Você está na página 1de 111

Barbalha

  Município do Brasil  

Símbolos

Bandeira [[Brasão|Brasão de armas]]

Hino
Lema Lutemos com as armas da luz
Apelido(s) "Terra dos verdes canaviais "
"Terra de Santo Antônio"
Gentílico barbalhense
Localização

Localização de Barbalha no Ceará

Barbalha

Localização de Barbalha no Brasil


Wikimedia | © OpenStreetMap

Mapa de Barbalha
Coordenadas 7° 18' 18" S 39° 18' 07" O
País Brasil
Unidade Ceará
federativa
Região Cariri
metropolitana
Municípios Crato, Juazeiro do Norte,
limítrofes Jardim, Moreilândia e Missão
Velha
Distância até a 504 km
capital
História
Fundação 17 de agosto de 1846
(173 anos)
Administração
Prefeito(a) Argemiro Sampaio Neto
(PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 479,183 km²
População 55 323 hab.
total
(IBGE/2010[2])
Densidade 115,45 hab./km²
Clima Tropical (As)
Altitude 414 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH 0,683 — médio
(PNUD/2010
[3])
PIB R$ 499 981 mil
(IBGE/2011[4])
PIB per capita R$ 8 934,61
(IBGE/2011[4])

Barbalha é um município brasileiro do


estado do Ceará. Localiza-se na Região
Metropolitana do Cariri, Mesorregião do
Sul Cearense, a 504 quilômetros da
capital Fortaleza pela BR-122. Ocupa a
7ª colocação no estado em IDH geral, a
9ª em IDH-Educação e a 4ª em IDH-
Longevidade [3]. O Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística estimou sua
população para 2018 em 60.155
habitantes. Passam pela cidade as CEs:
060, 293 e 286.
Tem como padroeiro Santo Antônio, o
casamenteiro, e apresenta vários prédios
e locais históricos, preservando nuances
coloniais.

A uma latitude de 7° 18′ 18″ S e longitude


de 39° 18′ 7″ W, está situada aos pés da
Chapada do Araripe e, junto com as
cidades de Crato e Juazeiro do Norte,
compõe o triângulo Crajubar na região
do vale do Cariri. Tem ao seu redor a
FLONA (Floresta Nacional do Araripe) [5].
É a terra natal do padre Monsenhor
Murilo de Sá Barreto, do advogado
Hermes Carleial, dos médicos Leão
Sampaio, Mozart Cardoso de Alencar e
Lyrio Callou, e do geólogo e engenheiro
Joaquim Francisco de Paula.

Etimologia
O topônimo Barbalha é alusivo ao nome
de uma moradora de um sítio da região
cuja casa servia de albergue para
tropeiros de gado que traziam rebanhos
de Pernambuco para passarem os
períodos de estiagem na região da
Chapada do Araripe. Por ser proprietária
do principal ponto de apoio e
hospedagem da região, tornou-se
bastante conhecida por sua
hospitalidade, o que contribuiu para que
a localidade herdasse seu nome.
A denominação original da cidade era
Freguesia do Santo Antônio de Barbalha.
Em 1838 adotou-se o nome Barbalha[6].

História

Barbalha Panorâmica

As terras localizadas às margens do


Riacho Salamanca eram habitadas pelos
índios Kariri[7], antes da chegada das
entradas no interior brasileiro, durante o
século XVII [8][9].
Os integrantes das entradas, militares e
religiosos, mantiveram os primeiros
contatos com os nativos, estudaram
todas as regiões dos Cariri,
catequizaram os indígenas e os
agruparam em aldeamentos ou missões
[9]. Este contato entre exploradores e
nativos repercutiu profundamente na
formação cultural do lugar,
principalmente no que tange à difusão
de "entes do imaginário popular", tais
como "papafigo, pai-da-mata, rasga-
mortalha, almas do outro mundo,
lobisomem, o diabo, entre outros" [10].

Os resultados destes contatos e


descobrimentos desencadearam notícias
de que na região existiria ouro em
abundância e em seguida desencadeou-
se uma corrida para os sertões
brasileiros, onde famílias oriundas de
Portugal, sonhando com as riquezas de
terras inexploradas e com a esperança
de encontrar ouro. Queriam enriquecer e
aumentar seu prestigio pessoal perante a
corte portuguesa [9].

A busca do metal precioso, nas


ribanceiras do Rio Salgado, trouxe para a
região do Sertão do Cariri, a colonização
e com consequência a doação de
sesmarias [10], o que permitiu o
surgimento de lugarejos e vilas. Deste
contexto surge Barbalha, um núcleo
urbano que cresce ao redor da capela de
Santo Antônio fundada nas terras de
Francisco Magalhães Barreto e Sá, que
era parente de Mem de Sá, terceiro
Governador-Geral do Brasil [9][11]. De
Francisco Magalhães descende a família
Sá Barreto, cujos membros incluem Cid
Feijó Sampaio e seu sobrinho-neto
Eduardo Campos, governadores de
Pernambuco, Leão Sampaio, Deputado
Federal, Gregório Pereira Pinto, patriarca
de Terra Nova-PE, Luiz Filgueiras
Sampaio empresário, Argemiro Sampaio,
prefeito de Barbalha e diversas outras
personalidades de destaque no cenário
regional. A cidade participou de
importantes momentos da história
nacional. A Revolução Pernambucana de
1817, a no Guerra de Independência do
Brasil Maranhão e a Confederação do
Equador tiveram a participação do
Capitão-mor do Crato, o baiano José
Pereira Filgueiras que residia no Sítio São
Paulo, neste município, com a
participação de Bárbara de Alencar e
seus filhos Tristão Alencar Araripe e
José Martiniano de Alencar (pai do
escritor José de Alencar)[12]. Seu filho
Filgueirinha também importante
participação na Revolta de Pinto
Madeira, em 1831. Dessas famílias
descendem Antônio Correia Sampaio
Filgueiras que participou da construção
da Igreja do Rosário e Romão Pereira
Filgueiras Sampaio prefeito de Salgueiro-
PE. Importante para a história do
município foi também a Casa Sampaio e
a Engenho Tupinambá, da família Sá
Barreto Sampaio [13] .

As cidade, situada na Chapada do


Araripe, servia como um verdadeiro oásis
na paisagem árida do Sertão Nordestino
e atraiu a instalação de engenhocas de
rapadura, de onde baseou sua economia
os primeiros séculos de sua história, no
século XIX passou a abrigar alguns
empreendimentos comerciais e no
século XX assumiu a sua vocação no
setor de serviços.
Em 1926, passaram pela cidade Lampião
e seu bando, que estavam a caminho de
Juazeiro do Norte para integrar o
Batalhão Patriótico. Por esta ocasião
conversou com líderes locais e
jornalistas [14].

Há registros de que a cidade, ainda em


seu estágio embrionário, sofreu um
saque empreitado por um grupo
composto por, aproximadamente, 2000
jagunços, os quais pilharam os valores
que encontraram, e atearam fogo em
milhares de contos de réis, causando um
impacto na economia local e impedindo
o crescimento do lugarzinho, que
desfrutava de relativa prosperidade.
Houve, ainda, um segundo saque, mas
bem depois do primeiro. Desta vez, o
fato se deu quando da modificação do
traçado da Rede de Viação Cearense
(RVC). Todavia, em 1950, a ferrovia,
enfim chegou, junto com a eletricidade,
vinda de Paulo Afonso, em 1961. Assim,
a cidade voltou a crescer [15].

