Você está na página 1de 41

1.

Considere a operação binária * sobre R, definida por x*y = mx + ny + kxy, onde


m, n e k são números reais dados. Estabeleça as condições sobre m, n e k de
modo que essa operação seja comutativa.

m=n

2. Considere em Z a operação * definida por:


*:ZxZ→Z
(x,y) → x*y = x + y + xy
Verifique a existência do elemento neutro.

Existe elemento neutro e = 0

3. Seja operação binária * definida por: a * b = resto da


divisão de a + b por 3. A partir dela podemos dizer que 15 *
(-2) é:

4. O conjunto dos números reais e a operação multiplicação, possuem estrutura de


grupo. Nestas condições, a propriedade que garante que seja um grupo abeliano
é:

Comutativa.

5. Seja operação binária * definida por: a * b = resto da


divisão de a + b por 4. A partir dela podemos dizer que 16 *
4 é:

0
6.

7.

Existe elemento neutro e = 0

8. O conjunto R dotado da operação * tal que x ⋆ y=x+y2 é


um grupo ?

Não, pois a propriedade associativa não foi verificada.

1. Calcule o produto 259 . 371 considerando o conjunto Z11.

48

2. Considere a tábua incompleta da operação * sobre o conjunto G = {a, b, c, d, e}


e as seguintes afirmações:

(I) e * x = x = x * e, para todo x.


(II) a * x = a = x * a, para todo x.

(III) x * x = e, para todo x diferente de a.

(IV) b * d = c;

(V) b, c, d são regulares.

Marque a alternativa que indica o elemento que está faltando para a tábua ficar
completa.

3. Considere o conjunto (Z8, +). Marque a alternativa que


indica a solução da equação x + 5 = 3.

-2

4. Calcule o produto (27).(45) considerando Z10.

35
10

5. Determine o elemento neutro da operação x * y = x + y -


¯22¯ em Z3.

e= ¯¯¯¯¯−1-1¯
e = ¯¯¯¯¯−2-2¯
e = ¯11¯
e = ¯22¯
e = ¯33¯

6. A tábua abaixo com a operação * mostra que o conjunto G =


{e,a,b,c,d,f} é um grupo. A partir da tábua encontre a solução da
equação axb-1 = d , onde x é um elemento de G.

x=f
x=d

x=c

x=a

x=b
7. Marque a alternativa que indica a tábua da operação * sobre o conjunto A = {1, i,
-1, -i}, definida por x * y = xy.
8.

e = f1

1. Seja (Z6, +) um grupo. Verifique se H = {0,2,3,4} é um


subgrupo de
(Z6, +).

H não é subgrupo de (Z6, +).


H é subgrupo de (Z6, +).
H não é subgrupo de (Z6, +), pois H não é um subconjunto de (Z6, +).
H é um subconjunto de (Z6, +), pois foi verificada a soma 2 + 3 = 5 em Z6.
H não é subgrupo de (Z6, +), pois o elemento neutro de Z6 não é elemento de H.

2. Considere o grupo (Z*7, .) e a = 5. Determine a2 .

25

3. Podemos verificar de maneira mais simples a existência


de subgrupo através de uma proposição. Marque a
alternativa que apresenta corretamente essa
proposição.

Seja H um subconjunto não vazio de um grupo G. Então H é um subgrupo de G se é satisfeita


a seguinte propriedade: ∀∀ h1,h2 ∈∈H, temos h1h2 ∈∈H.
Seja H um subconjunto não vazio de um grupo G. Então H é um subgrupo de G se, e
somente se, é satisfeita a seguinte propriedade: Para todo h ∈∈ H, ∃∃ h ∈∈H, tal
que h ∈∈H.
Seja H um subconjunto não vazio de um grupo G. Então H é um subgrupo de G se, e
somente se, são satisfeitas as seguintes propriedades:
∀∀ h1,h2 ∈∈H, temos h1h2 ∈∈H e
∀∀ h ∈∈ H, ∃∃ h ∈∈H, tal que h ∈∈H.
Então H é um subgrupo de G se é satisfeita a seguinte propriedade:
∀∀ h ∈∈ H, ∃∃ h ∈∈H, tal que h ∈∈H.
Seja H um subconjunto não vazio de um grupo G. Então H é um subgrupo de G se, e
somente se, é satisfeita a seguinte propriedade: Para
todo h1,h2 ∈∈ H temos h1h2 ∈∈ H.

4. Considere o grupo (Z,+) e a = 4. Determine a2.

16

5. Seja (Z, *) um grupo onde a operação * é definida por a * b = a


+ b - 3. Considere o subconjunto 3Z = {3X / x ∈∈ Z}. Verifique se
(3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).

Considerando t e u dois elementos de 3Z, onde t = 3x e u = 3y, temos:


t*u = (3x)*(3y) = 3x+3y -3 = 3(x + y -1). Logo, t*u ∈∈ 3Z.
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).

Considerando t e u dois elementos de 3Z, onde t = 3x e u = 3y, temos:


t*u = (3x)*(3y) = 3x+3y -3 = 3(x + y -1). Logo, t*u ∉∉ 3Z.
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).
Considerando t e u dois elementos de 3Z, onde t = 3x e u = 3y, temos:
t*u = (3x)*(3y) = 3x+3y = 3(x + y). Logo, t*u ∈∈ 3Z.
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).
Seja t um elemento de 3Z, onde t = 3x.t-1 = 6 - t = 6 - 3x = 3(2 - x). Logo, t-1 ∈∈3Z
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).
Considerando t e u dois elementos de 3Z, onde t = 3x e u = 3y, temos:
t*u = (3x)*(3y) = 3x+3y -3 = 3(x + y -1). Logo, t*u ∈∈ 3Z.
Seja t um elemento de 3Z, onde t = 3x.t-1 = 6 - t = 6 - 3x = 3(2 - x). Logo, t-1 ∈∈3Z.
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).

6. Considere as seguintes afirmações:

(I) 3Z é subgrupo de 6Z.


(II) 2Z + 1 dos inteiros ímpares não é subgrupo do grupo
(Z, +).
(III) (Q, +) é um subgrupo de (R, +)
(IV) (Z, +) não é um subgrupo de (Q, +)

Podemos concluir que

As afirmações I e III são falsas

A afirmação I é verdadeira

As afirmações I e II são verdadeiras

As afirmações II e III são verdadeiras

As afirmações III e IV são falsas

7. Questão 6: Considere o grupo (Z10,+). Determine


um subgrupo gerado pelo elemento 4.

