Você está na página 1de 25

CESB

SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA


LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS
1º ano E.M.

1) Paulo mora em Natal; Ana, em Fortaleza; Carlos, em Teresina. Antes de saírem de casa, essas pessoas resolveram

consultar o mapa meteorológico a seguir, publicado em um jornal diário, para saber se deveriam ou não levar um

guarda-chuva.

De acordo com o mapa, deverá(ão) usar guarda-chuva:

a) apenas Paulo.
b) Paulo e Ana.
c) apenas Carlos.
d) Carlos e Ana.
e) apenas Ana.

2) O pintor Cândido Torquato Portinari (Brodowski, 29 de dezembro de 1903 - Rio de Janeiro, 6 de fevereiro de 1962)

representou em seus quadros muitos problemas sociais do Brasil de sua época. O quadro Café faz uma

representação exagerada dos pés e das mãos dos trabalhadores. Tal exagero cumpre a função de sugerir que os

trabalhadores:
a) ganhavam pouco pelos serviços prestados.
b) usavam muita força física no trabalho rural.
c) plantavam e colhiam para seu próprio benefício.
d) eram solidários na divisão do trabalho.
e) eram na sua maioria escravos.

3) As crianças do interior do Brasil se vestem de anjos para comparecer às procissões e às festas da Igreja Católica.

A pintora Tarsila do Amaral reproduz, no quadro Anjos, uma dessas cenas, onde se veem rostos amorenados,
representando, com isso, a:

a) pobreza do mundo religioso.


b) tristeza do povo religioso.
c) mistura de povos no Brasil.
d) variedade de crenças no Brasil.
e) pouca religiosidade do povo brasileiro.

4) “Cinto de segurança também no banco de trás. Proteja a vida de quem


você ama.”
Considerando esse texto como parte de uma campanha educativa, pode-se afirmar que a função principal dele é:

a) narrar.
b) descrever.
c) relatar.
d) convencer.
e) desestimular.
5) Leia o texto:
Canteiros

E eu ainda sou bem moço


para tanta tristeza,
Deixemos de coisa,
cuidemos da vida,
Senão chega a morte
Ou coisa parecida
E nos arrasta moço, Sem ter visto a vida.
MEIRELES, Cecília. Canteiros. In: Raimundo Fagner ao vivo. Ed. Warner Chappel, 2000.

Ao longo da sua carreira, o compositor e intérprete Fagner acrescentou música ao poema Canteiros, de Cecília
Meireles, associando duas manifestações artísticas. Com isso, o compositor:

a) prestigiou tanto a literatura quanto a música popular.


b) divulgou a temática das belezas naturais do Nordeste.
c) valorizou aspectos ainda pouco conhecidos da história do país.
d) prejudicou o valor literário do poema na medida em que o popularizou.
e) empobreceu seu repertório.

6) Analise a imagem:

O código de barras, presente em embalagens, tem várias finalidades de informação. Uma delas é permitir às
empresas:

a) controlar o estoque dos produtos.


b) atrair os consumidores.
c) ocultar os preços dos produtos.
d) fazer propaganda dos produtos.
e) fornecer informações sobre a validade do produto.

7) O empresário moderno não demite mais, faz um "downsizin", ou redimensionamento para baixo, em sua empresa.

O empregado pode dizer em casa que não perdeu o emprego, foi "downsizeado", e ainda impressionar os vizinhos.
VERISSIMO, Luis Fernando. O Estado de S. Paulo.

A partir da leitura do texto, pode-se dizer que o autor:

a) divulga o emprego de palavras estrangeiras.


b) ironiza a substituição de palavras em português por palavras estrangeiras.
c) explica que os patrões devem falar de modo incompreensível.
d) critica os empregados que usam palavras estrangeiras.
e) não se posiciona quanto ao uso cotidiano dos estrangeirismos na língua portuguesa.
8) Morfologia é a parte responsável pelo estudo das classes de palavras.
Observe o trecho abaixo e assinale a alternativa CORRETA:

“A população brasileira precisa conhecer a complexidade da subalimentação


e a necessidade humana de alimentos e combater a fome sob todos os ângulos. Ao mesmo tempo,
deve estar atenta para que o programa “Fome Zero” não se transforme em uma solução simplista
e paternalista.”

a) As palavras população e necessidade estão empregadas como substantivos.


b) As palavras programa e solução são adjetivos derivados.
c) As palavras precisa e necessidade são verbos.
d) No trecho o “a” apareceu quatro vezes empregado como preposição
e) As palavras brasileira e complexidade são adjetivos.

9) O substantivo varia em gênero (masculino e feminino), número (singular e plural) grau (aumentativo e diminutivo). De
acordo com o que você estudou assinale a alternativa correta referente ao plural dos substantivos: pão-de-ló, couve-flor e
sexta-feira.

a) pães-de-ló, couves-flores, sextas-feiras.


b) Pães-de-lós, couves-flor, sexta-feiras.
c) Pães-de-lós, couve-flores. sexta-feiras.
d) Pães-de-ló, couves-flor, sextas-feira.
e) pão-de-ló, couve-flor, sexta-feira.

