Você está na página 1de 8

INICIANDO A VIDA CONTEMPLATIVA

Joel Goldsmith
página 172

tradução: Giancarlo Salvagni


2018
INICIANDO A VIDA CONTEMPLATIVA

Joel Goldsmith

A questão aqui não é alcançar logo de cara um grau de iluminação que definiria o
professor espiritual, mas como alcançar iluminação suficiente para poder libertar-se das
discórdias e desarmonias da vida humana, construindo dentro de si uma consciência
espiritual que não só se elevaria acima dos problemas do mundo, problemas familiares
ou comunitários, mas também permitiria viver como um humano normal, com família,
trabalho e vida profissional, e ainda ser inspirado, alimentado e apoiado por uma
experiência interior, por um contato interior.
Sabemos que todas as pessoas de uma religião que desliga a mente (e não faz diferença
qual seja a religião) alcançam alguma medida de harmonia ou paz interior, e em seguida,
encontram-se sob posse de uma Graça interior que vive suas vidas por elas. A razão, e
não importa qual a religião delas, é que existe apenas um Deus, um Espírito, e o Espírito
não vê diferença entre um judeu ou um gentio, um protestante ou um católico, oriental,
ocidental ou um índio americano. No que diz respeito à Consciência, ela é inteiramente
sem crenças religiosas, convicções, cerimônias, ritos, credos ou formas de adoração. É
um Espírito absolutamente livre e independente que nos permeia, assim como a Vida da
natureza permeia uma folha de grama ou uma orquídea, uma margarida ou uma violeta.
Ele não sabe a diferença e nem faz qualquer diferença para Ele se um cão é vira-lata ou
sangue puro. A mesma Vida e o mesmo Espírito animam tudo.
Lemos nas Escrituras que "Deus faz com que o seu sol se levante sobre maus e bons, e
a chuva desça sobre justos e injustos” (Mateus 5:45), portanto, no que diz respeito a
Deus, não existe nem grego nem judeu, nem escravos nem livres. O Mestre deixou isso
muito claro quando ele disse: "Não chameis a ninguém de pai sobre a terra, porque um
só é vosso Pai, que está nos céus” (Mateus 23:9). Se ele estivesse personalizando, isso
teria significado apenas para aqueles que estavam ouvindo, e então, Deus seria apenas
Pai do Judeus, pois não havia cristãos em sua época, e nem havia uma igreja cristã ou
uma seita cristã - havia apenas judeus na terra santa e ele era um deles, um rabino em
seu meio. Portanto, se fôssemos tomá-lo personalizando, ao ouvirmos: "não chame
nenhum homem de seu Pai sobre a terra", entenderíamos que os judeus seriam os
únicos a ter Deus como seu pai. Nós sabemos que, em seu ensino, ele não estava
falando com ninguém pessoalmente, ele estava aclamando a Verdade. Em outras
palavras, ele poderia ter dito que duas vezes dois são quatro enquanto falasse de
repolhos, mas não significaria entender que o princípio aplica-se apenas aos repolhos.
Duas vezes dois são quatro se aplicado a repolhos ou a reis. Portanto, quando ele diz:

