Você está na página 1de 11

c 


 espermatozóides através sistemas se formam
do colo uterino No dia da (organogênese). Nessa
 
 ovulação, o corpo pode ter fase o bebê é chamado de
sua temperatura elevada embrião. É uma fase de
    em 1°C. O óvulo liberado intensa proliferação de
pelo ovário migra para a células. Só para termos
A temperatura média trompa. uma idéia, o bebê, que
corporal está 1º C acima começou a desenvolver-se
do normal, pois é o O melhor é planejar a a partir de 2 células, chega
período da ovulação. O vinda do bebê, pois assim ao final da 4ª semana com
ovário libera um óvulo que poderá evitar o uso de milhões delas. Esse é
é fecundado pelo fumo, drogas, bebidas e também o período de
espermatozóide. De 3 a 7 anticoncepcionais no maior vulnerabilidade aos
dias após esta fecundação, início da gravidez que agentes teratogênicos, ou
o zigoto (nome dato ao podem trazer prejuízos ao seja, as substâncias
óvulo + espermatozóide) desenvolvimento do bebê, químicas ou os meios
viajará através da trompa preparando o seu corpo físicos e biológicos
de falópio até o útero, para que receba o embrião causadores de
onde começa a formação da melhor forma possível. malformações.
da placenta. A partir daqui
começa a contagem da O período fetal inicia-se a
idade do feto. Podem partir da 10ª semana pós-
ocorrer sangramentos concepção e vai até o
 

normais (se forem leves) nascimento. Nesse
que representará o ovo se período o bebê será
infiltrando no endométrio   chamado de feto e os
(camada interna do órgãos já formados
útero). (cerca de 2 semanas antes sofrerão um processo de
da concepção) crescimento e
amadurecimento, até se
  apresentarem em plenas
O método de contagem da
  condições de
idade gestacional começa
funcionamento no final da
mesmo antes de ter
A primeira semana é a gestação. De uma maneira
acontecido a concepção geral, o bebê estará pronto
semana da sua última (fecundação). Dessa
menstruação, já que o para vir ao mundo com 40
forma, a semana 1 começa
médico não consegue semanas (varia de 37 a 42
com o 1º dia da sua última
saber com exatidão o dia semanas).
menstruação. Ainda não
da concepção. há bebê. A partir da
concepção, no final da 2ª Múltiplos (gêmeos,
A ovulação, ou seja, a semana, pela nossa trigêmeos, etc.): A
liberação do óvulo pelo contagem, o bebê aparece contagem é feita da
ovário, ocorre 14 dias e passará por uma série de mesma forma. Se você é
antes da próxima transformações. paciente que engravidou
menstruação. Em ciclos por fertilização "in vitro"
menstruais de 28 dias, (FIV), comece a contar 14
O desenvolvimento do
ocorre na metade. dias antes da transferência
bebê pode ser dividido em
dos embriões para o útero.
2 fases muito importantes
Assim, o corpo começa a do ponto de vista da
se preparar para receber intensidade de O que acontece com o
um novo óvulo que poderá crescimento e da formação
ser fecundado. Dentre as e amadurecimento dos corpo e com o bebê
modificações maternas, o sistemas e órgãos. durante o período de
endométrio, camada mais
gestação? O Gestante.Net
interna do útero, prolifera O período embrionário,
para receber o ovo (óvulo que corresponde às explica o que acontece
fecundado) e o muco primeiras 9 semanas a semana a semana na
cervical torna-se menos partir do dia da
consistente, facilitando a concepção, é aquele em gravidez.
passagem dos que todos os órgãos e    
Na primeira e segunda originando
espermatogônias de 2ª, 3ª
semana de gestação, a A formação de gametas ordem, até
temperatura média recebe o nome de um número indeterminad
gametogênese. o de ordens. Essa etapa se
corporal está 1º C acima
prolonga por toda a vida
do normal, característica c  são células do indivíduo.
comum do período da haplóides, formadas em
ovulação. Então o ovário órgãosespeciais denomina ! " 
dos gônadas, e que se $ $#  Começa na
libera um óvulo que é
destinam à reprodução e adolescência, sob o
fecundado pelo perpetuação da espécie. estímulo do FSH
espermatozóide, dando hipofisário. As
origem ao zigoto. De 3 a 7 As gônadas se dividem em espermatogônias se
masculinas e femininas. organizam em dois
dias após esta fecundação,
grupos, um que
o zigoto se deslocará pela Nos animais, as gônadas continuará a fase de
trompa de falópio até o masculinas são os multiplicação e outro que
útero, onde placenta testículos e as femininas passa à fase de
são os ovários. crescimento. Na fase de
começa a se formar. Neste
crescimento, cada
momento começamos a É através da meiose que espermatogônia (2n)
contar a idade do feto. os testículos formam os apenas aumenta de
Neste período, leves gametas masculinos ou volume, tornando-se
espermatozóides e os espermatócitos de 1ª
sangramentos são
ovários formam os ordem (2n). Essa fase é
normais. Isso ocorre por gametas femininos ou muito curta.
que o ovo está se óvulos.
infiltrando no endométrio, ! " 
A gametogênese animal %& Começa
que é a camada interna do compreende a imediatamente após a fase
útero. espermatogênese e a de crescimento. Cada
4   ovogênese. espermatócito de 1ª
Uma semana após a ordem sofrerá uma
A     co meiose, originando quatro
fecundação, o ovo está mpreende três etapas. espermátides (n). Cada
acomodado no útero. Seu espermátide sofre
desenvolvimento é rápido Durante a organogênese, modificações e se
numerosas células transfigura
e milhões de novas células
embrionárias num  ()#" 
se multiplicam a cada indiferenciadas (células *  #   +.
segundo, mas ainda é cedo germinativas)
para a mamãe perceber permanecem no interior
dos testículos.
alguma mudança física
$#$  
(apenas algumas mulheres ! " ##$%& mitoses (multiplicação)
apresentam aumento do  ##'
corrimento vaginal). Nesta Começa por volta dos sete intérfase (crescimento)
anos de idade. As células
3º semana, a placenta está germinativas (2n) ou meiose (maturação)
começando a se formar espermatogônias de 1ª
para, no final da gravidez, ordem começam uma espermiogênese
série de divisões mitóticas, (diferenciação)
chegar a pesar até 400g.
Depois, toda a ovogênese
partir do epitélio
paralisa e permanece
assim até a adolescência. germinativo do ovário,
" Ao nascer, a menina já com células diplóides,
 ()#" possui um grande número
$ Vesícula de ovócitos primários denominadas ovogônias
derivada do Complexo de em processo interrompido ou? ovulogônias.
Golgi, contendo enzimas de meiose.
para digerir a parede do
óvulo. Na fase de
No início da puberdade, e multiplicação, a

