Você está na página 1de 18

As monarquias

absolutistas da
Europa Ocidental

Prof. Mateus
Meireles
O Absolutismo na França
Guerra dos 30 Anos (1618-1648)
- França x Dinastia Habsburgo (Áustria,
Espanha e outros territórios)
- abre caminho para o auge do absolutismo na
França

Cardeal Richelieu
- ministro do rei Luís XIII
- envolve França na guerra para transformá-la
em potência continental
Batalha de Rocroi (1643)
França vence tropas da Espanha e a guerra vira a seu favor
Cardeal Richelieu (1585-1642)
Liderando ataque militar a La Rochelle
Luís XIV (1643-1715)
- auge do absolutismo francês (“O Estado sou
eu”)
- França se lança na busca por colônias, cria
manufaturas (favorecendo a burguesia)
- “O Estado sou eu”

Sucessores de Luís XIV foram menos


sortudos
- gastos excessivos com a Corte
- guerras nem sempre vitoriosas
- descontentamento social (vai culminar na
Revolução Francesa – 1789)
“Até este momento eu estive
satisfeito em confiar o governo de
meus assuntos ao falecido Cardeal. É
chegado o momento em que
governarei por mim mesmo. Vocês
[secretários e ministros de estado]
me ajudarão com seus conselhos
quando eu pedir por eles. Eu vos
solicito e vos ordeno a não
tomardes decisões a não ser sob
meu comando,… Eu vos ordeno a
não assinar qualquer coisa, nem
mesmo um passaporte… sem meu
comando; a vos reportardes a mim
pessoalmente todos os dias e a não
favorecerdes mais ninguém.”

Rei Luís XIV, logo após a morte do


Cardeal Mazarin.
 Luís XIV e sua Corte (Palácio de Versalhes)
lançaram o padrão para todas as monarquias
absolutistas da Europa

Palácio de Versalhes em pintura de Pierre Patel (1668)


Jardim do Palácio de Versalhes nos dias atuais
Palácio de Versalhes – Sala dos Espelhos
O Estado absolutista garantia aos nobres uma vida
de privilégios e prazeres
O Absolutismo na Inglaterra
Magna Carta (1215)
- limita o poder real, submetido ao
Parlamento (“O Rei reina, mas não governa”)
Henrique VIII (1509-1547), da dinastia Tudor
- submete a autoridade do Parlamento (Ato
de Supremacia)
Elizabeth I (1558-1603)
- constrói poderosa marinha, explora colônias
- invade colônias da Espanha e saqueia seus
navios (derrota da Invencível Armada)
Magna Carta (1215)

Henrique VIII

Elizabeth I
Jaime I (1603-1625), da dinastia Stuart
- unifica Inglaterra e Escócia
- tenta aumentar poderes da monarquia
- desentendimentos levarão, mais tarde, à
Revolução Inglesa (1640)

 Na Inglaterra, o centralismo político era


difícil, pois a lei submetia o poder real às
elites ingleses representadas no Parlamento
O Absolutismo na Espanha
Filipe II (1556-1598)
- principal rei absolutista da Espanha
- política expansionista (Império Espanhol)
- autoritarismo
- tenta transformar Espanha em potência no
Oceano Atlântico, mas falha (derrota da
“Invencível Armada” pelos ingleses – 1588)
- falta de visão econômica
Filipe II ainda príncipe Filipe II adulto (1570)
A Inquisição foi estimulada no reinado de Filipe II
Derrota da Invencível Armada espanhola (1588)