Você está na página 1de 7

BIOLOGIA E GEOLOGIA – 10º ANO

Prova de Avaliação
Outubro de 2018
Grupo I

Há cerca de 252 milhões de anos (M.a.), no limite entre o Pérmico (final do Paleozoico) e o Triásico (início do
Mesozoico), ocorreu a maior extinção em massa de que há registo, com o desaparecimento de cerca de 90% das
espécies marinhas e 70% das espécies terrestres.
Existem várias hipóteses explicativas para a extinção em massa no final do Pérmico, destacando-se o vulcanismo
intenso, registado em extensos mantos de lava na atual Sibéria. Este fenómeno vulcânico decorreu ao longo de
centenas de milhares de anos, com libertação de elevadas quantidades de dióxido de carbono (CO 2). A existência
de depósitos de carvão rico em metano na região afetada pela erupção levou à libertação de metano, um gás com
forte efeito de estufa (figura 1).
A combinação de elevadas temperaturas, chuvas ácidas e aumento da meteorização das rochas levou a um
aumento do transporte de nutrientes (minerais) para os oceanos. Apesar do acréscimo momentâneo e local da
produtividade dos ecossistemas aquáticos, gerou-se um amplo consumo de oxigénio por parte dos
decompositores, em especial nas águas mais profundas. Deste fenómeno resultou o aparecimento de zonas nos
oceanos com reduzidos teores de oxigénio (OMZ, do inglês – oxygen minimum zone). Estas condições
intensificaram-se ao longo de 2 M.a., afetando os ecossistemas marinhos e terrestres.

Figura 1
Adaptado de: http://homepages.uc.edu/~algeot/PTB.htm
1. Na resposta a cada um dos itens de 1.1. a 1.5., seleciona a única opção que permite obter uma afirmação
correta. (25 pontos)

1.1. A extinção em massa que ocorreu no final do Pérmico


(A) afetou mais os ambientes terrestres.
(B) foi causada por um arrefecimento global.
(C) não está relacionada com as interações entre os subsistemas.
(D) afetou mais os ecossistemas aquáticos.

1.2. A reação entre o vapor de água e o dióxido de enxofre de origem vulcânica, formando chuvas ácidas, é
um exemplo de interação
(A) geosfera e biosfera.
(B) atmosfera e hidrosfera.
(C) geosfera e atmosfera.
(D) hidrosfera e biosfera.

1.3. A libertação de metano


(A) ocorreu de forma direta a partir do magma.
(B) não causou variações na temperatura global.
(C) pode ter sido responsável pelo aumento da temperatura global dos oceanos.
(D) só afetou os ecossistemas de forma local.

1.4. Relativamente aos dados da figura 1, é possível afirmar que


(A) a extinção foi agravada pelo facto de o vulcanismo ter afetado rochas ricas em metano.
(B) não ocorreu recuperação das comunidades biológicas ao longo do Triásico.
(C) a extinção do Pérmico resultou da ação conjunta do vulcanismo e do impacto meteorítico.
(D) o transporte de sedimentos foi reduzido no final do Pérmico.

1.5. Para determinar a ação das chuvas ácidas sobre as rochas, adicionou-se CO2 a vapor de água e, após
arrefecimento, dividiu-se a solução por 3 recipientes - A, B e C -, os quais continham, respetivamente, uma
amostra de granito, calcário e quartzito.
Na experiência referida
(A) a variável dependente foi o CO2 e a variável independente o tipo de rocha.
(B) a variável independente foi o tipo de rocha e a montagem de controlo foi a B.
(C) verificou-se que a amostra do recipiente C sofreu intensa meteorização.
(D) A montagem de controlo foi a A e a variável dependente foi o grau de meteorização das amostras.

2. Ordena as letras de A a E, de modo a reconstituíres a sequência cronológica dos acontecimentos relacionados


com a formação de regiões com reduzido teor de oxigénio nos oceanos, no final do Pérmico. (5 pontos)
A. Transporte de nutrientes dissolvidos para os oceanos.
B. Intensa meteorização das rochas continentais.
C. Crescimento rápido dos seres vivos produtores numa fase inicial.
D. Os seres vivos decompositores consomem o oxigénio presente nas águas mais profundas.
E. Os restos dos seres vivos depositam-se nos fundos oceânicos.

