Você está na página 1de 10

COMO ELABORAR ATLAS ESCOLARES VISANDO À EDUCAÇÃO

INCLUSIVA
HOW TO ELABORATE SCHOOL ATLAS FOR INCLUSIVE EDUCATION

TA M A R A DE CA ST R O RÉ GIS
Graduada e mestre em Geografia (USFC), doutoranda em Geografia (UFSC)
Pesquisadora do Laboratório de Cartografia Tátil e Escolar (LABTATE)
t am ara.regi s @hotmai l .co m

R UTH EM Í L IA NOG U E IRA


Graduada em Engenharia Cartográfica (UFPR), Mestre em Geografia (UFSC) e Doutora em Engenharia Florestal (UFPR)
Professora do curso de Geografia UFSC, onde coordena o Laboratório de Cartografia Tátil e Escolar (LABTATE)
ru t henoguei ra@gmai l .co m

RESUMO: ESTE ARTIGO DISCORRE ACERCA DOS PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UTILIZADOS PARA ELABORAR UM MODELO DE ATLAS MUNICIPAL
ESCOLAR ADAPTADO, DESENVOLVIDO NA PERSPECTIVA DE UMA EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA INCLUSIVA, COM O INTUITO DE FACILITAR O ACESSO AO
CONHECIMENTO GEOGRÁFICO POR ESTUDANTES COM E SEM DEFICIÊNCIA VISUAL. PARA TANTO, FOI ELABORADA UMA PROPOSTA DE CONFECÇÃO
DE ATLAS GEOGRÁFICO QUE LEVA EM CONTA ALGUMAS DIRETRIZES METODOLÓGICAS APONTADAS POR PESQUISADORES COMO LE SANN (2001),
LASTÓRIA (2007), FUCKNER (2009) COMPLEMENTADAS PELOS CONHECIMENTOS NO CAMPO DA CARTOGRAFIA TÁTIL, ADVINDO DA ATUAÇÃO DAS
PESQUISADORAS EM ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO LABORATÓRIO DE CARTOGRAFIA TÁTIL E ESCOLAR (LABTATE). COMO RESULTADOS DESTE
TRABALHO DESTACA-SE A SISTEMATIZAÇÃO DE UM REFERENCIAL TEÓRICO METODOLÓGICO QUE PODE SER EMPREGADO PARA A ELABORAÇÃO DE
OUTROS ATLAS ESCOLARES ADAPTADOS, ALÉM DA CONFECÇÃO DO MODELO DE ATLAS ADAPTADO DO MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS COM UMA
VERSÃO TÁTIL E BAIXA VISÃO, QUE TAMBÉM PODE SER UTILIZADO POR PESSOAS SEM DEFICIÊNCIA VISUAL E UMA VERSÃO ELETRÔNICA ACESSÍVEL
DO ATLAS QUE ESTÁ DISPONIBILIZADA NO WEBSITE DO LABTATE.
PALAVRAS-CHAVE: ATLAS ESCOLAR; ATLAS MUNICIPAL ADAPTADO; EDUCAÇÃO INCLUSIVA; DEFICIÊNCIA VISUAL; CARTOGRAFIA TÁTIL.

ABSTRACT: THIS ARTICLE DISCUSSES THE METHODOLOGICAL REQUIREMENTS TO ELABORATE A MODEL OF ADAPTED MUNICIPAL SCHOOLING,
DEVELOPED IN THE PERSPECTIVE OF AN INCLUSIVE GEOGRAPHIC EDUCATION, IN ORDER TO FACILITATE ACCESS TO GEOGRAPHIC KNOWLEDGE BY
STUDENTS WITH AND WITHOUT VISUAL IMPAIRMENT. THEREFORE WAS MADE A PROPOSAL FOR THE CREATION OF GEOGRAPHICAL ATLASES, TAKING
INTO ACCOUNT SOME METHODOLOGICAL GUIDES POINTED OUT BY RESEARCHERS SUCH AS LE SANN (2001), LASTÓRIA (2007), FUCKNER (2009),
SUPPLEMENTED BY KNOWLEDGE IN TACTILE CARTOGRAPHY , COMING FROM THE ACTIVITIES DEVELOPED IN THE LABORATORY OF TACTILE AND
SCHOOL CARTOGRAPHY (LABTATE). AS RESULTS OF THIS WORK WAS ELABORATED A THEORETICAL REFERENCE SYSTEM THAT CAN BE USED FOR THE
ELABORATION OF OTHER ADAPTED SCHOOL ATLASES, BESIDES THE CONFECTION OF THE ADAPTED MODEL OF THE MUNICIPALITY OF FLORIANÓPOLIS
WITH A TACTILE VERSION AND OF LOW VISION, THAT CAN BE USED BY STUDENTS WITH VISUAL IMPAIREMENT AND NORMOVISUAL STUDENTS. A
VERSION ACCESSIBLE ELECTRONICS FROM THE ATLAS IS AVAILABLE ON THE LABTATE WEBSITE.
KEYWORDS: SCHOOL ATLAS; ADAPTED MUNICIPAL ATLAS; INCLUSIVE EDUCATION; VISUAL IMPAIRMENT; CARTOGRAPHY TACTILE.

