Você está na página 1de 19

CONFIDENCIAL

S, NA, LI
AGENCIA C;TN7RAL
10 08683 11.10On]
rgente
PF0T- r'CLO
PPLSIDENCIA DA Merut3LICA

SERVIÇO NACIONAL DE INFORMAÇÕES


AGENCIA DE ERASILIA.

4
INFORMAÇÃO N. — _—/ABSB/SNI/19-7.a.
( SS.19/08c )
Data : 10 JUN 1970
Assunto: ALFABETIZAÇÃO nE ADJLTOS
Referência : — PB 295/AC/SNI/70
Difusão: — AC/SNI

1. ANTECEDENTES SUBVERSIVOS:
a. EODOLF0 AZEI - comunista confesso, demitido da UnB em outubro
de 19g5.
h. EDNA SOTTER DE OLIVEIRA - espesa do ex-Coronel FORTUNATO DE
OLIVEIRA, atingido pelo AI-1. Pive da crise havida na UnB,
em outubro de 19g5. Registra antecedentes subveytivos.
c. ESMERALDA BORGES DE SOUZA, RHÉA SILVA FRASCA e ttALOMÉ BERRY
MAN - não registram antecedentes dyabonadores.
d. Acerca de JOSTON MIGUEL SILVáNAS Agencia jâ elaborou a Fi
cha-Registro n5 145/É9 e a IVOrmação n5 805/AB3B/SNI/g9.

2. LICAOES COM O MURAL: ÇS\


a. Estão ligados ao MOBRAL os seguintes elementos: Prof. JOSTON
MIGUEL SILVA, ESMERALDA BORGES DE SOUZA e RHÉA SILVA FRASCA.
b. JOSTON MIGUEL SILVA inventou um sistema mecânico de alfabeti
zação para adultos, no qual â empregado o cinema. ESMERALDA
BORGES DE SOUZA â sacia proorietria da firma ROMAIN LESAGE
PRODU'eõES CINEMATOGRÁFICAS LTDA, que ficaria encarregada da
produção dos filmes educativos a serem utilizados no sistema
de alfabetização, tendo havido pequena participação de RHÉA
SILVA FRASCA em algumas reuniões, para o planejamento da apli
cação do sistema.

3. OUTROS DADOS:
a. uando o Prof. JOSTON MIGUEL SILVA esteve cursando a STATE U
NIVERSITY OF NEW YORK AT STONY BROOK (USA), em 19g8, tomou co
nhecimento da aplicação de um avançado sistema mecânico para
aceleração do aprendizado, que estava sendo utilizado numa es
cola americana para a recuperação de delinqflentes. Conseguiu
todos os dados relativos ao sistema e, ainda no exterior,come

CONFIDENCIAL
Urgente (continua)
Deputuerkto de Nenen. Naelesal
Confidencial Urgente
Continuação (At Infão no 4 9 t. /A13SE/SNI/70 (50.19/089) fl. 2

