Você está na página 1de 3

Ficha de Português – 9º ano

1. Atendendo ao estudo do contexto histórico – cultural da obra Auto da Barca do


Inferno, refere se as seguintes afirmações são verdadeiras ou falsas. Corrige as falsas.
a) “Auto da Barca do Inferno” é classificada como uma moralidade.
b) Gil Vicente inovou no uso da viagem das almas após a morte e o seu julgamento.
c) Na obra “Auto da Barca do Inferno”, o Diabo e o Anjo são personagens
alegóricas.

2. Lê o excerto que se segue:

Dia. Em que esperas ter guarida? Fid. Que me digais,


Fid. Que leixo na outra vida pois parti tão sem aviso,
quem reze sempre por mi. se a barca do Paraíso
Dia. Quem reze sempre por ti?... é esta em que navegais.
Hi hi hi hi hi hi hi hi hi!.... Anjo Esta é; que demandais?
E tu viveste a teu prazer, Fid. Que me leixeis embarcar.
cuidando cá guarecer Sou fidalgo de solar.
por que rezam lá por ti? é bem que me recolhais.
Embarcai! Hou! Embarcai, Anjo Não se embarca tirania
que haveis de ir à derradeira. neste batel divinal.
Mandai meter a cadeira, Fid. Não sei porque haveis por mal
que assi passou vosso pai. que entre a minha senhoria…
Fid. Quê? Quê? Quê? Assi lhe vai? Anjo Pera vossa fantesia
Dia. Vai ou vem, embarcai prestes! mui estreita é esta barca.
(…) Fid. Pera senhor de tal marca
Fid. A estrouta barca me vou. nom há aqui mais cortesia?
Hou da barca! Para onde is? Venha a prancha e atavio!
Ah, barqueiros! Não me ouvis? Levai-me desta ribeira!
Respondei-me! Houlá! Hou! Anjo Não vindes vós de maneira
( Par Deos, aviado estou! pera ir neste navio.
Cant’ a isto é já pior… Essoutro vai mais vazio:
Que giricocins, salvanor! a cadeira entrará
Cuidam que são eu grou?) e o rabo caberá
Anjo Que quereis? e todo vosso senhorio.
Gil Vicente, Auto da Barca do
Inferno
RESPONDE DE FORMA COMPLETA ÀS SEGUINTES QUESTÕES.
3. O Fidalgo é a personagem central desta cena.
3.1. Caracteriza-o tendo em conta o grupo social que representa, o seu
comportamento e os símbolos cénicos que transporta.

4. “Que quereis?”
4.1. Retira do excerto uma acusação feita pelo Diabo e outra feita pelo Anjo.
4.2. Aponta dois argumentos de defesa apresentados pelo Fidalgo.

5. Esclarece de que forma se pode aplicar a esta cena a máxima latina “Ridendo castigat
mores”.

6. Transcreve um exemplo de cómico de situação e justifica o seu uso.

7. Divide e classifica as seguintes orações:


a) “O fidalgo pensou que ia salvar-se embora tenha sido um tirano.”
b) “O Diabo, que aguardava os passageiros, tinha pressa na viagem.”

8. Faz a concordância entre o sujeito e o predicado, escolhendo a forma verbal mais


adequada.
a) Foram eles quem ________ (denunciar) os pecados do Fidalgo.
b) O Diabo transportou os passageiros que _______ (ser) desonestos.

9. “Todos os passageiros consideravam as acusações falsas. Contudo o Diabo lembrava-se


de tudo e ninguém escapara.”
9.1. Analisa sintacticamente a primeira frase.
9.2. Reescreve a frase, substituindo a expressão sublinhada pelo pronome pessoal
adequado.
9.3. Indica as classes e subclasses das palavras destacadas.

10. Diz se as seguintes afirmações são verdadeiras ou falsas. Corrige as falsas.


a) Óculo e olho provêm do mesmo étimo latino e são palavras convergentes.
b) A língua portuguesa possui um substrato celta, mas a sua principal origem é
germânica.
c) Clube, futebol, cheque são empréstimos externos.
d) OVNI, AMI e ONU são siglas.

II

1. Escreve um texto expositivo, com um mínimo de 70 palavras e um máximo de 120


palavras, em que apresentes as linhas fundamentais da leitura deste excerto da peça
Auto da Barca do Inferno.
O teu texto deve incluir:
 Uma parte introdutória, em que identifiques o espaço onde o Anjo e o
Fidalgo se encontram e em que referiras uma outra personagem em cena
durante o diálogo;
 Uma parte de desenvolvimento, em que explicites a função
desempenhada pelo Anjo, neste momento da ação, e em que apresentes
dois argumentos de acusação por ele usados;
 Uma parte final, em que indiques o destino final do Fidalgo e expliques a
intenção crítica social presente no texto.

III

Consciente dos seus pecados, o Fidalgo decide escrever uma carta ao seu
pajem, arrependendo-se de todo o mal que lhe causou.

Imagina essa carta (160- 180 palavras).

[Não te esqueças de apresentar o plano subjacente à construção deste texto.]