Você está na página 1de 11

DIREITO INTERNACIONAL

Prof. Guilherme Santana

e-mail:
guilhermesantana@elointernet.com.br
2. OBJETO DO DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO:

• REDUZIR A ANARQUIA NA SOCIEDADE


INTERNACIONAL E DELIMITAR COMPETÊNCIAS DE
SEUS MEMBROS;
• REGULAR A COOPERAÇÃO INTERNACIONAL;
• CONFERIR TUTELA ADICIONAL A BENS JURÍDICOS
AOS QUAIS A SOCIEDADE INTERNACIONAL DECIDIU
ATRIBUIR IMPORTÂNCIA;
• SATISFAZER INTERESSES COMUNS DOS ESTADOS;
3. PRINCÍPIOS DE DIREITO INTERNACIONAL
• PRINCÍPIO DA PROIBIÇÃO DO USO DA FORÇA;
• SOLUÇÃO PACÍFICA DAS CONTROVÉRSIAS (DEVE
BUSCAR A ARBITRAGEM, OS MEIOS JURISDICIONAIS);
• NÃO INTERVENÇÃO DOS ASSUNTOS INTERNOS DOS
ESTADOS;
• DEVER DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL (BUSCA PELO
PLENO DESENVOLVIMENTO DA HUMANIDADE);
• IGUALDADE DE DIREITOS E AUTODETERMINAÇÃO DOS
POVOS;
• IGUALDADE SOBERANA DOS ESTADOS;
• BOA-FÉ NO CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES
INTERNACIONAIS;
4. RELAÇÕES ENTRE DIREITO INTERNO E DIREITO INTERNACIONAL:
DIREITO INTERNACIONAL DIREITO INTERNO
DESCENTRALIZADO
PODER (TEORIA)
CENTRALIZADO

HORIZONTAL. VERTICAL.
ESTRUTURA IGUALDADE ENTRE ESTADOS, IMPOSIÇÃO FUNCIONAL ENTRE
PATAMAR HIERÁRQUICO IGUAL. O ESTADO E OS INDIVÍDUOS.

ESTADO E ORGANIZAÇÕES HOMENS E MULHERES


SUJEITOS DE DIREITO INTERNACIONAIS. INDIVÍDUOS.
CONSENTIMENTO
IMPOSIÇÃO.
VOLUNTÁRIO.

COORDENAÇÃO. SUBORDINAÇÃO.
CONSENSO COLETIVO. PIRÂMIDE KELSINIANA.
NORMA ABRANGENTE. LEI MAIOR: CONST.
ATRAIR ESTADOS. NORMAS FUNDAMENTAIS.
NORMAS

CRIADAS PELOS DESTINATÁRIOS


- OS PRÓPRIOS ESTADOS SERÃO CRIADAS POR REPRESENTANTES
PARTES DA ELABORAÇÃO DE ELEITOS PELO POVO.
NORMAS.
5. CONFLITOS DE NORMAS INTERNAS E INTERNACIONAL
5.1 TEORIA DUALISTA: SUSTENTA QUE O DIREITO
INTERNO E INTERNACIONAL FORMAM DUAS ORDENS
DISTINTAS, SEPARADAS, INDEPENDENTES E
INCONFUNDÍVEIS;
- O DIREITO DAS GENTES NÃO OPERA NO INTERIOR DE
QUALQUER ESTADO SENÃO DEVIDAMENTE
RECEPCIONADO PELO DIREITO INTERNO;
- O DIREITO INTERNACIONAL REGULAS AS RELAÇÕES
ENTRE OS ESTADOS E AS ORGANIZAÇÕES
INTERNACIONAIS;
- DIREITO INTERNO É RESULTADO DA VONTADE INTERNA
DO ESTADO, O DIREITO INTERNACIONAL É RESULTADO
DA CONTADE COLETIVA DOS ESTADOS;
5. CONFLITOS DE NORMAS INTERNAS E INTERNACIONAL

PROBLEMAS DA TEORIA DUALISTA:


