Você está na página 1de 16

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

PEDAGOGIA

WEBER JOÃO BORGES DE OLIVEIRA

A IMPORTÂNCIA DA ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO NO


PROCESSO EDUCATIVO.

Castanhal
2018
WEBER JOÃO BORGES DE OLIVEIRA

A IMPORTÂNCIA DA ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO NO


PROCESSO EDUCATIVO.

Trabalho de Licenciatura e, Pedagogia apresentado à


Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, como
requisito parcial para a obtenção de média bimestral nas
disciplinas de Alfabetização e Letramento. Literatura
Infanto-Juvenil. Ensino de Matemática na Educação
Infantil. Ensino de Natureza e Sociedade na Educação
Infantil. Seminário V

Orientador: Prof. Mari Clair Moro nascimento,


Prof. Tatiane Mota Santos Jardim,
Prof. Alessandra Negrini Dalla Barba,
Prof. Amanda Crispim Ferreira,
Prof. Mirela Ramos Moimaz Helbel,

Castanhal
2018
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO...........................................................................................................3
2- DESENVOLVIMENTO..............................................................................................4
2.1- REFERENCIAL TEÓRICO ......................................................................................
3- PROJETO ..................................................................................................................
3.1- ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO.......................................................................
3.2- LITERATURA INFANTO- JUVENIL..........................................................................
3.3- ENSINO DE MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL.........................................
3.4- SOCIEDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL PARA CRIANÇAS COM IDADE
ENTRE 4 E 5 ANOS .......................................................................................................
4- CONSIDERAÇÕES FINAIS...................................................................................13
5- REFERÊNCIA .......................................................................................................14
3

1 INTRODUÇÃO

Este trabalho tem como objetivo discutir a importância da organização


do espaço no processo educativo, e aprendizagem das crianças do ensino
fundamental.
Na busca por uma perspectiva para o desenvolvimento e aprendizagem dos
alunos, onde o espaço e a diversidade de nossa sociedade se constroem ao
longo da história. O que desenvolvemos na escola da infância é resultado de
nossos saberes sobre criança, por isso reflete a cultura do educador e o modo
como a concebe, ao falar da questão do espaço na Educação Infantil, parece
que fixamos as discussões apenas na estrutura física ou arquitetônica, porem
sabemos que a construção do saber dentro de um ambiente favorável par seu
desenvolvimento faz com que a criança desperte para outros anseios. De
acordo com Barros (2008, p.66)

O espaço para a Educação Infantil deve contemplar as necessidades e


interesses sociais, e os profissionais da área devem ter o cuidado de
observar à cultura, as diversidades, as condições de vida das crianças,
adequando-as ás suas especificidades [...].

Para que isso ocorra, é imprescindível que o ambiente educativo que recebe a
criança seja elaborado, assim como os próprios objetivos pedagógicos, por
meio de um olhar sobre as verdadeiras necessidades infantis, é no espaço
físico que a criança consegue estabelecer relações entre o mundo e as
pessoas, transformando-o em um pano de fundo no qual se inserem emoções,
eles se definem com a relação que as pessoas constroem entre elas e o
espaço organizado.
A interação possibilita à criança através da influência do meio onde convive,
possibilitando a ação através de seus elementos. Compreendemos que essa
seja uma questão relevante a ser estudada.
Um espaço organizado de forma a disponibilizar as crianças nos anos iniciais
uma variedade de objetos de sua própria cultura, permitindo a elas enriquecer
suas experiências, de aprendizagem, de troca de saberes entre os pares, de
liberdade de ir e vir, de prazer, de individualidades, de partilhas, enfim, de se
divertir aprendendo e realizando atividades mais interessantes e significativas
BARROS, F. C. O. M. de. Cadê o brincar? Da Educação Infantil para o Ensino
4

Fundamental. 2008. 220f. Dissertação (mestrado em Psicologia) – Faculdade


de Ciências e letras de Assis, Universidade Estadual Paulista, Assis, SP, 2008.
5

2- DESENVOLVIMENTO

2.1- REFERENCIAL TEÓRICO.


O ambiente escolar possibilita às crianças, além dos conteúdos
pedagógicos, a capacidade de evoluir pessoalmente através das vivências e
relações sócias. O processo de aprendizagem é influenciado positivamente
pela socialização das crianças favorecendo o surgimento e as manifestações
de diversos sentimentos. Segundo Machado (2002):
A educação infantil, enquanto campo de conhecimento, de atuação
profissional e de política educacional pública, vem ganhando contornos mais
nítidos e com isso as discussões que emanam de seu interior adquirem
maior visibilidade e consistência. (p.9)