G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 . 33
COMO E LABORAR ATLAS ESCOLARES VISANDO À EDUCAÇÃO INCLUSIVA

INTRODUÇÃO local e principalmente a ausência de recursos


que possam ser utilizados por estudantes com
Os atuais moldes da educação regular no deficiência visual. Também foi considerada a empatia
Brasil vêm sendo modificados com as discussões com os professores que vivenciam o processo
em nível internacional e nacional acerca da emergente de inclusão escolar, que necessitam
inclusão de estudantes com deficiência no de suporte para propiciar um ensino inclusivo de
ambiente regular de ensino. No entanto, para que qualidade utilizando-se de novas estratégias de
o processo inclusivo ocorra faz-se necessária ensino, materiais e metodologias adequados que
uma modificação sistemática nas escolas a fim contemplem a todos os estudantes inseridos em
de conferir atendimento especializado a estes uma turma regular.
estudantes por parte dos professores e demais
profissionais ligados ao ensino, de forma a garantir A DEFICIÊNCIA VISUAL O ENSINO DE GEOGRAFIA E
currículos e recursos didáticos adaptados. OS RECURSOS ADAPTADOS
Tendo em vista este pressuposto, neste
texto detalhamos os procedimentos empregados Dentre as inúmeras deficiências encontradas
na confecção de um modelo de atlas municipal atualmente no sistema regular de ensino, a
escolar adaptado1 para o ensino-aprendizagem de deficiência visual, que pode ser a cegueira e a
geografia em uma perspectiva inclusiva. O atlas baixa visão, demanda um olhar sensibilizado para
em questão foi desenvolvido através de pesquisa a adaptação de metodologias que contemplem
acerca de diretrizes para a confecção de atlas esse público específico, além de uma postura
escolares de autores como: Le Sann (2001), Lastória inclusiva por parte do professor de descrever
(2007) e Fuckner (2009). Estes conhecimentos, situações, imagens e empregar recursos didáticos
conjuntamente com a experiência advinda da que possam ser explorados por todos os alunos,
atuação das autoras em pesquisas acerca da entre outras adequações.
deficiência visual, cartografia tátil e confecção de No Brasil a educação inclusiva está prevista
atlas táteis desenvolvidas no LabTATE2, permitiram na Lei nº 9.394/1996, Lei de Diretrizes e Bases da
a confecção do protótipo de atlas escolar municipal Educação Nacional, e, mais recentemente, com a
adaptado de Florianópolis/SC, que por ser um Lei nº 13.146/2015, denominada de Lei Brasileira
recurso didático concebido nos padrões do de Inclusão da Pessoa com Deficiência ou Estatuto
desenho universal pode contemplar a diversidade da Pessoa com Deficiência. As possibilidades de
dos estudantes do ensino regular. inclusão e acessibilidade são ampliadas com essa
A escolha por construir um modelo lei, sendo garantidas a formação inicial e continuada
de atlas municipal escolar adaptado, além de professores para se trabalhar com educação
da carência de atlas e mapas para estudar o inclusiva, assim como o incentivo governamental
município de Florianópolis, encontra respaldo às pesquisas acadêmicas acerca de metodologias
nas pesquisas de Almeida e Passini (2010), Callai e recursos didáticos adaptados (BRASIL, 2015).
(2011), Oliveira Junior (2010) e Martinelli (2010), Embora haja o respaldo legal para a
que defendem que o ensino de Geografia deve educação inclusiva, a inclusão de estudantes
ser permeado por escalas de abrangência dos com deficiência visual traz desafios a serem
conteúdos geográficos, sendo que inicialmente superados. Faz-se necessário compreender as
deveria ser explorada a esfera local, o espaço particularidades dos indivíduos baixa visão e cegos
vivido do estudante, levando em consideração o para poder se pensar em estratégias, recursos e
desenvolvimento cognitivo dos mesmos. metodologias que contemplem estes estudantes.
Uma das questões que motivou a execução Enquanto as acessibilidades para pessoas cegas
desta pesquisa foi à carência de recursos didáticos giram em torno de informações adaptadas em
para o ensino-aprendizagem de geografia em escala relevo, textos em Braille, ou acessíveis a softwares

