Você está na página 1de 6

BÁSICOS DO SATANISMO:

Uma discussão aberta e série de palestras

Nesta semana, estaremos discutindo o quinto de "As Nove Declarações Satânicas":

"Satanás representa a vingança em vez de dar a outra face!" -Anton Szandor LaVey

Lex Talionis (a lei de retaliação ou, a punição deve caber o crime) é o caminho do
satanista. Nós sempre fazemos aos outros como eles fazem para nós. Nós não somos
pacifistas, pacifistas ou covardes. Sabemos que, se você virar a outra face, ficará sem
bochechas.

A vingança como conceito tem sido difamada por aqueles que negam à humanidade
seus instintos carnais (igrejas, governos, chefes). A maioria de nós é ensinada desde a
juventude que a vingança é errada. Em vez disso, somos solicitados a deixar de lado
nossa necessidade arraigada de retaliação contra aqueles que nos enganam e deixam
Deus ou o Estado lidar com isso. Essa mentalidade difusa leva a uma população mais
fácil de controlar, pois o indivíduo não se sente mais à vontade com a violência. O
simples fato da questão é que os humanos são programados para buscar vingança. Tão
hardwired que restringir esse instinto leva a vítimas de crimes violentos que nunca
atingem o encerramento. Eles gastam centenas de milhares de dólares em terapia
enquanto assistem às audiências de liberdade condicional de seus atacantes a cada
poucos anos para implorar ao Estado que não os liberte de volta à sociedade, ou rezam
para que Deus se vingue mais cedo, mais tarde. Então há aqueles que estão tão
quebrados por este estado atual de pseudo-justiça que eles legitimamente não têm fé no
Estado para lidar com seus assuntos, mas não têm a capacidade de buscar justiça para si
mesmos.

Enquanto isso, a indústria do entretenimento faz milhões vendendo a vingança vicária


alcançada pelos anti-heróis. Quase todos os quadrinhos ou filmes de ação já feitos giram
em torno da ideia de alguém cuja vida inteira foi arrancada em um ato hediondo de
violência ou injustiça. Nosso protagonista, cansado dos fracassos do sistema, toma as
coisas em suas próprias mãos e se torna um super-herói. Todos nós os animamos em sua
busca de consertar os erros em suas vidas ficcionais porque, no fundo, reconhecemos a
verdade natural e universal: a vingança é justiça.

Obviamente, o satanismo não encoraja as pessoas a se tornarem mártires de si mesmas,


como os "heróis" acima mencionados costumam fazer. Nós reconhecemos que nós
vivemos em uma sociedade que não honra o estado natural da humanidade, e
abertamente cedendo a esses instintos pode nos colocar em um pouco de dificuldade. O
satanismo é uma filosofia de realismo e pragmatismo depois de tudo. Assim, quando a
vingança imediata estiver fora da mesa, seguiremos nossas naturezas maquiavélicas e
buscaremos justiça por meio de métodos aparentemente aceitáveis, incluindo a entrada
em nossas câmaras e a elaboração de um ritual de destruição apropriado. De um jeito ou
de outro, um satanista não dá a outra face e nós não suportamos nenhuma injustiça
cometida contra nós.

BÁSICOS DO SATANISMO:
Uma discussão aberta e série de palestras
Nesta semana estaremos discutindo o quarto de "As Nove Declarações Satânicas":

"Satan representa bondade para aqueles que merecem, em vez de amor desperdiçado em
ingratos!" -Anton Szandor LaVey

O homem não pode amar a todos. Não é da nossa natureza. Após um estudo exaustivo
da interação social humana, história e comportamento primata, o antropólogo e
psicólogo evolucionista Robin Dunbar propôs que o número máximo de
relacionamentos significativos que um indivíduo pode ter em um único momento é de
aproximadamente 150. Outros psicólogos, antropólogos e primatologistas sugerem que
circunstâncias específicas, esse número pode ser tão alto quanto 250. Em ambos os
casos, o número é muito inferior a 7,5 bilhões (o número atual estimado de seres
humanos na Terra).

Se aceitarmos que o amor é uma emoção poderosa, uma das mais poderosas sentidas
pelo homem, não há como estender essa emoção poderosa a toda a população humana,
quando não podemos sequer manter um relacionamento significativo com uma
porcentagem delas. No entanto, ao longo da história, muitos homens "sábios" e "grandes
mestres" querem que acreditemos que devemos ser bondosos, generosos e compassivos
com qualquer escória indigna que cruze nosso caminho. Que devemos espalhar nosso
amor tão magro a ponto de cobrir toda a raça humana. Lembre-se, eles pregam essa
noção enquanto provam o contrário através de suas ações.

