Você está na página 1de 38

1

Introdução

Pode parecer estranho algo que fazemos


a vida toda e de repente vem alguém e
diz que está errado!
Nas páginas abaixo você vai encontrar 7
capítulos dedicados a erros básicos de
conduta dos massoterapeutas durante
os procedimentos de massagem
relaxante.
Durante meus cursos sempre pergunto
sobre a rotina do atendimento dos
alunos para relaxamento, é cada coisa
que inventam que fico surpreso com as
narrativas dos resultados alcançados.

2
Sugestão:
Leia cada capítulo e anote em uma folha
o que é que você faz no seu dia a dia que
está relacionado ao que eu escrevi.
Duas coisas podem acontecer!
1ª Você ficar profundamente chateado
comigo pelo que eu estou falando.
2ª Anotar, tomar a sua parte de
responsabilidade em mudar seus
comportamentos e resultados, caso
estejam relacionados ao conteúdo
Bom Estudo.

3
1º Erro - Não fazer a anamnese!

Esta importante parte , ou fase da


sessão é praticamente esquecida pelos
terapeutas, primeiro por quê não exista
uma anamnese padrão para seguir,
segundo cada massoterapeuta,
profissional ou não desenvolve a sua
maneira de atender e fazer as manobra ,
é o famoso “meu jeito”, e será defendido
com unhas e dentes caso alguém fale
algo contrário e terceira parte porque dá
trabalho ficar colhendo dados, assim o
massoterapeuta coloca lá na sua agenda
a hora, o nome da pessoa e talvez o
procedimento e só.

4
Se você não fizer uma anamnese está
perdendo dinheiro e informações
importantes que podem levar o paciente
a decidir ou não por ter você para
socorre-lo .
Falo isto pelo fato de que quanto mais
informações você tiver, mais
argumentos terá para explicar o que
encontrou, para apresentar ao seu
cliente situações que geram os
desequilíbrios e as dores e o motivo pelo
qual ele deve fazer massagem
regularmente.
Nesta ficha que você tem, estão
perguntas que todos os seus
concorrentes tem e possivelmente o seu
comportamento é igual aos demais
terapeutas, isto faz com que o seu valor
percebido seja igual aos demais, ou seja
para o seu cliente massagem e
massagista (como eles dizem) é tudo
5
igual. E não adianta você se ofender com
o termo pois é assim que eles falam,
igual quando o Renato Aragão (DIDI)
chamava um policial de “seu guarda”.
Lembra disso? Então... isto é o senso
comum.
As informações da anamnese deve ser
usadas pelo terapeuta com fontes de
pesquisa para encontrar os fatores ou
situações que deixam o cliente com
tensões e estresse, mas como é possível
interpretar as informações se você não
anotou nada.
Este tipo de postura do terapeuta pode
ter a ver com nunca ter sido ensinado
sobre a importância de tal atitude, como
também em imaginar uma perda de
tempo , e tempo em que ele pode atender
outra pessoa, até porque, via de regra a
massagem é um procedimento de no
máximo uma hora, e isto é seguido de
6
norte a sul do Brasil por uma multidão
de massoterapeutas.

2º Erro - Inventar demais!