34 G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 .
TA M A R A D E CA S T R O R É G I S / R U T H E M Í L I A N O G U E I R A

ledores de tela, a acessibilidade para pessoas com importância dos atlas táteis, para o ensino como
baixa visão é muito particular, pois cada indivíduo um aporte que pode potencializar o processo
apresenta uma característica de percepção visual de ensino-aprendizagem e criar condições de
distinta. Embora se possa confeccionar, de um igualdade no acesso ao conhecimento entre os
modo geral, recursos com cores contrastantes e estudantes com e sem deficiência visual.
tamanhos ampliados, que usualmente atendem a
uma parcela significativa desta população o correto CONTRIBUIÇÕES PARA CONFECÇÃO DE ATLAS
seria se pensar em estratégias de ensino e recursos ESCOLARES MUNICIPAIS ADAPTADOS
didáticos adaptados à percepção individual.
Vigotsky (1997) aponta que uma forma Embora a confecção de atlas municipais
de compreender a cegueira é entendê-la como esteja em alta, a disponibilidade deste recurso
um processo de reorganização da cognição, adaptado para o ensino de estudantes com
sendo de certo modo uma manifestação de deficiência visual nas escolas ainda não é uma
outras capacidades. A deficiência do meio social realidade. Se por um lado a disponibilidade deste
em propiciar a inclusão e dar suporte educativo material seja um ganho para o ensino de geografia,
aos estudantes com cegueira e baixa visão, por outro lado surge a preocupação sobre quem está
configura-se como uma deficiência secundária confeccionando estes materiais. Segundo Le Sann
de ordem social que somente pode ser vencida & Almeida (2001); Lastória (2007), confeccionar um
através da superação das barreiras arquitetônicas, atlas para o ensino é uma responsabilidade, não
comunicacionais, conceituais e atitudinais apenas com os mapas em si, mas com as fontes de
(VIGOTSKY, 1997). dados e como serão apresentadas as informações.
A valorização da diversidade no contexto Pesquisas recentes acerca dos atlas táteis
escolar é significativa, assim como a existência de apontam a existência de manifestações pontuais
propostas de ensino pensadas para atender a todos, em nível nacional e internacional para confecção de
levando em consideração as necessidades e as atlas táteis, porém, não há uma preocupação com a
potencialidades individuais. O ensino de Geografia sistematização de metodologias para a confecção
também precisa ser pensado nessa perspectiva, dos atlas, assim como não há uniformidade de
em que o professor deve procurar resgatar para os materiais e tecnologias empregadas. O LabTATE,
conteúdos toda a diversidade existente no cotidiano como um laboratório referência na pesquisa de
da vida escolar. (CUSTÓDIO & NOGUEIRA, 2014). disponibilização de mapas táteis ao público,
Ao refletir acerca do ensino de geografia também trata dessa temática. Até o presente
para estudantes com deficiência visual, entende-se momento o laboratório conta com dezesseis
que o processo de ensino aprendizagem desses exemplares de atlas, sendo estes em escala
estudantes e dos estudantes sem deficiência visual municipal, estadual e continental, todos podem ser
é semelhante, havendo apenas a necessidade acessados em seu website. Outras inciativas mais
de suprir com linguagem adequada as barreiras pontuais na confecção de atlas táteis podem ser
conceituais impostas pela deficiência enquanto observadas em universidades de outros estados
lesão sensorial. Sendo assim, o emprego de brasileiros, como São Paulo e Paraná, e em países
recursos didáticos adaptados costuma ser como a Polônia, Noruega e Argentina.
efetivos para todos os estudantes, sendo que a Com o intuito de colaborar com a
disponibilidade de recursos didáticos que possam divulgação de metodologias para a confecção
ser utilizados por todos os estudantes inseridos em de atlas adaptados, na pesquisa propusemos um
uma sala de aula inclusiva seria o diferencial para modelo de atlas escolar municipal adaptado que
o ensino inclusivo. emprega recursos didáticos como mapas, textos,
Pensando em recursos para suprir essas imagens, gráficos, maquetes, caixa multissensorial,
barreiras conceituais podemos ressaltar a links para a profundar as pesquisas e sugestões de