Os satanistas reconhecem que demonstrar bondade para com todos, inevitavelmente faz
com que aqueles que realmente merecem nossa gentileza e amor recebam menos deles.
Em vez disso, abordamos as ideias de bondade, compaixão e amor da mesma maneira
pragmática e epicurista que abordamos nossas indulgências. Modificamos a chamada
“Regra de Ouro” para estar mais de acordo com nossa natureza carnal. Nós dizemos,
faça aos outros como eles fazem a você. Se alguém é merecedor de nossa bondade e
compaixão, eles nos provam através de suas ações, e esse comportamento é
recompensado. Se alguém é merecedor do nosso amor, nós os amamos com o poder e
paixão que normalmente é reservado para romances de fantasia e romance. Se, no
entanto, a pessoa não merece, ela não recebe nada de nós. Não desperdiçaremos uma
onça de nossa preciosa energia e tempo em alguém que não pode ser incomodado em
fazer o mesmo por nós. Para aqueles que vão mais longe e se encontram merecedores do
nosso ódio ou raiva, este é um tópico para uma declaração diferente.

Então quais são os teus pensamentos? Como alguém te mostra que eles são merecedores
de sua gentileza? Como você lida com os ingratos? Como esse conceito melhorou sua
vida e a vida de seus entes queridos?

BÁSICOS DO SATANISMO:
Uma discussão aberta e série de palestras
Esta semana vamos discutir o 3º de "As Nove Declarações Satânicas":

"Satanás representa a sabedoria imaculada, em vez do auto-engano hipócrita!" -Anton


Szandor LaVey

Esta declaração estabelece a busca constante do satanista por conhecimento. Um velho


ditado nos diz: "Uma falsidade confortável sempre prevalecerá sobre uma verdade
desconfortável". Isso pode ser verdade para a maioria das pessoas, mas não é o caso dos
satanistas. Nas palavras de Anton Szandor LaVey, “o satanismo exige estudo, não
adoração”. Somos nós que comemos da fruta e nos tornamos como deus,
simbolicamente, é claro.
Seria fácil simplesmente aceitar tudo o que o governo, a mídia e os anunciantes nos
dizem como fatos. Vamos encarar, esse mundo é confortável. Bem, ninguém nunca
disse que uma busca constante pela verdade seria confortável. Os satanistas querem
conhecer todos os detalhes sangrentos sobre a vida, o universo e a humanidade. Essa é a
única maneira pela qual podemos garantir que não somos aproveitados. Caveat Emptor!
A diferença entre um deus e um escravo é o conhecimento.

Auto-engano, por outro lado, é perigoso. A maneira mais profunda pela qual o
autoengano prejudica o indivíduo é fechar sua mente racional a novas informações,
mesmo que elas contradigam crenças profundamente arraigadas. No livro “O Poder está
Direito: ou a Sobrevivência do Mais Apto”, o pseudônimo Ragnar Redbeard nos diz:
“Aquele que é lento em acreditar em qualquer coisa e tudo é de grande compreensão,
pois acreditar em um princípio falso é o começo de toda a insensatez. Nossa sociedade
prospera com o auto-engano. Somos constantemente bombardeados por mensagens de
que há algo errado conosco e esse produto milagroso pode curá-lo. A verdade é que
todos nós temos nossos pontos fortes e nossas fraquezas. As forças devem ser
capitalizadas e as fraquezas devem ser compensadas ou destruídas inteiramente. A única
maneira de saber com certeza qual é qual, é não nos enganar, e continuar nossa busca da
sabedoria imaculada.

A palavra-chave quando se trata de auto-ilusão, é "hipócrita". Nós certamente nos


engajamos em auto-engano como nos convém. Esse é um dos princípios por trás da
Grande Magia e da Câmara de Descompressão Intelectual. Os satanistas se engajam,
conscientemente, em auto-engano quando entramos na câmara para invocar Satanás e os
Quatro Príncipes do Inferno. É claro que, conscientemente, envolver-se em uma forma
de auto-engano não é hipócrita. Há uma grande diferença, por exemplo, entre desfrutar
de uma história em quadrinhos e realmente acreditar que um alienígena todo-poderoso
virá em nosso socorro durante um assalto.
Então, quais são seus pensamentos sobre a sabedoria imaculada? Como você evita cair
na armadilha do auto-engano hipócrita? Como você procura a sabedoria imaculada?