1
"Não chameis a nenhum homem de pai sobre a terra", ele não está se dirigindo apenas a
você que está lendo isso, nem ele estava falando apenas àqueles que estavam sentados
diante dele, ele estava falando para o mundo, proclamando uma mensagem que foi dada
a ele por Deus.
Nenhuma pessoa na face do globo pode ter esperança de iluminação espiritual, a menos
que ela reconheça em primeiro lugar que só pode haver um Princípio Criativo, e que a
sua localização não está nas montanhas sagradas, nem nos templos de Jerusalém. Sua
localização não está nem aqui, nem lá, mas dentro de você - e aqui não faz diferença
onde "você" possa estar. Não faz diferença se você está em um hospital, na prisão, no
trabalho, na arte ou na profissão – o Reino de Deus está dentro de você, e o Reino de
Deus é Espírito, não é um ser super-humano. Este passo é realmente o primeiro passo
para alcançar a luz espiritual. A Presença de Deus está dentro de você, seja você quem
for.
Quando você chega a esse ponto de meditação e chega ao nível em que você realmente
sente a verdade disso e realmente sente a presença de Deus no ar, no seu corpo, no seu
negócio, na sua casa, no seu concorrente, no inimigo do outro lado do mar ou do outro
lado da rua – você chega ao próximo passo. Esse passo todo mundo deve dar antes que
a iluminação possa vir, e ele é a percepção de que, uma vez que o Reino de Deus está
dentro de você, ele deve fluir através de você. Ele não pode vir até você; e você deve,
em alguma fase de seu desenvolvimento, deixar ele fluir através de você. Por exemplo, o
companheirismo é tão simples de demonstrar porque isso requer apenas que você seja
um companheiro. Isso é tudo! Depois de se tornar um companheiro, você tem
companheirismo. Depois de encontrar algo ou alguém como companhia, e nem precisa
ser um ser humano, mas pode ser um membro do sexo oposto, um estranho, membros
de sua própria família, pássaros que vêm para o seu gramado ou você pode encontrar
companhia entre as estrelas, e então você é um companheiro. O ponto é que essa
companhia é uma emoção, uma experiência, uma partilha de si. Poderia ser no nível de
vizinhança ou amizade, no nível de marido, esposa, irmão ou irmã. Todos os meios de
companheirismo são uma partilha de si mesmo com outra pessoa. Assim sendo,
companheirismo está sempre disponível para você porque está dentro de você; é o dom
de Deus dentro de você, e é você quem determina se você vai mantê-lo bloqueado ou se
você será um companheiro. No momento em que você decide ser um companheiro, você
tem companhia.
O Reino de Deus está dentro de você, então não há como produzirmos suprimento para
qualquer um. "Filho, estás sempre comigo, e tudo o que tenho é teu" (Lucas 15:31).
Todos na face da terra têm tudo o que o Pai tem, que é infinito, e tentar obter algo lá fora,
no espaço, é loucura. O suprimento não é demonstrado pela obtenção, mas em abrir um

2
caminho para que o fluxo de suprimento venha para fora de sua fonte, a qual é o Reino
de Deus dentro de você. Portanto, a iluminação só pode vir para aqueles que percebem:
"o Reino de Deus, Luz, Verdade, Sabedoria e Amor está dentro de mim. Tudo o que o
Pai tem é meu". Assim como você tem que encontrar um caminho para expressar
companheirismo, então você tem que encontrar uma maneira de expressar o suprimento.
Você faz isso de muitas maneiras, como o Mestre indicou no Sermão da Montanha. Dê,
mas tenha a certeza de que ninguém além de Deus saiba sobre suas orações. Ore por
seus inimigos e perdoe. O Mestre aponta tudo isso como uma ação que vem de dentro
de você para fora, e em nenhum momento ele indica que há alguma coisa por conseguir.
"Orai pelos que vos maltratam e vos perseguem, para que sejais filhos do vosso Pai que
está nos céus” (Mateus 5:44), e ele nos diz para “perdoarmos setenta vezes sete vezes”
(Mateus 18:22).
Não há como ganhar amor do mundo ou das pessoas do mundo. Muitos tentaram e
todos falharam, porque isso não pode ser realizado. O único caminho é o caminho da luz
espiritual. Amando, você torna-se amado, não há outro caminho. Esperar primeiro ser
amado é como esperar por algo vindo de um espaço em branco "lá fora". Você deve
primeiro colocar o amor para fora antes que ele possa fluir de volta. Você deve primeiro
lançar o pão sobre as águas antes dele retornar a você. Somente aquilo que você coloca
para fora encontra a sua volta até você, porque, por si mesmo, o espaço não tem nada
para dar a voce. No entanto, na proporção em que você coloca algo para fora no espaço,
o mesmo ato faz com que isso encontre o seu caminho de volta para você.
A iluminação espiritual começa com a realização dessas verdades simples, todas elas
baseiam-se na premissa de que o Reino de Deus está estabelecido dentro de você e
que, para desfrutá-lo, você tem que encontrar um jeito de trazê-lo para fora. Quando você
medita sobre estas coisas e reflete sobre elas, você chega a um ponto em que não há
mais nada a pensar a respeito. Você já disse tudo, pensou tudo, declarou, afirmou, e
você chegou a um lugar onde você encontra o silêncio. No exato momento em que você
alcança a quietude, você encontra Algo que toma lugar dentro de você, algo de natureza
transcendental, algo de natureza “não-humana”. Algo entra em sua consciência que você
mesmo não está declarando ou afirmando, mas que você está ouvindo. Você está
recebendo das profundezas de seu interior, mas você mesmo criou a circunstância para
esta verdade conhecida intelectualmente, declarada, sentida, afirmada, e em seguida,
ainda foi como se você tivesse criado um vácuo, e agora, nesse vácuo, a própria Voz
pode anunciar a Si Mesma e trazer consigo a Iluminação. O primeiro passo é
conscientemente e intelectualmente saber a Verdade. Através desta ponderação
constante, meditando, refletindo, você se traz para o nível em que você já disse tudo e
pensou em tudo – então, nessa quietude e a partir dessa quietude, vem a verdadeira Luz
que você tem procurado.

