Você está na página 1de 92

1

A estrutura do homem é a organização mais perfeita, não é algo inventado pela mente humana.
Dentro da tradição cristã, temos o direito e a obrigação, principalmente a obrigação, de conhecer a estrutura
básica do judaísmo. E a religião cristã nasceu do judaísmo.
Jesus era judeu. Rabino que era nunca negou, nem nunca contradisse as tradições religiosas que dominavam então o
período na qual ele se manifestou que era o judaísmo.

O Judaísmo era a religião vigente naquele momento. Ele nasceu dentro do Judaísmo e pregou na Sinagoga.
O Judaísmo ortodoxo é que não aceitou o Cristo como o Messias. Para eles, Jesus é tido como um profeta judeu, mas
o Messias prometido ainda está por vir.
Eles não podiam admitir que o Messias fosse surgir de classe popular e tudo mais.
Jesus enfrentou e afrontou os Sacerdotes da época, o poder político, porém, sem negar, em momento algum, os
princípios da religião judaica. Essa é a obrigação de todo Mestre. O verdadeiro Mestre não contradiz porque a verdade
não pode ser violada.
A função do Mestre é de renovar dentro do ponto de vista da linguagem, da moral, da ética, que são questões
que mudam, renovar os princípios religiosos que são eternos, permanentes. Não pode ir contra e negar o que existe
de eterno nas religiões que são mensagens do mestre. Ele vai contra exatamente o que está desvirtuado, o que é uma
mentira.

Em qualquer religião, alguém que tenha a consciência desperta, um verdadeiro mestre, sabe identificar.
Dentro do cristianismo, por exemplo, o que existe de verdadeiro e o que existe de desvirtuação, resulta do
processo histórico. Mas isso também no sentido Islâmico, é óbvio. É uma barbárie que os islâmicos fazem no
Afeganistão, onde não há princípio algum religioso por trás daquilo. É uma loucura, é uma insanidade. Aquilo é uma
desvirtuação. É período histórico dentro do islamismo que estão vivendo lá. É o período que o Cristianismo viveu.

Sephirotes
São "canais"
através dos quais a
energia Divina flui,
permeia e se torna
parte de cada coisa
que existe, criando
assim uma "corrente
espiritual" que liga e
vivifica todas as
coisas, impregnando-
as da Essência
Divina.
As leis que
regem o fluxo destas
energias foram
estabelecidas durante
o processo da
Criação, que pode ser
vista como uma
progressiva
transformação de
níveis de energia
espiritual.

2
Malchuth
É um sephirote caído. A existência do mundo material já é uma violação da régia perfeição.
O Éden é o mundo etérico.
O homem foi expulso do Éden, quando pecou. O Sephirote Malchut, caído, portanto, o homem está caído.
Nós vivemos em uma situação de enfermidade, de desequilíbrio, de doença. Estamos no inferno, no sentido do
inferno interior.
Do ponto de vista do princípio da manifestação, a manifestação em sua perfeição termina em Jesod e retorna.
A queda gera uma série de situações, cria o Karma. Significa perder o controle para a experiência .
As pessoas que estão nesse Sephirote ,o universo que se encontra em Malchuth, no plano material, precisam
realizar um trabalho árduo, o mesmo trabalho que os mestres fazem:

RESGATAR TODA A EXPERIÊNCIA DA CONSCIÊNCIA


E NOVAMENTE
VOLTAR PARA O ETÉRICO

Nós estamos no processo de eterização da matéria. A tendência ao longo do tempo é que a estrutura material
desapareça.
Sabemos que a matéria é energia condensada.
Estamos falando da matéria como algo diferente de Espírito. Falamos em nível de condensação.
Esse nível de condensação não permite que a Consciência se expresse pura. É impossível.

Se toda a raça humana despertar a Consciência e se realizar, isso necessariamente vai levar ao processo de
eterização.
Por quê?
Porque não cabe tanta luz nesse nível de condensação da matéria.
Quando um mestre vem, ilumina uma área. Mas, há uma área maior ainda de trevas que necessariamente são
mais densificadas com o espaço físico.

Exemplo:
Você tem um espaço ocupado por bolinhas. Agora vai inserir outras.
A pressão sobre elas vai aumentar. Esse é o problema da densidade material.
No mundo etérico esse problema não existe porque a liberdade de situação da luz é maior. Então a expressão
plena da Consciência só é possível num nível etérico.

Se os mestres querem nos ajudar, porque Jesus Cristo quando veio não ficou milhares de anos falando?
Por que os Mestres ficam trinta anos no máximo, trabalhando?
Mas, por quê?
As regras são essas.
A Lei tem que ser comprida, não adianta.
É aquilo que tem que ser feito: vêm, voltam para o plano Etérico onde têm os corpos num nível etérico.

3
PRIMEIRO TRIÂNGULO:
Pai, Filho e Espírito Santo: Keter, Chokmah e Binah.
É chamado de Triângulo Logóico porque é a expressão pura da Consciência, do Logos, do Ser.
É Trindade original: do vazio, nada surge.

TRIÂNGULO ÉTICO:
É o triângulo intermediário.
Leva esse nome porque é onde há os princípios espirituais.
É a associação, a passagem, entre o puramente espiritual e o definitivamente humano.

TRIÂNGULO MÁGICO:
O triângulo mágico reúne os sephirotes da área: astral, mental, etérica, física.
É chamado de triângulo mágico porque é onde a manifestação concreta das idéias espirituais ocorre.
É a materialização dos princípios espirituais.
É a concretização, a criação, a expressão da criação.

CONEXÃO COM O ABSOLUTO:


É possível através de um estado de relaxamento, de meditação perfeita, fazer uma conexão com o
Absoluto.
Ir e voltar é uma experiência definitivamente transformadora, é a experiência da iluminação, do
samadi, do insight, da iluminação, do nirvana.
É uma experiência possível de vivenciar, é um contato com a divindade pura.
Exemplo:
Pessoas que dizem ter falado com Deus, que tiveram uma iluminação e viram evangélicos. Outras
relatam experiência próxima da morte.
Existem milhares de maneiras, mas o que acontece é sempre a mesma coisa:
A Centelha Divina que está aqui engarrafada, que está no meio de toneladas de entulho e, por um
desses milagres, por um segundo, escapa e vai lá em cima.
O problema é que ela não pode ficar lá.
4
Quando chega lá, não tem o direito de ali permanecer.
Mas o belo, a graça, é que é permitido um pequeno insight com a experiência de sair, de esquecer
quem se é por alguns instantes, ter com a divindade uma experiência.
Ela tem o sabor de uma realidade muito maior do que qualquer coisa que experimentemos na vida, mas
ela é fugaz: vai e volta.
Há pessoas que têm esse poder de ir e voltar porque se dedicam.
Se você estiver numa determinada postura, calar a mente, as emoções e relaxar, por um instante, pode
escapar.

COMEÇAR DO INFERIOR:
O difícil é começar do inferior. Temos que começar na caverna.
O duro é você falar: quero deixar de ser uma pessoa ruim, para me tornar melhor. Para isso tem que
começar pelo que há de pior em você.
Exemplo:
Quando se quer limpar uma casa, não se pode fugir da sujeira. Pega-se a vassoura e vai lá onde está o
pó. Ponha a mão, suje-se. Depois você toma banho.
Muitas pessoas querem limpar a casa, mas com mágica. Põem uma empregada para limpar e vão para
o shopping. A mesma coisa querem fazer com o espiritual: almejam uma doutrina que limpe sua casa. Sinto
muito, isso é uma bobagem.

Comece pelo pior, pelo mais nojento, pelo mais asqueroso.


O perigo é a pessoa ficar patinando por esse lodo, pisando na lama.
Normalmente é assim:
Quando se começa a trabalhar sobre si mesmo, por um tempo derrapa-se nesse lodo, não se consegue
sair da própria loucura, pelos vícios, pelas debilidades. Mas isso não significa que se está no caminho errado.
Pode-se estar andando em círculo, sem conseguir pegar a via certa. É um girar feito barata tonta porque
está se querendo sair daquele chiqueiro.
As pessoas nesse processo escavam todas as paredes, querem limpar, mas sem porta, para onde é que
vão jogar o lixo?
A GNOSE sugere:
Primeiro recolher o lixo e depois queimá-lo.

CAMINHOS PARA SE CHEGAR A KETHER:


Há que se usar determinados caminhos para se chegar a Kether.
Existe uma maneira diferente de ir de Malchuth a Kether. Isso não significa que esse caminho elimine
a existência de outros.
Há o caminho do atalho. Na verdade esse caminho permite a integração com outros sephirotes.
O centro da árvore sephirótica, o centro da nossa experiência é Tiphereth.

Através dessa linha, vamos poder compreender melhor os outros sephirotes.

5
TIPHERETH
Tiphereth é o coração da árvore sephirótica. Representa o amor. É o que unifica a árvore sephirótica.
Tudo passa por Tiphereth. Ele é o sephirote que tem mais conexões.
É uma central de comunicação.
Faz o movimento de circulação das energias no organismo humano.
Ao sair a Centelha Divina, o Cristo Cósmico, como substância tem um compromisso ao nascer desse
Dia Cósmico.
A Iniciação de Tiphereth, que é o nascimento do Cristo no coração, é o despertar da vibração desse átomo
crístico que está como potência.
É como se fosse uma semente que nós trazemos dentro da nossa semente que, num determinado momento,
brota. E ela brota aqui, em Tiphereth.
Tiphereth é um divisor de águas. É visível que é um divisor de águas porque nós temos quatro corpos de
pecado que são: o corpo físico, o corpo astral e o corpo mental.

Acima do corpo causal não há possibilidade de pecado.


O ego não se manifesta. Então essa é outra revelação bastante interessante pra nos situarmos onde
estamos na estrutura, quais são os corpos.
E essas estruturas não são algo exterior. Nós as carregamos dentro.

Tiphereth
é uma estrutura que cada um tem,
ainda que em potência,
ainda que não realizada,
ainda que não iluminada com a Luz do Espírito.

Observação:
Um Dia Cósmico, também chamado de Mahavantara, tem um determinado número de bilhões de anos.
Pralaya é uma grande Noite Cósmica.
A manifestação e a não manifestação são definidos como: Mahavantara que é o Dia Cósmico e Pralaya
que é uma grande Noite Cósmica.
Na Noite Cósmica essa estrutura é toda recolhida no Absoluto.

O Absoluto é o Círculo original.


O Absoluto é o Ain que se divide em três:

O Ain que é o Absoluto imanifestado.


O Ain Soph que são os princípios da manifestação.
O Ain Soph Aur que é constituído de todos os Sóis. No princípio da manifestação, é quem dá nascimento
ao Universo, ao Cosmo, são Sóis, são Luz pura.

Os Planetas são filhos dos Sóis.


As Luas são planetas mortos.

Do Absoluto emana uma Centelha. Essa Centelha emana através do Pai.


Ela encontra o Cristo. A experiência do Cristo é colocada no centro de cada Centelha divina que está
manifestada no Universo. Traz um átomo crístico que é inserido nela ao emanar do Absoluto.

PRINCÍPIO DO TRABALHO
De Malchuth , que é o corpo físico,
vai a Jesod, que é o corpo etérico,a parte eletromagnética que nos circunda, é a parte que a Acupuntura
se utiliza, que o Reyki se utiliza,
a própria Elementoterapia que estudamos na Gnose, dentro da Medicina Gnóstica, também atua através
do corpo etérico, do corpo astral, do corpo mental e do corpo físico.
6
Significa dizer :
De Malchuth a Jesod
De Jesod a Hod
De Hod a Netzah

Esses quatro elementos são básicos para o início do trabalho. São os chamados quatro corpos de
pecado. Essa primeira piramidezinha é onde nós podemos, devemos começar o trabalho.
Faz a ligação entre a alma humana e a alma divina.
É um ponto extraordinário do trabalho, é o ponto de passagem entre o mundo meramente material e
fenomênico, o triângulo mágico, ainda que pretensamente espiritualista com questões fenomênicas:
parapsicologia, espiritismo, imposição de mãos, passes, sentimentos religiosos ... Tudo isso é ainda material.

Quando passamos a lidar com o Cristo vivo no coração,


Quando da Iniciação de Tiphereth como centro do trabalho,
Aí, sim, pode-se dizer que é um trabalho de Iniciado.
Essa é a Iniciação Venusta.
A Iniciação de Tiphereth,
que é o nascimento do Cristo no coração,
é o despertar da vibração desse átomo crístico
que está como potência.

CORPO ASTRAL:
LUNAR E SOLAR

O verdadeiro caminhar espiritual ocorre a partir da manifestação da vontade, do corpo causal.


O fato de se pensar, de se emocionar e de se fazer práticas mágicas com a espiritualidade, não implica
em se estar no caminho da espiritualidade.
O que determina o passo em direção à Iniciação , de estar no caminho, é um ato de vontade, não de
idéia, de desejo.
Quando se fala de vontade, não é o mesmo que desejo.

Desejo é a manifestação do corpo astral lunar.


Corpo astral é o corpo das emoções. Corpo astral todo mundo tem. Em geral as pessoas têm o corpo
astral lunar, ou seja, emoções que dominam sem o nosso consentimento, sem o nosso controle.
Esse é o corpo astral lunar, o corpo do desejo.

O corpo astral solar é o corpo astral que foi construído e a pessoa expressa com a ciência através desse
corpo. Não são desejos, são anelos.
Mas isso nada tem a ver com a vontade.
Vontade é atributo de Tiphereth.

O anelo é o lado solar do desejo.

Desejo é lunar, anelo é solar.


Anelos são as emoções do tipo superior. Não são desejos, mas nada tem a ver com a vontade.
A vontade é superior ao desejo, ao anelo. É atributo de Tiphereth.
É aquele impulso do Íntimo, aquela inquietude espiritual.
É a expressão do Íntimo, é Tiphereth.

7
DIFERENÇA ENTRE
O MUNDO FENOMÊNICO
E O ESPIRITUAL

Muitos tratam de experiências que ocorrem no mundo fenomênico, no mundo dos quatro corpos de
pecado, confundindo-o com o mundo espiritual.
Milhares de pessoas há dentro das religiões, magia, parapsicologia, achando que estão atuando com o
mundo espiritual, quando não passam de experimentos materiais.
É o materialismo se expressando nesses quatro corpos. É o universo fenomênico, é o Triângulo
Mágico: Malchuth, Jesod, Hod e Netzah. Esses quatro primeiros sephirotes são do nível material. Formam o
universo fenomênico.

Milhares de pessoas acreditam, anelam, desejam, pensam e discutem espiritualidade, sendo que na
verdade não se trata de espiritualidade, mas fenomênico.
Pode-se dizer espiritualidade realmente quando se tem a experiência de Tiphereth, passando pela
Iniciação Venusta . Aí então abrem-se as portas para a comunicação com o mundo espiritual, que é um
experiência tão extraordinária que nós não fazemos nem idéia.
A Iniciação Venusta é capaz de tirar uma pessoa de um processo e transformá-la em outra pessoa a
nível atômico.
É um processo realmente espiritual, onde cada átomo da pessoa pode ser transformado completamente.
Ela deixa de existir como fenomênico e passa a existir como entidade espiritual.
Os corpos: físico, astral e mental continuam existindo, mas o indivíduo passa a ser veículo de
expressão do espírito puro. O corpo que continua existindo, depois do processo da espiritualidade, nada tem a
ver com aquela personalidade anterior que se conhecia, que se manifestava no mundo fenomênico.
É uma transformação muito mais profunda, radical e verdadeira do que essa pseudo transformação que
se vende hoje nas revistas esotéricas.
Está melhor uma pessoa que não encontrou o caminho e que se sente perdida, que aquela outra que
acha estar no caminho certo, que se encontrou. Essa pessoa, coitada, está mal. Está nesse universo
fenomênico, achando que está na esfera do espiritual.
Para lhe dizer que ela não está no universo espiritual, é dificílimo.

Qual é o caminho espiritual?


É o caminho da Vontade, é um ato do Íntimo.

O Íntimo é a Centelha do Pai, Kether.


É a comunicação entre kether e Tiphereth.
O Íntimo é a manifestação de Kether, que é o Pai, o Real Ser interior Profundo, que consegue se
expressar, se projetar, sem passar por Chokmah, por Binah, diretamente em Tiphereth.
Ele lança em Tiphereth um movimento.
É um movimento Íntimo. Esse movimento é o que provoca na mente e no coração sentimento do tipo
espiritual: anelos, incômodo.
Provoca um incômodo nos outros quatro corpos. E esse incômodo se manifesta no plano das idéias
como emoções, como um anelo, um vazio, uma angústia e, às vezes, somatiza no plano físico como uma
enfermidade.

Quando o Ancião dos Dias realiza os dez sephirotes em si mesmo, se transforma em Adan Kadmon, o
Homem Solar.
É bastante interessante esse processo da realização dos sephirotes.
8
Vamos começar de baixo para cima.
A vinda da Mônada desde o Absoluto, desde a Aurora da Criação, até eventualmente a descida aos
Abismos, do ponto de vista didático, é mais interessante partir de onde estamos, para estudarmos a divindade:
o Pai (Kether) e tudo o mais.
A maneira correta para o estudante começar o estudo sobre o Caminho, é fazer uma leitura sobre sua
situação e partir de onde está e do que é.
Estamos aqui para fazermos uma transformação interior e verdadeira. A tendência é estudar aquilo que
não somos, aquilo que pretendemos ser, e com isso, adiarmos o início do trabalho verdadeiro.
Uma coisa são os nossos interesses intelectuais: estudos que gostaríamos de fazer. Outra coisa é o
trabalho efetivo sobre si mesmo.
São duas coisas completamente diferentes: água e vinho.
O trabalho efetivo sobre si mesmo não depende do nível cultural esotérico que a pessoa tenha.
Trabalhar sobre si mesmo depende de um ato de vontade, que nasce em Tiphereth. É um ato da
vontade de transformação.

O verdadeiro caminho, o verdadeiro trabalho, nasce de uma atitude desesperada.


Se nós não chegamos a um nível de desespero interior, espiritual, podemos ficar estudando cinquenta
anos sobre esoterismo e mesmo assim nos transformarmos em biblioteca ambulante de cultura esotérica.
Ninguém move uma pedra, um pé, a não ser movido por uma energia interior profunda essencial que
lhe vem do alto de si mesmo, da pequena Monadazinha que, desesperadamente, em determinado momento da
vida, resolve transformar-se, abrindo caminho para a expressão do Pai e do Espírito Santo, para o verdadeiro
trabalho.

Iniciemos pelos mundos infernais que é de onde estamos mais próximos, na camada klifos, Inferno
para os cristãos , Averno humano, que são sempre referência das regiões inferiores.
Do ponto de vista da expressão divina, Malchuth que é o plano físico, já é de certa forma, a porta do
inferno.
O Éden ou a expressão perfeita da divindade, da expressão material da divindade, é Jesod. É o mundo
etérico.
Os quatro sephirotes, os quatro corpos de pecado são regiões em que se expressam:
O corpo físico - região do plano físico
o corpo etérico - região do plano etérico
o corpo astral - região do plano astral
e o corpo mental - região do plano mental

É importante esclarecer que há dois tipos de corpos:


O corpo que normalmente herdamos mecanicamente, doação da natureza, é corpo de natureza lunar. É
o corpo físico.
Temos também o corpo etérico que é uma parte superior do corpo físico.
Malchuth é um Sephiroth caído, é o desdobramento de Jesod.

Jesod é o último nível onde a perfeição se expressa.

A expressão perfeição não pode se manifestar permanentemente no plano físico. Daí a questão dos
Mestres que vêm e ficam tão pouco tempo.
Por que Jesus, Mestre Samael e outros Mestres vêm à Terra e não ficam aqui por muito tempo
fazendo palestras?

9
Porque, quando uma pessoa se auto-realiza no plano físico, não suporta por longo espaço de tempo, a
organização física, a matéria física.
O plano físico é denso, não permitindo a expressão permanente da perfeição.

A expressão permanente da perfeição, o Éden, do qual fomos expulsos, é o plano etérico.


E os mestres ressurretos se expressam, depois da Ressurreição, no plano astral. Eles se utilizam do
corpo astral que também é de carne e osso.
O corpo astral solar num ressurreto é um corpo de carne e osso. Expressa-se num nível material, no
plano astral,que é um plano de densidade menor que o plano físico.
Os quatro corpos (do físico até o mental) são expressões de carne e osso, podemos dizer. São corpos
materiais.
O etérico é uma parte superior do corpo físico. Eles dois poderiam ser vistos como um só corpo.
O corpo etérico é a parte eletromagnética do corpo físico.
O corpo físico é a parte biológica do corpo etérico.
Todos nós herdamos mecanicamente corpos de natureza lunar.

Ao estudarmos a estrutura da Cabala, observamos que o homem é uma experiência em andamento.


O Pai, ao ordenar a expressão da criação num grande Dia Cósmico, faz uma experiência num grande
laboratório.
O Universo é um grande laboratório, onde em cada Mahavantara, em cada Dia Cósmico, essa
experiência se processa de diferentes maneiras.
Nós estamos vivendo uma experiência que está em curso.
O Planeta em que estamos, esta região do Espaço é uma experiência em andamento. Somos a mais
elevada espécie do gênero animal. Somos animais por natureza.
Temos Mônadas evoluindo no reino Mineral, no reino Vegetal, e no reino Animal.

Do reino animal, o ser humano é o mais evoluído.


O ser humano distingue-se dos outros animais porque experimenta por primeira vez, o Princípio da
Auto Consciência que é o que podemos chamar de Princípio do Espírito Puro.
O despertar espiritual só é possível no gênero humano.
A reflexão sobre Deus só é possível no gênero humano.
Alguns animais possuem sistemas mentais bastante próximos dos humanos. Já ouvimos falar em
experiências com golfinhos.
Há animais hoje em dia que possuem sistemas mentais superiores a de vários humanos que
conhecemos.
Os intelectuais típicos se processam dentro de uma esfera racionalista que é a mais baixa da
capacidade compreensiva da mente humana.
Qual é o nível mais elementar de manifestação da mente humana mais próximo do animal?
É o intelectual porque ele não faz uso de outras faculdades da mente.
Por exemplo:
A faculdade mais elevada da mente é a Intuição.
A Intuição é uma faculdade que está acima da mente, mas que se expressa através do corpo mental.
Utiliza as funções mentais para se expressar.
O esforço que devemos fazer é deixarmos de ser racionalistas.
Racionalista é aquele que trabalha a partir de informação adquirida de fora, através da observação
exterior, pura e simplesmente.
O racionalismo puro é o mais baixo nível.
Um homem que só funciona a partir das informações exteriores está abaixo do nível de compreensão
de um golfinho, que é um animal que, apesar de não utilizar essa estrutura de conhecimento nacionalista,
talvez por isso mesmo, tem uma capacidade de compreensão do que agora estão chamando de inteligência
nacional. Esse conceito é uma palavra bonita, é um conceito que se tornou um best seller, mas foi extraído de
uma percepção correta porque existe a inteligência que se chama inteligência nacional.

10
O ser humano é um animal em processo de transição: do animal instintivo puro e simplesmente que é a
característica do animal, para o reino angélico que se expressa através dos corpos materiais.
Esses corpos materiais, a nível angélico são os corpos: astral e mental. São o corpo da idéia e o corpo
das emoções.

O Ser Auto Realizado de nada mais precisa, além do corpo astral e do corpo mental.
Ele não precisa do corpo físico ou do corpo etérico para se expressar, para sobreviver e para se
relacionar com o Universo.
Nós também, se conseguirmos nos livrar dos nossos pesos.

É a nível da Teosofia chamado corpo Causal por ser o corpo das causas naturais. É o grande
cruzamento entre todas as estruturas da árvore. É um ponto estratégico.
É a alma humana, região onde se manifesta a alma humana.

Os sephirotes são regiões do espaço onde se processam determinados níveis de experiência.


Sabemos que há:
Processo de manifestação e processo de condensação de energia.

Há a energia pura que sai do Ain, que é o Absoluto, o Imanifestado, o Inconcebível.


É algo de que não podemos falar. Se pudéssemos falar sobre o Inconcebível, ele deixaria de ser
Inconcebível.
O Absoluto é a região mais elevada onde a estrutura da linguagem não consegue penetrar.
É uma percepção só possível de ser feita através da experiência própria de determinada pessoa, através
de uma experiência interior, onde ela, se despojando dos diversos veículos, pode experimentar, por alguns
instantes, que são equivalentes a uma eternidade, porque é uma experiência fora do tempo.
Chegar à Trindade onde se pode penetrar até a segunda camada, que é o máximo de experiência
sensorial que qualquer Mônada pode fazer e retornar.

Na terceira camada, que é o Ain, quem entra, não volta.

Tiphereth é então um ponto fundamental.


É um divisor de águas.
É a inter conexão entre o mundo espiritual propriamente dito e o mundo da expressão material, que são
os quatro corpos de pecado.

Malchuth é o corpo físico, região do corpo físico.


Nós herdamos um pouco do corpo físico lunar, do corpo etérico lunar, do corpo astral lunar, do corpo
mental lunar.

11
E herdamos também os instintos que são tipicamente animais.
A descoberta psicológica que procuramos realizar aqui, é o processo de estudar esses instintos animais,
e reproduzir em nós mesmos a evolução planetária.
O planeta Terra é o filho da Lua.
A Lua era no passado um planeta vivo e habitado. Deu as sete raças e morreu.

É preciso repassar em nosso desenvolvimento íntimo, o processo de evolução animal que vem
transcorrendo a milênios, a milhares, a milhões de anos, no nosso planetinha.
Dentro do ponto de vista do plano físico em que nos encontramos, temos muito mais de animal do que
de qualquer outra coisa.
Vamos partir da realidade de que os nossos instintos, os egos de que nós falamos, os sete pecados
capitais que o cristianismo coloca são sete tendências negativas, instintivas por natureza.
São experimentadas por toda a sua pureza nos estados animais.
Todos nós já fomos animais e, nesse processo de evolução, experimentamos e trouxemos para essa
vida humana cargas de existências como animais nesse tempo atrás.
Os corpos mentais dos seres humanos, corpos mentais lunares, quando são observados num plano
mental, possuem uma afeição com o animal ao qual aquela pessoa está vinculada historicamente.

O que fazer?
Assumir a origem animal e, ao invés de simplesmente tentar varrer a sujeira para debaixo do tapete ou
se recusar a trabalhar com algo que se considere negativo, ao contrário, incorporar esse animal e procurar
desenvolver as virtudes, a partir das características que são instintivas e naturais daquele animal.
Então, transformar o Elemental daquele animal, que aprende com essa experiência.
No processo xamânico, por exemplo, há a interação do ser humano com o espírito guardião, o
Elemental daquela classe animal a que ele está ligado.
O Elemental o protege, o alimenta, o ajuda a desenvolver as faculdades superiores vinculadas àquelas
características do animal, mas o Elemental também aprende com a sua experiência. Ele está se preparando
para quando penetrar no reino humano ter já antecipada a experiência de transformação psicológica que ele
vai ter que passar também.
É muito interessante e bonito saber que esses animais são guiados por Elementais de alta estirpe, que
são verdadeiros mestres que já baixaram até os mundos infernos e, na sua ascensão, são unicórnios por
exemplo.

