Você está na página 1de 15

FUNDAMENTOS DO DESENVOVIMENTO OBJECTIVE C PARA

APPLE IOS – TP1


Algoritmos

MARCOS ANDRÉ FERREIRA DOS SANTOS JUNIOR

Rio de Janeiro - RJ
Fevereiro - 2016
2

MARCOS ANDRÉ FERREIRA DOS SANTOS JUNIOR

FUNDAMENTOS DO DESENVOVIMENTO OBJECTIVE C PARA


APPLE IOS – TP1
Algoritmos

Trabalho apresentado ao Professor Nabil


Safatli da disciplina Fundamentos do
Desenvolvimento Objective C para Apple iOS
da turma ADS Live turno noite do curso de
Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Instituto Infnet
Rio de Janeiro - 10 de Fevereiro de 2015
3

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ......................................................................................................................... 04

1.1 Objetivo .............................................................................................................. 04


1.2 Justificativa......................................................................................................... 04
1.3 Estrutura do Trabalho ........................................................................................ 05
2 ALGORITMO ........................................................................................................................... 06
2.1 Estruturas Condicionais ..................................................................................... 06
2.2 Estrutura de Repetição ....................................................................................... 07

3 EXEMPLO DE ALGORITMOS UTILIZANDO VISUALG ............................................... 08

2.1 Programa 01 - Calcula a Soma dos Primeirso 50 Números Pares .................... 08


2.2 Programa 02 - Seleciona o Maior Número ........................................................ 12

4 CONCLUSÃO ........................................................................................................................... 14

5 BIBLIOGRAFIA....................................................................................................................... 15
4

1. INTRODUÇÃO

Em tudo o que fazemos existe o princípio da informática, mesmo que a pessoa nunca
tenha usado um computador, o que dificilmente encontramos nos dias atuais, mas mesmo
assim a informática está presente, sendo de forma direta ou indireta.
Na ação mais simples do dia, podemos encontrar traços da informática, sendo um
desses traços o Algoritmo. Mesmo sem saber, quando uma pessoa faz uma tarefa ordenada e
finita, podemos chamar aquela tarefa de algoritmo.
Veremos um pouco mais sobre algoritmos e algumas de suas estruturas a seguir.

1.1 OBJETIVO

Mostrar de forma clara e objetiva os conceitos de algoritmos, utilizando exemplos


para a fixação da informação.

1.2 JUSTIFICATIVA

Para entender melhor o conceito de algoritmo e como ele está diretamente ligado ao
cotidiano das pessoas. Apresentando suas estruturas básicas e seus conceitos para quem
pretende ingressar nos estudos de algoritmos e programação.
5

1.3 ESTRUTURA DO TRABALHO

Este trabalho está dividido em dois capítulos. O primeiro tem como foco apresentar o
conceito de algoritmo e suas estruturas. O segundo capitulo, tem ênfase em exemplificar
algoritmos utilizando o programa Visualg.
6

2. ALGORITMO

Algoritmo é toda e qualquer ação em forma de tarefa, afim de concluir um objetivo.


Contudo, essas ações exigem serem finitas e ordenadas para serem consideradas algoritmo.
Várias ações podem ser retratadas por meio de algoritmos. Varrer a casa, por exemplo:

1. Pegar a vassoura
2. Verificar onde necessita limpar
3. Varrer
4. Passar pano no chão
5. Guardar a vassoura

Seguimos 5 tarefas afim de concluir o objetivo, sendo ordenada, pois existe uma
ordem para ser executada e finita, pois existe um fim no algoritmo.

2.1 ESTRUTURAS CONDICIONAIS

Nas estruturas condicionais podemos realiza a ação, ou não, dependendo da condição


que foi imposta. Ou seja, teremos uma condição, que dependendo se essa condição for
verdadeira ou falsa, executaremos determinada ação. Exemplo:
1. SE a casa estiver suja ENTÃO
 Pegar a vassoura
2. FIM SE
3. Verificar onde necessita limpar
4. Varrer
5. Passar pano no chão
6. Guardar a vassoura
7

Nesse caso, determinamos que iriamos executar a ação se a casa estivesse suja,
então, só depois de fazer essa verificação, veríamos onde necessitaria limpar e seguir com as
outras tarefas até concluir o objetivo.