A partir dos cinco anos, as crianças dispõem de inúmeras emoções e ostentam


certo controle emocional, sendo importante ressaltar que, durante todo
processo de desenvolvimento, é necessário que a criança receba estímulos de
acordo com a sua fase para que desenvolva as emoções socialmente. As
crianças possuem modos muito singulares de sentir e pensar o mundo que as
cercam.
Elas brincam, jogam, imaginam, representam, constroem e reconstroem suas
próprias hipóteses numa lógica que lhes é peculiar. Buscam compreender a
realidade e suas contradições por meio das brincadeiras e jogos simbólicos.
Utilizam as mais diversas linguagens para expressar seus pensamentos e
sentimentos. De acordo com Zabalaza (1998):
O termo, espaço, tem diversas concepções. Da sua definição e sentido,
ocupam-se diversos profissionais de diversas áreas: filósofos, sociólogos,
economistas, arquitectos, pedagogos, etc... (...) é necessário entender o
espaço como um espaço de vida no qual, a vida acontece e se desenvolve:
é um conjunto completo. (p.230)

A probabilidade de a criança viver a infância e aprender a conviver, brincar e


desenvolver coletivamente, expressar-se, interagir, comunicar, ouvir e recontar
histórias, desenvolver iniciativas, buscar soluções para problemas e conflitos
cotidianos, conversar sobre o mundo que a cerca, calcular quantos objetos há
em uma vasilha para distribuí-los entre os colegas, aprender a arremessar uma
bola em um cesto, desenvolver cuidados pessoais com a sua higiene, cuidar
dos colegas que necessitam de ajuda, compreender sua forma de reagir às
situações e emoções. Segundo Paulo Freire: “Há uma pedagogia indiscutível
6

na materialidade do espaço”. (FREIRE, 1999:49).


Esse campo de experiências na educação infantil, diz respeito aos aspectos
afetivos e socioculturais da formação humana. Trata-se do autoconhecimento,
da auto-organização e do cuidado com os colegas em volta. Portanto não basta
a criança esta em um espaço organizado de modo a desafiar suas
competências, é preciso que ela interaja com esse espaço para vivê-lo
intencionalmente. “A História não se escreve fora do espaço, e não há
sociedade a-espacial. O espaço, ele mesmo é social.” (SANTOS 1979. p.9).
Isso quer dizer que essas vivências, na realidade, estruturam se em uma rede
de relações e expressam-se em papeis que as crianças desempenham em um
contexto no qual os móveis, os materiais, os rituais de rotina, a professora e a
vida das crianças fora da escola interferem nessas vivências.

3 - ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA.

3.1- Alfabetização e Letramento.

Objetivo Geral:
- Retomar conteúdos trabalhados em sala de aula, reforçando e melhorando o
desempenho dos alunos, reduzindo as diferenças de aprendizagem
apresentadas entre eles e o restante da turma.

Objetivo Específico:
- Reconhecer e trabalhar as dificuldades na leitura, na escrita e na oralidade;
- Ampliar o vocabulário oral e escrito, ampliando o conhecimento do aluno;
- Organizar o pensamento lógico e a construção de palavras;
- Desenvolver o raciocínio através de atividades que estimulem seu
pensamento;
7

Fonte: google imagens

Recursos:
- recursos humanos: Professores, coordenadores, alunos etc.
- Recursos didáticos e tecnológicos: Livros, computadores, papel, lápis .

3.2 – Literatura infanto-juvenil.

Justificativa:

Nesta faixa etária, as crianças encontram-se na fase do realismo imaginário,


onde pensam que a imitação representa a realidade. Para elas, as coisas são
vivas e dotadas de intenções e sentimentos.

Aproveitando também, que nesta fase as crianças apresentam maior


capacidade de concentração, fixam como ouvintes, e conquistam sua própria
linguagem, senti a necessidade de montar este projeto abrangendo contos e
histórias como: O lobo e os cabritinhos, Uma babá para os ursinhos, O sapo
encantado etc., acreditando que o conto deve ser prazeroso e não repetitivo e
mecânico, de forma que nos permita viajar em outro mundo proporcionando
momentos de risos, novos conhecimentos e sonhos.

Objetivo Geral:
8

- Proporcionar momentos de prazer através da leitura, ampliando vocabulário


e a organização de pensamentos.

Objetivo Específico:
- Confrontar realidade e fantasia;

- Aguçar o prazer pela leitura;

- Desenvolver a linguagem oral e a capacidade de ouvir;

- Organizar ideias e pensamentos;

- Ampliar o vocabulário;

- Estimular a criatividade.

Fonte: google imagens

Recursos:

- recursos humanos: Professores, coordenadores, alunos etc.


- Recursos didáticos e tecnológicos: Livros, computadores, papel, lápis, etc .

3.3 – Ensino de Matemática na Educação Infantil.