,$  Contém o dali por diante, sob o
ovogônia se divide por
conjunto cromossômico estímulo do FSH e LH
paterno. hipofisários, continua o mitoses sucessivas e dá
processo meiótico. Mas origem a numerosas
#$-"# Fornece um ovócito apenas, de
m energia (ATP) para o cada vez, completará a células. Ao contrário da
batimento flagelar. meiose e a fase de espermatogênese, na
maturação, originando um
ovogênese, todas as
!  Estrutura óvulo (n).
locomotora que garante o células seguem
deslocamento do Ao contrário da o processo sem
espermatozóide até o espermatogênese, cada
conservação da
óvulo. ovócito primário formará
um só óvulo e não quatro. ovogônia. As células
Na 1ª divisão meiótica o restantes da
A '   compreend ovócito primário origina
e, também, três fases duas células de tamanhos multiplicação sofrem o
básicas. diferentes. A maior se processo de crescimento
!  ##' divide e a menor
(fase de crescimento) e
"  ($,$)
##$%& Começa degenera. A divisão do se transformam nos
na vida intra-uterina e ovócito secundário maior ovócitos I (primários).
termina por volta da 15ª dá origem a duas células
semana. As ovogônias de tamanhos diferentes,
(células germinativas) se onde a menor degenera, Na fase de maturação,
multiplicam várias vezes. restando apenas a maior cada ovócito I (diplóide)
que é o próprio )'.
! " $ $#  Isto se justifica pelo fato dá, por meiose I
Logo após a 1ª fase, as de que o óvulo deve conter (reducional) duas
ovogônias aumentam de todo o material necessário
células haplóides: o
volume e se transformam à formação do novo ser,
em ovócitos primários ou uma vez que o ovócito II (secundário),
de 1ª ordem. Essa fase se espermatozóide contribui relativamente grande, e
prolonga até o 7º mês apenas com a carga
o 1º glóbulo polar, de
de desenvolvimento (4 genética (cromossomos( 
meses). tamanho reduzido. Logo
A ovulogênese é a a seguir, o ovócito II se
! " %& A
partir do 7º mês, todos os gametogênese feminina. divide por meiose II
ovócitos primários (2n) Visa à formação do (equacional), dando
passam por uma meiose,
óvulo e realiza-se a duas células também
até o final da prófase I.
diferentes em tamanho: ovulogênese inicia-se folículos sofrem
ovótide, nos primeiros meses de degeneração,
bem desenvolvida, e o vida intra-uterina do transformando-se em
2º glóbulo polar, muito feto, sendo paralisada folículos atrésicos.
menor. Algumas vezes, quando o ovócito I inicia Todos os ovócitos
o 1º glóbulo polar a permanecerão em
também se divide por maturação, estágio que dictióteno até a época da
meiose II. A ovótide se é chamado de ovulação, que? ??
transforma em óvulo. dictióteno. Desta forma, ? volta dos 12 ou 13