10) Assinale a alternativa em que o termo em destaque desempenha a função de um substantivo:

a) Ele é um menino excelente.


b) É uma palavra difícil.
c) Numa disputa, se aceita até boas brincadeiras.
d) Este envelope está sujo.
e) O coitado está se queixando da esposa com toda razão.

11) Leia a notícia:


O comércio eletrônico deve faturar R$ 140 milhões com o Dia das Mães (...). O valor representa aumento de 50% em relação
aos R$ 92 milhões registrados no ano passado. Os R$ 140 milhões referem-se às vendas realizadas entre 29 de abril e 13
de maio. A lista de produtos favoritos é composta de CDs, livros, câmeras digitais e telefones celulares.
Folha Online Informática.

Com base nas informações oferecidas no texto, é correto afirmar que:

a) os produtos mais vendidos para o Dia das Mães foram os do setor de vestuário.
b) o comércio eletrônico vem despertando maior interesse na população.
c) os consumidores preferem comprar eletrodomésticos pela Internet.
d) o comércio pela Internet sofreu declínio.
e) o comércio eletrônico vendeu 50% a mais que o comércio em lojas no Dia das Mães.

12) Leia a letra da música Ronda, que canta a desventura de um amor não mais correspondido:
Ronda - Desiste, essa busca é inútil.
Eu não desistia...
De noite eu rondo a cidade Porém, com perfeita paciência
A te procurar sem encontrar Sigo a te buscar; hei de encontrar
No meio de olhares espio Bebendo com outras mulheres,
em todos os bares Rolando um dadinho, jogando bilhar
Você não está E nesse dia então vai dar na
Volto pra casa abatida primeira edição:
Desencantada da vida "Cena de sangue num bar da
O sonho alegria me dá - avenida São João."
nele você está. VANZOLINI, Paulo. In: MARLENE. Te pego pela palavra. Odeon
Ah, se eu tivesse quem bem n. SMOFB 3855, 1974. L.I.
me quisesse
Esse alguém me diria:
Dizem que ódio e amor são sentimentos muito próximos um do outro e que pessoas que se amam podem um dia se
odiar, pois a linha que os separa é muito frágil. Identifique o par de versos que exprime esse argumento popular.

a) "De noite eu rondo a cidade


A te procurar sem encontrar"

b) "Cena de sangue num bar da


avenida São João."

c) "Volto pra casa abatida


Desencantada da vida"

d) "- Desiste, essa busca é inútil.


Eu não desistia..."

e) "Porém, com perfeita paciência


Sigo a te buscar; hei de encontrar"

13) Leia o texto:


Cunhantã

Vinha do Pará
Chamava Siquê.
Quatro anos. Escurinha. O riso gutural da raça.
Piá branca nenhuma corria mais do que ela.
Tinha uma cicatriz no meio da testa:
- Que foi isso Siquê?
Com voz de detrás da garganta, a boquinha tuíra:
- Minha mãe (a madrasta) estava costurando
Disse vai ver se tem fogo
Eu soprei eu soprei eu soprei não vi fogo
Aí ela se levantou e esfregou com minha cabeça na brasa

Riu, riu, riu...

Uêrêquitáua.
O ventilador era a coisa que roda.
Quando se machucava, dizia: Ai Zizus!
BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

O diminutivo escurinha, empregado na primeira estrofe para caracterizar Siquê, expressa:

a) agressividade.
b) ironia.
c) carinho.
d) indiferença.
e) preconceito.

14) Leia o texto


Os amigos F. V. S., 17 anos, M. J. S., 18 anos, e J. S., 20 anos, moradores de Bom Jesus, cidade paraibana na divisa com o
Ceará, trabalham o dia inteiro nas roças de milho e feijão. "Não ganhamos salário, é 'de meia'. Metade da produção fica para
o dono da terra e metade para a gente."
Folha de S. Paulo.

Os jovens conversam com o repórter sobre sua relação de trabalho. Utilizam a expressão de meia e, logo em
seguida, explicam o que isso significa. Ao dar a explicação, eles:

a) alteram o sentido da expressão.


b) consideram que o repórter talvez não conheça aquele modo de falar.
c) dificultam a comunicação com o repórter.
d) desrespeitam a formação profissional do repórter.
e) demonstram não ter conhecimento da expressão.

15) (ITA-SP) – O plural de terno azul-claro e terno verde-mar é:

a) ternos azuis-claros; ternos verdes-mares


b) ternos azuis-claros; ternos verde-mares
c) ternos azul-claro; ternos verde-mar
d) ternos azul-claros; ternos verde-mar
e) ternos azuis-claros; ternos verde-mar

16) EFOA-MG – “...onde predomina o corte de cabelo afro-oxigenado.” A concordância do adjetivo destacado acima com o
substantivo a que se refere manteve-se correta em:

a) cabelos afros-oxigenados
b) cabeleiras afras-oxigenadas
c) cabelos afros-oxigenados
d) cabeleiras afra-oxigenadas
e) cabelos afro-oxigenados

17) (Cesgranrio – RJ) – Assinale a opção em que todos os vocábulos formam o plural em ões ( botão/botões):

a) balão, irmão, tubarão


b) eleição, canção, opinião
c) confissão, nação, cristão
d) limão, cidadão, pagão
e) questão, alemão, operação.