Unicórnio é um ser da mitologia grega, tem forma de cavalo, normalmente branco,


com apenas um chifre em forma de espiral.
Segundo a mitologia, os unicórnios são seres dóceis; no entanto, são as mulheres
virgens que tem facilidade para tocá-los. Sua imagem está associada à pureza e
força.

12
Os caçadores usavam jovens virgens para poder capturar os unicórnios, punham-na no caminho do
animal, que no momento em que avistava, aproximava-se com grande reverência, deitava-se ao seu lado, e,
colocando sua cabeça sobre o colo da moça, dormia. Então neste momento os caçadores o capturavam.

O elefante branco na Índia é considerado sagrado.


Há uma série de animais excepcionais que são verdadeiros mestres e que estão
no processo de Retorno.

Para os mundos infernos, ao qual existe aversão em falar, temos com eles uma relação de horror,
talvez por memórias de experiências passadas, é necessário que haja uma compreensão.
Com relação a isso, reflexionemos sobre o que diz Samael Aun Weor sobre uma bruxa, considerada a
rainha delas. E ele observou internamente, apesar de ser ela da idade Média, uma pessoa famosa nos
Monastérios, uma maga negra poderosa. Não via nela maldade.
Foi investigar esse caso, descobrindo que se tratava do bodhsattva de um grande mestre, que estava
tratando de treinar, de exercitar-se na alta magia.

A magia natural e verdadeira dos elementos, da transformação química, inclusive a magia xamânica
da pessoa ser capaz de se transformar num animal fisicamente, só pode se processar nessa esfera.

Quando o Ser quer viver a experiência em alta magia, da magia natural, tem que descer até Malchuth,
até o plano físico e, na maioria das vezes, até os mundos infernos para experimentar as possibilidades da alta
magia.
Então, o mestre Samael fala que percebeu ser um grande Ser de Luz e convidou-a a ir com ele aos mundos
superiores.

Também temos a história de Judas, escrita no livro: “O Voo da Serpenre Emplumada”, onde se revela
uma grande verdade: Judas é o mais elevado dos discípulos de Jesus. O mais exaltado dos discípulos. Ele faz
um trabalho extraordinário nos mundos infernos, tarefa que lhe tocou fazer no Drama Cósmico de Jesus e que
foi representado no plano físico, através dos Iniciados, também conhecido como O Drama da Cristificação.
Judas já sabia do papel que lhe tocara realizar para depois descender aos mundos infernos, não por um karma
por ele ter traído o Mestre.
Depois de Jesus, é a figura mais importante da história da tradição.
É curioso a questão de Lúcifer, do treinador psicológico. O drama da evolução, da revolução, da descoberta da
verdade, só é possível através dessa contra partida, desse Judas, desse Lúcifer, desse treinador psicológico,
desse demônio da tentação.
Se não há tentação, não existe o perigo, o risco. A Sabedoria não se expressa, a Luz não consegue ser
reconhecida como tal, se não há trevas para delimitá-la. Você consegue identificar que é a Luz, se ela
encontra trevas que a limite.Vivendo num lugar absolutamente iluminado, 100% de claridade, não há como
definir luz.
O limite da luz são as Trevas.
E qual é o início das Trevas?
É a Luz.
Luz e Trevas fazem parte de uma mesma coisa.

13
São sephirotes, nove regiões infernais, inferiores, equivalentes aos nove sephirotes, sem contar
Malchut.
São a contra partida do Absoluto.
Nós só podemos conceituar e retornar a esse Absoluto com a auto Consciência que é o objetivo da
experiência: descermos aos Quintos dos Infernos e ascendermos com toda a Experiência.
Aqui só há a expressão:
da verdade,
do número,
da precisão matemática,
da Lei.
A Lei é precisa.
Nesse sentido, os mundos infernos e toda a experiência, as características do processo infernal, pode-
se estudar através de seminário, de pesquisa através do livro: “Sim, há diabo, inferno e karma” etc.

O mestre Samael comenta sobre a estrutura fornecida por Dante Alighieri na Divina Comédia. Essa é
uma obra que em si mesma é de fundamental importância para esse trabalho: reconhecer os infernos atômicos
da Natureza que existem dentro de nós.
É o Reino Mineral submerso e nós o possuímos, do ponto de vista psicológico, do ponto de vista
físico, todo o universo mineral. Esse universo é a matéria-prima da Grande Obra. É a matéria-prima que
utilizamos para poder construir os corpos superiores especiais do Espírito.
Não há possibilidade de construção dos corpos superiores, sem matéria-prima. E vamos encontrá-la na
rocha, na matéria mineral. Essa matéria mineral possui fogo.
Pegando-se duas pedras e friccionando-as obtêm-se faísca.
Onde está a faísca?
Dentro da pedra.

Falando de Cristo em conceito impessoal, não do Cristo histórico, mas do Cristo Cósmico, o grande
compromisso Dele é ser a Centelha Divina Espiritual, quando a Mônada sai do Ain, através do raio de
Okdanok, no nascimento do Dia, no início do Dia Cósmico.
Cristo é o Filho, é a expressão de Deus e descende junto com a Mônada até os mundos infernos. É a
eletricidade sexual que existe em qualquer expressão da natureza, por mais mineral que ela seja.
Quando você bate uma pedra na outra obtém uma faísca. Essa é uma expressão da eletricidade que em
sua natureza é sexual, energia sexual que se expressa em determinados níveis.

O Conhecimento está todo interligado:


Do plano material, puramente físico, cuja contra parte é o etérico.
Nós passamos pelo mundo das emoções que é o plano astral.
Na região de Malchuth e de Jesod que é a região material por excelência, é onde se expressam com
mais categoria o que chamamos de agregados psicológicos.
A Essência, a Mônada, a Força Crística, básica, está aprisionada nesse sephirote.
Há uma grande quantidade de energias pesadas, densas, que tentam puxar essa Essência, essa Mônada
para baixo, para os mundos inferiores.
Aqui há uma cruel disputa.
A região do plano físico é grosseira. É onde os agregados se expressam com mais visibilidade.

O plano astral o mestre Samael define com muita clareza.


É o corpo dos desejos, que é o corpo lunar. E o corpo das emoções que é o corpo astral. Definiu a
emoção, de natureza animal, de natureza negativa, de natureza lunar.
Quando ocorre a natureza negativa, não se está falando com julgamento.

14
Se quisermos caminhar efetivamente nesse caminho, a primeira coisa a vencer é essa dicotomia
mental de bem e mal, negativo e positivo.
Tudo que é positivo deve ser exaltado, tudo que é negativo deve ser negativo, no sentido de escondido.
Não é assim que funciona. O trabalho por esse lado não dá resultado.
Seria muito bom, e todos desejariam se, simplesmente, negássemos as nossas faltas, esquecêssemos os
nossos pecados e apenas nos concentrássemos em fazer o bem, em desenvolver a parte boa.
Muitas escolas vão por esse caminho.
Isso é um equívoco porque ao negarmos o que temos de negativo, nós não estamos eliminando isso.
Ele continua vivo e estamos dando a volta em círculos, gastamos a nossa energia pra ficar afirmando o
positivo, que parece ser bom, mas apenas parece.
A verdadeira beleza, o verdadeiro templo não se cristaliza.
A solução definitiva pra questão é encarar a verdade nua e crua, como ela é.
Quem somos, qual é o nível de maldade que existe em nós, em que grau estamos ?
Usar esse material, colocar a mão na massa e transformá-la. Usar isso como matéria-prima para
construir o verdadeiro templo que é, por exemplo, transformar o corpo lunar em corpo astral solar. Para que
ocorra essa transformação é necessário que se utilize obrigatoriamente da energia sexual, que é a única energia
verdadeira criadora no universo.
Os cientistas, por mais que tentem, não conseguem criar a vida.

A vida se cria a partir de uma questão essencialmente sexual. Ela pode ser a nível elemental, básico,
uma bactéria, por exemplo. Mas o surgimento da vida, do ponto de vista químico, é provocada pela união de
polaridades opostas.
Quando aqui se fala em sexual é no sentido amplo da palavra, quer dizer, não é por acaso.
Não dá para se levar a sério alguém afirmar que o Universo ou o mundo nasceu de um encontro
casual de uma série de componentes que estavam soltos no espaço e, por acaso, ocorreu uma reação química
e gerou a vida. Isso é uma tremenda estupidez.
A vida nasceu de um processo inteligente que é provocado pela polarização.
Voltamos ao 1 que se divide em 2. E isso é o 3, por excelência.
É uma unidade primordial que ficou ali dentro do positivo e do negativo e a partir dessa polarização
toda a vida nasce. E a essa polarização chamamos de energia sexual básica.

No que se refere a corpo astral, o grande trabalho a ser feito a nível emocional, é transformar a
matéria-prima da nossa expressão emocional negativa. Temos uma grande carga de matéria-prima, de
emoções negativas. Utilizemos esse material.
Primeiro: para utilizar o material, precisamos conhecê-lo. Identificá-lo muito bem, saber se ele existe,
onde está localizado, colocá-lo na mochila.
Se quero transformar aquilo em comida, tenho que embalar tudo bem, colocar na mochila e saber onde
está, para quando eu precisar.
Essa energia emocional negativa que todos nós temos em abundância pode ser muito útil. É a única
energia que possuímos e que podemos transformar. Em quê?
Em energia emocional positiva.
Esse é um processo de transformação, em um primeiro momento. É o trabalho do indivíduo sozinho,
sem precisar ter um parceiro do sexo oposto.
Mas, para a efetiva construção do corpo astral solar é necessário a reunião de um homem e uma
mulher. Não há como construir um novo corpo, porque o corpo astral solar, não é uma palavra bonita: é um
corpo de carne e osso como o corpo de um bebê. E não há possibilidade de construir o corpinho de um bebê,
sem a união de um óvulo feminino com um espermatozóide masculino.
A construção do corpo astral solar só pode ser feita através de trabalho de cooperação entre o homem e
a mulher.
O corpo astral é Hod.

15
Existe uma frase muito conhecida em Gnose que é: “A Pedra Cúbica de Jesod”.
Em Jesod está localizada a energia sexual transcendente e expressa no corpo físico como: calor,
vitalidade, energia sexual transcendental, mas essa energia está depositada no corpo elétrico que é o
fundamento.
A característica do sephiroth Jesod é o fundamento, pois é o fundamental.

Malchuth é o Reino. Nasce de Jesod e está associado a Hod e Netzat que são em nós a expressão da
mente e da emoção.
Quando nos manifestamos normalmente no dia a dia em palavras, significa a expressão desses quatro
sephirotes porque a energia que nos anima, a eletricidade que nos mantém vivos, está em Jesod. É o que faz
com que as reações químicas em Malchuth permitam, por exemplo, o funcionamento dos nossos pulsos,
braços, a voz.
E nesse instante, nosso estado emocional e como as idéias se processam, como se organizam, as
palavras que nossa mente escolhe, faz expressar idéias é o funcionamento dos sephirotes Hod e Netzath.
Quando nos expressamos fisicamente, não existe o corpo físico isolado. O corpo físico sozinho é um
cadáver.
O corpo físico está associado ao corpo elétrico, etérico.
Ressuscitar Malchuth é reanimar o fundamento que é Jesod, a eletricidade.

A Ciência já descobriu que uma maneira de reavivar um cadáver é dando um choque elétrico no
coração, conseguindo por alguns instantes reativar Jesod, tocar no fundamento. É uma maneira negativa de
interferir no processo.
Fazer o coração funcionar só um pouco, é uma maneira artificial de recobrar a vida.
Um médico autêntico é alguém que se desenvolveu a um certo nível: possui pelo menos os corpos
astral e mental solares.
Uma pessoa que possui esses corpos pode transferir para outra pessoa, com a devida autorização do
seu Real Ser Interno , uma quantidade determinada de energia vital. Ele doa a sua energia vital. É como dar
um choque, só que não tão material. É muito mais efetivo.
É isso que acontece quando um mestre ressuscita e cura um doente com as mãos.
Baseado nisso é que há todo esse processo do Reike. Todo Reike é baseado nos principioszinhos , onde
nascem verdadeiras religiões.
Tudo no Universo é relativo: nada há que seja absolutamente mau ou totalmente bom.

É necessário desenvolver o discernimento para se chegar lá em Tipheret.


Discernimento significa as faculdades de saber extrair de cada situação o bem e o mal e perceber o
mal do bem.
Muitas pessoas, querendo fazer o bem, com a maior das intenções, porém sem consciência, se põem a
curar o outro, a dar passe, a fazer massagem, a aplicar reike, com a melhor boa vontade. Mas, ela tem uma
enfermidade, por exemplo, e através da energia que está passando, está enviando também a enfermidade dela
para a outra pessoa. Ela pode ter uma série de doença de nível energético que não se expressou ainda, podendo
ser um vírus.
O câncer geralmente está associado ao processo genético porque é uma enfermidade cármica, se
expressando a nível etérico e emocional também. Às vezes, na maior boa vontade, a reikeana está passando
não átomos, mas princípios cancerígenos, de organização celular, através da energia. Com isso podendo
promover uma desorganização celular provocada por um desvio de conduta que ela traz a séculos, pessoa
extremamente fornicária.

Há também o outro lado da história:

16
O indivíduo que está lá no clube, o menos espiritualista possível, médico exercendo a medicina com
sincera devoção. Ele procura ser sério na sua ciência.
Receita remédios comuns da medicina alopática, mas transmite um astral tão bom , é uma pessoa que,
a sua maneira, respeita a divindade internamente, reza em secreto, porque os outros companheiros médicos
não podem saber desse pequeno deslize que ele possui que é acreditar em Deus, gostar de rezar. Enfim é um
excelente profissional.
E você vai lá ser atendido por ele, que o trata muito bem. Esse médico lhe dá passe, embora não faça
imposição de mãos.
E seu toque é o passe de que você precisa.
O médico transmite a energia vital dele porque quer curá-lo.
Casos como esse acontecem, acompanhados de comentários: “aquele remédio fez muito bem para
mim”.
O que curou foi o olhar do médico.

Temos as coisas boas e más em todos os lugares.


Somos a revolução desse mundo.

O mestre Samael falava que os piores demônios estão na mente.


Netzah representa o nível mais sutil da pele, de baixo para cima. É o nível mais sutil da matéria.
Antes de algo se materializar, existe antes no mental. Primeiro no corpo causal que é Tipheret, a
verdadeira Matemática.
O Causal, que é Tipheret, é o Mundo dos Arquétipos Divinais, é a região onde tudo é peso e medida.

Mas a expressão de tudo, da matemática pura,


onde tudo toma forma pela primeira vez,
onde essa fórmula matemática se transforma em algo reconhecível
é no plano mental, na região de Netzah.

Na região de Netzah a magia natural começa a operar. É onde as coisas tomam forma, é onde a magia
negra atua.
A magia negra é a mesma magia branca, só que voltada para os interesses contrários. Muda só a
polaridade, os procedimentos mágicos são os mesmos, o tipo de energia que as duas usam é o mesmo.
Utilizam a mesma energia de Jesod, que é a energia elétrica. Ambas utilizam essa energia, porém, com
propósitos positivos ou negativos.

Em Netzah as idéias e os conceitos tomam forma. Nessa região as idéias se transformam em palavras.
O conceito de espírito é, assim, definido na mente. Depois podemos imaginar o que é o espírito. É algo
que não tem forma, mas pelo menos fica registrado na mente.
Quando a coisa é mais concreta, uma cadeira, por exemplo. Quero criar uma cadeira de madeira.
Então imaginamos uma cadeira de madeira. Assim, ela começa a existir. São muitas mentes imaginando uma
cadeira de madeira.
Imagina-se uma cadeira de madeira clara, com design bem lindo, madeira leve com aqueles desenhos
sinóticos, madeira limpinha, brilhante.
Que cadeira gostosa estamos criando!
Ela já passa para o mundo da emoção.
Podemos manifestar nossa energia, nossa felicidade para sair e procurar essa cadeira: comprar a
cadeira, construí-la; é quando nossas mãos físicas vão transformar a cadeira. Mas ela nasce na mente, isso é
uma coisa básica.

17
É essa estrutura básica que Karl Marx procurou inverter.
No livro muito famoso chamado Crítica à Filosofia Alemã, escrito por Marx Quieres e que é a base
do materialismo dialético, é onde a grande estupidez foi colocada. A filosofia alemã sempre partiu desse
princípio, ou seja, que a consciência cria e determina a matéria.

O mundo primeiro tem que ser concebido a nível das idéias para depois acontecer no plano físico.
Mas nesse livro, Engels, mui inteligentemente, inverte esse conceito, assim de graça, sem colocar
justificativa alguma filosófica.
Não, não é a consciência que determina a matéria e sim,

Então, de acordo com os níveis materiais, vai ser o nível de consciência.


Parte dessa inversão de valores é para desenvolver toda uma estrutura de raciocínio lógico, mecânico,
que passa pela lógica.
Aí sim inverte-se uma questão, uma fórmula e se desenvolve uma teoria, parte daquela fórmula
invertida. Ela tem a lógica e foi todo o materialismo dialético de trilhões que gerou a União Soviética e tudo o
que se pensa sobre o marxismo.
Mas, na verdade, a intenção deles era inverter esse processo. É a tímida intenção espiritualista. Tudo
isso para mostrar como uma inversão numa idéia pode gerar toda uma estrutura e que vira um movimento
social, que vira um processo histórico, que vira um movimento político, que mata milhares de pessoas,
constrói uma nação, a partir de uma idéia. É pensar quem determina.

É fundamental para o nosso trabalho espiritual, colocarmos bastante atenção nos nossos processos
mentais que estão sendo mostrados matematicamente nesse trabalho. Do processo mental é que nasce a
manifestação do plano físico.
A raiz das nossas manifestações egóicas deve ser buscada no plano mental. Somos treinados e a escola
infelizmente nos treina para isso. O mundo, cada vez mais digital, está nos treinando para o pensar
racionalmente.
O pensamento racional não é útil, inclusive é negativo para o desenvolvimento espiritual. Ele parte de
milhões de conceitos de dualidade.: bem – mal, certo – errado, não nos permite o desenvolvimento espiritual.
Pode ser útil para uma série de coisas, inclusive para a engenharia, para a construção de um prédio, não se está
negando.
Estamos falando que ele, em si mesmo, é a grande raiz do mal. Não serve para o desenvolvimento das
percepções espirituais.
A mente racional não consegue compreender Deus, infelizmente. Essa afirmação não é opinião, é algo
que pode ser constatado.
Deus é tri uno. E a lei do racional não consegue compreender o mistério da trindade. Ela só consegue
compreender sim e não. É bipolar. O processo digital é bipolar.

A mente racional é burra, como o computador é burro. A mente é um computador.


O computador é a reprodução, a máquina que reproduz o funcionamento da mente racional. É
racionalismo cristalizado em chip. É o binário. Vê apenas o zero e o um. Desligado ou ligado. É todo
estruturado a partir de corrente elétrica. Está passando corrente, é um. Não está passando corrente, é zero.

Aí se constrói toda uma linguagem, uma maneira de se interpretar símbolos e símbolos a partir disso. A
mente serve muito bem para executar tarefas, mas nada que permita refletir. Tem que ser utilizada como um
instrumento, como um computador apenas. Agora

18
A Intuição é manifestação do Íntimo em nossa região mental. É utilizarmos as características da
capacidade de condensação que é atributo do universo da mente, mas a serviço do Ser, do Íntimo, da
expressão mais próxima do Ser, que vem até Tiphereth.
Colocar a nossa mente a serviço do Íntimo é o melhor que podemos fazer para nós mesmos.
A expressão do Íntimo na mente é o que a Psicologia tradicional costuma chamar de insigth. É aquela
idéia que vem, sem haver associação alguma com qualquer coisa. Ela vem de graça. Todo mundo tem isso e
não cultiva.
Respeitemos mais essas idéias que chegam assim com percepção direta da verdade. Isso é uma coisa
concreta.
O Íntimo, o Ser, quer o tempo todo se comunicar conosco. Nós é que não o permitimos.
A mente racional impede a percepção direta da verdade. Quando está ocupada em estruturar e contra
pôr argumentos e contra argumentos, a mente ocupa espaço e não permite a penetração da idéia pura.
Idéia é a expressão pura da intuição, a expressão pura do Íntimo, é o que se chama de IDEA .
IDEA é um termo que tem a ver com ideal. É o pensamento puro, não o pensamento estruturado. É a
inteligência em ação. Essa é a inteligência verdadeira, a emocional. Ela é emocionalmente equilibrada porque
é uma idéia pura, original, que nasce do Ser. Encontra na mente a formatação mais adequada possível.

A cultura e os valores são muito importantes por quê?


Porque vão permitir que se formate bem a idéia pura. A coisa é muito difícil porque não dá para
eliminá-los. É uma situação de extrema delicadeza, senda do fio da navalha. Tudo é útil e atrapalha ao mesmo
tempo. O que é amigo, é inimigo simultaneamente.
O processo da acumulação e desenvolvimento cultural normalmente se obtém através do estudo, da
memória da assimilação de informações. É necessária, se tiver como objetivo servir de material de trabalho
para as idéias superiores que vêm e que necessitam ser formatadas.
Se tenho um vocabulário extenso, consigo me expressar melhor, tenho mais variedade de palavras
conhecidas, as idéias são expressas com maior clareza. Não vamos cultivar a ignorância.
Pode haver a pergunta:
“Ah, então é muito bom, vou ser analfabeto para ser a expressão pura das idéias superiores?”
Você expressa sim, só que não consegue passá-las, não explica claramente.
O perigo é esse:
Se você está desenvolvendo a sua cultura para poder utilizá-la, corre o risco de ficar absorvido por ela,
fascinado por esse processo e não permite que as idéias fluam.
Caso fique simplesmente se dedicando o tempo todo, esperando que as idéias venham e que o Ser se
manifeste, você pode não conseguir.
Somos suficientemente cultos, porém, espiritualmente incultos, quase analfabetos.
Nosso esforço tem que se concentrar realmente em permitir que o Ser se expresse, permitir que a
intuição seja valorizada para que a mente encontre os termos corretos, comparações, definições, analogias e
tudo o mais. E possa expressar isso de uma maneira correta, com uma emoção correta.
No mundo de Netzah as questões, as idéias são definidas simbolicamente.
19
Quanto ao mundo Astral nós deveríamos cultivar a capacidade de nos desdobrarmos com o corpo
astral, conscientemente.
Toda a verdade que vem do Ser e que atravessa a mente, chega no Astral como uma simbologia. É a
base simples que faz toda a diferença para nós.
A interpretação desses símbolos como deve ser cultivada?
Através da Intuição.
Utilizar sabiamente Netzah e Hod é muito importante. Eles são dois fundamentos importantíssimos,
são os dois pés do trabalho, as duas colunas: justiça e misericórdia.

COLUNA DA
JUSTIÇA

3 22 COLUNA DA
BINAH CHOCMAH
CHOCMAH MISERICÓRDIA
Compreensão Sabedoria
Sabedoria

5
GEBURAH 4
Julgamento CHESED
Misericórdia

6
TIPHERETH
Beleza

7
8 NETZAH
ROH Vitória
REVERBAÇÃO

9
JESOD
Fundamento

COLUNA DO EQUILÍBRIO

20
Os sephirotes têm uma relação três, cinco e oito

dois, quatro e sete

a coluna do meio, representada por seis e nove

KETHER
CHOCMAH
BINAH
CHESED
GEBURAH
TIPHERETH
NETZAT
HOD
JESOD
MALCHUTH

Equilíbrio não é um atributo de Kether, que é o Pai.


Quando se fala em justiça e misericórdia, é o mesmo que dizer mente e sentimento. Estamos falando
de energias equivalentes.
Existe uma série de termos que nós podemos usar em substituição à misericórdia e justiça.
Misericórdia é perdão. Justiça, é correção.
O importante não é nos apegarmos aos conceitos de justiça. Essa coluna quer dizer todo um nível de
estrutura. Pode-se falar em justiça como exatidão, como matemática, como mental.
A outra coluna é a da misericórdia, quer dizer, a caracterizada pela emoção. É a expressão do amor,
do sentimento.
Saber como funcionam essas duas regiões, colunas, é fundamental para a elevação do que estamos
estudando, é uma maneira de subirmos, através dessa árvore, nosso objetivo e chegarmos ao Pai, que é o
nosso Ser Interior Profundo.
Estamos partindo do que somos, de onde estamos, para conhecer como funcionamos.
Vivemos nessa região de Malchut, só que o nosso primeiro foco é Tipheret, o nosso primeiro desafio é
a Iniciação de Tipheret, quando o Cristo Íntimo nasce no coração de cada um de nós.

21
A substância crística está em todo o universo, é o que dá vida e que nós a temos em potencial. Ela é
condensada minimamente em nosso coração e podemos dizer que Cristo nasceu em nosso coração. Quando
os evangélicos falam:
“Aceite Jesus no seu coração”, estão querendo dizer isso, embora o façam de forma inconsciente.”
Se você permite que o Íntimo se ancore no corpo causal, na região da Vontade, então é a expressão da
Vontade Crística você reúne a capacidade,a energia crística cada um bem no seu organismo.
Os corpos físico, etérico, astral e mental reúnem todos os pequenos átomos crísticos e estes se
condensam no seu coração.
Esse é um ato de Vontade. É o ato de Tipheret, do corpo Causal. Não é uma coisa de querer fazer, de
pensar fazer. É um ato de Vontade. É uma súplica desesperada que somos capazes de fazer num determinado
momento: “Cristo, salva-me! “
É a história de Pistis Sofia.
Pistis, em determinado momento de desespero, clama às alturas por salvação.
E então, o enviado, que é Cristo, vem salvá-la. E começa o processo de Ascensão. É o processo
universal. Vamos encontrar essa relação em outras teogonias, com ouro nome. Kshisna, por exemplo.

. Teogonia (em grego, Θεογονία [theos, deus + genea, origem] - THEOGONIA,


na transliteração) é um conjunto de deidades que formam a mitologia de um povo. É
também considerada doutrina sobre a origem dos deuses e, quase sempre, a origem do
mundo.

Deidade conjunto de forças ou intenções que materializam a divindade. A


deidade é a fonte de tudo aquilo que é divino. A deidade é característica e invariavelmente
divina, mas nem tudo o que é divino é deidade necessariamente, ainda que esteja
coordenado com a deidade e tenha a tendência de estar, em alguma fase, em unidade com
a deidade – espiritual, mental ou pessoalmente

É um processo de condensação da energia espiritual básica, que é crística. Ela é sexual no coração e
uma ancoragem dessa energia com o Íntimo.
Depois dessa coragem, nós podemos trabalhar com Geburah , Chesed e procurar encarnar a Kshina,
superior.
Observemos que esse Triângulo:
1 KETHER
Pai

BINAH 3 2 CHOCMAH
Espírito Santo Filho

É como o desdobramento desse outro à sua imagem e semelhança.

BINAH 3 2 CHOCMAH
Espírito Santo 3 Filho

6
E o ponto central do Pai é encontrado em Tiphereh.

22
Lógico

Ético

Mágico

Ao ancorar, estamos ancorando a nossa relação com o Pai.