[4] = {2,4,8,0}

[4] = {2,4,6,10}

[4] = {2,4,6,8}

[4] = {2,4,6,8,0}

[4] = {4,6,8,0}

8. Considere o grupo (Z10,+). Determine o subgrupo gerado


pelo elemento 3.

Z10 = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9}.

1.

3+H

H+H

2+H

1+H

2.

O elemento neutro do grupo quociente G/H é o 2 + H


O elemento neutro do grupo quociente G/H é o H
O elemento neutro do grupo quociente G/H é o H + H
O elemento neutro do grupo quociente G/H é o 3 + H
O elemento neutro do grupo quociente G/H é o 1 + H
3. Considere (Z6, +) um grupo comutativo e H =
{0,3} subgrupo de (Z6, +).
Determine o número de classes laterais.

4. Considere o grupo aditivo (Z6,+) e N = {0,3} um


subgrupo de G. Determine as classes laterais de N em G.

G/N = {0 + N, 1 + N, 2 + N}
G/N = {1 + N, 2 + N, 3 + N}
G/N = {0 + N, 4 + N, 5 + N}
G/N = {0 + N, 2 + N, 3 + N}
G/N = {1 + N, 3 + N, 4 + N}

5. Se G é um grupo finito e H um subgrupo de G, então:

Grupos finitos não têm subgrupos.

H é cíclico

A ordem de G divide a ordem de H.

A ordem de H divide a ordem de G.

A ordem de H é um múltiplo da ordem de G.

6. Considere o Teorema de Lagrange:


Seja H um subgrupo de um grupo finito G, então a O(G) =
(G:H).O(H). Ou seja, o Teorema mostra que a ordem de
H, O(H), é um divide a ordem de G, O(G), e O(G) =
(G:H).O(H).
Marque a alternativa que apresenta a demonstração correta
do Teorema.
Suponhamos que (G:H) = r e seja {a1H, a2H, ..., arH} o conjunto de todas as classes
laterais à esquerda módulo H. Então a1H U a2H U ... U arH = G , já que a união de todas
as classes laterais módulo H é igual a G. Logo (G:H).o(H) = o(G) ou o(H)/o(G).
Suponhamos que (G:H) = r e seja {a1H, a2H, ..., arH} o conjunto de todas as classes
laterais à esquerda módulo H. Então a1H U a2H U ... U arH = G , já que a união de todas
as classes laterais módulo H é igual a G. Como cada elemento de G figura em uma única
dessas classes e como o número de elementos de cada classe é o(H), temos então que
r.o(H) = o(G), mas r = (G:H). Logo (G:H).o(H) = o(G) ou o(H)/o(G).
Suponhamos {a1H, a2H, ..., arH} o conjunto de todas as classes laterais à esquerda
módulo H. Então a1H U a2H U ... U arH = G , já que a união de todas as classes laterais
módulo H é igual a G. Temos então que r.o(H) = o(G), mas r = (G:H). Logo (G:H).o(H)
= o(G) ou o(H)/o(G).
Suponhamos que (G:H) = r e seja {a1H, a2H, ..., arH} o conjunto de todas as classes
laterais à esquerda módulo H. Como cada elemento de G figura em uma única dessas
classes e como o número de elementos de cada classe é o(H), temos então que o(H) =
o(G). Logo (G:H).o(H) = o(G) ou o(H)/o(G).
Suponhamos que (G:H) = r . Então a1H U a2H U ... U arH = G , já que a união de todas as
classes laterais módulo H é igual a G. Como cada elemento de G figura em mais de uma
vez nessas classes e como o número de elementos de cada classe é o(H), temos então que
r.o(H) = o(G), mas r = (G:H). Logo (G:H).o(H) = o(G) ou o(H)/o(G).

7. Considere o grupo multiplicativo G = {1, i, -1, -i} e


H = {1, -1} subgrupo de G. Marque a alternativa que
indica as classes laterais G.

{1, -1} , {i, - i}


{1, -1}, {i, - i}, {1, - i}
{i, - i}
{1, -1}, {i, - i}, {i, -1}
{1, -1}, {i, - i}, {i, -1}, {-1, -1}

8. Sejam G um grupo e H,J subrgrupos normais de G. Podemos afirmar que:

H∩J é um subgrupo normal de G.

1. Seja A um anel e f uma função definida de A em A onde f(x) = x. Determine o


núcleo de f.

N(f) = {1}

N(f) = {4}

N(f) = {0}
N(f) = {3}

N(f) = {2}

2. Marque a alternativa correta.

Seja f: A → B tal que f(a) = a. f não é um homomorfismo de anel.


Seja f: Z → Z tal que f(x) = -x. f é um homomorfismo de anel.
Seja f: A → B tal que f(a) = 0. f é um homomorfismo de anel.
Seja f: Z → Z tal que f(x) = 2x. f é um homomorfismo de anel.
Seja f: Z x Z → Z tal que f(x,y) = x. f não é um homomorfismo de anel.

3.

(12342413)(12342413)
(12344213)(12344213)
(12343241)(12343241)
(12341432)(12341432)
(12343124)(12343124)

4.

(12342314)(12342314)
(12343241)(12343241)
(12343124)(12343124)
(12341432)(12341432)
(12344213)(12344213)

5.

(12344213)(12344213)
(12341432)(12341432)
(12342413)(12342413)
(12343124)(12343124)
(12343241)(12343241)

6. Considere G = ZxZ com a seguinte operação adição:


(a,b) + (c,d) = (a + c, b + d). f: G →G, f(x,y) = (0,3x + 5y)
é um homomorfismo, determine seu núcleo.

N(f) = {(x,y) ∈∈ RxR / 3x + y = 0}


N(f) = {(x,y) ∈∈ RxR / 3x - 5y = 0}
N(f) = {(x,y) ∈∈ RxR / 3x + 5y = 0}
N(f) = {(x,y) ∈∈ RxR / x + y = 0}
N(f) = {(x,y) ∈∈ RxR / x + 5y = 0}

7. Marque a alternativa que indica a definição correta de


homomorfismo de anéis.

Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis. Dizemos que f é um homomorfismo do anel se, e somente
se, são válidas as seguintes condições: f(x + y) = f(x) + f(y) e f(xy) = f(x)f(y).
Sejam (A, +, .) um anel. Dizemos que f é um homomorfismo do anel A se, e somente se, são
válidas as seguintes condições: f(x + y) = f(x) + f(y) e f(xy) = f(x)f(y).
Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis e seja a função f: A → B. Dizemos que f é um
homomorfismo do anel A no anel B se, e somente se, é válida a seguinte condição: f(xy) =
f(x)f(y).
Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis e seja a função f: A → B. Dizemos que f é um
homomorfismo do anel A no anel B se, e somente se, é válida a seguinte condição:
f(x + y) = f(x) + f(y).
Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis e seja a função f: A → B. Dizemos que f é um
homomorfismo do anel A no anel B se, e somente se, são válidas as seguintes condições:
f(x + y) = f(x) + f(y) e f(xy) = f(x)f(y).

8.

N(f) = {1}

1. O conjunto das matrizes (Mn(A), +, .) é um anel. Considerando essa informação


marque a alternativa que indica a existência do elemento simétrico para a adição.

Seja X = [xij] em (Mn(A), +, .), onde xij é um elemento do anel A. Sendo assim, existe o
simétrico -xij que pertence ao anel . Então tomemos - X = [ xij] em (Mn(A)),

então X + (-X) = [xij] + [-xij] = [xij -xij] = [0] = e. Logo, - X = -[ xij] é o simétrico

de X = [xij].

Seja X = [xij] em (Mn(A), +, .), onde xij é um elemento do anel A. Sendo assim, existe o
simétrico -xij que pertence ao anel A tal que xij + (-xij) = (-xij) + xij = 0. Então

tomemos - X = [- xij] em (Mn(A)), então X + (-X) = [xij] + [-xij] = [xij -xij] = [0].

Seja X = [xij] em (Mn(A), +, .), onde xij é um elemento do anel A. Sendo assim, existe o
simétrico -xij que pertence ao anel A tal que xij + (-xij) = (-xij) + xij = 0.

Então tomemos - X = . Logo, - X = [- xij] é o simétrico de X = [xij].

Existe o simétrico -xij que pertence ao anel A tal que xij + (-xij) = (-xij) + xij = 0. Então tomemos -
X = [- xij] em (Mn(A)), então X + (+X) = [xij] + [xij] = [xij + xij] .

Logo, X = [- xij] é o simétrico de X = [xij].

Seja X = [xij] em (Mn(A), +, .), onde xij é um elemento do anel A. Sendo assim, existe o
simétrico -xij que pertence ao anel A tal que xij + (-xij) = (-xij) + xij = 0. Então tomemos - X = [- xij]
em (Mn(A), então X + (-X) = [xij] + [-xij] = [xij -xij] = [0] = e. Logo, - X = [- xij] é o simétrico de X =
[xij].
2.

∀x∈Z,∃(−2−x)∈Z∀x∈ℤ,∃(-2-x)∈ℤ

∀x∈Z,∃(−2+ x)∈Z∀x∈ℤ,∃(-2+ x)∈ℤ

∀x∈Z,∃(1−x)∈Z∀x∈ℤ,∃(1-x)∈ℤ

∀x∈Z,∃(−1−x)∈Z∀x∈ℤ,∃(-1-x)∈ℤ

∀x∈Z,∃(2+ x)∈Z∀x∈ℤ,∃(2+ x)∈ℤ

Gabarito
Coment.

3. Encontre a solução do sistema de equações determinado pela equações 3x+2y=1


e 4x+6y=2 no Anel Z7 .

X= 2 e y=4

X= 5 e y=6

X= 3 e y=3

X= 2 e y=2

X= 2 e y=3

4. Com as operações induzidas pelas operações de Z, identifique o anel que não


possui elemento neutro para a operação de multiplicação usual:

Zn

Z_

nZ

Q
5.

O elemento neutro desse anel é

e = -2
e = -1

e=1

e=2

e=0

6. Marque a alternativa correta que apresenta o elemento neutro do


anel (Q,*, ΔΔ) com as operações definidas por:

a*b=a+b-1

a ΔΔb = a + b - ab

e=5

e=1

e=2

e=4

e=3
7.

e = -1

e=2

e=1

e=0

e = -2

8. Com as operações induzidas pelas operações de Z, identifique o anel que não


possui elemento neutro para a operação de multiplicação usual:

nZ

1. Indique nas alternativas abaixo a unidade do anel


(Zm,+, .) para m ≥ 2 onde m é um elemento do
conjuntos dos inteiros.

¯33¯
¯11¯
¯44¯
¯55¯
¯22¯
Gabarito
Coment.

2. A Professora Ana definiu múltiplo de um anel e


apresentou a seguinte proposição sobre o assunto
estudado:
Seja A um anel, a,b∈Aa,b∈A e m∈Zm∈ℤ temos: m(a
+ b) = ma + mb
Ela fez a demonstração dessa proposição por
indução.
Marque nas alternativas abaixo a demonstração
correta.

Seja A um anel, a,b∈Aa,b∈A e m∈Zm∈ℤ.


Por indução sobre m verificamos que:
Para m = 1 temos 1(a + b) = 1a + 1b a propriedade é verdadeira.
Agora vamos considerar verdadeiro para m = k ≥ 1.
k(a + b) = ka + kb
Vejamos que é válido para m = k + 1.
(k + 1)(a + b) = ka + kb + 1a + 1b.
Seja A um anel, a,b∈Aa,b∈A e m∈Zm∈ℤ.
Por indução sobre m verificamos que:
Para m = 1 temos 1(a + b) = 1a + 1b a propriedade é verdadeira.
Agora note que é válido para m = k + 1.
(k + 1)(a + b) = ka + kb + 1a + 1b.
Seja A um anel, a,b∈Aa,b∈A e m∈Zm∈ℤ.
Por indução sobre m verificamos que para m = k ≥ 1 temos
k(a + b) = ka + kb
Vejamos que é válido para m = k + 1.
(k + 1)(a + b) = ka + kb + 1a + 1b.
Seja A um anel, a,b∈Aa,b∈A e m∈Zm∈ℤ.
Por indução sobre m verificamos que:
Para m = 1 temos 1(a + b) = 1a + 1b a propriedade é verdadeira.
Agora vamos considerar verdadeiro para m = k ≥ 1.
k(a + b) = ka + kb
Seja A um anel, a,b∈Aa,b∈A e m∈Zm∈ℤ.
Por indução sobre n verificamos que:
Para m = 1 temos 1(a + b) = 1a + 1b a propriedade é verdadeira.
Agora vamos considerar verdadeiro para m = k ≥ 1.
k(a + b) = ka + kb
Vejamos que é válido para m = k + 1.
(k + 1)(a + b) = ka + kb + 1a + 1b.