18) (FESP – SP) Assinale a alternativa que contenha substantivos, respectivamente, abstrato, concreto e concreto:

a) fada, fé, menino.


b) fé, fada, beijo.
c) beijo, fada, menino.
d) amor, pulo, menino.
e) menino, amor, pulo.

19)
Antigamente
Acontecia o indivíduo apanhar constipação; ficando perrengue, mandava o próprio chamar o doutor e, depois, ir à botica para
aviar a receita, de cápsulas ou pílulas fedorentas. Doença nefasta era a phtísica, feia era o gálico. Antigamente, os sobrados
tinham assombrações, os meninos, lombrigas (...)
Carlos Drummond de Andrade. Poesia completa e prosa.
Rio de Janeiro: Companhia José Aguilar, p. 1.184.
O texto acima está escrito em linguagem de uma época passada. Observe uma outra versão, em linguagem atual.

Antigamente
Acontecia o indivíduo apanhar um resfriado; ficando mal, mandava o próprio chamar o doutor e, depois, ir à farmácia para
aviar a receita, de cápsulas ou pílulas fedorentas. Doença nefasta era a tuberculose, feia era a sífilis. Antigamente, os
sobrados tinham assombrações, os meninos, vermes (...)

Comparando-se esses dois textos, verifica-se que, na segunda versão, houve mudanças relativas a:

A) vocabulário.
(B) construções sintáticas.
(C) pontuação.
D) fonética.
E) regência verbal.

20) (VUNESP) No trecho: "...dão um jeito de mudar o mínimo para continuar mandando o máximo", a figura de
linguagem presente é chamada:

a) metáfora
b) hipérbole
c) hipérbato
d) anáfora
e) antítese
21) (PUC - SP) Nos trechos: "...nem um dos autores nacionais ou nacionalizados de oitenta pra lá
faltava nas estantes do major" e "...o essencial é achar-se as palavras que o violão pede e deseja" encontramos,
respectivamente, as seguintes figuras de linguagem:

a) prosopopéia e hipérbole;
b) hipérbole e metonímia;
c) perífrase e hipérbole;
d) metonímia e eufemismo;
e) metonímia e prosopopéia.

22)

Pela resposta do Garfield, as coisas que acontecem no mundo são

(A) assustadoras.
(B) corriqueiras.
(C) curiosas.
(D) naturais.
(E ) normais.

23)
O namoro na adolescência

Um namoro, para acontecer de forma positiva, precisa de vários ingredientes: a começar pela família, que não seja muito
rígida e atrasada nos seus valores, seja conversável, e, ao mesmo tempo, tenha limites muito claros de comportamento. O
adolescente precisa disto, para se sentir seguro. O outro aspecto tem a ver com o próprio adolescente e suas condições
internas, que determinarão suas necessidades e a própria escolha. São fatores inconscientes, que fazem com que a
Mariazinha se encante com o jeito tímido do João e não dê pelota para o herói da turma, o Mário. Aspectos situacionais,
como a relação harmoniosa ou não entre os pais do adolescente, também influenciarão o seu namoro. Um relacionamento
em que um dos parceiros vem de um lar em crise é, de saída, dose de leão para o outro, que passa a ser utilizado como
anteparo de todas as dores e frustrações.
Geralmente, esta carga é demais para o outro parceiro, que também enfrenta suas crises pelas próprias condições de
adolescente. Entrar em contato com a outra pessoa, senti-la, ouvi-la, depender dela afetivamente e, ao mesmo tempo, não
massacrá-la de exigências, e não ter medo de se entregar, é tarefa difícil em qualquer idade. Mas é assim que começa este
aprendizado de relacionar-se afetivamente e que vai durar a vida toda.

SUPLICY, Marta. A condição da mulher. São Paulo: Brasiliense, 1984.

Para um namoro acontecer de forma positiva, o adolescente precisa do apoio da família.


O argumento que defende essa idéia é:

(A) a família é o anteparo das frustrações.


(B) a família tem uma relação harmoniosa.
(C) o adolescente segue o exemplo da família.
(D) o apoio da família dá segurança ao jovem.
(E) a família conhece a condição interna do adolescente.
24) A assembléia dos ratos
Um gato de nome Faro-Fino deu de fazer tal destroço na rataria duma casa velha que os sobreviventes, sem ânimo de sair
das tocas, estavam a ponto de morrer de fome. Tornando-se muito sério o caso, resolveram reunir-se em assembléia para o
estudo da questão. Aguardaram para isso certa noite em que Faro-Fino andava aos miados pelo telhado, fazendo sonetos à
lua.
— Acho – disse um deles - que o meio de nos defendermos de Faro-Fino é lhe atarmos um guizo ao pescoço. Assim que ele
se aproxime, o guizo o denuncia e pomo-nos ao fresco a tempo.
Palmas e bravos saudaram a luminosa idéia. O projeto foi aprovado com delírio. Só votou contra um rato casmurro, que
pediu a palavra e disse:
— Está tudo muito direito. Mas quem vai amarrar o guizo no pescoço de Faro-Fino?
Silêncio geral. Um desculpou-se por não saber dar nó. Outro, porque não era tolo.
Todos, porque não tinham coragem. E a assembléia dissolveu-se no meio de geral consternação.
Dizer é fácil - fazer é que são elas!