A Iniciação de Tipheret é o maior acontecimento que pode acontecer ao ser humano. O mais
importante no sentido do estado em que nós estamos. É o processo de pegar esse triangulozinho aqui,

Netzah

Hod Jesod

mantê-lo razoavelmente sob controle e concentrar nossa energia que está dispersa nesses quatro.

Nós temos energia crística aqui: no físico


no etérico
no astral
no mental

A primeira concentração é aqui em Jesod, a pedra cúbica de Jesod, o sexo. Nós absorvemos a energia
crística do corpo físico, do corpo astral, do corpo mental e projetamos em Tiphereh.
Ao cristalizarmos essa energia crística em Tiphereh, que é a Iniciação, que é o nascimento do Cristo no
nosso coração, conseguimos então nos relacionar com isso:

Chesed

Geburah Tiphereh

23
A nossa vida sofre a grande transformação. É o nascimento segundo, é quando você realmente está a
caminho.
Isso não acontece com a pessoa que se diz espiritualista há cinqüenta anos, que fala ter estudo de
espiritualidade. Não é um iniciado e não está no caminho.
Estamos estudando teoricamente algo que tem que ser realizado.
Tudo isso é muito maravilhoso, mas se não for realizado, perdeu-se o tempo.

Pergunta:
Como começar esse trabalho?

Resposta:
O primeiro ponto a ser trabalhado é a transmutação (para os casados) e o exercício do pranayama (para
os solteiros).
O processo da transmutação, o processo de pranayama para os solteiros são processos de cristalização
da energia sexual para os seus respectivos corpos.
Transmutação através do pranayama, que a gente faz na Yoga, já é um começo. E não perder energia
sexual básico, isso é óbvio.
Existe a contraparte da energia do pranayama, que não é uma coisa mecânica, não só a respiração.
O pranayama deve ser feito com profunda emoção e bastante concentração.
Através de Jesod, Hod, Netzah, transmutando a nossa energia, é que a cristalizamos adequadamente nesses
três outros corpos.
O pranayama tem como imaginação fazer a energia sexual chegar até o coração. Um pranayama bem
feito, corretamente efetuado, é um exercício que leva a energia desses três corpos direto ao coração, à
Tiphereh, ao corpo causal.
O processo da transmutação correto é esse. Normalmente, nós não conseguimos.
De forma geral eles são concentrados em Jesod.
Ao transmutarmos, acumulamos na nossa aura, que é o nosso corpo etérico, componentes extraídos da
contraparte física da energia sexual, com os componentes extraídos da contraparte astral, e emocional da
energia sexual e com os componentes da contraparte mental. Eles são sintetizados em Jesod, que é o nosso
corpo etérico, que a pessoa transmuta nesse primeiro momento. A aura da pessoa já fica mais brilhante e mais
elétrica.

A transmutação num segundo momento consiste na transformação em levar essa energia que está
acumulada no corpo etérico, na aura e concentrá-la em nosso coração, na contraparte causal do coração.
O que impede que essa energia circule corretamente são os agregados. O pior com relação ao ego, não
é o mal que ele representa em si mesmo, mas o bem que impede de se manifestar. Se ele fosse um mal em si
mesmo, estava afastado. A existência dele impede que a consciência se manifeste, recobrindo-lhe uma porção
dessa luz. Dessa forma, não conseguimos realizar isso corretamente porque os egos não deixam.

Nosso corpo é levado a cometer pecado a partir de uma condensação energética egóica no plano etérico
que é por sua vez alimentada pelos dois corpos: o astral e o mental lunar. Eles sintetizam a energia negativa.
Aí o pecado ocorre.
Não é preciso reprimir, não é através da repressão que se consegue trabalhar os agregados. É pela
compreensão. Assim são desenvolvidos discernimento e Intuição. Começa-se a perceber como as energias
negativas circulam, como são alimentadas através das impressões que recebemos: emocionais, mentais, da
televisão, das pessoas, dos contatos, do que ouvimos. Tudo isso é sintetizado na nossa aura que vai ficando
pesada, meio caminho andado para a expressão, para que se cristaliza no plano físico.

Não adianta tentar reprimir algo que já está carregado. A questão é trabalhar nessas esferas para
purificar esse trabalho.
É quando você faz com o coração, ao se recolher e, com a maior tranqüilidade do mundo, pára de pensar,
invertendo a polaridade dessa situação. Transmuta.

Então, ao fazer o pranayama, ao realizar a oração, você inverte a polaridade.


24
O difícil é manter isso. Há de se esforçar, não se deve desistir. Com o tempo vamos aprendendo o
funcionamento desse trabalho. É assim que começa realmente a transmutação, quando se começa realmente o
trabalho com a energia sexual. Ela começa a transformar aquele que a pratica.
Não é uma questão teórica ou o fato de que faço quatro horas de meditação por dia e o quanto hoje
observei o ego tal. Isso pode ser útil, mas não é o trabalho.

O trabalho é efetivamente mover essa questão e sentir: o corpo etérico, o calor da energia, o calor do
espírito, a intuição.
É ter uma percepção: “ é por esse lado que vou “ e sentir alegria espiritual de ter feito, de ter escutado
a voz do Íntimo.
É uma alegria espiritual maravilhosa, quando escutamos a voz do Íntimo e executamos o que Ele nos
ordena. É uma experiência definitiva. Ou você experimenta ou sonha. Isso, repetidas vezes vai cristalizando
todo o processo.

Pergunta:
Você falou que temos que reunir todos os átomos crísticos dos corpos: astral, mental, do físico também,
para que eles sejam cristalizados em Tiphereh, no coração.
Esses átomos crísticos que estão nesses quatro corpos só vão ser cristalizados através da transmutação?

Resposta:
Não. Eles existem em cada um, em estado latente, da mesma maneira que a eletricidade na pedra. E,
quando a pedra se choca com oura, ela libera a faísca. Essa faísca é energia crística.
A energia crística é elétrica, é eletrônica.
Quando falamos em energia sexual, é o mesmo que dizer energia eletrônica por natureza, natural do ser
humano.
Pergunta:
Qualquer ser humano, por pior que seja, tem esses corpos crísticos?

Resposta:
Não. Ele não tem corpos crísticos, mas sim energia crística, que pode vir a se cristalizar, energia que
permite que ele construa esses corpos.
Essa construção é feita em duas etapas:

Primeiro você constrói os corpos solares. Aqui, nós só estamos querendo definir o crístico.
Corpos crísticos são corpos solares refeitos, são corpos de ouro.
Depois de abrir o corpo solar, o corpo superior, você cristifica esse corpo. É um processo mais elevado.
Então nessa etapa, nós estamos apenas acumulando energia crística, que é a energia vital, para não usar
o termo crístico, que é uma palavra que nos confunde um pouco.
O crístico puxa um pouco para cima, o vital traz mais para baixo. Mas essa energia crístico-vital , que é
a energia elétrica, está em estado latente, é inerente a todos nós.
No plano físico ela está depositada nas nossas glândulas sexuais. É ela que dá vida, fornece óvulos nas
mulheres e espermatozóides nos homens. É o que dá energia também. Então, a pessoa que não tem energia
sexual entra em decrepitude .
A vida do ser humano está ligada a essa energia crística vital, que é a energia da vida.
No pranayama você transmuta, é o fundo vital, é o fundo da vida. Quando se transmuta, transmuta a
energia vital, que é uma energia de natureza crística. A cristalização dela permite concentrar em Tiphereh uma
quantidade de energia vital suficiente para o nascimento do menino Cristo em nós.
Aí é outra história. É a expressão da energia crística, pura, que além disso, já não em potencial, mas sim
expressa, é uma energia de consciente, de Consciência. Ela é fundamental para alimentar o Íntimo, para
alimentar a Essência.
É o Cristo criancinha, nascido no nosso coração.
É um processo iniciático. E esse Cristo vai crescer.
O Cristo histórico é o processo de vida em plano físico para representar um processo iniciático que
todo ser humano pede e pode passar. Tem que passar para chegar ao Pai.
25
É por isso que Jesus fala:
“ Ninguém chega ao Pai se não for por mim” . É através do Cristo histórico. Não há como chegar ao
Pai, como encarná-lo, se você não passar pelo Cristo.
Ele é a âncora, é o veículo que o Pai nos concedeu para nos resgatar. Esse veículo é a nossa tábua de
salvação. É o salvador por causa disso. O nível no qual estamos falando é atômico. Está depositado
atomicamente em toda a Mônada, com todo o conjunto de corpos. Por pior que seja um indivíduo, o maior
bandido que haja, nele existe em potência essa energia.
Ninguém está impedido de salvar-se.
A pessoa pode estar no pior dos infernos, ser o pior marginal de todos, se ele realiza isso que está em
potência, conquista esse caminho.

Uma das alterações mais importantes na terminologia esotérica, a definição semântica do Ser, foi feita
pelo mestre Samael: a questão do Eu Superior e do eu inferior.
Até então, o Ser era um Eu Superior.
A Teosofia tratava do Ser como Eu Superior. O conceito não está errado, mas do ponto de vista
semântico, falar em Eu Superior provoca muita confusão.
A Loja Branca determinou que o termo fosse corrigido porque eu é sempre eu .
O eu induz ao egoísmo, a uma idéia equivocada, a idéia de si mesmo, de existência separada do todo.
Esse é o grande equívoco.
A simples troca da expressão de Eu para definir uma individualidade verdadeira em contraparte com a
palavra Ser é muito interessante porque é um detalhe que não se vê em livro algum. Isso foi objeto de
reflexão, uma descoberta de observação.

Na linguagem, Ser é um verbo auxiliar por natureza.


Samael substancializou esse verbo, quer dizer, pegou o verbo e o transformou em substantivo.
É interessante a leitura do que é substancializar o verbo. É o verbo feito substância. E esse é o sentido
esotérico de se utilizar o verbo auxiliar, o verbo ser, e transformá-lo em substantivo para definir o que há de
autêntico em nós.
Então essa mudança que parece uma mudança semântica , não é mais Eu superior e eu inferior .

Agora é Ser e eu.

É uma correção de base que altera toda a construção da nossa história.

O eu, sempre trataremos como algo que é necessariamente inferior. É uma noção animalóide de
individualidade.
O eu encobre a Essência.

Para podermos atingir a verdadeira Essência,


o que existe de Luz em nós,
temos que atravessar a selva espessa do Ego.

26
Esse é o nosso Karma a pagar. Essa é a característica do mundo de Malchuth que é o universo material
por excelência.

A estrutura como nós vimos no curso de Astrologia , a Lei do Três, a Lei do Sete no universo, cria em
três e estrutura em sete.
Malchuth é esse sephirote caído. Toda essa expressão negativa é um reflexo, uma sombra do que existe
de superior: assim como é acima, é abaixo.
A estrutura do ego, a estrutura do eu, também é baseada nas Leis do Três e do Sete.
A estrutura básica do pecado, do erro, é baseada nos três demônios, nos três princípios principais que
são conhecidos como :
demônio do desejo,
demônio da mente,
demônio da má vontade,

os três traidores que são as percepções equivocadas.


O anelo que é associado ao corpo astral, a Hod, encontra a sua contrapartida negativa no desejo.

que é a mente que nos permite a compreensão,


o veículo da expressão do Íntimo,
a mente superior, a mente solar,
é um veículo de expressão do Íntimo.

A contraparte negativa da mente é racionalista,


a mente que compara tudo.
É a mente que nós estamos acostumados a lidar com ela,
é a razão da nossa sociedade contemporânea.

A mente racionalista é um mecanismo cerebral, ligada com o centro cerebral e que não consegue
compreender.
O funcionamento dela é binário, digital. Ela é dicotômica, dicotomia de bem e mal, não consegue
compreender o três, aquela concepção .
Não consegue compreender a natureza de Deus.
Não consegue compreender o mistério da Criação.
Nessa mente é onde encontram guarida os piores demônios existentes até o nível de Netzah: (Malchuth,
Jesod, Hod, Netzah) , o que nós chamamos de corpo físico, etérico, astral e mental.
Esses são os quatro corpos de pecado e onde o ego se manifesta.
Os três demônios,os três princípios estão associados ao desejo, à mente e à má vontade.
A má vontade é depositada em Jesod, que é a sombra do Corpo da Vontade, que é na verdade Tiphereth,
o corpo Causal.
Tiphereth é o corpo da vontade consciente.

27
Expressa-se através da nossa contraparte etérica. A má vontade que é rebeldia, é ausência de
capacidade, de realização. Ela se fundamenta em Jesod que é o fundamento da nossa ação biológica,
química, fisiológica.
Jesod é o corpo Etérico , é o assento da vida.
O corpo Físico é apenas um conjunto de matéria inerte.
Se você desliga o corpo físico, ele é uma massa de matéria. O que dá vida ao corpo físico, o assento vital do
corpo físico é Jesod .

Então nós podemos dizer que em Jesod está a última referência da vida em nós, está no plano etérico .
Quando o plano Etérico é desligado do plano físico, acontece o processo fisiológico que conhecemos
como morte física.
Apesar de, num primeiro momento, aparentemente vivermos no plano Físico e nos reconhecermos no
plano físico, observem que a vida verdadeira não está no plano Físico.
O plano Físico é um conjunto de reações químicas, de processos químicos, biológicos que funcionam
automaticamente, mas o assento vital não é encontrado no plano físico. Nada de espiritual é possível encontrar
num corpo inerte. Nem numa pessoa física, nem num animal, nem numa planta, nem num mineral.

Malchuth é um sephirote caído. No plano físico, a vida não chega como vida. Isso parece uma coisa
óbvia, mas é uma sutileza importante.
O depósito do fundo vital, a vida, se encontra no plano Etérico, no sephirote Jesod. É até onde a vida
chega. Daí não passa.

Os processos nós temos de desenvolver, a nível de Etérico.


É a nível do calor, a nível da eletricidade.
É a nível do trabalho com a energia sexual, porque não há possibilidade de nada realizar de concreto no
universo, sem se lidar com a energia sexual. Isto porque a energia sexual é o fundo vital. Sem energia sexual
não há vida. Existe uma má compreensão disso.
Nós estamos falando de energia sexual que é energia vital. É a energia que anima plantas, animais, seres
humanos. É a energia latente, a vida mesmo presente em Jesod.
É a expressão do fogo. Sem isso não há vida.

Esses três demônios que são cabeças de legião são associados a três dos pecados capitais e que se
expressam através de sete tendências negativas principais que são conhecidos no Cristianismo como Sete
Pecados Capitais.
Essa é a noção cristã na qual nós estamos habituados, na qual fomos informados de que dentre os
pecados capitais há os pecados mortais e os veniais .
Os pecados mortais, que são os principais, estão associados aos três demônios, são os pecados mais
graves. São o três. Os veniais são o quatro.
Toda a estrutura é assim. É importante perceber, quando nós trocamos uma terminologia para definir :
pecado, no sentido de erro, de um equívoco, de uma sombra de uma energia, de um desvio de uma energia. É
importante ao lado dos sete pecados capitais ter também a lista das sete virtudes capitais porque para cada
pecado há correspondentemente uma virtude.
Esses pecados, essas tendências, são padrões de energia. Equivalem às sete notas musicais, aos sete
dias da semana, aos sete planetas pessoais.
Cada um desses pecados capitais é característica dos infernos atômicos de cada um dos planetas. Por
exemplo: oSol está associado ao orgulho.

28
Cada um de nós é uma sinfonia trágica. É composta de milhares de combinação de: dó, ré mi, fá sol, lá,
si. Essa tonalidade, essa música, essa sinfonia de cada um é que precisamos começar a decompor, colocar no
papel.

O sentido simbólico de colocar no papel, é


estudar essa sinfonia
para podermos transformar uma sinfonia de egos
em uma sinfonia de virtudes.

Trabalhar e seguir definitivamente.


Isso é para realçar que Malchuth é intimamente ligado a Jesod, que está intimamente ligado a Hod,
que está intimamente ligado a Netzah , ou seja, esses quatro funcionam de uma maneira integrada, difícil de
separar. Difícil de linear.
Por exemplo, falar assim:
“Ah! Vou trabalhar só com Malchuth, depois eu cuido do Astral “ .
Não dá porque o corpo físico não existe.
Se você quiser falar do corpo físico nessa vida diária, vai estar falando de Jesod, da sua vida.
Sua vida se expressa como sentimento, que é expressão de Hod.
Ao pronunciar as palavras, você está trabalhando com a mente. Ela está catalogando.
Todo esse processo está mesclado o tempo todo. Não dá para pretender isolar uma experiência em
laboratório .
A dificuldade no nosso laboratório é que não existe um desenvolvimento de faculdades superiores.
Elas são indispensáveis para se fazer o trabalho. São instrumentos.
Se a Intuição não é desenvolvida, não há como trilhar o caminho pura e simplesmente.
Não há como trilhar o caminho com a mente. É impossível.
É a mente tentando entender algo que está acima dela.
É querer ensinar um cachorro a falar. Não é da natureza dele, não é possível.

CHEGAMOS A TIPHERETH
QUE É PONTO CENTRAL DA NOSSA QUESTÃO.

Tiphereth é o sephirote que tem mais ligações com todos os sephirotes. Mais caminhos chegam a
Tiphereth.
Os nossos vinte e dois caminhos, (as vinte e duas lâminas do Tarot), estão contidas nas vinte e duas
ligações dos sephirotes. Nós temos oito caminhos saindo de Tiphereth.
Tiphereth não é o Corpo Causal. Tiphereth é uma região.
Todos os sephirotes são um conjunto de sephiras.
Cada sephira é uma região do espaço. Poderia se dizer, uma divisão de manifestação. E Tiphereth é a
dimensão onde se expressam as causas naturais, onde as causas tomam forma. É onde se expressa a nossa
Alma Humana. Existe um grande mistério do Ser, que é o mistério das Almas Gêmeas. Todo ser humano
possui duas almas: uma Alma Humana e uma Alma Divina.
A Alma Humana está em Tiphereth e a Alma Divina está em Geburah. É a trimurte teosófica, os três
corpos que são chamados de:

Atman, Budha e Manas.


29
O Íntimo, que é o que existe de verdadeiro em nós, se expressa através de suas duas almas: a Alma
Humana e a Alma Divina.
A Alma Divina é de natureza feminina e a Alma Humana é de natureza masculina.
É onde o espírito puro que é impessoal a nível de polarização sexual se expressa através de um casal.
E esse casal são duas almas.

A Alma Humana é a alma que sofre, é Tiphereth.

Tiphereth é a ponte de ligação

Entre

e o plano espiritual.
os planos basicamente materiais, A partir de Tiphereth, o ego não
onde o erro é possível. e se expressa.

Uma pessoa que vive a maior parte do seu tempo com a consciência engarrafada, envolvida com o ego,
está dissociada do Íntimo porque a expressão do ego nos afasta do Íntimo.
O ego não pode passar de Tiphereth.
Não há injustiça alguma no universo.
Se sofremos, é porque vibrarmos a cada momento com os quatro corpos inferiores, deixando isolada,
ainda que viva e existente, toda a parte espiritual que simplesmente contempla.

Tiphereth é a ponte que une essa parte espiritual e a parte humana. É a região onde o ego não se
expressa, mas pode ser perceptível .
Quem percebe e sofre com o ego é a Alma Humana, em Tiphereth. Por isso, Tiphereth é estratégico
nessa estrutura.
A INICIAÇÃO DE TIPHERETH que vamos falar mais adiante, é o maior acontecimento que pode
ocorrer : é o

NASCIMENTO DO CRISTO
no coração do ser humano.
É onde o Pai se expressa,

Tiphereth tem uma ligação direta com Kether .

30
Observemos o triângulo superior, que é o Triângulo Logóico . É o triângulo do Pai, Filho e Espírito
Santo. Ele se desdobra no triângulo inferior.
O triângulo inferior, que é o segundo triângulo, chamado triângulo Ético, assim chamado porque é
onde impera a Lei. É como se fosse uma duplicação ou uma sombra do Triângulo superior. Esse triângulo
depois se desdobra no terceiro triângulo que é o triângulo Mágico e que é o material, não considerando
Malchuth porque é um sephiroth caído.

Então são três vezes três.

A posição de Tiphereth é muito interessante porque, apesar de ser o Centro de Gravidade do


Triângulo Ético, que é o segundo triângulo, formado por Atman, Buddhi e Manas, apesar de estar em uma
posição inferior hierarquicamente, estar abaixo, ele é o corpo Causal , é a Alma Humana.
É a parte que está ligada aos quatro corpos de pecado e é a expressão humana do Íntimo.

O Íntimo é Chesed.
Tiphereth tem uma ligação direta com Kether. Ele é como que uma reprodução do Pai que, é o Centro
de Gravidade do Triângulo Logóico.
Então temos

uma relação de Pai, Filho Tiphereth, Chesed e


e Espírito Santo com Geburah

Aí podemos fazer as associações entre o Espírito Santo e Geburah, entre o Filho Chesed, Binah. Essas
relações nós vamos fazer quando formos estudar o Triângulo Logóico, quando faremos a relação do Triângulo
Logóico com os ouros triângulos inferiores.
O que precisamos salientar é que Tiphereth tem uma relação direta com o Pai.
O Íntimo que está em Chesed não tem uma ligação direta com o Pai. Ele passa por Chokmah para
chegar ao Pai. Não há uma ligação direta, poderíamos ter um pauzinho que ligasse do 1 ao 5, mas não há.
31
No entanto, há um pauzinho que une o 6 ao 1.
Da mesma maneira, nessa descida da Mônada até a matéria, nós temos o primeiro triângulo: 1,2,3 ,
Triângulo Logóico.
Do 3 para o quatro, não há uma conexão direta.
O 3 não se comunica com o quatro diretamente. Ele só se comunica com o quatro através do 2 ou
através do 5.

O segundo triângulo é uma duplicação do triângulo superior.

O homem é feito à semelhança e imagem do Criador.


Essa tríade, esse triângulo Ético, triângulo da Lei, é o primeiro nível da compreensão de Deus, ao qual
devemos nos dedicar.
Antes de procurar realizar em nós a excelência do Pai, da maestria absoluta, brilhante, nós temos que
passar e realizar necessariamente por esse triângulo, cujo Centro de Gravidade é Tiphereth, o mundo Causal,
o mundo Das Causas Naturais.
É estratégico trabalhar com a Vontade , é o mundo da Vontade.
É por isso que na Gnose se diz que o lema divisa dos gnósticos é Thelema (palavra que significa
vontade).
Todo processo de salvação é uma ação da vontade.
Ninguém é capaz de salvar-se a si mesmo. É a primeira questão a ser esclarecida.
É uma ilusão do ego supor que alguém salva-se pelo próprio esforço. Isso é uma expressão de orgulho
tremendo.
É necessário ter a humildade de reconhecer que precisamos de ajuda superior e por isso há um
salvador, há a figura de um salvador que é o Cristo, que na aurora da Criação se comprometeu a estar
presente em todo esse processo para servir como âncora, como ponto de apoio para a salvação.
É uma prova e uma exigência de extrema humildade reconhecer-se caído e rogar ao Cristo, abrir-se
para o Cristo, e buscar, pedir a salvação.
Quando falamos de vontade, que temos de fazer a vontade, que Tiphereth é a Vontade, não é a vontade
no sentido do Ego. “Eu quero ascender” , “eu quero subir”.
Se você quiser subir e fazer, não consegue. O seu querer nada vale para ascender. O que tem que ser
exercido aqui é a Vontade pura em potência, de natureza divina.
O sentimento que invade a pessoa nesse momento é um sentimento de saudade do ser amado, do
outro.
O que é o outro?
É a Alma Divina.
Aqui há um mistério incrível, é onde nasce o verdadeiro anelo espiritual.
Nessa experiência de Tiphereth, nessa região de Tiphereth é onde podemos experimentar pela primeira
vez, o Nascimento do Centro de Consciência Permanente.
É onde podemos perceber pela primeira vez a noção do Budhata. É a primeira percepção do Íntimo.
A Essência é como Semente do Íntimo. É o que é chamado também de Embrião Áureo. Aqui nasce a
verdadeira vida.

Observemos bem:
Em Jesod está a vida, mecânica, o fogo de natureza sexual, de natureza elétrica, de natureza eletrônica.
E, não por acaso, Jesod se comunica diretamente com Tiphereth.
É importante construir essa árvore assim, porque essa noção tridimensional faz toda a diferença porque
existe uma relação entre esses sephirotes.
Mas, o grande caminho, a grande via direta está atrás, que é a relação entre Jesod , Tiphereth e Kether.
Nessa base de vida que existe aqui, que é a base sexual da existência , é a base bio físico elétrico eletrônico
química da existência, pia matéria, você se comunica com a Vontade.

Quando isso está devidamente organizado ou suficientemente equilibrado, é possível se experimentar


diretamente, sem passar pela mente, sem passar pelo desejo, sem passar pelo corpo físico, ter uma experiência
da região de Tiphereth, que é a experiência da Vontade, da expressão pura da Vontade. E a expressão pura da
Vontade, se bem realizada, se bem alimentada com esse potencial de energia vital que existe em Jesod, nos
32
leva, por instantes, diretamente ao Pai, sem passar por mais nada, sem passar pelo Íntimo, sem passar pelo
Cristo, diretamente a experiência do Pai. Tal acontecimento não de uma maneira definitiva porque a árvore
tem que ser construída. Isso não é um atalho no sentido de que por aqui se corta caminho e se elimina o resto.
Mas é um atalho sim a nível da experiência possível.
Essa experiência é possível em meditação. É o Samadhi .
O Samadhi é alguém que, ainda que esteja com todos os egos, com o corpo físico encarnado, com os
corpos bastante poluídos, pode concentrar-se minimamente na sua energia vital, quer dizer, há que se ter
energia vital, um mínimo de energia sexual acumulada e um mínimo de condição bio físico química. Não
pode estar enfermo, possuir um mínimo de equilíbrio dos chacras, dos centros, para que dessa energia nasça
um tal impulso que a vontade possa utilizar essa energia para nos remeter à Mônada.
Mesmo a Essência estando aprisionada nesses egos, nessa parte inferior, essa experiência é possível, é
algo transformador porque o tipo de alimento que você traz quando volta, retorna purificando tudo.
É experiência de levar a Consciência por um minuto, um segundo que seja , diretamente em Kether e
depois descer.
É um processo de purificação.
O trabalho de Transmutação Sexual como nós o conhecemos, mesmo o trabalho de Pranayama de
solteiros, é um trabalho de se utilizar a energia que está toda concentrada em Jesod e, com a força da Vontade,
porque o trabalho de pranayama é um trabalho de força de vontade, é um trabalho da região de Tiphereth,
remeter essa energia transformada diretamente ao Pai.
E depois receber essa energia que descende, purificando todo o nosso organismo, até purificar o corpo
físico que está em Malchuth.

Então esse não é um processo em que você está aqui, depois pula pra cá, depois faz uma forcinha pula
pra cá, e vai escalando com uma ação e chega no topo.
Nós somos viciados a só entender as coisas dessa maneira, que é o pensamento linear.
Não dá para estudar isso aqui com o pensamento linear.
Nós temos que olhar isso o tempo todo como um todo. E estudar as partes. Mas não podemos esquecer
a noção do todo. Se em algum momento perdemos a noção do todo, perdemos o sentido do estudo.

