Você está na página 1de 10

Filosofia Primeira Câmara

1
© 1998 – 2011 Wingmakers LLC
www.wingmakers.com
www.wingmakers.org.mx
https://sites.google.com/site/wingmakersbrasil

PRINCÍPIOS DE VIDA DO SOBERANO INTEGRAL

1
O modelo de entidade de expressão foi criado para explorar novos campos de vibração
através de instrumentos biológicos e se transformar, nesse processo de descoberta, para um
novo nível de entendimento e expressão como um Soberano Integral. O Soberano Integral é
a mais completa expressão do modelo de entidade dentro dos universos de tempo-espaço, e
o que mais perto chega das capacidades da Inteligência Fonte. É também o estado natural
de existência da entidade que se transformou além do modelo de evolução/salvação de
existência e se liberou dos aspectos controladores da Hierarquia pela ativação completa de
seus Códigos Fonte embutidos na entidade. Este é o nível de capacidade que foi "semeado"
dentro do modelo da entidade de expressão quando foi concebido inicialmente pela
Primeira Fonte. Todas as entidades dentro dos universos de tempo-espaço estão em
diferentes estágios de transformação e todos estão destinados a alcançar o nível de
Soberano Integral assim que seus Códigos Fonte forem totalmente ativados.
2
A experiência transformacional é a realização na qual o modelo de entidade de expressão é
capaz de ter acesso direto com a informação da Inteligência Fonte, e que a informação da
Primeira Fonte é descoberta dentro do nível da entidade do Soberano Integral. Em outras
palavras, o instrumento humano, com suas capacidades biológicas, emocionais e mentais
plenas, não é o repositório dos Códigos Fonte da entidade. Também não é capaz de
alcançar ou obter essa informação libertadora -- esta liberdade gloriosa para acessar
"Aquilo que Tudo É". É a entidade, que é tanto o refúgio quanto o instrumento de acesso
para a ativação do Código Fonte, que permite que a experiência transformacional se
manifeste através da integração do instrumento humano e a entidade soberana.
3
A experiência transformacional consiste na realização que a realidade percebida é a
Realidade Fonte personificada na forma das preferências individuais. Portanto, Realidade
Fonte e realidade soberana, tornam-se inseparáveis como o vento e o ar. Esta confluência é
percebida somente através da experiência transformacional, que é algo completamente
diferente de qualquer coisa conhecida dentro dos universos de tempo-espaço.
4
Alguns na Terra-mundo experimentaram uma leve brisa desta tempestade poderosa. Alguns
chamaram isto de ascensão, outros deram nomes como iluminação, visão, vislumbramento,
nirvana, e consciência cósmica. Embora essas experiências sejam profundas para os
padrões humanos, são apenas os movimentos iniciais do Soberano Integral, tornando-o
cada vez mais apto a tocar e despertar as extremidades remotas de sua existência. O que a
maioria das espécies define como o máximo do êxtase, é somente a impressão do Soberano
Integral sussurrando a seus postos avançados com forma e os cutucando para olhar dentro

2
de suas raízes de existência e se unir com esta inteligência sem forma e ilimitada que a tudo
permeia.
5
A experiência transformacional está muito além da dimensão do destino humano, assim
como as estrelas no céu estão além do toque da Terra-mundo. Você pode observar as
estrelas com seus olhos humanos, mas você nunca as tocará com suas mãos humanas. Da
mesma forma, você pode imaginar vagamente a experiência transformacional com o
instrumento humano, mas não pode experimentá-la através do instrumento humano. Isto
somente é acessado pela totalidade da entidade, e só assim, na totalidade, que os Códigos
Fonte e seus efeitos residuais da percepção da Realidade Fonte podem existir. E na verdade,
esta totalidade só é conseguida quando a consciência individual é separada do tempo e é
capaz de ver sua existência na eternidade.
6
No entanto, o instrumento humano é crítico para facilitar a experiência transformacional e
para ativar -- como uma metamorfose -- a integração de identidades com forma no
Soberano Integral. Este é o próximo estágio de percepção e expressão para o modelo de
entidade, e é ativado quando a entidade projeta sua realidade dos princípios de vida que são
símbolos da Realidade Fonte, ao invés da realidade de uma fonte externa que está ligada ao
modelo de existência evolução/salvação.
7
Estes princípios de vida são modelos de criação da Inteligência Fonte. Foram projetados
para criar realidade sob a perspectiva do Soberano Integral e aceleram sua manifestação
dentro de campos de vibração que os tem repelido até este ponto. Eles são princípios que
constroem oportunidades para a integração das entidades sem forma com as entidades com
forma. Elas são pontes nas quais o instrumento humano -- com todos os seus componentes
intatos -- pode experimentar a percepção da totalidade do Soberano Integral.
8
A medida que o instrumento humano vai ficando cada vez mais suscetível à Inteligência
Fonte, tenderá a ficar dentro de princípios de vida que simbolicamente expressam os
princípios formativos da criação suprema. Há uma grande gama de manifestações que
podem levar à experiência transformacional do Soberano Integral e livrar a entidade do
condicionamento do tempo-espaço e de controles externos (Hierarquia). Considerando que
a manifestação pode variar, a intenção da manifestação é minuciosamente definida de
acordo com o objetivo de se expandir no estado de integração através do qual o instrumento
humano crescentemente se alinha com a perspectiva do Soberano Integral.
9
Há três princípios de vida específicos que aceleram a experiência transformacional e
ajudam a alinhar o instrumento humano com a perspectiva do Soberano Integral. São eles:

1) Relacionamento com o Universo através da gratidão


2) Percepção da Fonte em todas as coisas
3) Realimentação da vida

Quando o indivíduo aplica estes princípios, sua experiência de vida passa a ter um
significado mais profundo, mesmo nos eventos aparentemente fortuitos, tanto no contexto
universal quanto no pessoal.

3
10
Relacionamento com o Universo através da Gratidão

Este é o princípio no qual o Universo da Totalidade representa uma inteligência coletiva


que pode ser personalizada como uma única Entidade Universal. Assim, neste modelo,
pode-se concluir que há apenas duas entidades em todo universo: a entidade individual e a
Entidade Universal. Já que o indivíduo é impressionável e está a todo momento mudando
para se adaptar a informações novas, assim é a Entidade Universal, que é um modelo
dinâmico e pulsando energias latentes e experiências que são coerentes e tão familiares
como a personalidade e o comportamento de um amigo.
11
A Entidade Universal é suscetível ao indivíduo e as suas percepções e manifestações. É
como uma omni-personalidade complexa que está saturada de Inteligência Fonte e
responde às percepções do indivíduo assim como um lago espelha a imagem que o
escurece. Qualquer um no instrumento humano, dentro de seu íntimo, é, definitivamente,
uma entidade soberana que pode transformar o instrumento humano em um instrumento do
Soberano Integral. Porém, esta transformação depende da escolha do indivíduo de projetar
uma imagem de um Soberano Integral no "espelho" da Entidade Universal, ou projetar uma
imagem menor que é uma distorção de seu verdadeiro estado de ser.
12
O princípio do relacionamento com o universo através da gratidão está primariamente
relacionado com a criação consciente da auto-imagem da pessoa através de um
reconhecimento do “espelho” protetor da Entidade Universal. Em outras palavras, a
Entidade Universal é um parceiro na modelação da expressão de realidade na vida da
pessoa. Realidade é um processo interno de criação que está totalmente livre de controles
externos e condicionamentos, caso o indivíduo projete uma imagem soberana no espelho da
Entidade Universal.
13
Este processo é um intercâmbio de energia protetora do indivíduo para a Entidade
Universal, e esta energia é mais bem aplicada por um reconhecimento de quão perfeito e
preciso o intercâmbio acontece em cada momento da vida. Se o indivíduo está consciente
(ou pelo menos interessado em ter a consciência) de quão perfeitamente a Entidade
Universal apóia a realidade soberana do indivíduo, começa a existir um poderoso e natural
sentido de gratidão que flui do indivíduo para a Entidade Universal. É esta fonte de gratidão
que abre o canal de proteção da Entidade Universal para o indivíduo e estabelece uma
colaboração de propósito para transformar o instrumento humano em uma expressão do
Soberano Integral.
14
É principalmente a gratidão -- que reproduz um reconhecimento de como se dá o inter-
relacionamento do indivíduo e a Entidade Universal -- que abre o instrumento humano para
sua conexão com a entidade soberana e sua eventual transformação para o estado de
percepção e expressão do Soberano Integral. É essencial que se cultive e se alimente a
relação do indivíduo com a Entidade Universal, pois isso, mais que qualquer outra coisa,
determina quão receptivo está o indivíduo para as inúmeras formas de vida e manifestações.
15
Quando o indivíduo aceita mudanças na realidade soberana como uma persona mutável da
Entidade Universal, passa a viver em maior harmonia com a própria vida. A vida se torna