çou a elaborar uma adaptação do sistema às pec asi


leiras, para aplicação do mesmo a estudantes
tambem para a alfabetização de adultos.
b. Retornando ao ERASIL, por indicação do Prof. R ERRY
MAN, então Coordenador do Instituto de Psicologia , entrou
em contato com a Sra. APACOELLI CATETE PINHEIRO, a quem apresen
tou seu projeto, ainda em fase embrioneria. Tornou-o mals aper
feiçoado, fazendo-o chegar ao conhecimento de muitas pessoas, a
traves de contatos pessoais. Dentre essas pessoas inclui-se a
Sra. ESCRALDA BORGES DE SOUZA, Produtora e Diretora Técnica e
Comercial da firma ROMAIN LESAGE PRODU4S CINEMATOGRÁFICAS LTDA.
c. Atraves de Da ARACOELLI CATETE PINHEIRO, conseguiu uma audiencia
com o Ministro JAREAS PASSARINHO, a quem expôs seu projetc,tendo
o Ministro se mostrado muito interessado na sua aplicação, pedin
do-lhe zue apresentasse planos e orçamentos.
d. No dia 10.Jan.70 foram apresentados ao Ministro 3 (tres) sugas-
tges crçamenterias:
(1) árradicação je 50.000 analfabetos no prezo médio de 18 meses,
utilizando-se 2 Unidades de Ensino e 1 Unidade Volante audio
visual, nas áreas compreendidasekor TAGUATINGA, NÓCLED Bi;
DEIRANTE e "INVASÕES", estasdNpringendo VILA TENÓRIO, IAPI,
CANDANGOLÂNDIA e VELMACAPISJor um custo global de C r $ -
1.029.000,00.
(2) Erradicação de A4.100 analfabetos, em todo o DF, no prazo me
dio de 12 meses, utilizando-se 4 Unidades de Ensino e 1 Uni
dada Volante audio-visual, no custo global de ei-1.139.800,00,
(3) Erradicação de 15 a lA mil analfabetos, na cidade de FORMOSA
(GO) e pequenos aglomerados rurais circunvizinhos, no prazo
medio de 12 meses, utilizando uma Unidade de Ensino e uma U
nidade Volr.-kce, com condução para transporte dos alunos do
meio rural. pelo custo global de Cr$-341.000,00.
e. O Ministro JAR3A3 PASSARINHO propôs aplicação de um plano que a
tendesse à sugestão contida no subparágrafo 3.d(1), mas cujo cus
to global não ultrapassasse Cr$-300.000,00, importencia essa fi
nanciada pela Caixa Econômica Federal, já que não possuía o El-
nisterio verbas para tal finalidade.
r. Da ESMERALDA BORGES e c Prof. JOSTON fizeram entre si um acôrdo
verbal, no sentido de estudar a . iatilidade de, atraves de capta
ção de verba: nas empresas privadas, conseguir a aplicação de um
Projeto de ãmbito nacional. Da ESMERALDA ficaria encarregada da
captação de recursos, divulgação e propaganda do sistema, atra-
vs sua empresa cinematográfica, atuando o Prof. JOSTON como
responsável pela parte técnica e científica do programa.

(continua)
Urgepte
ontder
onfidencial
;guita
Continuaçãr. da Infão na 491 /ABSB/SNI/70 (SS.19/089)

g.O Prof. JOSTON aperfeiçoou e construiu, com o


nicn, protOtlpos de duas máquinas, por ele bat no
mes de ORTÓGRAFO (para ensinar a escrever) e A RA
FO (para ensinar a ler). Com as peseplisas e con , pro
tetipos, expendeu cerca de Cr$-10.000,00, conforme suas decla-a
çOes pessoais.
h.Da ESMJRALOA, por sua vez, viajou muito e manteve contato com vá
rias grandes empresas pelo país, conseguindo delas a promessa de
vultosas quantias, desde que nos filmes educativos, constantes
do programa, fesse feita a propaganda comercial das ditas empre
sas. Com essa inclusão de propaganda comercial, entretanto, não
concordou o Prof. JOSTON. Houve, por isso, sérios desentendimen
tos, com ameaças de Da ESMERALDA buscando forçá-lo a aceitar suns
condiçOes. Alegava Dg ESMERALDA que já havia feito gastos enor
Xes em viagens buscando contatos com as grandes empresas do país
e não iria perder o que je conseguira. A desavença foi tão gran
de que a Da ES1CRALDA inclusive dAígiu-se ABSB/SNI, insinuan
do subversão na atitude do Profq0St0N, ao alegar que o mesmo
estava atrasando a erradicaçãSào analfabetismo no país e preju
dicando os planos do Miniseps da Educação.
1. Posteriormente o Prof. JOSTON elaborou um plano para a aplicação
de seu sistema, epresentando ao MEC um projeto a ser testado em
TAGUATINGA/DF, com a instalação de 100 carteiras e 200 máquinas,
ao preço unitário de Cr-500,00 o conjunto (cadeira-2 máquinas),
ficando de iniciar a aplicação no nevo projeto assim que lhe fôs
sem entregues as carteiras e as mequinas, devidamente instaladas
em sala de aula de colegio ou prédio local, para isso designado.
á* Se conseguido o local, prometia desta forma alfabetizar 1.000
pessoas, na faixa etária de 14 anos para cima, no tempo medio de
30 a go horas de aula.
k. Por seu turno, Da ESMERALDA está disposta a continuar o projeto
inicial, sem o concurso do Prof. JOSTON, prometendo contratar os
trabalhos das maiores autoridades do país em ensino programado.
Subornou o tecnico CAMILO UNGULOTI, que construiu as máquinas, e
este já este trabalhando para ela e vai tentar aperfeiçoar asnas
mas.
1. O Prof. JOSTON, ao saber do suberno do referido tecnico,entregou,
atraves de ofício, todo o seu projeto ao Ministro da Educação, o
ferecendo-se a supervisione-lo gratuitamente, de acerdo com ori
entações do prOprio Ministerio da Educação, impondo apenas ao Mi
nisterio a condição de que não contrate, para a parte do progra

