Você está na página 1de 10

MATÉRIA: Direito Administrativo

PROFESSOR: Elisson Costa
AULA E DATA: 02 – 17.04.2010

Ato administrativo

I - conceito
Segundo a definição de Maria Sylvia Zanela di Pietro, ato
administrativo é a declaração do Estado ou de quem o represente, que produza
efeitos jurídicos imediato, com observância da lei, e sob regime jurídico de
direito público

Se a administração vende ou loca um bem, ela pratica ato da
administração , não pratica ato administrativo.

II - Atributos/características (mnemônico - P.I.A.T.)

1 - Presunção de legitimidade/legalidade do ato

Os atos administrativos são presumivelmente legais, até prova em
contrário.
É a presunção de veracidade, a compatibilidade dos fatos com a norma
prevista na lei.

2 - Impreratividade

O ato administrativo se impõe, independentemente da concordância do
particular ou não.

3 - Autoexecutoriedade

É a possibilidade que o administrador público tem de, com os seus
próprios meios, por em execução as suas decisões, sem a necessidade de recorrer
ao poder judiciário.

4 - Tipicidade

O ato administrativo deve corresponder às figuras previamente
definidas na lei.

III - Requisitos/Elementos (art. 2º, Lei 4717/65)

1- Competência/sujeito

É aquele a quem a lei atribui a prática do ato.

2 - Obejto/conteúdo

É o efeito jurídico imediato que o ato deve produzir.
Ex. na demissão é o desligamento do servidor.

1

Ofícios. Em sentido estrito é o resultado específico que cada ato deve produzir.Finalidade É o interesse público. em sentido amplo. Ex. Despachos. Circulares. Portarias. etc. Contrato de Concessão. Ex. etc. Permissão.Motivo É a explicitação dos fatos e do direito que servem de fundamento para o ato. A professora Maria Sylvia fala que a administração tem que dar os porquês de suas decisões. 2 . 5 .Normativo É aquele que contém um comando geral do executivo visando a correta aplicação da lei. Decreto.2010 3 . São aqueles que visam disciplinar o funcionamento da administração. etc. Autorização.Negocial São aqueles que disciplinam acerca dos negócios jurídicos públicos. 4 .Enunciativo 2 . Regulamentos. Resoluções.Espécies 1 . 3 . Licença. Ex.ordinatório Ordem/disciplina. IV . Regimentos. Avisos.Forma É a maneira pela qual o ato se exterioriza ou todas as formalidades que o ato deve possuir.04. 4 .MATÉRIA: Direito Administrativo PROFESSOR: Elisson Costa AULA E DATA: 02 – 17.

4) Caducidade 3 .Punitivo São aqueles que contém uma sanção imposta pela administração Ex. Lei 9784/98) A doutrina moderna admite o ato nulo e o ato válido. multa. etc. Parecer. 55.o ato é anulado por vícios de ilegalidade (ver ponto sobre autotutela) b) Revogação .Convalidação (art. Ex.MATÉRIA: Direito Administrativo PROFESSOR: Elisson Costa AULA E DATA: 02 – 17.só se consegue sanar o vício de forma e o vício de competência . Temos assim que convalidação è o ato pelo qual é suprido o vício existente em um outro ato. Embargo.Cumprimento dos efeitos 2 . VI . Certidão. o ato inválido e o ato que se convalida (quando se sanam os vícios do ato .acontece quando o beneficiário de um ato o descumpre. Advertência. Ocorre por motivos de segurança jurídica e é possível somente quanto aos vícios de sujeito e forma. (Enfim .Retirada a) Anulação .Extinção 1 .É a extinção do ato quando o beneficiário do mesmo descumpre condições que deveriam permanecer atendidas a fim de que ele pudesse desfrutar de uma determinada situação jurídica.Desaparecimento do sujeito ou do objeto 3 .inconveniência e inoportunidade. construir diferentemente da licença dada.04. 5 .) Ex. c) Cassação .isso é feito em razão da segurança jurídica). A doutrina mais moderna ainda admite o ato válido. Suspensão V . Atestado.2010 São aqueles que contém uma declaração da administração acerca de uma situação jurídica.