LOBATO, Monteiro. in Livro das Virtudes – William J. Bennett – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995. p. 308.

Na assembléia dos ratos, o projeto para atar um guizo ao pescoço do gato foi:

(A) aprovado com um voto contrário.


(B) aprovado pela metade dos participantes.
(C) negado por toda a assembléia.
(D) negado pela maioria dos presentes.
(E) aprovado por todos.

25)

No terceiro quadrinho, os pontos de exclamação reforçam idéia de

(A) comoção.
(B) contentamento.
(C) desinteresse.
(D) surpresa.
(E) solidariedade.

26) Mente quieta, corpo saudável

A meditação ajuda a controlar a ansiedade e a aliviar a dor? Ao que tudo indica, sim. Nessas duas áreas os cientistas
encontraram as maiores evidências da ação terapêutica da meditação, medida em dezenas de pesquisas. Nos últimos 24
anos, só a clínica de redução do estresse da Universidade de Massachusetts monitorou 14 mil portadores de câncer, aids,
dor crônica e complicações gástricas. Os técnicos descobriram que, submetidos a sessões de meditação que alteraram o
foco da sua atenção, os pacientes reduziram o nível de ansiedade e diminuíram ou abandonaram o uso de analgésicos.
Revista Superinteressante, outubro de 2003

O texto tem por finalidade

(A) criticar.
(B) conscientizar.
(C) denunciar.
(D) informar.
(E) narrar.
27)

O que torna o texto engraçado é que

(A) a aluna é uma formiga.


(B) a aluna faz uma pechincha.
(C) a professora dá um castigo.
(D) a professora fala “XIS” e “CÊ AGÁ”.
(E) o texto não é engraçado.

28) Bula de remédio

VITAMINA

COMPRIMIDOS

embalagens com 50 comprimidos

COMPOSIÇÃO
Sulfato ferroso .................... 400 mg
Vitamina B1 ........................ 280 mg
Vitamina A1 ........................ 280 mg
Ácido fólico ......................... 0,2 mg
Cálcio F .............................. 150 mg

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

O produto, quando conservado em locais frescos e bem ventilados, tem validade de 12 meses.
É conveniente que o médico seja avisado de qualquer efeito colateral.

INDICAÇÕES
No tratamento das anemias.

CONTRA-INDICAÇÕES
Não deve ser tomado durante a gravidez.

EFEITOS COLATERAIS
Pode causar vômito e tontura em pacientes sensíveis ao ácido fólico da fórmula.

POSOLOGIA
Adultos: um comprimido duas vezes ao dia. Crianças: um comprimido uma vez ao dia.

LABORATÓRIO INFARMA S.A.


Responsável - Dr. R. Dias Fonseca

CÓCCO, Maria Fernandes; HAILER, Marco Antônio. Alp Novo: análise, linguagem e pensamento. São Paulo: FTD, 1999. v.
2, p. 184.
No texto, a palavra COMPOSIÇÃO indica:

(A) as situações contra-indicadas do remédio.


(B) as vitaminas que fazem falta ao homem.
(C) os elementos que formam o remédio.
(D) os produtos que causam anemias.
(E) as maneiras de evitar os efeitos colaterais.

29)
RETRATO

Eu não tinha este rosto de hoje,


assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,


tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,


Tão simples, tão certa, tão fácil:
— Em que espelho ficou perdida
a minha face?

O tema do texto é

(A) a consciência súbita sobre o envelhecimento.


(B) a decepção por encontrar-se já fragilizada.
(C) a falta de alternativa face ao envelhecimento.
(D) a recordação de uma época de juventude.
(E) a revolta diante do espelho.

30)
TELEVISÃO
Televisão é uma caixa de imagens que fazem barulho.
Quando os adultos não querem ser incomodados, mandam as crianças ir assistir à televisão.
O que eu gosto mais na televisão são os desenhos animados de bichos.
Bicho imitando gente é muito mais engraçado do que gente imitando gente, como nas telenovelas.
Não gosto muito de programas infantis com gente fingindo de criança.
Em vez de ficar olhando essa gente brincar de mentira, prefiro ir brincar de verdade com meus amigos e amigas.
Também os doces que aparecem anunciados na televisão não têm gosto de coisa alguma porque ninguém pode comer uma
imagem.
Já os doces que minha mãe faz e que eu como todo dia, esses sim, são gostosos.
Conclusão: a vida fora da televisão é melhor do que dentro dela.

O trecho em que se percebe que o narrador é uma criança é:

(A) “Bicho imitando gente é muito mais engraçado do que gente imitando gente, como nas telenovelas.”
(B) “Em vez de ficar olhando essa gente brincar de mentira, prefiro ir brincar de verdade...”
(C) “Quando os adultos não querem ser incomodados, mandam as crianças ir assistir à televisão.”
(D) “Também os doces que aparecem anunciados na televisão não têm gosto de coisa alguma...”
(E) “Televisão é uma caixa de imagens que fazem barulho”
CESB
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA
LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS
2º ano E.M.