Os padres salvatorianos tem destacada


atuação no âmbito cultural e educacional
da cidade, além do religioso. Por muitos
anos dirigiram o Colégio Santo Antônio e
coordenam os festejos de santo
padroeiro no mês de junho. Dentre os
religiosos dessa congregação estão
Padre Agostinho Mascarenhas, Padre
Mário, Padre Renato Simoneto, dentre
outros. Padre Agostinho foi, além pároco,
diretor do referido colégio, conselheiro e
líder espiritual animando a vida religiosa
quando convidou a Comunidade Católica
Shalom para criar um núcleo em
Barbalha. A julgar pela quantidade de
referências presentes na cidade:
Biblioteca Municipal Padre Agostinho,
Rua Padre Agostinho Mascarenhas,
Residencial Padre Agostinho, dentre
outros, padre Agostinho deixou uma
marca especial na cidade. O referido
religioso está enterrado na Igreja Matriz
de Santo Antônio.

Formação administrativa …
Rua principal distrito de Caldas

Em 30 de agosto de 1838 é criado pela


lei provincial n° 130 o distrito de
Barbalha, subordinado ao município do
Crato. Em 17 de agosto de 1846, data de
sua emancipação política, o então
distrito é desmembrado do Crato e
elevado à condição de vila com a
denominação de Barbalha, pela lei
provincial nº 374.
Em 30 de agosto de 1876 foi elevada à
categoria de cidade pela lei nº 1740.
Contava apenas com o distrito sede
(Barbalha) [16].

Pelo ato estadual de 15 de setembro de


1904, é criado o distrito de Cajazeiras e
anexado ao município de Barbalha. Tal
distrito recebe nova denominação em 30
de Dezembro de 1943 pelo decreto-lei
estadual nº 1.114, passando a
denominar-se Arajara. Em divisão
territorial datada de 1 de julho de 1950, o
município é constituído de dois distritos:
Barbalha(sede) e Arajara, permanecendo
desta maneira até 1991.
Em 23 de abril de 1991, é criado pela lei
municipal nº 1.147 o distrito de Estrela.
Este é anexado ao município de Barbalha
e em divisão territorial datada de 1 de
junho de 1995, o município é constituído
de 3 distritos: Barbalha (sede), Arajara e
Estrela, permanecendo assim até o ano
de 2005.

Pela lei municipal nº 1.499, de 28 de


fevereiro de 2002, é criado o distrito de
Caldas dentro município de Barbalha. Em
divisão territorial datada de 2007, o
município é constituído de quatro
distritos: Barbalha (sede), Arajara, Caldas
e Estrela.
Na Sede, os principais bairros são:
Centro, Bairro do Rosário, Bairro de
Fátima, Cirolândia (nome dado em
homenagem a Ciro Gomes), Populares,
Malvinas, dentre outros. No Distrito
Estrela, há alguns sítios: Lagoa, Sítio
Estrela, Novo Horizonte, Venha-Ver,
Bulandeira etc.

Geografia

Clima …
Maiores acumulados de precipitação em
em Barbalha por meses (INMET, 1977-198

Mês Acumulado Data Mês

Janeiro 163,9 mm 15/01/1979 Julho

Fevereiro 125,8 mm 15/02/1985 Agosto

Março 131 mm 27/03/2014 Setembro

Abril 186,8 mm 23/04/2015 Outubro

Maio 08/05/2015 Novembro


89,4 mm
Junho 23/06/2013 Dezembro

O clima de Barbalha é tropical As na área


serrana e semi-árido nas áreas mais
baixas, com chuvas concentradas entre
dezembro e abril e índice pluviométrico
de 1 060 milímetros (mm) anuais. A
média das temperaturas máximas
diárias se encontra entre 30 °C a 35 °C
na maior parte do ano. A temperatura
média compensada anual é 25 °C. Nos
meses de maio a julho o clima é
relativamente mais ameno,
principalmente durante a noite e
madrugada. Em um ano a insolação
ultrapassa 2 900 horas.[18]

Segundo dados do Instituto Nacional de


Meteorologia (INMET), referentes ao
período de 1977 a 1985 e a partir de
1991, a menor temperatura registrada
em Barbalha foi de 13 °C em 13 de
agosto de 1977,[19] e a maior atingiu
39,2 °C em 19 de outubro de 2016.[20] O
maior acumulado de precipitação
registrado em 24 horas foi de 186,8 mm
em 23 de abril de 2015, superando os
163,9 mm registrados em 15 de janeiro
de 1979.[17] O mês de maior precipitação
foi março de 2008, com 593,8 mm,
sendo o antigo recorde de 533,8 mm em
abril de 1984.[21]
Dados climatológicos para Barbalha
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura
máxima 37,4 37,7 37,3 34,8 35,9 35,5 36,6 37,8 38,7 39,2 38,8 38,3 39,2
recorde (°C)
Temperatura
máxima 32,1 31,2 30,9 30,8 30,6 30,4 30,6 32,2 34 35,1 34,9 34 32,2
média (°C)
Temperatura
média
26,1 25,4 25,3 25,1 24,7 24,4 24,4 25,5 26,7 27,8 27,8 27,4 25,9
compensada
(°C)
Temperatura
mínima 22 21,7 21,7 21,4 20,7 20 19,7 19,9 20,5 21,8 22,4 22,5 21,2
média (°C)
Temperatura
mínima 17,9 17,8 16,8 14,6 13,7 14 14,2 13 14,6 16,4 16,8 17 13
recorde (°C)
Precipitação
190,9 202,1 231,7 188,4 64,6 12,1 20,6 2,9 2,9 15,1 29,5 99 1 059,9
(mm)
Dias com
precipitação 11 12 15 11 5 2 2 1 1 2 3 6 71
(≥ 1 mm)
Umidade
relativa
71,3 77,9 80,7 79,5 74,9 67,3 62,3 56,5 49,7 51,6 55,6 60 65,6
compensada
(%)
Horas de sol 212 193,5 205,8 223,1 231,6 240,7 254,8 282,7 285,1 285,6 267,9 244,6 2 927,4
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[18] recordes de
temperatura de 1977 a 1985 e a partir de 1991)[19][20]

Hidrografia e recursos hídricos …


Bebedouro no Caldas.

Barbalha se encontra nos domínios da


Sub-bacia Hidrográfica do Rio Salgado
[22]. Ademais, podem-se distinguir, em
Barbalha, dois grandes domínios
hidrogeológicos: rochas sedimentares e
depósitos aluvionares [23].

As principais fontes de água são as


nascentes da serra que suprem as
necessidades da cidade e dos sítios, no
que diz respeito ao consumo humano,
animal e irrigação, e à produção
industrial. As principais drenagens que
ocorrem no Município são o Rio
Salamanca e os riachos Santana,
Missão, Macacos e Jardim [23]. Há, no
Município, duas empresas que exploram
uma fonte de água mineral, cada,
engarrafando-a e comercializando-a.

Podem ser encontrados em seu território


aproximadamente 124 poços tubulares,
dos quais 38 são públicos e 86 são de
propriedade particular [23].

Os Distritos do Caldas e Arajara são


ricos em fontes, riachos e reservatórios
de água.

O rio Salamanca, principal curso fluvial


do município, surge a partir do
escoamento da água das nascentes da
Chapada do Araripe. É responsável pela
irrigação dos canaviais e demais
plantações ao longo do seu leito que
deságua no Rio Salgado.

O município não conta com açudes e


reservatórios de grande volume.