3. A professora Ana provou uma das propriedades dos anéis para os seus alunos do
Curso de Matemática. Marque a alternativa que apresenta a demonstração correta
da proposição abaixo:
Se (A, + ,⋅ ) é um anel e x∈Ax∈A então - (-x) = x
4. Seja M_2x2 (R) o anel das matrizes 2 por 2 de entradas nos reais. Logo, não
podemos afirmar que:

M_2x2 (R) tem elemento neutro da soma.

M_2x2 (R) tem unidade.

M_2x2 (R) tem divisores de zero

M_2x2 (R) é um anel comutativo.

Nenhuma das anteirores

5. A
A Professora Ana definiu múltiplo de um anel e
apresentou a seguinte proposição sobre o assunto
estudado:
Seja A um anel, a∈Aa∈A e ∀∈Z∀∈ℤ temos:
(m + n)a = ma + na. Ela fez a demonstração dessa
proposição por indução.
Marque nas alternativas abaixo a demonstração
correta.
Seja A um anel, e m,n∈Zm,n∈ℤ .
Por indução sobre n verificamos que para n = k ≥ 1.
(m + k)a = ma + ka
Vejamos que é válido para n = k + 1.
(m + k + 1) = ma + ka + 1a = ma + (ka + 1a) = ma + (k + 1)a.
Seja A um anel, e m,n∈Zm,n∈ℤ .
Por indução sobre n verificamos que:
Para n = 1 temos (m + 1)a = ma + 1a a propriedade é verdadeira.
Agora vamos considerar verdadeiro para n = k ≥ 1.
(m + k)a = ma + ka
Vejamos que é válido para n = k + 1.
(m + k + 1) = ma + ka + 1a = ma + (ka + 1a) = ma + (k + 1)a.
Seja A um anel, e m,n∈Zm,n∈ℤ .
Por indução sobre n verificamos que:
Para n = 1 temos (m + 1)a = ma + 1a a propriedade é verdadeira.
Agora vamos considerar verdadeiro para n = k ≥ 1.
(m + k)a = ma + ka
Seja A um anel, e m,n∈Zm,n∈ℤ .
Para n = 1 temos (m + 1)a = ma + 1a
Agora vamos considerar verdadeiro para n = k ≥ 2.
(m - k)a = ma - ka
Vejamos que é válido para n = k + 1.
(m + k + 1) = ma + ka + 1a = ma + (ka + 1a) = ma + (k + 1)a.
Seja A um anel, e m,n∈Zm,n∈ℤ .
Por indução sobre n verificamos que:
Para n = 1 temos (m + 1)a = ma + 1a a propriedade é verdadeira.
Vejamos que é válido para n = k + 1.
(m + k + 1) = ma + ka + 1a = ma + (ka + 1a) = ma + (k + 1)a.

6. Marque a única alternativa correta sobre os anéis com unidade.

(Q, +, .) não é um anel com unidade.

(Z, +, .) não é um anel com unidade.

O anel (Zm,+, .) é um anel com unidade para m ≥ 2.

(R, + , .) não é um anel com unidade.

(C,+, .) não é um anel com unidade.

7. Identifique o anel abaixo com a soma e produto usuais, que é um anel comutativo
sem unidade.

O conjunto M2(Z) das matrizes 2 × 2

Z+

2Z

8. A Professora Claudia definiu múltiplo de um anel


e apresentou a seguinte proposição sobre o
assunto estudado:
Seja A um anel, a um elemento de A e m,n elementos de Z, m(na) =
(mn)a
Ela fez a demonstração dessa proposição por
indução.
Marque nas alternativas abaixo a demonstração
correta.

Seja A um anel, a um elemento do anel A e m,n elementos de Z..


Por indução sobre n verificamos que:
Para n = 1 temos m(1a) = (m1)a a propriedade é verdadeira.
Agora vamos considerar verdadeiro para n = k ≥ 1.
m(ka) = (mk)a
Vejamos que é válido para n = k + 1.
m((k + 1)a) = m(ka + a) = mka + ma = (mk + m)a = (m(k+1))a.

1. Indique todos os divisores de zero do anel Z15.

2,3,6,8 e 10

3,5,9,10 e 12

3,5,9,10 e 15

5,9,10, e 15

3,5,6,10 e 15

2.

Somente a I e II estão corretas.

Somente a III está correta.

Somente a I está correta.

Somente a II e III estão corretas.

Somente a II está correta.


3. No corpo Z11 resolva a equação x3 = x.

S = {0,1,10}

S = {0,10}

S = {0,2,12}

S = {1,11}

S = {0,1 }

4. Marque a única alternativa correta sobre os subanéis.

(Z,+,.) não é um subanel de (Q,+,.) (R,+,.) (C,+,.).

O conjunto dos números ímpares é um subanel de Z.

Q,+,.) não é um subanel de (R,+,.) e (C,+,.).

O conjunto dos números pares é um subanel Z, pois dado o conjunto S = {2n/ n ∈∈Z}

O conjunto 3Z6 não é um subanel de Z6.

5. Indique, entre as opções abaixo, um exemplo de um anel A e um subanel B, tais


que exista um elemento neutro multiplicativo de A, mas não exista um elemento
neutro multiplicativo de B:

A=Z e B=2Z

A=Q e B=Z3

A=3Z e B=2Z

A=Q e B=Zn

A=Z e B=Zn

Gabarito
Coment.

6. Considere as seguintes afirmações:


(I) 35 é divisor de zero no anel Z54.

(II) 36 é divisor de zero no anel Z54.

(III) Seja B um subanel do anel A. Se o anel A não


possui divisores de zero, então B é um anel
também sem divisores de zero.

(IV) No anel dos inteiros o número 2 é primo, pois


seus divisores são: 1, -1, 2 e -2

Podemos afirmar que:

Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.

Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.

Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.

Somente a afirmativa I é verdadeira.

Somente a afirmativa III é verdadeira.

7. De acordo com a teoria de Subanel verificamos que o conjunto


dos números ímpares não é um subanel de Z. Carlos, aluno do
curso de matemática, desenvolveu uma justificativa para essa
proposição. Marque a alternativa que apresenta corretamente a
justificativa desenvolvida pelo Carlos.

Logo, x - y não pertence ao conjunto S. Concluímos que o conjunto dos números ímpares não é
um subanel de Z.
Dado o conjunto S = {2n + 1/ n∈Zn∈ℤ} veja que:

∀x,y∈S∀x,y∈S e ∀m,n∈S∀m,n∈S, temos x = 2n + 1 e y = 2m + 1

Usando a proposição de subanel, temos:

x - y = 2n - 1 + (2m - 2) = 2n - 1 - 2m - 1 = 2n - 2m = 2(n - m) que é um número par.

Logo, x - y não pertence ao conjunto S. Concluímos que o conjunto dos números ímpares não é
um subanel de Z.
Dado o conjunto S = {2n + 1/ n∈Zn∈ℤ} veja que:

∀x,y∈S∀x,y∈S e ∀m,n∈S∀m,n∈S, temos x = 2n + 1 e y = 2m + 1

Usando a proposição de subanel, temos:

x - y = 2n + 1 - (2m + 1) = 2n + 1 - 2m - 1 = 2n - 2m = 2(n - m) + 1 que é um número par.

Logo, x - y não pertence ao conjunto S. Concluímos que o conjunto dos números ímpares não é
um subanel de Z.
Dado o conjunto S = {2n + 1/ n∈Zn∈ℤ} veja que:

∀x,y∈S∀x,y∈S e ∀m,n∈S∀m,n∈S, temos x = 2n + 1 e y = 2m + 1

Usando a proposição de subanel, temos:

x - y = 2n + 1 - (2m + 1) = 2n + 1 - 2m - 1 = 2n - 2m = 2(n - m) que é um número par.

Logo, x - y não pertence ao conjunto S. Concluímos que o conjunto dos números ímpares não é
um subanel de Z.

Dado o conjunto S = {2n / n∈Zn∈ℤ} veja que:

∀x,y∈S∀x,y∈S e ∀m,n∈S∀m,n∈S, temos x = 2n e y = 2m

Usando a proposição de subanel, temos:

x - y = 2n - (2m ) = 2n + 1 - 2m - 1 = 2n - 2m = 2(n - m) que é um número par.

Logo, x - y não pertence ao conjunto S. Concluímos que o conjunto dos números ímpares não é
um subanel de Z.

8. Qual dos anéis abaixo pode ser definido anel de integridade:

Z14

ZxZ

M2 (iR) (conjunto das matrizes de ordem 2)

Z3

1. Em Z4 = {0,1,2,3}, determine U(Z4) .

U(Z4) = {1,2,3}

U(Z4) = {2,3}

U(Z4) = {0,1,2}

U(Z4) = {0,1,3}
U(Z4) = {1,3}

2. No anel Z4 determine Reg(Z4 ).


Reg(Z4 ) = {1}
Reg(Z4 ) = {1,3}
Reg(Z4 ) = {0,3}
Reg(Z4 ) = {0,1,3}
Reg(Z4 ) = {3}

3. No anel Z4 determine Reg(Z4 ).

Reg(Z4 ) = {0,1,3}

Reg(Z4 ) = {1}

Reg(Z4 ) = {0,3}

Reg(Z4 ) = {3}

Reg(Z4 ) = {1,3}

4. Marque a única afirmação correta.

Todo anel comutativo é um corpo

Todo anel de integridade é um corpo

Todo subanel é um corpo

Todo anel de integridade finito e um corpo

o anel Zn é um corpo para todo n

5. Considere a seguinte proposição: Se K é corpo, então K é anel


de integridade.
Indique a alternativa que apresenta a demonstração correta dessa
proposição.

Por hipótese, temos x e y elementos de K e xy = 0. Suponhamos por absurdo que x = 0 e y = 0.


No entanto, se x ≠ 0 e y ≠ 0, então xy ≠ 0. Isso contradiz a hipótese. Portanto, x = 0 e y
= 0. Logo, K não tem divisores próprios de zero, o que implica que ele é um anel de
integridade.
Por hipótese, temos x e y elementos de K e xy = 0. Suponhamos por absurdo que x ≠ 0 e y ≠ 0.
No entanto, se x ≠ 0 e y ≠ 0, então xy = 0. Isso contradiz a hipótese. Portanto, x = 0 e y
= 0. Logo, K não tem divisores próprios de zero, o que implica que ele é um anel de
integridade.
Por hipótese, temos x e y elementos de K e xy ≠ 0. Suponhamos por absurdo que x ≠ 0 e y ≠ 0.
No entanto, se x ≠ 0 e y ≠ 0, então xy ≠ 0. Isso contradiz a hipótese. Portanto, x = 0 ou y
= 0. Logo, K não tem divisores próprios de zero, o que implica que ele é um anel de
integridade.
Por hipótese, temos x e y elementos de K e xy = 0. Suponhamos por absurdo que x ≠ 0 e y ≠ 0.
No entanto, se x ≠ 0 e y ≠ 0, então xy ≠ 0. Isso contradiz a hipótese. Portanto, x = 0 e y
= 0. Logo, K não tem divisores próprios de zero, o que implica que ele é um anel de
integridade.
Por hipótese, temos x e y elementos de K e xy = 0. Suponhamos por absurdo que x = 0 e y ≠ 0.
No entanto, se x ≠ 0 e y = 0, então xy ≠ 0. Isso contradiz a hipótese. Portanto, x = 0 ou y
= 0. Logo, K não tem divisores próprios de zero, o que implica que ele é um anel de
integridade.