A massagem relaxante em si já é uma


terapia, com suas características
próprias e tem suas particularidades
quanto a execução, mas precisa ser
interpretada do ponto de vista de gerar o
relaxamento que o paciente está
buscando.
O que acontece na real;
O massoterapeuta quer tanto, mas tanto
causar uma boa impressão que tenta
7
resolver diversas questões ao mesmo
tempo, principalmente no que diz
respeito ao estado muscular da pessoa
que está atendendo, e ele faz uma
mistura de técnicas que segundo ele (
que defende com unhas e dentes aquilo)
vão relaxar e aliviar as dores.
Do meu ponto de vista isto um erro
infantil, se você quer causar uma boa
impressão confie mais em seu trabalho
e no entendimento que tem da sua
técnica, do ponto de vista anatômico e
fisiológico, e isto se faz com estudo,
mas... muita gente acredita que
impressiona pela quantidade de coisas
que faz ou coloca no paciente.
Uma vez eu estava dando um curso
presencial, e durante a parte prática da
massagem relaxante, eu percebi uma
das alunas fazendo um movimento que
não correspondia com o que eu estava
8
ensinando, eu observei, observei e não
resisti, fui até esta aluna e perguntei o
que ela estava fazendo, e ela explicou
que tinha encontrado “uns nózinhos”
nas costas da colega que estava
recebendo a massagem e estava
desmanchando.
Aí eu falei que aqueles movimentos não
condiziam com o que a massagem
relaxante oferece, pois estava gerando
desconforto ao pressionar. Esta aluna
toda ficou visivelmente incomodada com
o que falei e me perguntou em tom sério:
“ E eu vou deixar isto assim professor”,
quando eu atendo meus pacientes eu
desmancho todos os nós que eu
encontro.
Entendendo que a massagem relaxante
é para levar a pessoa a um estado físico
e mental de relaxamento e desligamento
mental, fazer tais procedimentos não
9
colaboram, tiram a pessoa da vibração
em que ela estava.
Eu entendo que você precisa ter
propostas bem claras nas suas terapias
e em seus atendimentos, misturar tudo
na minha opinião fortalece a imagem do
terapeuta inseguro e ansioso.

3º Erro - Não testar produtos


e aparelhos

Esta é uma questão bem espinhosa e


controversa, mas vamos lá.
Existem técnicas que usam aparelhos,
para causar o máximo te “sensações e
10
conexões” possíveis, muitas coisas são
modismos onde o massoterapeuta
investe dinheiro sem acreditar no
procedimento, mas faz para seguir a
moda.
Eu não estou aqui dizendo para não
usar, mas o profissional precisa
entender qual é a real necessidade e os
benefícios que por ventura possam vir
deste uso.
E aí existem centenas de matérias e
produtos que podem ser usados:
Como massageadores; pedras;
madeiras, bambus, raspadores, velas
aquecidas, pindas e tantos outros
materiais.
Vou compartilhar com você um fato
sobre massageador, eu também sou
instrutor de pilates já dei aula e estúdio,
após o término da aula o aluno que
11
quisesse, ganhava uma massagem
rápida de 3 minutinhos, eu me lembro
que usávamos um massageador, desses
tipo golfinho, com uma bola na ponta.
Certo dia eu terminei de atender uma
senhora em sua sequência de exercício
nos aparelhos do estúdio e a convidei
para deitar-se eu um aparelho chamado
reformer que parece uma maca gigante,
no que esta senhora me disse que ela
não faria a massagem se fosse com o
aparelho, pois uma vez que ela recebeu
a massagem com o tal aparelho e a
pessoa colocou em alta rotação e
pressionou sobre uma área que a deixou
com dores por semanas. Outra cliente
detestou receber uma massagem e a
aplicação das ventosas em conjunto por
deixa-la cheia de marcas às vésperas de
uma festa onde iria de vestido e suas
costas apareceriam.

12
Isto demonstra que por mais boa
intenção que você tenha, você não
controla as experiências já vividas por
seu cliente, mas você pode controlar as
suas expectativas, as suas aplicações e
assim gerar uma mensagem positiva ao
cliente, pela qual ele possa decidir
voltar.
Uma vez eu fui a um evento de uma
marca de produtos para terapeutas e
esteticistas, e todo empolgado com
aquele monte de produtos, aromas,
promessas maravilhosas, eu comprei
um pode que tinha óleo de coco, eu achei
uma delícia, e logo pensei em quem
usaria.
Voltei para casa e na segunda feira eu
atendi uma cliente que queria um
trabalho de relaxamento, e eu animado
com meu novo e maravilhoso produto,
fui logo passando nas mãos e
13
distribuindo nas costas da pessoa, qual
não foi a minha surpresa quando ela ao
sentir o aroma levantou-se da maca e
disse não podia passar nem perto de
nada com cheiro de coco, que sentia
náuseas. Imagina o meu sufoco e como
aquilo marcou-me, resultado, joguei fora
o material e nunca mais usei em
ninguém.
Para que você sinta segurança em cada
procedimento, eu vou te fazer um
desafio.
Pegue uma folha em branco e anote 20
benefícios de sua técnica de
relaxamento.
E eu afirmo, que se você não conseguir
encontrar estes vinte possíveis ativos
(características verdadeiras e positivas)
para convencer a si mesmo, pode ser um

14
dos motivos que não convence seu
cliente.