4
uma troca de energia entre o indivíduo e a Entidade Universal que permite levar uma vida
sem julgamentos e experimentar coisas novas absolutamente sem medo. Este é o
significado subjacente do amor incondicional: experimentar a vida em todas as suas
manifestações como uma única e unificada inteligência que reproduz exatamente a
verdadeira imagem do instrumento humano.
16
É por isso que quando o instrumento humano manifesta gratidão à Entidade Universal,
independentemente das circunstâncias ou condições, a vida fica cada vez melhor, abrindo o
instrumento humano para ativar seus Códigos Fonte e viver uma vida dentro das regras do
modelo síntese da expressão. O sentimento de gratidão associado com o conceito mental de
agradecimento se manifesta como uma mensagem invisível em todas as direções e em
todos os tempos. Neste contexto particular, a gratidão para a Entidade Universal é o abrigo,
a proteção por trás de todas as formas de expressão às quais tanto aspira o instrumento
humano.
17
Qualquer respiração, palavra, toque, pensamento, tudo é centrado para expressar esse
sentido de gratidão. Uma gratidão cujo indivíduo é soberano e protegido por uma Entidade
Universal que se manifesta em todas as formas e manifestações de inteligência, com o
objetivo exclusivo de criar a realidade ideal para ativar os Códigos Fonte do indivíduo e
transformar o instrumento humano e a entidade no Soberano Integral. É esta forma
específica de gratidão que acelera a ativação dos Códigos Fonte e sua peculiar habilidade
de integrar as características difusas do instrumento humano e da entidade, transformando-
os ao estado de percepção e expressão do Soberano Integral.
18
O tempo é o único fator que distorce esta clara conexão entre o indivíduo e a Entidade
Universal. Tempo interfere e cria crises de desespero, desesperança, e abandono. No
entanto, são essas mesmas crises que muitas vezes ativam os Códigos Fonte da entidade e
estabelecem uma relação mais íntima e harmoniosa com a Entidade Universal. O tempo
estabelece separação de experiência e a percebida descontinuidade da realidade, que por
sua vez cria dúvida quanto ao sistema de justiça e de proteção da Entidade Universal. O
resultado disso é o medo de que o universo não seja um espelho, mas apenas uma energia
caótica, desordenada.
19
Quando o instrumento humano está alinhado com o Soberano Integral e vive dessa
perspectiva como uma realidade em desenvolvimento, é atraído para um estado natural de
harmonia. Isto não necessariamente significa que o instrumento humano esteja imune a
problemas ou desconfortos, apenas significa uma percepção de que existe um propósito
integrante no qual a vida se revela. Em outras palavras, a harmonia natural percebe que
aquela experiência de vida é significativa à medida que mostra o quanto você está alinhado
com o Soberano Integral, e que sua realidade pessoal tem que fluir desse nível do universo
multidimensional para criar alegria duradoura e paz interior.
20
Gratidão é um lado crítico do amor que abre o instrumento humano para reconhecer o papel
da Entidade Universal e redefine seu propósito como uma expansão protetora da realidade
soberana, em lugar do enganoso caos do destino ou de uma reação precisa de um universo
mecânico e desconectado. Estabelecendo uma relação com a Entidade Universal pelo fluxo

5
da gratidão, atrai-se experiência de vida que é transformadora. Experiência que é ricamente
dedicada a descobrir o mais profundo sentido da vida e suas razões.
21
Percepção da Fonte em Todas as Coisas