Voltamos àquela questão do zero, isto é, Deus, a Unidade Primordial, a menor divisão possível.
Nós temos dois?
Não.
Nós temos três.
Temos uma metade, outra metade e temos o todo que continuou existindo nas duas metades . Isso é
para meditar o resto da vida. Então, não é linear.
1 + 1 não é igual a 2.
1 + 1 é igual a 3 (matemática superior)
Se um 1 e o outro 1 vieram de 1 original , nós temos três. Nós não temos dois. Jamais vamos ter dois.
Todo 2 é uma ilusão.
Esse trabalho parte de Jesod, porque o assento da vida chega em Jesod e o tempo todo ele está em
comunicação até o topo.
É assim que o Pai se expressa na criação.
É assim que o Pai assimila a criação. De uma maneira permanente. Não é uma questão de que um dia o
criador criou e a criação vai ao longo dos milênios e um dia ela chega no limite do Universo , começa a voltar
até se recolher ao Pai.
É uma explicação que nos induz a pensar. Temos que perceber que isso é assim, mas é assim aqui e
agora o tempo todo.
O Pai é capaz de experimentar a si mesmo aqui embaixo, em Jesod. É a vida aqui.
Quando nós nos conectamos com a Essência que está em Jesod, o Pai se faz presente em Jesod. A
Verdade se faz presente em Jesod. Assim nós elevamos o universo material, a criação ao mais puro e também
o Espírito desce até a matéria , é assim que o milagre da criação se processa:

Tiphereth (Manas),
33
Geburah (Buddhi)
e Chesed (Atman)

Em Geburah , que é o quinto sephirote , nós temos a Alma Divina.


A Alma Divina não trabalha. Ela contempla. É o conjunto de valores espirituais.
O mais grave dos pecados capitais não é o fato deles existirem ou se manifestarem, mas o pior é o fato
de, em se manifestando, impedem a manifestação das virtudes divinas, que é a Alma Divina que é a bela
Helena.
Toda mitologia tem a figura da mulher, do cavaleiro que enfrenta todos os perigos para desposar com
a princesa que está dentro do castelo.
Todos os contos de fada fazem isso.
Toda história de cavaleiro, que vai à guerra e retorna com o tesouro para com ele conquistar o direito
de casar com a princesa, filha do rei, é a história da Alma Humana que sofre terrivelmente, é a parte da Alma
que sofre, que está ligada à Terra, que incorpora a dor da Terra, transmuta purificando tudo isso. Conquista,
dessa forma, o direito de se desposar, de retornar à sua outra metade que ficou ininterrupta e protegida no
castelo do rei, no sephiroth Geburat.

O rei é o Pai. Nós podemos também dizer que o Íntimo seria o Pai. Mas não é isso. O Pai é o Pai, é
Kether.
O Íntimo, o que de verdadeiro existe em nós, é o Espírito em nós.
Fala-se que o homem é um conjunto de corpo, alma e espírito. Então nós temos corpo, duas almas e
um espírito. E as almas são veículos do Espírito.
O Espírito eterno, imortal, imutável, é o Íntimo, o que se chama de Atman. Está na região de Chesed. E
ele se expressa, utiliza como veículo as duas almas.
As bodas espirituais, as núpcias reais do cavaleiro que desposa a princesa, a bela Helena, é a fusão da
Alma Humana com a Alma Divina, o que permite encarnar o Íntimo.
Quando o ser humano realiza esse processo, cristaliza o Triângulo Ético, que é a Lei.

Como faz isso?


Observemos que a Alma Divina, região de Geburath, mundo Buddhico, é a região da Lei. É a região
onde se expressa o karma, o Tribunal do Karma com seus quarenta e dois juízes. Aqui é o rigor da Lei.
A expressão de Geburah em nós é o Kaon interior.
Kaon é a polícia do karma que fica olhando o nosso comportamento. Essa partícula em nós mesmos,
que é chamada Kaon, a voz da Consciência em nós mesmos, que é onde ficam registradas as nossas faltas.
Todos os nossos desequilíbrios estão registrados através de Kaon. E é aqui, onde isso se expressa e é
cobrado.
Para que possamos ascender a essa experiência de fusão da Alma Divina com a Alma Humana, temos
que pagar o nosso Karma. Precisamos zerar o nosso Karma. O nosso Karma é negociável. A questão do
Karma tem que ser tratada, para podermos ascendar à Alquimia.
Por quê?
Porque o que gera Karma é a expressão do ego. Ao expressarmos o Ego, impedimos a expressão da
Alma Divina, que são as virtudes.
Os pecados capitais, o Ego, são como se fossem a sombra negra da Alma Divina. É o carrasco da Alma
Divina, apesar de que Alma Divina nada sofre, ela contempla.
Quem sofre é a Alma Humana que está no meio da brincadeira .
É através de Tiphereth, da Vontade, da Alma Humana, que nós conseguimos dissolver os agregados
psicológicos e permitir que as virtudes, que são a verdade, que constituem a Alma Divina, se expressem até
Malchuth, até os Infernos, se for necessário.
Com isso podemos vivenciar , expressar e cristalizar em nós o Íntimo, que é Chesed. A região de
Chesed, região de Atman, é a região da Matemática pura.
Vivenciar uma experiência de Consciência na região de Chesed choca as pessoas, quando elas podem
ter esse tipo de experiência porque é uma região de objetividade extrema.
É onde imperam Matemática, a Música, os Templos da Música.

34
A Música das Esferas se processa na região de Chesed. É a região pra nós do Espírito puro. É a última
região da Trindade perfeita, o Triângulo Logóico.
Depois daqui, é Logos.

Chesed é a objetividade máxima, é onde tudo se expressa através da Lei dos Números. É onde o
Arquétipo Divinal é estruturado.

Repetindo:
Está intimamente ligado
ao rigor,
à Lei,
ao Karma,
ao Causal,
à Alma Humana.

não dá para separar.

O Triângulo Ético é onde o mundo espiritual começa a se expressar.


Dessa observação, desse conhecimento, desse acompanhamento , como funcionam os quatro corpos,
os nossos processos, podemos experienciar a Vontade, Thelema, que é o impulso espiritual puro. Ele nos
permite trabalhar, nos joga no trabalho de Geburah e Chesed.
É a cristalização desse Triângulo.
Para trilhar o Caminho, a primeira coisa é trabalhar com a Lei, com a observância da Lei.
Buddha falava que existem três coisas que são eternas:

o Pai
a Lei
o Espaço

A Lei é eterna, imutável. O trabalho com a Lei é fundamental. Conhecer as Leis que regem o Cosmos
desde as Leis Físicas.
A criança aprende: se ela der um murro, dói. Isso é Lei da Física.
A toda ação corresponde uma reação de mesma intensidade em sinal contrário.
Essa Lei é a mesma que rege Geburah. Não é que ela seja análoga, não. É a mesma.
Só que ela se expressa no plano Físico com uma Lei da Física.
Expressa-se no plano emocional com a emoção negativa, à medida que você exerce uma pressão
emocional e aí vem uma pressão emocional contrária de mesma intensidade e você viola um equilíbrio, e
força sua pressão emocional, você desequilibra, derruba a outra pessoa ou ela vem com uma reação e
desmonta . É o que acontece nas novelas de televisão, no dia a dia das emoções, das paixões, dos amores .

No plano mental é a mesma coisa.


Ao pensar, ao concentrar, ao utilizar exageradamente a mente conceitual, minha mente quer dominar a
mente do outro que quer se impor nos meus conceitos.

“Ah, porque eu acho que deve ser assim, porque eu acho que a minha religião é melhor que a sua”.
Você está violando a regra de respeitar o próximo, está dando um murro no rosto do outro, está
forçando a natureza e vai ter que ser capaz de resistir a uma mesma energia de sentido contrário.
Não é para discutir com uma pessoa, pois assim, você entra num processo da discussão mental.
Quando digo:
“A minha religião, o meu partido político, porque eu acho que nós deveríamos fazer”.
Aí o outro fala assim:
35
“Não, mas eu acho ...”
Vamos discutir, ficando uma eternidade em eu querer derrubar a parede e a parede querer derrubar a
minha mão. Isso não tem fim.

Estamos gastando uma energia, acumulando karma porque temos uma quantidade de energia, que é de
natureza divina, que está sob a nossa administração e que estamos mal dirigindo.

Ninguém nasceu ontem.


Nós viemos todos aqui, administrando essa energia que significa corpos: físico, vital, há milênios.
Nenhum de nós aqui tem cem anos ou cento e cinquenta.
Qualquer um de nós está aqui há mais de dez mil anos.
Nós viemos administrando essa energia há milênios, de uma maneira mais ou menos equivocada.
De alguma maneira, existe algum mérito por estarmos aqui ainda, tentando, estudando. Poderíamos
estar na farra, mais perdidos, mal gastando essa energia.
Ao assumirmos, tomarmos pé dessa energia, tomarmos posse dela, estudarmos e passarmos a trabalhar
com a Lei, com a Matemática, com a Música das Esferas, com o Verbo, começamos a falar do Ser.

Aqui é a primeira expressão do Ser.


Começamos a realizar o Trabalho. Isso é colocado pelo caminho, estar no caminho. É através do
desenvolvimento da Vontade.
Observemos que a Vontade se contra- põe à má vontade.
O demônio que tem que ser atacado é o demônio da má vontade através do exercício da vontade , quer
dizer:
Nós matamos o demônio do desejo (ver a correspondência que existe em Geburah e Hod, onde está o
demônio do desejo, está no astral), trabalhando com a Vontade.
E o demônio da mente é destruído, quando trabalhamos com Chesed associado à Netzah .

Observemos:
A nossa mente animal, o nosso desejo animal, o nosso corpo mental, o nosso corpo astral, nos remetem
à Tiphereth.
De Tiphereth nos elevamos à Geburah e Chesed. Elevamos o nosso corpo astral, o nosso corpo mental
à experiência da Lei e à experiência da Música , da Matemática, do Íntimo, da Misericórdia .

O primeiro Triângulo
É a base, o assento vital, com ele projetamos a vontade .
Aí nos apoiamos na vontade pra projetarmos outros dois vórtices para cima. Na hora em que
fiscalizamos esses três, podemos reproduzir aqui um abismo entre o Triângulo Mágico e o Triângulo Logóico.
Então não há comunicação entre o três e o quatro, é como se entre eles houvesse um abismo.

Os seres humanos ainda ficam aqui no Triângulo Mágico, enquanto não forem capazes de
cristalizar o Triângulo Ético,
de cristalizar Atman, Buddhi e Manas,
de cristalizar Alma,
fabricar Alma

que é o trabalho que nós temos de fazer, através do acúmulo de Energia Vital em Jesod, para depois se
projetar em Tiphereth, para podermos cristalizar Alma.

Ao podermos cristalizar a Alma, o Espírito que é o Íntimo, pode se manifestar.


Só o ser humano que cristalizou essa tríade pode ser chamado de Ser Humano. Enquanto isso não está
feito, nós somos um protótipo de ser humano, projeto, possibilidade.
Não é anjo, não.
É ser Humano, é ser o nível Humano da expressão.
O estado angélico já é outra história porque nele eliminaram-se os quatro corpos de pecado.
36
No primeiro Triângulo há Energia Sexual, corpo físico. Esses são dados fisiológicos.

Agora, os grandes Iniciados, os grandes auto realizados, os grandes santos, realizam essa estrutura, por
um tempo determinado de cima a baixo .

Jesus, quando expressava o Cristo, era a presença do Pai no plano físico, em Malchuth.
O extraordinário Jesus que o pessoal fala:
“Ah, Jesus morreu na cruz”.
O extraordinário de Jesus foi ter nascido. É um Ser de tal estirpe, o fato de tomar um corpo físico, estar
preso em Malchuth, foi um grande sacrifício. Ser pregado na cruz para ele, era embarcar no avião de volta
para casa.Todo mundo chorando e Ele feliz da vida.
Jesus foi maravilhoso,não porque foi pregado numa cruz.
Muitas pessoas sofreram flagelos muito piores.
O extraordinário Dele foi ter nascido, ter realizado aqui esse processo inteiro.
Ele expressou o Pai. O olhar Dele era expressão do Pai. De pé, ressuscitado.
O processo de ressuscitar é pegar o corpo físico de Malchuth e religá-lo a Jesod. Ele fica incorporado
na região de Jesod.
O corpo físico de Jesus existe no plano etérico até hoje.
O Iniciado Jeshua Ben Pandirá, se quiser, pode reunir os átomos físicos, tão físicos quanto os nossos,
que estão depositados no plano vital, na região de Jesod e manifestá-los em Malchuth, no momento em que
quiser.
Pode aparecer, como apareceu para Tomé.
Ele veio do Etérico e se expressou, no primeiro momento, no Etérico.
Quiseram tocá-lo e ele disse:
”Não, não se aproximem. Ainda não podem me tocar. Era só uma imagem etérica do corpo físico que
estava em processo.
Depois, posteriormente, não. Ele se manifestou fisicamente para Tomé que duvidou.
Ele disse para o discípulo:
“Toca aqui nas minhas chagas”.
Tomé tocou-o e viu que era físico.
O mestre concentrou os átomos que estavam em Jesod e manifestou-se no físico. Qualquer mestre
ressurreto pode fazer isso.
O Cristo conquistou o direito de fazer isso: possui aquele organismo, aquela camisa que passa a servi-
lo. Mas aí é uma longa história de corpos astrais, de corpos solares.

O assento vital Jesod, a Pedra Cúbica, a Pedra Filosofal, a Energia Sexual, é o Fundamento.
Toda a construção disso, depende da Energia que utilizamos para cristalizar os corpos: astral, mental,
solar, para estruturarmos essa tríade para poder despertar a Vontade.
E através da expressão da Vontade, reunimos a Alma Humana com a Alma Divina e com elas unidas
expressar o Íntimo.
Pronto: cumpriu-se o Trabalho.

Depois tem o
Salto do Abismo
que é o Íntimo expressar,
encarnar o Logos.

Já é outra Iniciação de Tiphereth no outro processo.

Pergunta:
Jesus, quando nasceu, já era Auto Realizado?

Resposta:
37
Ele não veio por Karma.

Pergunta:
Quer dizer que para Ele fazer esse trabalho novamente, foi fácil?

Resposta:
De certa forma, sim. Mas Ele correu todos os riscos de cair.

Pergunta:
E Ele poderia cair?

Resposta:
Sim, poderia cair. Não deixa de ser extraordinário. Era alguém extremamente preparado para fazer
aquilo.
Existem Mestres que já vieram para fazer determinada Missão, mas que não conseguiram realizá-la.

Pergunta:
Tem que ter uma vontade muito forte para superar ...

Resposta:
É. Ele foi tentado no deserto. O bodhisattva teve a tentação no deserto.
Sakiamuni, outro grande Iniciado, veio com a Missão específica de Encarnar o Budha Íntimo.
Quando você realiza esse processo, diz-se que você é um Budha. O estágio do ponto de vista
hierárquico do Budha, é hierarquicamente uma preparação à Cristificação.
Cristo é, hierarquicamente, acima do Budha. Significa que Budha, Sakiamuni histórico, foi um
Iniciado menor na Hierarquia Divina.
O mestre Samael fala que aquele Iniciado, que representou o Drama, que veio como Budha
Sakiamuni, é quem exerceu o papel do Cristo no Planeta Marte.
Ele é o Cristo do Planeta Marte.
Os Iniciados vão cumprindo sua Missão.
O processo de vir o Iniciado, o processo da Cristificação e tudo o mais, no Planeta Marte foi exercido
por aquele que foi Budha.
E, provavelmente, aquele Jeshua Ben Pandirá , que exerceu o papel do Cristo aqui no planeta Terra,
exerceu outros papéis em outros níveis, em outras esferas.

O Homem completo é um Buddhda porque dominou o processo da mente, cristalizou o Centro de


Gravidade Permanente, já está completo, preparado para a Iniciação de Tiphereth.

A Iniciação de Tiphereth é a Cristificação.


Quando se está nesse ponto, conquista-se o direito de viver no Nirvana.
Um Homem completo, que terminou o Triângulo Ético, conquista o direito, limpa-se, libera-se do
karma, e se Ele não vier a sacrificar-se pela Humanidade, conquista o direito de viver, de maneira
permanente, no Éden, que é o assento vital, sem necessariamente ser obrigado a tomar corpo físico por um
longo tempo, por uma eternidade, como se diz. Mas está limitado, Ele não encarna o Pai.
Se quiser encarnar o Pai, que é o Triângulo Logóico, vai ter que, obrigatoriamente, tomar corpo físico
e passar pela Iniciação de Tiphereth.
É a chamada Via Direta.

É uma opção que se faz nessa etapa do Caminho.


Ou se vai pelo caminho do Nirvana, que é espiral, ou pela Via Linha Direta e direto encarnar o Pai que
é o processo de Cristificação.
Aí é uma decisão que se toma, que é como dar o Salto do Abismo.
Há uma frase que diz: “O céu se toma por assalto”.
38
Esse Salto é o assalto.
Não é brincadeira.
É apostar todas as fichas. Ou ganha-se tudo, ou perde-se tudo.
Vai lá para o fundo de uma vez, e aí começa lá de baixo. É arriscar tudo.

É a Iniciação de Tiphereth, é o Caminho Direto.


É como uma Montanha. Você tem que subir até o topo da Montanha.
Há um caminho leve e suave, mas longo. Demora.
E tem um caminho que é uma trilha, no meio do mato, com espinhos, pedras e paredão.

Esse é o Caminho, Via direta, que vai levar ao Pai, direto.


O compromisso do Cristo é falar:
“Sou Aquele que está ao lado do Pai”.
“Ninguém chega ao Pai sem passar por mim”.
Ele é o que está antes do topo da Montanha, te dando a mão na hora mais perigosa.

Por isso a Iniciação de Tiphereth é Encarnar o Cristo no nosso coração.


Cristo nasce no coração, em Tiphereth.
Se Cristo não nascer, esse Salto nada vale. Ele é o escudo.

Pergunta:
Jesus disse a Pedro:
“Você pode fazer o que eu faço”.
Aí Pedro começou a andar sobre as águas, mas quase afundou.
E Jesus disse:
“ Homem de pouca fé.

Nesse caso, se tivermos pouca fé, caímos?

Resposta:
É.
Precisamos de Fé Consciente. Não é muita fé, não. É a Fé verdadeira. Ela não é mensurável.
O muito e o pouco são medidas da mente.
Na Fé Consciente, nós vamos estar ultrapassando todo o processo da Matemática, da Lei, da mecânica.
É outra lei, é outro nível. É amar a Deus sobre todas as coisas.
É a primeira Lei. E a única.

O primeiro Mandamento:
Amar a Deus sobre todas as coisas, resume.
Se você se concentrar só na primeira Lei, perceberá que todas as outras estão contidas nessa primeira
Lei, automaticamente.
Sobre todas as coisas.
Não só sobre as coisas boas, ou as coisas ruins, mas sobre todas as coisas.

É uma Lei absoluta. É absoluta em si mesma.


É entregar-se à Divindade de maneira absoluta, total, radical, como Cristo fez.
É fazer a Vontade do Pai. Ele morre. É a morte radical.

Aí se elimina a sombra do resquício da lembrança do Ego que é chamado de

39
FITAS TELEOGINORAS,
que é a possibilidade de não lembrar que existiu alguma coisa egóica.

Constroem-se os corpos solares, encarna-se o Íntimo, o Pai, depois abandona-se tudo o que se possui: o
Pai, o Íntimo, os corpos.

É muito para a nossa cabeça, mas é um Caminho.

Pergunta:
Sobre esse atalho que você falou:
De chegar até o Pai através de Tiphereth” , é uma experiência.
Você falou:

Há que se ter energia vital.


Há que se ter os chacras equilibrados.
Não se pode estar doente.
Achei isso interessante, você dizer que é necessário um corpo saudável para a ascensão rápida.

Resposta:
A noção de saúde do corpo físico, a preocupação com a saúde.
Em geral, as pessoas que chegam à Gnose e a tudo o que nós estudamos, já passaram por
vegetarianismo, estão preocupadas com a saúde, comem arroz integral.
Isso é inerente ao trabalho do desenvolvimento espiritual: a preocupação com o corpo físico, com a
naturalidade do corpo físico.
Mas existe também um exagero, uma excessiva preocupação.
Por exemplo:
Na Hata Yoga, que é uma yoga iniciante, cujo objetivo é preparar o corpo físico para a prática
espiritual, perdeu-se o sentido espiritual devido a uma ginástica cujo objetivo de preparar o corpo físico é
alimentar a vaidade desse corpo.
Quer dizer:
Fazer ginástica e exercícios físicos não para ter saúde, ou até para ter saúde, mas principalmente
porque é bacana ter saúde.
A saúde é necessária porque o corpo é o Templo do Espírito. Então, o Templo tem que estar
funcionando bem.
Você tem um templo com uma porta estragada. O fato de o templo ter a porta quebrada não significa
que está abandonado, que é uma porcaria. Também não.
Mas, o desejável e o normal é que o templo, que é o lugar mais sagrado, esteja em boas condições:
limpo, bem cuidado, com tudo funcionando nos seus lugares. É a maneira melhor de preparar o templo, do
local sagrado, onde o Senhor se manifesta.
Se quiser que o Pai se manifeste, você tem que dar as condições mínimas de organização fisiológica,
bio, química, mental, astral.
A saúde deve ser buscada, trabalhada nesse sentido, porque é uma obrigação espiritual ser saudável.
O corpo faz parte da experiência espiritual.

Agora, é possível que a pessoa tenha um problema kármico, uma enfermidade.

Às vezes a pessoa tem uma enfermidade crônica, por motivo kármico, que é culpa dela. Tem um
Templo com a janela quebrada.
Bem, não é para desistir de ter o Templo, nem desistir de fazer suas orações porque a janela está
quebrada, porque não consegue consertar, infelizmente.

40
A janela quebrou, você não estava atento, mas o Templo continua.
Você limpa, aí molha, você vai lá limpa novamente, até poder consertar a janela.
Busca-se a saúde, porque é necessário, é importante ter isso para que essa experiência possa acontecer.
E quando você se equilibra, requer menos esforço .

A experiência autêntica do Samadhi só acontece, quando não há esforço.

Trata-se de ajuste.
Quando eu falo de saúde, é esse ajuste:

é o corpo estar saudável,


os chacras estarem equilibrados,
as emoções estarem apaziguadas,
o coração estar puro,limpo,
o mental estar relaxado,
todo o esforço da yoga , do relaxamento, da vocalização ...

Quando você vocaliza: IEOUAMS , está vibrando os sete chacras e está equilibrando-os. Numa hora
de vocalização diária você coloca os chacras no lugar.
Você faz o Yoga do Rejuvenescimento que é um tipo de ginástica, faz todo dia, meia hora por dia,
durante três meses, sem faltar nenhum dia.
Depois faz uma hora de vocalização diária.
Acende uma vela e faz o Exercício de Concentração na Vela com uma rosa . Depois bebe a água.
Depois reza o Pai Nosso.
Faça isso tudo junto para ver se não provoca uma Mudança Radical.

A experiência do Pai não é um Samadhi.


Você entra numa sala especial com grande mandala atrás , com incenso, não é isso.

É na hora em que alguém lhe pergunta alguma coisa.


Você tem duas opções:
Pode mentir, que é o mais confortável, o mais diplomático, o mais visual.
Ou você pode falar a verdade, assim com absoluta tranqüilidade. É o momento em que se afirma a
verdade de uma maneira que provoca um choque nas pessoas.

Quando você fala essa verdade, está expressando o Pai.


Porque o Pai é a Verdade.

Quando mentimos, nós mentimos não aquela mentira feiosa.


Nós vivemos um personagem, nós temos a persona, que é nossa personalidade e cada um de nós, vive
no dia a dia, um personagem.

Thiago nasceu com finalidades espirituais.


A finalidade de Thiago era decompor o Mistério da Existência.
A pessoa é levada para Thiago.
Ela representa um papel e observa que, ao invés de representar o papel, passa a incorporar uma série
de valores alheios à realidade e convencer os demais.
Nós vivemos o tempo todo isso, nós não somos verdadeiros. Somos atores o tempo todo.

Estamos habituados, tão identificados com isso, é um processo lento de começar a despregar.
Você começa a se auto-observar, a perceber os papéis que lhe agradam mais. Os que são úteis não lhe
agradam, mas você os desempenha porque são úteis.
É mais fácil lidar com essa pessoa porque ela é agradável demais. Mas tudo isso a pôs a mentir.
41
E mentir, é negar ao Pai.

O que nós temos que buscar é centrarmo-nos no processo. Esse processo de centralizar tem o objetivo
de fazer as práticas, de fazer meditação, relaxamento.
Ele não é em si uma coisa: provoca um conjunto, uma saúde, um equilíbrio tal, que a Consciência, que
é a Verdade, começa a se expressar.

A Consciência é a Verdade. Ela se expressa num momento. Naquele momento é o Pai que se
expressou. E a energia que você capta por ter vivenciado esse momento é extraordinária. Aí você quer
reproduzir aquele momento. E não é fácil.
Esse ascender também é o Samadhi dos místicos.
Ter uma experiência às vezes do sonho, dormindo, desdobrando.
Você faz o relaxamento, de repente tem uma Percepção Intuitiva das Verdades Cósmicas, percepção
que você não consegue explicar para ninguém.
Você vai procurar nos livros toda uma estrutura, uma técnica, tentar passar pra alguém uma coisa que
um dia compreendeu de uma maneira vivencial. É Gnose isso.

Você realizou o Conhecimento.


Você não entendeu mentalmente, você viveu aquilo.
Não há dúvida.

A gente fala o seguinte:


A mente pensa.
A mente é inimiga do Ser, do Íntimo.
Blavatsky, no seu livro A Voz do Silêncio, que foi traduzido por Fernando Pessoa, do Inglês para o
Português, diz uma frase assim:
“A Mente é Assassina do Real” .
Mate o assassino.
A Mente impede o Íntimo de se manifestar. Ela compara, lembra.

O Íntimo é o verdadeiro Homem.


É Deus no homem.
Aquele que ignora essa verdade é apenas uma sombra, a sombra do seu Íntimo.

A Mente pensa, o Íntimo sabe.

A experiência que se tem com o Pai, com o Íntimo, é uma experiência de saber. Uma vez que a pessoa
experimentou isso, está liberta no sentido de que está no Caminho, de mais nada precisa.
Não precisa de mais ensinamentos, de livros, não discute mais a validade ou não da experiência
espiritual.
Ela viveu a experiência espiritual.
Não duvida, passa a trabalhar para fazer com que esse processo seja absoluto, permanente e seja
realizado em toda a sua plenitude.
Conhece o Caminho, pisou no Caminho.
Ela pode até se desviar, mas se vivenciou uma vez isso, não esquece porque isso não fica na memória.
É uma experiência da Consciência, do Íntimo.
Então ela morre, retorna, toma outro corpo, tal, são essas experiências que ficam no Íntimo. Essa é a
natureza espiritual que a pessoa traz.
Essa é a nossa carga.