Conta com vários geossítios, entre eles o


Riacho do Meio com várias fontes
naturais.

Relevo e solos …

Situado ao lado norte da Chapada do


Araripe, o município tem dois tipos
principais de solo: latossolo [24] e
sedimentar. Mas também encontram-se
solos pozólicos, litólicos, e aluviais [23].

Devido ao solo sedimentar, são


encontrados, frequentemente,
principalmente nos locais mais próximos
à encosta da chapada, fósseis de
diferentes espécies de plantas,
microorganismos e animais [25].

As principais elevações são as serras e


serrotes, com destaque para o chapadão
da Serra do Araripe.

Já a bacia sedimentar se caracteriza por


formar aqüíferos que alimentam as
diversas fontes existentes por toda a
área da chapada.
Vegetação …

Frutos do Piquizeiro partidos, deixando à mostra as


sementes.

A vegetação é bastante diversificada,


apresentando domínios de cerradão,
caatinga e cerrado [26], bem como de
várias comunidades vegetais, como a
floresta subcaducifólia tropical
xeromorfa (cerradão), a floresta
subperenifólia tropical plúvio-nebular
(mata úmida ou serrana), a floresta
subcaducifólia tropical pluvial (mata
seca) e a floresta caducifólia espinhosa
(caatinga arbórea) [23]. Dentro de sua
área encontra-se a Floresta Nacional do
Araripe[27].

Árvore de cerrado bastante comum é o


piquizeiro (piqui) [28], cuja semente do
fruto é deveras utilizado na alimentação
e, na medicina popular, como anti-
inflamatório, fato que, recentemente,
vem ganhando estudos científicos, que
apontam no sentido de confirmar o
conhecimento popular[29].

Note-se que este piqui a que se refere, o


Caryocar coriaceum, é diferente do Pequi
(Caryocar brasiliense) encontrado em
Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais.
Árvore que não é natural da região, mas
que se adaptou muito bem ao clima e
que está bastante presente nas
localidades rurais do município é a
mangueira (Mangifera indica). Sua fruta
tem valor comercial e sua produção é
sazonal. Há diversas variedades, como
manga rosa, espada, barbalha e outras
[30].

Fauna …

Sagui
Macho. Pode-se ver o topete e demais
características

Fêmea no ninho.

Especificamente e unicamente na área


da Chapada do Araripe pode ser
encontrado o Soldadinho-do-araripe
(Antilophia Bokermanni), pássaro raro,
territorialista, frugívoro, que, segundo
especialistas, só é visto nos Municípios
de Barbalha, Crato e Missão Velha. Tem
cerca e 15 cm de cumprimento e 20
gramas de massa corporal. Sua principal
característica é o topete vermelho sobre
o bico, presente apenas no macho [31].
Seus principais predadores são o sagui e
o gambá [32].

Esta ave é, oficialmente, a ave símbolo


de Barbalha, desde 2009, com o Decreto
Municipal n° 24 do mesmo ano [33].

Infelizmente esta espécie está


ameaçada de extinção [34] e é muito
comum no comércio ilegal de animais.
Por este motivo o Instituto Chico Mendes
de Conservação da Biodiversidade
iniciou o Plano Nacional para
Conservação do Soldadinho do Araripe,
lançando livro com mesmo título [35].
Também há certa valorização pela
legislação municipal [36].

No município podem-se encontrar


muitas espécies de animais, como a
onça-parda[37], o lobo-guará e o sagui.
Este último, por ter seu habitat natural e
recursos diminuídos, vem aparecendo
cada vez mais no ambiente urbano, onde
encontra alimentação e abrigo.

Demografia
Crescimento populacional
Censo Pop. %±
1991 38 430 —
2000 47 031 22,4%
2010 55 323 17,6%
Fonte: IBGE[38]

De acordo com o censo do ano de 2010


do IBGE, o município de Barbalha tinha
então 55 323 habitantes, sendo o 27º
mais populoso do Ceará,[39] com a
densidade demográfica de 92,31
hab/km². Deste total de indivíduos,
48,63% (26.904) eram homens e 51,37%
(28.419) mulheres. A taxa de
mortalidade infantil é de 17,7 para cada
1000 nascidos vivos.[40][40]
O número de cidadãos eleitores em 2010
era 35 308, portanto 63,82% da
população. Ainda no referido ano, o
número de residências particulares
rurais era 3 832 (30,43% do total
municipal), enquanto o de residências
urbanas era 8 760 (69,57%) [40]. Em 2007,
a população urbana correspondia a
67,74%, e a rural era de 32,26%. O
número de médicos para cada 1000
habitantes é 5,87, mais que o dobro do
número correspondente para o estado do
Ceará como um todo [41].

Barbalha subiu da 3201ª posição no IDH-


M em 2000 para a 2359ª posição em
2010, saltando quase mil posições no
ranking, o que demonstra claro
desenvolvimento.

Segundo o IBGE, a população


barbalhense estimada para 2014 era de
58.347 habitantes[42].

Política

Paço municipal de Barbalha

Inicialmente Distrito do Crato, após


emancipada, constituindo-se um
Município e Comarca, Barbalha goza de
autonomia administrativa, política e
financeira, conforme ditames da
Constituição da República Federativa do
Brasil de 1988 [43]. Ainda seguindo o
modelo deste mesmo diploma
constitucional, conta com Poder
Executivo e Legislativo, sendo as Varas
Judiciais (Poder Judiciário) que abriga,
Órgãos do Judiciário Estadual
descentralizados com competência para
decidir os litígios a eles atribuídos na
forma do Código de Processo Civil
Brasileiro [44] e do Código de Divisão e
Organização Judiciária do Estado do
Ceará [45].
A administração municipal localiza-se na
sede: Barbalha. No âmbito do Poder
Executivo, tem-se como chefe o Prefeito,
que atua em seu Gabinete. Ao escopo de
auxiliá-lo em sua gestão e no trato de
assuntos mais específicos, foram
instituídas as Secretarias. Eis as
secretarias que integram o Poder
Executivo do Município de Barbalha:
Secretaria de Obras, Secretaria de
Cultura e Turismo, Secretaria de
Educação, Secretaria de Saúde,
Departamento Municipal de Trânsito
(status de secretaria, como se verá em
tópico específico), Secretaria de
Agricultura, Secretaria de Finanças,
Secretaria de Infra-estrutura, Secretaria
de Juventude e Esporte, Secretaria de
Meio Ambiente e Secretaria de Trabalho
e Desenvolvimento Social.

A Câmara Municipal era composta por


10 vereadores até a legislatura de
2009/2012, todavia este número foi
aumentado para 15 em 20 de junho de
2011, através da Emenda à Lei Orgânica
n° 004/2011, sendo que esta regra
começou a valer do ano de 2013, quando
assumiram os vereadores escolhidos
nas eleições municipais de 2012 [46]. A
sede do Poder Legislativo municipal é o
Palácio Luiz Filgueira Sampaio localizado
à Rua 7 de Setembro.
O Poder Judiciário conta com três varas
judiciais não especializadas[45], além do
cartório eleitoral, que têm sede no Fórum
Dr. Rotsenaidil Duarte Fernandes Távora
localizado à Rua Zuca Sampaio.

Barbalha corresponde à 31ª zona


eleitoral do Ceará [47], e conta com
aproximadamente 125 seções eleitorais.