4º Erro - Agir como amador (a)

Qual é o limite da ética na


massoterapia? Ética em que?
O termo ética deriva do grego ethos
(caráter, modo de ser de uma pessoa).
Ética é um conjunto de valores morais e
princípios que norteiam a conduta
humana na sociedade.
A ética na massoterapia antes, durante
e depois do procedimento está atrelada
a vários fatores e questões, e pode ter
várias interpretações, vamos falar aqui
de comunicação e de leitura
comportamental captada pelo cliente.

15
Por exemplo pode soar antiético você
ficar conversando sobre a sua vida
pessoal com o paciente, ou tecendo
comentários sobre outras pessoas
(fofoca). Em alguns casos onde há a
necessidade de drapejamento
(cobertura) e não é colocado, o (a)
paciente pode sentir-se constrangido(a)
e não relaxar.
Falar mal ou denegrir a imagem de outro
terapeuta para “ganhar” o cliente ou
desencorajá-lo a buscar outra opção.
Lembro-me de quando eu comecei nesta
jornada, em uma cidade pequena do
interior onde já haviam outras pessoas
fazendo trabalhos na área e muitos
pacientes depois de um tempo
comentavam que haviam ouvido
palavras de demérito a meu respeito,
assim como também recebi terapeutas
que vinham para receber massagem
16
para “aprender” os meus movimentos e
manobras.
Outras pessoas que ficam postando
afrontas e desabafos nas redes sociais, a
famosa “indireta” para outra pessoa, isto
para mim leva o nome de covardia, e
também acontece.
Situações assim são mais comuns do
que você imagina e devem ser evitadas
por você pois geram grande desgaste
somático e também são considerados
com deslealdade.
Se você faz bem o seu trabalho, foque
nas coisas que dependem
exclusivamente de você para dar certo,
contenha sua insegurança e ansiedade
que no devido tempo conquistará o seu
lugar fazendo o seu melhor e focando
naquilo que te dará o resultado que você
quer.

17
5º Erro - Fazer apenas o básico

A frase famosa na massagem relaxante


é : “pode deitar na maca de barriga
para baixo”, e depois de quarenta
minutos ou uma hora, a pessoa te
chama e diz “prontinho”
É acredite ela é usada pela maioria dos
massoterapeutas!
Eu já procurei vários massoterapeutas
para receber um atendimento, e como
viajo bastante já fui atendido por vários
profissionais em regiões diferentes, mas
uma coisa houve em comum, ao menos
comigo, a impressão de que só existem
músculos a serem trabalhados nas
pernas, braços e nas costas.

18
Peraí ... até onde eu estudei temos mais
de 650 músculos. Mas por que será que
o pessoal só trabalha segmentado, em
decúbito ventral porção posterior do
corpo?
Excetuando aqui o trabalho de quick
massagem em cadeira própria.
E quando eu pergunto sobre este
assunto, as respostas são as mais
diversas e esfarrapadas possíveis, e esta
desinformação e desconhecimento do
corpo humano é lamentável por parte de
quem o trabalha.
O trabalho segmentado existe e é
necessário, se esta for a proposta da
sessão ou a necessidade do cliente.
Quando um terapeuta fala em
relaxamento corporal, outras áreas e
grupos musculares precisam ser
trabalhados também pois sofrem as

19
mesmas consequências do segmento
posterior que ora é trabalhado.
Eu lamento muito esta formação
deficitária e claudicante que temos, e
como ela muitas vezes enche de mitos e
achismos a cabeça dos alunos e estes
saem ao campo de trabalho totalmente
despreparados e fazendo um trabalho
que precisa de muito empenho para
chegar a um nível profissional.
E isto não tem nada a ver com ter mão
boa, ou ser esforçado, se você recebe um
treinamento que promove em sua mente
um monte de “certezas”, e você a seu
modo confirma isto no isolamento de
sua sala de atendimentos onde faz a
“sua massagem”, não haverá
argumentos que possa faze-lo pensar de
outra forma se assim você não quiser.