(continua)
Urgente
Confidencial Lj Mei t „ r

Continuação da Infão na
"
4 9 1 /ABSB/SNI/70 (SS.19/


ma em que se faz necessr;rio o emprego de filme q
-, ...,,- •• 41/ os /,
trabalhos profissionais de Da ESMERALDA ou a fi ODU
,i.•.§
ÇÕES D1NEMATOORÁFICAS LTDA.
m. As rilquinas encontram-se atualmete em exposição na Biblioteca
Central da UnB e estão sendoNAdribuídos boletins explicativos
de seu funcionamento e OPivos.
,/
ÇS

ANEXO: Boletim explicativo das máquinas de alfabetização.

Urgente
7' i
Confidencial \...S.ÁI/ABSB. 5
,NExo ,fir
N°.
49i 70
INFãO

MAQUINAS DE ENSINAR (Modelos Nacionais)


INTRODU00; A tecnologia do ensino desenvolveu principias que culminaram na
possibilidade de automatizar muitas das Laref.,0 do professor, permitindo a rea
lização dessas tarefas atravOs do máquinas - as chamadas "máquinas de onsinar".
Co modelos apresentados, de concepção do Profulsor Joston
Silva (Caixa Postal 07-1500 ,Brnsilia,D.F.)são oxemplos de prwtOtipos ora fase,
do aperfeiçoamento. A curiosidade suscito& sObre Canos modelos nacionais foi
tal que pareceu justificar esta apresentação inicial ao páblico.

Nome da máquina de ensinar: OREJGRAFO (Máquina de ensinar a escrever o dose -


aliar).
Concepção do PROMSCR JOSTON MIGUEL 'ILVA

Execução de JOSE MOLLICA

Usando os principiou da Instrução Programada, esta máquina luva o


aluno, por aproximaçOes sucessivas, a traçar rotas, curvas o, finalmonto,le
trae o números. Um programa já tostado com dois analfabetos, uma criança o
dois =opcionais, Be encontra na máquina.0 papel do cima onde trabalha o
aluno que v5 os modelos eor contraste c os copia. As inotruçOes orientam, a
cada passo, o desempenho do aluno.

A finalidade dessa máquina O a do ensinar a oscrevor ou doodnhar


atravOs do uma crescentc o oriontad,coordenação motora.

MAQUINA LIIIMR, ou de SKINNER- O ORTCOR70 , com a colocação do uma


máscara adequada, pode ser transformada na máquina de ensinar inventada por
SKINNER, que acoita programas lineares elaborados sebre qualquer assunto c cm
qwlqu - r niv.l.

1 (e..., ir-, 1, neire,r 1 a)

(le„.1*. Ugolc.
e 11-1, e ro¡rcr c-, e. inG
• Ildit

, ce • :'•e . i
:
' r

ar ,a e ai•
•e r i. tia
1 •
Uontidencial

Estamos apresentando um protótipo em f,pe de aperfeiçoamento .

Nome do aparelho: CADEW ALFA-OMEOA


Idéia de JOSÉ MOLIICA
Execução de MOVEIS U'LAR

Estn cadeira ó inteiramente ajustável ao tipo ffsico do aluno e O,


ndo assim sou transporte para qual -
tombem, intoiramento desmontável, facilit,
quor lugar o colocação em quAquor tcrrono. ii máquinas, montadas na tOrro da
cadoira podem sor afactedas, aproximadac, °lavador: e baixadas. O asoonto tam
bóm podo ser levado à altura do aluno para sou maior confOrto.

O prosente protótipo merocou a atonção do trio Ortópodistao om


sina, quc o - provaram pala sua funcionalidado. O modelo dofinitivo, contudo ,
s,rri cm tubo lInd=doo, com um Distemo de apoio mais eficiente.

Mr-srlia,D.F, em maio dc 1970.