1) Leia o texto:
Gripe aviária

Dois compadres estavam de prosa vendo a vida passar...


- Cumpadre, você viu que perigo essa gripe aviária? Tão matando todas as galinhas.
- Vi não, mas onde que tá dando isso?
- Na Ásia, cumpadre.
- Vixe, bem na parte que eu mais gosto!

Pirandello, um estudioso do humor, afirma que o efeito cômico acontece no momento em que o indivíduo tem uma
sensação de estranhamento diante de um fato curioso.
Tendo isso em mente, leia as afirmações a seguir.

I. O diálogo lido apresenta variante linguística desvinculada da norma padrão da língua, o que torna impossível a
compreensão da piada.

II. O texto é cômico porque, ao mesmo tempo em que um dos interlocutores se referia às aves, o outro estava pensando na
localização geográfica do problema citado.

III. A comicidade do texto aparece no momento em que o leitor percebe a relação estabelecida entre a palavra "aviária" e o
sistema "viário" (conjunto de estradas).

Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s):

a) I e III, apenas.
b) II e III, apenas.
c) I, apenas.
d) II, apenas.
e) I, II e III.

2) Leia o texto:
Novos provérbios

Quem não deve não treme.


Quem tudo quer tudo pede.
Um dia a caspa cai.
NUNES, Max. O pescoço da girafa. São Paulo: Cia. das Letras, 1997, p. 37.

Marque a única afirmação correta em relação ao texto lido.

a) O autor, somente por meio da inclusão de um fonema em uma palavra de cada frase, altera o sentido tradicional dos
provérbios.

b) Percebe-se que a intenção do autor é citar, ou seja, transcrever literalmente as palavras dos provérbios conhecidos, com a
intenção de endossar as ideias presentes neles.

c) Pode-se afirmar que o autor reproduziu os provérbios, por meio de suas palavras, mantendo as ideias originais.

d) Observa-se que o autor apropria-se de outro texto na construção de um novo, que inverte o sentido do texto original, tendo
como intuito criticar a cultura popular.

e) O texto lido é uma paródia, já que utiliza provérbios conhecidos para criar novos, a fim de gerar humor.
3) Leia a letra da música Ronda, que canta a desventura de um amor não mais correspondido:
Ronda

De noite eu rondo a cidade


A te procurar sem encontrar
No meio de olhares espio
em todos os bares
Você não está
Volto pra casa abatida
Desencantada da vida
O sonho alegria me dá -
nele você está.
Ah, se eu tivesse quem bem
me quisesse
Esse alguém me diria:
- Desiste, essa busca é inútil.
Eu não desistia...
Porém, com perfeita paciência
Sigo a te buscar; hei de encontrar
Bebendo com outras mulheres,
Rolando um dadinho, jogando bilhar
E nesse dia então vai dar na
primeira edição:
"Cena de sangue num bar da
avenida São João."
VANZOLINI, Paulo. In: MARLENE. Te pego pela palavra.
Odeon n. SMOFB 3855, 1974. L.I.

Dizem que ódio e amor são sentimentos muito próximos um do outro e que pessoas que se amam podem um dia se
odiar, pois a linha que os separa é muito frágil. Identifique o par de versos que exprime esse argumento popular.

a) "De noite eu rondo a cidade


A te procurar sem encontrar"

b) "Cena de sangue num bar da


avenida São João."

c) "Volto pra casa abatida


Desencantada da vida"

d) "- Desiste, essa busca é inútil.


Eu não desistia..."

e) "Porém, com perfeita paciência


Sigo a te buscar; hei de encontrar"

4) Leia o seguinte aviso colocado em uma empresa.


O aviso pode ser interpretado pelos funcionários como:

a) uma consulta sobre a mudança de horários.


b) uma ordem a ser cumprida.
c) uma ideia a ser discutida.
d) um questionamento sobre a disponibilidade dos funcionários.
e) um pedido de colaboração.

5) Leia o texto
Os amigos F. V. S., 17 anos, M. J. S., 18 anos, e J. S., 20 anos, moradores de Bom Jesus, cidade paraibana na divisa com o
Ceará, trabalham o dia inteiro nas roças de milho e feijão. "Não ganhamos salário, é 'de meia'. Metade da produção fica para
o dono da terra e metade para a gente."
Folha de S. Paulo.

Os jovens conversam com o repórter sobre sua relação de trabalho. Utilizam a expressão de meia e, logo em
seguida, explicam o que isso significa. Ao dar a explicação, eles:

a) alteram o sentido da expressão.


b) consideram que o repórter talvez não conheça aquele modo de falar.
c) dificultam a comunicação com o repórter.
d) desrespeitam a formação profissional do repórter.
e) demonstram não ter conhecimento da expressão.