§ DIREITO INTERNO E INTERNACIONAL DISTINTOS;
§ NÃO NECESSIDADE DE CUMPRIMENTO DE
TRATADOS NO ÂMBITO INTERNO;
§ O ESTADO QUE ADOTA A TEORIA PERDE
CREDIBILIDADE INTERNACIONAL;
5. CONFLITOS DE NORMAS INTERNAS E INTERNACIONAL
5.2 TEORIA MONISTA: APENAS UMA ORDEM
JURÍDICA COORDENADA. RAMOS DE UM MESMO
SISTEMA JURÍDICO. RATIFICAÇÃO DO TRATADO
INCORPORA NORMAS NO SISTEMA JURÍDICO
INTERNO;
MONISMO INTERNACIONALISTA MONISMO NACIONALISTA

O PRIMADO DO DIREITO NACIONAL DE


CADA ESTADO SOBERANO SOB ÓTICA
UNIDADE DA ORDEM JURÍDICA SOB O
DOS PRECEITOS DE DIREITO
PRIMADO DO DIREITO INTERNACIONAL.
INTERNACIONAL FACULDADE
DISCRICIONÁRIA.
5. CONFLITOS DE NORMAS INTERNAS E INTERNACIONAL

- OS PRINCÍPIOS DOS DIREITOS DAS GENTES DEVEM SER


OBSERVADOS PARA CONVIVÊNCIA NO CENÁRIO INTERNACIONAL;
OBS: PARECER DE 1930 DA CORTE PERMANENTE DE JUSTIÇA
INTERNACIONAL (ANTECESSORA DA CORTE INTERNACIONAL DE
JUSTIÇA) “É PRINCÍPIO GERALMENTE RECONHECIDO DO DIREITO
INTERNACIONAL, QUE NAS RELAÇÕES ENTRE POTÊNCIAS
CONTRATANTES DE UM TRATADO AS DISPOSIÇÕES DE UMA LEI
INTERNA NÃO PODEM PREVALECER SOBRE UM TRATADO.
• CONVENÇÃO DE VIENASOBRE DIREITO DOS TRATADOS DE 1969:
- CODIFICAR OS COSTUMES INTERNACIONAIS REFERENTES AOS
TRATADOS VIGENTES NA SOCIEDADE INTERNACIONAL NO PÓS 2ª
GUERRA MUNDIAL;
- ART. 27. UMA PARTE NÃO PODE INVOCAR AS DISPOSIÇÕES DE SEU
DIREITO INTERNO PARA JUSTIFICAR O INADIMPLEMENTO DE UM
TRATADO. ESTA REGRA NÃO PREJUDICA O ART. 46.
CONFLITO ENTRE O DIREITO INTERNACIONAL E O DIREITO INTERNO

RADICAL – A NORMA INTERNACIONAL


NECESSITA DE UMA LEI NACIONAL PARA
DUALISMO: EXISTEM DUAS ORDENS PRODUZIR EFICÁCIA NO ÂMBITO
JURÍDICAS QUE NÃO POSSUEM INTERNO;
INTERSEÇÃO E NÃO SE COMUNICAM. OS MODERADO – A NORMA
ORDENAMENTOS JURÍDICOS SÃO INTERNACIONAL DEVE SER ANALISADA
INDEPENDENTES E AUTÔNOMOS. PELO PODER LEGISLATIVO E
REFERENDADA PELO CHEFE DO
EXECUTIVO;