G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 . 35
COMO E LABORAR ATLAS ESCOLARES VISANDO À EDUCAÇÃO INCLUSIVA

atividades e saídas de campo para os professores. fonte de referência para o planejamento das aulas
Acreditamos que dessa maneira se conseguiu pelos professores.
compor um atlas que pode vir a atender a maior A sistematização de distintos procedimentos
diversidade possível de estudantes inseridos no metodológicos que permitiu a confecção do modelo
sistema regular de ensino e também possa ser de atlas adaptado pode ser visualizada no Quadro 1.

PROCEDIMENTOS
OBJETIVOS
METODOLÓGICOS
Entrevistas semiestruturadas com Elencar aspectos importantes a serem considerados na
pessoas com DV, professores construção de atlas escolares e especificidades da per-
universitários e professores da rede cepção tátil, formas disponibilização das informações e
municipal de Florianópolis. sugestões de recursos para compor o atlas adaptado.
Conhecer recursos didáticos táteis desenvolvidos na
Visitas técnicas Pinacoteca/SP, Centro de Apoio Pedagógico (CAP),
Fundação Doriana Nowil, Laramara, Escola Padre Chico.
Avaliação de Atlas Municipais Escolares Coletar informações acerca da estrutura dos atlas
Avaliação de Atlas do Município de Coletar informações acerca do município e bases
Florianópolis cartográficas para confecção tátil
Compreender as orientações propostas por autores como
Pesquisa de metodologias para con-
Le Sann (2001), Lastória (2007), Fuckner (2009) para a
fecção de atlas municipais
confecção de atlas escolares municipais.
Coletar informações acerca do município de Florianópolis
Pesquisa bibliográfica
para compor os textos didáticos
Elaborar recursos táteis a partir de adaptações da
Confecção de recursos táteis
metodologia LabTATE para a confecção de Mapas Táteis
Avaliar o atlas adaptado com pessoas com deficiência
Avaliação
visual e estudantes do 6º e 7º do ensino regular

Quadro 1 | Sistematização dos procedimentos metodológicos.


Fonte: As autoras (2017).

Embora distintos procedimentos tenham Sendo definidas as seguintes: Noções cartográficas,


sido empregados na confecção deste modelo de Localização e Ocupação Inicial, Clima, Relevo
atlas, convém destacar o emprego da metodologia e Formação Territorial, Hidrografia, Vegetação e
LabTATE, utilizada para a confecção não apenas Atividades Econômicas, População e IDHM, Distritos
dos mapas táteis e baixa visão, mas de todos e Malha Rodoviária, Patrimônio Ambiental e Cultural.
os recursos gráficos táteis do Atlas. O êxito no Foram desenvolvidos 22 mapas táteis e
emprego desta metodologia se dá devido às baixa visão para o Atlas, sendo mapas em escala
considerações acerca da percepção tátil como continental, nacional e municipal. O detalhamento
tamanho de ponto, linha e área, assim como dos dos processos de confecção de mapas táteis
materiais passíveis de serem compreendidos pelo pode ser observado em Régis e Nogueira (2013)
tato, além das orientações acerca da coerência e Régis (2016). Na Figura 1, podemos observar
na espacialização das informações táteis, como a matriz tátil do mapa de localização do Brasil
apresentar quadro, título, layout e fonte. no Planisfério. Na segunda imagem, temos o
As temáticas abordadas no Atlas Adaptado mapa final em plástico, confeccionado através do
do Município de Florianópolis foram definidas de processo de termoformagem, no qual se leva a
acordo com as proposições de Lastória (2007) e matriz do mapa, confeccionada manualmente, à
Fuckner (2009), que discorrem sobre os temas máquina Thermocopy, que através do processo
pertinentes para estarem em um atlas escolar. de sucção molda o plástico lhe conferindo relevo.