Este é o princípio que a Primeira Fonte está presente em todas as realidades por todas as
manifestações de energia. Está entrelaçada em todas as coisas como um mosaico cujas
peças aderem à mesma parede, portanto estão unidas. Porém, não é a pintura que unifica o
mosaico, mas a parede na qual suas peças aderem. Semelhantemente, a Primeira Fonte
pinta um quadro tão diverso e aparentemente sem conexão que parece não ter nenhuma
unidade. Contudo, não são as manifestações externas que unificam, é o centro de energia
interno, na qual as peças da diversidade estão colocadas em camadas, que unifica todas as
manifestações.
22
Este centro de energia interior é o armazém coletivo de toda a vida em todos os campos de
vibração dentro do Universo da Totalidade. É a Primeira Fonte que SE revela em todas as
formas pela projeção de SUA Inteligência Fonte em todos os fragmentos da vida. Assim,
Inteligência Fonte -- agindo como uma extensão da Primeira Fonte -- é a energia
unificadora, a "parede" na qual todas as peças do mosaico da vida se aderem. A vida flui de
uma Fonte de energia que une tudo ao Todo e um ao Um.
23
A Percepção da Fonte em Todas as Coisas é o princípio que todas as manifestações de vida
carregam uma expressão da Primeira Fonte. Não importa se a energia unificadora for
distorcida ou desvirtuada; a Fonte pode ser percebida. É o ato de perceber a unificação da
energia até mesmo quando as manifestações externas parecem sem sentido, distorcidas,
sem conexão, ou caóticas.
24
Quando todas as manifestações de vida são genuinamente percebidas como expressões
fragmentárias da Primeira Fonte, a vibração de igualdade que está subjacente a todas as
formas de vida (life-forms), torna-se perceptível ao instrumento humano. A vida emerge
inicialmente como uma extensão da Realidade Fonte, e depois como uma frequência de
energia individualizada investida dentro de uma forma. Ela vibra, em seu puro e infinito
estado, exatamente da mesma forma para todas as manifestações de vida. Esta é a área
comum que todo tipo de vida compartilha. Este é o tom-vibração de igualdade que pode ser
observado dentro de todas as formas de vida, que unifica todas as expressões de diversidade
para o alicerce da existência, conhecida como a Primeira Fonte. Se um indivíduo for capaz
de olhar qualquer forma de vida com a perspectiva de igualdade, estará observando a Fonte
em todas as coisas.
25
Embora isso possa parecer um conceito abstrato, é realizado pela prática de procurar as
manifestações externas e internas da Primeira Fonte. Literalmente, o indivíduo espera
observar como atua a Inteligência Fonte em todos os lados de sua experiência. É a certeza
que tudo está em sua posição correta, executando perfeitamente sua função, e servindo seu
propósito de ativar a mais completa expressão de sua vida no momento presente. É a visão
que toda a vida está em um estado ideal de realização e experiência, apesar das condições
ou circunstâncias. É a percepção que a vida é perfeita em sua expressão porque flui da

6
perfeição, e que não importa quão divergentes são suas manifestações, a vida é uma
extensão da Realidade Fonte.
26
À luz da óbvia confusão e aparente destruição que acompanham a vida na Terra-mundo,
esta é uma perspectiva ou percepção que parecem ingênuas. Como pode a vida -- em todas
suas formas e manifestações -- ser percebida como ideal ou perfeita? Este é o grande
paradoxo da vida, e não pode ser resolvido com as capacidades mentais ou emocionais do
instrumento humano. Só pode ser entendido no contexto da entidade que é imortal,
ilimitada, infinita, e soberana. Paradoxos existem porque o contexto humano é muito
limitado em objetivo e extensão para permitir uma percepção de totalidade que interfere e
ilumina o quanto as peças do quebra cabeça estão unidas em uma relação perfeita.
27
A dimensão de tempo e espaço e os elementos de energia e matéria limitam o contexto
humano que está jogado nas fases de sobrevivência e de comportamento aleatório em
função dos métodos da Hierarquia de controlar informação e manipular condições. A
entidade dentro do instrumento humano é totalmente imanifesta e subutilizada no contexto
humano, e então, perversões aparentes e imperfeições da vida são vistas como coisas
isoladas, como impedimento para perfeição em vez de perfeição em si mesma.
28
A vida é perfeita em sua determinação de se expandir e expressar uma inteligência que é
ilimitada. Este é o propósito fundamental da vida em todas suas diversas manifestações, e
esta é a presença da Primeira Fonte, SE expressando como uma vibração de igualdade, que
pode ser observada em todas as coisas. A entrada sensorial derivada do instrumento
humano é limitada a frequências em graus específicos que só refletem um eco desta
vibração da Fonte. A verdadeira frequência é entendida através de uma deliberada e
concentrada contemplação de igualdade, inerente a todas as coisas, e a habilidade para
penetrar além da pintura de algo para atingir sua origem.
29
Esses insights requerem um novo sistema sensorial além dos cinco sentidos que hoje
regulam o mundo humano no seu tempo. Estes novos sentidos são o resultado da ativação
do Código Fonte, e representam o primeiro estágio da experiência de transformação. Com
esta nova habilidade de percepção, o instrumento humano será capaz de não só sentir a
presença da Primeira Fonte, mas também a essência infinita dentro de toda a vida que é
individualizada e singularmente o separa da Primeira Fonte.
30
Estimular as percepções da entidade dentro do instrumento humano é o método ideal para
acessar uma sensibilidade duradoura da vibração Fonte. É dessa forma que um indivíduo
pode desenvolver a habilidade para observar a Fonte em todas as coisas. Não é somente a
Primeira Fonte que está dentro de toda manifestação individual de energia, mas também a
totalidade da vida em si mesma. Assim, o princípio requer uma observância da Fonte em
todas as SUAS diversificadas formas de manifestação, como também na totalidade da vida.
31
Realimentação da Vida