BÁSICOS DO SATANISMO:
Uma discussão aberta e série de palestras

Eu comecei originalmente esta série de ensaios / discussões para o grupo O Limbo é a


porta de entrada para uma rede de grupos do Facebook (e outras mídias sociais)
chamada The Inferno. Eu encorajo altamente qualquer um que esteja interessado em
satanismo, peça para participar e ter conversas mais profundas sobre a religião mais
temida do mundo. Esteja avisado, porém, de uma forma verdadeiramente satânica,
somos elitistas e exigentes quanto a quem permitimos em nosso círculo, virtual ou não.
Ao longo das próximas semanas, estarei escrevendo breves ensaios cobrindo os
aspectos individuais de “As Nove Declarações Satânicas”, “As Onze Regras Satânicas
da Terra”, “Os Nove Pecados Satânicos” e “Revisionismo Pentagonal: Um Cinco -Point
Program ”tudo escrito por Anton Szandor LaVey. Encorajo todos os que lêem esses
ensaios a discutirem esses princípios na seção de comentários e chegarem às suas
próprias conclusões.
Os maravilhosos administradores de Ask A Satanist estarão presentes para responder
perguntas, facilitar a discussão e moderar qualquer debate que possa surgir. Eu vou
aparecer de tempos em tempos também. Entenda, meu objetivo não é criar um
“satanismo para leigos” on-line ou facilitar o processo de estudar. O satanismo não é
para todos, e a única maneira de determinar se é para você é ler “A Bíblia Satânica” de
Anton Szandor LaVey e ver se você se vê refletido em suas páginas.

Em vez disso, meu objetivo é fornecer uma sinopse mais detalhada sobre como esses
princípios se parecem em ação. Para fornecer minha própria perspectiva satânica sobre
os conceitos básicos que formam a base da primeira religião carnal do mundo. Se
alguma coisa, isso será simplesmente o satanismo do meu ponto de vista, com uma
oportunidade para você, leitor, responder. Para esse fim, parece um bom lugar para
mencionar que sou um membro ativo da Igreja de Satanás, mas que não falarei em nome
da Igreja de Satanás durante esta série.

Eu recomendo fortemente que qualquer um que esteja curioso sobre satanismo ou a


Igreja de Satanás visite www.churchofsatan.com para aprender mais. Nesse site você
encontrará links para ensaios de membros e hierarquia da Igreja de Satanás, um FAQ
abrangente sobre o satanismo e a Igreja de Satanás, notícias sobre o que a Igreja de
Satanás está realizando no mundo real e
muito muito mais. Acho que isso cobre tudo que é introdutório, então, na próxima
semana, começaremos discutindo “As Nove Declarações Satânicas”, o que as
Declarações individuais significam e como todas elas se encaixam. Estou ansioso para
interagir com todos vocês e ouvir suas perspectivas individuais também. Até então...

BÁSICOS DO SATANISMO:
Uma discussão aberta e série de palestras

Nesta semana, vamos discutir o segundo de "As Nove Declarações Satânicas":

"Satan representa a existência vital em vez de sonhos espirituais!" -Anton Szandor


LaVey

Vital: Necessário para a existência, continuação ou bem-estar de alguma coisa;


indispensável; essencial.
Existência: continuidade no ser ou na vida; vida.

Assim, no termo “Existência Vital”, temos o conceito de algo que é necessário para a
continuidade da vida.

Espiritual: De ou relacionado ao espírito ou alma, como distinto da natureza física.


Pipe Dream: Qualquer noção fantástica, esperança ou história.

Então, um “Sonho Espiritual de Tubulação” é uma história fantástica sobre a alma.

Como discutimos na semana passada, o satanismo é uma filosofia totalmente carnal.


Esta declaração leva esse ponto para casa e solidifica ainda mais a ênfase no indivíduo
que é parte integrante da filosofia satânica.
O satanismo está focado no aqui e agora. Nós não buscamos a nossa recompensa em
alguma vida após a morte fantástica, fazemos acontecer todos os dias. Para o melhor do
conhecimento humano, esta é a única vida que temos. Portanto, devemos maximizá-lo.
Uma das maneiras pelas quais atingimos esse objetivo é através da indulgência (em
oposição à abstinência ou compulsão). Agora, isso não quer dizer que os satanistas não
acreditam em alguma forma de imortalidade. Na verdade, muito pelo contrário. No
capítulo “Vida após a Morte por meio do Cumprimento do Ego” em “A Bíblia
Satânica”, Anton Szandor LaVey claramente mostra que a única maneira pela qual os
humanos podem realmente alcançar a imortalidade (neste momento) é através de nossos
atos na vida. Quanto mais prolífica for a vida, mais forte é o legado do indivíduo. O
"espírito" de quem, e o quê, você realmente vive, na memória daqueles que você deixa
para trás. Esta é uma forma de imortalidade muito mais alcançável do que os contos de
fadas da Idade do Bronze sobre as nossas “almas” sobrevivendo à morte em algum
paraíso mítico. É claro que nem todo mundo é capaz de atingir esse objetivo, mas o
satanismo não é para todos.