36 G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 .
TA M A R A D E CA S T R O R É G I S / R U T H E M Í L I A N O G U E I R A

Por último, há a versão do mapa baixa visão, este de letras em tamanho 32 para possibilitar a leitura
mapa apresenta cores contrastantes e um padrão por pessoas com baixa visão.

Figura 1| Matriz tátil, mapa tátil e mapa baixa visão.


Fonte: Régis (2016).

Após a confecção dos mapas foi feita a elaboração de gráficos táteis. Estes foram
a legenda, com a transcrição das informações empregados para dados quantitativos nas
adaptadas para o Braille, a adição de um padrão temáticas de Clima, População e Economia, na
de fonte 32 e de cores contrastantes nas legendas Figura 2 há o exemplo do gráfico de temperatura
baixa visão. exposto no atlas.
Seguindo com os recursos elaborados para Quando há emprego de gráficos no ensino
compor o atlas adaptado, foram confeccionados para estudantes com deficiência visual, existe a
gráficos e tabelas. Esses foram pensados de forma necessidade de alfabetização relacionada à leitura
a apresentar aos estudantes opções de recursos dos mesmos e a mediação do professor neste
didáticos distintos, para que se familiarizem com os processo. A carência destes recursos para estes
meios nos quais as informações podem ser exibidas. estudantes torna o entendimento destes um desafio
Os gráficos foram confeccionados com em um primeiro momento, até a familiarização com
as diretrizes propostas por Andrade (2014) para os referenciais gráficos.

G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 . 37
COMO E LABORAR ATLAS ESCOLARES VISANDO À EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Figura 2 | Base do gráfico de temperatura média anual e gráfico na forma tátil


Fonte: Adaptado de Atlas pluviométrico do Brasil, 2011. Disponível em Régis (2016).

Da mesma forma em que há carência na realizada a escolha das imagens para adaptação,
disponibilidade de gráficos táteis há a carência de procurando-se formas simples que pudessem ser
imagens táteis, pois existe um senso comum de facilmente reconhecidas. As linhas das imagens
que as pessoas com deficiência visual não podem foram simplificadas no software livre de desenho
“ver” ou “observar” as imagens, e que estas, gráfico Inkscape3, posteriormente foram coladas
portanto, deveriam ser abolidas de seu cotidiano. texturas, já utilizadas na metodologia LabTATE,
Tal crença se mostra totalmente infundada, à e colocadas informações como título e fonte em
medida que as pessoas com deficiência visual Braille. Na Figura 3A temos o exemplo de uma das
podem e devem ter acesso as imagens, porém imagens adaptadas para o Atlas, cujo tema é uma
estas devem estar acessíveis em uma linguagem oficina lítica.
que possa ser compreendida pela ausência de Outro recurso empregado no Atlas foi a
referenciais visuais. audiodescrição de todas as informações gráficas. A
Na inexistência de uma metodologia para audiodescrição empregada no atlas foi posicionada
a confecção de imagens táteis para o ensino, no junto à chamada dos recursos gráficos no texto,
processo de confecção destas, além da metodologia onde, de forma sucinta e linguagem didática,
LabTATE, foram empregados conhecimentos procurou-se descrever o que estava sendo
obtidos na visita ao acervo adaptado da Pinacoteca mostrado. Abaixo segue a descrição da Figura 3,
do estado de São Paulo. Com isto, incialmente foi conforme apresentada no atlas.

Figura 3 | Imagem vetorizada e imagem adaptada para a forma tátil.


Fonte: Adaptado de Esch (2013).