Justificativa:
9

O estudo da Matemática se apresenta como um importante aspecto da


cidadania, tendo em vista os conceitos e procedimentos matemáticos básicos
para o mundo do trabalho, das relações sociais, culturais e políticas. Tendo em
vista a importância do desenvolvimento das habilidades relacionadas a essa
área de conhecimento, este projeto oportuniza à criança o estudo da
Matemática na educação infantil por meio de atividades lúdicas, como jogos e
brincadeiras que exploram habilidades diversas, possibilitando o
desenvolvimento do raciocínio lógico matemático, de forma divertida e baseada
em exemplos cotidianos, o que, por sua vez, auxilia na percepção da
importância da Matemática em nosso dia a dia.
Os jogos e brincadeiras, em muitos casos são utilizados sem nenhuma
intencionalidade numa tendência prioriza onde se imagina que a criança pelo
simples fato de manipular objetos aprende por si só os conteúdos matemáticos
ou que apenas na interação social por meio das brincadeiras o conceito de
número será formado na criança e seu desenvolvimento lógico será
desenvolvido. A presente pesquisa visa criar estratégias úteis procurando
envolver a criança em uma temática infantil através da utilização do livro A
centopeia e seus sapatos promovendo a partir dele atividades matemáticas que
auxiliarão na aquisição de conhecimentos matemáticos que serão relacionados
à sua vida diária tornando assim a aprendizagem da matemática algo
potencialmente significativo.

Objetivo Geral:
- Proporcionar um maior conhecimento na matemática
- Perceber que a matemática está presente, nas mais diversas situações;
- Proporcionar aos alunos oportunidades de comunicação matematicamente;
- Despertar no aluno a confiança em suas próprias estratégias e em sua
capacidade
- de lidar com situações matemáticas novas, usando os conhecimentos
prévios.

Objetivos específicos:
- Explorar a ideia de números e sua importância social;
10

- Explorar a ideia de número ordinal;


- Utilizar jogos e brincadeiras matemáticas para desenvolver habilidades que
envolvam o raciocínio lógico através do lúdico;
- Desenvolver a cooperação, participação e criatividade;
- Estimular a atenção e a concentração;
- Reconhecer a existência de diferentes números e quantificá-los;
- Estabelecer aproximações com algumas noções matemáticas presentes no
seu cotidiano;
- Reproduzir números, utilizando diversas linguagens;
- Comunicar-se de modo matemático.

Fonte: google imagens

Atividade

1. Solicite que descrevam individualmente e em grupo:

- A cor do primeiro lápis;

- A cor do quinto lápis;

- A cor do décimo segundo lápis;

- A ordem do lápis verde claro;

- A ordem do lápis rosa;

- A ordem do lápis azul escuro;


11

- A ordem do lápis amarelo;

- A ordem do lápis laranja;

- A ordem do lápis azul claro;

- A ordem do lápis vermelho;

- A ordem do lápis lilás.

Recursos:

- recursos humanos: Professores, coordenadores, alunos etc.


- Recursos didáticos e tecnológicos: Livros, computadores, papel, lápis, etc .

3. No pátio da escola, solicite que as crianças fiquem em fila indiana e de


frente. Nomeie cada aluno com sua ordem em número ordinal. Solicite que
cada aluno diga sua ordem para a turma. Troque sempre os alunos de lugar e
pergunte sua ordem.

3.4 – Sociedade na Educação Infantil para crianças com idade entre 4


e 5 anos
Justificativa:
Este projeto surgiu da necessidade de levar as crianças da Educação Infantil, a
importância das diferenças entre a zona rural e a urbana, incitando as a
curiosidade de descobrir seus hábitos, costumes e mostrar suas peculiaridades
para crescer em conhecimentos de realidades diferentes, e da importância de
ambos para sobrevivência e pluralidade cultural, levando em consideração a
localização e origens. É nessa abordagem que esse projeto se justifica.

Objetivo Geral:
Mostrar para as crianças as diferenças que há entre o campo e a cidade, ou
para que cada um venha respeitar e reconhecer suas características e
costumes.

Objetivos específicos:
12

- Pesquisar meios de abordar o referido assunto de forma lúdica, respeitando


as peculiaridades da faixa etária.
- Apresentar na prática a dependência da zona rural para com a zona urbana e
vice e versa;
- Conscientizar as crianças de que o meio em que elas vivem é rico em
conhecimento e aprendizagem;
- Reconhecer a importância do desenvolvimento dos alimentos integrais para
os industrializados.

Recursos:

- recursos humanos: Professores, coordenadores, alunos etc.


