de livre comércio
O União Aduaneira
O Mercado Comum
O Integração econômica e política
Organizações não
Governamentais
O Sociedade Civil Organizada
O São organizadas em torno de um área
temática específica
O São organismos que reunem informações
e disseminam informações
O Atuam principalmente em áreas como
Direitos Humanos, Paz, Meio Ambiente,
Assistência Humanitária
Organizações não
Governamentais
O Sociedade Civil Organizada
O São organizadas em torno de um área
temática específica
O São organismos que reunem informações
e disseminam informações
O Atuam principalmente em áreas como
Direitos Humanos, Paz, Meio Ambiente,
Assistência Humanitária
Organizações não
Governamentais II
O É uma instituição de Direito Privado, sem
fins lucrativos, que presta serviços de
caráter público
O Segundo Mônica Herz – as ONG’s são a
forma mais institucionalizada de realizar a
a cooperação internacional
O Atuam de forma intensa em cooperação
com as OIG’s
Organizações não
Governamentais III
O Carezia – a ONU em 1959 usou pela
primeira vez a expressão ONG
O Atuação independente dos Estados
O Promoção da filiação entre cidadãos de
muitos países sociedade civil que opera
no âmbito global
O Do ponto de vista doméstico é uma
entidade jurídica de caráter nacional –
porque o instrumento constitutivo é um
ato jurídico de direito interno

Você também pode gostar