Todos nós já experimentamos isso em alguma vida, em algum momento. Isso nos mantém ligados. É
um insignit.

42
Pergunta:
A gente tem consciência, eu tenho consciência, da prática dos sete chacras.
Se temos a consciência de desenvolver a energia do sétimo chacra, equilibrando os sete corpos e a
gente come a carne, não fica impregnado de negatividade ?

Resposta:
A questão da carne é o seguinte:
No nível de nossa história, que não é um nível muito elevado, existe uma Lei universal de auto
consumação, Trogo-auto-egocrático-cósmico comum, no Reino se comem uns aos outros, obrigatoriamente.
O mestre Samael experimentou isso.
Existe um tipo de energia vital, passional que é fundamental nesse momento ainda para a estruturação
de Jesod, do fogo.
A energia que há na carne, no sentido simbólico, é a energia do fogo, é a energia da vida. A energia solar
que existe, por exemplo, nos grãos, é o elemento mais elevado, são os grãos e as frutas.
Nós deveríamos comer só grãos e frutas .
O estado espiritual do ser humano hoje em dia, infelizmente, está mal. Vivemos num estado de
animalidade tal, que precisamos comer animais ainda.
Não significa comer carne todo dia, mas sim incorporar simbolicamente um pedacinho de carne por
semana. Isso é suficiente para o seu trabalho voltado com o Elemental animal, carne vermelha.

O fato de não se comer carne, não é prejudicial. Mas, no momento em que você for trabalhar com a sua
Energia Sexual efetivamente, de uma maneira forte, precisa de energia acumulada. Para dar esse salto, por
exemplo, você precisa ter certos elementos de natureza animal que uma pessoa 100% vegetariana não tem.
Agora, nenhum de nós está nesse momento.
Então, o fato de você ficar atento, sem comer carne vermelha não lhe prejudica. Mas, para falar a
verdade, é necessário um pouco do animal, que é o corpo do Elemental do animal, não estou falando de Mac
Donald nem de presunto.
Estou falando de uma carne do animal morto.
A carne a ingerir deve ser a mais fresca possível.
Existe um ritual, que é necessário, no qual são utilizados os quatro elementos.
E a representação do elemento Fogo é a carne vermelha. Nesse ritual, de natureza forte, aparecem os
quatro elementos:
O trigo, representando o elemento Terra.
Tem vinho, que é o elemento Ar.
Peixe que é o elemento Água.
E carne vermelha.
A carne vermelha tem uma energia vital que é animal. É preciso trabalhar com essa energia, para que
ela seja devidamente transmutada e transcendida.
O direito de não comer carne, é permitido aos deuses, é um direito que nós devemos conquistar. É
algo que você conquista.
É um direito, por exemplo, de não ter que trabalhar mais com a energia sexual.
É o direito dos Mestres.
Os Mestres não trabalham com energia sexual no sentido de não precisar de uma mulher para o
trabalho de Transmutação Sexual.
Aí, sim, é o “celibato” .
Eles transmutam as energias de uma coisa diferente.
É Trabalho absolutamente casto e o organismo deles sofre uma transformação de tal maneira que,
tanto o Homem quanto a Mulher conquistam o direito de não lidar com a Energia Sexual.

43
Malchuth como corpo físico
e Jesod como um corpo etérico, como corpo vital, uma contrapartida superior do corpo físico.

Essa questão é muito interessante no sentido de compreender a natureza da vida que se expressa e que
atua através do nosso corpo físico.
Hoje em dia existe uma tendência muito marcada de uma super valorização do corpo físico.
É importante se preocupar com a saúde do corpo físico.
Do ponto de vista do espiritual até o corpo físico há um culto onde, “aparentemente saudável”, o corpo
físico é trabalhado através da ginástica, cultua-se o corpo, fazendo-se musculação, porque acham que isso
significa saúde. Esforçam-se extraordinariamente com um conceito de saúde do físico que passa pela beleza
estética do organismo físico e por um conceito de saúde fisiológica que é não gripar, é não ter câncer, é não ter
pneumonia, é estar aparentemente saudável.
Esses conceitos, esse culto ao físico, escondem por trás de uma aparência saudável, uma profunda
cristalização da degeneração em que se encontra nossa sociedade porque é um culto ao corpo físico sem levar
em conta sequer os conceitos de Jesod.
Na Medicina oficial, na ocidental principalmente, com algumas exceções até no Brasil, existe uma
abertura maior.
Mas, a Medicina americana e a européia se baseiam no tratamento do corpo físico só a nível da esfera
de Malchuth.
Por mais que aparentemente saudável, belo, bonitinho que possa parecer, não se engane, isso é
materialismo puro, no sentido de materialismo anti espiritualismo.
Uma sutil propaganda existe hoje, na qual nós somos bombardeados diariamente: é propaganda anti
espiritualista no sentido de que ela não fala mal do espiritualismo nem do espiritual, simplesmente não se
refere a nenhum tipo de possibilidade espiritual e enfatiza exageradamente as características materiais da
existência como se o corpo físico em si mesmo pudesse ter vida.
Evidentemente as conclusões dessa ciência que consome a maior quantidade de dinheiro do mundo, de
pesquisas, não consegue chegar a um resultado satisfatório.
A prova disso é que, apesar da propaganda contrária, a saúde da humanidade está cada vez pior. O
controle de praga, de doenças, evite AIDS está cada vez pior. Está aumentando o índice de AIDS e de outras
doenças e a nossa Medicina é super moderna.
O que está de errado nessa história?
O que está errado é que a Medicina deveria considerar que a Medicina Espiritual, que é a verdadeira,
que é a que cura a alma, é Elementoterapia que parte de princípios anímicos, que anima os corpos, que utiliza
os princípios anímicos para provocar um equilíbrio e tudo mais. É onde se baseia a Medicina ayurvédica que
é sábia, do oriental , na Índia e a Medicina Chinesa que parte do pressuposto do plano etérico .
A Acupuntura, por exemplo, se baseia em Jesod.
Mesmo a China, com todo o materialismo, por exemplo, na Política, no Comunismo, Mao Tse Tung
jamais concebeu a eliminação os princípios etéricos da Medicina Chinesa. Isso nunca foi contestado em
Universidade Chinesa alguma, nunca foi abandonado pela parte comunista chinesa que, teoricamente é
materialista, quer dizer, mesmo eles, dentro de um trabalho materialista, político e tudo mais, jamais chegarão
à estupidez de que nós, ocidentais, com o nosso orgulho, chegamos na nossa Medicina, que ela é
absolutamente estúpida ao não levar em consideração a base da vida como nós viemos percebendo, está no
mundo etérico.

44
Malchuth, um mundo físico, é simplesmente matéria inanimada que passa a ser animada à medida em
que está vinculada à sua contraparte etérica.
Se eliminada a parte etérica, você tem matéria inanimada.
Uma palavra resume: pó. Pior do que pedra.
Se você tem um cristal de rocha, ele possui sua contrapartida etérica. Um cristal de rocha é um
condutor de eletricidade.

Os cristais são os que movem o computador.


Um pedaço de metal, um magnésio de ferro: com a condutividade do minério de ferro ou a
condutividade do metal é possível ter a contraparte etérica desse cristal.
Se você retirar de um cristal ou do minério de ferro a sua contraparte etérica, eles se reduzem a pó. Pó
é expressão da matéria inorgânica ou mesmo orgânica, sem vida.
Quando você corta um elemento etérico de uma planta, de um animal, de um mineral, ele se
transforma em pó.
Então quando se diz:
“Do pó vieste, ao pó voltarás”, esse pó é mais profundo do que simplesmente ter-se moído uma
substância.
Você pode ter pó com substância etérica, pode reduzir o minério a pó e isso ter uma contraparte etérica.
Se não tem uma contraparte etérica, ela perde a capacidade de condutividade.

E a condutividade ou a eletricidade, no nosso caso,


é energia sexual.

A eletricidade cósmica é a Energia Sexual do Cosmo, é a energia da vida.


A eletricidade é o canal através do qual a energia da vida se expressa. Se não há eletricidade, se não há
condutividade, não há vida. Tanto que, quando querem reanimar uma pessoa que teve um ataque cardíaco, dão
um choque elétrico para ver se o coração volta. É uma carga de eletricidade artificial interna para fazer com
que o coração novamente possa se eletrificar .

Como é se eletrificar?
É reagir.
O que acontece quando você dá um choque no corpo de uma pessoa que teve uma parada cardíaca ?
É que quando ela tem uma parada cardíaca corta-se a comunicação entre o corpo físico que é Malchuth
e o corpo Etérico que é a eletricidade. Bio choque elétrico forte pode reestabelecer essa ligação, para que a
pessoa se reanime e volte à vida.
Nós partimos o tempo todo de Jesod.

É importante meditar sobre isso. Estamos repetindo com tanta ênfase porque
é importante perceber que a nossa base de trabalho é o nível etérico.
É o nível da eletricidade.
É o nível da vida.

E ao concentrarmos a nossa atenção em nossos esforços, ao trabalharmos ao nível do etérico, a saúde


do corpo físico é automática porque o corpo Etérico é a forma do corpo físico.

Qualquer enfermidade que se manifesta no corpo físico, antes se manifesta no corpo Etérico. Então, ao
atacarmos qualquer enfermidade do plano Etérico, não precisamos nos preocupar com o corpo físico. Não é
preciso se preocupar com a quantidade de vitaminas ou com componentes que uma determinada fórmula

45
contém e a relação desses componentes químicos com o seu organismo físico como a Medicina faz, porque
isso não é importante.
E o tratamento que é feito baseado nessa estrutura é falso, pois os resultados são limitados. Ele dura
por um tempo limitado. Você não cura a doença. É a mesma questão da febre.
A febre denuncia uma infecção. E ao dar um remédio para baixar a febre, você está simplesmente
desligando o sinal de alarme do incêndio. Ao invés de você pegar o extintor de incêndio e pôr no foco, não.
O que você faz para acabar com o importúnio, que é um sinal de alarme?
Você desliga o alarme. Isso nada vai resolver.

O plano Etérico é que deve ser cuidado: na Acupuntura, no Do In, no Reiki , que trabalham desde os
níveis mais elevados.
Toda medicina minimamente coerente, parte do plano Etérico para cuidar do corpo físico, inclusive o
processo do regime alimentar.
Para conseguir emagrecer, não é tão importante o tipo de substância que se consome e sim como o
corpo metaboliza aquela substância.
Há pessoas que só comem macarrão e pão e são magras. Outras comem só verdura e são obesas.
Agora, como o organismo metaboliza é o segredo da relação entre o Etérico, o Astral e o Mental.

No caso aí,
metabolismo de ter o controle de peso adequado é
uma relação entre
Hod, Netzah e Jesod.

É o seu corpo emocional que é o corpo astral, o corpo mental onde você pensa e projeta a sua saúde, o
seu corpo físico, como você se relaciona emocionalmente com a alimentação, com o ato de se nutrir e como é
que processa eletroquimicamente isso no seu organismo, nessa relação tríplice é que está a raiz.
Enfoquemos Malchuth que é o nosso corpo.
Se nós nos concentrarmos a termos um equilíbrio emocional, mental e eletro bioquímico, passando
pela nossa energia sexual, inclusive, podemos modelar nosso corpo físico da maneira que quisermos, com o
peso que nós determinamos.
Esse é o regime dos regimes. Ele é problemático porque não é um regime comum. O máximo que
podemos falar é isso.
Mas como é que se faz?
Bom, aí é o mistério de cada um.
É o mistério de se harmonizar interiormente, de se descobrir como se relaciona emocionalmente com a
nutrição, com o corpo físico, com a própria imagem de si mesmo, como se relaciona mentalmente com isso
também e como trabalha com a estrutura do eletro bioquímica.
Mas passa-se pela regulação das Glândulas Endócrinas ou seja: quem determina essa estrutura eletro
bioquímica é o funcionamento das Glândulas Endócrinas e as substâncias que são segregados por elas.

O cerne da Medicina é a Endocrinologia.

Se alguém tem interesse em estudar Medicina, pois comece estudando por Endocrinologia porque é
nas glândulas internas, nas Glândulas Endócrinas, que se cristalizam as energias que são captadas pelos
chacras.

46
As Glândulas Endócrinas são a cristalização dos chacras, em Malchuth. Então, toda a importância,
toda a literatura e todo o estudo que nós fizemos com relação às Glândulas Endócrinas, tem muito a ver com
os Chacras .

Temos que estudar a relação dos Chacras com as Glândulas Endócrinas .


Os Chacras são os órgãos de energia que estão no plano Etérico onde todas as energias que vêm de
cima e também de baixo mas todas energias de nível etérico, são cristalizadas nos Chacras que são vórtices,
que no fim daquele vórtice vai dar na Glândula Endócrina.

A AIDS, por exemplo, é uma enfermidade terrível, muito reveladora no sentido de que ela nada ataca.
Ninguém morre de AIDS. A pessoa morre de pneumonia.
A AIDS é um enfraquecimento definitivo, é câncer nas Glândulas Endócrinas. A natureza espiritual
da AIDS é clara.

Toda a explicação material degenerativa porque os macacos não são


nossos antepassados.
O macaco é a raça humana involuída. Os macacos de hoje são humanos
do passado que involuíram e se tornaram uma raça.
Os macacos são nossos irmãos e nossos primos que estão em
involução. Temos que estudar os macacos sob esta ótica: de que como eles nos
tornaremos, se não nos desenvolvermos espiritualmente. Seremos animalóides
como os macacos são humanóides.
O homem não veio do macaco.
O macaco é que veio do homem. Tudo isso está sendo enfatizado para se
mostrar que esse sistema apareceu como um sistema glandular, é um sistema
atômico.
Todo processo, todo mistério da vida, atrai muitas pessoas para ficarem
explorando muito intelectualmente os grandes mistérios da kabala porque se
nós não encaramos isso de uma maneira que seja possível de aplicar
diretamente na nossa vida hoje é um desvio.
Nós vamos passar mais dez vidas estudando kabala, bibliotecas
ambulantes de kabala, Tarot, Astrologia e não vai adiantar muita coisa.

A AIDS é de natureza espiritual, não tenham dúvida.


Não interessa muita informação a respeito disso.
Interessa é captar o essencial que existe nisso,
a estrutura do Sistema da kabala como um Sistema Atômico, como Sistema Glandular.
Aí há segredos importantes a nível:
do nosso Sistema Atômico individual,
do nosso Sistema Glandular que é onde nós podemos mexer no nosso
laboratório, fazer alguma modificação realmente substancial, que modifica nossa vida
desde o emagrecimento do corpo físico extraordinário, desde o estabelecimento de um
estado de saúde interior.

Outra falsidade é achar que magreza é padrão de saúde.


Não necessariamente.
47
Cada pessoa é um mistério, tendo o peso que requer, de acordo com o seu nível de experiência.
Ocupemo-nos em conhecer o funcionamento do nosso Sistema Endócrino, de como as nossas
Glândulas Endócrinas segregam suas substâncias porque são elas que regulam: peso, altura, caracteres
sexuais, corpo.
O segredo da história está aí.
Os exercícios que podemos fazer para desenvolver os Chacras é o exercício de vocalizar uma hora por
dia, IEOUAMS cada uma dessas vogais.

João é o Verbo e está


associado a um Chacra,
que está associado a uma Glândula Endócrina.

Ao se vocalizar uma hora por dia as vogais acima, coloca-se em ação os Chacras, que por sua vez
ativam o funcionamento das Glândulas Endócrinas, que por sua vez reestruturam e equilibram todo o
organismo desde o plano Etérico, chegando ao plano físico.
Isso permite toda uma reestruturação. Essa reestruturação nos permite também compreender melhor, é
como se limpássemos a nossa casa, as nossas regiões emocionais e mentais para podermos compreender e
processarmos melhor as experiências de tipo emocionais e mentais que vivemos no dia a dia.

O comentário que faz na Gnose é :


“ Ah, eu tenho que trabalhar,
me auto observar e praticar,
pois quero me desenvolver espiritualmente.”

Todo mundo sente dificuldade para começar.


Em geral,começamos do pressuposto equivocado de que somos saudáveis ou que somos normais e que
vamos fazer um trabalho de crescimento. Mas, a verdade é que não somos normais, não estamos equilibrados,
não somos saudáveis.
Temos desequilíbrios profundos.
É muito difícil encontrar uma pessoa saudável.
Quando já se é saudável não se encontram muitos problemas para se desenvolver espiritualmente.
As pessoas que precisam de ajuda espiritualmente são aquelas que não têm um nível de saúde.
Quando se fala em saúde, é sobre esse pressuposto de:

um equilíbrio interior,
um perfeito funcionamento das Glândulas,
um perfeito funcionamento dos Chacras,
uma capacidade de se relacionar com o outro emocionalmente,
mentalmente,
com abertura,
com clareza,
com compreensão.

A primeira expressão de um efetivo avanço no caminho é quando conseguimos o milagre de nos


relacionarmos com todas as pessoas, principalmente com as mais próximas com um nível de paciência, de
naturalidade, de abertura, de compreensão, de amor.
Vamos fazer um pequeno levantamento íntimo:

Quantos de nós conseguem vinte e quatro horas por dia um relacionamento com o próximo com
espontaneidade, com naturalidade, com tranquilidade, com abertura?
48
Quando é capaz de abrir o coração e essa ternura não significar ser explorado emocionalmente pelo
outro, ser ferido pelo outro, não se sentir ser passado para trás mentalmente, não se sentir ser passado para trás
emocionalmente, não se sentir mal interiormente?

Se nós nos sentimos mal durante o nosso dia por algum momento, com:
angústia,
tristeza,
depressão,
vontade de fazer mais nada, se nos sentimos confusos mentalmente,
não sabemos em quem acreditar,
tantas coisas falam, tantas idéias, tantas teorias,
tudo isso é sinal de falta de saúde simplesmente e deve ser encarado como tal .

O primeiro passo a ser dado é buscar a saúde mínima e ela passa a ter um equilíbrio interior:

um equilíbrio emocional,
mental,
bioelétrico,
biofísico sexual.

Nesse sentido é nosso objetivo:


Que esse estudo sirva para que cada um reflita sobre essas características.
Ou isso se torna útil para nossa vida imediata e concreta, ou então é melhor pararmos por aqui e
procurarmos outro caminho.

Voltamos à questão:
O mundo Etérico é fundamental.

Jesod é na verdade o nosso corpo a ser cuidado, a expressão sentimento elétrico em nós é que é
importante.
Ao observarmos as nossas reações psicológicas, verificamos se a nossa temperatura sobe ou desce, se a
altura da nossa voz se eleva ou se abaixa, o tanto que gritamos e ficamos elétricos e ficamos irritados.
A ira é uma sobrecarga de energia elétrica, um pequeno curto circuito.

Do ponto de vista do sexo, a perda sexual também o que é o grande curto circuito.

Uma explosão de ira é um curto circuito quase igual e que pode provocar a perda depois.
Uma pessoa que tenha uma explosão de ira pode ter uma perda sexual como consequência dessa
explosão de ira. Então são experiências semelhantes.

49
Os grandes curto circuitos, as emoções que provocam curto circuitos, as grandes emoções como são
chamadas, em que a adrenalina vai a mil, como nos esportes radicais.
A finalidade dos esportes radicais é levar a um certo desenvolvimento de um pequeno vício.
Por trás dos esportes radicais: o próprio pára quedas, escalar montanhas, isso está muito na moda, são
coisas aparentemente “saudáveis” na nossa sociedade moderna. Eles escondem por trás do culto ao corpo, a
exacerbação do materialismo.

Quer dizer:
O esporte radical é o desenvolvimento do Vício da Adrenalina.
A Adrenalina é uma substância segregada pelo corpo físico em situações de perigo. Então, provoca-se
o perigo e ela é uma substância entorpecente.
E descobriram que isso pode ser feito de maneira natural.

A pessoa pratica num lugar a abertura de asa delta, desce numa cachoeira, diz que não fuma, não bebe,
pensa o melhor de si mesmo.
Mas ela é viciada em emoções fortes, em emoções fortes sexuais, em emoções fortes de esportes
radicais, em emoções fortes de Adrenalina, descarga violenta de adrenalina. Isso é altamente prejudicial ao
organismo porque a Adrenalina é uma reserva de energia que ela segrega em momentos de situações de
extremo perigo.

Assim como a pessoa que é muito intelectual, só pensa o dia inteiro, é emocionalmente fria ou
emocionalmente imatura, esses intelectuais geralmente são os grandes professores de Universidades, são
respeitados como intelectuais, mas são pessoas infelizes, doentes.
Há grandes cientistas, super intelectuais, mas que são um desequilíbrio.
Existem também pessoas que são super emocionais, como os grandes artistas de espetáculos, grandes
atores , grandes músicos, que baseiam todo o seu sucesso, toda a sua carreira na exacerbação da emoção, que
provocam uma emoção profunda na platéia. Também não é saudável.

O que se está querendo mostrar, é que o que é aparentemente saudável:


Os ídolos da juventude,
dos esportes,
os ídolos na música, nas artes, na ciência,
são ídolos de barro.
Representam o Bezerro de Ouro da era contemporânea.

Todos eles nos afastam da espiritualidade, nos afastam de um equilíbrio interior, de uma paz interior.
Afastam-nos de nós mesmos.

É o Grande Trabalho da Besta,


do lado oculto, negro,
da força que quer manter
a escravidão da Consciência.

Consiste em nos afastar de nós mesmos, provocando, alimentando em nós, a vivência de grandes
emoções, de grandes questões teóricas intelectuais.
Tudo que é grandioso e espetacular, desconfiemos.

50
O homem, quando dá com a Natureza vai utilizar a mesma Lei sem desrespeitá-la.

Ele tem que conhecer a Lei,


como ela se expressa na Natureza
e repetir essa Lei dentro de si mesmo.

E a Natureza não dá saltos.


A Natureza, quando explode espetacularmente, é porque está desequilibrada. Ela tem seu processo de
expansão, é lenta, de passo a passo, de pouco a pouco, ela cresce .
Quando acontece um grande terremoto, um grande incêndio, uma grande erupção, um grande
espetáculo, isso é uma reação extraordinária da Natureza.

É uma reação de febre que mostra que alguma coisa está errada. Não é por acaso que nosso Planeta
está hoje repleto de terremoto, repleto de vulcões por todos os lados.
A Imprensa como é controlada e censurada não está dando grande destaque para a quantidade
excepcional de terremotos e de erupções vulcânicas que estão acontecendo. Nunca houve tanta erupção.

Desconsiderando Malchuth ,
quer dizer,
não dar tanta importância ao corpo físico,

Devemos cuidar do Etérico,


da tríade:
Etérico, Emocional e Mental.

O que queremos é nos concentrar nos Triângulos.

Então, nossa bolinha perdida aqui embaixo, (Malchuth) perde um pouco o sentido.

O terceiro Triângulo, chamado de Logóico, está virado para cima. É o Triângulo Superior.
A realização do Trabalho está nestas nove esferas.

1Kether

3Binah
3Binah 2Chokmah
2Chokmah

51
São as Nove Esferas, os Nove Trabalhos de Nível de Esferas, são a contraparte dessas nove esferas
superiores.

No Inferno de Dante, temos Nove Esferas.


As Nove Esferas estão associadas aos nove Planetas. Elas são a sombra das nove esferas que são as
nossas nove esferinhas, sephirotes , que se dividem em três grupos de três.

Para compreendermos
PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO,
é muito importante relembrarmos aquele conceito que fizemos do círculo:
Essa é a expressão mais perfeita do todo. Diz-se que o todo é a maneira de afirmar.

Vamos tentar conceber filosoficamente tudo.É o tudo.


Qual é a melhor forma geométrica de representar esse TAO ?
É o Círculo. É a forma mais perfeita.

O Círculo como símbolo matemático é o Zero.


É o TAO também associado ao Nada, o Grande Absoluto, o Vazio,
Tudo.
O Vazio que contém o Todo. É o máximo que podemos conceber.

Somos obrigados a considerar o Zero como o algarismo que simboliza o Todo.


Muito bem, vamos fazer com que desse Todo surja uma expressão, uma diferenciação, uma manifestação.
Se o Todo se manifesta, como é que algo se manifesta no Todo?

52
Então é uma primeira divisão.
Vamos dividir esse Todo no meio. É a menor divisão possível. Não há outra maneira de eu dividir o
Todo , sem dividi-lo ao meio.

Quantas unidades nós temos aqui?

Aparentemente, temos duas unidades. Mas não são duas, são três. Porque o fato de existir essa metade
e a outra metade, não elimina o Todo, que continua por trás.

O Todo que continua por trás,


é o Pai,
Kether.

Quando nós falamos que o Pai se desdobra no Filho, que se desdobra em Binah, esse conceito de
desdobramento não é possível ser compreendido pela mente.
A lógica não consegue captar.
Quando nós falamos de desdobramento, é isso que estamos dizendo:

É uma unidade que se divide


e continua existindo nas partes nas quais ela se desdobra.

Então, quando Kether se desdobra em Chokmah, Ele está contido em Chokmah.


Quando Kether se desdobra em Binah, Ele está contido em Binah, porque

E o Cristo Cósmico, que é o segundo Logos, é Filho do Terceiro Logos.

É confuso mesmo para a lógica formal da matemática. Mas, tentemos captar uma lógica: que o
Segundo nasce do Terceiro.
Na verdade, não é que é Um, depois o Segundo e após o Terceiro. Não existe essa continuidade.

O Pai se desdobra nos dois, ao mesmo tempo.


Assim, Chokmah e Binah surgem, se manifestam, simultaneamente.
E se pode dizer que o Cristo Cósmico é o Filho do Espírito Santo, pois são duas maneiras de se
expressar o mesmo Pai, Kether.
Do ponto de vista de divisão binária, sexual, Kether é andrógeno.

O Pai não tem sexo, na verdade deve ser tratado como Pai.

O Pai no sentido completo é YOD HE VAU HE, Jeová, na kabala Hebraica, Deuses e Deusas unidos.
53
Kether, que é o Pai, se desdobra no Filho, que é o Cristo Cósmico e o Cristo Cósmico é Filho do
Espírito Santo, que é o Terceiro Logos, que se desdobra em

Binah, o Espírito Santo, a Mãe Divina, é fecundada pelo Logos e o Filho é gerado.
As três coisas acontecem ao mesmo tempo.
Não há como separá-las no sentido de cronologia, pois elas não existem cronologicamente.
Quando essa manifestação ocorre, nada tenho.
Cronologicamente há o momento do antes e o momento do depois. Mas, quando ocorre, ela já acontece
assim. Não há um momento de dois. Não é possível o momento de dois.
Quando eu começo a desenhar isso aqui no meio, não é o momento em que existiu o dois.

O dois é uma ilusão. O par é uma ilusão. A estabilidade é uma ilusão.


A única coisa que é verdadeira são os números ímpares. Os números pares, todos, escondem uma
Unidade primordial que os torna ímpares. Gera uma nova manifestação.
É um processo que quando começa, deve desencadear uma maneira automática e maravilhosamente
estruturada que faz com que a Mônada saia do Absoluto, se realize sem interrupção, sem necessidade de
força. Ela vai se desdobrando, mas não é que venha descendo assim:

como nós imaginamos. Também não.