Vida, nesta definição, é a realidade soberana de um indivíduo. É subjetiva e impressionável


para o instrumento humano. Vida é a totalidade das experiências fluindo além do campo de
percepção do indivíduo na dimensão do agora. Nunca há uma conclusão para a vida ou um

7
último capítulo escrito. É eterna, mas não no sentido abstrato de sem começo e sem fim,
mas no sentido real de que vida está permanentemente em expansão para manifestar a
Inteligência Fonte em todos os campos de vibração dentro do Universo da Totalidade.
32
Realimentar a vida é o princípio que um indivíduo está alinhado com a expansão natural da
inteligência inerente dentro de toda a vida. Este é um alinhamento que intensifica a vida-
energia que flui além do indivíduo, com a intenção clara de auxiliar sutilmente. É o ato de
identificar o motivo mais alto em todas as formas de energia e auxiliar o fluxo desta energia
para sua última manifestação. Desta forma, a ação é executada sem julgamento, análise ou
busca de resultado. É simplesmente realimentando a energia que flui de todas as
manifestações e que auxilia sua expressão de vida.
33
Isto é diferente da percepção normal de auxílio à expressão de vida, que só pode ser
concedida quando energia está em alinhamento com o desejo pessoal. Porém, quando o
indivíduo pode perceber a vida como uma energia integrada que flui na manifestação da
inteligência em expansão, a vida é respeitada como uma extensão da Primeira Fonte. Neste
contexto, não há energia que seja mal dirigida ou indigna de apoio e nutrição. Embora isto
possa parecer contrário à evidência de energias injustas na Terra-mundo, até mesmo de
energia que está carregada de "más intenções", ainda assim é energia que está fluindo à
procura de uma expressão mais alta.
34
Todas as formas de energia podem ser nutridas e levadas para sua expressão mais alta, e
esta é a ação fundamental deste princípio. Requer a habilidade para perceber o motivo
causal e a expressão última da vida-energia quando passa pela realidade soberana do
indivíduo. Energia é um elemento da vida que está tão sutilmente entrelaçada com a forma
que é uma única coisa; da mesma maneira como espaço e tempo estão emaranhadamente
unidos. Energia é uma causa. É inteligente além da capacidade da mente de entender.
Embora seja uma força que pode estar sujeita a aplicações humanas que negam sua
expressão mais alta, energia sempre está saturando a vida para se expandir e evoluir.
35
Vida-energia sempre está em um estado de se tornar. Nunca é estática ou regressiva em seu
estado natural. O instrumento humano é capaz de criar esta expansão natural de energia
para moldar canais novos de expressão e experiência. Na realidade, o propósito primário do
instrumento humano é ampliar a vida-energia que cerca sua realidade soberana dentro da
existência física e transformá-la em novos níveis de expressão que com mais precisão
refletem a perspectiva do Soberano Integral.
36
Há muitas ações específicas que podem ser tomadas para criar vida. De certo modo, cada
entidade é programada dentro de seus Códigos Fonte para transmutar energia por uma
grande variedade de artifícios. Trabalhando através do instrumento humano, a entidade
pode coletar e armazenar energia dentro do instrumento humano e redirigir seu propósito
ou aplicação. A transmutação de energia pode acontecer tanto em níveis de expressão
pessoais como universais. Quer dizer, dentro da realidade soberana de um indivíduo,
energia pode ser transmutada para atender uma visão de bem-estar pessoal, ou para se
alinhar com uma visão de bem-estar universal e de benevolência.
37