Profoecor Jocton Miguol Silva


T:;' oi 4 1 770
(SS/19 135)
0
SEI
Movimento Brasileiro de Alfabetização
Pedido de Busca ne 032/SG-4/CSN/70, de 30 Mar
SI/SG/CSH

1 Dados colhidos na 5roa de PM'IL/At


a - Antecedentes eubversivjet
,.. RODOLFO AllI comunistn confesso, demitido da UnD em outu-
bro de 1965.
- EDNA SOTTER DE OLIVEIRA - eep8sa do ex-Coronel FORTUNATO DE
OLIVEIRA, atingido pelo AI-1. Pivó da crise havida na UnB,
em outubro de 1965. Registra anteoedentes subversivos.
- ESMIRALDA BORGES DE SOUZA, RHÉA SILVA FRASCA, SALOIA! BERRY-
MAN e JOSTON MIGUEL SILVA, não "gistram antecedentes dosa-
bonadores.
„O
N3
b - 416a0ce com ce_MOBRALe cl.N.,
- Estão ligados ao MOBFA os seguintes elementost Professor
JOSTON MIGUEL SILVA, ESM-RALEA BORGES DE SOUZA e RHÉA SILVA
FRASCA.
JOSTON MIGUEL SILVA inventou um sistema necânioo de alfabe-
tização para adultos, no qual 4 empregado o cinema. ESME-
RALDA BORG1S DE SOUZA é sacia proprietAria da firma ROMAIN
LESAGE PRODUÇÕES CINEMATOGRXFICAS LIDA, que ficaria encarre
gada da produção doe filmes educativos a serem utilizadosno
sistema de alfabetização, tendo havido pequena participação
de RH2A SILVA FRASCA em algumas reunião°, para o plane jamen
to da aplicação do sistema.
Outros dados:
▪ Quando o Professor JOSTON MIGUEL SILVA esteve cursando a
STATE UNIViW:ITY OP NEW YORK AT STUNY BROOK (USA), em 1968,
tomou conhecimento da aplicação de um avançado sistema mo&
nioo para aceleração do aprendizado, que catava sendo utili
zado numa escola american., para a recuperação de delinqtten-
I c oN , - ---
A
(CONTINUAÇXO DA INFORMAÇXO NA
3 o 2F
I 1 7770/SNI/AC e 135-SS/19,DE _SE)

toe. Conseguiu todos os dadan relativos ao cisterna e, ainda no


exterior, começou a elaborar uma adaptação do sistema lis pecu-
liaridades brasileiras, para aplicação do mesmo a estudantes=
mais, anormais e também para a alfabetização de adultos.
Retornando ao BRASIL, por indicação do Profeosor ROBERT NbRMAN
BERRIMAN, então Coordenador do Instituto de Psicologia da UnB,
a quem arro~ntou seu projeto, ainda em face embrionária. Ton.
nou-o mais aperfeiçoado, fazend~ chegar ao conhecimento de
muitas pessoas, através de contatos pessoais. Dentree essas
pessoas inolui-se a Sre ESUERALDA BORGES DE SOUZA, Produtora e
Diretora Té6nica e Comercial da firma ROMAIN LFSAGE PRODUÇOES
CINEMATOGRÁFICAS LTDA.
Através de DA ARACOELLI CATIT2 PINHEIRO, conseguiu uma audién,
cia com o Min:..ntro JARBAS PASSAHIMO, a quem exp8s seu projeto,
tendo o Ministro se mostrado muito interessado na sua aplicação,
peLindo-lhe que apresentasse planos e orçamentos.
No dia 10 Jan 70 foram apresentados ao Ministro 3 (três) sugas-
tes orçamentériaet
▪ erradicação de 50.000 analfakéNoa no prazo médio de 1G meses,
utilizando-se 2 (duas) anidbUe de ensino e 1 (uma) unidade
volante sadio-visual, nik&reas compreendidas por TAGUATINGA,
?MOLE° BANDEIRANTE elefiNVASõES", estas abr-ngendo VILA PENO.-
RIO, IAPI, CANDANCOLUDIA e VE:MACAP, por um ouuto global de
Cr$ 1.020.000,00;
- erradicação de 64.100 analfabetoe, em todo o DF, no prazo mé
dio de 12 meteu, utilizando-de 4 (quatro) unidades de ensino
e 1 (uma) unidade volante audi~laual, no custo global de
Cr$ 1.139.800,00; e
erradicação do 15 a 16 mil analfabetos, na cidade de FORMOSA
(GO) e sequenoa aglomerados rurais circunvizinhos, no prazo
médio de 12 meses, utilizando uma unidade de ensino e uma u-
nidade volante, com condução para transporte doe alunos do
meio rural, pelo custo global de Cr$ 341.000,00.
O Ministro JARBAS PASSARINHO propôs aplicação de um plano que
atendesse h primeira sugestão, mas cujo custo global não ultra
passasse Cri 300.000,00, importância essa financiada pela Cei-
xa Econômica federal, j1 que não poseuia o Minietério verbas pa
ra tal finalidade.
DA E3MEFtALDA BORGIS e o Professor JOSTON fizeram entre si um a
c8rdo verbal, no sentido de estudar a viabilidade de, através
de captação de verb-0 nus emprtsas pri~las, conseguir a apli-
-3
4 4 ,
(CONTINUAÇXO DA INRJRMAÇXO N9 4/70/.:NI/A0 e 1.35-35/19, DEO
( SET)

