Você está na página 1de 6

Metodologia do Ensino da Educação Especial e Inclusiva

Prof.ª Me Denise Marques Alexandre

1
AULA 1
Histórico da Educação Especial e Inclusiva

Introdução

Contextualizar a educação especial desde os seus


primórdios até a atualidade nos trará a compreensão
dos avanços da inclusão nos ambientes sociais e
escolares. A garantia de que todos têm o direito ao
acesso ás escolas, se concretizou após uma longa
jornada que foi fadada pelo desinteresse,
menosprezo e exclusão.
A proposta de um breve passeio pela história da Fonte da imagem: http://brasil.estadao.com.br/blogs/vencer-limites/wp-
content/uploads/sites/189/2014/08/ACESSIBILIDADE-BLOG.jpg
educação especial na perspectiva da educação
inclusiva mostrará as mudanças em sua configuração
e a reformulação de seus paradigmas e conceitos.

2
Etapas

Na Idade Antiga (3.500 a.C. a 476 d.C.) considerada a etapa


do extermínio, os deficientes eram abandonados,
perseguidos e eliminados devido as suas condições atípicas,
tal conduta era socialmente legitimada por representar os
valores da época.

As crianças nas cidades antigas como Esparta e Atenas eram


abandonadas a própria sorte por não fazerem parte de uma
sociedade dita “”correta”” em termos de estrutura física ou
mental.

Cristianismo

Já na Idade Média (476 d.C a 1453 d.C) intitulada de etapa


filantrópica, foi sustentada pelos ideais cristãos. De acordo
com Pessotti (1984), o tratamento variava segundo as
concepções de caridade ou castigo predominantes na
comunidade em que o deficiente estava inserido. Pelos ideais
cristãos pessoas doentes, defeituosas ou mentalmente
afetadas não podiam mais ser exterminadas.
Com a difusão do cristianismo, algumas figuras surgem nesse
período, podemos citar a figura de Nicolau, Bispo de Myra,
que nos 300 d.C. acolhia crianças com deficiência
abandonada por suas famílias (foi considerado o Patrono das
Crianças com Perturbações do Desenvolvimento).

3
Mudanças

No século XIII, surge à primeira instituição para pessoas com


deficiência, precursora de atendimento sistemático. Era uma
colônia agrícola, na Bélgica, que propunha o tratamento com
base na alimentação, exercícios e ar puro para minimizar os
efeitos da deficiência. Na etapa científica (1.453 d.C a 1789
d.C) as ações e tratamentos médicos já eram aplicados as
pessoas com deficiência.

Medicina
No século XVI, surgiram dois intelectuais: Paracelso,
médico e, Cardano, filósofo. Paracelso, no seu livro
“Sobre as doenças que privam o homem da razão”,
foi o primeiro a considerar a deficiência mental um
problema médico, digno de tratamento. Cárdamo
também considerava a deficiência um problema
médico, e se preocupava com a educação das
pessoas que apresentavam a deficiência.

Paracelso Cardano
Fonte da imagem:
Fonte da imagem: https://es.wikipedia.org/wiki/Gerolamo_Cardano
https://pt.wikiquote.org/wiki/Paracelso

4
Ainda no século XVII, John Locke revoluciona as doutrinas vigentes sobre a mente
humana e suas funções. Ele definiu o recém-nascido e o idiota como “tabula rasa” (o
comportamento como produto do ambiente, que possibilita as experiências) e via,
então, a deficiência como a carência de experiências. Advogava que o ensino deveria
suprir essa carência.
O século XIX foi marcado pelo trabalho de vários autores, os médicos Jean Marc Itard
(1774-1838) e Edward Seguin (1812-1880). Itard apresentou o primeiro programa
sistemático de Educação Especial (1800).
Jean Marc Itard John Locke Edward Sequin

Fonte da imagem: Fonte da imagem: Fonte da imagem:


https://en.wikipedia.org/wiki/Jean_Marc_Gaspard_Itard http://www.philosophybasics.com/philosophers_ locke.html https://alchetron.com/%C3%89douard-S%C3%A9guin

Evolução nos estudos


Na primeira década do século XX, surgem as escolas
montessorianas. Maria Montessori (1870-1956) foi outra
importante educadora que contribuiu para a evolução da
educação especial, seu método criado para crianças com
deficiências, parte do concreto rumo ao abstrato. Baseia-se na
observação de que meninos e meninas aprendem melhor pela
experiência direta de procura e descoberta.
A educadora italiana desenvolveu os materiais didáticos que
constituem um dos aspectos mais conhecidos de seu trabalho.

Fonte da imagem: http://www.peacefulvalleymontessori.org/who-is-


maria-montessori/

5
No quarto estágio (Idade Contemporânea – 1789 d.C até
hoje), no final do século XX, por volta da década de 70,
observa-se um movimento de integração social dos
indivíduos que apresentavam deficiência, cujo objetivo era
integrá-los em ambientes escolares. Na fase de integração
fundamentava-se o fato de que a criança deveria ser educada
até o limite de sua capacidade.
A história da Educação Especial mostra a trajetória da
sociedade com as pessoas com deficiência ao longo do
tempo.

SOMOS TODOS IGUAIS NA DIFERENÇA!

Fonte da imagem: https://www.priscillaranieri.com.br/single-post/2014/08/02/Inclus %C3% A3o-Escolar