6. Marque a alternativa que indica a definição correta de corpo.

Um Corpo é um anel comutativo com unidade que chamaremos de K. Este anel é denominado corpo se todo elemento
não nulo de K não possuir inverso multiplicativo.
Um Corpo é um anel comutativo com unidade que chamaremos de K. Este anel é denominado corpo se todo elemento
não nulo de K possuir inverso multiplicativo, ou seja, se ∀∀ x ∈∈K, x ≠ 0, então existe x-1 ∈∈K tal que x.x-1 = 1.
Um Corpo é um anel que tem apenas unidade que chamaremos de K. Este anel é denominado corpo se todo elemento
nulo de K possuir inverso multiplicativo, ou seja, se ∀∀ x ∈∈K, x = 0, então existe x-1 ∈∈K tal que x.x-1 = 1.

Um Corpo é um anel comutativo que chamaremos de K. Este anel é denominado corpo se todo elemento nulo de K
possuir inverso multiplicativo, ou seja, se ∀∀ x ∈∈K, x ≠ 0, então existe x-1 ∈∈K tal que x.x-1 = 1.

Um Corpo é um anel comutativo com unidade que chamaremos de K. Este anel é denominado corpo se todo elemento
não nulo de K possuir inverso multiplicativo, ou seja, se ∀∀ x ∈∈K, x ≠ 0, então existe x-1 ∈∈K tal que x.x-1 = 1.

7. Qual dos anéis abaixo não pode ser definido um corpo?

IR

Zp para p primo

8. Determine U(Z12) em Z12.

U(Z12) = {1,5,7,11}

1. Diga , em qual das opções , temos que (I, +,.) é um ideal de anel (A,+, .) :
I=elementos de z não divisores de 100 , A=Z

I=Z , A=Q

I=3Z U 7Z , A=Z

I=3Z , A=z

I={f: IR -> IR/ f(1)+f(2)=0} , A= IRIR

2. Marque a alternativa correta.

Seja I é um ideal do anel A com unidade. Se I contém um elemento inversível


de A, então I ≠ A.
O conjunto dos números pares não é um ideal principal de Z gerado pelo elemento 2.
2Z é um ideal no anel Z.
Seja I = {f: R → R/f(1) + f(2) = 0} e (RR, +, .). I é um ideal do anel (RR, +, .).
Considere um anel (Q, +, .) e I = Z (conjunto dos números pares). Z é um ideal no anel Q.

Gabarito
Coment.

3. Marque a alternativa que indica corretamente a definição de


isomorfismo de anéis.

Um isomorfismo de um anel (A, +, .) em um anel (B, +, .) é uma função f: A → B que é bijetora.


Assim, dizemos que quando existe um isomorfismo entre os anéis A e B, eles são isomorfos.
Portanto, eles têm as mesmas propriedades.
Um isomorfismo de um anel (A, +, .) em um anel (B, +, .) é uma função f: A → B que é um
homomorfismo e é bijetora. Assim, dizemos que quando existe um isomorfismo entre os anéis
A e B, eles são isomorfos. Portanto, eles têm as mesmas propriedades.
Um isomorfismo de um anel (A, +, .) em um anel (B, +, .) é uma função f: A → B que é um
homomorfismo e é sobrejetora. Assim, dizemos que quando existe um isomorfismo entre os
anéis A e B, eles são isomorfos. Portanto, eles têm as mesmas propriedades.
Um isomorfismo de um anel (A, +, .) em um anel (B, +, .) é uma função f: A → B que é um
homomorfismo e é injetiva. Assim, dizemos que quando existe um isomorfismo entre os anéis
A e B, eles são isomorfos. Portanto, eles têm as mesmas propriedades.
Um isomorfismo de um anel (A, +, .) em um anel (B, +, .) é uma função f: A → B que é um
homomorfismo. Assim, dizemos que quando existe um isomorfismo entre os anéis A e B, eles
são isomorfos. Portanto, eles têm as mesmas propriedades.
4.

N(f) = {(0,4)}

N(f) = {(0,0)}

N(f) = {(0,1)}

N(f) = {(0,3)}

N(f) = {(0,2)}

5. Marque a alternativa correta.

Seja f: Z → Z tal que f(x) = -x. f é um homomorfismo de anel.

Seja f: A → B tal que f(a) = 0. f é um homomorfismo de anel.

Seja f: Z x Z → Z tal que f(x,y) = x. f não é um homomorfismo de anel.

Seja f: A → B tal que f(a) = a. f não é um homomorfismo de anel.

Seja f: Z → Z tal que f(x) = 2x. f é um homomorfismo de anel.

6. Considere a seguinte proposição: Sejam m e n elementos do conjunto dos


números naturais. Então, mZ + nZ = dZ se, e somente se, mdc(m,n) = d. A partir
dela marque a alternativa que representa a operação 2Z + 3Z.

2Z

6Z

3Z

5Z

7. Determine todos os ideais de Z8.

{0}, {0,2,4,6}, {0,4} e Z8

{0}, {0,2,4,6} e {0,4}

{0}, {0,4} e Z8

{0} e {0,2,4,6}
{0,2,4,6}, {0,4} e Z8

8. Marque a alternativa que indica a definição correta de homomorfismo de anéis.

Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis e seja a função f: A → B. Dizemos que f é um homomorfismo do anel A no anel B
se, e somente se, é válida a seguinte condição:

f(x + y) = f(x) + f(y).


Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis e seja a função f: A → B. Dizemos que f é um homomorfismo do anel A no anel B
se, e somente se, é válida a seguinte condição: f(xy) = f(x)f(y).
Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis. Dizemos que f é um homomorfismo do anel se, e somente se, são válidas as
seguintes condições: f(x + y) = f(x) + f(y) e f(xy) = f(x)f(y).
Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis e seja a função f: A → B. Dizemos que f é um homomorfismo do anel A no anel B
se, e somente se, são válidas as seguintes condições: f(x + y) = f(x) + f(y) e f(xy) = f(x)f(y).

1a Questão (Ref.:201803167328) Acerto: 1,0 / 1,0

Considere a operação binária * sobre R, definida por x*y = mx + ny + kxy, onde m, n e k são números reais dados.
Estabeleça as condições sobre m, n e k de modo que essa operação seja comutativa.

n=k
m<n
m=k
m>n
m=n
Respondido em 22/10/2019 21:10:49

2a Questão (Ref.:201803167310) Acerto: 0,0 / 1,0

Considere em Z a operação * definida por:


*:ZxZ→Z
(x,y) → x*y = x + y - 2
Verifique a existência de elementos simétrizáveis.

x-1 = 4 - x
x-1 = 2 - x
x-1 = 1 - x
x-1 = 4 + x
x-1 = x + 1
Respondido em 22/10/2019 21:09:42

Gabarito
Coment.

