Você está na página 1de 120

Prof.

José Manuel de Almeida Júnior


} Coração
} Vasos sanguíneos
◦ Artérias
◦ Veias
} Sangue
} Órgãos hemopoéticos e linfoides
} Vasos linfáticos
} Linfa
} É um par de bombas musculares valvuladas
combinadas em um único órgão” (Gray).

} É um órgão fibromuscular cavitário de forma


mais ou menos cônica ou piramidal,
localizado 2/3 à esquerda do plano mediano.
Ocupa o mediastino médio.
} Apresentam três camadas (túnicas) em sua
constituição:
◦ Túnica adventícia (externa);
◦ Túnica média (muscular);
– lâmina elástica delimitando a t. muscular
◦ Túnica íntima (interna).
– Nas artérias constituída por endotélio e subendotélio
– Nas veias apenas pelo endotélio
• Vasos sanguíneos que conduzem sangue do

coração para os tecidos;

• Apresentam características próprias que as

diferenciam das veias;


} Pulsação
} Ramificação – artérias de menor calibre, arteríolas e
metarteríolas
} Relação a./v. menor
} Em seu interior o fluxo sanguíneo é centrífugo
} Profundas, sendo que algumas se superficializam
} Acompanham os ossos (proteção)
} Manutenção da pressão arterial
• Vasos sanguíneos que conduzem sangue dos

tecidos para o coração;

• Apresentam características próprias que as

diferenciam das artérias


} Em seu interior o fluxo sanguíneo é centrípeto
} Relação a./v. maior
} Superficiais e profundas (acompanham as aa. – veias
satélites)
} Recebem afluentes ou tributárias
◦ Vênulas, veias de médio e grande calibres
} Apresentam válvulas no seu interior
} Irrigação

— Processo envolvendo a “chegada” de sangue contendo

nutrientes e O2, através das artérias, aos tecidos.

— Sangue arterial – O2
} Processo envolvendo a “retirada” de

catabólitos e CO2 dos espaços intersticiais,

através das veias.

} Sangue venoso – CO2


} Tecido conjuntivo especializado

◦ Matriz extracelular líquida (plasma)

◦ Elementos figurado (células):


– Células vermelhas – hemácias (eritrócitos)

– Células brancas – linfócitos (leucócitos)

– Plaquetas (restos celulares)


} Medula óssea vermelha

} Baço – também atua na destruição de hemáceas

velhas (120 dias)


} Produção de elementos de defesa
◦ Linfonodos
◦ Baço – Linfócitos B
◦ Timo – Linfócitos T
◦ Tonsilas
– Faríngeas

– Palatinas
– Linguais
} Como resultante do metabolismo, os capilares

não apresentam capacidade para drenagem de

todo o conteúdo do espaço intersticial,

principalmente líquidos e partículas maiores,

sendo necessária uma rede auxiliar para essa

drenagem – a rede de vasos linfáticos.


} Linfa
◦ Líquido com características semelhantes ao plasma
sanguíneo apresentando cerca de 2% a 6 % de
proteínas (partículas maiores);
◦ Também representa uma grande via de absorção de
nutrientes (rede linfática do I. delgado)
◦ Pode conduzir também microorganismos
agressores que serão destruídos nos linfonodos.
A maior parte do líquido filtrado nas extremidades
arteriais dos capilares sangüíneos é reabsorvido
pelas extremidades venosas dos capilares
sangüíneos. Em média, 10% do líquido segue
pelos capilares linfáticos e retorna ao sangue.
O volume total é de aproximadamente 2 a 3 litros
por dia, ou seja, 120 ml/hora.
A linfa apresenta, portanto, praticamente a mesma
composição do líquido intersticial.
} Vasos linfáticos
◦ Vasos com características morfológicas próprias
apresentando espaçamento entre as células
endoteliais, permitindo assim, a passagem do
liquido intersticial e de partículas maiores,
principalmente proteínas. Este desenho impede
o retorno para o espaço intersticial;
Capilares linfáticos:
} São vasos linfáticos que drenam o líquido
tecidual.
} Os capilares têm início em fundo cego;
são mais calibrosos que os capilares
sangüíneos. Conseguem recuperar as
proteínas por serem mais calibrosos.
} A linfa é clara pois não possui hemácias.
} A linfa do intestino é amareladaà
gordura.
} Contração dos músculos esqueléticos;
} Movimentos passivos do corpo;
} Pulsação das artérias;
} Compressão externa dos tecidos;
} Presença de fibras mioendoteliais que fazem os
capilares se contraírem varias vezes por minuto
} Apresentam válvulas que impedem o refluxo da
linfa, sempre direcionada para a região cervical.
Estrutura da parede capilar. Notar a
fenda intercelular entre as células
endoteliais adjacentes.
Difusão de moléculas de líquido e de substâncias
dissolvidas entre o capilar e os espaços do líquido
intersticial.
} Cisterna do quilo
◦ Estrutura de forma variável, presente em cerca de
54% dos indivíduos, responsável pela coleta do
fluxo linfático originado nos membros inferiores,
pelve e abdome (intestinos), através de seus
respectivos troncos coletores;
◦ Emerge da porção superior da cisterna do quilo o
maior ducto linfático do corpo – Ducto torácico.
} Em sua porção cervical o Ducto torácico recebe:
◦ Ducto Subclávio (membro superior esquerdo).
◦ Tronco Jugular (metade esquerda da cabeça e
pescoço)
◦ Tronco Broncomediastínico (metade esquerda do
tórax)
} O Ducto torácico vai, à medida que se aproxima da
região cervical, diminuindo seu calibre para então
fazer um arco antes de terminar no ângulo venoso (v.
jugular interna esquerda e v. subclávia esquerda)
podendo terminar somente na veia jugular interna
esquerda.
} O restante da drenagem linfática :

◦ troncos jugular direito, broncomediastínico direito

e subclávio direito desembocam diretamente no

ducto linfático direito.


Ducto torácico

Cisterna do quilo
} Estruturas responsáveis pela filtração de toda linfa, podendo

detectar e combater microorganismos agressores e células

tumorais através da ação dos linfócitos presentes em seu interior.

Para isso, pode haver uma grande atividade de multiplicação dos

linfócitos, provocando um aumento dos linfonodos.


} Estão presentes isoladamente ou em grupos, onde se destacam os

localizados nas regiões cervical, axilares e inguinais.


Circulação
fetal
DIÁSTOLE SÍSTOLE
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ÁTRIO ÁTRIO

Tronco Aorta
Pulmonar

VENTRÍCULO VENTRÍCULO
ESQUELETO FIBROSO DO CORAÇÃO
ÁTRIOS

VENTRÍCULOS
CONCEITO DO CORAÇÃO HELICOIDAL
MIOFIBRILAS

Filamentos Finos: Actina


Troponina
Tropomiosina

Filamento Grosso: Miosina


LINHA Z
I A

BANDA I BANDA A

ZONA H
Filamentos Finos

Filamentos Grossos
SARCÔMERO
CONTRAÇÃO

SARCÔMERO
COMPLEXO ESTIMULANTE
DO CORAÇÃO