Você está na página 1de 6

Agrupamento de Escolas

Teste Escrito de Avaliação Português

5.º Ano de Escolaridade Turma ___

Nome do/a aluno/a: _____________________________________________ N.º _____

Professor/a: __________________

GRUPO I

TEXTO A

Lê o texto. Em caso de necessidade, consulta o vocabulário apresentado.

“Saudades dos Açores” leva 12 emigrantes ao Arquipélago que não visitam há mais
de 20 anos

Doze emigrantes, com idades entre 61 e 81 anos, oriundos do Brasil, Canadá e EUA, que não visitam
os Açores há mais de 25 anos, visitarão de 31 de outubro a 6 de novembro a Região. No âmbito da 12.ª
edição do programa “Saudades dos Açores”, esta iniciativa possibilita o regresso à Região de emigrantes
que, por motivos de natureza económica, não visitam o arquipélago há mais de 20 anos.
Um dos participantes, residente no Brasil, não se desloca há 65 anos à Região, de onde emigrou
quando era ainda criança e nunca mais voltou, tendo agora, com este programa, a possibilidade de
reencontrar lugares e familiares, bem como contactar com a realidade atual do arquipélago, refere o
portal Açores 24 Horas.
Durante uma semana, os 12 emigrantes que participam nesta iniciativa vão visitar locais de interesse
turístico e cultural em três ilhas dos Açores, nomeadamente o Vale das Furnas, o Parque Terra Nostra,
as fábricas de chá e de queijadas e o Miradouro de Santa Iria, em São Miguel, o Centro de Interpretação
do Vulcão dos Capelinhos, a Caldeira e o Miradouro de Nossa Senhora da Conceição, no Faial, e a
Paisagem da Cultura da Vinha, classificada pela UNESCO como Património da Humanidade, o Santuário
do Bom Jesus Milagroso, a Lagoa do Capitão e o Mistério das Bandeiras, no Pico.
Este programa, destinado a cidadãos naturais dos Açores com mais de 60 anos e que estejam
radicados no Brasil, Canadá, EUA e Bermudas, resulta de uma parceria entre o Gabinete do
Subsecretário Regional da Presidência para as Relações Externas, através da Direção Regional das
Comunidades, e o Grupo SATA, e insere-se na política de apoio e de cooperação implementada pelo
Governo Regional, em parceria com instituições de natureza social da diáspora, que visa a integração e
a promoção da qualidade de vida das comunidades açorianas emigradas.

Revista PORT.COM, 30/10/2015

VOCABULÁRIO
Diáspora: quando um povo tem de sair do seu país por motivos económicos ou outros, diz-se que esse
povo está em diáspora.
1. Assinala com X, de 1.1. a 1.4., a opção que completa cada frase de acordo com o sentido do texto.

1.1. Os doze emigrantes a quem foi oferecida uma viagem aos Açores
 há mais de duas décadas que não visitavam a região.
 não conheciam a região.
 há mais de 65 anos que não visitavam a região.
 nunca tinham saído do país para onde emigraram.

1.2. Os emigrantes vivem em países


 da Ásia.
 do continente africano.
 da Europa.
 do continente americano.

1.3. No terceiro parágrafo encontramos


 um resumo da história e cultura de três ilhas dos Açores.
 uma enumeração dos sítios a visitar.
 um anúncio publicitário ao turismo dos Açores.
 uma comparação entre as ilhas de São Miguel, Faial e Pico.

1.4. O programa «Saudade dos Açores»


 nunca tinha acontecido antes.
 destina-se a sexagenários, septuagenários ou octogenários nascidos nos Açores.
 tem como público-alvo um qualquer idoso.
 é dirigido a emigrantes que saíram dos Açores há mais de vinte anos.

2. Associa cada expressão da coluna A a um elemento da coluna B.


Nota: a coluna B tem dois elementos a mais. Não vais precisar deles.

COLUNA A COLUNA B
Uma das razões por que • • a quem é dada a possibilidade de retornar aos
estes emigrantes não Açores.
voltaram aos Açores
A quebra de ligação dos • • prende-se com a falta de dinheiro.
emigrantes às suas raízes
Há muitos emigrantes de • • permitiu a visita a locais de interesse turístico
origem açoriana nos Açores.
• que não visitam os Açores há mais de vinte e
cinco anos.
• deteriora a qualidade de vida das populações de
emigrantes.
• insere-se na política de apoio do Governo
regional.

3. O programa «Saudades dos Açores» favorece não apenas os emigrantes, mas também os próprios
residentes dos Açores. Concordas com esta afirmação? Justifica a tua resposta.
TEXTO B

Lê o texto. Em caso de necessidade, consulta o vocabulário apresentado.