2.2 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO

As estruturas de repetição, elas repetem a tarefa até ser determinada falsa, assim
continua a executar o algoritmo com as ações seguintes. Vamos utilizar nosso exemplo de
varrer a casa, para exemplificar melhor.

1. SE a casa estiver suja ENTÃO


 Pegar a vassoura
2. FIM SE
3. ENQUANTO o chão estiver sujo FAÇA
 Verificar onde necessita limpar
 Varrer
 Passar pano no chão
4. FIM ENQUANTO
5. Guardar a vassoura

Nesse exemplo, a ação continuará a ser executada até que o chão fique limpo,
quando o chão deixar de estar sujo, a condição deixando de ser verdadeira e tornando-se falsa,
a estrutura de repetição irá parar e continuaremos com a tarefa a seguir.
Vimos até agora duas referências da linguagem de programação. Vimos “Se ...
Então” e “Enquanto ... Faça”, mas essas não são as únicas, existem várias outras com funções
diferentes.
8

3. EXEMPLO DE ALGORITMOS UTILIZANDO VISUALG


3.1 PROGRAMA 01 - CALCULA A SOMA DOS PRIMEIROS 50 NÚMEROS
PARES

CÓDIGO:
Figura 1 - Exemplo de algoritmo no Visualg

Fonte: elaborado pelo autor.


9

EXECUÇÃO:
Figura 2 - Exemplo de algoritmo no Visualg
Fonte: elaborado pelo autor.

Figura 3 - Exemplo de algoritmo no Visualg


Fonte: elaborado pelo autor.
10

A mesma tarefa pode ser escrita de várias maneiras. Exemplo de mais três maneiras
diferentes de fazer essa mesma função:

Figura 4 - Exemplo de algoritmo no Visualg

Fonte: elaborado pelo autor.


11

Figura 5 - Exemplo de algoritmo no Visualg

Fonte: elaborado pelo autor.

Figura 6 - Exemplo de algoritmo no Visualg

Fonte: elaborado pelo autor.


12

3.2 PROGRAMA 02 - SELECIONA O MAIOR NÚMERO

CÓDIGOS:
Figura 7 - Exemplo de algoritmo no Visualg

Fonte: elaborado pelo autor.

Figura 8 - Exemplo de algoritmo no Visualg

Fonte: elaborado pelo autor.


13

EXECUÇÃO:
Figura 9 - Exemplo de algoritmo no Visualg

Fonte: elaborado pelo autor.

Figura 10 - Exemplo de algoritmo no Visualg

Fonte: elaborado pelo autor.


14

4. CONCLUSÃO

Podemos observar deste trabalho, que os algoritmos estão presentes em nossas vidas

mais do que percebemos e que muitas das coisas que fazemos, são algoritmos.

No campo da computação podemos utiliza-los de diversas maneiras, para resolver

desde problemas mais fáceis até problemas mais elaborados e que existem diversas

referências da linguagem de programação.


15

5. BIBLIOGRAFIA

Material da Internet
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL
DO PARANÁ. A linguagem de programação do visualg. Disponível em:
<http://www.eletrica.ufpr.br/~rogerio/visualg/Help/linguagem.htm>. Acesso em: 03
fev. 2016.

APOIO INFORMÁTICA. Referências da linguagem de programação do visualg.


Disponível em: <http://www.apoioinformatica.inf.br/produtos/visualg/item/29-referen
cias-da-linguagem-de-programacao-do-visualg>. Acesso em: 03 fev. 2016.

INSTITUTO INFNET. Algoritmo. Disponível em: <http://lms.infnet.edu.br/moodle/


mod/page/view.php?id=22335>. Acesso em: 03 fev. 2016.