cujos efeitos lhes são contrapostos.2010 É a extinção do ato em razão de norma superveniente que torna inadmissível uma situação antes permitida.Conceito É o procedimento administrativo pelo qual a administrativo pelo qual a administração pública seleciona a proposta mais vantajosa para o contrato de seu interesse. Em termos de licitação significa que os licitantes têm que ser tratados em pé de igualdade. o ato caduca. nessa ordem. 22 (????) e 37 da CF Dica . Ex. Vem uma nova norma.Ocorre quando é emitido o ato com fundamento em competência diversa da que gerou o ato anterior. leia a lei.04.MATÉRIA: Direito Administrativo PROFESSOR: Elisson Costa AULA E DATA: 02 – 17. 2 .Princípios 1. funcionando mediante autorização da administração. II . com determinação do plano diretor. I . Aí.Isonomia Tratar todas as pessoas que estão na mesma situação da mesma maneira.Princípio do julgamento objetivo (art. de Maria Sylvia Zanela di Pietro: Circo em zona urbana mista.Estudar lendo a lei. Ex. 45 da Lei 8666/93) Significa que a licitação será julgada com base em critérios pré-fixados na lei. em caso de surgimento de norma superveniente. Se não tiver tempo. Exoneração . dizendo que aquela zona terá que ser apenas residencial. 4 . 5) Contraposição Conceito doutrinário .é a extinção do ato pela contraposição ao ato anterior de nomeação. LICITAÇÃO (LEI 8666/93) Importante ler a Lei 8666/93. o caderno e um livro. no mínimo os artigos a seguir citados e art.

Este princípio significa que tanto a administração quanto os administrados estão vinculados ao edital ou carta convite. A adjudicação é compulsória porque vincula ao vencedor. Se entregar a quem não venceu ofende aos princípios da administração. o edital é a lei interna da licitação.é a lei interna da licitação.2010 3 . 5 . caso haja a contratação. principalmente legalidade.Princípio da adjudicação compulsória Adjudicar é entregar. A adjudicação é uma fase da licitação é a fase de entrega do objeto. Significa que o objeto da licitação.Princípio da vinculação ao instrumento convocatório (edital ou carta convite) Segundo Hely Lopes Meirelles. 3 .Fases ( a seguir estão todas as fases possíveis .Classificação Nesta fase serão abertos os envelopes contendo as propostas.para as grande obras. 4 . III .são utilizadas em sua totalidade apenas na modalidade concorrência) 1 .Julgamento É onde as propostas serão julgadas pela comissão. 5 . 2 . moralidade.Habilitação Nesta fase serão abertos os envelopes contendo a documentação dos licitantes (art. licitações de grande vulto.Edital . se o licitante estiver com toda a documentação em ordem.Audiência pública . prazos de recurso e contém a data de abertura dos envelopes. O edital contém o objeto. fiscal e financeira. Se ofender o edital. os critérios de julgamento. técnica. 27 a 33 da lei): A habilitação será jurídica. ofendeu a lei.MATÉRIA: Direito Administrativo PROFESSOR: Elisson Costa AULA E DATA: 02 – 17. ele estará habilitado. deve ser entregue ao vencedor. é ilegal e cabe controle pelo judiciário. 4 . etc. Assim.04.

MATÉRIA: Direito Administrativo PROFESSOR: Elisson Costa AULA E DATA: 02 – 17. 2 . 22 e 23 da lei) 1 . Serve para contratos de médio vulto entre licitantes devidamente cadastrados até o 3º dia útil anterior à abertura das propostas.Leilão 6 .Concorrência Serve para os contratos de grande vulto e que segue o procedimento anteriormente estudado. Modalidade de licitação entre interessados escolhidos e convidados em um número mínimo de 3 licitantes. 7 .Tomada de preços Licitante cadastrado .04.Concurso É a modalidade para a escolha de trabalho técnico. Ampla publicidade.Homologação Homologar é confirmar tudo que foi feito. artístico ou científico.até o 3º dia útil anterior o licitante deve apresentar todos os documentos necessários . 3 . IV . 4 . Ampla publicidade.2010 6 .Convite É uma modalidade para contratos de pequeno vulto (até 150 mil reais). É o ato pelo qual a autoridade competente confirma o procedimento licitatório realizado pela comissão. 5 .Modalidades (art. A publicidade pode ser restrita.Adjudicação É a entrega do objeto da licitação ao vencedor.Esse é o cadastro.