6) Em nosso país, o voto é obrigatório para todos os cidadãos que têm entre 18 e 70 anos.
Assinale a alternativa que apresenta uma ideia contrária ao voto obrigatório.

a) Impelir o cidadão a votar é procurar tutelar a democracia, é tentar brecar seu desenvolvimento. (...) Por isso, me animo a
dizer que é tão importante votar para escolher alguém que possa levar a sério a política quanto dar liberdade ao cidadão de
não votar, de não ir às urnas.

b) ... a partir de amanhã, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) volta a veicular a campanha "Se Liga, 16! -
Exercite a Cidadania", em rede nacional de televisão, para estimular o alistamento eleitoral juvenil.

c) Estar em situação irregular junto à Justiça Eleitoral acarreta uma série de restrições, como não poder tirar passaporte,
prestar concursos públicos e frequentar universidades estatais.

d) O voto é facultativo para os jovens entre 16 e 18 anos, os maiores de 70 anos e os analfabetos. Poderá votar quem fizer
16 anos até outubro.

e) Antes que um dever, o voto é um direito do cidadão brasileiro. Comparecer às urnas é exercitar a cidadania em um
ambiente democrático.

7) Leia o texto

A questão é começar

“Coçar e comer é só começar. Conversar e escrever também. Na fala, antes de iniciar, mesmo uma livre conversação,
é necessário quebrar o gelo. Em nossa civilização apressada , o ‘bom-dia’, o ‘boa-tarde, como vai?’ já não funcionam para
engatar conversa. Qualquer assunto servindo, fala-se do tempo ou de futebol.”

MARQUES, MO. Escrever é preciso. Ijuí: Unijuí, 1997 .p. 13.


(PUC_SP) Este texto faz referência à função de linguagem cuja meta é “quebrar o gelo”. Que função é essa?

a) função emotiva
b) função conativa
c) função fática
d) função referencial
e) função poética

8)

As linhas nas duas figuras geram um efeito que se associa ao seguinte ditado popular:

A) Os últimos serão os primeiros.


B) Os opostos se atraem.
C) Quem espera sempre alcança.
D) As aparências enganam.
E) Quanto maior a altura, maior o tombo.

9)

Aula de português
A linguagem
na ponta da língua,
tão fácil de falar
e de entender.

A linguagem
na superfície estrelada de letras,
sabe lá o que ela quer dizer?

Professor Carlos Góis, ele é quem sabe,


e vai desmatando
o amazonas de minha ignorância.
Figuras de gramática, esquipáticas,
atropelam-me, aturdem-me, seqüestram-me.

Já esqueci a língua em que comia,


em que pedia para ir lá fora,
em que levava e dava pontapé,
a língua, breve língua entrecortada
do namoro com a prima.

O português são dois; o outro mistério.

Carlos Drummond de Andrade


Explorando a função emotiva da linguagem, o poeta expressa o contraste entre marcas de
variação de usos da linguagem em:

A) situações formais e informais.


B) diferentes regiões do país.
C) escolas literárias distintas.
D) textos técnicos e poéticos.
E) diferentes épocas.

10)
11)
12) (FUND. UNIV. RIOGRANDE) Marque a afirmativa correta:

a) O Parnasianismo caracterizou-se, no Brasil, pela busca da perfeição formal na poesia.


b) O Parnasianismo determinou o surgimento de obras de tom marcadamente coloquial.
c) O Parnasianismo, por seus poetas, preconizava o uso do verso livre.
d) O Parnasianismo brasileiro deu ênfase ao experimentalismo formal.
e) O Parnasianismo foi o responsável pela afirmação de uma poesia de caráter sugestivo e musical.

Leia o texto e responda às questões 13, 14 e 15.


Vila Rica

1 O ouro fulvo do ocaso as velhas casas cobre;

2 Sangram, em laivos de outro, as minas, que ambição

3 Na torturada entranha abriu da terra nobre;

4 E cada cicatriz brilha como um brasão.

5 O ângelus plange ao longe em doloroso dobre.

6 O último ouro do sol morre na cerração.

7 E, austero, amortalhando a urbe gloriosa e pobre,

8 O crepúsculo cai como uma extrema-unção.

9 Agora, para além do cerro, o céu parece

10 Feito de um ouro ancião que o tempo enegreceu

11 A neblina, roçando o chão, cicia, em prece.

12 Como uma procissão espectral que se move...

13 Dobra o sino... Soluça um verso de Dirceu...

14 Sobre a triste Ouro Preto o ouro dos astros chove. (Olavo Bilac)

13) Sobressai no poema:

a) a descrição de um ambiente fictício;


b) a visão do homem infeliz;
c) um retrato valorizador da fé humana;
d) um aprofundamento do mistério humano;
e) O aspecto descritivo e a lembrança de um passado histórico.

14) Predominam no texto:

a) imagens gustativas e auditivas;


b) imagens acústicas e tácteis;
c) imagens acústicas e olfativas;
d) imagens visuais e tácteis;
e) imagens acústicas e visuais.

15) Assinale o par que melhor se aplica ao poema:

a) manhã / tarde
b) religião / ateísmo
c) dor / felicidade
d) mistério / solução
e) opulência / decadência

16) Observe a imagem abaixo


Qual a função de linguagem predominante na história em quadrinhos?

a) poética
b) metalingüustica
c) emotiva
d) fática
e) referencial.