cação de um projeto de âmbito nacional. D§ ESMURAIDA ficaria


encarregada da captação de recursos, divulgação e propaganda do
sistema, através de sua cmpr8au cinematogrfica, atuando o Pro
feasor JOSTON como roaponadvel pela parte técnica e científica
do programa.
O Professor JOSTON aperfeiçoou e construiu, cum o auxílio de um
técnico, protótipos de duas máquinas, por Jle batizadas com os
nomes de ORTOGRAFO (para ensinar a escrever) e AUDIODISCRIMINO -
GRAFO (para ensinar a ler). Com as pesquisas e construção dos
protótipos, eaaendeu atroa de Cr$ 10.000,00, conforme suas de-
claraçOes pessoais.
D9 ESMLRALLA, por sua vez, viajou muito e manteve contato com
vdriae grandes emprtaao pelo país, conseguindo delas a promessa
do vultosas quantiao, doede que nos franco educativos, constan-
tes do programa, f8soe 2cita a propag-aada comercial das ditas
emareeao. Com emir inclusão de propaganda comercial, entretan-
to, não concordou o Profeosor JOSTON. Houve, por isso, sérios
decente/alimentos, com ameaças doer ESICERALDA buscando forçá-lo
a aceitar suas condiçães. AleOra De ESMLRALDA que já havia
feito gastos enormes em vipgRO buscando contatos com as grau-
dos emprasas do pais e nil:iria perder o que já conseguira. A
desavença foi tão granPaue a de EULRALDA incluoive dirigiu-
se h ABSH/SNI, insinuando subversão na atitude do Professor J0
TON, ao alegar que o mesmo estava atrasando a erradicação do a
nalfabetismo no pais e prejudicando os planos do Ministro da E
ducação.
Posteriormente o Professor JaSTON elaborou um plano para a apli
cação de seu dJateraa, apresentando ao MEC um projeto a ser tes-
NIO, tudo em TAGUkTINGA/DP, com a inetalação de 100 carteiras e 200
110
le máquinae, ao preço unit:trio de Cr$ 500,00 o conjunto (cadeira -
NOW
No. 2 máquinae), ficando de iniciar a aplicação do n8vo projeto as-
sim que lhe f83sem entregues as carteiras e as máquinas, devida
NI
et mente instaladas em sala de aula de colégio ou prédio local, pa
NO ra isso designado.
IN
110 Se conseguido o local, prometia desta forma alfabetizar 1.000
MOO
4 pessoas, na faixa cataria de 14 anos para cima, no tempo médio
PI de 30 a 60 horas de aula.
p•
I
ps Por sou turno, D9 E alERALDA está disposta a continuar o proje-
im to inicial, sem o concurso do Professor JOSTON, prometendo coa
tratar os trabalhos das maiores autorid.des do pais em ensino
programado. Subornou o t4cnico CAMILO UNGULOTI, que construiu

CL
- 4 - cl
1 4 1 7P70/SNI/AC 3O
(CONTINUAÇÃO DA INFLRMAÇÃO NO -* e 135-3S19. DE ----SET)

as máquinas e dote já está trabalhando para ela e vai tentar


aperfeiçoar as mesmas.
O Professor JOSTON, eo Lutar do sul:têm° do referido técnico,
entregou, atra/ide de oficio, todo o seu projeto ao Ministro da
Educação, oreeendo-se a supervisioná-lo gratuitamente, de a
08rdo com orientaçãou do or6prio Ministério da l'ucação, impon
do apenas ao Ministério a condição de que não oontrate, para a
parte do programa em que se faz necessário o emprégs de filmes
educativos, os trabalhos profissionais do dl ESMi RAMA ou a
firma SOMAIN PhUDUOES CINEMATOGRAFICAS LTDA.
As máquinas eneontram-se, atualmente, em exposição na libliote
ca Central da UnB e estão condo distribuídos boletins explica..
tivcs de nas fancionamento e objetivos. (D0CUMF3TO ANEXO)