O julgamento será sempre pelo menor preço. porém a lei permite ao administrador não licitar.Aquisição de produtos com fornecedor exclusivo. por exemplo. 7 . Há o oferecimento de lances.Pregão (Lei 10.Consulta Pública Serve para as agências reguladoras e as propostas serão julgadas por um júri. Ex. ou seja. contratação de garçons. O rol é taxativo. etc. São hipóteses: .04.contratação direta 1 . No pregão há a inversão das fases.Dispensa de licitação (art.2010 É modalidade de licitação que serve para a venda de bens móveis inservíveis ou de produtos legais (Ex. Serve para a aquisição de bens de uso comum e serviços comuns. 24. materiais de escritório. 2 .520/02) Pode ser presencial ou eletrônico. 6 .Inexigibilidade (art. 7 . O rol é exemplificativo. Lei 8666) Contempla hipóteses em que a licitação é viável jurídicamente. V . Não se pode vender CDs piratas. informática. abrem-se primeiro as propostas e depois a documentação. Há o oferecimento de lances. 25. a empresa deve tributos e a administração vai lá e apreende o bem) legalmente apreendidos ou “penhorados” (o correto seria empenhados) pela administração.MATÉRIA: Direito Administrativo PROFESSOR: Elisson Costa AULA E DATA: 02 – 17. Lei 8666) Contempla hipóteses em que a licitação é inviável juridicamente.

Contratação de artistas consagrados pela crítica especializada. Ex. CONTRATO ADMINISTRATIVO É decorrência da licitação. visando o interesse público e com a presença de cláusulas exorbitantes.Licitação fracassada É aquela em que os licitantes não foram habilitados ou classificados. Assim.contratação de serviços técnicos especializados (art.MATÉRIA: Direito Administrativo PROFESSOR: Elisson Costa AULA E DATA: 02 – 17. 13 da lei 8666).Cláusulas exorbitantes 5 . .Características 1 . II .a administração pública como parte 2 . VII . I .Conceito Caracteriza-se pela presença de cláusulas exorbitantes (conferem supremacia à administração pública em detrimento do particular). Para ter contrato tem que ter tido a licitação.Personalíssimo 4 .Licitação deserta É aquela em que não aparecem interessados.Finalidade pública 3 . contratos administrativos são aqueles que a administração pública firma como parte. Além de visar o interesse público e ter a administração como parte.2010 . As cláusulas exorbitantes são aquelas que conferem prerrogativas para a administração pública em detrimento do particular. VI . locação.Mutabilidade 8 .04. Nem todos os contratos que a administração pública são administrativos.

aumento de impostos.alteração unilateral B . plano de governo. desequilibrando-o. 78 e 79 da lei 8666) Isso pode ocorrer por razões de interesse público ou inadimplência do contratado.MATÉRIA: Direito Administrativo PROFESSOR: Elisson Costa AULA E DATA: 02 – 17. 58 e 65 da Lei 8666) O contrato pode ser mudado pela administração no curso de sua execução.fato da administração São medidas provocadas pela própria administração contratante e que repercutem no contrato. São eles: 1 . 58. 2 .Mutabilidade do contrato O contrato pode ser mudado no curso de sua execução. 78) 4 .Rescisão unilateral (art. atraso na entrega do local da obra. C .Alteração unilateral do contrato (art. 3 .Cláusulas exorbitantes 1 . Ex. 9 .fato do príncipe São medidas de ordem geral não relacionadas com o contrato e que nele reprecutem. que disciplinam sobre modo e execução do contrato. Existem riscos (ou áleas) que desequilibram o contrato e que causam a inexecução do mesmo.Restrições à exceção do contrato não cumprido O particular só pode invocar a exceção quando houver atraso por parte da administração por um prazo superior a 90 dias.Àlea administrativa A .04. provocando desequilíbrio econômico financeiro. sem consultar o contratado no tocante às cláusulas regulamentares ou de serviço. IV . etc. Essa mudança deve ser analisada observado o equilíbrio econômico-financeiro do contrato.2010 III . Ex. 67. Não é possível alterar unilateralmente a cláusula econômico-financeira do contrato.Fiscalização e aplicação de penalidades (art. 58.

Interferências imprevistas .consiste no reequilíbrio do contrato. Revisão . Ex.Àlea econômica Teoria da imprevisão são eventos imprevistos. 40) .consiste na atualização dovalor do contrato para corrigir inflação.evento da natureza . A revisão serve para equilibrar o contrato.2010 2 .(desde que o particular não tivesse a obrigação de aaliar oterrreno) Reajuste e revisão Reajuste (art. C .MATÉRIA: Direito Administrativo PROFESSOR: Elisson Costa AULA E DATA: 02 – 17. São eventos decorrentes de: A.04. onerando os trabalhos. Reajuste serve para atualizá-lo monetariamente. encontrar um terreno rochoso no local da obra.força maior. decorrente de fatos imprevistos e imprevisíveis.concessão de serviço público 10 . B -caso fortuito . imprevisíveis e extraordinários que autorizam a revisão do contrato. Próxima aula . É o evento humano e que por sua imprevisão desequilibra o contrato. inundação do local da obra.são ocorrências materiais não cogitadas pelas partes e que surgem de modo surpreendente e excepcional. Ex.