3. No final do Pérmico e início do Triásico verificaram-se alterações nos subsistemas terrestres que conduziram
ao aumento de produtividade marinha.
Explica, justificando, a sequência de interacções verificadas nos subsistemas terrestres. (15 pontos)

___________________________________________________________________________________________
Biologia e Geologia – 10ºAno – Ano letivo 2017/18 – Escola Secundária D. Maria II – Braga 2/7
Grupo II

Um inselberg, também designado de “monte-ilha”, é um relevo residual que se destaca numa superfície aplanada.
O inselberg granítico de Monsanto (figura 2), Idanha-a-Nova, eleva-se a mais de 300 metros de altitude e é
litologicamente distinto da superfície de aplanação que o envolve. Nesta superfície é possível encontrar xistos e
grauvaques (rocha com origem sedimentar levemente metamorfizada).
A instalação deste granito ocorreu há cerca de 310 milhões de anos (era Paleozoica), aquando do arrefecimento de
um magma. Mais tarde, durante a era Mesozoica, como resultado da exposição a um clima tropical, terá ocorrido
uma alteração do granito em profundidade. Esta alteração terá sido a consequência da circulação de fluídos
provenientes das águas das chuvas pelas fraturas (diaclases) existentes nas rochas.
Posteriormente, já na era Cenozoica, no período árido do Paleogénico e início do Neogénico, os xistos e os
grauvaques que envolviam o granito alteraram-se ainda mais rapidamente, o que levou à remoção do manto de
alteração e à exposição do relevo granítico.

Figura2

Adaptado de:http://www.naturtejo.com/ficheiros/conteudos/pdf/geoturismo/1.1.pdf
http://geonaturescola.com/ficheiros/rotas/1385461303Parque_geomorfologico_Monsanto.pdf
https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/18138
1. Na resposta a cada um dos itens de 1.1. a 1.6., seleciona a única opção que permite obter uma afirmação
correta. (30 pontos)
1.1. Há cerca de 310 milhões de anos, o granito de Monsanto
(A) estaria sujeito à alteração pelos fluídos superficiais.
(B) ter-se-á formado próximo da superfície terrestre.
(C) aflorou à superfície terrestre.
(D) ter-se-á formado em profundidade.

1.2. O granito de Monsanto constitui uma litologia


(A) magmática, inserida num contexto geológico de natureza metamórfica.
(B) metamórfica, inserida num contexto geológico de natureza magmática.
(C) intrusiva, inserida num contexto geológico de natureza extrusiva.
(D) magmática, inserida num contexto geológico de natureza sedimentar.

1.3. A semivida do urânio-235 em chumbo-207 é de, aproximadamente, 710 milhões de anos. Cristais de
zircão recolhidos no granito de Monsanto demonstram que a percentagem de
(A) urânio-235 é inferior à de chumbo-207.
(B) urânio-235 é semelhante à de chumbo-207.
(C) urânio-235 é superior à de chumbo-207.
(D) urânio-235, relativamente ao chumbo-207, é residual.
___________________________________________________________________________________________
Biologia e Geologia – 10ºAno – Ano letivo 2017/18 – Escola Secundária D. Maria II – Braga 3/7
1.4. No segundo parágrafo do texto, as expressões “os xistos e grauvaques que envolviam o granito alteraram-
se ainda mais rapidamente” e “ levou à remoção do manto de alteração” referem-se, respetivamente, a
(A) meteorização e erosão.
(B) erosão e meteorização.
(C) meteorização e transporte.
(D) erosão e transporte.

1.5. Quando comparado com um basalto da ilha de Porto Santo, o granito de Monsanto apresenta minerais de
(A) menor tamanho, devido a um arrefecimento mais lento do magma.
(B) maior tamanho, devido a um arrefecimento mais rápido do magma.
(C) maior tamanho, devido a um arrefecimento mais lento do magma.
(D) menor tamanho, devido a um arrefecimento mais rápido do magma.

1.6. As rochas metamórficas têm a sua génese frequentemente associada a agentes de geodinâmica
(A) externa atuando a temperaturas inferiores às do ponto de fusão das rochas.
(B) interna atuando a temperaturas inferiores às do ponto de fusão das rochas.
(C) externa atuando a temperaturas superiores às do ponto de fusão das rochas.
(D) interna atuando a temperaturas superiores às do ponto de fusão das rochas.