Como o foco da filosofia satânica está no indivíduo, cabe ao indivíduo satanista


determinar o que a Existência Vital significa para eles. Todos nós temos nossos próprios
objetivos na vida. Nós temos nossos próprios desejos, necessidades e coisas que
achamos prazerosas. Então, o que a Existência Vital significa para você? Como você
implementa esse conceito em sua vida e vive todos os dias ao máximo?

BÁSICOS DO SATANISMO:
Uma discussão aberta e série de palestras

“As Nove Declarações Satânicas” são encontradas em “The Satanic Bible” de Anton
Szandor LaVey. Eles servem como um fundamento básico da crença satânica e
respondem à pergunta frequente, “Por que Satanás?”

Nas próximas 9 semanas, estaremos dissecando cada declaração. Vamos discutir o que
isso significa e como implementamos essa ideia em nossas vidas diárias. Começaremos
no começo, com o primeiro de “As Nove Declarações Satânicas”:

"Satan representa indulgência em vez de abstinência!" -Anton Szandor LaVey

Vamos fazer uma viagem no tempo, de volta a Walpurgisnacht, em 1966. Naquele dia,
Anton Szandor LaVey raspou a cabeça ritualisticamente, formou oficialmente a Igreja
de Satã e declarou o Ano Um, Anno Satanas (Era de Satã). Magus LaVey teve algumas
idéias muito interessantes sobre as idades da história humana. Para uma compreensão
mais completa de sua teoria, sugiro o ensaio “The Unknown Known”, de seu livro “The
Satanic Rituals”. No entanto, para nossos propósitos, um simples resumo será
suficiente. Cada era da história humana (1.458 anos) alterna entre duas forças opostas:
fogo e gelo. Durante uma era de gelo, o homem é encorajado a se abster dos prazeres da
vida e do mundo ao seu redor. Para fugir de sua natureza, e dar-se a influência exterior
completamente. Durante uma era de fogo, ele é incentivado a entrar nesses prazeres.
Para retornar a si mesmo e alimentar o ego. Na Walpurgisnacht de 1966, a nova Era do
Fogo começou e, com ela, o caminho da esquerda mais uma vez alcançou proeminência
dentro do subconsciente maior.

Durante uma era de fogo, a natureza carnal da humanidade é a força motriz por trás do
progresso da espécie. Nossa natureza carnal nos diz para entrar. É um instinto dentro de
nós que nos faz buscar prazer, seja qual for o método mais satisfatório. Faça sexo, coma
comida, crie grandes obras de arte e componha essas belas peças de música, viva para o
aqui e agora e desfrute da generosidade da natureza. Claro, faça isso para mais do que
apenas sobrevivência e procriação (ou rebelião equivocada), faça isso porque é divertido
e emocionalmente satisfatório.

Claro, só porque a Idade mudou, não significa que não existam holdouts do Age of Ice
anterior. Eles vêm em muitas formas e tamanhos, seja religião, estatismo ou qualquer
outra forma de coletivismo, os remanescentes da Idade do Gelo nos dizem para nos
abstermos das delícias terrenas. Eles nos instruem a desistir de uma parte de nós
mesmos para "algo maior" do que o indivíduo. Isso é uma falácia e serve apenas ao
benefício dos indivíduos que administram o coletivo. Este desejo inerente de
indulgência é aquele que é tão essencial à filosofia do satanismo, que o Dr. Doktor
achou por bem fazer da INDULGÊNCIA o lema de seu novo templo da carnalidade, a
Igreja de Satanás. Como a serpente informou Eva, somente quando comemos o fruto
proibido, nos tornamos como Deus.

Agora, esse foco na indulgência leva muitas pessoas a confundir o satanismo como uma
filosofia “faça o que você quiser”. Nada poderia estar mais longe da verdade. Como
Magus LaVey nos alertaria mais tarde em “A Bíblia Satânica”, indulgência não é
compulsão. Quando alguém é vítima de compulsões, eles não mais se entregam e
alimentam seu ego, eles se tornaram escravos. Nossa cultura (e os já mencionados
"Idade do Gelo") aprenderam a vender indulgências falsas muito bem. Quando nos
tornamos escravos de algo que não está nos beneficiando como indivíduos,
efetivamente nos tornamos apenas mais uma ovelha no rebanho. Em vez disso, devemos
estar atentos para sempre abordar nossas indulgências de uma maneira epicurista, e
permanecer os senhores de nosso próprio destino.

Então, quais são seus pensamentos sobre a indulgência? Como você evita compulsão