Economia
A economia do município de Barbalha
tem sua base em vários âmbitos da
economia produtiva e geradora de renda.
Rapadura

Agricultura …

Tradicional pólo agrícola da região do


Cariri, é responsável por grande parte da
produção de gêneros alimentícios como
frutas, verduras, legumes e hortaliças em
geral. Possui uma grande área de plantio
de cana-de-açúcar, com uma produção
média de 22750 toneladas por ano [48],
fato que lhe confere o título de terra dos
verdes canaviais. A cidade detém grande
parte dos engenhos de rapadura ativos
na região além da usina de açúcar
Manoel Costa Filho (atualmente
desativada). Também há cultivos
experimentais de algodão feitos pela
Embrapa [49].

Ceasa Cariri

Por conta do grande potencial para o


agronegócio a cidade abriga desde 2012
a Ceasa da região do Cariri. Observa-se
discreta produção pecuária representada
pela presença de rebanhos de caprinos,
suínos e aves.
Indústria …

A produção industrial do município é


relevante [50]. Com número crescente de
unidades industriais instaladas, a cidade
conta com um parque industrial diverso,
formado por firmas de beneficiamento
de gêneros alimentícios e bebidas;
fábricas de médio porte produtoras de
calçados, vestuário e cerâmica. Alguns
empreendimentos industriais têm
importância regional, como a ITAPUÍ S.A.
- antiga IBACIP (Indústria Barbalhense de
Cimento Portland), concessão da
Cimento Nassau; a FARMACE, indústria
química e farmacêutica; a indústria
metalúrgica Bom Sinal e a IBK, produtora
de borracha e derivados. Igualmente
importante é fazer menção à fábrica de
Veículo Leve sobre Trilhos (VLT),
chamada Bom Sinal[51].

Dada a fase de crescimento econômico


em que o Cariri se encontra [50], Barbalha
acompanha a tendência regional
apresentando grande crescimento no
setor de construção civil, serviços e,
principalmente, turismo visto sua
privilegiada situação geográfica ao sopé
da Chapada do Araripe. A cidade, que,
em 1996, tinha em seu território apenas
uma fábrica de calçados, passou, no ano
de 2006, a abrigar nove indústrias do
mesmo ramo. Isto significa um aumento
de 8 indústrias em 10 anos, um
percentual de 800% [50]!

Outro dado importante é que o número


de empregos formais tem aumentado
junto com a indústria. Em 1996, havia
apenas 1.459 postos de emprego no
ramo da indústria, sendo que apenas 77
eram na indústria calçadista. Em 2006 os
números mudaram: 1.793 postos de
emprego na indústria como um todo e
503, considerando apenas a indústria
calçadista [50].

Pode-se dizer, que o chamado "Governo


das Mudanças" influenciou neste
crescimento, já que partia do
pressuposto que o desenvolvimento só
seria alcançado pela promoção
industrial. A partir desse pensamento,
houve a interiorização da indústria. Este
foi um movimento bem parecido com o
ocorrido na década de 1950.[52]. Outro
fator é a melhoria da qualidade de vida
da população, bem como de alguns
indicadores sociais, como a taxa de
alfabetização da população e o aumento
da média do tempo de estudo, o que
qualifica mais a mão de obra e permite
serviços mais avançados, e também a
diminuição da mortalidade infantil [52].

Comércio e serviços …
O comércio de Barbalha tem sua
principal expressão na feira semanal que
ocorre aos sábados, nas proximidades
do Mercado Municipal, feira esta, onde
se pode encontrar desde frutas e
legumes, cereais e outros gêneros
alimentícios [53] até artigos em couro e
vestimentas. Diversas barracas e
camelôs se espraem pelas ruas, o que de
forma colateral, gera grande quantidade
de lixo.

Quanto ao comércio formal, podem ser


citadas como principais pontos os
seguintes locais: Rua do Vidéo, Rua
Princesa Isabel, Rua Pero Coelho, Neroly
Filgueira e Rua Cel. João Coelho (CE-
060)[54].

Rua do Vidéo …

Aqui encontra-se academia de


musculação, escola, loja de móveis,
mercadinho, lojas de roupas,
restaurantes e lanchonetes, sendo que
devido a estes dois últimos, apresenta
grande movimentos aos sábados à noite,
já que se pode encontrar música ao vivo
e diversão após a semana de trabalho.

Rua Princesa Isabel …

É uma Rua bastante valorizada do ponto


de vista comercial, já que, embora
apresente diversos estabelecimentos,
tais como supermercado, mercadinhos,
agência do Banco do Brasil, Hospital,
lojas de roupas e artigos diversos, fica
próxima do local onde se dá a feira
semanal, o que incrementa ainda mais o
movimento, além do que fica próxima ao
terminal rodoviário e abriga o a
Secretaria de Saúde, em cujo prédio
localizava-se a antiga sede da Prefeitura
Municipal.

As demais ruas citadas apresentam


desde mercadinhos, funerária, agência
da Caixa Econômica Federal, até
autoescola.
Infraestrutura

Educação …

Processo evolutivo …

Gabinete de leitura de Barbalha

Tida como uma cidade dedicada à


instrução dos seus cidadãos, Barbalha
possui esta vocação desde tempos
remotos.

A história educacional de Barbalha tem


seu nascedouro em 1889, quando foi
fundado o Gabinete de Leitura de
Barbalha, sociedade filantrópica que
visava oferecer educação de qualidade
aos pobres. Foi responsável pelos
estudos primários de muitos cearenses
de renome.[55][56]

Em 1903 houve a fundação do Colégio


Leão XII, por iniciativa do Juiz de
Comarca Manoel Soriano de
Albuquerque, com padrões de ensino
equiparadas às instituições das grandes
cidades à época, no intuito de garantir a
formação dos filhos dos grandes
proprietários de terra [55][56]. Este homem,
a propósito, teve grande participação na
formação da estrutura educacional de
Barbalha, tanto que além do feito acima
mencionado, também inaugurou o
Colégio Coração de Maria, instituição
dedicada à instrução para moças.[57]

Com o intuito de erradicar o


analfabetismo, foi fundada em 1917 a
Liga Barbalhense Contra o
Analfabetismo, seguindo uma tendência
social da época. A liga manteve, desde
sua fundação, duas escolas que
funcionaram até pouco tempo, cedendo
suas aulas à rede pública de
educação.[56][58]

Por iniciativa do governador Justiniano


de Serpa foi criado em 1923 o Grupo
Escolar de Barbalha, hoje EEM Senador
Martiniano de Alencar.[55][56][58]

Colégio Nossa Senhora de Fátima

Em 1945 foi fundado o Centro de


Melhoramentos de Barbalha, entidade
beneficente, não governamental, com o
ideal de pleitear melhorias para a cidade.
Sentindo a necessidade da existência de
instituições particulares que cuidassem
da educação moral e científica da
juventude barbalhense, foram fundados
os colégios Nossa Senhora de Fátima e o
Ginásio Santo Antônio.[55] Providenciais
são as palavras de Antônio Lyrio Callou
sobre o Centro de Melhoramentos de
Barbalha:
“ Ressente-se a nossa terra da falta
de tudo isto, e uma das grandes
lacunas é a ausência de um
estabelecimento de ensino
secundário, onde eficientemente
seja ministrado à nossa juventude
o curso de humanidades. Dezenas
e dezenas de estudantes de
ambos os sexos frequentam
cursos em várias cidades deste e
de outros Estados, com dispêndio
muitas vezes, oneroso a economia
dos pais [...] ”
O Colégio Nossa Senhora de Fátima foi
entregue à direção das madres
beneditinas e se prestava à educação
feminina. Contava com um internato e
recebia alunas de várias cidades da
região, bem como de outros estados.[59]