38 G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 .
TA M A R A D E CA S T R O R É G I S / R U T H E M Í L I A N O G U E I R A

Na imagem há uma pedra em formato nos estudantes com deficiência visual, este
triangular, em seu centro há um grande círculo pode ser o único contato tátil que terão de
desgastado na pedra por atrito, no rudimentar representações, como monumentos, pontes,
processo de afiação de ferramentas, o centro miniaturas de fachadas arquitetônicas, sendo
deste círculo não foi desgastado, ficando possível adicionar essências e alimentos típicos
com o mesmo volume que o resto da pedra. que conferem particularidade a cada local.
No entorno da oficina lítica existem outras Ainda como recurso tridimensional
pedras de distintos formatos e com outro destaca-se a maquete tátil do município de
material. Os materiais sãos diferenciados por Florianópolis, que foi elaborada de acordo com
texturas distintas como se observa na Figura a metodologia proposta por Nascimento, Lima e
3. (RÉGIS, 2016, p. 10). Lepre Filho (2009), sendo confeccionada em uma
escala de 1:150.000.
Com a confecção das imagens táteis, A maquete tátil apresenta informações em
aponta-se a necessidades da descrição das alto relevo com texturas, informações em Braille
mesmas ou da mediação do professor, pois a e em tamanho maior de letra para a leitura baixa
representação em três dimensões difere muito visão, assim como as cores contrastantes. Na
da representação bidimensional, sendo que a Figura 4 podem ser observadas a caixa sensorial
imagem mental que os deficientes visuais têm de e a maquete tátil de Florianópolis.
determinado objeto advém da experiência anterior Além dos recursos táteis, o modelo de
que tiveram com este, experiência que nem sempre Atlas do município de Florianópolis apresenta
se reproduz quando estão analisando uma imagem textos didáticos confeccionados com base em
planificada do mesmo. referências históricas e geográficas sobre o
Pensando na relação entre imagens município. Esse recurso se faz necessário em
tridimensionais e bidimensionais destaca-se a virtude da dificuldade de acesso a referenciais
proposição da caixa sensorial. Como parte dos e documentos acerca da histórica local, sendo
recursos didáticos elaborados para compor assim, os textos complementam todo o conjunto
o Atlas Tátil do Município de Florianópolis. A de recursos elaborados, dando clareza, explicando
caixa sensorial, ou kit sensorial, observada e justificando os mesmos. A presença de atividades
originalmente no acervo adaptado da Pinacoteca e sugestões para saídas de estudos é um fator
correspondia a uma caixa de madeira com de destaque neste modelo de atlas, as atividades
essências de especiarias que complementavam sugeridas podem ser empregadas para diagnóstico
as obras. Para o ambiente escolar adaptou-se a de conhecimentos, para reforçar os conteúdos
ideia e foi colocado na caixa objetos que possam apreendidos e até mesmo como forma de
auxiliar o professor na explicação dos conteúdos avaliação. Já as propostas de campo se convertem
para os estudantes e permitir que tenham acesso em momentos de aprendizado único quando
a elementos mais concretos na aprendizagem. executadas, pois a articulação do conhecimento
Os objetos que compõe a caixa sensorial teórico com o empírico é um dos pressupostos de
foram adquiridos em lojas de artesanatos, uma aprendizagem significativa.
vendido como parte da cultura e identidade Quanto aos links para os sites
do município, sendo estes: o barco, a renda disponibilizados no atlas, pensando na
de bilro, a tarrafa, miniaturas de cerâmica e da segurança dos estudantes e para que se tenha
ponte Hercílio Luz, que podem servir para motivar um controle das informações acessadas,
os alunos a pesquisarem sobre a identidade optou-se por disponibilizar apenas links de sites
cultural e possibilitar o contato com elementos governamentais com informações que podem
desconhecidos aos estudantes, principalmente ser aprofundadas e/ou utilizadas como fonte de
os que nasceram fora do município. Pensando pesquisa para trabalhos escolares.

G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 . 39
COMO E LABORAR ATLAS ESCOLARES VISANDO À EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Figura 4 | Caixa sensorial e maquete tátil de Florianópolis.


Fonte: As autoras (2017).