17) Observe o anúncio abaixo

Qual a função de linguagem predominante no anúncio?

a) poética
b) metalinguística
c) apelativa
d) emotiva
e) referencial

18)
“Lá em cima daquela serra,
passa boi, passa boiada,
passa gente ruim e boa,
passa a minha namorada.”
Guimarães Rosa

Qual a função de linguagem predominante no poema?

a) poética
b) metalinguística
c) apelativa
d) emotiva
e) expressiva

19)
I. Partindo da descoberta de um único princípio - a Lei da Gravidade -, Isaac Newton praticamente criou toda uma nova
disciplina, a Dinâmica: nada menos que as leis que governam todo o movimento dos corpos no Universo e sua interação.
Tornou-se possível prever medidas de tempo, espaço, peso com exatidão inédita e, assim, nasceu uma visão científica
batizada de 'determinismo'.
(Revista Superinteressante)

II. Há uma grande diferença entre as duas posições: dizer-se ateu é recusar a existência de um Deus, enquanto o
agnosticismo ('sem conhecimento', em grego) significa admitir apenas que não se sabe nada sobre dimensões sobrenaturais
do Universo.
(Revista Superinteressante)

As funções da linguagem que predominam nos trechos dados são, respectivamente:

a) metalinguística e fática.
b) referencial e conativa.
C) emotiva e poética.
d) conativa e metalinguística.
e) referencial e metalinguística.

20)

As Olimpíadas são uma oportunidade para o congraçamento de um grande número de países, sem discriminação
política ou racial, ainda que seus resultados possam refletir características culturais, socioeconômicas e étnicas. Em
2000, nos Jogos Olímpicos de Sydney, o total de 300 medalhas de ouro conquistadas apresentou a seguinte
distribuição entre os 196 países participantes como mostra o gráfico.
Esses resultados mostram que, na distribuição das medalhas de ouro em 2000:

(A) cada país participante conquistou pelo menos uma.


(B) cerca de um terço foi conquistado por apenas três países.
(C) os cinco países mais populosos obtiveram os melhores resultados.
(D) os cinco países mais desenvolvidos obtiveram os melhores resultados.
(E) cerca de um quarto foi conquistado pelos Estados Unidos.

21)
A conversa entre Mafalda e seus amigos

(A) revela a real dificuldade de entendimento entre posições que pareciam convergir.
(B) desvaloriza a diversidade social e cultural e a capacidade de entendimento e respeito entre as pessoas.
(C) expressa o predomínio de uma forma de pensar e a possibilidade de entendimento entre posições divergentes.
(D) ilustra a possibilidade de entendimento e de respeito entre as pessoas a partir do debate político de idéias.
(E) mostra a preponderância do ponto de vista masculino nas discussões políticas para superar divergências.

22) Cândido Portinari (1903-1962), em seu livro Retalhos de Minha Vida de Infância, descreve os pés dos trabalhadores.
Pés disformes. Pés que podem contar uma história. Confundiam-se com as pedras e os espinhos. Pés semelhantes aos
mapas: com montes e vales, vincos como rios. (...) Pés sofridos com muitos e muitos quilômetros de marcha. Pés que só os
santos têm. Sobre a terra, difícil era distingui-los. Agarrados ao solo, eram como alicerces, muitas vezes suportavam apenas
um corpo franzino e doente.
(Cândido Portinari, Retrospectiva, Catálogo MASP)

As fantasias sobre o Novo Mundo, a diversidade da


natureza e do homem americano e a crítica social
foram temas que inspiraram muitos artistas ao longo
de nossa História. Dentre estas imagens, a que melhor
caracteriza a crítica social contida no texto de
Portinari é:

a)

e)

b)

c)

d)

23) Leia os textos

Texto 1
Texto 2

Sonho Impossível
Sonhar
Mais um sonho impossível
Lutar
Quando é fácil ceder
Vencer o inimigo invencível
Negar quando a regra é vender
Sofrer a tortura implacável
Romper a incabível prisão
Voar num limite improvável
Tocar o inacessível chão
É minha lei, é minha questão
Virar esse mundo
Cravar esse chão

Não me importa saber


Se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer
Por um pouco de paz
E amanhã se esse chão que eu beijei
For meu leito e perdão
Vou saber que valeu delirar
E morrer de paixão
E assim, seja lá como for
Vai ter fim a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor
Brotar do impossível chão.

(J. Darione – M. Leigh Versão de Chico Buarque de Hollanda e Ruy Guerra, 1972.)–

A tirinha e a canção apresentam uma reflexão sobre o futuro da humanidade. É correto concluir que os dois textos

(A) afirmam que o homem é capaz de alcançar a paz.


(B) concordam que o desarmamento é inatingível.
(C) julgam que o sonho é um desafio invencível.
(D) têm visões diferentes sobre um possível mundo melhor.
(E) transmitem uma mensagem de otimismo sobre a paz.