20
Assim a maioria dos massoterapeutas
segue um padrão de manobras e
comportamentos que o levam a repetir
sempre ou quase sempre da mesma
forma, e isto tem a ver com seu cérebro
querendo poupar energia em você, e
assim pode ser que você realmente seja
esforçado(a) para evoluir e estudar mais,
mas vai ter sempre seus movimentos
prediletos e este é o seu padrão mental.
Portanto a minha defesa é para que o
corpo humano seja trabalhado e
atendido em uma área maior de
segmentos corporais para ter a conexão
e os benefícios alcançados.

6º Erro – Confundir autoconfiança


com arrogância

21
Você já ouviu a expressão “fulana parece
a última bolacha do pacote?”
Pois é assim que muita gente se
comporta com suas propagandas e suas
promessas.
Você conhece alguém assim?
Tem muita gente que tem uma ótima
mão, mas deixa a desejar em
comportamento profissional.
Certa vez em um dos meus curso pelo
Brasil encontrei uma figura exponencial,
havia trabalhado quase 50 anos na
massoterapia, e segundo ela feito um
bem enorme a muitas pessoas.
Fiquei observando o seu comportamento
pessoal durante o evento e sempre que
havia uma interação entre a turma eu
percebia que as argumentações e
colocações dela eram ásperas e até
truculentas. Ela dizia, “eu falei mesmo”,
22
“disse umas verdades para aquele,
aquela pessoa”, as pessoas vem falar
comigo e depois não querem ouvir a
verdade!
Confesso que fiquei impressionado e
busquei em minha mente um
entendimento de como uma pessoa que
atua assim permanece tanto tempo no
mercado. A explicação que eu encontrei
foi que ela devia viver em uma região e
uma geração que tinha este tipo de
comunicação áspera e truculenta, e isto
me fez pensar e me colocar em uma
posição de cliente dela ouvindo
“verdades” a cerca de fatos que eu
pudesse ter contado, é uma situação
igual você ir conversar com um médico e
ele literalmente soltar os cachorros em
cima de você.
Já aconteceu isto com você, como se
sentiu?
23
Eu não me sentiria bem.
Coloco este tipo de comportamento
como algo antiprofissional, pois gera a
antipatia do cliente pelo profissional e
junto com ela vem o afastamento e
nunca mais esta pessoa retorna,
podendo até orientar outras pessoas a
não irem até tal pessoa.
Este tipo de comportamento causa um
enorme prejuízo pessoal e profissional
pois pode levar o terapeuta e ficar
imaginando o que faz de errado,
colocando a culpa nos pacientes,
descontando em quem não tem nada a
ver com a situação, e isto
emocionalmente pode levar a um quadro
de abandono da profissão e uma
frustração.
Também existe aquele profissional sabe
tudo, que não deixa o cliente falar e vai

24
logo dando o “diagnóstico”, este chega a
ser hilário pois que tanto parecer
profissional que nem se dá conta de
estar afastando-se de seu cliente com
este tipo de comunicação.
Entenda, uma das necessidades da
massoterapia é de gerar conexão entre
profissional e paciente e também do
paciente consigo mesmo, e se isto não
ocorre, abre-se mais um motivo para o
cliente não voltar, não indicar e
reclamar do atendimento.
Para finalizar sugiro que avalie seus
comportamentos com senso crítico e o
mais real possível sobre seus
comportamentos, suas habilidades e
sua comunicação interpessoal.

7º Erro - Despreparo emocional

25
Por ser um trabalho de contato, a
massoterapia acabe gerando uma
conexão entre dois seres humanos, e
isto traz uma situação interessante que
é o paciente acabar contando situações
de sua vida particular, afetiva,
profissional ao terapeuta.
Como a maioria dos cursos prepara o
massoterapeuta para executar
manobras, ele não é preparado para
contribuir com conselhos terapêuticos
profissionais.
Assim sendo e por não saber exatamente
o dano que o paciente está tendo ou
sentindo em relação a seus comentários
e colocações é que o terapeuta não deve
envolver-se em questões que devem ser
do psicólogo. Mas como resistir em ouvir
algo do cliente, isto para o
massoterapeuta muitas soa como
confiança do paciente em se abrir.
26
Pode até parecer nobre, mas pode se
tornar um grande problema caso o
terapeuta não consiga gerir as emoções
e os comportamentos em relação ao que
houve.