Essa Trindade se desdobra na Trindade de baixo.

GEBURAH CHESED
CHESED
GEBURAH

TIPHERETH
TIPHERETH

Aí tocamos na questão da Alma Humana, da Alma Divina, na questão de Tipheret.


É a primeira reprodução do Pai.
E Jesod é a segunda reprodução do Pai.

54

8 Hod 7 Netzah
9Jesod
Esse Triângulo,
o qual nos interessa,
o primeiro Triângulo que nós lidamos no nosso dia a dia,
consiste em quê?

Consiste em nossas emoções, nossos pensamentos e a nossa energia sexual. Com isso, nós já temos a
nossa base:

Ao coordenarmos essa Base de Trabalho, nós somos remetidos pela Energia Vital, a Tiphereth, que é o
mundo Causal.
Tiphereth é ponta de um Triângulo, dominando a mente e a emoção.
É a região onde se expressa a Vontade.
Quando o controle da nossa Energia é concentrada, ela se projeta para
fortalecer a Vontade

A Vontade fortalecida faz com que esse primeiro Triângulo se projete no Triângulo de cima.
55
O vértice deixa de ser Jesod e passa a funcionar automaticamente.

O vértice sai de Jesod, que é novamente onde nós nos manifestamos e passa a ser Tiphereth.
Então essa pessoa passa a ser um ser humano na melhor concepção da palavra porque até aqui,
( no primeiro triângulo)
lembrava mais um animal descontrolado, vítima das suas paixões.

Os corpos,
as emoções,
os pensamentos
são controlados por Jesod
que está controlado por Malchuth, no corpo físico,
ou seja:
É a inversão da polaridade.
É o inferior controlando o superior.

Quando esse controle é passado para Tiphereth,


nós podemos projetar Hod e Netzah (emoção e a mente)

para os dois que são


Chesed e Geburat

Ao projetarmos isso,
podemos vivenciar a experiência do Ser Humano
que já chegou ao nível da espiritualidade.

Com esse processo temos o processo da Alma Humana se unir à Alma Divina e encarnar o Íntimo.
Aqui, nós construímos Alma.

O ser humano é uma tríade: possui corpo, alma e espírito.


Corpo está no Primeiro Triângulo.
Alma está no segundo.
E o Espírito está no Triângulo Logóico.

A base do corpo é Jesod,


a base da Alma é Tiphereth
e a base do espírito é Kether.
E nós temos que compreender que Jesod, Tiphereth e Kether com tríades, como trimurdes.

É o mistério:

56
Quando a Alma Humana e a Alma Divina encarnam o Íntimo
é permitido a cristalização da Alma
num corpo astral solar, num corpo mental solar e num corpo etérico solar
que significa a saúde plena do corpo físico.

Com isso se tem os sete corpos.

Esse Ser é um Homem completo.


É um Ser Humano completo.
Ele possui sete corpos:
Possui a Alma Humana fundida com a Alma Divina,
é completo no sentido de suas emoções,
de suas idéias,
encarna a Justiça e a Misericórdia,
se expressa nos sete Reinos da Natureza, nas sete Esferas, com seus veículos apropriados, cada um é
um veículo.

Você se expressa como um corpo, você desliga o corpo físico, deita na cama, entra em meditação
profunda e se expressa.

Quando entra em meditação profunda, seu corpo Etérico, que é Jesod, também entra num estado de
equilíbrio energético.
Isso lhe permite desdobrar um corpo Astral, que se desdobra, que se expressa, viaja, tem outras
experiências .
Desse corpo Astral, se possui um corpo Astral, se você encarnou a Alma, pode desdobrar o corpo
Astral e se expressar com o corpo Mental, que é uma outra região do espaço.

O corpo Astral permanece parado assim como o corpo físico fica na cama.
Seu corpo Mental se expressa num outro nível.
Você pode desdobrar do corpo Mental e ter uma experiência no plano Causal.
Causal é outro Plano onde não entram: mente, emoção, pois nada tem a ver com os corpos mental e
emocional. É acima disso.

E do corpo Causal você tem o Corpo Búdico e o corpo Intuicional,


A expressão do corpo Búdico é uma esfera mais elevada ainda, onde você tem experiência do tipo
espiritual, você tem um organismo, que poderemos dizer de carne e osso, com sua fisiologia, com sua ultra
fisiologia, com todo seu funcionamento, no qual você expressa o Íntimo.
E tem o corpo do Íntimo, que é o último ponto da maneira de se expressar, quer dizer:

57
No mínimo nós devemos realizar isso aí.
Com isso aqui, nós já temos um nível de Buda, conquistamos o direito de viver aqui no Nirvana.

Agora, se nós anelamos chegar que é encarnar a Tríade Divina ...


Nós levantamos Malchuth ao construirmos os Sete.
Levantar Malchuth é reintegrar esses sete Corpos, é construir um Ser Humano completo.
Assim se cumpre com o desígnio divino.

Um Homem Completo
consegue superar a condição cármica da existência,
consegue encarnar, não retornar, pois ao encarnar passa a ser dono do seu destino,
sabe quem é,
sabe o nome do seu Pai,
conhece sua descendência.

Já pensaram em nós não sabermos o nome do nosso Pai?


Cada um de nós tem um Pai Interno que tem um nome. Nós não o conhecemos em geral.
Quem não conhece o nome do Pai é o quê?
Quem não sabe o nome do Pai é bastardo.

Somos bastardos, não porque Ele esteja afastados de nós. Nós é que não permitimos que nosso Pai
chegue até nós.
Nós fugimos o tempo todo do Pai. Somos uma criança na rua, querendo saber o nome do nosso Pai.
Queremos uma liberdade enlouquecida. É um sofrimento tremendo.
Então, aqui, já passamos a saber o nome do nosso Pai, que é ter Registro de Nascimento.
Passamos a ser um Ser Humano na verdadeira acepção da palavra.

Com os sete Corpos construídos,


já passamos a conhecer o nome do nosso Pai.
Conhecer o Pai é ter Registro de Nascimento.

Aí nós já passamos a ser um Ser Humano na verdadeira acepção da palavra.


Nesse estado abrem-se duas possibilidades:

Ou nós cumprimos o nosso trabalho, tornando-nos Seres Humanos,


evoluímos nesse processo e tal,
com o processo da Evolução, com experiência a nível angélico,
subimos, ascendemos,

Ou podemos fazer uma opção radical:

Encarnar essa Tríade Divina.


Depois de construir todo esse processo (Homem Completo)
você fala assim:
“Vou eliminar isso daqui,
vou entregar toda essa estrutura para o Pai.
Quero chegar ao topo e me dissolver como Ser Humano” .
58
Na Tríade Divina impera a Individualidade.
Até aqui (primeiro Triângulo) não temos verdadeira individualidade:
Somos múltiplos, um conjunto de organismos controlados por múltiplas inteligências de
personalidades, por agregados.

Quando você cristaliza esse trabalho da Criação dos sete Corpos,


de encarnar a Alma, da construção da Alma,
você possui Corpo e Alma
e conhece seu Espírito.

É um processo que ocorre através de Tiphereth de novo. Por isso é que Tiphereth tem essas duas
ligações diretas: com Binah e com Chokmah.
É interessante a observação.
Percebemos que sempre vamos criando Triângulos.

Se nós temos esse Triângulo construído até aqui (segundo Triângulo) e queremos passar esse abismo,
temos que projetar nesse momento, esse Triângulo que tem o vértice em Tiphereth e se conecta com Binah e
com Chokmah.
É esse Triângulo aqui ( segundo triângulo).
Essa projeção desce daqui pra cá, não é possível diretamente. Ela tem que ser pra cá.
Dessa base aqui, de Tiphereth ,você consegue sair e se conectar com Kether.
Esse processo é uma opção que se faz tem o nome de

59
A Iniciação de Tiphereth passa pelo processo da Cristificação.
Isso é o que se chama, de ponto de vista esotérico,
a Cristificação.
Neste estado que nós chegamos aqui com sete Corpos, você está no nível de Buda.

Nesse momento abrem-se dois Caminhos:


O Caminho da Via Direta e o Caminho do Espiral,
a Via Seca ou a Via Úmida.
A Via Úmida é a Via do Caminho Espiral, é o Caminho da Evolução em conjunto com as Esferas.
A Via Direta é para quem escolhe, em pleno processo de Manifestação de um Mahavantara, em pleno
processo de manifestação, a opção de abandonar e retornar ao Pai.
Você pode continuar evoluindo dentro do Mahavantara ou pode falar:
“Chega de manifestação pra mim !
Quero me dissolver no Seio do Pai. Voltar para o Absoluto.
Pára, que eu quero descer, não quero mais viajar” .

Esse processo é chamado de Iniciação de Tiphereth.


Nesse processo, primeiro é necessário ter tudo construído.
É quando se diz que o Cristo Íntimo nasce no nosso coração.
O conceito de Cristo é importante esclarecer:
Existem três Cristos, três expressões na palavra Cristo:

Nós temos:
O Cristo Cósmico, que é Chokmah,
que é a expressão do Pai.
Como manifestação é o Filho, criado à sua imagem e semelhança.
Esse Cristo é o Salvador no sentido de que só através Dele nós podemos retornar ao Pai.
Esse é o sentido em que Jesus (Cristo Histórico) fala:
“Ninguém vai ao Pai, senão por Mim”.

O Cristo Histórico,
que foi um grande Iniciado, era chamado de Jeshua Ben Pandirá.
Esse era seu nome físico. Jeshuá significa Salvador.
Ele representou o Drama do Cristo Íntimo.

Cristo Íntimo é o terceiro Cristo.

O Cristo Íntimo é a possibilidade da realização de uma semente que nós possuímos no coração, que é
conhecida como Cristo Íntimo.
É a semente do Pai em nós.
É aquela possibilidade de transformarmo-nos no Filho do Pai, feito à sua Imagem e semelhança.
É a maior possibilidade de perfeição possível nessa Esfera de manifestação.

Jesus Histórico veio e representou isso no plano físico que era para provar, representou o Drama cujos
passos não foram por acaso.
Cada passagem do Drama de Jesus, por exemplo, a Semana Santa, é um Caminho Iniciático preciso .
60
Quando Jesus entra em Jerusalém montado num burrico, é o processo dele encarnar a Mente Cristo.
O burro significa a mente. A mente animal é um burro.
Naquela época viajava-se no burro.
Mas é burro, não é?
O burro não deixa de ser burro.
Um asno, vai continuar sendo um asno.
A nossa mente é um animal muito útil, porém, mesmo que você consiga levá-la para onde quiser, na
hora que empaca... não sai de maneira alguma.
Então quando Jesus entra em Jerusalém tudo aquilo tem um simbolismo maravilhoso.
Vale a pena estudar.

Os três demônios que falamos, os três traidores:


Demônio da mente, demônio do desejo, demônio da má vontade, são três personagens da História de
Jesus.
São eles: Judas, Pilatos e Caifás.

Judas representa o Demônio do Desejo.


Judas era um altíssimo Iniciado, não era um traidor.
Do ponto de vista esotérico, sabe-se que o ser humano que representou Judas era o mais elevado dos
discípulos de Jesus.
O papel de Judas, que é o mais difícil , é um drama, é um teatro.
Alguém tinha que representar aquele papel. E o papel do bandido decai no melhor artista.
É muito difícil fazer o papel do bandido que vai matar o mocinho.

Judas é o Demônio do Desejo. É aquele que vende o Cristo por trinta moedas.
É aquele que trai o Senhor.
Essa traição, todo esse drama ocorre dentro da gente.
É a realização desse processo espiritual.
Quando o ser humano consegue realizar esse processo espiritual
com a Iniciação de Tiphereth,
quando opta pela Iniciação de Tiphereth,
vive o Drama da Paixão dentro do seu coração, internamente.

O que se diz na Iniciação de Tiphereth é que Cristo nasce no


coração da pessoa, nasce numa
Manjedoura, pequeno, fraco,
é uma sementinha e no meio de um estábulo cercado de animais.

Os animais são os nossos agregados psicológicos.


Nasce num lugar muito sujo, num lugar pobre, que é o nosso
coração nesse momento.
E ele vai crescendo, se desenvolvendo pouco a pouco.

Os três Magos que vêm oferecer Ouro, Incenso e Mirra são contrapartida, são as três Virtudes, a
contraparte dos três demônios.

O demônio do Desejo é Judas.


O demônio da má Vontade é Caifás.
O demônio da Mente é Pilatos.

Pilatos é aquele que “Eu lavo as mãos”.


61
Podendo salvar ao Cristo, reconhecendo Nele a inocência, porque Pilatos reconheceu tal fato,
perguntou ao povo:
“Qual foi o crime, vocês o estão acusando de quê” ?

Ele reconheceu que não havia crime algum.


Mas, por questões políticas, por conclusão de uma lógica, falou:
“Não, lavo as mãos, vocês é que estão julgando.
Eu sou apenas o Governador, só Executo a Sentença”.

Pilatos sempre sacrifica o Cristo baseado numa lógica absolutamente como se sacrifica um processo de
desenvolvimento espiritual que representa milênios de evolução, a coroação de uma existência por causa de
um problema, de uma condição momentânea, de uma situação política, emotiva.

Falação na mente:
“Não, porque isso vai prejudicar o fulano, vou esperar mais um pouco” .
Quem faz isso é a mente.
“Não, eu vou esperar primeiro ter dinheiro e comprar aquele carro que vai me permitir fazer não sei o
quê” .
E assim vai.
A mente é mestre em nos enrolar, é Pilatos, mesmo.
Todo tempo ela é inocente:
“Meus motivos são justificados por isso, porque eu fico bem com esse, fico bem com aquele” .
E eu nada assumo.

A mente o tempo todo se comporta assim.


É Pilatos. É o demônio da mente.

E a má Vontade é Caifás.
Representa a casta Sacerdotal, sabendo também que o Cristo era um líder religioso, condenou-o com
absoluta má vontade, pois, ao contrário, significaria perder para Ele todos os privilégios de posição
Sacerdotal, ele teria que se entregar completamente.
Sendo Sacerdote, reconhece naquele Homem alguém que lhe é superior.

Se o absolvesse teria que falar:


“Bom, eu me entrego, abandono todo o privilégio que obtive e realizo o Cristo” .

Então são esses os três Demônios que, em contrapartida, têm os três Reis Magos e por aí vai.
Cada um tem a sua representação.

Quando o Cristo nasce no nosso coração,


uma possibilidade revolucionária ocorre,
que é estabelecer essa trindade, trimurte:
Binah, Chokmah e Tipheret.

É através de Binah, que é o Espírito Santo, que é a Energia Sexual, Energia Vital por excelência,
energia sexual no sentido de vida mesmo.
É o lado menino de Deus.

É a Misericórdia, aqui é onde entra Shiva.


É através da morte Psicológica que é possível encarnar o Cristo.
O que impede que o Cristo se desenvolva no nosso coração, são os agregados psicológicos.
Nós precisamos dissolver os agregados psicológicos.

62
Como?
Com qual energia nós dissolvemos os agregados psicológicos,
nós eliminamos esses animais interiores?

Com a energia de Binah, com a energia do Espírito Santo,


com a energia da Divina Mãe kundalini que é matéria-prima da Grande Obra,
com a Energia Sexual da Mãe,
com a Energia Sexual de natureza feminina.

A energia de natureza feminina é compreensiva e absorvente.


Ela é passiva, receptiva, transformadora pela compreensão.
Essa é a energia de Binah.

Chokmah é energia do Cristo Cósmico, o segundo Logos,


Vishnu , a Sabedoria , o Fogo da Salvação,
o Raio que veio do Absoluto.
O Cordeiro de Deus.
Tem uma característica feminina, apesar de que não é mulher, é energia de natureza masculina.
Pra vermos o sentido disso, essa energia de natureza masculina é a polarização
e essa é a polarização é
de natureza feminina.

Quando nós pegamos essa tríade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .


O Pai
é a força neutra que integra tudo, o positivo e o negativo. O andrógeno.
Ele é o Todo .

A expressão da manifestação é feita através do


Filho, que é o Cristo,
por isso é ativo.

Mas como é que essa expressão e essa manifestação podem ocorrer ?


Ele precisa de matéria-prima.
Então ele aciona a natureza,
o Cosmos,
a Grande Noite,
a Mãe,
para poder fazer com que o Filho exista.

A existência material do Universo é Filho da grande Mãe que é a Matéria-prima de tudo que existe.
Deus é a soma dessa grande Mãe, que é a matéria-prima da vida que tudo abarca com a manifestação
perceptível através dessa estruturinha que é o Cristo.

É a história do descer do Cristo até a Matéria.

Quando o ser humano aceita, vive a Iniciação de Tiphereth, deixa que o Cristo nasça em seu coração,
permite que a energia do Pai se expresse até o plano físico.
E a perfeição da obra se realiza.

63
Então observem que toda essa estrutura, para existir, tem que vir , nascer de algum lugar , de um
ventre.

E o Ventre Cósmico
é Binah,
é a Nut,
a grande Seidade dos egípcios,
é a Grande mãe,
é a Matéria-prima do Universo.

Por isso se fala que Chokmah ,


apesar de ser o segundo Logos,
nasce do Terceiro Logos.

O Pai existe na sua totalidade.


Não há manifestação em Pralaya, Noite Cósmica.
O Verbo vai se expressar, através do sopro.
Quando a diferenciação ocorre, quando a manifestação ocorre, é vibração na Matéria-prima , Caótica,
do Universo.
O Caos é a Matéria-prima Universal.
O Verbo é quando você, através da vibração sonora, organiza as esferas que estavam caoticamente
distribuídas.

É como você gerar onda sonora na água.


Você cria formas geométricas, cria manifestação.
Você organiza o Caos através do Verbo.
O Cristo é o Verbo, associado como Verbo, é a palavra encarnada.
É o Verbo do Pai que, utilizando a Matéria-prima da Mãe, de Binah, do Espírito Santo, possibilita a
manifestação.
É muito difícil falar sobre isso.
É bom utilizar isso, é muito importante em casa, dormir, pensando, vendo essas coisas.
Aí ter realmente a condição de, fora do corpo físico, mesmo não tendo a capacidade de trazer as
lembranças das experiências, vão ter a oportunidade de desdobrar, com esse anelo de compreender o que é o
Pai, essa Tríade.
O homem que encarna essa Tríade é o homem cristificado.
O cristificado é o mais elevado nível hierárquico que um de nós pode chegar nessa esfera, nesse
momento e nesse local do espaço.

Nesse momento cósmico, o Cristo é o centro do nosso Universo.


O Sol que nós vemos é o corpo físico, é a expressão física do Cristo Cósmico que tem uma
contrapartida, uma semente dentro do coração de cada um, como potência.

O Cristo Histórico veio para mostrar, dar o Caminho.


E falar:
“Existe o Cristo Cósmico, existe o Sol” .

Os egípcios o chamavam de RA, que é essa Trindade.


Jesus veio mostrar por A mais B, como professor. A didática que Ele usou foi cumprir, com a própria
vida, todo o processo.
64
Não só o que Ele falava era importante.
Tudo o que Ele foi, cada pedacinho da vida Dele, tem um simbolismo exato, foi ensaiado antes.
Isso é representado em todos os Planetas desse nosso Sistema Cósmico, nosso Cosmos.
O processo de Cristo acontece, em todo processo existe um Cristo para cada Planeta, alguém iniciado
que representa aquele Drama.
Ele é exaustivamente irredutível porque é o Drama de como voltar.

Esse Sol, que vemos


e não damos valor, Assim como o nosso corpo físico
está para nossa Alma Humana
que está em Tiphereth,
está para o Cristo, tem um corpo físico.

O Sol é o corpo físico


E o sol que nós temos no nosso coração é um
do Cristo Cósmico. solzinho.
Nós somos de natureza lunar, estamos
polarizados com a Lua, e nosso trabalho consiste em
deixarmos de se lunares e passarmos a nos polarizar
com o Sol, que é o Sol Cristo.

Então, o ser que encarna o Cristo, realiza a obra


e ganha o direito de retornar ao Pai, de desaparecer da manifestação.
Em pleno Dia, ele ganha o direito de desaparecer, de voltar ao Seio do Pai, de retornar ao Seio do
Absoluto, ao AIN.
Existem histórias de Iniciados que realizaram esse Trabalho de desaparecer. E nunca ninguém voltou
para contar .
Há uma prática que é interessante fazer.
O Mestre Samael recomenda um mantra para invocar o Pai:

Esse mantra pode ser usado para, num estado de relaxamento, meditar no Pai. Essa meditação não nos
leva à conclusão alguma de nível intelectual.
É uma experiência desejável. Reforça a presença do Pai em nós. Ajuda em todo esse processo.
O Anjo Metraton, que foi o mesmo profeta Enoc, do Antigo Testamento, é o chefe da Região de
Kheter. Pode-se também, rogar ao anjo Metraton, que nos permita vivenciar uma experiência íntima com o
nosso Pai interno , na região de Kether.

Kether não é o Pai, Kether é uma região. É a morada do Pai.

Aqui há uma única Lei:

65
É interessante que se façam as práticas de pedir, compreendendo toda essa estrutura, pedir ao Pai que
nos dê Consciência, compreensão Intuitiva, para que a compreensão intelectual possa ser transformada em
uma experiência registrada no coração de cada um.
E aí cada um tem a sua própria experiência, cada um absorve de acordo com as suas necessidades e se
desenvolve de acordo com as suas necessidades. Elas vão nos revelar níveis que ainda não foram revelados.
Se esse estudo for processado a nível do Íntimo, a nível do Pai, a nível do Interno, a nível da
Consciência, essas anotações, ao serem reunidas...
Há sete níveis.
Nós aqui, na melhor das hopóteses, estamos no nível Mental.
Agora, nível Causal, que é o nível Intuicional, já é um avanço.

Shiva Shakti é vida morte. É o Positivo e o Negativo.


Mas, observemos que o que se chama de negativo, que se diz do aspecto feminino, tem vida e morte.
Você tem ativo e passivo, que é a matéria-prima. É tudo a nível da manifestação.
Binah é tudo a nível da manifestação.
Chokmah, é o Cristo, é a idéia.
Binah é o útero.
São os termos da criação.
Você encontra toda a vida no útero.
É preciso uma semente.
Ela é um elemento ativo que faz com que isso aqui potencialize.
Aí passa-se destruindo o que é necessário ser destruído para gerar.
O corpo da mulher, quando é fecundado, a célula, que era todo o potencial que estava aqui, é
destruída, porque ela se transforma, deixa de existir como célula.
O óvulo deixa de existir como óvulo e se transforma no embrião. E todo o organismo passa a trabalhar
para construir. E o organismo da mulher começa a gerar. Tudo muda de função, vive tudo em função daquela
criação que foi provocada por um raio.
O que nos une ao Absoluto é um raio. E a semente do Pai depositada no útero da Mãe Cósmica gera o
Universo.

O que é uma criança, senão um universo que tem solzinho, que tem chacras, que tem tudo
funcionando.
A reprodução da fecundação, o processo é a fecundação simples como nós a conhecemos.
Uma criança nascendo, é exatamente o processo da criação do universo. Não é porque é análogo, não.
É porque é o processo de criação do universo. Porque o bebê que nasce é um universo que foi criado.
A gente não consegue aceitar isso, que o bebê é um universo que foi gerado.

Pergunta:
Então, a primeira Lei universal é o Amor?

Resposta:
A primeira Lei é o Amor. Esse Amor aqui, é Amor Ação.
O amor do Pai é o amor totalizador.
Deus é Amor. É esse Amor que funde tudo, que sustenta tudo.

Esse Amor é criativo. Esse Amor é amor receptivo. O amor da mãe, do Espírito Santo. O amor da mãe
realiza o amor do Pai. Amar a Deus sobre todas as coisas, é a revelação dessas três Naturezas de amor, ou
seja, é vivenciar todo o Universo em toda a sua totalidade.

É entregar-se a Deus, incondicionalmente.


Quando uma Mônada se integra e depois entrega tudo que ela construiu ao Pai, ela ama o Pai acima de
todas as coisas.
66
Criar o Universo, assim como criar um bebê que é um universo externo, o processo é o mesmo,
inclusive se precisa trabalhar com a Energia Sexual ,

havendo o processo de Transmutação Sexual da criação dos Corpos.


Tem-se que construir a Alma e construir um Ser Humano, um Divino.
Então é o Filho do Homem.

Há o homem que é nascido de sangue, é sangue.


O que é nascido do Espírito, é Espírito. Esse é o Filho do Homem. É o Filho de suas próprias Obras.
Não é Filho nascido de mulher. É um mistério.
Ele se fecunda.

Um homem necessita da mulher, a mulher necessita de um homem, para se fecundar e mutuamente ,


internamente, para desenvolver e para trabalhar com esse Fogo, para construir esses Corpos.
Aí ele é um Filho que pega isso e entrega para o Pai.
É a Iniciação de Tiphereth.
O Cristo, para nascer no coração e se desenvolver, vai ter que desaparecer.
Aí torna-se um cristificado .
Cristo é a Unidade Múltipla Perfeita. Vários Iniciados atingiram o estado de Cristo e todos os Cristos
são Um, porque o Cristo é um só. É a Unidade Múltipla Perfeita.

Construíram-se e se entregaram ao Pai.


É a realização do Amor.

A única Lei é o Amor.


A primeira Lei é o Amor.

Comentário de um participante:
Binah é o Mundo das Leis e da Dualidade.

Palestrante:
Não há como separar Binah de Chokmah. Esses dois estão sempre juntos:

Aqui é o mundo da Energia,


é o mundo da Matéria-prima,
67
é o Universo que existe,
as coisas que têm, só que Ela seria fecundada pela idéia do Homem.

Chokmah seria a idéia do Homem,


o Verbo,
a substancialização do Verbo.
Nós chamamos de Cristo.
É o Sol,
é a expressão da vida.
A Luz do Sol é a Luz do Cristo.
É a Luz do Sol que fecunda.

Quando a Luz do Sol chega e bate na Terra,


que é Binah.
A Terra é Mãe,
é Matéria-prima.
Ela permite que aquela Substância Cristônica que está no âmago da Semente, se expresse.

Essa Substância Cristônica, que está no âmago da Semente, destrói a Semente para gerar a planta.
É a origem da vida.
Esse milagre, assim como o milagre de um bebezinho, acontece na agricultura diariamente.
Sem Luz do Sol, impossível.
Para a semente germinar, vai ter que ser colocada na Luz do Sol.

Luz artificial alguma faz germinar a semente.


Assim como não conseguiram gerar, fazem fecundação em vidro, não vão conseguir fazer com que
uma semente brote sem ser exposta à Energia da Luz Solar.

A Luz Solar enche o ar de prana, sem prana não há expressão da vida.


A semente germina através do prana.
Se você a colocar numa caverna, ela não germina por estar num ambiente estéril .
O que é um ambiente estéril?
É um ambiente onde não há ar que tenha passado por onde houve a Luz do Sol.
O ar estéril é um ar sem prana.