O Ginásio Santo Antônio, dirigido pelos


padres salvatorianos, educava o
juventude do sexo masculino e também
recebia alunos de várias cidades e
estados vizinhos. Com o passar dos
anos, o regime de internato nas duas
instituições foi extinto, tornando-se,
ambas, escolas mistas.[55]

Em pleno funcionamento, são tidas


como umas das mais tradicionais
instituições de ensino particulares da
região. Também pode-se mencionar o
Colégio Lyrio Callou, originalmente
Centro Educacional Lyrio Callou, nascido
a partir do Gabinete de Leitura, já
mencionado. Passou a ter o nome que
hoje ostenta em 15 de abril de 1975.[60]

A rede pública de educação é extensa e


conta com várias escolas de educação
infantil e fundamental na sede do
município, distritos e localidades, além
das escolas estaduais de nível médio. A
cidade conta, ainda, com escolas
técnicas de educação profissional, com
destaque para o Liceu de Barbalha que
oferece vários cursos técnicos, dentre
eles: técnico em enfermagem e
informática.
Faculdade de Medicina de Barbalha

Por conta de sua vocação para as


ciências da saúde e por ser cidade polo
na prestação de serviços nesta área a
cidade abriga, desde 2001, o curso de
medicina da Universidade Federal do
Ceará (UFC) na região do Cariri.[61] Houve
grande pressão de grupos de alto
escalão do Governo do Estado, no
sentido de levar o curso para o Município
de Juazeiro do Norte, tendo em vista o
número, à época, 3 vezes maior, de
eleitores, mas com força, Barbalha
conseguiu vencer a batalha.[62]

A Escola de Artes Reitora Violeta Arraes


de Alencar Gervaiseau foi inaugurada no
dia de 29 de novembro de 2008, e
passou a funcionar regularmente no
Casarão-Hotel. Esta instituição é
vinculada à URCA. Todavia, a despeito de
seus serviços prestados à sociedade
barbalhense e sua enorme contribuição
ao cenário cultural desta Cidade, sua
sede foi transferida para Juazeiro do
Norte em 2011, embora não sem
resistência por parte da categoria
jornalística barbalhense e de vários
cidadãos que não queriam perder este
verdadeiro patrimônio.[63] São ofertados,
ainda, cursos superiores à distância de
duas instituições privadas de ensino.

Dados estatísticos …

Alguns dados concretos (estatísticos)


sobre a educação em Barbalha,
referentes ao ano de 2010 [41]:

Vínculo Quantidade de professores

Estadual 142

Municipal 536

Particular 227

Há 5 (cinco) escolas estaduais no


município, que, juntas, dispõem de 57
salas de aula, 41 (quarenta e uma)
escolas municipais, que totalizam 255
(duzentos e cinquenta e cinco) salas de
aula, e 15 (quinze) escolas particulares,
que somam 186 (cento e oitenta e seis)
salas de aula. Em 2010, 3.915 alunos
eram matriculados na rede estadual de
ensino, 10.967 na rede municipal e 3007
na rede particular.

Saúde …

Importante pólo regional de saúde,


responde pela cobertura de várias
cidades da região sul do Ceará e estados
vizinhos. A vocação para a excelência
em prestação de serviços de saúde se dá
a partir do retorno de alguns cidadãos à
terra natal, quando do término do curso
médico. São destaques os doutores Pio
e Leão Sampaio, Lyrio Callou, Mozart
Cardoso de Alencar, entre outros.

Hospital São Vicente

Devido ao crescente aumento da


demanda por serviços de saúde surge o
desejo da criação de uma instituição
hospitalar que suprisse as necessidades
do município. Com a fundação do Centro
de Melhoramentos de Barbalha e por
iniciativa dos médicos, notadamente o
Dr. Antônio Lyrio Callou e políticos locais,
iniciam-se as obras do Hospital e
Maternidade São Vicente de Paulo. A
nova casa de saúde abre suas portas à
data de 1° de maio de 1970 já com um
grande volume de atendimentos entre
partos e assistência médica em geral. A
direção do hospital foi entregue às
freiras Beneditinas. O complexo
hospitalar conta atualmente com um
centro de oncologia de referência em
todo o Nordeste, centro de
traumatologia, centro de imagem e
várias clínicas médicas. Conta, ainda,
com uma UTI neonatal e recebe os
acadêmicos do curso de Medicina do
Cariri, da Universidade Federal do Ceará.
São alguns números da instituição:
14.248 metros quadrados de área
construída, 228 leitos, 157 médicos no
seu Corpo Clínico, 567 funcionários,
sendo referenciados para atendimentos
por 45 cidades de cinco Micro-Regiões
de Saúde e recebendo clientes de mais
de 60 cidades por demanda espontânea.
No ano de 2009 fez uma média de
32.932 atendimentos por mês.[64].

Em 1981, por iniciativa dos irmãos


médicos Antônio, José e João Correia
Saraiva, funda-se o Hospital e
Maternidade Santo Antônio. Já em 2011,
a instituição de saúde contava com mais
de 200 colaboradores (entre médicos,
enfermeiros, auxiliares, etc...), bem como
UTI NEURO devidamente equipada com
10 leitos, e mais semi intensiva adulta,
02 (dois) laboratórios (terceirizado),
serviço de hemodiálise (terceirizado) e
serviços de imagem (terceirizado), além
dos serviços próprios do Hospital e
recém instalado de Ressonância
Magnética [65]. Com uma grande
expansão entre os anos de 2000 e 2010,
o hospital conta com um centro de
hemodiálise e neurologia. Ao instituir o
Hospital do Coração do Cariri, surge um
novo complexo hospitalar com
capacidade para realização de
procedimentos médicos de alta
complexidade na área de cardiologia.
Centro de saúde materno-infantil

Os hospitais de Barbalha integram a rede


de assistência médica de alta
complexidade do SUS e governo do
estado do Ceará e dão suporte ao
Hospital Regional do Cariri (HRC).

No setor secundário, os centros de


saúde especializados (centro de saúde
materno-infantil, centro de hipertensão e
diabetes, centro de atenção ao idoso,
centro de especialidades odontológicas
e CAPS) e os núcleos de apoio à saúde
da família – NASF oferecem à população
uma infra-estrutura completa de
atendimento nas áreas que abrangem.
Barbalha contará com uma Policlínica de
saúde (em fase de conclusão) instituída
pela secretaria de saúde do estado do
Ceará no ano de 2012 como parte do
programa de reestruturação do sistema
estadual de saúde.

O setor primário conta com várias


unidades de básicas de saúde
distribuídas na zona urbana e rural do
município.

Transporte e trânsito …
Rodoviária de Barbalha

O sistema de transportes é composto


por empresas privadas de ônibus que
atendem a população no deslocamento
entre os bairros da zona urbana e
distritos. Carros de linha regulares
(caminhonetes) fazem o transporte para
a zona rural deixando muito a desejar no
que diz respeito à segurança e conforto
para os passageiros. Uma cooperativa de
transporte alternativo (vans) é
responsável pelo transporte entre alguns
bairros e o centro da cidade, além de
complementar a ligação entre Barbalha e
as cidades vizinhas. A empresa Viação
Metropolitana é responsável pelo
transporte entre as cidades de Barbalha,
Crato, Juazeiro do Norte e Missão Velha,
atuando com linhas regulares e carros
que oferecem certo conforto aos
usuários. A empresa atua, ainda, com o
sistema de integração inter-municipal de
transporte e faz jus aos direitos dos
estudantes (meia-passagem) e dos
idosos acima de 65 anos (isenção da
passagem).
Estação Ferroviária de Barbalha

Futuramente a cidade contará com uma


linha do Metrô do Cariri.