2 - Dados colhidos na área da SX0 PAULO:


a - Antecedentes subversivos:
CaRúLINAMAETUSCELLI BUI, filha de Aur41io Maxtuscelli Bori e
de Maria Colombo, profeesdra de psicologia da U S P, não regia
tra antecedenteo criminais. uua ficha funoional na Reito-
ria da USP consta que foi zieRhaaa em 19 Nov 47. Participou,em
1948, de um curso com duro de um més no CHILE. Foi bolsis-
ta do govárno noite-astno no "IESTITUTE INTihNATIONAL OF
EDUCATION DE Mr0 Y:RAS. Em 1952 concluiu um curso de especiaa.
lização junto ao Laboratério de Peloolo&a Experimental de CAM
BaIDGE/LiGLATENUA. A convite da Univenadade da Brasília vier
tou em 1963 os labaratárioe de pelooloe,ia da "UNIVERUIDADE DE
COLUnBIA", HARNAUD e do "WALTA1 READ MEDICAL HOSPITAL", de WA-
SHINGTON. Esteve à diepoeição da Universidade de Brasília de
12 Agp 64 atá 31 Dez 65. Em 1967 foi-lhe concedido afastamen-
to para no prwo de 7 meses miniatrar aulas e dirigir progra..
mas do pesquisas no Departamento de Psicologia Educacional da
Universidade do TEXAS, juntamente com o Instituto de Estudos
Latino-Americano. Aos 7 Abr 68 o jornal "FOLHA DE SX0 PAULO"
publicou um manifesto dos Proieusores da Faculdade de Filoso-
fia, Ciênciae e Letras da U S P, protestando contra o que dano
minaram de "aosaesinato do estudante EDSON LUIZ DE LIMA SOUTO"
na GB. tate i:.alifeuto foi assinado pela marginada. Aos 13 Jan
70, foi elaborado o PS no 0l2/sia/Ac/70, com o fim de apuraras
denáncias constantes do Informe a/n, cie informante, datado de
Dez 69, no qual a epigrafada á acuanda do comunista fazendo-se
peuaar por martir da ciência, a fim de conseguir simpatizantes
Junto ao Govêrno.

-
5— (-
(CONTINUAÇÃO DA INFoRMAÇÃO N9
1 41 ,
/70/SNI/AC e 135..3319, DE ° ° SET)

RODOLPHO AZZI, filho de Ricardo Azzi e de Calina Azzi, nascido


em PIRAGICABA/SP, aos 4 Out 27, 20-1.690.981 (aerviço de Iden..
tificação da SSP/SP). Não registra antecedentes criminais. He
lat6rio Reservado do II Exército dá notícia que Antre os cola-
boradores do jornal eotudantil "O SÉCULO DO LINEU" se encontra
o epigrafado. Aos 17 Dez 58 o jornal comuniota "NOTICIAS DE
HOJE" publicou que a Associação dos Lavradoree e Trabalhadores
Agrícolas da MANGARATU, distrito de NOVA GRANADA/SP, realizou
lasembléia Extraordinária, citando entre os presentes o margi-
nado. De una ficha funcional na Reitoria da USP, consta ter
iniciado sua oarreira na Faculdade de Filosofia, Ciências e Iam
tras, ao a 26 Jal 54, exercendo o cargo de assistente eatranume
r-trio do Curso de Filaeofia Geral. Aos 2 Set El, o plantão do
DOPS liberou o estudante RICAWC A77/, que fora ardo° na Capi-
tal Paulista quando procurrara agitar populares. RICARDO AllI
foi iapensado, depois dc elaborada nina de ocorrência, em com
panhia do marginado, seu irmão. Em 1963 viajou para os EEUU mm
missão que lhe foi confiada pela Universidade da Brasília, a
fim de visitar várias inutituktkieu cientificas. No período oom
preendido entre 19 Ago 64 apuit 65, foi pasto à disposição
da Universidade de Brag4h. Em Out 65, 15 profeesdree da U-
niversidade de BraellidOloram dealigados daque-ut entidade, em,-
tre os quais se encoArava o marginado. Bote desligamento pro
vocou pedido de demissão de 178 profeueOres e assistentes da-
quela Universidade, registrando-se, ainda, agitação entre os
eotudantes que articularam greve geral de protesto. Em 28 Set
67 o II ExÉacito informou aue o marginado 4 citado por jornais
oubanos como sendo intelectual brasileiro que incentiva agita-
ção no meio estuaantil de SÃO PAULO. Outros 1-,formes dão noti
eia que o marginado é amigo de DARCI RIBEIRO, a estu-
dantes esquerdistas e procura subverter o meio estudantil. Es-
teve em ARARAaUARA/SF, por ocasião da visita feita àquela ci-
dade por JOUR ARADO e o fil6sofo francês JEAN PAUL SARTRE,en
companhia de outros elementos de esquerda. Consta, ainda, que
manteve ligaçOee com elementos que provocaram movimento de agl.
tação na zona rural da Alta Araraauarense, em RUDINEIA/SP e
SANTA PÉ DO sullsr. Informe de Mal 68 denuncia o epigrafado
como aendo um doe orientadores da Associação Universitária de
Estudos Psiooldgioos (AUE2) que representa os alunos do Curso
de Psicologia da Faculdade do Filosofia, Ciências e Letras da
USP. A liderança da ALIEI' faz profiseão de fé marxista, mas
se declara deuligada doe zrapos que dominam o movimento estu-
dantil em SÃO PAULO. O marginado atualmente mantem Consultd-