- Recursos didáticos e tecnológicos: Livros, computadores, papel, lápis, etc .
13

4 – COSIDERAÇÕES FINAIS

Ao refletirmos sobre a educação brasileira e os processos pedagógicos de


ensino-aprendizagem que nela estão inseridos, precisamos considerar toda a
diversidade de nossa sociedade e que esta se constrói ao longo da história em
espaços e tempos próprios de nossa cultura de forma ampla, complexa e não
estática.
Nossa cultura esta intrinsecamente ligada a nossa história, que por sua vez, se
desenvolve num espaço heterogêneo e multifacetado do território brasileiro, sendo
assim, heterogêneo, diversificado e multifacetado também é o espaço escolar das
escolas brasileiras.
O espaço escolar é o ambiente consagrado em nossa cultura destinado ao
desenvolvimento dos processos educacionais de ensino e aprendizagem, embora
saibamos que a educação tenha um sentido mais amplo que contempla também
ambientes não escolares.
Focaremos nossa reflexão na importância da organização dos espaços físicos e
de aprendizagem existentes na escola e da dimensão espacial humana das relações
e interações dos sujeitos que a habitam.
Segundo Paulo Freire: “Há uma pedagogia indiscutível na materialidade do
espaço”. (FREIRE, 1999:49).
Refletindo ainda sobre a importância do espaço e sua função social podemos
também citar a frase do geógrafo baiano Milton Santos em que diz: “A História não
se escreve fora do espaço, e não há sociedade a-espacial. O espaço, ele mesmo é
social.” (SANTOS, 1979. p.9).
O planejamento e a reflexão sobre o espaço educativo é fundamental no processo
de ensino-aprendizagem dos educandos, pois é nele onde são promovidas as
interações entre os sujeitos e os objetos de conhecimento. Por tanto o espaço
escolar deve ser organizado de forma a favorecer o desenvolvimento do coletivo
propiciando aprendizagem através da socialização e troca de experiências e saberes
diverso.
Ao se planejar e organizar o espaço escolar, é imprescindível considerar o
aspecto da diversidade e heterogeneidade presente na escola que deve procurar
14

atender as diferenças dos educandos promovendo a liberdade de expressão e de


movimento, autonomia, cooperação e interação, itens indispensáveis a formação do
sujeito aprendente.
A forma como os espaços estão organizados comunicam as ideias e as concepções
que permeiam o pensamento de quem os idealizou projetou ou organizou, e podem
libertar a alma, o pensamento para o desenvolvimento ou embotá-lo. (SILVIA
PERRONE, 2011)
Refletindo sobre o espaço escolar devemos pensar e agir em prol de uma escola
que seja rica em possibilidades de interações humanas e que se permita a troca de
saberes e o livre expressar das ideias, concepções e visões de mundo contidas nos
sujeitos que a habitam.
Para tanto, é necessário um esforço coletivo de todos os agentes participativos da
escola na tentativa de compreender a complexa multidimensionalidade e diversidade
do espaço escolar que é sobretudo humano abrigando suas inúmeras
capacidades como o pensar, criar, sentir e agir modificando e transformando o seu
entorno. É nessa perspectiva que devemos idealizar e trabalhar não para uma
escola estática e burocrática e sim para um escola humana e transformadora ou seja
uma “escola viva”
15

REFERÊNCIAS

SANTOS, Milton. Espaço e sociedade. Petrópolis: Vozes, 1979. p.9


MACHADO, M., (org.), (2002), Encontros e Desencontros na Educação Infantil,
Câmara Brasileira do livro, Cortez editora, S.Paulo, Brasil;
ZABALAZA, M. A., (1998), Qualidade em Educação Infantil, Porto Alegre,
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Saberes Necessários à Prática
Educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, Disponível em:
<http://ndi.ufsc.br/files/2012/02/Diretrizes-Curriculares-para-a-E-I.pdf>.
Acesso em 28 abril 2018.
Fenomenologia: a percepção ambiental como objeto de construção à educação
ambiental, de HELBEL, M. R. M. e VESTENA, C. L. B., Disponível em:
<http://www.sbecotur.org.br/revbea/index.php/revbea/article/view/4877/326
1>. Acesso em: 28 abril 2018.
Natureza e Sociedade na Educação Infantil, Disponível em:
<http://meirinhatrem.wikidot.com/projeto-natureza-e-sociedade-na-
educacao-infantil>. Acesso em: 01 maio 2018.
Parâmetros Curriculares Nacionais. Disponível em:
<http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/blegais.pdf>.Acesso em: 29 abril
2018.
Projeto - Brincando com os números. Disponível em:
<http://www.conteudoseducar.com.br/conteudos/arquivos/3869.pdf>.
Acesso em: 01 maio 2018.
Plano de aula- Alfabetização e Letramento com Atividade. Disponível em:
<http://armariodoprofessor.blogspot.com.br/2016/03/plano-de-aula-
alfabetizacao-e.html>. Acesso em: 01 maio 2018.
Projeto: Literatura Infantil. Disponível em:
<https://pedagogiaaopedaletra.com/projeto-literatura-infantil/>. Acesso em:
01 maio 2018.