2. Faz corresponder cada uma das descrições relativas a rochas, expressas na coluna A, à designação
correspondente, que consta da coluna B. (5 pontos)

Coluna A Coluna B
a) Rocha formada pela acumulação de restos de matéria 1. Rocha sedimentar quimiogénica
orgânica vegetal. 2. Rocha vulcânica
b) Forma-se por precipitação de carbonatos no fundo oceânico. 3. Rocha sedimentar biogénica
c) Ocorre alinhamento de cristais em função de pressões na 4. Rocha metamórfica não foliada
crusta terrestre, gerando rearranjos texturais. 5. Rocha sedimentar detrítica
d) Formada a partir da consolidação de um magma em 6. Rocha plutónica
profundidade. 7. Rocha metamórfica foliada

3. Faz corresponder cada uma das descrições relativas a processos de formação de rochas, expressas na coluna
A, à designação correspondente, que consta da coluna B. (5 pontos)

Coluna A Coluna B
1. Transporte
a) Fenómeno que ocorre quando a ação dos agentes de erosão e de
2. Diagénese
transporte se anula ou é muito fraca.
3. Erosão
b) Transformação dos sedimentos móveis em rochas sedimentares
4. Meteorização
consolidadas, por via física e/ou química.
5. Sedimentação
c) Movimentação dos materiais erodidos por ação da água e do vento.
6. Sedimentogénese
d) Formação de sedimentos.
7. Compactação

4. Utilizando os termos 1, 2, 3, 4 e 5 da coluna B da pergunta anterior, descreve uma sequência cronológica de


acontecimentos relacionados com os processos de formação das rochas sedimentares detríticas. (5 pontos)

5. Explica em que medida o encaixe fluvial da figura 2 terá contribuído para a exposição mais rápida do granito.
(10 pontos)

___________________________________________________________________________________________
Biologia e Geologia – 10ºAno – Ano letivo 2017/18 – Escola Secundária D. Maria II – Braga 4/7
Grupo III

A figura 3 representa um corte geológico em que as intrusões I1 e I2 possuem respetivamente 60 M.a. e 42 M.a..
Recorrendo à presença de fósseis de uma determinada espécie de amonites, a formação B foi datada do Jurássico
(período da era Mesozoica).

Figura 3

1. Faz corresponder a cada uma das letras, de A a G e I1, da figura 3, um dos seguintes termos:
(10 pontos)
1. Rocha magmática intrusiva 4. Rocha sedimentar biogénica 6. Rocha metamórfica não foliada
2. Rocha sedimentar detrítica 5. Rocha magmática extrusiva 7. Rocha sedimentar quimiogénica
3. Rocha metamórfica foliada

2. Na resposta a cada um dos itens de 2.1. a 2.5., relativos à figura 3, seleciona a única opção que permite
obter uma afirmação correta. (25 pontos)
2.1. A superfície aplanada que constitui a base de E foi formada por
(A) erosão e a sua horizontalidade revela que, depois de ela ter surgido, as rochas da região foram sujeitas a
deformação.
(B) sedimentação e a sua horizontalidade revela que, depois de ela ter surgido, as rochas da região não foram
sujeitas a deformação.
(C) erosão e a sua horizontalidade revela que, depois de ela ter surgido, as rochas da região não foram sujeitas
a deformação.
(D) sedimentação e a sua horizontalidade revela que, depois de ela ter surgido, as rochas da região foram
sujeitas a deformação.

2.2. Na auréola de metamorfismo G, as rochas do estrato B podem ter sofrido


(A) recristalização originando mármore.
(B) fusão originando mármore.
(C) recristalização originando granito.
(D) fusão originando granito.

2.3. Em condições subaéreas, submetidos a valores de pressão e de temperatura mais _____ que os da sua
génese, os minerais constituintes da intrusão I1 tendem a transformar-se, dando origem a rochas _____.
(A) elevados … sedimentares
(B) elevados … metamórficas
(C) baixos …metamórficas
(D) baixos … sedimentares

2.4. O arenito F tem


(A) menos de 42 M.a.
(B) entre 42 e 60 M.a.
(C) mais de 150 M.a.
(D) entre 60 e 150 M.a.