3
É necessário primeiro despir-se de toda crença de que Deus faz acepção (fazer diferença
entre, privilegiar) de pessoas, religiões, igrejas ou raças, e chegar a ver claramente que
Deus é Espírito, Deus é Vida, Deus é Amor - e que a Presença de Deus está realmente
dentro de você! "O lugar onde tu estás é terra santa” (Êxodo 3:5), porque a Presença de
Deus está ali. Quando você declara isso sobre você mesmo, olhe em volta, observe as
centenas de pessoas de sua vizinhança e lembre-se: "saibam eles ou não esta Verdade,
eu sei que esta é a Verdade sobre eles”. Se você não reza pelo seu inimigo, se você não
reconhece a Verdade como sendo universal, você está novamente tentando torná-la finita
ou limitada, e Deus não pode ser limitado.
O próximo passo é mais fácil, por causa das duas etapas anteriores. Agora você vem
para o nível em que você reconhece que o homem não pode influenciar Deus, o homem
não tem poder sobre o mundo de Deus e o homem não tem jurisdição sobre Deus. O
homem não pode manter seu próprio caminho com Deus, o homem não pode fazer com
que Deus faça a sua vontade, do seu jeito. Portanto, a próxima necessidade é a
capacidade de ser um observador. Se você não pode influenciar a Deus, você pode ao
menos ver o que Deus está fazendo. Você pode se tornar uma testemunha do que Deus
está fazendo em sua vida, na vida dele, dela ou de qualquer ser. Quando o sol nasce de
manhã, nasce para judeus e gentios, brancos e negros, orientais e ocidentais. Não tem
favoritos e, se você quer assistir o nascer do sol, você deve estar disposto a reconhecer
que o sol está nascendo para todos na comunidade.
Deve sempre haver a lembrança de que o que Deus está fazendo Deus está fazendo,
que ele não precisa da sua ajuda, nem Ele pode ser controlado por você. A Graça de
Deus não pode ser impedida. Mesmo se você acha que está no desobediência à Sua lei,
a Graça de Deus ainda está fluindo. Você pode não receber seu benefício, mas isso é só
porque você mesmo se cortou para fora dele. Isso é muito parecido com o entendimento
que temos da lei cármica: "Tudo o que o homem semear, isso também ceifará". Deus não
tem nada a ver com sua semeadura ou com sua colheita. É você que semeia. Se você
semear para a carne, você colhe corrupção. Se você semear para o Espírito, você colhe
vida eterna. Portanto, é sempre você. Pelo seus pensamentos e ações de hoje você está
determinando seu carma de amanhã. Pelo seu semear de hoje, você está determinando
sua colheita de amanhã. Portanto, se você encontra-se em privação de saúde,
segurança, proteção ou paz interior por causa de um ato de desobediência a um ou mais
dos Dez Mandamentos, ou através de uma violação de amar o próximo como a si
mesmo, não culpe a Deus. Deus nem lhe dá a paz e nem atira de você; nem dá saúde
nem a tira, nem dá suprimento nem o leva. A Graça de Deus é tão livre quanto o brilho do
sol. Você pode se puxar para baixo das sombras e nunca ver ou sentir o sol se assim
quiser, mas essa é a sua ação, não a de Deus. Deus só se ocupa de que a luz do sol

