Você está na página 1de 4

PLANO DE DISCIPLINA

1. IDENTIFICAÇÃO:
Curso: DIREITO
Disciplina: CONSTITUCIONAL II Carga Horária: 80 h/a

2. EMENTA:
Administração Pública: Princípios. Organização dos poderes: Poder Legislativo.
Processo Legislativo. Limitações ao poder de reforma da Constituição: temporais,
circunstanciais, procedimentais, materiais, tácitas ou implícitas. Tribunal de Contas.
Fiscalização contábil e orçamentária. Processos Legislativos. Emendas à Constituição.
Estatuto dos congressistas. Imunidades. Poder Executivo. Eleição e mandato do
Presidente e Vice; vacância e afastamento; Ministros de Estado; Conselhos da República
e da Defesa; Estado de Defesa e Estado de Sítio; as Forças Armadas; a Segurança
Pública. Poder Judiciário. Prerrogativas e competências. Tribunais. Funções essenciais à
Justiça: Ministério Público. Legitimidade. Funções. Advocacia Pública. Defensoria
Pública. Advocacia. Controle de constitucionalidade das leis e dos atos normativos.
Interpretação constitucional: princípios e métodos. Defesa do Estado e das Instituições
Democráticas. As restrições impostas aos direitos fundamentais em nome do Estado e da
ordem democrática. A Ordem Econômica e Financeira e a Ordem Social.

3. OBJETIVO GERAL:
Prover o estudo das normas que integram a Constituição Federal brasileira, no sentido de
caracterizar o seu valor e eficácia, dando ênfase aos princípios e buscando a sua adequada
interpretação e sistematização.

4. UNIDADES E CONTEÚDOS:
 Estudar os princípios constitucionais da Administração Pública brasileira, e os
aspectos relacionados com a investidura nos cargos, empregos e funções públicas.
Responsabilidade Civil do Estado.
 Identificar como se dá a separação das funções estatais, o funcionamento e
atribuições dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, com especial ênfase no
estudo das espécies normativas e do processo legislativo brasileiro.
 Descrever as funções e garantias do Ministério Público, a indispensabilidade e
as imunidades do advogado, a Advocacia e a Defensoria Públicas.
 Identificar as espécies de controle de constitucionalidade e os modelos clássicos
de controle: o controle preventivo e o repressivo, particularmente o controle repressivo
realizado pelo Poder Judiciário (difuso e concentrado). Analisar as várias espécies de
controle concentrado contempladas pela Constituição Federal.
 Identificar os pressupostos e objetivos do estado de defesa e do estado de sítio,
bem como a destinação constitucional das Forças Armadas. Comparar a organização
da segurança pública a nível federal e estadual.
 Estudar as bases constitucionais da ordem econômica, bem como a atuação
estatal no domínio econômico, a política urbana e os objetivos do sistema financeiro
nacional.
 Reconhecer o conteúdo e os princípios da ordem social, com ênfase na
seguridade social (saúde, previdência social e assistência social) e nos objetivos
constitucionais da educação, da ciência e tecnologia e do meio ambiente, dentre outros.
5. METODOLOGIA:
O método básico utilizado no processo instrucional é o de exposição dialogada, com a
utilização do data-show e do quadro branco. Poderão ser utilizados, ainda, os seguintes

em cada componente curricular. em número inteiro ou em número inteiro mais cinco décimos.1. O rendimento escolar é apurado pela freqüência e aproveitamento na avaliação realizada em cada componente curricular. nas datas fixadas. relativa ao conteúdo ministrado no semestre letivo. comparar. recursos didáticos: a) Leitura dirigida de textos. ou que estiver insatisfeito com a média obtida. b) Trabalhos em grupos e. O resultado de cada avaliação será expresso em notas de zero a dez. Assiduidade e participação nas atividades desenvolvidas na sala de aula: 0% à 20% da nota. Valor das estratégias avaliativas: A avaliação dos alunos ocorrerá durante todo o processo de desenvolvimento do curso. por competência e habilidades. e III – Prova Substitutiva (PS). com vistas à maior interação professor/aluno e à fixação dos conceitos discutidos em aula. não poderá exceder a trinta por cento da nota de PP-1 e PP-2. será o resultado da média aritmética simples das provas parciais (PP-1 e PP-2). ao final do semestre letivo. na modalidade de trabalho em grupo. Os procedimentos técnico-metodológicos para a elaboração da Prova Parcial 2. estudo de casos e resolução de exercícios. 6. às atividades complementares e ao trabalho de conclusão de curso. O aproveitamento do aluno durante o semestre será aferido por meio de conceitos e pontos distribuídos a critério do professor e a necessidade verificada ao longo do semestre. relativa ao conteúdo ministrado no primeiro bimestre. Os trabalhos acadêmicos devem atender aos requisitos de normalização de trabalho científico. A nota final do aluno. o docente deverá adotar critérios para avaliação individual. Em qualquer dos casos. justificar. Caso o resultado da Prova Substitutiva seja menor do que as notas obtidas anteriormente nos dois bimestres. O Conselho de Curso poderá estabelecer normas complementares ao processo de avaliação da aprendizagem. em cada Disciplina. constituem-se temáticas do Programa de Capacitação do Docente. eventualmente. poderá submeter-se a uma prova substitutiva. obrigatoriamente. analisar e contra-argumentar determinado texto ou assunto que lhe seja indicado. previstos pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. AVALIAÇÃO: 6. 6. . especialmente. II – Prova Parcial 2 (PP-2). O aluno que deixar de comparecer às provas parciais (PP-1 e PP-2). abrangendo todas as unidades temáticas ministradas na Disciplina durante o semestre letivo. sendo que. A avaliação docente das atividades discentes desenvolvidas ao longo do período letivo. o aluno deverá desenvolver o raciocínio critico e apresentar resultados que indiquem sua capacidade de resumir. sendo facultada a substituição da menor nota parcial pelo resultado da Prova Substitutiva. obedecendo aos seguintes parâmetros institucionais: 1. seminários.2. em cada Disciplina e em cada período letivo. em relação ao estágio supervisionado. em cada Disciplina. valorando-se a participação nas atividades desenvolvidas em aula. as seguintes verificações formais: I – Prova Parcial 1 (PP-1). quando for o caso. que versará sobre todo o conteúdo programático do componente curricular. permanecerá inalterada a situação anterior. Critérios de Avaliação: Em cada período letivo haverá.

