Você está na página 1de 3

2012 não é o fim do calendário maia, e nem o fim do

mundo. Pelo menos os maias não disseram nada disso...


Sáb, 07 de Fevereiro de 2009 13:41 Thiago Matlaktliommey Tochtli

Um senhor, chamado José Arguelles, trabalhou num livro, entre 1986 e 1987,
livro chamado "O Fator Maia". Nesse livro, ele comete uma série de erros,
mas o principal deles foi ter modificado a ordem dos ciclos maias em relação
ao ciclo original de 2012. Na prática, ele pegou carona no ciclo de 2012, mas
MUDOU toda a ordem dos ciclos que se relacionam a ele, destaque especial
para o TZOLKIN, o Calendário Sagrado, ou o calendário dos "kins". Ele
modificou a ordem sem maiores explicações, e divulgou, dentro desse livro,
como se a ordem que ele criou fosse genuinamente maia.

Depois disso, ele passou a divulgar o calendário dele, com o nome de


Dreamspell ("Encantamento do Sonho"), uma referência à origem do
calendário dele, que são os sonhos que ele teve. Esse calendário ficou mais
conhecido aqui no Brasil como "Calendário da Paz" ou "Sincronário da Paz".
Dentro esse calendário, ocorreu uma "mistura da nova era", digamos assim,
onde incluíram runas, i ching, sempre sob a leitura pessoal do Arguelles, e
também começou a idéia de que os maias foram para outro plano, que maias
são ETs, etc, etc. Pegaram carona também na "Bandeira da Paz" e na
"Federação Galática".
Houve um movimento, ainda na primeira parte da década de 90, que visava
substituir o calendário gregoriano pelo calendário dele, onde o Arguelles
chegou a se reunir com gente da ONU e do Vaticano, mas não teve sucesso, e
passou a botar a culpa no "maldito capitalismo", depois que não conseguiu
apoio dele. O argumento era que "o calendário gregoriano está errado",
"devemos sair da 'frequência' 12:60 (12 meses, 60 minutos) para a frequência
13:20 (13 'tons' e 20 'selos', base matemática do calendário sagrado)".
Entretanto, o Calendário da Paz desrespeita o ciclo original de 2012 e, ao
mesmo tempo, ESTÁ PRESO ao calendário gregoriano. Há uma contradição:
ele diz que o calendário gregoriano é "coisa ruim", mas o calendário da paz
está totalmente preso ao mesmo calendário que ele pinta como se fosse o
diabo.

A comunidade acadêmica nunca reconheceu esse calendário, e o criador do


mesmo foi "obrigado" a esclarecer ao público de q o calendário dele NÃO era
o calendário maia, por não ter bases suficientes para comprovar aquilo q ele
dizia no livro publicado na década de 80. Entretanto, ele começou a dizer que
o calendário dele era o calendário dos "maias galáticos", numa tentativa de
afirmar o calendário dele como se fosse um maia "evoluído" (coisa que é
repetida por muita gente, mas que não tem base alguma), e estranhamente ele
passou a ser cada vez mais o centro das atenções dentro do calendário que
criou, onde ele é colocado como "encerrador dos ciclos", "enviado de outros
planetas" e uma possível "reencarnação" de um conhecido rei-sacerdote maia.
Mais uma vez, tudo baseado nos SONHOS dele (literalmente, ele sonhou e
relatou, etc, etc), mas que obviamente ele não tem como comprovar. A coisa
toda acaba se resumindo à fé no CRIADOR do Calendário da Paz. Mas
lembrem-se: se o calendário da paz funciona com você, isso não quer dizer
muita coisa pois, como disse um sábio senhor, "o calendário sagrado dos
maias é um oráculo, e todo oráculo responde se você colocar energia nele",
mesmo se você não o utilizar em acordo com os maias. Dizer que o
Calendário da Paz é maia é passar por cima da história, da arqueologia, da
antropologia, etc, etc, etc. É um crime cultural, eu diria. Afinal, se trata de um
calendário mais novo do que boa parte das pessoas que aqui estão.

A questão é que 20 anos atrás esse assunto era domínio de poucos, e


quando o cara chegou trazendo tudo isso um monte de gente aceitou sem
questionar. No Brasil, então, piorou: até 2006, quando eu iniciei um projeto de
esclarecimento e transmissão de conteúdos condizentes com o calendário maia
original, o "grande público" só tinha acesso a conteúdos em português sobre o
"Calendário da Paz" !

O fato de o ano novo ser sempre em 26 de Julho demonstra como o


Calendário da Paz é preso ao gregoriano. Mas é também uma mentira dizer
que 26 de Julho é o ano novo maia.
Para saber mais, existe um pequeno artigo meu, de 2006, que trata sobre a
página do livro "O Fator Maia" onde Arguelles literalmente diz que o
calendário dele é maia, mas comete erros primários:
http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=17055759&tid;=247
5817868972769492&start;=1

Um amigo e colaborador português escreveu um artigo que determina vários


outros erros contidos nesse livro, artigo esse que pode ser acessado no
seguinte link:
http://www.hippies.com.br/ptbr/index.php/artigos-mainmenu-31/56-
artigos/732-erros-de-calculo-no-livro-o-fator-maia.html

Ou ainda, em links alternativos:


Download link 1

Download link 2

Existe, ainda, a minha comunidade, "Calendário Maia NATIVO", para quem


quiser. E também podem falar comigo direto pelo meu perfil.
Abraços, e espero que possamos esclarecer isso para todos durante o festival
desse ano (Festival Fora do Tempo)

Fonte: calendariosagrado.org

https://web.archive.org/web/20090301043850/http://www.hippies.com.br/site