Palavras para não falar a um


depressivo

1-Comparar a situação dela com a de


outras pessoas- O gesto não oferece
nenhuma empatia. Os motivos pelos
quais os indivíduos entram em
depressão são muito diversos e
particulares -- e nem sempre são
causados por fatores externos, como
algum acontecimento negativo.
2- Pedir para olhar pelo lado positivo -
Dentre as principais características da
depressão, está a prevalência de
27
pensamentos negativos e dificuldade de
acreditar que tudo dará certo. Tal
sintoma, portanto, é causado pela
condição e deve ser tratado com ajuda
profissional ou seja, não depende de um
esforço de “olhar pelo lado positivo”.
3- Perguntar à pessoa o que tem de
errado com ela - A depressão é uma
condição estigmatizada e muita gente
ainda não a encara como doença.
Perguntar ao deprimido o que tem de
errado com ele é forma de deslegitimar
seu distúrbio e sugerir que os sintomas
são causados por algum comportamento
próprio.
4- Pedir para “simplesmente seguir em
frente” ou “sair dessa” - A depressão é
uma doença que exige tratamento
profissional e pode ter consequências
graves. Não depende, então, de um
simples esforço individual e corriqueiro,
28
como o aplicado para acordar cedo ou
estudar para uma prova. Depressão não
é frescura.
5- Dizer que não pode fazer nada por
aquela pessoa - Muitas vezes, o
deprimido só precisa ser ouvido ou
entender que sua dor é compreendida.
Colocar-se no lugar do outro e fazer
gestos simples como oferecer um
abraço, um ombro amigo, sugerir
atividades de que a pessoa gosta,
oferecer comida ou levar a pessoa até o
psiquiatra têm um benefício maior do
que o
esperado...............................................
............
Mas atenção: sempre há meios para
ajudar alguém com depressão, mas o
apoio profissional é indispensável.
6- Dizer que irá se sentir melhor
amanhã - Aqui vale o mesmo princípio
29
das frases “siga em frente” ou “saia
dessa”. A depressão é uma doença que
exige acompanhamento profissional
para que o doente possa se recuperar e
retomar a sua vida normal. Não é uma
tristeza passageira que irá melhorar de
um dia para o outro, sem o apoio
necessário.

7- Culpar o depressivo pela sua


condição
A depressão pode ter diversas causas,
biológicas ou não. Mas nenhuma delas é
desenvolvida por culpa ou fraqueza do
depressivo. Dizer isso a alguém com
depressão irá contribuir para a piora do
seu quadro.

O que não dizer a uma pessoa idosa


doente
30
1- Tudo vai ficar bem – Você não pode
garantir um estado de melhora, portanto
não faça tal afirmação, seja otimista sem
dar falsas ilusões.
2- Infantilizar o idoso - tratar com
carinho é diferente de tratar com
adjetivos infantis, a doença física não
afeta a idade intelectual do paciente
idoso, trata-lo assim mais aborrece do
que ajuda.
3- Você está ótimo – Um idoso doente
sabe de suas condições e sente as
limitações e os impedimentos, não minta
tentando agrada-lo(a).
4- Basta o senhor(a) querer para
melhorar – Não querer se tratar pode até
ser uma opção, mas a maioria quer
muito viver, e não é por falta de vontade,
muitos fatores contribuem para
problemas com os idosos, é infantilidade

31
do terapeuta achar que só o querer irá
resolver.
5- Comprar o problema dele com o de
outros pacientes – dizer que teve um
paciente com o mesmo problema e que
aconteceu tal e tal fato, não ajudará, e
pode até assustar mais a pessoa.
6- Estou rezando por você – nem todas
as pessoas professam fé da mesma
maneira, e muitas negam a doença e
tendem a lançar culpa. Só use esta frase
se realmente conhecer a pessoa e a fé
que ela professa.