INTERNACIONALISTA – HÁ A
SUPREMACIA DO DIREITO
MONISMO: EXISTE UM ÚNICO INTERNACIONAL SOBRE O INTERNO;
ORDENAMENTO JURÍDICO. DEFENDE A
UNICIDADE ENTRE ORDENAMENTOS NACIONALISTA – PREVALECE O DIREITO
INTERNACIONAL E INTERNO. INTERNO EM DETRIMENTO DO DIREITO
INTERNACIONAL, SOMENTE APLICADO
QUANDO DA VONTADE DO ESTADO
SOBERANO;
5. CONFLITOS DE NORMAS INTERNAS E INTERNACIONAL
• BRASIL:
- ART. 5º.
(...)
§2º OS DIREITOS E GARANTIAS EXPRESSOS NESTA CONSTITUIÇÃO NÃO EXCLUEM
OUTROS DECORRENTES DO REGIME E DOS PRINCÍPIOS POR ELA ADOTADOS, OU
DOS TRATADOS INTERNACIONAIS EM QUE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL
SEJA PARTE.
§3º OS TRATADOS E CONVENÇÕES INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS
QUE FOREM APROVADOS, EM CADA CASA DO CONGRESSO NACIONAL, EM DOIS
TURNOS, POR TRÊS QUINTOS DOS VOTOS DOS RESPECTIVOS MEMBROS, SERÃO
EQUIVALENTES ÀS EMENDAS CONSTITUCIONAIS.
§4.º O BRASIL SE SUBMETE À JURISDIÇÃO DE TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL A
CUJA CRIAÇÃO TENHA MANIFESTADO ADESÃO.
- ART. 49. É DA COMPETÊNCIA EXCLUSIVA DO CONGRESSO NACIONAL:
I - RESOLVER DEFINITIVAMENTE SOBRE TRATADOS, ACORDOS OU ATOS
INTERNACIONAIS QUE ACARRETEM ENCARGOS OU COMPROMISSOS GRAVOSOS
AO PATRIMÔNIO NACIONAL;
- ART. 84. COMPETE PRIVATIVAMENTE AO PRESIDENTE DA REPÚBLICA:
(...)
VIII - CELEBRAR TRATADOS, CONVENÇÕES E ATOS INTERNACIONAIS, SUJEITOS A
REFERENDO DO CONGRESSO NACIONAL;
5. CONFLITOS DE NORMAS INTERNAS E INTERNACIONAL
• BRASIL:
PAULO PORTELA:
A) DUALISMO MODERADO – NECESSIDADE DE PROCEDIMENTO ESPECÍFICO INTERNO, DIFERENTE
DO PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO, PARA INTERNALIZAÇÃO DE NORMA INTERNACIONAL,
COMO REFERENDO DO CONGRESSO NACIONAL E A RATIFICAÇÃO DO CHEFE DE ESTADO;
B) MONISMO NACIONALISTA – EM CASO DE CONFLITO ENTRE A NORMA INTERNACIONAL QUE
NÃO SEJA SOBRE OS DIREITOS HUMANOS EQUIPARADA POR EMENDA CONSTITUCIONAL,
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PREVALECERÁ;
OBS: STF – INTERNATIONAL LAW IS PART OF THE LAW OF THE LAND;
OBS2: RE 80.004/SE CONVENÇÃO DE GENEBRA, LEI UNIFORME SOBRE LETRAS DE ÂMBIO E NOTAS
PROMISSÓRIAS – DEC. LEI N.º 427/69 REGISTRO OBRIGATÓRIO DA NOTA PROMISSÓRIA EM
REPARTIÇÃO FAZENDÁRIA (NULIDADE DO TÍTULO) – MONISMO MODERADO – TRATADO EM
PATAMAR HORIZONTAL COM LEIS ORDINÁRIAS;
OBS3: MONISMO MODERADO UMA VEZ A NORMA INTERNALIZADA, ELA ASSUME CARÁTER DE
HORIZONTALIDADE COM AS DEMAIS LEIS ORDINÁRIAS – EXCEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS (EC
45/2004);
OBS4: CONVENÇÃO INTERNACIONAL SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS, NY,
2007, TRATADO DE MARRAQUECHE – FACILITAR O ACESSO A OBRAS IMPRESSAS, PESSOAS COM
DEFICIÊNCIAS VISUAIS;
OBS5: NÃO CONSAGRA O PRINCÍPIO DO EFEITO DIRETO – DUALISMO MODERADO – DECRETO DO
EXECUTIVO: A) PROMULGAÇÃO DO TRATADO INTERNACIONAL; B) PUBLICAÇÃO OFICIAL DO
TEXTO; C) EXECUTORIEDADE DO ATO INTERNACIONAL – STF;
OBS6: NORMA SUPRALEGAL (ART.5.º § 2º) – DEPOSITÁRIO INFIEL – PACTO SÃO JOSÉ DA COSTA
RICA – HIERARQUIA INTERMEDIÁRIA;