Você está na página 1de 3

ATIVIDADE ABERTA 1

POEMA DE E.E. CUMMINGS (LÍNGUA-FONTE: INGLÊS)

TRADUÇÃO DE AUGUSTO DE CAMPOS (LÍNGUA-ALVO:


PORTUGUÊS)

O VERSO ORIGINAL NA LÍNGUA-FONTE É: A LEAF FALLS:


LONELINESS

A TÉCNICA DE TRADUÇÃO EMPREGADA POR CAMPOS FOI LITERAL:


FOLHA CAI: SOLITUDE.

MAS NOTE, AO OBSERVAR ATENTAMENTE O POEMA, O


MOVIMENTO DA FOLHA NA DISPOSIÇÃO DOS VERSOS. VEJA QUE A
FOLHA DE AUGUSTO DE CAMPOS FAZ UM MOVIMENTO ATÉ MAIS
INTENSO QUE NA LÍNGUA-FONTE… ISSO NOS MOSTRA QUE
TRADUZIR REQUER MAIS DO QUE TÉCNICA, EXIGINDO TAMBÉM
UMA VISÃO AGUÇADA E SENSÍVEL DO PROFISSIONAL DE TEXTO.

ATIVIDADE ABERTA 2

TEMOS, AQUI, POEMAS DE LIVRO DAS PERGUNTAS, DE PABLO


NERUDA.

LÍNGUA-FONTE: ESPANHOL

LÍNGUA-ALVO: PORTUGUÊS (TRAD. OLGA SAVARY)

1o. QUADRO: OLOR / QUAL É O IMPACTO DE SE OPTAR POR UMA


TRADUÇÃO LITERAL DE “OLOR”, NO ESPANHOL, POR “OLOR”, EM
PORTUGUÊS, E NÃO POR “CHEIRO”?

AGORA VEJA NO 2o. QUADRO, O VERBO “OLVIDEI”… MESMA


PERGUNTA: POR QUÊ TRADUZIR POR “OLVIDEI”E NÃO POR
“ESQUECI”?

SERÁ QUE A ESCOLHA PELA TRADUÇÃO LITERAL, QUE SE


APROXIMA MAIS DA LÍNGUA-FONTE, SE DEU COM O OBJETIVO DE
PRESERVAR UM CERTO “SOTAQUE” ESPANHOL, UM CERTO
“CHARME” NA VERSÃO EM PORTUGUÊS? E VOCÊ, ALUNO, COMO
TRADUZIRIA ESSES POEMAS? VOCÊ BUSCARIA UMA TÉCNICA DE
TRADUÇÃO QUE SE APROXIMASSE MAIS DA LÍNGUA-FONTE OU DA
LÍNGUA-ALVO?

ATIVIDADE ABERTA 3

POEMA BASTANTE CONHECIDO NA LÍNGUA INGLESA, CHAMADO


“FUNERAL BLUES”, DO POETA INGLÊS W. H. AUDEN. SE VOCÊ TIVER
ASSISTIDO AO FILME “4 CASAMENTOS E 1 FUNERAL” VOCÊ IRÁ
RECONHECER ESSE POEMA… ESSE POEMA ABORDA O TEMA DA
MORTE, DESCREVENDO UMA SITUAÇÃO DE ENLUTAMENTO
DIFÍCIL.

LÍNGUA-FONTE: INGLÊS

LÍNGUA-ALVO: PORTUGUÊS

AO ANALISAR A PRIMEIRA E A ÚLTIMA ESTROFES, COMPARANDO


AS 2 VERSÕES PARA O PORTUGUÊS, NOTAMOS QUE A 1a. VERSÃO,
DE AUTORIA DE NELSON ASCHER, OPTOU POR ESCOLHAS
LEXICAIS + NEUTRAS (EXCETO PELA PALAVRA “DORAVANTE”, NA
ÚLTIMA ESTROFE), O QUE SE APROXIMA + DO TOM NEUTRO (DO
TOM SECO, EU DIRIA, NA VERDADE) DA LÍNGUA-FONTE.

JÁ A 2a. VERSÃO, DE AUTORIA DE MARIA DE LOURDES GUIMARÃES,


FAZ USO DE ÊNCLISE E ESCOLHAS LEXICAIS LIGEIRAMENTE MAIS
FORMAIS, COMO “EMALEM A LUA”, NA ÚLTIMA ESTROFE… MAS
TAMBÉM É UM BOM TRABALHO DE TRADUÇÃO, EMBORA EU
PREFIRA A 1a. VERSÃO, PARTICULARMENTE FALANDO.

ATIVIDADE ABERTA 4

TEMOS, AQUI, UM DOS POEMAS MAIS CONHECIDOS DA LÍNGUA


INGLESA… “THE ROAD NOT TAKEN”, DO POETA NORTE-
AMERICANO ROBERT FROST. O TEMA CENTRAL É SOBRE AS
ESCOLHAS QUE FAZEMOS NA VIDA, DECISÕES ESSAS QUE PODEM
FAZER TODA A DIFERENÇA NO DESDOBRAR DE NOSSA EXISTÊNCIA.

LÍNGUA-FONTE: INGLÊS

LÍNGUA-ALVO: PORTUGUÊS
AO ANALISAR A PRIMEIRA E A ÚLTIMA ESTROFES, COMPARANDO
AS 2 VERSÕES PARA O PORTUGUÊS, NOTAMOS QUE NA 1a. VERSÃO,
DE AUTORIA DE RENATO SUTANNA, O TRADUTOR OPTOU POR
MANTER AS RIMAS, PORÉM NUM PADRÃO UM POUCO DIFERENTE
DO DA LÍNGUA-FONTE:

PADRÃO DE RIMA NA LÍNGUA-FONTE DA 1a. ESTROFE: A, B, A, A, B.

PADRÃO DE RIMA NA LÍNGUA-ALVO DA 1a. ESTROFE: A, B, B, A.

A 2a. VERSÃO, DE AUTORIA DE OLEGÁRIO SCHMIDT, OPTOU POR


NÃO PRESERVAR AS RIMAS, MAS FEZ USO DE ESCOLHAS LEXICAIS
BASTANTE POTENTES. NA ÚLTIMA ESTROFE, PENSO QUE ESSA 2a.
TRADUÇÃO PARECE SE APROXIMAR MAIS DA CHAMA ORIGINAL
DO POEMA EM SUA LÍNGUA-FONTE.