r • I ,lyt.
I . ,
(CONTINUAÇÃO DA INPoRMAÇÃO mai • 1 1,
1/70/SNI/AC e 135-3519, DP O SET)

rio de Psicologia instalado à rua Barão do Triunfo, na 7o3, em


SÃO PAULO.

• LUIZ OLIVEIRA, filho de João Marciano° de Oliveira e de Maria


José de Oliveira, brauileiro, rJ'aidente h rua Duque de Caxias
na 444, Ant 37—B, LIBEIRÃO PRETO/SP, professor universitário.
Aos 25 Ar 66 o marcinado foi eleito vice—presidente da dire—
toria da EI.E1'3I (Executiva Nacional de EJtudantes de Psicolo—
gia), érdão estudantil que contestava a Revolução de 1964. Aos
19 Mar 68 o marginado, bacharem em psinologia pela Faculdado de
Filosofia, Ciências e Letras de RIBEIRÃO PRETO/SP, lecionavam
Depart,mento de Psicologia Experivanta daquela Escola Superior.
Aos 13 Jan 70, o Pedido de Busca n2 12/SNI/AC/70, apresenta da
doe sdbre atuaço anti norto—,Lmericane. que LUIZ DE OLIVEIRA,
sem qualaricz..ção, teriu adotado quando do uua vicitu ao Pentd
guno, DE UU, toado em vieta apurar uu daudnclau constante° do
Informe g/n, datai.° de deze.ubro de 1969.

- tramto RCHI, MARIA AWLIA MATOS, DORA FIX VENTURA, MARIA TE—
REZA LEMOS METEI e JOÃO CLAUDIO TEODOROV, não registram antece
dentes subversivos.
(15
b Outros,dgdosj
▪ Buso-s realizadas nos éntiRà do MEC, localizados em SÃO PAULO,
apuraram que o MOBRAltepie foi ainda instalado naquele Estado.
Informa—ao, mais, que o Movimento funciona na GB, no prdprio
edificio do Minietério da Educação, onde está sendo preparado
eaquema de trabalho a ser aplicado em todos os Estados do BRA
UI. Disto reaulta que se os professdree do Curso de Poicolo
gia da OSP se infiltraram no 11i2LBAL, devem ter alcançado date
objetivo agindo no RIO DE JANEIRO.
O MOBRAL iniciou seus trabalhos de alfabetização de adultos ro
dia 8 Set 70 (Dia Nacional da Alfabetização).
DiligEnciaLo reanuadae junto ao Professor RUOLF0 AZZI apura-
ram que o meneio desconhece o assunto, não cotando interessado
no Rovimento.
Apurou—se, por dltimo, que a Diretoria do Serviço de Educação
de Adultos de SÃO l'AU10 recobeu, hd cdrca de cinco meses a-
tras, a visite de representantes do MOBRAL que desejavam ve—
rificar o funcionamento do referido Servico. Na oportunida-
de o Professor JORGE BOAVENTURA, do MEC, informou que novos
contatos seriam mantidos.

ANEXO:— Boletim explicativo das máquinas de alfabetização.