O modelo de atlas conta ainda com um elaboração do modelo de atlas adaptado do


Glossário Geográfico projetado com a finalidade município de Florianópolis, projetado para que
de familiarizar o estudante com alguns termos. os estudantes pudessem estudar o município
Alguns dos termos sugeridos para serem anotados como lugar de vivência, com seus aspectos
no glossário foram: sambaqui, evapotranspiração, físicos e históricos e, principalmente, por meio
latitude, entre outros que aparecem nos textos de atividades, da interação entre os estudantes
e podem auxiliar o estudante a construir seu e da mediação do professor.
referencial de vocábulos para ser utilizado na Com o processo avaliativo do atlas
disciplina de Geografia. adaptado do município de Florianópolis, realizado
Também foram disponibilizados no atlas por pessoas com deficiência visual, baixa visão e
mapas mudos, que são mapas sem nenhuma por três turmas de ensino regular com estudantes
temática com apenas as formas das áreas sem deficiência, percebeu-se que este atende ao
representadas e a legenda. Sendo disponibilizados que se propõe: ser um recurso didático inclusivo
mapas do Planisfério, Brasil, Santa Catarina e que possa ser aproveitado por estudantes com e
Florianópolis. Eses mapas foram utilizados nas sem deficiência visual. A partir das respostas dadas
atividades propostas no atlas e também para na avaliação do atlas percebe-se que, para obter
localizar pontos para a saída de campo. os melhores resultados possíveis utilizando este
Por fim, destaca-se a forma de exposição material inclusivo, é necessário um engajamento
final do Atlas Adaptado do município de por parte dos professores no processo de
Florianópolis, que oferece os recursos sob a forma mediação da aprendizagem, principalmente no
tátil e impressa, além do formato eletrônico. Esta processo de ensino-aprendizagem dos estudantes
última forma de exposição foi pensada para tornar com deficiência visual. Embora esse material tenha
o material acessível financeiramente em virtude sido projetado para ser utilizado com autonomia
dos consideráveis gastos de impressão que pelos estudantes com deficiência visual, o
normalmente essas publicações estão submetidas. desconhecimento destes, pela falta de contato
com mapas, imagens e gráficos táteis durante o
CONSIDERAÇÕES FINAIS processo educativo, exige que o estudante tenha
a mediação do professor para, então, estabelecer
Dentro da perspectiva inclusiva, este seu modo particular de leitura e compreensão dos
texto buscou divulgar a pesquisa efetuada e a recursos didáticos táteis.

40 G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 .
TA M A R A D E CA S T R O R É G I S / R U T H E M Í L I A N O G U E I R A

Sobre a apresentação do material tátil para Por fim, neste trabalho reforçamos nossa
os estudantes sem restrições visuais, constatou-se opinião de que o ensino seja universal, isto é,
um ganho adicional, pois este, em virtude de ser um acessível para todos os estudantes, e respeite
material colorido, com diferentes recursos, mapas, as particularidades dos mesmos, motivando-os
maquetes e miniaturas, se mostrou bastante em suas potencialidades e minimizando suas
eficaz em prender a atenção dos estudantes. dificuldades. Tendo em vista estes argumentos,
Estes se mostraram interessados em saber sobre existe a importância real de divulgação de trabalhos
a deficiência visual, a leitura dos mapas táteis e que difundam metodologias para propor inclusão
o alfabeto Braille, fato que contribuiu para que educacional, assim como para dar suporte ao
tivessem contato com as diferenças. Percebeu-se professor que se encontra na busca por uma
que ao compreender as dificuldades e habilidades formação que atenda a estes princípios.
das pessoas com deficiência visual os estudantes
sem restrições visuais passaram a ser mais AGRADECIMENTOS
sensíveis com a diversidade do outro e podendo
efetivamente fazer parte do processo de inclusão Agradecemos aos editores da GIRAMUNDO:
escolar destes sujeitos. Revista de Geografia do Colégio Pedro II, pelo
Entre as considerações advindas com a convite para publicação deste artigo, e à CAPES,
confecção do modelo de atlas municipal adaptado pela concessão da bolsa de estudo que possibilitou
destaca-se a necessidade de um trabalho em equipe esta pesquisa.
para a confecção destes materiais em virtude da
NOTAS
quantidade e especificidades dos diversos recursos
didáticos confeccionados, do tempo dispendido
¹  Artigo elaborado com base na dissertação de mestrado da autora
na confecção dos recursos táteis manualmente, (RÉGIS, 2016).
assim como extensa da pesquisa bibliográfica ²  Laboratório vinculado ao Departamento de Geociências da
para composição de textos didáticos, avaliações Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Website: <www.
labtate.ufsc.br>. Acesso: 13 abr. 2017.
e testes. Processos que pode ser otimizados com
a inserção de outros pesquisadores ou até mesmo ³  Software livre para desenho gráfico. Disponível em: <https://
inkscape.org/pt-br/>. Acesso: 13 abr. 2017.
uma equipe multidisciplinar.

