Você está na página 1de 3

Proteínas Integrais (ou intrínsecas)

 Proteínas Anfipáticas (que tem partes Hidrofóbicas e Hidrofílicas)


transmembranares e não transmembranares (fixadas aos lipídeos) da
membrana plasmática da célula e de algumas organelas (RER, Envoltura
nuclear, etc.)
 A maioria das proteínas transmembranares são glicosiladas
 Segundo a quantidade de vezes que ela traspassa a membrana podem ser:
Unipasso (as que traspassam a membrana plasmática uma vez) ou
Multipasso (também chamados de passagem múltipla, que traspassam a
MP mais de uma vez)

Síntese das proteínas integrais da membrana plasmática


Para a membrana plasmática da célula:
1. Elas são sintetizadas e glicosiladas no RER (reticulo endoplasmático rugoso)
2. E modificadas no Complexo de Golgi
3. E aí vão para a membrana plasmática
No caso das mitocôndrias e cloroplastos:
 São sintetizados pela ação dos ribossomos dentro das organelas listadas

Forma de Estudo
 Crio fratura: foi como as proteínas da membrana foram observadas e descobertas
no 1966
 Solubilização: se faz com o uso de detergente (Anfipático: que separa as proteínas
da bicamada lipídica) SDS (sodium dodecyl sulfate) especificamente o SDS PEGE
(polyacrylamide-gel electrophoresis)

Movimentos
 As proteínas integrais têm os mesmos movimentos que os lipídeos, sobre seu eixo
e deslocamento lateral, mas eles não fazem o Flip-Flop

Limites de movimentos
 Relacionamento com proteínas vizinhas
 Citoesqueleto da célula (retirando, pelo uso de engenheira genética, a região
citoplasmática da proteína se faz que a proteína pode deslocar-se uma maior
distância)
 Materiais Extracelulares (retirando, pelo uso de engenheira genética, a região
extracelular da proteína se faz que a proteína pode deslocar-se com uma maior
velocidade)

Divisão por regiões da proteína


 Reg. Hidrofóbica: composta pelos aminoácidos apolares, é a região que faz contato
com a bicamada lipídica, normalmente ela está composta pela Alfa-Hélice (20-30aa.
transmembranares), mas tem proteínas com Folha-Beta (10-10> aa.
transmembranares) uma delas é a Porina presente na MP das mitocôndrias,
cloroplastos e bactérias. Também, a Porina, forma
 Reg. Hidrofílica:
• intracelular (reg. Citoplasmática): O ambiente citoplasmático também é
conhecido pelo efeito redutor que previne a formação de ligações de bissulfeto (S-
S) entre os resíduos de cisteína na parte citosólica da célula.
• extracelular: é para onde os açúcares (CH) estão, é pôr os açúcares que tem
carga (-), são chamados glicoproteínas. Outro dato importante é que as ligações de
bissulfeto são feitas para a estabilização da estrutura dobrada da proteína e para o
relançamento entre proteínas.

Funções
 Transportadores: são proteínas transmembranares que permitem o passo de
moléculas especificas, iones e macromoléculas. Podem ser facilitadores, que
mediam passo de sustâncias por difusão facilitada (aminoácido, glucose, ...), ou de
transporte ativo, que transportam moléculas só para um lado da célula (intracelular
ou extracelular) são os que formam os gradientes.
Um exemplo deles é a proteína Banda 3 presentes nos eritrócitos do sangue que
intercambia iones de cloro.
 Canais Iônicos: são produzidos pelo relacionamento entre proteínas integrais,
formando assim um ¨canal¨ que produzem a difusão passiva de iones e agua.
 Estrutural: algumas das proteínas e glicoproteínas os que tem muita importância
na estrutura da membrana plasmática, como é no caso da Glicoforina que é uma
proteína presente nos eritrócitos do sangue que previne, pela ação da sua carga
negativa (hidrofóbica), a adesão entre outra célula e com a parede dos vasos
sanguíneos.
 Como moléculas de adesão celular: são proteínas e glicoproteínas que fazem
uniões de uma célula com outras células, no caso das Caderinas, e também com o
ambiente extracelular da célula que também podem ter função motora para a
célula, no caso das Selectinas, ou fixar a célula com seu ambiente celular e também
ter função de sinalização para a célula, no caso das Integrinas.
 Receptores: são proteínas e glicoproteínas que mediam a sinalização da célula por
meio da interação com substancias. Estão presentes na membrana plasmática da
célula, organelas. Podem ser classificados como: canais iônicos, proteínas g e
enzimas.
Algumas das mais importantes são: o Receptor de inulinas, CD4 (que tem sua
relação na patologia do VIH) e receptor tipo Toll (TLR).

PAMP (Padrões moleculares associados a patógenos)


São sequências moleculares localizadas nos agentes patógenos reconhecidos, pelo sistema
imune inato do corpo que tem diferentes respostas.
Elas têm receptores chamados Receptor de reconhecimento de padrões (PRRs) em
diferentes células imune, os mais importantes são os Receptores tipo Toll (TLR): são
proteínas transmembranares que reconhecem componentes lipopolisacaridos e
peptidoglicanos presentes na parede celular das bactérias.