Você está na página 1de 4

PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO FLORESTAL

Da Casai
1. INTRODUÇÃO:
O objetivo deste projeto é a recuperação florestal do centro indígena casai para
fins recreativos e de produção de alimentos orgânicos.
 Localização:

Está localizado na estrada Planalto no município de Colider Mato Grosso onde


sua localização é: -10.797077, -55.471463.

Figura 1 mapa da casai

A recuperação ou a regeneração natural de uma Área de Preservação


Permanente - APP é um processo dinâmico, envolvendo diversos fatores, que
se processa de médio a longos prazos. Nesse sentido, quando se pretende
recompor formações florestais, é fundamental que se tenha em mente a
distribuição das espécies em determinada área. Ela é determinada pela
adaptação dessas espécies às condições da fitogeografia de uma dada região.
De posse desses dados, pode-se pensar em traçar um programa de
recuperação florestal já com a indicação das espécies a serem utilizadas e dos
modelos específicos de recomposição.
Descrição do local:
Em vistoria realizada no dia 28/10/2019 mostra um terreno bem compactado,
devido a sua exposição ao sol e chuva, o local não tem vegetação isso,
facilitando ainda mais sobre o processo de compactação, a Compactação do
Solo (reduzir os vazios deixando o solo mais denso) é um processo decorrente
da manipulação intensiva, quando o solo perde sua porosidade, sendo,
portanto, a redução do volume do solo com a expulsão de ar e que ocorre
devido aos processos antrópicos. O Adensamento do solo refere-se à redução
do volume do solo, resultante da expulsão de água e ocorre por processos
pedogenéticos.

Um solo de qualidade tem 50% de ar e bastante terra rica em nutrientes na


sua estrutura. São essas bolsas de ar que ajudam na circulação de água e
nutrientes e estimulam o crescimento das raízes. Quando as partículas do solo
ficam muito próximas, ocorre a chamada compactação. Nesse caso, ele fica
duro e seco — e, por consequência, as plantas perdem a cor e a água
acumula. O problema afeta muitos jardineiros, fazendeiros e paisagistas e pode
durar anos, mas existem formas simples de reverter a situação e retomar a
produtividade e a saúde da terra.

A compactação do solo é danosa para o projeto de reflorestamento, pois


influencia negativamente o crescimento de raízes, fazendo com que a planta
tenha problemas em seu desenvolvimento. A compactação também diminui a
movimentação da água pelo solo, pois cria uma camada muito densa de solo
onde a água não se infiltra, ocasionando excesso de água no solo nas camadas
superficiais, podendo provocar erosão. Nos solos compactados, a armazenagem
de água também é deficiente, causando problemas às culturas em épocas de
estiagens. Existem diversas formas de se medir a compactação do solo. A
maioria dos métodos envolve análises de laboratório, com coleta de solo para
análise. Diversos parâmetros da física do solo podem ser usados como
indicativos para a compactação, como a densidade, porosidade e outros.
Existem, também, equipamentos que permitem medir a compactação em campo,
denominados penetrômetros. Estes equipamentos medem a resistência do solo
à penetração de uma haste metálica, que simula a penetração de raízes ou
ferramentas agrícolas. Versões eletrônicas de penetrômetros permitem a
armazenagem de dados. Com a expansão da agricultura de precisão, a medição
da compactação do solo, com o uso de penetrômetros eletrônicos automatizados
e georreferrenciados, tem sido utilizada como indicativo da condição física do
solo.

Projeto de reflorestamento;

O projeto de reflorestamento prevê a preservação do espaço publico pois


contempla a recuperação ambiental, visando melhor qualidade de vida para os
frequentadores do local que geralmente são indígenas crianças idosos que vem
das aldeias, em busca de tratamento medico na cidade e implantar uma possível
horta com intuito de cultivar plantas hortaliças mais futuramente implantar uma
mini agrofloresta no local.

2.Objetivo

Elaboração do projeto executivo da recomposição florestal e horta com produção


de plantas hortaliças. O plantio de mudas deverá ocorrer após o tratamento de
solo Análise e calagem: Para fazer a análise de solo, deve-se retirar a amostra
de solo para avaliar a sua fertilidade e acidez. A calagem tem como objetivos a
correção da acidez edição de cálcio e magnésio ao solo. Deve ser recomendada
com base na análise de solo e das espécies a serem plantadas, com a orientação
de um técnico da área. De um modo geral pode-se usar em torno de 200 gramas
de calcário dolomítico por cova.

Adubação:

Por ser uma área de pequeno porte o projeto visa adubação orgânica.

Que são adubos obtidos por meio de matéria de origem vegetal ou animal, como
esterco, farinhas, bagaços, cascas e restos de vegetais, decompostos ou ainda
em estágio de decomposição. Esses materiais sofrem decomposição e podem
ser produzidos pelo homem por meio da compostagem.

O objetivo da adubação orgânica é manter ou aumentar a fertilidade do solo e


da sua atividade biológica. Adubar é uma ação global que tem como objetivos
simultâneos melhorar a fertilidade e a saúde do solo e garantir a nutrição das
plantas. A utilização de adubos orgânicos proporciona melhora, nas
características físicas e biológicas do solo.
Preparação de mudas:

Após o solo totalmente tratado começa o plantio de mudas, mas antes disso
temos o processo de germinação em caso de sementes a semeadura direta
acontecerá quando as sementes forem colocadas diretamente nos recipientes
definitivos (sacos plásticos, tubetes, vasos ou outros), ou seja, onde a muda vai
se desenvolver até ser transferida para o campo. Esse tipo de semeadura é
utilizado geralmente para espécies com porcentagem de germinação alta e
regular, significando que todas as sementes germinam mais ou menos
ao mesmo tempo. Em geral, as sementes deverão ser colocadas para germinar
numa profundidade que varia de 0,5 cm a 3,0 cm, dependendo do tamanho de
cada uma delas. É prática comum em viveiros colocar mais de uma semente por
recipiente, isso garante a presença de pelo menos uma muda por recipiente. Se
mais de uma semente germinar, será necessário fazer o desbaste ou o também
chamado raleio, deixando apenas uma muda por recipiente. Na seleção da
plântula a ser mantida, deve-se optar pela visualmente mais vigorosa e sadia e
ainda por aquela que estiver mais próxima do centro do recipiente.

A figura a seguir mostra o exemplo de plantio a ser feito no local:

Figura 2 esquema de plantio plantas pioneiras e não pioneiras .

O plantio deverá ser com covas

Você também pode gostar