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, R. D.; PASSINI, E. Y. Espaço geográfico: ensino e representações. 15ª ed. São Paulo: Contexto, 2010. 90p.

ANDRADE, L. de. Gráficos táteis para ensinar geografia. 122 f. Dissertação (Mestrado em Geografia)-Programa de Pós-Graduação
em Geografia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

BRASIL. Lei nº 9394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 20 de dezembro 1996. Disponível em: <http://portal.
mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn2.pdf>. Acesso em: 20 maio 2012.

______. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/


L13146.htmh>. Acesso em: 14 mar. 2016.

CALLAI, H. C. (Org.). Educação geográfica: reflexão e prática. Porto Alegre: Ed. Unijuí, 2011.

CUSTÓDIO, Gabriela Alexandre; NOGUEIRA, Ruth Emilia. Educação geográfica e ambiental numa perspectiva inclusiva: da sala de
aula ao trabalho de campo. In: ENCONTRO DE PRÁTICAS DE ENSINO DE GEOGRAFIA DA REGIÃO SUL. 2., 2014, Florianópolis.
Anais eletrônicos... Florianópolis: UFSC, 2014.

G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 . 41
COMO E LABORAR ATLAS ESCOLARES VISANDO À EDUCAÇÃO INCLUSIVA

ESCH, L. Oficina Lítica. Disponível em: <http://leonardoesch.blogspot.com/2013/01/passeio-em-ingleses.html>. Acesso: 3 abr. 2017.

FUCKNER, M. A. Elaboração de atlas escolares municipais: o que é importante saber? In: NOGUEIRA, R. E. (Org.). Motivações
hodiernas para ensinar geografia: representações do espaço para visuais e invisuais. Florianópolis: Nova Letra Gráfica e
Editora, 2009. p. 81-103.

LASTÓRIA, A. C. A cartografia escolar e a concepção de Atlas escolar municipal. Dialogus, Ribeirão Preto, v. 3, p. 111-126, 2007.

LE SANN, J. Do lápis à internet: reflexões sobre mudanças teórico-metodológicas na elaboração de Atlas escolares municipais.
Boletim de Geografia, Maringá, v. 2, p.130-138, 2001.

MARTINELLI, M. Atlas geográficos para escolares: uma revisão metodológica. In: ALMEIDA, R. D. (Org.). Novos rumos da
cartografia escolar: currículo, linguagem e tecnologia. São Paulo: Contexto, 2011. p. 57-69.

NASCIMENTO, R. S. LIMA, G.; LEPRE FILHO, L. Mãos, cérebro, paisagem: tríade do conhecimento para deficientes visuais através
de maquetes geográficas táteis. In NOGUEIRA, R. E. (Org.). Motivações hodiernas para ensinar geografia. Florianópolis: Nova
Letra, 2009. p. 177-193.

OLIVEIRA JUNIOR, W. Fotografias e conhecimentos do lugar onde se vive: linguagem cartográfica e atlas municipais escolares. In:
ALMEIDA, R.D. (Org.). Novos rumos da cartografia escolar: currículo, linguagem e tecnologia. São Paulo: Contexto, 2011. p.13-35.

RÉGIS, T. C. Um estudo para elaboração de atlas municipal na perspectiva da educação geográfica inclusiva. 267 f. Dissertação
(Mestrado em Geografia)- Programa de Pós-Graduação em Geografia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade
Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/168016>. Acesso
em: 12 abr. 2017.

REGIS, T. C.; NOGUEIRA, Ruth E. Contribuição para o ensino-aprendizagem de geografia: a padronização de mapas táteis. In:
ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA. 14., 2013, Lima. Anais... Lima: Colegio de Geógrafos del Perú (CGP) /
UGI-PERU, 2013.

VIGOTSKY, L. S. Fundamentos de defectologia. Trad. Lic Maria del Carmem Ponce Fernadez. In: Obras completas. Tomo V.
Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1997.

42 G I R A M U N D O , R I O D E J A N E I R O , V . 4 , N . 7 , P. 3 3 - 4 2 , J A N . / J U N . 2 0 1 7 .