São Paulo: Método. Pedro. Brasília: Brasília Jurídica. SILVA. 2ª Ed. Direitos fundamentais. São Paulo: Renovar. representando 60% de questões subjetivas e 40% de questões objetivas. Vocabulário jurídico. História constitucional do Brasil. Marcelo. 14ª Ed. estudos em homenagem ao professor Ricardo Lobo Torres. Robério Nunes. Hermenêutica constitucional e direitos fundamentais. versando sobre todo o conteúdo do semestre. São Paulo: . 6ª Ed.1. 2010. (2) CLAREZA. 7. (3) CORREÇÃO DE LINGUAGEM. São Paulo: Saraiva. GUERRA FILHO. São Paulo: Atlas. representando entre 80% a 100% da nota final do bimestre. Aplicabilidade das normas constitucionais. Pinto. Direito constitucional esquematizado.J. Flavio (org). totalizando entre 80% a 100% da nota do bimestre. Salvador: Jus Podivm. 1998. Willis Santiago. São Paulo: Saraiva. 2005. 2000. Direito constitucional. Curso de direito constitucional positivo. NOVELINO. Luiz Alberto David. BONAVIDES. SARMENTO. 1998. 1999. PEÑA DE MORAES. São Paulo: Saraiva. Básica: LENZA. Interpretação e aplicação da constituição. MENDES. Gilmar Ferreira. Complementar: ANJOS FILHO. Realização de trabalhos práticos. 9ª Ed. Gomes. Luiz Roberto.2. 2004. Curso de direito constitucional. Brasília: Paz e Terra Política. SILVA. BASTOS. ARAUJO. Estudos de direito constitucional. Direito Constitucional. 2. com questões de interpretação. São Paulo: Saraiva. MORAES. 7. 2000. 2008. 10ª Ed. e será composta de questões discursivas e de questões objetivas (variação de 40% à 60% de cada). CANOTILHO. São Paulo: Saraiva. 2006. Willis Santiago. José Afonso da. 2001. 2003. individuais ou em grupo. Processo constitucional e direitos fundamentais: São Paulo: Celso Bastos Editor. e exercícios de avaliação em sala: 0% à 20% da nota. Daniel. BARROSO. J. Introdução ao direito processual constitucional: Porto Alegre: Síntese. serão avaliados os seguintes critérios: (1) COERÊNCIA. Nas questões discursivas. MENDES. (4) DOMÍNIO DOS REFERENCIAIS TEÓRICOS e (5) ARGUMENTAÇÃO. GUERRA FILHO. 2ª Ed. Guilherme. Direito constitucional – teoria do Estado. Curso de direito constitucional. 21ª Ed. 3. complementando a nota do bimestre respectivo: ● A primeira Prova Parcial 1 (PP-1) será composta de questões discursivas e de questões objetivas. ● A segunda Prova Parcial 2 (PP-2) será cumulativa. GALDINO. Alexandre. Rio de Janeiro: Lumen Juris. Direito Constitucional e Teoria da Constituição. 2008. 26ª Ed. 2010. 6ª Ed. 2ª Ed. 14ª Ed. Curso de direito constitucional. Paulo. DE PLÁCIDO E SILVA. 1989. 5ª Ed. 25ª Ed. BIBLIOGRAFIA: 7. Celso Ribeiro. 2003. São Paulo: Saraiva. FERREIRA. São Paulo: Malheiros. Curso de direito constitucional. José Afonso da. 1999. Coimbra: Almedina. Gilmar Ferreira. Rio de Janeiro: Forense. 2006. Duas provas escritas.

ALVES FERREIRA. V.jus. Porto Alegre: Do advogado. Lenio Luiz. TAVARES. 4ª Ed.stf.Malheiros. São Paulo: Saraiva. André Ramos.br . Pedro (org). LENZA. ● Sites para aprofundamento: www. André Ramos. São Paulo: Método. Constituição Federal 15 anos mutação e evolução. José Luis. Olavo A. 2005. 2ª Ed. 2004. STRECK. TAVARES. Curso de direito constitucional. 2003. BOLZAN DE MORAIS. Ciência política e teoria geral do estado. 2004..