Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE CEUMA

CURSO: FARMÁCIA BACHARELADO


DISCIPLINA: PSICOLOGIA DA SAÚDE
PROFESSORA: Ms. Ana Gabrielle Guterres Romanhol

ANA PAULA PEREIRA VIANA (CPD: 59278)

São Luís-MA
2018
1) Relacione subjetividade com o pensamento de Guimarães Rosa.
“O importante e bonito do mundo é isso: que as pessoas não estão
sempre iguais, ainda não foram terminadas, mas que elas vão
sempre mudando. Afinam e desafinam.”
(Guimarães Rosa)

Neste contexto, o autor manifesta que as pessoas “não foram terminadas”, ou seja,
os serem humanos estão sempre em processo de modificação, pois o nosso interior sempre
sofrerá influência do mundo exterior, de forma que nossas experiências vivenciadas trarão
novos elementos para nos renovarmos. Logo, a constante modificação do que somos é o que
torna o mundo mais bonito, pois segundo o autor, isso, assegura um mundo que nunca estará
igual, sempre com pessoas em constante evolução. Assim, o autor repassa a ideia da
singularidade pertencente a cada pessoa, ressaltando que neste cenário sempre haverá novas
experiências, ideias, pensamentos, sentimentos, amores vivenciados de forma diferente para
cada indivíduo, retomando o cenário da subjetividade humana, ou seja, o que nos faz ser
únicos e diferentes do outros.
É possível perceber nessa citação que as constantes mudanças ocorridas em cada
pessoa, embora nem sempre sejam para melhor, essas constroem um mundo dinâmico,
imprevisível e muitas vezes cheio de sensações, no qual sempre poderemos voltar atrás e nos
tornamos uma pessoa cada vez melhor, pois estamos em constante transformação e nunca
chegaremos a uma etapa de "formação humana integral”, onde seria um estágio em que
chegaríamos ao auge do conhecimento com opiniões iguais.
Desta forma fica explícito que nunca teríamos um pensamento uniforme,
considerando que sempre haverá mudanças em nossas vidas com opiniões e formas diferentes
de viver e visão de mundo. Por isso, ainda não estamos terminados, pois estamos em
constante progresso. Nossas ideias e pensamentos de visualizarem a vida, mudam com o
tempo, assim como nossos pensamentos e opiniões, sendo que essas características nos
tornam pessoas distintas na busca do recomeçar a vida, independente de erros ou acertos.
2) Como se da à compreensão de si mesmo a partir do enunciado abaixo:
Esse é o papel de uma ciência crítica, da compreensão, da comunicação e do
encontro do ser humano com o mundo em que vive, já que o indivíduo que compreende
a historia (mundo externo) também compreende a si mesmo (sua subjetividade), e
aquele que compreende a si mesmo pode compreender o engendramento do mundo e
criar novas rotas e utopias.
É ressaltado no enunciado o papel da ciência como sempre buscando auxiliar o
indivíduo a se compreender, podendo relacionar a sua história de vida, suas expectativas, bem
como suas relações sociais, quando ele reforça que existe “o encontro do ser humano com o
mundo”. Assim, pode-se dizer que essa compreensão de mundo partirá do indivíduo, das suas
experiências vividas, buscando assim chegar a um saber crítico sobre si e sua realidade de
vida. Nesse direcionamento, é possível percebemos que o mundo está mudando a cada dia e
que é dessa forma que o ser humano compreende a si mesmo, estando cada vez mais evoluído
e buscando novas experiências, ou seja, empenhando-se a cada instante em conhecer algo
novo, propiciando o nosso conhecimento como humano.
Neste sentindo, a cada dia o ser humano deve se fazer uma auto-avaliação de sua
vida e de si mesmo. Para isso é necessário a convivência com outras pessoas, haja vista a
busca pela sua individualidade, pois ela nos fará refletir as angústias, dores e sofrimentos
podendo assim haver uma intimidade, na qual contribuirá para o conhecimento de si. Dessa
maneira, é preciso nos compreendemos para conseguirmos traçar novos caminhos, novos
objetivos idealizando um mundo de conquistas e realizações em nossas vidas.