O terminal intermunicipal de passageiros


funciona no antigo prédio da estação
ferroviária e não supre a demanda de
movimento. Observa-se a necessidade
da construção de um novo terminal
rodoviário, reivindicação antiga da
população local. Passam pela cidade as
principais linhas que partem da região do
Cariri para todo o país.

Em tempos outros a Cidade já desfrutou


de linha ferroviária, que tinha como
terminal o prédio onde é o atual terminal
rodoviário da cidade e que contava com
apenas 15 km, aproximadamente.
Provavelmente sua chegada foi atrasada
pela ação de cangaceiros [66]. A obra foi
trazida e concluída em 1950 pelo
Departamento Nacional de Estradas de
Ferro, sendo atribuído o feito a
Emmanuel de Araújo Doria (Engenheiro
Dória) [67], motivo pela qual a praça que
fica em frente à Estação, até hoje se
chama Praça Engenheiro Dória.
Transportava-se cargas.

Quanto ao trânsito de veículos do


Município, pode-se constatar com uma
rápida checada no seu mapa [68], que a o
Centro urbano cresceu não
ordenadamente, ou seja, sem
planejamento devido, o que causa
algumas distorções que decorrem deste
fato. Há, segundo dados do IBGE, em
2010, uma frota de veículos
relativamente pequena, alcançando o
número de 8.890, entre veículos de
passeio, ônibus, caminhões, tratores,
motocicletas, caminhonetes e
camionetas [69].

Parece, também haver imprudência


generalizada por parte dos condutores,
principalmente nas épocas em que há
festas. Assim, embora bem sinalizadas
as vias, ao menos no Centro [70], este
cuidado não parece dar os resultados
almejados, já que, segundo o "Mapa da
violência 2012" o Município lidera o
índice de mortes de jovens no trânsito
dentre os municípios do Estado do Ceará
[71].

Departamento Municipal de Trânsito …

Órgão municipal que goza do status de


secretaria, ou seja, faz parte da
administração direta, não se
caracterizando como autarquia, espécie
de entidade da administração indireta.
Destarte, não goza de autonomia
financeira ou administrativa,
submetendo-se, desta sorte, a vínculo de
subordinação e hierarquia ao gabinete do
prefeito também chamado pela sigla
DEMUTRAN.

Dispõe de veículos próprios para


desempenhar suas atribuições. Estas
podem ser resumidas, dentre todas as
previstas no art. 24 do Código de
Trânsito Brasileiro [72], basicamente, em
executar a fiscalização de trânsito,
prover e manter a sinalização das vias
municipais, planejar o trânsito da cidade,
aplicar sanções, quando do cometimento
de infrações de trânsito, etc.

Malha viária …

A cidade, além das vias municipais,


urbanas e rurais, comuns, é cortada por 4
rodovias de âmbito estadual. As
principais são [73][74]:

CE-060: Faz as ligações Barbalha-


Jardim e Barbalha-Juazeiro do Norte,
sendo neste último caso, totalmente
duplicada.
CE-293: Faz a ligação Barbalha-Missão
Velha, além da ligação interna entre a
Sede e o Distrito de Arajara.
CE-386: Ligação entre os Distritos do
Caldas e Arajara e Arajara-Crato.

Saneamento básico …

A cidade sofre com um certo nível de


falha quanto ao saneamento básico. Isto,
porque apenas 48,83% dos domicílios
urbanos possuem acesso ao serviço de
coleta de esgoto , embora 98,04%
possuam acesso ao serviço de
fornecimento de água encanada. A maior
parte dos domicílios também tem
acesso à energia elétrica (91,68%), mas
nem todos eles tem acesso a serviço de
coleta de lixo regular (57,84%)[41].
Acrescente-se que em muitas ruas, a
maioria, na verdade, o esgoto não é
subterrâneo, mas a céu aberto.

Por isso pode-se dizer que a coleta de


lixo na cidade é deficiente, o que é
agravado pela falta de programas que
incentivem e conscientizem a população
a não jogar lixo no chão.
Importante ponto a ser destacado é que
o Município, através da Lei Municipal
1.815/2008, ratificou o protocolo de
intenções para formação do Consórcio
Público juntamente com outros
Municípios da Região Metropolitana do
Cariri, ao escopo de unificar o serviço de
aterro de resíduos sólidos (aterro
sanitário) [75][76].

O serviço de água e esgoto é prestado,


na cidade, pela Cagece, sociedade de
economia mista instituída pelo estado do
Ceará [77], tendo sido sua criação dada
pela Lei Estadual n.º 9.499, de 20 de
julho de 1971 [78].
Segurança …

Há, em Barbalha, Destacamento da


Polícia Militar do Estado do Ceará,
vinculado à 1ª CIA do 2º Batalhão de
Polícia Militar-BPM (Quartel em Juazeiro
do Norte) do Comando de Policiamento
do Interior-CPI, bem como duas viaturas
do Ronda do Quarteirão. Outrossim,
existe Delegacia Municipal da Polícia
Civil, vinculada à 20ª Região [79]. A
Cadeia Pública de Barbalha antes
funcionava na Casa de Câmara e Cadeia
(Palácio 3 de Outubro), prédio bastante
antigo, cuja construção remonta à
grande seca de 1877 [80] e que desabou
em 2004, em consequência do grande
volume de chuvas [81]. O Município
permaneceu quatro anos sem cadeia
pública, até que, em 2008 foi inaugurado
novo prédio destinado a servir para o
funcionamento daquela [82]. Não há
posto do Corpo de Bombeiros.

Ciência e tecnologia …

Encontra-se em Barbalha uma das


Estações Experimentais da Embrapa
Algodão. Esta unidade faz pesquisas
científicas que visam melhorar as
técnicas de cultivo de algodão [83][84][85].

Meios de comunicação …
Rádios …

Existem algumas estações de rádio na


cidade: A Rádio Cetama e a Rádio
Barbalha operam, respectivamente, nas
frequências AM 930 kHZ e FM 96,7 MHZ.
Há, ainda, a Rádio Caldas FM 105,9 MHZ
e algumas rádios comunitárias. Não são
rádios de grande porte, nem dispõem de
estrutura de altíssimo nível, atingindo
apenas nível local.[86].

Telefonia …

São disponíveis para uso, na Cidade de


Barbalha, as operadoras Tim, Claro, Oi e
Vivo, embora, em determinadas
localidades específicas, o sinal possa
não ser recebido, de maneira adequada,
pelo usuário. O Município está localizado
no código de área 88[87].

Internet …

Além das conexões de internet que são


oferecidas pelas operadoras de telefonia
móvel, há empresas que fornecem
internet via rádio, como a barbalhense
Iknet e a Baydenet.

Turismo
Com amplo potencial turístico, a cidade
se destaca na região por possuir
atrativos de diversas naturezas. Esta
atividade gera grande renda para o
município.