Portanto, cada ovócito I ao nascer, a menina anos de idade,


dará origem a um óvulo apresenta um "estoque" encerrando-se a partir ??
e a três glóbulos polares, de folículos contendo da menopausa, por volta dos
45 aos 50 anos.
geralmente estéreis. ovócitos I em dictióteno.
À medida que ela vai
Na espécie humana, a crescendo, muitos
Encontra-se no impulsos nervosos
cérebro, medula graças a uma série
î $#" '
espinal, e nervos muito complexa de
que percorrem o actividades físico-
O tecido nervoso corpo. Em químicas da sua
cobre todo o particular está em membrana.
sistema nervoso, o contacto com os
As células que
qual se divide músculos,
formam o tecido
em:Sistema nervoso regulando o seu
nervoso podem ter
central, é movimento, e com
diversas formas,
constituido pelo os tecidos
características,
encéfalo e medula glandulares
comprimentos e
espinal. regulando a sua
funções muito
atividade secretora.
. Sistema diversas, segundo o
nervoso papel
periférico, é desempenhado por
ë
 
constutido cada uma.
O tecido nervoso é
pelos nervos
formado por células
e ganglios
excitáveis
nervosos
especializadas em
transmitir
ë    estímulos ou
ë 
 
î 

As células do transmissão dos impulsos nervosos sob a forma de


sistema nervoso sinais eléctricos.
dividem-se em:
Estas células não têm a capacidade de se regenarar.
. Neurónios
± os quais
 )#&$ $
são
$ . #$/#0 "#  1)#2
responsáveis
pelas
funções
. #$/#$$ : é nesta estrutura
receptivas.
que se dá a sintese proteica, sendo também nesta
. Células da aqui que ocorre a convergencia das correntes
Glia ou eléctricas geradas na árvore dendrítica. Cada corpo
Neuróglia ± celular neuronal contém apenas um nucleo que se
as quais são encontra no centro da célula. É também nesta
responsáveis estrutura que estão alojadas todas as funções
pela celulares em geral.
sustentação
 "# : São extensões citoplasmáticas ou
e pela
prolongamentos especializados em receber e
protecção
transportar os estimulos das células sensoriais, dos
dos
axónios, e de outros neurónios. Possuem múltiplas
neurónios.
ramificações e extremidades arborizadas, o que lhes
dá a capacidade de receber multiploa estimulos de
vários neurónios em simultaneo.

)#
1)#: são prolongamentos único (excepto nas
células amácrinas da retina), de calibre constante
Os neurónios são
ao longo da ramificação, variando somente entre os
considerados a
neurónios. Normalmente existe apenas um unico
unidade básica do
axónio em cada neurónio. Os axónio têm como
sistema nervoso.
função a condução dos impulsos eléctricos que
Estas são as
partem do corpo celular para outros neurónios,
verdadeiras células
músculos, ou glândulas.
condutoras do
tecido nervoso as
responsáveis pela
recepção e pela
ë#3#$%&" apresenta-se bipolar, sofrendo uma mutação
 )# posterior. Mais tarde torna-se unipolar devido a
crescimento assimetrico do citoplasma e
Os neurónios
rotação;estes possuem ainda arborizações
podem ser
terminais que funcionam de forma semlhente
divididos e
aosdendritos; este tipo de neurónios podera ser
classificados
encontrado nos gânglios espinhais.
segundo algumas
caracteristicas
particulares como a
Quanto à função:
forma e a função.
 * 3   +: controlam órgãos efetores,
como glândulas e fibras musculares.
Quanto à forma:
 ##*3   +: recebem estímulos do
# : organismo ou do ambiente.
pertencem a esta
  -#: estabelecem conexões entre
classe a maior parte
outros neurônios, formando circuitos complexos.
dos neuronios; ex.:
A enorme variedade de neurónios deve-se a 2
neuronios motores.
factores, sendo estes a existencia de uma grande
# : em
variedade do ponto de vista da morfologia
condições normais
neuronal, e a existencia de uma grande diversidade
possuem um
de neurotransmissores.
dendrito e um
axônio; este tipo de
neurónios pode ser a)interneurónios; b) neurónio eferente; c)
encontrado na neurónio aferente
retina e mucosa
olfativa.