4
esteja sempre lá. A Graça de Deus é muito parecida com o sol no céu: está lá e está
disponível para todos, embora possa haver nuvens temporárias escondendo sua luz.
Seu reconhecimento disso, sua desistência de tentar que Deus faça algo, sua
capacidade de abster-se de suplicar, implorar, influenciar ou subornar Deus - seu próprio
ato de se refrear traz a ação de Deus em sua experiência. "Deus é, não por minha causa,
mas, na verdade, apesar de mim, Deus ‘é’. Deus está mais perto de mim do que minha
respiração. . . O lugar onde estou é terra santa. . . Onde está a Presença do Senhor, há
liberdade e realização!” No momento em que você aprende a abster-se de tomar o céu a
força, no momento em que você é capaz de sentar-se na percepção: "Onde eu estou,
Deus está" e silenciar, você abre caminho em sua própria consciência para a
Onipresença - que já estava lá - para se manifestar e se fazer evidente em sua
experiência.
O erro é a tentativa de influenciar Deus: “Deus, vá lá e destrua meu inimigo". A tentativa
de personalizar Deus ou fazer com que Deus faça algo por alguém é devido à
incapacidade de entender que Deus é Espírito. Essa afirmação é por si mesma
libertadora e curativa. Não há nada que você possa fazer para mover a Consciência,
influenciá-la ou suborná-la. Não há nada que você possa fazer, senão deixá-la envolver
você, deixá-la conduzir você, dominá-lo, deixar que isso seja feito em você; e então você
descobre que você se fez uma transparência através da qual a Luz pode brilhar.
Esta Luz já está presente dentro de você. Não é uma Luz que você ganha por livros, por
adoração ou por professores, mas é uma Luz que livros, adoração ou professores podem
lhe revelar como tendo existência dentro de você. A função do professor é desvelar a Luz
que já existe em seu mais íntimo Ser, sua mais íntima identidade. A função do professor
e do ensino é desvelar a presença do Espírito de Deus que está dentro de você, para que
você possa dizer "Eu e meu Pai somos Um". A função desta Presença que está dentro
de você é curar os doentes, ressuscitar os mortos, pregar o evangelho, alimentar os
famintos, perdoar o pecador. Nunca deixou você e jamais o deixará. Você pode mudar
sua religião sete vezes, mas essa Presença ainda estará com você. Você pode viver em
um local onde jamais se ouviu falar de uma igreja, mas a Presença estará com você.
Nunca vai deixá-lo e nem desampará-lo. Está sempre lá, mas a vinda de seus benefícios
depende apenas da sua contemplação desta verdade, e então você gradualmente recebe
a confirmação de dentro de si mesmo e descobre que é verdade. Você recebe uma
garantia de dentro. Na verdade, a voz fala com você, embora se fale audivelmente não
tenha importância, desde que você sinta uma segurança interior de que, de um modo ou
de outro, você está vivendo pela Graça. Não por poder, nem pela força, mas pela Graça,
por uma Graça Divina que opera tão livremente quanto as marés ou o nascer e o pôr do
sol. Não é uma questão de ganhar ou merecer a Graça de Deus. Como seres humanos