2.5. Os fósseis de amonites, referidos no texto, são considerados


(A) fósseis de fácies e são utilizados na determinação de paleoambientes.
(B) fósseis de idade e são utilizados na determinação da idade absoluta da rocha.
(C) fósseis de fácies e são utilizados na determinação de ambientes naturais.
(D) fósseis de idade e são utilizados na determinação da idade relativa da rocha.
___________________________________________________________________________________________
Biologia e Geologia – 10ºAno – Ano letivo 2017/18 – Escola Secundária D. Maria II – Braga 5/7
3. Ordena as letras de A a E, de modo a reconstituires a sequência cronológica dos acontecimentos
representados no corte geológico da figura 3. (5 pontos)
A. Intrusão magmática I1
B. Formação do filão I2
C. Regressão marinha seguida da erosão das formações emersas.
D. Deposição dos materiais que irão constituir sequencialmente os estratos de A a D.
E. Transgressão marinha e deposição de materiais que vão constituir sequencialmente os estratos E e F.

4. O interesse pela geocronologia (1) levou à elaboração de princípios simples que continuam a ser utilizados
pelos geólogos.
Explica em que medida no corte geológico representado na figura 3 são aplicados três princípios
estratigráficos. (15 pontos)
(1)
ciência que visa determinar a idade e a sucessão cronológica dos diferentes eventos da história da Terra.

5. Comenta a seguinte afirmação “As rochas metamórficas apresentam aspetos que fornecem informações sobre
o tipo de metamorfismo que as gerou”. (15 pontos)

Continua

___________________________________________________________________________________________
Biologia e Geologia – 10ºAno – Ano letivo 2017/18 – Escola Secundária D. Maria II – Braga 6/7
Grupo IV

Em zonas oceânicas distintas, foram recolhidas duas amostras de formações sedimentares (A e B), com o mesmo
peso. Em laboratório, foi feito o estudo granulométrico dessas amostras. A separação dos detritos, nas duas
amostras, fez-se recorrendo a uma coluna de crivos (peneiras de arame), cujas malhas eram cada vez mais finas,
do topo para a base da coluna. Os detritos ficaram retidos nos crivos de acordo com as dimensões que
apresentavam.
Os resultados do estudo estão expressos no gráfico da figura 4. Na tabela I, encontram-se as designações dos
diferentes detritos, de acordo com as suas dimensões.

Designação do Dimensões
detrito (mm)
Areão 8a2
Areia grosseira 2 a 0,5
Areia média 0,5 a 0,1
Areia fina 0,1 a 0,06
Silte 0,06 a 0,004
Argila Inferior a 0,004

Tabela I

Figura 4
1. Na resposta a cada um dos itens de 1.1. e 1.4., seleciona a única opção que permite obter uma afirmação
correta. (20 pontos)
1.1. O objetivo do procedimento laboratorial foi determinar...
(A) o agente de meteorização dos detritos.
(B) a distribuição granulométrica de cada uma das amostras.
(C) as fases de formação das rochas detríticas.
(D) a composição química dos detritos das amostras.

1.2. A interpretação dos resultados do estudo efetuado permitem concluir que...


(A) a amostra B é essencialmente constituída por detritos de dimensões inferiores a 0,2 mm.
(B) a amostra B apresenta maior homogeneidade granulométrica do que a amostra A.
(C) as amostras A e B apresentam a mesma percentagem de areias.
(D) na amostra A, há grãos de dimensões inferiores a areias.

1.3. As afirmações seguintes dizem respeito à metodologia experimental utilizada.


1. A separação dos grãos foi feita por processos mecânicos.
2. Os grãos de maiores dimensões ficaram retidos nos crivos de topo da coluna.
3. Nos crivos, a distribuição granulométrica da amostra A teve maior dispersão que a da amostra B.
(A) 1 e 3 são verdadeiras; 2 é falsa.
(B) 3 é verdadeira; 1 e 2 são falsas.
(C) 2 é verdadeira; 1 e 3 são falsas.
(D) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.

1.4. Na amostra utilizada na experiência, contendo alguns grãos graníticos, a datação absoluta desses grãos
dará uma idade
(A) anterior à meteorização e erosão do granito.
(B) anterior à da consolidação do magma.
(C) simultânea à da exposição subaérea do maciço granítico.
(D) simultânea à da meteorização do maciço granítico.

2. As areias podem dar origem a uma rocha consolidada.


Explica em que consiste esse processo. (10 pontos)

___________________________________________________________________________________________
Biologia e Geologia – 10ºAno – Ano letivo 2017/18 – Escola Secundária D. Maria II – Braga 7/7