' N C rA41.1-11
87 9 3
ACE
I li
FICHA DE DISTRIBUICAO E PROCESSAMENTO DE DOCUMENTOS

I. CARACTERIZAÇA0 DO DOCUMENTO
TIPO IILk
ORIGEM • N': DATA

CLASSIF. RE F .

ANEXOS
A 1G L' - I
ASSUNTO: JI

2.DISTRIBUIÇAO INICIAL ORIGINAL

= CHEFE DO SNI = CHEFE GAR/AC = SC - I 1== SC -A


COPIAS ri CHEFE GAII/SN1 = ASSFSsORIA =I se -2 E3 sc•5
1:= CHEFE DA AC EZ] SE - 03 = SC - 3 I:= 55 -6
OUTROS D STINATARIOS

3. ORIENTAÇÃO SUAR CONHECIMENTO REGISTRAR ALAR COM A CHEFIA APROFUNDAR RO ESSAA INTEGRAR ARQUIVAR

MONTAR INFÁO PARA DIFUNDIR PARA

4. ORDENS PARTICULARES

5.PROVIDÈNCIAS FINAIS
!-:;DISTCfflO DO 1:XdiCITO
Íi IA, 111 .
GAMNETE DO MMSTRO
CIE

INFORME N.° _120/ /S -102 A4 CIE

, JOSTON MIGUEL DA SILVA - PSICOLOGO DA EsNI


CIE
FO-0:14? 07.1.77
a Aval Tal,. to: B-6
Ac/SN1 PROTOÉ:GLO
AVIE ItIOR :

_
1. O nominado seria professor da EsNI, da cadeira de psicologia.

2. Teria um diploma fornecido pelo CEUB, como tendo freq'áentado a


primeira turma que se formou naquela Universidade de Ensino.

3. Psicólogos formados nesta mesma tur.;.1


. teriam afirmado que o no
minado nunca fora visto nas salas de aula, que ao se dirigirem ao
MEC para registrar os diplomas já' teriam encontrado o de JOSTON em
andamento e que no teriam comunicado o fato na Epoca, cor receio de
represjIlias, visto que o nominado seria um dos acionis.as do CEUB.
• I CONFIDENCIAL 1

SERVIÇO NACIONAL DE INFORMAÇÕES

AGENCIA CENTRAL

INFORMAÇÃO N2 0067/19/AC/77

DATA 2 7 JAN 1977

ASSUNTO : JOSTON MIGUEL DA SILVA

ORIGEM : PRG 0342/77

REFERENCIA : INFORME 001/S-102-A4-CIE, de 05 Jan 77.

DIFUSÃO : CIE

1. JOSTON MIGUEL DA SILVA é filhp de SEBASTIÃO MI


GUEL SILVA e de JOSINA RODRIGUES SILVA, nascido a 12 Jun 37.
2. O nominado tem diversos trabalhos publicados,em
portugue inglês, um dos quais o Exército Norte-Americano soui
citou L• as, visando a aplicação de seus métodos no Hospital Mi
litar Walter Reed.
Foi convidado para lecionar, como professor as
sistente, no Departamento de Psicologia da "State University Of
New York At Stony Brook".
Possui, entre outros, o Curso Superior de Admi-
nistração Pública, realizado na Escola Brasileira de Adminitra-
ção Pública, do RIO DE JANEIRO/RJ, com especialização em Admi
nistraçâo de Governos Locais, realizada na Universidade de BIR
MINGHAN, na INGLATERRA.
Em 1969, recebeu o titulo de "Master Of Arts",
em Psicologia, da "State University Of New York At Stany Brook".
* * *

1 CONFIDENCIAL
ÓRGÃO

PEDIDO PARA DI
ATUALIZAÇÃO DE DADOS
514
DEFESA DE DIREITOS
NOME JOSTON MIGUEL DA SILVA (JMS)
ACE NP 30638/83/AC

Os registros constantes do INFE n9 001/S-102-Al


-CIE, de 05 JAN 77, referentes a JMS, não possuem validade
para este órgão.

t USE O VERSO SE NECESSÁRIO)

EMITIDO DISPENSA MICROFILMAGEM AO CONTROLE DA CILIA


E MICROFILMAR DADE MICROFILMADO
o El PROCESSAR MFR
0(3 /06,95 AGE NP 279170 02 7

,
Adjunto SAE
CHEFE CADASTRO C1PE MICROFILMAGEM

FR 213

Você também pode gostar