Turismo ecológico …

Jardins do Balneário do Caldas

Por situar-se na encosta da Chapada do


Araripe, a cidade conta com uma vasta
área de floresta nativa repleta de fontes
de água mineral e trilhas ecológicas.
Além da área de proteção ambiental da
Chapada do Araripe, reservas ecológicas
particulares são encontradas em todo o
pé da serra na cidade conferindo
proteção e preservação ao importante
ecossistema da flora e fauna regional,
inclusive para espécies ameaçadas de
extinção.

Parque ecológico do Riacho do Meio:


Abriga um sítio ecológico do Geopark
Araripe [25] onde se encontram fontes e
bicas de água mineral e trilhas
demarcadas para visitação. Não é
necessária autorização prévia para a
visitação do local, mas se indica
companhia de guia turístico, a
despeito da sinalização nas trilhas ser
boa, suficiente e estar em bom estado
de conservação [88][89].
Balneário do Caldas: Situado no
distrito de Caldas a mais de 700
metros de altitude, é um local de lazer
com piscinas, cascatas, restaurantes e
quadras esportivas. A Estância
hidromineral possui duas fontes
naturais de águas termais. Chalés de
veraneio e o Hotel das Fontes
completam a estrutura do Balneário
[90].

Arajara Park: Localizado no distrito de


Arajara, o parque temático está a 920
metros acima do nível do mar.
Piscinas, toboáguas e equipamentos
de lazer além de restaurante e bares
estão à disposição do turista e da
população local. Conta, ainda, com
uma reserva particular que possui
trilha ecológica aberta à visitação. No
passeio é possível observar o
Soldadinho do Araripe, ave típica da
região, em seu habitat natural. A trilha
termina na Gruta do Farias, uma das
principais fontes de água mineral da
Chapada do Araripe. Foi inaugurado
em 21 de abril de 2002 e licenciado
pela SEMACE e IBAMA.

Quanto ao Arajara Park, houve vozes


dissidentes quando na fase de
construção, visto seu alto grau de
impacto ambiental, causada pela
drástica alteração no cenário natural da
localidade e pelo fluxo de pessoas e
veículos no local .
Todavia, segundo a administração do
parque, em seu próprio site, a construção
do empreendimento foi benéfica, tanto
para as pessoas, como para o ambiente
natural, já que, antes da obra, havia
muitas roças no local, feitas sem as
devidas técnicas de plantio e
preservação, além de corte de lenha,
caça e outros fatores. Ainda segundo tal
informação, hoje há diversos projetos de
preservação, principalmente da mata
ciliar [91].

Turismo histórico …
Praça no centro de Barbalha

Centro histórico de Barbalha

Barbalha se destaca na região por


possuir um vasto e preservado sítio
arquitetônico composto por diversos
prédios públicos e particulares, o que
atrai estudiosos e interessados no
turismo histórico. Contando com cerca
de 40 prédios, o casario do Centro
Histórico de Barbalha se caracteriza pela
arquitetura do período imperial com
prédios construídos nos séculos XVIII e
XIX [92].

Igreja do Rosário

O Centro Histórico de Barbalha se


localiza no centro da cidade, numa área
que compreende aproximadamente 20
ruas. Seus limites vão desde o entorno
do largo do rosário até o largo do Colégio
Nossa senhora de Fátima e da Rua do
Vidéo à Praça Engenheiro Dória
(Estação). Além das históricas Igreja
Matriz de Santo Antônio e Igreja de
Nossa Senhora do Rosário, prédios como
o antigo Casarão Hotel e Palácio 3 de
Outubro fazem parte da composição [92].

Segue tramitando no IPHAN o processo


de inventário e tombamento do centro
histórico de Barbalha, que, em 2012,
recebeu investimentos do poder público,
sendo lançada ordem de serviço para
início das obras de revitalização. O
Processo de restauração urbanística terá
início com a padronização do
calçamento em paralelepípedo rejuntado
e seguirá com outras etapas
posteriormente.

Turismo rural …

Engenho de rapadura

A zona rural da cidade conta com várias


comunidades que vivem basicamente da
agricultura, com destaque para o cultivo
da cana-de-açúcar e feitura da rapadura.
A visitação aos engenhos e a
oportunidade de conhecer e
experimentar o doce típico da cidade no
momento em que está sendo feito, atrai
muitas pessoas aos sítios,
principalmente comitivas de romeiros,
que vêm de Juazeiro do Norte nas
épocas em que a peregrinação religiosa
atinge seu pico. É muito comum ônibus
lotados visitarem engenhos no Sítio
Venha-Ver.

Tem destaque o corredor rural que vai do


sítio Venha-ver até o distrito de Estrela,
onde se concentra a maioria dos
engenhos da região [93].

Cultura e folclore
Casarao Hotel - Barbalha

Tida como um dos maiores celeiros de


cultura popular do interior do Brasil, atrai
milhares de turistas todos os anos
durante os festejos do padroeiro Santo
Antônio. São vários os grupos folclóricos
e folguedos juninos compostos por
cidadãos das diversas comunidades
rurais e dos bairros da cidade. A
preocupação de passar as tradições
culturais de pai para filho torna a
inserção de jovens nos grupos
folclóricos uma prática comum do local.
Os jovens são ensinados pelos “mestres”
que coordenam os grupos [92].

Igreja de Santo Antonio

Festa de Santo Antônio …

O maior festejo popular da cidade


acontece no mês de junho e é alusivo ao
padroeiro da cidade, Santo Antônio. A
festa dura em média 15 dias e é uma das
maiores festas juninas do Brasil. Além da
realização da tradicional trezena
religiosa em homenagem ao santo
padroeiro, ocorrem os festejos sociais
como a quermesse e shows de grande
porte no Parque da Cidade [94]. A festa
tem início com o dia do Pau da Bandeira,
tradição local com mais de 100 anos de
existência. Neste dia, o primeiro da Festa
de Santo Antônio, os homens devotos
vão às cinco horas da manha em busca
do mastro, previamente escolhido e
preparado, em um sítio localizado no pé
da serra há 6 km de distância do centro
da cidade. Acompanhados por uma
multidão de pessoas, os homens trazem
o Pau da Bandeira nos ombros até a
frente da Igreja Matriz de Santo Antônio
para hastear a bandeira do padroeiro e
simbolizar que a cidade está em festa
[92][95].

Concomitante a isto, pela manhã,


acontece o tradicional cortejo folclórico,
onde todos os grupos da cidade se
apresentam na principal rua do Centro
Histórico. Durante todo o dia, até a
chegada do Pau da Bandeira, milhares de
pessoas se aglomeram pelas ruas do
Centro histórico da cidade assistindo a
shows típicos nos pólos artísticos,
desfilando em blocos ou simplesmente
esperando o grande momento da festa, a
passagem do Pau da Bandeira até a “rua
da igreja” para o seu hasteamento [92][95].
É uma festa que mescla o sagrado e o
profano e encontra-se no nebuloso eixo
entre ambos os conceitos, o que sempre
deu certos cuidados à Igreja Católica, de
forma que, no momento em que se
hasteia o Pau-da-Bandeira, as portas da
Igreja da Matriz encontram-se fechadas.
É um detalhe bem simbólico, pois denota
a preocupação da referida instituição em
segregar ambos os aspectos e definir,
ou, ao menos, tentar, no papel, os limites
da festa [96].

Não é errôneo dizer que esta prática, em


seu nascedouro, foi fomentada pelo
Padre Ibiapina, que durante algum tempo
prestou serviços de caridade à
população [97].