O que não dizer a uma pessoa ansiosa


1-“Acalme-se” -Se apenas fosse assim
tão simples. Isso não é apenas inútil,
mas também é prejudicial. É melhor
você acreditar que, se alguém com uma
condição de ansiedade pudesse
32
simplesmente “acalmar-se”, já teriam
feito isso. Lembre-se, esta não é apenas
uma “fase” ou um “momento”, é uma
condição.
Algo que pode ser útil em vez disso é
simplesmente instruir a pessoa a
“respirar”… isso mostra compaixão e
pode ser mais útil.
2- “Isso não é grave”- Sim, é grave,
desequilíbrios químicos no cérebro – são
condições graves. Para uma pessoa com
ansiedade crônica, muitas vezes são
sintomas físicos associados à desordem
– tremores, dores, insônia, dores de
cabeça, palpitações cardíacas, etc.
Procurando pelas palavras certas? Tente
dizer “É temporário, vai passar”.
3- “Pelo menos você tem saúde”-
Embora a pessoa não esteja sofrendo de
doenças físicas graves, há mais na

33
saúde geral do que apenas o anatômico.
Na verdade, uma conexão mente/corpo
está se tornando cada vez mais aceita
entre a comunidade científica e os
transtornos de ansiedade são um
exemplo perfeito dessa conexão.
Estresse prolongado, incluindo o
estresse causado pela ansiedade, pode
ter um efeito negativo no corpo de uma
pessoa.
4- “Por que você está ansioso?” -É
importante entender que a pessoa aflita,
muitas vezes, não sabe por que estão do
jeito que estão. Como mencionado
antes, a ansiedade é, estritamente, um
desequilíbrio químico. O cérebro é um
órgão complexo; algo que ainda deve ser
descoberto. Até que possamos entender
como o cérebro recebe, processa e
interpreta todos os estímulos,
provavelmente não haverá uma resposta
34
concreta ao “porquê” de muitos
transtornos mentais.
5- “Eu tenho problemas também” - Esta
declaração não ajuda ninguém – você
ainda terá seus próprios problemas e
pode agravar a ansiedade dos outros
com a preocupação com seus
problemas. Além disso, eles não são
alheios aos problemas de outras
pessoas. Somos todos maduros o
suficiente para entender que todos nós
temos problemas.

6- “Você parece mal/horrível/doente” -


Ninguém gosta de ouvir isso, mas isso é
ainda mais recorrente quando se tem
ansiedade crônica. Esta é uma
afirmação que realmente pode
machucar, se você sabe que alguém que
você quer bem tem ansiedade, faça um

35
favor: Fique longe desses tipos de
declarações.
por medo não evolui a outro nível na
carreira.

Conclusão

Muitas destas situações que você leu


acima podem fazer parte de sua
realidade ou de algum colega de
profissão que você conheça.
Como você sabe e acompanha meu
trabalho no grupo academia do
massoterapeuta, lá no facebook, eu sou
um entusiasta da massoterapia e
defendo a educação e a formação
profissional para que a pessoa possa
viver de massoterapia e que tenha tanta
renda quanto desejar, mas isto é algo
36
que precisa ser mais discutido, e acima
de tudo tem que ser algo que o
massoterapeuta queira mais que
qualquer outra coisa, assim ao se
dedicar e ter os resultados de retorno
financeiro, respeito por seu trabalho,
reconhecimento e valorização ele
passará a dedicar-se mais a aprofundar
em seu ambiente natural de trabalho
sem necessariamente ficar fazendo uma
infinidade de coisas para sobrevier.
Muitas vezes é deste improviso amador
que surgem os vícios que eu coloquei
acima e que muitos massoterapeutas
nem se dão conta de que precisam e
podem mudar.
Assim eu concluo garantido a você que
viver de massoterapia é possível, ao ter
as ferramentas certas esta realidade fica
cada vez mais próxima dos que aplicam
as mudanças necessárias.
37
Sucesso em sua jornada!

Conte comigo.

38

Você também pode gostar