A lenda das Amendoeiras em Flor


Pois era uma vez, há muitos e muitos séculos, antes de Portugal ter nascido para a história do
mundo… (...)
Reinava, com toda a fama da sua valentia e com a força do seu poderio, o famoso Ibne-Almundim,
guerreiro protegido excecionalmente por Alá, porque nunca conhecera a derrota. (…)
Ora, aconteceu um dia que, entre os prisioneiros de uma terrível batalha, surgiu uma linda princesa,
muito loira, de olhos azuis e de porte altivo. Um tipo de beleza que, na verdade, o rei mouro nunca
vira até então.
E logo mandou que a trouxessem à sua presença.
- Como vos chamais?
Ela olhou-o serenamente. E serenamente respondeu:
- Gilda, Senhor. O meu nome é Gilda.
Foi a vez dele sorrir. Um sorriso confuso.
- Gilda? Que nome estranho!...
Depois, num repente, inclinou-se para ela.
- Melhor é que vos chame apenas "a bela Princesa do Norte"… Gostais?
Gilda limitou-se a retorquir, num leve encolher de ombros.
- Sou vossa prisioneira, Senhor…
Fez uma breve pausa e rematou, entre dois suspiros:
- Vossa prisioneira… e vossa escrava.
Mas ele ergueu-se e exclamou com voz emocionada:
- Enganais-vos!... A partir deste instante, sois livre… inteiramente livre! (...)
E o certo é que esse rei, alegre e folgazão, valente e dominador, passou a andar taciturno,
apreensivo, com largas crises de mau humor. (...)
O rei mouro sentia o desejo, a necessidade de voltar a ver Gilda, de lhe falar, de a ouvir… E esse
momento não se fez demorar muito…
Foi encontrá-la, preparando-se para voltar à sua terra. (...)
- Para quê disfarçar, Gilda?... Eu não quero... eu não posso deixar-vos partir... Ficai, Gilda, ficai!
Peço-vos! Vós sereis minha mulher! (...)
O casamento de lbne-Almundim, o jovem e poderoso rei mouro do Al-Faghar, com Gilda, a bela e
cativante Princesa do Norte, atraiu gente de todos os lados. (...)
Foi precisamente no meio da festa do último dia, quando a alegria estava no auge, que o rei mouro
deu pela falta de Gilda, a bela Princesa do Norte, que era já a sua esposa. (...)
Estava doente, quase morta, estirada no leito, ainda mais loura e pálida do que habitualmente e com
os seus lindos olhos azuis inundados de lágrimas. (...)
Num derradeiro recurso, o rei mouro deu ordem para que se reunissem urgentemente no palácio
todos os sábios do reino. Eles vieram, sim, mas nada conseguiram. A bela Princesa do Norte não voltara
a abrir os seus lindos olhos azuis. Tal como pressentira, continuava a morrer lentamente…
E quando o rei mouro, abatido, desalentado - vencido pela primeira vez na sua vida! - já não tinha
mais qualquer esperança e chorava sozinho a sua dor, vieram dizer-lhe que um velho prisioneiro,
também das terras do Norte, antigo súbdito do pai de Gilda, queria falar-lhe. (…)
- Sabeis, Senhor, qual é o nome desta doença? (…)
O velho poeta suspirou profundamente antes de continuar.
- Pois chama-se nostalgia, Senhor... Nostalgia!... Ou seja, a minha bela princesa tem saudades da
neve do seu país distante... Da neve que nesta altura do ano enfeita de branco os campos e as terras
até onde os olhos podem alcançar…
Voltou a suspirar e ultimou com autoridade o seu pensamento:
- São essas saudades que a vão matando, Senhor!

Gentil Marques, Lendas de Portugal, Lisboa, Âncora, 1999

VOCABULÁRIO
Porte altivo: tem um porte altivo a pessoa que põe o corpo direito e se mostra orgulhoso de si.
Folgazão: que gosta de se divertir.
Taciturno: tristonho.
Súbdito: pessoa dependente de um senhor (neste caso do rei de um país do Norte).

4. Ordena as frases, colocando os números de 1 a 7 nos espaços em branco, de acordo com a ordem
por que são referidos os acontecimentos no texto.
 Foi levada à presença de Ibne-Almundim uma linda princesa.
 Surge no palácio um velho poeta prisioneiro.
 O velho diagnosticou a doença de Gilda: eram as saudades.
 O rei mouro determinou a libertação da prisioneira.
 No último dia do casamento, Gilda cai na cama, doente.
 O rei mouro apaixona-se e pede Gilda em casamento.
 O rei mouro fica desolado com o grave estado de saúde da princesa.

5. Qual foi a decisão que Gilda tomou após o rei mouro a ter libertado?

6. Com base na informação presente no texto, faz a caracterização de Gilda.

6.1. A caracterização que fizeste é uma caracterização física ou psicológica?

7. Seleciona a frase que melhor caracteriza psicologicamente Ibne-Almundim:


 traiçoeiro e cruel.
 inconstante e emotivo.
 convencido e nervoso.