Há esterilização em ambiente de UTI de hospital e em lugar de se fabricar disco rígido de computador,


tornando o ar estéril, para que não se desenvolva o microrganismo.
Então se filtra o ar e uma das questões é essa: quanto mais luz o ar tem, mais ele tem prana.
Quanto mais prana, mais microrganimo ele gera.
Sterilair, produto contra ácaro, faz o quê?
Esteriliza o ar.

Ele retira o prana do ar.

Se você quiser conservar cereal, coloque-o numa lata, deixe um espaço livre, colocando um chumaço
de algodão com álcool. Ponha fogo e tampe.
O fogo consome todo o prana do ar que está lá dentro.
Aí os microrganismos não se desenvolvem e o cereal não estraga.
Essa é uma técnica de conservação de grãos.

68
é o Fogo em Binah ,
que é a Força Sexual
e tem o Fogo da Salvação.
Esse mesmo fogo O Fogo de Binah é o fogo Físico.
que tem aqui, É Shiva-Shakti em ação.
É Binah, maravilhoso Binah.
Binah também é andrógeno.

O Fogo de Chokmah
é o Fogo Espiritual.
É o Fogo Espírito.
Esse Fogo não é o Fogo Físico.
É o Fogo que destrói, mas que renova.

Pergunta:
O que é prana?

Resposta:
Prana são partículas douradas, raios de Sol condensados.
O Sol é a fonte de toda Luz.
É a origem de Luz. Origem da vida.
Então, a vida se expressa através da Luz.

Comentário de um participante:
Binah é o Mundo das Leis e da Dualidade.

Resposta:
Não há como separar Binah de Chokmah. Esses dois estão sempre juntos:

Aqui é o mundo da Energia,


é o mundo da Matéria-prima,
é o Universo que existe,
as coisas que têm, só que Ela seria fecundada pela idéia do Homem.

Chokmah seria a idéia do Homem,


o Verbo,
a Substancialização do Verbo.
Nós chamamos de Cristo.
É o Sol,
é a expressão da vida.

A Luz do Sol é a Luz do Cristo.


É a Luz do Sol que fecunda.
A Luz do Sol chega e bate na Terra,
que é Binah.
A Terra é Mãe,
é Matéria-Prima.
Ela permite que aquela Substância Cristônica que está no âmago da Semente, se expresse.
69
Essa Substância Cristônica, que está no âmago da Semente, destrói a Semente para gerar a planta.
É a origem da vida.
Esse milagre, assim como o milagre de um bebezinho, acontece na agricultura diariamente.
Sem Luz do Sol, impossível.
Para a semente germinar, vai ter que ser colocada na Luz do Sol.

Luz artificial alguma faz germinar a semente.


Assim como não conseguiram gerar, fazendo fecundação em vidro, não vão conseguir fazer com que
uma semente brote sem ser exposta à Energia da Luz Solar.

A Luz Solar enche o ar de prana, sem prana não há expressão da vida.


A semente germina através do prana.
Se você a colocar numa caverna, ela não germina por estar num ambiente estéril.
O que é um ambiente estéril?
É um ambiente onde não há ar que tenha passado por onde houve a Luz do Sol.
O ar estéril é um ar sem prana.

Há esterilização em ambiente de UTI de Hospital, em lugar de se fabricar disco rígido de computador,


tornando o ar estéril, para que não se desenvolva o microrganismo.
Então se filtra o ar e uma das questões é essa:
Quanto mais luz no ar, mais ele tem prana.
Quanto mais prana, mais microrganimo ele gera.

Sterilair, produto contra ácaro, faz o quê?


Esteriliza o ar.
Ele retira o prana do ar.

Se você quiser conservar cereal, coloque-o numa lata, deixe um espaço livre, colocando um chumaço
de algodão com álcool. Ponha fogo e tampe.
O fogo consome todo o prana do ar que está lá dentro.
Aí os microrganismos não se desenvolvem e o cereal não estraga. é o Fogo em Binah ,
Essa é uma técnica de Conservação de Grãos. que é a Força Sexual
e tem o Fogo da Salvação.
Esse mesmo fogo O Fogo de Binah é o fogo Físico.
que tem aqui, É Shiva-Shakti em ação.
É Binah, maravilhoso Binah.
Binah também é andrógeno.

O Fogo de Chokmah
é o Fogo Espiritual.
É o Fogo Espírito.
Esse Fogo não é o Fogo Físico.
É o Fogo que destrói, mas que renova.
Pergunta:
O que é prana?

Resposta:
Prana são partículas douradas, raios de Sol condensados.
O Sol é a fonte de toda Luz.
70
É a origem de Luz. Origem da Vida.
Então, a Vida se expressa através da Luz.

Objetivos do Seminário :
A idéia da Estrutura
A Natureza de cada Plano
O que representa cada Plano no todo do Processo da Existência
A Percepção dessas três Regiões Sephiróticas (os três Triângulos) e a importância que
elas representam, pois normalmente damos mais importância à região de Malchuth.
Damos menos importância para essas três: Jesod, Hod e Netzah.
O corpo Etérico, que é a Vida que habita em nós, possui menos importância no dia a
dia do que o corpo físico que é matéria inerte, pó. É pó condensado por essa Energia Etérica.

O Milagre da Vida surge no momento em que o Gameta masculino fecunda o Óvulo feminino.
O Óvulo e o Gameta morrem.
Da fusão desses dois elementos mortos surge
um Óvulo fecundado que é a raiz da nova Vida.
Aí começa a se desenvolver o corpo Etérico da futura criança.

Por isso o aborto é sim, um crime.


Ainda que a Essência só penetre na criança no momento da respiração, a forma e o laço foram
estabelecidos no momento da fecundação.
A Vida passa a existir no momento da fecundação.

A gravidez começa no momento da fecundação.


O vínculo entre aquela Essência e a mãe biológica é estabelecido no momento da fecundação.
O cordão de prata do futuro bebê une-o aos corpos Superiores. Essa ligação, essa conexão é feita no
momento da fecundação.

A interrupção da gravidez
A interrupção da gravidez implica na Interrupção do Processo da Vida.
Não estamos entrando em considerações morais, que é um assassinato, não é tanto, não.
Assassinato é diferente, é mais grave.
Mas é uma Interrupção da Lei.

O ser humano não tem o direito de interromper uma Lei de Deus, não é lícito, como não é lícito também
a interferir na genética.

Não há desculpa para um aborto.


“Ah, porque a mãe é pobre” !
Não há desculpa. Mesmo a questão do risco de vida.
A Medicina tem que se preparar para essa situação, para ser possível que haja uma gravidez.
71
Hoje existe uma série de equívocos com relação à morte.
É legítimo e lícito deixar a pessoa morrer, o que é completamente diferente da Eutanásia, que é a morte
provocada.
A interferência é uma outra questão. A intervenção, às vezes, da Medicina para manter uma pessoa
através de aparelhos, é uma interferência.
Uma pessoa, que já não é mais capaz de se sustentar sozinha sem uma ajuda permanente, está morta,
sendo lícito deixá-la morrer dignamente.

Agora, uma outra coisa é uma pessoa que está sofrendo muito e alguém vem e diz:
“Não, quero fazer um bem:
Vou dar-lhe uma injeção com uma dose elevada, assim seu coração não vai agüentar ...” .
Isso existe com muito mais frequência do que a gente imagina:
Pais, filhos que pedem para o médico, conseguem um profissional que é amigo da família para dar uma
injeçãozinha com a dose um pouco mais elevada, que é o suficiente para dar uma descarga no coração.
É um problema do ponto de vista kármico, está-se interferindo .
Você pode matar alguém por engano. Agora se o faz conscientemente, o peso é outro.

Ao colocar na nossa torção o que é esse suporte de vida, o nosso corpo Etérico, nossa parte Eletrônica é
uma grande chave, porque isso significa lidar com a nossa Energia de Vida, significa equilibrar a nossa torção
de vida que vocês associaram, mas está errado.
Do ponto de vista semântico, que nos induz a erros, pode-se dizer com relação à energia sexual:
“Mas tudo é Energia Sexual!”
É, mas no sentido de que a Energia Sexual, Energia de Vida, é essa Energia de Vida, esse Potencial de
Vida que nós temos é a Energia Sexual.

Quando a Energia Sexual desaparece numa pessoa, ela perece, morre.


A decreptude da velhice é exatamente a decreptude da energia sexual da pessoa.
Um indivíduo que mantém bem sua Energia Sexual, que trabalha com a sua Energia Sexual e a usa bem,
tem Vida em Abundância e vive por milhões de anos.

Os Mestres Ressurretos são aqueles que

Eles conquistam, como um dos prêmios, o poder de ter o Corpo Físico. Esse Corpo Físico é sustentado
pelo Corpo Etérico.
Os Mestres não possuem o Corpo Físico no sentido de que eles conservam um Corpo Físico. Eles
materializam esse corpo no plano físico quando querem.
Jesus, por exemplo, teve a Ressurreição, o milagre da Ressurreição, onde aparecia como morto. Esse
Corpo, Ele expressou em determinado momento, em carne e osso, quando Tomé tocou nas suas chagas para
acreditar e tocou.
72
Muito bem:
esse corpo,
esse milagre,
essa expressão do corpo Físico de Jesus,
os Átomos que compunham seu corpo Físico,
o pó que compunha esse corpo Físico
foram todos absorvidos pela contraparte etérica que tem que manter o corpo Físico em
contínuo, tanto que Ele aparecia e ascendia aos Céus.
Ele não tem que guardar esse corpo em uma caverna, manifesta-se no plano Físico e
desaparece no plano Físico, sendo que os Átomos estão recolhidos na contraparte Etérica e
aí eles estão em permanência.
Existem esses Átomos desde a época do aparecimento, isso se torna uma coisa concreta .
O homem Jesus de Nazaré, aquele homem que foi pregado na cruz, foi absorvido pela sua contraparte
Etérica, onde os Átomos estão armazenados e Ele tem o poder de projetar esses Átomos em Malchuth, quando
assim o quiser.

Mas, quando é necessário, Ele projeta o Corpo Físico poupado, pega na cadeira, senta nela e desaparece
diante de nossos olhos. Nada há de miraculoso nisso, é fisicamente explicável no sentido da tetra
dimensionalidade e cientificamente explicado.

É um domínio de estrutura atômica, dos átomos, é a Consciência dos Átomos elevados à alta velocidade
tal que eles desaparecem na tridimensionalidade, ficando concentrados na quarta dimensão que é a expressão
do sephirote Jesod.

Outro ponto que nós vimos de fundamental é a

O homem é constituído de Corpo, Alma e Espírito.


De alguma maneira, esses sephirotes são projeções desses três: Corpo, Alma e Espírito.
Corpo e Alma se tem.
Espírito se É .
O Pai nunca morre,
nunca cai,
nunca desaparece.

A Alma pode
entrar num sofrimento terrível
que é descender aos Mundos Infernos,
entrando
no processo de Involução .

O corpo
é perecedor.
Malchuth é fração de Alma Humana
que aqui involui, sem corpo físico.

A Alma Humana é aquilo que construímos e é em Malchuth que temos a Iniciação de onde podemos
estabelecer um contato com o Cristo.
Cristo é a representação da Luz da Trindade:
Pai, Filho, Espírito Santo.
73
A Luz dessa Trindade é representada pelo Cristo.
O contato Dele
com a Alma Humana
é que nos remete ao Pai.
Com a descoberta desses três sephirotes como base, visíveis no desenho, fica claro a Centralidade Dele
e , nessa Tetra Dimensionalidade, fica mais claro isso.
E essa é uma questão importante.

Pergunta
A Alma pode regredir em corpos inferiores, adquirir um corpo de animal, por exemplo?

Resposta
Pode.
Esse é que é o terrível sofrimento.
Aí a Involução faz exatamente o seguinte:

A fração de Alma que nós possuímos (fração de Alma Humana) sofre terrivelmente porque guarda a
lembrança anímica, a lembrança da Alma, do Conhecimento da existência da Divindade dessa estrutura.
Não é conscientemente no sentido objetivo,
mas o ser humano guarda a memória da existência da Trindade,
da existência do Pai,
da Mãe,
da Lei.
Isso tudo, todas as questões que estudamos, o karma, nós temos merecimento disso, todo mundo já
tem conhecimento, não é novidade pra ninguém.
As nossas diversas existências passadas vêm nos ensinando que
existe Lei, que existe Pai, que existe Mãe.
O Universo é estruturado.
Nós nascemos com uma mãe, temos um pai, respeita-se a lei.
A sociedade é organizada através de leis desde sempre.
Isso está profundamente arraigado em nós.
Isso é a reprodução no plano Físico, em Malchuth, da estrutura verdadeira que é a Lei que é o Pai, que
é a Mãe.
Então esses três pontos são definitivos. São um suporte da Realidade.
Os outros sefhirotes são projeções deles.
Se a pessoa se concentrar no que é o mundo Etérico, no potencial do Universo, quando se fala que todo
o Universo está no Caos Sexual, você se conhece a si mesmo, o Universo e os Deuses é porque aqui está uma
reprodução.
Esse é o microcosmo, é o mundo Etérico, é a Energia Sexual.
Ele nos remete à Alma Humana que é ligada à toda essa parte de cima.
Da Alma Humana é que saem links, ligações, para toda a parte espiritual. Ela não está ligada
diretamente à Malchuth, mas há uma ligação de reta: Tiphereth à Binah e à Chockmah. Isso nos representa
muito.
Meditar sobre isso é muito importante.

A região de Malchuth é a região do pó.


A vida não está aqui, não há vida nessa região.
A vida encontrada, por exemplo, num mineral, está na região Etérica daquele mineral.

74
Se você pega o mineral, sob o ponto de vista meramente material, não vai encontrar vida, assim como
a Ciência materialista não consegue.
A Ciência não estuda a vida porque ela se expressa num plano Etérico. A Ciência estuda a
consequência da vida.
Enquanto a nossa Ciência não for capaz de se instrumentar e pesquisar o plano Etérico, está atirando
às cegas, porque está trabalhando com as consequências da vida, está trabalhando com uma imagem projetada
e não com a fonte.
Todas as doenças que vemos no corpo Físico, quando se tenta descobrir a cura do Câncer, não se
encontra por quê?
Porque a doença não é algo físico. Vem do plano Etérico.
Toda a nossa Ciência, ainda que não fosse divinal, no mínimo de inteligência, deveria estar se
instrumentando, procurando instrumentos, ela já tem condições para isso.

O conhecimento da Acupuntura nos revela,


através da Medicina Tradicional Chinesa,
que toda ela é baseada no suporte da vida,
não no corpo Físico.

Um ponto de Acupuntura não é um ponto Físico, tanto que não existe


um mapa colocado com cm porque se fosse assim, haveria um mapa chinês
de quatro anos atrás que definisse que, da ponta da cabeça a um ponto do
queixo, exatamente a 32 mm e tal, era o ponto.
Isso é impossível de se fazer.
Para você pegar um ponto de Acupuntura, tem que sentir o calor desse ponto.
E esse calor é exatamente a manifestação da contraparte Etérica.

A vibração da agulha
é a dinamização da energia Etérica do metal que está inserido na célula.

Observando, constata-se a diferença mínima e sutil do que é materialismo


e do que é espiritualismo.
É claríssima a linha que separa uma coisa da outra.

O corpo Físico é pó.


Ele não existe.
Tanto que, se você cortar essa ligação do Etérico-Físico, ele vira pó em quinze dias, posto no Sol.

Qualquer corpo Físico, por melhor que a pessoa seja: ou mais inteligente, ou mais rica, ou mais
bondosa, se isso daqui é cortado, esse corpo vira pó.

Os grandes Mestres, os que são capazes de experimentar a Ressurreição, construíram os corpos


Superiores, fizeram a ligação toda, são capazes de utilizar a Energia Potencial do Pai que desce por aqui
(da região do terceiro triângulo para o primeiro) diretamente, ou seja,

75
A presença do Pai em Jesod, mundo Etérico, que é onde mais próximo Ele pode chegar, permite que
esse Iniciado absorva os Átomos físicos na região Etérica, não no plano Físico.
Ele possui os Átomos absorvidos nessa região e os projeta, quando quiser, na região Física-material.
Esse corpo então se expressa.
O Ressurreto não é obrigado a manter o corpo em permanência estruturado. O corpo dele fica
guardado em Jesod.
A questão de

Kether

Tiphereth

Jesod

é importantíssima nesse Trabalho todo porque são a Espinha Dorsal da Árvore Sephirótica.
Eles são os Vórtices dos Triângulos.

A visão desse primeiro Triângulo:


Mental, Astral e Jesod, o primeiro trabalho nosso,
é construir esses corpos: Mental, Astral e Etérico Superiores,
é elevar a Energia Sexual de Jesod, energia da vida,
é fazer contato com a Alma Humana.

O poder de direcionamento de nossa vida:


Normalmente, uma pessoa inconsciente é conduzida na vida pelos seus impulsos de sobrevivência e
sexuais.
É o Instinto.
É uma pessoa cem por cento adormecida, que não tem um tipo de inspiração espiritual .
Se observarmos bem, quem comanda a vida delas é
Jesod,
que são os Instintos de Sobrevivência (comer)

e os Instintos de Reprodução ( satisfazer-se sexualmente),


ter um lar,
é o Instinto de Vida.
Ela quer ter para poder sobreviver.

A compreensão que ela tem de sobrevivência é acumular, não ser privado, é um instinto, é uma coisa
animal.
76
Jesod é que comanda.
Quando é Jesod quem comanda, a mente e o desejo estão sob seu domínio.
Quando assim se age, rebaixam-se os outros sephirotes ao comando de Jesod. Isso aqui existe em
função de Jesod, o Instinto de Vida. Aqui está o comando.

O primeiro passo:
Transferir o comando
de Jesod para Tiphereth.

Assim, a Alma é que começa a determinar.


Passa-se a utilizar Jesod como um sephirote que está numa região abaixo, e é necessário o seu
combustível, sua fonte de vida, mas você já está acima da mente e do desejo.
Você passa a trabalhar com outro corpo, você muda de esfera, sua capacidade de percepção é múltipla.
A cristalização do Trabalho Espiritual acontece em Tiphereth .

Tiphereth é o nosso corpo Chave, onde devemos manejar todo o Trabalho.

Devemos deslocar o nosso trabalho de Jesod para Tiphereth.


É possível que uma pessoa esteja estudando esoterismo e ainda mantenha seu ponto de apoio em Jesod.
Não são só os instintivos, não.
Muita gente busca: espiritualismo, religião, igreja, procura se desenvolver como instinto de
sobrevivência, para salvar-se.
Salvar a própria pele que nada mais é que o instinto de sobrevivência como outro qualquer.
A pessoa tem filhos para neles se perpetuar, satisfaz seus desejos, para ter confiança que está vivo, a
sensação da falsa impressão de que estamos vivos.
As pessoas precisam reafirmar a cada momento que estão vivas, com seu corpo comendo, satisfazendo
os desejos sexuais, os emocionais e mentais para reafirmar que Lei está viva.
No fundo, no fundo, nosso pavor é a morte.
É curioso:

Quando se fala do que está acima de Kether:

é um pouco profanar a verdadeira Natureza de Deus.


As palavras que se usam para definir o que está acima é:

O Absoluto Imanifestado.
É o Incognoscível.

Não vamos discutir a natureza e as características do Incognoscível.


O que é a palavra Incognoscível?
Que não pode ser conhecido.
Então é contra censo você dizer:
Vou dar uma aula sobre o que não pode ser conhecido.

77
Nós podemos tentar experimentar, posso rogar a vocês que lutem até a última das suas forças para um
dia experimentarem, conhecerem por si mesmos o que não pode ser conhecido.
O mestre Samael fala que
o Imanifestado,
o Absoluto
parte da Luz Incriada, parte das Trevas.

Nós estamos falando de Luz, de Iluminação, Samael coloca que os grandes Demônios são Mestres que
se lançaram às Trevas porque descobriram que a Luz sai das Trevas.
No fundo, eles estão procurando é Luz e pra isso se lançaram às Trevas.
É uma idéia até perigosa, se ela não for bem compreendida.

Espera aí, como é essa história!


É muito profundo para nós, isso aqui são Trevas, não temos capacidade, não há mental abstrato que
consiga penetrar.
Não há Luz.
É noção do zero que parece off.

A primeira representação possível do que é irrepresentável é essa.


Isso é o Universo imanifestado.
Então, é o zero Absoluto. É o que não há.
Se você quiser fazer com a primeira manifestação nele, divida-o ao meio.
Não há outra manifestação menor que essa.
Qual é a menor representação que há?
É o ponto, que é o símbolo do Sol, define regiões específicas. Do ponto de vista filosófico tudo o que
foi falado da reta, serve para o ponto porque o ponto em si tem três regiões:
O ponto com o todo e o todo sem o ponto.
Nunca você consegue parar em dois.
Se você pensar no zero vertical é o zero. É o vazio. É o nada.

Agora , quando você vê o nada,é difícil.


Nós podemos falar do zero: é ausência de vida, de bem, de mal, de Deus, é o Absoluto vazio e total.
A primeira manifestação possível, o ponto, você tem três:
o ponto sozinho,
o ponto com círculo
e o círculo sem ponto que é onipresente, permanece,presente todo.

Você pega um ponto e o projeta numa reta, que é o binário, é o dois, projeta ele num movimento. Em
cada uma dessas metades, você coloca um ponto.
É o Tau e assim sucessivamente, porque se você pegar esse ponto aqui, isso aqui é uma secção de um
círculo e esse ponto por sua vez ...
Mas é o três inicial que se desdobra, que se desdobra, que se desdobra.
Agora, nós estamos querendo chegar no quê?
No zero.
Estamos querendo conceber o zero. A noção mais próxima que existe do zero, do vazio, do nada, ...
O extremo da matéria, o fim, o abismo ...

Então é indiferente, fazer esforço para virar santo, ou virar um demônio, virar de cabeça para baixo,
para no fim dar certo.
Nós estamos estudando a estrutura cósmica.

Buscai ao Pai, sem desistir,


Buscai o Reino do Pai incessantemente,
que o resto lhe será dado por acréscimo.
78
É uma frase Matemática.

A Bíblia é Matemática cem por cento.


Não é uma matemática de computador que analisa o código secreto, não. É Matemática nesse sentido,
onde as frases são kabalísticas.
A kabala é Matemática pura, é a Ciência mais elevada possível. É Universal.

Pergunta:
Sobre a múmia, com relação a essa parte do Etérico, os ressurretos estão no Etérico, aí se manifestam
no físico.
Então, em que caso ainda há necessidade da Múmia?

Resposta:
Não, o Ressurreto não precisa de Múmia .
A Múmia é uma possibilidade que se tem.
O Mestre Samael tem uma Múmia.

Os egípcios têm uma ligação extraordinária certamente, tecnologias avançadíssimas para conservar o
corpo físico em permanência. Esse é um problema porque a Múmia tem que ser conservada num determinado
lugar e esse lugar não pode ser profanado.
Mas a Múmia tem ligação com o corpo Etérico, quer dizer, ela não morre .
A Múmia é um corpo que está mantido em catalepsia do ponto de vista Etérico.
Estamos falando da Múmia dos Iniciados que mantinham o corpo Físico no plano de Malchuth. Aí sim,
eles não destruíam o corpo físico.
É possível para um mestre só usar o corpo Etérico.
Manter o corpo em permanência no corpo Físico não é uma impossibilidade para ele. Não há uma
razão de se fazer isso, para ele não há essa necessidade.
Havia na época do Egito toda uma técnica, uma ciência que se desenvolveu pra fazer isso, fazia parte
da cultura religiosa, de manter uma presença do símbolo do Iniciado no plano Físico.

Pergunta:
Jesus já fez sete vezes o Trabalho e Samael já realizou três vezes.
Então ele precisa, vamos dizer assim, dessa Múmia ?

Resposta:
A relação não é essa.
Quando um mestre é Ressurreto, tem direito a manter um corpo físico por milhares de anos. O mestre
Ressurreto mantém o corpo físico por milhares de anos em permanência no corpo do físico.
Agora, todos eles, se for o caso, podem absorver esse corpo físico na quarta dimensão, mesmo os
mestres que possuem .................... se eles quiserem, absorvem a Múmia e a mantém na quarta dimensão. Essa
é a capacidade que eles têm.

Os motivos pelos quais mantém uma Múmia no plano físico, não se sabe. Sabe-se explicar o
funcionamento do sistema, você pode pegar a roupa e guardá-la na maleta, porque você não a deixa
pendurada, eu não sei.
Agora, esses corpos físicos das Múmias vivas podem ser facilmente absorvíveis.

O mestre Samael, em sua vida atual, estava realizando um processo interessantíssimo:


de transferência dos Átomos da Múmia para esse corpo físico que ele tinha.
79
Era uma tentativa para o corpo físico dele atual, o qual estava mal por conta dos abusos da
adolescência.
Ele tinha um corpo que não ia aguentar a tentativa de transferir os Átomos da Múmia para o corpo
físico. Essa Múmia, se tivesse havido a transferência, com ela ia acontecer como um corpo físico qualquer,
uma Múmia ............. querer ficar com o corpo, querer se manter bem por muitos anos. Isso ela ia fazer na
quarta dimensão, através de Jesod: os Átomos passam para a quarta dimensão.
Mumificavam-se corpos que eles julgavam bons para conservá-los.

Pergunta:
Uma perguntinha sobre Tiphereth.
Tiphereth é a Alma, não é?
Na minha compreensão, o que nós estamos fazendo aqui?
Cada um procurando conhecer-se a si mesmo, ou seja, como se eu não tivesse Alma, estou criando
uma Alma.
Como faço para criar uma Alma?
Eliminando os agregados psicológicos, pois são esses que me impedem, naturalmente, não é?
Então, seria assim: a minha inquietude, como posso conhecer a mim mesmo, uma vez que tenho
muitos agregados, porque sou eu que vou criar, eu mesma é que vou criar a mim mesma.
Por quê?
Porque vou criar uma Alma. E com Alma, é lógico, estou livre dos agregados, ou pelos menos, a gente
tem a memória, mas, já consegui ter essa transformação.

A minha inquietude é essa:


Eu não posso conhecer a mim mesma, porque ainda não cheguei a esse ponto de criar uma Alma
porque os agregados me impedem.

Resposta:
Você possui uma fração de Alma. Esse é o ponto. É a Essência. É o que se chama de Budhata.
Se você não possui Budhata, não possui essa fração de Alma.
É uma possibilidade de algumas pessoas que já estão, apesar de vivas, involuindo, é possível que a
pessoa entre em Involução em vida.
Isso acontece, quando se rompe a Comunicação entre essa fração de Alma e as partes superiores.
O Íntimo da pessoa fica dissociado e ela não consegue mais ter anelos espirituais.
Mas esse é caso excepcional.

Normalmente, o ser humano possui o que se chama


fração do Íntimo,
a Mônada individual ,
a fração de Alma,
o Budhata,
a Essência.
Essa Essência está depositada na região de Tiphereth, ela tem que ser desenvolvida.
É através da Essência, que o Pai provoca inquietudes.
O choquezinho ................... é na Essência. E a Essência quer se mover. Ela tem dificuldade em se
mover, porque está cercada de agregados psicológicos.