3a Questão (Ref.:201803074191) Acerto: 0,0 / 1,0

Considere o conjunto (Z8, +). Marque a alternativa que indica a solução da equação x + 5 = 3.

6
2
-2
0
3
Respondido em 22/10/2019 21:09:59

4a Questão (Ref.:201803074199) Acerto: 0,0 / 1,0

Seja G = {1, 2, 3, 4, 5} um conjunto com uma operação * apresentada na tábua de operação abaixo.

De acordo com a análise da tábua marque a alternativa que apresenta todos os elementos regulares.

1, 2 ,3, 4 e 5
2, 3 e 5
1, 3 e 4
1, 2 e 5
2, 3, 4 e 5
Respondido em 22/10/2019 21:10:37

5a Questão (Ref.:201803151442) Acerto: 0,0 / 1,0

Questão 6: Considere o grupo (Z10,+). Determine um subgrupo gerado pelo elemento


4.

[4] = {2,4,6,8}

[4] = {4,6,8,0}

[4] = {2,4,6,10}

[4] = {2,4,8,0}

[4] = {2,4,6,8,0}
Respondido em 22/10/2019 21:11:22

6a Questão (Ref.:201803167324) Acerto: 1,0 / 1,0

Seja (Z, *) um grupo onde a operação * é definida por a * b = a + b - 3. Considere o subconjunto 3Z = {3X
/ x ∈∈ Z}. Verifique se (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).

Considerando t e u dois elementos de 3Z, onde t = 3x e u = 3y, temos:


t*u = (3x)*(3y) = 3x+3y = 3(x + y). Logo, t*u ∈∈ 3Z.
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).
Considerando t e u dois elementos de 3Z, onde t = 3x e u = 3y, temos:
t*u = (3x)*(3y) = 3x+3y -3 = 3(x + y -1). Logo, t*u ∈∈ 3Z.
Seja t um elemento de 3Z, onde t = 3x.t-1 = 6 - t = 6 - 3x = 3(2 - x). Logo, t-1 ∈∈3Z.
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).
Considerando t e u dois elementos de 3Z, onde t = 3x e u = 3y, temos:
t*u = (3x)*(3y) = 3x+3y -3 = 3(x + y -1). Logo, t*u ∈∈ 3Z.
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).

Considerando t e u dois elementos de 3Z, onde t = 3x e u = 3y, temos:


t*u = (3x)*(3y) = 3x+3y -3 = 3(x + y -1). Logo, t*u ∉∉ 3Z.
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).
Seja t um elemento de 3Z, onde t = 3x.t-1 = 6 - t = 6 - 3x = 3(2 - x). Logo, t-1 ∈∈3Z
Portanto, (3Z, *) é um subgrupo de (Z, *).
Respondido em 22/10/2019 21:13:46

7a Questão (Ref.:201803214537) Acerto: 1,0 / 1,0

Sejam G um grupo e H,J subrgrupos normais de G. Podemos afirmar que:

H∩J é um subgrupo normal de G.


H∩J não é um subgrupo de G.
H∩J é um subgrupo cíclico de G.
H∩J é um subgrupo abeliano de G.
H∩J é um subgrupo de G, mas não é normal.
Respondido em 22/10/2019 21:11:45

8a Questão (Ref.:201803214538) Acerto: 0,0 / 1,0

Se G é um grupo finito e H um subgrupo de G, então:

H é cíclico
A ordem de H é um múltiplo da ordem de G.
A ordem de G divide a ordem de H.
A ordem de H divide a ordem de G.
Grupos finitos não têm subgrupos.
Respondido em 22/10/2019 21:12:12
9a Questão (Ref.:201803074197) Acerto: 1,0 / 1,0

(12343241)(12343241)
(12342413)(12342413)
(12344213)(12344213)
(12343124)(12343124)
(12341432)(12341432)
Respondido em 22/10/2019 21:12:27

10a Questão (Ref.:201803167302) Acerto: 0,0 / 1,0

Analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta.

De acordo com a teoria do isomorfismos de Grupos podemos dizer que os grupos S3 e Z6 não são isomorfos.

PORQUE

S3 não é abeliano e Z6 é abeliano.

As duas afirmativas são verdadeiras, e a segunda justifica a primeira.

1a Questão (Ref.:201803167316) Acerto: 0,0 / 1,0

Considere em Z a operação * definida por:


*:ZxZ→Z
(x,y) → x*y = x + y - 2
Verifique a existência do elemento neutro.

e = -2
e=3
e=2
e=0
e=1
Respondido em 23/10/2019 18:15:43

Gabarito
Coment.
2a Questão (Ref.:201803167329) Acerto: 0,0 / 1,0

O conjunto Z dotado da operação * tal que x * y = x + y - 4 é um grupo ?

Sim, pois a propriedade associativa foi verificada e isso é uma condição suficiente para Z com a operação dada
ser um grupo.
Não, pois a propriedade associativa não foi verificada.
Sim, pois a propriedade associativa foi verificada, existe elemento neutro e existe elemento simétrico.
Não, pois não existe elemento neutro.
Não, pois não existe elemento simétrico.
Respondido em 23/10/2019 18:15:56

3a Questão (Ref.:201803074195) Acerto: 0,0 / 1,0

Marque a alternativa que indica a solução do sistema de equações abaixo, em Z11.

{(-3,7)}
{(1,4)}
{(2,3)}
{(0,6)}
{(-14/13;119/39)}
Respondido em 23/10/2019 18:16:07

4a Questão (Ref.:201803503190) Acerto: 0,0 / 1,0

Calcule o produto 259 . 371 considerando o conjunto Z11.

4
48
6
5
8
Respondido em 23/10/2019 18:16:20

5a Questão (Ref.:201803167308) Acerto: 0,0 / 1,0

Considere o grupo (Z10,+). Determine o subgrupo gerado pelo elemento 3.

Z10 = {0, 1, 2, 3, 5, 6, 7, 8, 9}.