7.1. Justifica a tua escolha.

GRUPO II

1. Associa cada um dos elementos sublinhados nas frases da coluna A a uma das classes de palavras
apresentadas na coluna B.

COLUNA A COLUNA B
Ibne-Almindim foi o rei que nunca foi derrotado. • • Determinante artigo
definido
O que o velho poeta disse foi que Gilda morria de • • Pronome demonstrativo
saudades.
Ibne-Almundim disse que Gilda estava livre e •
disse-o alto e bom som.
Ver a princesa doente era o grande tormento do •
rei mouro.
2. Identifica a função sintática dos elementos sublinhados em cada frase abaixo.

a) O casamento de Ibne-Almundim atraiu gente de todos os lados.

b) Estava doente a princesa!

c) O velho poeta dirigiu-se ao rei e revelou-lhe que o mal de que a princesa sofria.

3. Preenche os espaços com palavras que façam sentido, de acordo com o que é contado no texto.

a) O rei, antes de conhecer Gilda, era um homem _____________, mas depois ficou pensativo e
sério.

b) Gilda respondeu à galantaria do rei dizendo que ela era sua prisioneira, facto que o rei se apressou
a negar afirmando que ela era uma mulher _____________.

3.1. Identifica a classe das palavras que escreveste na questão 3.

4. Reescreve as frases abaixo, colocando o verbo no pretérito mais-que-perfeito composto.

a) O famoso Ibne-Almundim nunca fora derrotado.

b) O rei nunca vira até então um tipo de beleza como o de Gilda.

5. Indica o sinónimo da palavra «nostalgia».

GRUPO III

Imagina que o rei mouro deixa a princesa Gilda ir de férias ao seu país do norte, matar saudades da
neve.
Escreve a carta que Gilda envia a Ibne-Almundim. Nessa carta, Gilda refere:

√ onde está alojada;


√ os amigos que encontra;
√ como está a sua saúde;
√ as atividades que pratica durante o dia;
√ quando irá regressar (se regressar).
PROPOSTAS DE SOLUÇÃO
GRUPO I
1.1. há mais de duas décadas que não visitavam a região.
1.2. do continente americano.
1.3. uma enumeração dos sítios a visitar.
1.4. destina-se a sexagenários, septuagenários ou octogenários nascidos nos Açores.
2.
Uma das razões por que estes emigrantes não voltaram aos Açores → prende-se com a falta de dinheiro.
A quebra de ligação dos emigrantes às suas raízes → deteriora a qualidade de vida das populações de
emigrantes.
Há muitos emigrantes de origem açoriana → que não visitam os Açores há mais de vinte e cinco anos.
3. Respostas possíveis:
Concordo com a afirmação, uma vez que programas deste tipo impulsionam o turismo da região.
Não concordo com a afirmação, pois para o programa beneficiar realmente os residentes dos Açores
também devia apoiar financeiramente a visita dos açoreanos aos EUA, Canadá, Brasil e Bermudas.
4.
1 - Foi levada à presença de Ibne-Almundim uma linda princesa.
2 - O rei mouro determinou a libertação da prisioneira.
3 - O rei mouro apaixona-se e pede Gilda em casamento.
4 - No último dia do casamento, Gilda cai na cama, doente.
5 - O rei mouro fica desolado com o grave estado de saúde da princesa.
6 - Surge no palácio um velho poeta prisioneiro.
7 - O velho diagnosticou a doença de Gilda: eram as saudades.
5. Preparou-se para partir para a sua terra.
6. Gilda era bela, loura, pálida, de olhos azuis e porte altivo.
6.1. Caracterização física.
7. B
7.1. O Rei era inconstante, pois primeiro libertou a princesa e depois disse que, afinal, não a podia
deixar ir embora. O rei era também emotivo, porque se apaixonou de imediato pela princesa e porque
sofreu atrozmente com a doença dela.
GRUPO II
1.
Ibne-Almindim foi o rei que nunca foi derrotado. → Determinante artigo definido
O que o velho poeta disse foi que Gilda morria de saudades. → Pronome demonstrativo
Ibne-Almundim disse que Gilda estava livre e disse-o alto e bom som. → Pronome demonstrativo
Ver a princesa doente era o grande tormento do rei mouro. → Determinante artigo definido
2. a) Complemento direto; b) Sujeito; c) Complemento indireto; complemento indireto.
3. a) alegre/folgazão; b) livre.
3.1. Classe do adjetivo.
4. a) O famoso Ibne-Almundim nunca tinha sido derrotado. b) O rei nunca tinha visto até então um tipo
de beleza como o de Gilda.
5. Saudade.