A partir de então até o dia de Santo


Antônio, 13 de Junho, shows e comidas
típicas são encontrados na tradicional
quermesse que acontece sempre após a
missa, na rua da Matriz. Shows de
grande porte são oferecidos à população
no parque da cidade que conta também
com barracas e parques de diversão [92].

No dia 13 de Junho acontece a


procissão de Santo Antônio, que reúne
milhares de pessoas vindas de todas as
comunidades do município, além de
cidades vizinhas. O carro andor com a
imagem do padroeiro em tamanho
natural é acompanhado pelas estatuas
dos padroeiros das capelas de todas as
comunidades e segue em cortejo pelas
principais ruas da cidade [92].

Para produzir documentário sobre este


quadro cultural, o Governo Municipal
lançou em 7 de maio de 2012 edital para
licitação na modalidade convite. Este
procedimento cuminou com a produção
do documentário "Memória dos prédios
históricos de barbalha" do cineasta
Rosemberg Cariry [98].

A Festa de Santo Antônio encontra-se


em estágio final para ser tombado como
Patrimônio Imaterial [99].
Os Penitentes …

Ponto importante a se enfatizar no


contexto cultural e religioso barbalhense
é o Grupo dos Penitentes. Os integrantes
desta manifestação religiosa se auto-
flagelam (mortificação do corpo) como
meio de atingir a salvação da alma após
a morte. Embora o auto-flagelo seja a
principal expressão que demarca esta
irmandade, as penitências são mais
diversificadas, incluindo longas
caminhadas ao mesmo tempo em que
rezam, mendicância itinerante, privações
materiais, etc. Pode-se dizer que esta
irmandade é uma forma de
exteriorização da religião católica na
Região do Cariri, já que, além de
Barbalha, também aparecem em
Juazeiro, por exemplo. Os Penitentes
fazem parte do roteiro explorado pela
Organização da Festa de Santo Antônio
[100].

O Reisado …

O Reisado é uma brincadeira, uma


espécie de teatro nômade, em que um
grupo de brincantes se conta uma
narrativa que não tem começo ou fim e
não é determinada, pois pode mudar por
diversos motivos. Segundo os
brincantes: "Uma viagem que vem do
começo do mundo". Durante a andança,
ocorrem paradas, espécies de pontos de
checagem, ocasiões em que contam
para aqueles ao redor, interagindo com
eles, sobre o que aconteceu na viagem
até o momento. Manifestação popular
que junta os aspectos lúdico (cômico) e
heroico (épico).Os brincantes
interpretam reis, rainhas, santos ou
guerreiros [101][102].

Festas locais …

Cada localidade do Município tem seu


padroeiro e a respectiva festa.
Comumente também se hasteia um pau
da bandeira. No Distrito da Arajara se
homenageia a Imaculada Conceição; No
Sítio Lagoa, a padroeira é Santa Luzia
[103]; No Distrito Estrela, o santo patrono
é São João Batista[104], assim como no
Brejão. Embora com as diferenças de
dimensão e pequenas peculiaridades de
cada localidade, os festejos tem o rito
bastante parecido com o do Pau da
Bandeira de Santo Antônio.

Cine teatro …

O Cine Teatro Neroly Filgueira abriga


diversos acontecimentos culturais, de
entretenimento e, por vezes, até
políticos. Em outubro de 2011, por
exemplo, se deu no local a Mostra de
Cinema Infantil [105]. Já em novembro de
2012, ocorreu o Festival de Teatro
Barbalha Cênica [106], com a
apresentação de diversas peças, com
grupos de teatro de diversos locais da
Região do Cariri. Ademais, acontecem
algumas aulas de teatro no local [107].

Canções em homenagem à cidade …

Devido aos seus inúmeros fascínios, a


bela cidadezinha interiorana ganhou
homenagem de músicos de peso, que a
fazem ter mais do que simplesmente um
hino oficial [95]. Quando se aproxima a
época dos festejos de Santo Antônio,
pode-se ouvir em cada esquina a
animação popular ao embalo de duas
grandes composições.

A primeira é chamada "Festa de Santo


Antônio", de Luiz Gonzaga [108] e é mais
antiga. A segunda tem por nome "Linda
barbalha" de Alcymar Monteiro [109].
Ambas extrapolam os limites de simples
canções, mas são hinos da identidade
cultural da Barbalha e estufam o peito de
seus cidadãos de orgulho.

Afora isto, pode-se também ouvir


menções à Cidade no Hino do Colégio
Nossa Senhora de Fátima, cujas letra e
música são de autoria de Maria
Alacoque Sampaio [110].
O Hino do Município tem a seguinte letra,
escrita, também, por Maria Alacoque
Sampaio:

"Canta Barbalhpao

Terra de Santo antônio, o nosso grande


protetor!

Canta Barbalha a beleza dos palmeirais.

canta Barbalha de tuas fontes o


marulhar.

canta Barbalha este teu valeu sem fim,


sem par.

canta Barbalha os teus verdes canaviais!


Canta Barbalha os devotados à
instrução.

Canta Barbalha as tuas lutas cheias de


ardor.

Canta Barbalha os que batalham em teu


favor.

Canta Barbalha aos céus um hino de


gratidão!

Canta Barbalha os que passaram


fazendo o bem.

Canta Barbalha os que lutaram como


heróis.
Canta Barbalha os que brilharam quais
lindos sóis.

Canta Barbalha essa saudade que a


gente tem!"

Esportes
Os esportes mais praticados em
Barbalha são o futebol e o futsal,
mormente nas escolas, mas também é
comum ver pessoas praticando vôlei ou
caminhada (corrida/jogging/cooper) e
ciclismo, bem como musculação.

Algumas escolas, como o Colégio Nossa


Senhora de Fátima, o Colégio Santo
Antônio e o Centro Educacional Lyrio
Callou promovem, anualmente, jogos de
diversas modalidades, que vão desde
futsal, natação, carimba (queimada),
vôlei, e basquete, até tênis de mesa, e
xadrez.

Atualmente, existe no Município um time


de futebol disputando o Campeonato
Cearense. É o Barbalha Futebol Clube,
que tem mandado seus jogos no Estádio
Lírio Callou, mais conhecido por Inaldão.
Em 2014, o disputou pela primeira vez a
copa do Brasil, onde foi eliminado na
primeira fase pelo Cuiabá EC. Em 2019,
pela primeira vez em sua história chegou
a disputar a primeira divisão do
Campeonato Cearense, tendo terminado
a primeira fase na primeira colocação,
que lhe garantiu vaga para copa do Brasil
em 2020.

Há, também, um campeonato municipal,


o Campeonato Barbalhense, que é
organizado em 1°,2° e 3° divisões.São
alguns dos clubes participantes:
Malvinense, Novo Rosário, Família
Coutinho(time de Pikachu e do grande
atleta das cabeceiras, negão e família.),
Atlético Rosário,Time das almas, Grêmio,
Vitória, Perboni, Caldas, Bela Vista,
Gama, Buriti, Matonense, Malvinense,
Imperial, Cirolândia, Cabeceiras, Santa
Cruz e Internacional. Os jogos são
realizados no Inaldão.[111]
Surgiu, em 2012, na Cidade um time de
futebol americano, o Araripe Soldiers,
que realiza ações sociais, como o ensino
do inglês a jovens carentes, através da
prática do esporte, bem como apoio ao
IACC (Instituto de Apoio à Criança com
Câncer). O time treina no Inaldão
[112][113].

Referências
1. IBGE territ da
(10 orial Presi
out. ofici dênci
2002 al» . a do
). Resol IBGE
«Área ução de n°