8
Um dos melhores métodos para transmutar energia é através do sistema de crença da
pessoa. Todas as crenças têm sistemas de energia que agem como incubadoras para a
manifestação da crença. Dentro destes sistemas de energia existem correntes que dirigem a
experiência de vida. O instrumento humano, consciente ou inconscientemente, sabe da
existência dessas correntes, que o permite experimentar dentro da sua realidade, e lhes
permite levar isto no reino de experiência que exemplifica seu verdadeiro sistema de
crença.
38
Cultivando crenças que expandem e transformam energia, o instrumento humano pode se
aproveitar dos sistemas de energia que estão alimentando a vida em todas suas formas.
Quando as crenças são claramente definidas como estados preferidos de ser, o sistema de
energia está comprometido no agora -- não em algum tempo futuro. Agora. O sistema de
energia se torna inseparável do instrumento humano e entrelaçado no seu espírito como um
fio de luz. A claridade da crença é essencial para aproveitar o sistema de energia da crença,
permitindo que a realimentação da vida prevaleça em todas as atividades.
39
Novamente, a realimentação da vida é essencial tanto para as realidades pessoal como para
a universal dentro do Universo da Totalidade, que contém todos os campos de vibração que
estão interligados como fios de um tecido infinitamente em expansão. Assim, quando o
indivíduo desperta para seu poder criativo de transmutar energia e intensificá-la com a
intenção clara do auxílio sutil, se torna transmissor da Realidade Fonte e arquiteto do
modelo síntese da existência.
40
Pela aplicação contínua destes princípios de vida, a Inteligência Fonte cada vez mais se
torna a identidade da entidade, e a entidade se torna a identidade do instrumento humano.
Portanto, a identidade é transformada, e no despertar desta transformação, o Soberano
Integral unifica o instrumento humano com a entidade, e a entidade com a Inteligência
Fonte. É esta unificação e a troca de identidade que é o propósito explícito na manifestação
dos princípios de vida do Soberano Integral. Se houver qualquer outra intenção ou objetivo,
esses princípios permanecerão mal entendidos e seus poderes catalíticos adormecidos.
41
A perspectiva do Soberano Integral é que toda a vida é puro amor em sua maior expressão,
e que neste único conceito, toda vida é concebida e existe para sempre. Esta se torna a
crença máxima da qual todas as outras crenças se originam, e como resultado, o sistema de
crença da pessoa emerge com uma intenção clara de apoiar essa perspectiva fundamental;
de alimentar, observar, e reconhecer o Universo da Totalidade como o berço do qual toda a
vida é criada, que evolui, e que a pessoa definitivamente reconhece.
42
Estes princípios de vida são simplesmente símbolos representados em palavras e fornecidos
ao instrumento humano como uma receita poderosa para atiçar as brasas de luz que
queimam incansavelmente dentro dele. Não há uma técnica específica ou rituais que são
exigidos para invocar o poder destes princípios. Eles simplesmente são perspectivas. Em
um sentido real, eles são intenções que atraem a experiência que amplia a consciência. Eles
não produzem rápidas mudanças ou realizações instantâneas. Eles são amplificadores do
desejo pessoal e da intenção que esclarecem como se está vivendo. Seu poder
transformador é contido exclusivamente na intenção da sua aplicação.
43

9
Através desses princípios de vida do Soberano Integral, o indivíduo pode se tornar um
mestre de um Self sem limite. Limites são estabelecidos, véus são colocados, e a luz da
pessoa é reduzida, simplesmente porque controles externos, da hierarquia, criam medo de
práticas desconhecidas e místicas de um ser soberano. Estes princípios de vida, se forem
verdadeiramente aplicados com intenção apropriada, são as ferramentas para acelerar o
aparecimento do Soberano Integral e sentir sua perspectiva, seus insights, e suas
habilidades livres para criar realidades novas e moldá-las como um empreendimento de
aprendizado, que liberam e ampliam a consciência. Este é o propósito subjacente dos
princípios e talvez a melhor razão para explorá-los.

10

Você também pode gostar