5
não podemos ganhar ou merecer a Graça de Deus, e por isso nos é dito que devemos
"morrer diariamente" e renascer do Espírito. Como humanos, não vamos ganhar ou
merecer a Graça de Deus, mas como Filhos de Deus, somos herdeiros, e tudo o que
temos a fazer é reconhecermos nossa filiação.
Conforme você contempla estas verdades básicas, conforme você aprende a entrar em
um estado de espírito, um estado de consciência que sempre tem a garantia de que
existe uma Presença interna, um Poder interior, uma Graça interior – descanse nessa
Presença e descubra que ela pensa por você, dirige e esclarece você. Ela vai adiante de
você para endireitar os caminhos tortos. É uma influência de cura na mente e no corpo. É
uma presença sustentadora - e faz isso sem a sua ajuda. Tudo o que é necessário é a
sua capacidade de relaxar nela.
"Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas” (Salmos
23:2), “o Senhor aperfeiçoará o que me toca” (Salmos 138:8). É sempre Ele, mas Ele
não pode fazer isso se você pega as rédeas e corre longe, se você pensa "no que deve
comer, ou deve beber, ou no que vestirá”. Você então não está deixando espaço para
Ele; é tudo "eu, meu", esse “eu” que deveria morrer diariamente para que o “Eu” possa
renascer. "No sossego e na confiança está a vossa força” (Isaías 30:15). Como você
pode ficar quieto e ter confiança, a menos que você tenha a consciência de uma Graça
interior?
Este Caminho constitui um modo de vida. Isto é um modo de vida religioso, embora, se
tal termo é usado, pareça denotar uma religião, mas não é esse tipo de vida. Esta é uma
vida religiosa no sentido de um conhecimento da Vida de Deus, mas para evitar dar a
impressão de que encontramos alguma razão particular através da qual Deus está
abençoando sua vida, ela deveria ser justamente chamada de “vida contemplativa”,
porque pode ser vivida por judeu ou grego, protestante ou católico, oriental ou ocidental.
Pode ser vivida por qualquer um. É um modo de vida contemplativo que reconhece que
Deus é Espírito, que o Espírito é Onipresença, e que o Espírito é seu próprio Ser. É uma
maneira contemplativa de vida que é absolutamente irrestrita. Está disponível para
qualquer pessoa de qualquer fé ou sem fé, desde que se possa reconhecer que Deus é
Espírito.
Este templo tem Deus como tema central, não seu Deus ou meu Deus, mas apenas
DEUS - um Deus que não pertence a ninguém - um Deus que apenas “é” e tem que ser
universal. Eis porque o Caminho Infinito pode florescer em todos os países do globo onde
há liberdade e onde não se é obrigado a adorar de uma maneira específica. Onde quer
que haja liberdade, esta ordem é encontrada, porque não dá nome a Deus nem dá uma

6
religião ou uma fé particular a Deus. Só reconhece a Deus como o Princípio da Vida, o
Grande Arquiteto de todo o universo.
É por esta razão que o modo de vida contemplativo é a vida de um indivíduo que pode
reconhecer esta grande Verdade, de que onde quer ou como quer que Deus seja
adorado, é o mesmo Deus, porque não pode haver mais que um Deus. Seja como
hebreus, e vamos a um templo com nossos chapéus, ou como cristãos, com nossos
chapéus de fora, como orientais sem sapatos, ou como cristãos com os sapatos, deve-se
entender que isso não faz diferença. O que fazemos é adorar, de qualquer maneira que
signifique devoção e santidade para nós.
O contemplativo, então, é o indivíduo que está pavimentando o mundo para a paz
mundial, porque ele reconhece que existe apenas um Pai, um Deus igualmente para
todos, e que somos irmãos e irmãs. A única relação que é essencial é nos tratarmos
como membros de uma família. Fazer isso é amar a Deus supremamente, mas também é
amar o seu próximo como a você mesmo.
O próximo passo em seu desenvolvimento Infinito será aprender sobre a natureza da
vida de um contemplativo, e a boa vontade de entender que uma pessoa pode ser
contemplativa e ainda seguir qualquer religião ou nenhuma religião, porque todas são
baseadas em Deus como Onipresença. Portanto, pode haver apenas uma Presença, e
essa Presença deve ser o Único Poder. Chame-a por qualquer nome, adore em qualquer
forma que quiser, com brevidade se você gosta, ou festejando se você gosta, contanto
que você o faça com um sentimento interior de sacralidade.

Artigo publicado no periódico “The Mountain Path”, do ashram de Ramana


Maharshi, em julho de 1965.

tradução: Giancarlo Salvagni, 2018


reikibahia@gmail.com