Z10 = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8}
Z10 = {1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9}.
Z10 = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 7, 8, 9}.
Z10 = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9}.
Respondido em 23/10/2019 18:16:23
6a Questão (Ref.:201803167286) Acerto: 0,0 / 1,0

A tábua abaixo com a operação * mostra que o conjunto G = {e,a,b,c,d,f} é um grupo. A partir da tábua
encontre a solução da equação bxc = d-1, onde x é um elemento de G.

x=a
x=b
x=f
x=d
x=c
Respondido em 23/10/2019 18:16:29

7a Questão (Ref.:201803167306) Acerto: 1,0 / 1,0

2+H
3+H
H
1+H
H+H
Respondido em 23/10/2019 18:16:32

8a Questão (Ref.:201803167348) Acerto: 0,0 / 1,0


O elemento neutro do grupo quociente G/H é o 1 + H
O elemento neutro do grupo quociente G/H é o 2 + H
O elemento neutro do grupo quociente G/H é o H
O elemento neutro do grupo quociente G/H é o H + H
O elemento neutro do grupo quociente G/H é o 3 + H
Respondido em 23/10/2019 18:16:37

9a Questão (Ref.:201803074188) Acerto: 0,0 / 1,0

(12342314)(12342314)
(12344213)(12344213)
(12343241)(12343241)
(12343124)(12343124)
(12341432)(12341432)
Respondido em 23/10/2019 18:16:40

10a Questão (Ref.:201803167344) Acerto: 1,0 / 1,0


x é igual a 1 2 3 4

2134
x é igual a 1 2 3 4

4132

1a Questão (Ref.:201803167332) Acerto: 0,0 / 1,0

Existe elemento neutro e = -1


Existe elemento neutro e = 0
Existe elemento neutro e = 2
Não existe elemento neutro
Existe elemento neutro e = 1
Respondido em 23/10/2019 18:20:33

2a Questão (Ref.:201803167333) Acerto: 0,0 / 1,0

O conjunto Z dotado da operação * tal que x * y = x + y - 3 é um grupo ?

Não, pois não existe elemento neutro.


Não, pois a propriedade associativa não foi verificada.
Sim, pois a propriedade associativa foi verificada e isso é uma condição suficiente para Z com a operação dada
ser um grupo.
Não, pois não existe elemento simétrico.
Sim, pois a propriedade associativa foi verificada, existe elemento neutro e existe elemento simétrico.
Respondido em 23/10/2019 18:17:32

3a Questão (Ref.:201803074200) Acerto: 0,0 / 1,0

Considere a tábua incompleta da operação * sobre o conjunto G = {a, b, c, d, e} e as seguintes afirmações:

(I) e * x = x = x * e, para todo x.


(II) a * x = a = x * a, para todo x.

(III) x * x = e, para todo x diferente de a.

(IV) b * d = c;

(V) b, c, d são regulares.

Marque a alternativa que indica o elemento que está faltando para a tábua ficar completa.

c
b
d
a
e
Respondido em 23/10/2019 18:20:24

4a Questão (Ref.:201803502729) Acerto: 1,0 / 1,0

Marque a alternativa que indica a tábua da operação * sobre o conjunto A = {1, i, -1, -i}, definida por x * y = xy.
Respondido em 23/10/2019 18:20:20

5a Questão (Ref.:201803167337) Acerto: 0,0 / 1,0

Considere as seguintes afirmações:

(I) 3Z é subgrupo de 6Z.


(II) 2Z + 1 dos inteiros ímpares não é subgrupo do grupo (Z, +).
(III) (Q, +) é um subgrupo de (R, +)
(IV) (Z, +) não é um subgrupo de (Q, +)

Podemos concluir que

As afirmações I e III são falsas


As afirmações III e IV são falsas
As afirmações I e II são verdadeiras
A afirmação I é verdadeira
As afirmações II e III são verdadeiras
Respondido em 23/10/2019 18:20:16

6a Questão (Ref.:201803151442) Acerto: 0,0 / 1,0

Questão 6: Considere o grupo (Z10,+). Determine um subgrupo gerado pelo elemento


4.
[4] = {2,4,6,8}

[4] = {2,4,8,0}

[4] = {4,6,8,0}

[4] = {2,4,6,10}

[4] = {2,4,6,8,0}
Respondido em 23/10/2019 18:20:06

7a Questão (Ref.:201803214537) Acerto: 0,0 / 1,0

Sejam G um grupo e H,J subrgrupos normais de G. Podemos afirmar que:

H∩J não é um subgrupo de G.


H∩J é um subgrupo de G, mas não é normal.
H∩J é um subgrupo abeliano de G.
H∩J é um subgrupo cíclico de G.
H∩J é um subgrupo normal de G.
Respondido em 23/10/2019 18:20:00

8a Questão (Ref.:201803214538) Acerto: 0,0 / 1,0

Se G é um grupo finito e H um subgrupo de G, então:

Grupos finitos não têm subgrupos.


A ordem de H é um múltiplo da ordem de G.
H é cíclico
A ordem de H divide a ordem de G.
A ordem de G divide a ordem de H.
Respondido em 23/10/2019 18:19:41

9a Questão (Ref.:201803151686) Acerto: 0,0 / 1,0

Marque a alternativa que indica a definição correta de homomorfismo de anéis.

Sejam (A, +, .) um anel. Dizemos que f é um homomorfismo do anel A se, e somente se, são válidas
as seguintes condições: f(x + y) = f(x) + f(y) e f(xy) = f(x)f(y).
Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis e seja a função f: A → B. Dizemos que f é um homomorfismo
do anel A no anel B se, e somente se, é válida a seguinte condição: f(xy) = f(x)f(y).
Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis e seja a função f: A → B. Dizemos que f é um homomorfismo
do anel A no anel B se, e somente se, são válidas as seguintes condições:
f(x + y) = f(x) + f(y) e f(xy) = f(x)f(y).
Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis e seja a função f: A → B. Dizemos que f é um homomorfismo
do anel A no anel B se, e somente se, é válida a seguinte condição:

f(x + y) = f(x) + f(y).


Sejam (A, +, .) e (B, +, .) dois anéis. Dizemos que f é um homomorfismo do anel se, e somente se,
são válidas as seguintes condições: f(x + y) = f(x) + f(y) e f(xy) = f(x)f(y).
Respondido em 23/10/2019 18:19:35

10a Questão (Ref.:201803167312) Acerto: 0,0 / 1,0

N(f) = {1}.
N(f) = {3}
N(f) = {2}.
N(f) = {4}.
N(f) = {0}

Você também pode gostar