24)Leia o texto e examine a ilustração:

Óbito do autor
(....) expirei às duas horas da tarde de uma sexta-feira do mês de agosto de 1869, na minha bela chácara de Catumbi. Tinha
uns sessenta e quatro anos, rijos e prósperos, era solteiro, possuía cerca de trezentos contos e fui acompanhado ao
cemitério por onze amigos. Onze amigos! Verdade é que não houve cartas nem anúncios. Acresce que chovia − peneirava
− uma chuvinha miúda, triste e constante, tão constante e tão triste, que levou um daqueles fiéis da última hora a intercalar
esta engenhosa idéia no discurso que proferiu à beira de minha cova: −”Vós, que o conhecestes, meus senhores, vós
podeis dizer comigo que a natureza parece estar chorando a perda irreparável de um dos mais belos caracteres que tem
honrado a humanidade. Este ar sombrio, estas gotas do céu, aquelas nuvens escuras que cobrem o azul como um crepe
funéreo, tudo isto é a dor crua e má que lhe rói à natureza as mais íntimas entranhas; tudo isso é um sublime louvor ao
nosso ilustre finado.” (....)

Compare o texto de Machado de Assis com a ilustração de Portinari. É correto afirmar que a ilustração do pintor

(A) apresenta detalhes ausentes na cena descrita no texto verbal.


(B) retrata fielmente a cena descrita por Machado de Assis.
(C) distorce a cena descrita no romance.
(D) expressa um sentimento inadequado à situação.
(E) contraria o que descreve Machado de Assis.

25)

O problema enfrentado pelo migrante e o sentido da expressão “sustança” expressos nos quadrinhos, podem ser,
espectivamente, relacionados a

(A) rejeição / alimentos básicos.


(B) discriminação / força de trabalho.
(C) falta de compreensão / matérias-primas.
(D) preconceito / vestuário.
(E) legitimidade / sobrevivência.

26)

Observando as falas das personagens, analise o emprego do pronome SE e o sentido que adquire no contexto. No
contexto da narrativa, é correto afirmar que o pronome SE

(A) em I, indica reflexividade e equivale a “a si mesmas”.


(B) em II, indica reciprocidade e equivale a “a si mesma”.
(C) em III, indica reciprocidade e equivale a “umas às outras”.
(D) em I e III, indica reciprocidade e equivale a “umas às outras”.
(E) em II e III, indica reflexividade e equivale a “a si mesma ” e "a si mesmas", respectivamente.

27)
Antigamente
Acontecia o indivíduo apanhar constipação; ficando perrengue, mandava o próprio chamar o doutor e, depois, ir à botica para
aviar a receita, de cápsulas ou pílulas fedorentas. Doença nefasta era a phtísica, feia era o gálico. Antigamente, os sobrados
tinham assombrações, os meninos, lombrigas (...)
Carlos Drummond de Andrade. Poesia completa e prosa.
Rio de Janeiro: Companhia José Aguilar, p. 1.184.
O texto acima está escrito em linguagem de uma época passada. Observe uma outra versão, em linguagem atual.

Antigamente
Acontecia o indivíduo apanhar um resfriado; ficando mal, mandava o próprio chamar o doutor e, depois, ir à farmácia para
aviar a receita, de cápsulas ou pílulas fedorentas. Doença nefasta era a tuberculose, feia era a sífilis. Antigamente, os
sobrados tinham assombrações, os meninos, vermes (...)

Comparando-se esses dois textos, verifica-se que, na segunda versão, houve mudanças relativas a:

A) vocabulário.
(B) construções sintáticas.
(C) pontuação.
D) fonética.
E) regência verbal.

As questões 28 a 29 são a respeito do texto abaixo:

“Conheci que Madalena era boa em demasia, mas não conheci tudo de uma vez. Ela revelou pouco a pouco, e nunca
se revelou inteiramente. A culpa foi minha, ou antes a culpa foi desta vida agreste, que me deu uma alma agreste. E
falando assim, compreendo que perco o tempo. Com efeito, se me escapa o retrato moral de minha mulher, para que
serve esta narrativa? Para nada, mas sou forçado a escrever. Quando os grilos cantam, sento-me aqui à mesa da
sala de jantar, bebo café, acendo o cachimbo. Às vezes as idéias não vêm, ou vêm muito numerosas- e a folha
permanece meio escrita, como estava na véspera. Releio algumas linhas, que me desagradam. Não vale a pena
tentar corrigi-las. Afasto o papel. Emoções indefiníveis me agitam – inquietação terrível, desejo doido de voltar, de
tagarelar novamente com Madalena, como fazíamos todos os dias, a esta hora. Saudade? Não, não é isto: é
desespero, raiva, um peso enorme no coração. Procuro recordar o que dizíamos. Impossível. As minhas palavras
eram apenas palavras, reprodução imperfeita de fatos exteriores, e as dela tinham alguma coisa que não consigo
exprimir. Para senti-las melhor, eu apagava as luzes, deixava que a sombra nos envolvesse até ficarmos dois vultos
indistintos na escuridão.”

(Graciliano Ramos – São Bernardo – São Paulo, Liv.Martins Editora)

28) Segundo o texto, o narrador não pôde conhecer totalmente sua esposa, Madalena, sobretudo:

a) porque ela nunca se revelou inteiramente.


b)Por causa “desta vida agreste”
c)Por ser sempre agitado por indefiníveis emoções.
d)Porque as palavras são reproduções imperfeitas das inquietações.
e) NRA

29) A narrativa é inútil, porque o narrador:

a)não conseguiu compor um retrato moral de sua esposa.


b)Foi forçado a escrever.
c)Tem uma alma agreste.
d)Não gosta do que escreve.
e) vivia infeliz.

30)