E esses agregados, por sua vez, o trabalho com eles é complexo, cada agregado psicológico é criado
em torno de uma pequena fração da Essência.
Você tem um percentual de Essência livre, liberado.
E o resto, quer dizer, a sua Essência, apesar de ser a sua unidade, é fracionada.
Assim como o zero é fracionado, a Essência está fracionada.

Você tem
80
três por cento mais ou menos, de Essência pura,
através da qual o Pai pode se comunicar.

E tem noventa e sete por cento de Essência aprisionada,


como se fosse uma pérola envolvida por uma cobertura de lama.
Então, o Pai não consegue atuar naquelas condições.

O Ego, nesse caso, é parasita, vive da energia de vida que essa Essência constitui, porque o Ego não
tem onde fincar suas raízes. Ele não tem raízes, na realidade.
A Essência é o real.
O Ego é irreal, é uma ilusão, apesar da brutal realidade dele que nos faz sofrer a cada dia.
O mal, como nós o conhecemos, é uma grande mentira.

Existem:
o branco e o negro
a Luz e Trevas.
As Trevas se contrapõem à Luz.
Acima de Kether, para nós, há Trevas.

Os Mestres que vão para o Abismo, isso é diferente da noção de mal que nós temos dos agregados
psicológicos. Esse mal dos agregados psicológicos é uma grande mentira.
Mas é uma mentira que se torna real.

O boato provoca uma mentira capaz de provocar emoções. Exemplo: os governos no mundo hoje em
dia se sustentam na mentira, não na verdade.
As grandes civilizações, os reis santos se sustentam na verdade. Nosso mundo hoje está sustentado
pela mentira.
Mas a Ciência é limitada pelo tempo.
Não há raiz.
A raiz do Ego, a seiva que nutre o Ego é a Essência. Por isso que, pior do que determinado ego faz , o
grande mal é o fato de que ele existe e impede a manifestação da virtude correspondente.
Esse é o grande mal:
É impedir a manifestação da virtude correspondente. Ele se nutre da energia da Essência e se expressa
de maneira contrária. Então, quando a ira se expressa, ela está expressando uma energia de legítima seiva, ela
extrai da ciência e ela não permite que se expresse, que é um atributo da Essência.
A existência daquela lama tem raízes naquela pérola e se nutre da beleza da pérola, da vida da pérola.
Daí a dificuldade:
Nós não podemos detonar todos os Egos.
Se a gente detonar os egos, estaremos detonando a pérola.
Você tem que pegar um por um e trabalhar, limpar, você dissolve o ego , detona-o e o mata.
Pede para eliminá-lo, você corta a cabeça do Ego.
Mas, é impossível esquecer de que aquilo provoca a liberação de uma Essência, de uma fração da
Essência que estava enfrascada no interior daquele Ego.
Quando se está trabalhando com o mal, ao mesmo tempo se está trabalhando com o bem. Não há como
trabalhar só com o mal.
“Ex.: Ah, vou ser bom agora. Você é bonzinho.”

Sabemos que o Ego continua por trás, ainda que se queira buscar a conduta mais correta possível,
como uma maneira de eliminar o ego. Isso não vai transformar ninguém em santo.
A questão da santidade: não existe um âncora. Temos que nos apegar a esse anelo. Esse anelo é uma
expressão do Pai em nós.
Ao mesmo tempo que somos miseráveis, com um tanto de egos, não podemos esquecer, que temos
uma fração de Alma, temos uma Essência que é uma parte da Mônada, a expressão da Mônada, a expressão
do Íntimo , a expressão do Pai em nós.
81
Nós rompemos a Divindade em nós. E o pior é que essa Divindade que em nós poderia brilhar muito
mais, não brilha porque nós somos condescendentes com os nossos Egos. Impedimos que a Divindade brilhe.
O grande pecado é esse:
Nós damos força para o demônio interior, acreditamos na mentira dele, alimentamos sua mentira,
permitimos que a mentira impere e esconda a Verdade, que é o Pai.
Impedimos que o Pai se expresse.
Então, o primeiro passo concretamente:
Começar a trabalhar com a Verdade para nós mesmos.
É difícil falar a verdade para o próximo?
Pelo menos pare de mentir para si.

Pare de mentir para si mesmo. Pode até continuar mentindo para os outros, se é essa a questão. Mas
comece, o primeiro passo:
Pare de mentir pra si mesmo.
Na hora em que você parar de mentir pra si mesmo, num processo íntimo, individual, feito lá no
cantinho, quietinho, mas todo dia, faça um momento de reflexão e você fala:
“Qual é a verdade de hoje?”
Aí reza um Pai Nosso e vai dormir.
Amanhã, você de novo, bom ..........
“Qual é a verdade hoje?”

É a prova do espelho.
Com isso começa a fortalecer o Íntimo, a Essência. Isso é Revolucionar em cem por cento.
A vida começa a mudar.
Não tem mais sentido mentir para si. Talvez seja até difícil parar de mentir para os outros, porque tem
uma posição social, você não quer enfrentar ainda a mentira.

Em geral nos apoiamos numa série de pequenas mentirinhas, estruturas que são falsas.
Está bom!
É difícil encarnar tudo de uma vez. Mas, se começar a falar a verdade a si mesmo, aí, sim o Pai dá uma
cutucada e obtém-se uma resposta.

Isso é uma resposta para o Pai,


é começar a comunicar daqui, em Tiphereth.
É começar a mudar o Centro de Gravidade.

Você passa do Centro Instintivo, sai do Centro Instintivo, passa a buscar o Caminho Espiritual, não
porque ele vai lhe salvar, às vezes, até pelo contrário:
Você passa a buscar a Morte.

82
A Morte são as Trevas. Ela está associada no nosso imaginário, às Trevas.
A Morte é assustadora, é a ausência de Deus, é fria, é um mistério, é desespero.
E não é.
Então, quando você começa a desejar morrer, essa transição é possível.
Só consegue viver, se consegue trabalhar com a Morte, se você pensar nela.
A nossa tentativa de sobreviver, que é ter medo da Morte, nos impede de viver verdadeiramente.

A vida verdadeira só é possível a partir do momento em que a Morte passa a ter sentido. Do contrário,
você vai querer reafirmar a Vida a cada momento para negar a Morte.
Então, eu não morri, estou vivo.

Os Espíritos, as Almas, que perderam o corpo físico e não conseguiram ter uma boa orientação no seu
processo e se recusam a aceitar essa situação, procuram canais médiuns, através dos quais possam se
expressar, experimentar o sabor de estar vivo, que é só o corpo físico que pode dar.
A ausência de captar o sentido da morte, a ausência de conhecer o sabor da liberdade da vida
verdadeira, nos leva a uma série de equívocos. Um deles dos quais que cria todo um fenomênico no
espiritismo é isso: são frações de Almas que querem conversar, se expressar, querem sentir a Vida, sentir
Jesod, sentir a Energia Sexual .

É a ignorância, não tiveram a oportunidade de conhecer a verdade de como funcionam as coisas,


exercícios que nós estamos conhecendo para que fiquem incorporados em nossa Consciência.
Mesmo que nós morramos amanhã, se isso estiver incorporado na Consciência, as coisas andam noutro
sentido.
Existe uma série de reflexões e de encaminhamentos para o desencarnado, mesmo que ele tenha os
agregados e tudo o mais, ele tem um princípio de reflexão anímica, um princípio de trabalho anímico.
Ele consegue aceitar a condição de não estar com um corpo físico, permanece num fluxo normal de
vida. E motivado por suas paixões, pelo desejo de experimentar a vida de novo, tem muitas experiência pós
morte.
Começa a chover, ele procura proteção, quer estar vivo, não quer estar morto. Aí vai atrás de uma
caverna.

Quando vai para a caverna,


ele está entrando no útero de uma mulher,
que está sendo fecundada.
Nove meses depois, nasce.
Retorna com seu corpo Lunar,
com os agregados e com um Embrião de Alma.

Quem reencarna?
Os Mestres.
Quem é considerado Mestre?
É considerado Mestre, no sentido de reencarnar,

83
Mestre de Mistérios Maiores, um Homem completo.
É quem possui os corpos Solares:
Astral, Mental, Causal,
ou seja,
possui esse Embrião de Alma plenamente desenvolvido,
a Alma Humana que tem contato com a Alma Divina.
Então, a Mônada, o Íntimo nele se expressa.

Esse daí, quando perde o corpo físico, um Mestre desse, um Homem que se realiza nesse nível, ainda
que seja um Mestre Ressurreto, não é uma pessoa cem por cento organizada, pode ter egos, inclusive,
agregados psicológicos, alguém que está em desenvolvimento, tem lá cinquenta por cento de Consciência, está
no Processo, é um Iniciado.
Bom, perde o corpo físico, sem problemas. Não é problemático para ele.
Por quê?
Porque ele passa a coordenar o Processo fora do corpo Físico.
Aí, sim, é a Alma Humana Cristalizada.

O processo de Construir Alma é Cristalização, a palavra correta.


Não é construir,
é Cristalizar.

E a Cristalização passa pela Limpeza dessas frações de Almas, quando o Agregado Psicológico que a
envolve, no qual ela está presa, é dissolvido, definitivamente eliminado.
Ela é automaticamente agregada à Essência, vai se agregando, se fortalecendo, crescendo.
Essa pessoa, esse Iniciado que tem isso, a um nível de cinquenta por cento, por exemplo, não foge,
não quer mais viver, não retorna automaticamente, mecanicamente movido por algum processo que se passe
nos Mundos Superiores.
Ele busca uma matriz, porque sabe que precisa do corpo Físico para terminar o Trabalho, então busca o
casal, uma matriz correta, busca uma condição tal que lhe permita retomar com o físico.
Aí faz, conscientemente, nasce, reencarna.
Existem Mestres que reencarnam para terminar o Trabalho. Nascem, correm riscos.

Agora, uma pessoa que não tem um nível de Consciência, fica perdida por aí. São as Almas penadas,
são Agregados Psicológicos com frações de Alma.
Não é absolutamente errado falar que é uma Alma penada, uma Alma desviada, é uma Alma de
alguém.
É o pedaço da Alma de alguém que está ali, naquele momento, movido inclusive pelo Ego, que a
incorpora tentando se expressar, utilizando um médium para satisfazer o seu desejo.
O desejo é do Ego, a Alma é uma prisioneira.
A Pistis Sofia coloca isso muito claro, Ela caiu nas Trevas.

Pergunta:
São pouquíssimas as pessoas que têm essa Consciência, que conhecem, que têm um pouquinho de
entendimento.
Então, quer dizer, que noventa e cinco por cento das pessoas que morrem, ficam assim vagando?

Resposta:
Na humanidade atual, no momento histórico desse planetinha, sim.
O Sol, por exemplo, capta milhares, e milhares, e milhares de Mônadas, todas Auto Realizadas.
É outro nível.
84
Não existem Agregados Psicológicos nessas Mônadas ou o que é o mistério estar evoluindo no Planeta
que é o Sol entre milhares e milhares e milhares de Mônadas que não têm ego é uma coisa que ....
Vai lá para saber.
Nós, não. Somos de um Planeta Kármico .
Podemos falar que vivemos no Averno, se considerarmos que nós conhecemos, que é o mundo Étérico,
que é o mundo Edênico, a caída de Adão.
Nós vivemos já num nível de subsolo .

A Terra é um Planeta kármico, estamos vivendo um período de fim de Kalyuga, Idade de Ferro.
É o pior dos piores.
Vamos passar por terrível provação, cataclismas e,
só vai tomar corpo Físico na nova Idade de Ouro de Aquário,
quem tiver essa estrutura construída até aqui, no mínimo.
Ou seja:
quem tenha Ego não vai poder.
É um meio de Transição que o mestre Samael fala:

Tem que ter cinquenta por cento do Ego dissolvido, vai ser julgado e
levado para um local onde vai poder terminar o Trabalho .

Com cinquenta e um por cento do Ego dissolvido, supõe-se que se construam os Corpos e se chegue a
um nível de Maestria, do tipo Homem- Mulher, Ser Humano completo, ainda que existam resquícios de Ego.
Ninguém sai de noventa por cento para zero por cento.
Vai dissolvendo noventa e nove, noventa e oito, noventa e cinco por cento, vai dissolvendo o Ego, até
que vai chegar o dia ...

Pergunta:
Aí, quando chegar esse dia, o que vai acontecer com a pessoa?

Resposta:
Consegue evoluir .
O Planeta que vem por aí, é gigantesco, onde a vida está num nível de
evolução muito inferior ao Planeta Terra.

Se aqui é ruim, imagine lá.


Muitas, milhares das frações de Almas que estão aqui perdidas na Terra, vão ser
transladadas a esse Planeta.
E seguem seu processo evolutivo.
Dessas, algumas vão se superar e, se conseguem se superar, vão conseguir escapar
desse laneta, para um outro mais evoluído.
São regiões do espaço. Podem voltar à Terra.
O curioso é que as Almas que para nós vão ser condenadas ao Inferno,
olhe que surpreendente:
Vão para essa Planeta.
Para eles, essas Almas vão levar Luz.
Elas vão ser “Mestres“ porque seu nível está maior que os daquele Planeta.

São Almas que vão purificar o ambiente, levando um pouco de resquício de luz, pois ouviram falar
alguma coisa de religião: foram católicos, por exemplo, mas
não conseguiram fazer o Trabalho.

85
E a Terra?
A Terra vai mudar de faixa.
O Planeta Terra está mudando de escala.
Nós vamos pagar o karma Planetário com muita dor.
Antes de ir para lá, vamos sofrer. E o Planeta vai ser elevado na Escala.

Não é possível que a Terra que nós conhecemos no plano Físico desapareça.
Aí seria o fim do mundo, no sentido do fim do mundo mesmo, como, por exemplo, a explosão da
Bomba Atômica.
O plano Físico será uma Lua e a Vida vai continuar a nível Etérico, assim como o ar.
No Sol ou mesmo na Lua, não há vida no físico, sim no Etérico.

Pergunta:
Na Lua há plano Etérico?

Resposta:
Há humanidade lunar Seremita.
A Lua é um cadáver. Já foi um Planeta.
É a Mãe da Terra.
Ela passou por um processo semelhante ao qual estamos passando, existe vida lá em evolução e em
involução em termos lunares.

Agora a Terra vai passar por um período onde os Infernos vão estar livres.
Mil anos o demônio vai ficar preso, depois vai soltar por mais um tempo.

Algumas Almas que estiverem nesse processo de Aquário, evoluindo, vão ascender, outras, não.
Aí começa o Inferno ou a Região Inferior do Planeta Terra a receber Almas que não deram o Tom.
É a Idade de Aquário que acaba com a Idade de Ouro da Terra, que acaba com a Idade de Prata da
Terra, quer dizer:
Todo Planeta dá sete Rondas e morre.
A Terra deu cinco. Faltam duas.
Nesse sentido, ela não vai virar uma Lua, mas pode ser que o plano Físico se torne desértico. E venha
novamente a ser povoado a partir do Etérico.
Então eu imagino que as pessoas vão ser por um período retiradas do plano Físico.

86
Pergunta:
Você falou que cada Planeta dá sete Rondas.
No caso do Hercólubus que está num estágio pior que o nosso, em que Ronda ele está?

Resposta:
Ah, eu não sei, deve estar lá na primeira.
O Universo é o seguinte:
A estrutura hierárquica sempre existe.
Nós somos intermediários em alguma coisa.
Existem Planetas piores e melhores.

Há Planetas que já passaram pelo que nós passamos, há também os que ainda vão passar pelo que
passamos.
Vão existir novos Cristos que vão encarnar, que vão passar pelo Drama da Paixão, vão ser crucificados
e tudo o mais. E Budas, também. Há Planetas que estão passando por isso.

A multiplicidade de experiências é inimaginável para a nossa mente.

Do Ain Soph emana toda a Criação.


Mas a Criação não é igual nem em Essência, nem em Potência ao Ain Soph.
Quem, por meio de sua divina Luz enviada, irradia de si mesmo uma Inteligência, um poder, que
originalmente participa da perfeição e infinitude do seu crédito?
Por derivar-se de .................. tem um aspecto finito.
A kabala chama a essa primeira .......................... espiritual de Ain Soph, o Inefável Ancião dos Dias,
que é o Ser de nosso Ser:
Pai e Mãe em nós.

Não podemos expressar Ain Soph.


No Ain Soph existe uma estranha, rara evolução que nem os deuses, nem os homens conhecem.

Além do Íntimo está o Logos com o Cristo.


Mais além do Inefável Ancião dos Dias está Ain Soph.
A sua Exalação chama-se Dia Cósmico, Mahavantara.
A sua Inalação chama-se Noite Cósmica, Pralaya.
Durante a Noite Cósmica o Universo se desintegra com o Ain Soph. Só existe na sua mente e na de
seus deuses.
Porém, o que na mente Dele e na mente Deles (dos deuses) existe é o
Objetivo do Espaço Abstrato Absoluto.
Isso é de difícil compreensão.

Antes que o flamígero Coração do Sistema Solar de Ors,


que é o nosso Sistema Solar, no qual vivemos, nos movemos e temos o nosso Ser,
começasse a palpitar intensamente depois do Grande Pralaya,
o tempo não existiria, pois estava
dormindo no Seio Profundo do Espaço Abstrato Absoluto.
87
No final do Mahavantara, que é o Dia Cósmico,
as Sete Dimensões básicas do Universo
ficam reduzidas a um simples Ponto Matemático que se perde como uma gota no Grande Oceano.
É evidente que então o tempo deixe de existir.

Os mundos, como os homens, os animais e as plantas,


nascem, crescem, envelhecem e morrem.
Tudo o que existe debaixo do Sol tem tempo de vida.
A Antiga Sabedoria diz que pra ................. , o Pai, o Oceano do Espírito Universal de Vida, ao chegar a
Grande Noite, que os indus chamam de Pralaya, há a Dissolução do Universo, que se submerge entre o Espaço
Abstrato Absoluto durante sete Eternidades.
Essas sete Eternidades significam Egos, com períodos de tempo totalmente definidos, claros, precisos.
Foi-nos dito que um grande Dia Cósmico tem um total de trezentos e onze quadrilhões e quarenta
trilhões de anos.
Agora, é possível, em determinado momento, como um Ponto Matemático no Espaço e no Tempo,
subtrair-se de tudo isso e penetrar no Círculo.
Vale a pena tentar.
É a experiência do Samadhi.

Nós não estamos condenados a viver esse período.


Vivendo esse Período, você se subtrai dele porque,
ao mesmo tempo que é Mahavantara em uma parte do Universo,
é Pralaya em outro.

Ao mesmo tempo que tudo existe, não existe.


Durma com um barulho desse.
O que é possível é possível.
É desejável experimentar, por um segundo do nosso tempo, essa Eternidade.
Quer dizer:
A experiência nada tem a ver com o minuto, com o segundo, nem com o presente do homem, nem com
trilhões, nem com quadrilhões de anos.
Ela é fora do Conceito de Tempo.
Aí você entende o que está falando o texto aqui, porque é uma Respiração de Brahma.

Então, ao observar o Dia nascer, e ao viver o Dia inteiro conscientemente,


chegar à Noite e viver a Noite inteira conscientemente,

E nós, para aquelas pequenas partículas, estamos falando do infinitamente Grande.

Observemos a estrutura Atômica.


88
Assim como nós estamos aqui, somos corpinhos que estão num planetinha,
que gira em torno do Sol,
gigantesco,
maravilhoso,
que é nosso Sol,
que é um dos quadrilhões de Sóis que existem na Via Láctea,
que gira em torno de um Sol Central, Sírios,
Ele é infinitamente Grande, Gigantesco.

Agora,
a estrutura atômica de um átomo
da unha do dedo da Benê possui ........................
que é um elétron e tem um próton.
Podemos dizer que:

Nesse protonzinho do átomo,


que é um átomo da unha da Benê,
existe uma pequena conscienciazinha em evolução.
Para essa consciência, a Benê é Deus. Ela está evoluindo. A Benê é um Sistema Solar completo.

Temos o Sol Central, como se fosse a Via Láctea com


os Sóis,
os Sistemas Solares,
os Chacras de um grande Ser que caminha,
imaginando Sírius como Chacra Cardíaco num Homem com braços e pernas
que está caminhando sobre o Planeta
que gira em torno de um Sol.

Pergunta:
Como pode aquele atomozinho da unha da Benê ter consciência de todo um Universo?
Impossível.

Resposta:
Pode.
Aí exatamente ele se conecta com a Consciência da Benê, a Consciência da Benê se conecta com a
Consciência Crística e a Consciência Crística está conectada a uma Consciência Supra Crística que nós nem
imaginamos que possa existir.
Então é possível que nós como os átomos, pessoinhas como o átomo da unha da Benê, nos conectemos
com a Divindade, com o Átomo do Absoluto.
Não é um processo em que você vai pela escada, caminhando até um ponto.
Ao mesmo tempo que é um processo que passa, você vai caminhando, os dias passam, você pode vazar
o conceito de tempo e espaço.
Com o quê?
Com a Consciência.

O veículo que nós possuímos que vale a pena é a Consciência.


É o veículo que permite experimentar Deus, que é realizar a Gnosis, conhecer e não morrer:
Voltar para contar.

Óbvio que o Mahavantara e o Pralaya, uma Noite Cósmica,valem a mesma quantidade de tempo.
89
Quando chega a Noite Profunda, os Criadores desse Sistema Solar se absorverão no Seio do Absoluto.
E ficará um grupo de Luas.
Os Planetas, o Sol, a Terra, a Vida, desaparecerão com todas as chispas virginais.
A nós nos corresponde uma chispa virginal.
Cada criatura vivente corresponde uma chispa virginal e essas se absorverão no final, no Absoluto,
com sete Eternidades, sete vezes o nove.

Se observamos a Selene, nossa Lua, veremos que ela é um cadáver.


Há outras Luas: que giram em torno de Marte, Saturno etc. e que um dia tiveram Vida.
No passado Mahavantara houve na Lua uma humanidade, vivendo sete Raças e morreu, com sete
Rondas.
Antes do Amanhecer do Mahavantara, o Universo dormia em terrível Obscuridade.
No começo ou Aurora de cada Universo, há eterna Luz Negra ou Obscuridade Absoluta que se
converte em Caos.
As Trevas são, em si mesmas, Pai e Mãe.
A Luz é seu Filho, diz a Sabedoria antiga.
É evidente que a Luz Incriada tem uma origem ignoto, absolutamente desconhecida para nós.
De maneira alguma exageramos, se enfatizamos a idéia de que tal origem são as Trevas.
É para dar nó na cabeça de qualquer um.

É óbvio que, qualquer que seja sua origem, tem no fundo um caráter passageiro, Maia.
As inefáveis Trevas Profundas constituem, pois, a Matriz Eterna, na qual as origens da Luz aparecem e
desaparecem.
Diz-se que o Absoluto são Trevas.
Das Trevas sai a Luz.
A Luz Incriada do Absoluto sai das Trevas Profundas da Grande Noite. Dessas Trevas, que não têm a
Luz, brota a Luz Incriada, ou seja, a Luz nasce das Trevas.
A Mãe dos egípcios, a Matriz do Céu, Nut, era a Noite.
Se a nós nos colocassem ali, não veríamos mais do que um Abismo e Trevas Profundas.
Porém, para os habitantes do Absoluto, que são chamados de paramarthasatyas, essas Trevas são Luz
Incriada nem por um Homem, nem por um Deus, onde reina uma Felicidade inesgotável, bem aventurança
inconcebível.

Existem tremendos Gênios do Mal como:


Belial, Bael, Moloc etc., terríveis Mestres.
Sabendo que a Luz sai das Trevas, se precipitaram no Abismo mesmo sabendo que vão involucionar.
Do Abismo sai a Luz. Por isso os toca descer nas Trevas para destruir ao Eu, ao Satã, para arrancar a Luz
das Trevas.
Isso, aparentemente tão extraordinário, tem a ver com o Processo da Morte.
O mistério da Vida está na Morte.
O mistério da Luz está nas Trevas.

A partir do Trabalho do Conhecimento do Mercúrio nas nossas Trevas Interiores é que a Luz pode brilhar
em nós.
Isso é muito sério.
É perigoso de falar assim.

90
Estamos falando no Conceito Filosófico das Trevas que existem .
Não adianta combater o Mal, afastando-se ou horrorizar-se dele.
Combater o Mal é conhecê-lo dentro de si mesmo e trabalhar com ele pra encontrar a Luz que está
escondida no interior da nossa própria vontade.
Isso é muito duro de falar, mas sem isso é perder tempo.
Se nós não nos dedicarmos a falar a verdade pra nós mesmos uma vez por dia, aquela verdadezinha que
vai doer e que só nós sabemos, aquele segredo que não contamos, mas que o Pai que está em Segredo sabe, o
primeiro passo é parar de se auto enganar.
Fazer essa reflexão diária:
“Deixa eu encarar hoje, faço uma retrospectiva.”

Espero que, quando estou falando essas coisas num nível avançado, vocês traduzam:
“ Ah! Ele está falando daquela prática da Retrospectiva, em que se abordam:
A observação do agregado
A compreensão do agregado
Pedido à Mãe Divina para dissolver o Agregado, liberando a Luz. “

Isso significa o quê?


É a tradução de um processo, para fazer acontecer isso que estou falando para vocês, que é extrair a
Luz de onde ela se encontra: nas Trevas.
Essa é uma opção muito clara para os Mestres de Magia Negra.
“Ah! Eu sou muito bonzinho porque estou no caminho do bem, da Magia Branca. E o outro está no
caminho do mal, na Magia Negra.”
Bobagem, isso.
Magia é magia: a Branca e a Negra. Não estou misturando as coisas.
Deve-se respeitar os Magros do lado de lá, porque eles também merecem respeito.
Fazem o seu trabalho.

“ Ah! Porque tudo é bonito no estudo do Tarot ...”


Mergulhe num segundo nessas Trevas Interiores, hoje à noite.
Sinta o pavor do Demônio, que é você mesmo.
Esse passo muda a vida.
E se fizer hoje, amanhã, depois de amanhã, ... , a Essenciazinha, aquela Monadazinha vai subir.

Quer subir?
Então vá lá para baixo.
Quer sair de Malchuth, quer vir para Tiphereth?
Faça a correspondência:
Existem: jesod, o astral inferior, mental inferior.
Você trabalha aí.

O que você extrai daí, remete para Tiphereth.


Assim, você começa a cristalizar Alma.

É fácil falar isso!

Os deuses, mediante o Fogo, surgem do Abismo e se perdem no Absoluto.

Luz e Trevas são fenômenos do mesmo ----------------- ignoto, profundo, inconcebível para a raça
humana.

O fato de que percebamos mais ou menos a Luz que resplandece nas Trevas, é coisa que depende de
nosso poder de visão espiritual.
91
O Absoluto é Trevas Profundas para os olhos humanos.
E Luz Incriada é terrível para a hierarquia inefável dos Paramarthasatyas .
“O que é Luz para nós, é Trevas para certos insetos.
E o Olho Espiritual vê iluminação ali onde o olho normal só percebe espiritualmente. ”

92

Você também pode gostar