# : sendo
ë"c#
' #
muito raros este
tipo de neurónios
possuem apenas
Estas células são consideradas o suporte do
um corpo celular e
cérebro, da medula espinal e dos nervos
um prolongamento.
periféricos.Não recebem nem propagam impulsos
. "# nervosos, sendo a sua principal funçãoa
: aquando do alimentação e protecção e a sua actuação como
desenvolvimento células isoladoras dos neurónios.
embrionario este
As células gliais - constituintes do esqueleto do tecido nervoso
dividem-se em
- síntese de factores Neurotróficos.
diferentes tipos,
- têm prolongamentos inseridos nos vasos
sendo alguns deles:
sanguíneos

)$# ±
# " ")$# ± possuem um corpo celular
Existem dois tipos
arredondado e de pequenas dimensões, com poucos
destas células:
prolongamentos, curtos, finos e pouco ramificados

. Protoplasmátic
Funções:
os: com várias
ramificações - exercem papeis importantes na manutenção
curtas, dos neurónios
essencialmente
- síntese das bainhas de mielina dos axónios
na matéria
do SNC
cinzenta;

ë #$ ##


. Fibroso: com
prolongamentos
longos com Características:
poucas
- Células com origem na Medula Óssea
ramificações,
essencialmente
na substancia Funções:
branca.
- defesa imunológica do SNC (têm
capacidades fagocíticas e antigénicas)

Funções: -ingerem e destroem bactérias e células; ao


morrerem, segregam proteínas que atraem
-captam os
macrófagos do sistema imunitário para o local
neurotransmis
infectado.
sores

- funções
metabólicas
O #  $#")  é um tecido conjuntivo bem rígido, encontrado nos ossos do esqueleto
dos vertebrados, onde ele é o tecido mais abundante. Suas funções principais são: sustentar o corpo;
permitir a realização de movimentos; proteger certos órgãos e realizar a produção de elementos
celulares do sangue, além de ser calcificado.

As diferentes células envolvidas e dois componentes da matriz mesenquimal óssea, que


obrigatoriamente devem ser avaliados simultâneas em seus dois compartimentos o protéico e
inorgânico, tornando necessária e fundamental uma breve revisão do papel do tecido mesenquimatoso
durante todo o desenvolvimento embrionário.

As células mesenquimatosas indiferenciadas além da capacidade de se mover através dos tecidos, têm
o potencial de se dividir rapidamente e se diferenciar em células especializadas do tecido músculo
esquelético; como exemplo, em células de cartilagem, osso, tecidos fibrosos densos e músculos.
Inúmeros fatores sistêmicos relacionados como a nutrição, com o equilíbrio hormonal ou ainda
combinados com outros fatores locais (oxigênio, citocinas, nutrientes e etc), influenciam a proliferação
e a diferenciação das células mesenquimatosas.

Os fatores locais e sistêmicos interagem com o potencial genômico das células-tronco indiferenciadas
para determinar a sua progressão até as células altamente diferenciadas, como os condrócitos e
osteócitos. As células mesenquimatosas indiferenciadas dão origem a vários tipos de células e o
processo de diferenciação depende dos estímulos oriundos do meio. Assim, as células
mesenquimatosas podem assumir várias formas dentre os quais destacam-
se: eritrócito, leucócito, macrófago, adipócito, célula muscular
lisa, condrócito, fibroblastos,osteoblasto que por sua vez origina o osteócito.

É importante realçar que o osso, in natura, possui uma matriz protéica que perfaz respectivamente
70% do volume e 30% do peso do osso; enquanto que a matriz inorgânica, que é formada
principalmente pelo fosfato de cálcio, corresponde apenas a 35% do volume e 60% do peso do osso. Os
complementos restantes são devidos a outros elementos e principalmente a água. É conceito primário
da física dos materiais que a estrutura de subsistência de qualquer substância, produto, objeto ou do
corpo humano é a responsável pela sua resistência e sustentação. Logo, até pelo simples conhecimento
da física básica, é possível entender de forma direta e simples, a razão do colágeno ósseo, estrutura de
sustentação de vários tecidos humanos, inclusive do osso, estabelecer relação direta entre sua
deterioração e o risco de fratura.

Sendo o tecido ósseo altamente vascularizado, todo o esqueleto recebe a cada minuto 10% de todo o
débito cardíaco, revelando a importância de uma eficaz perfusão sanguínea óssea, para oferecer
nutrientes básicos essenciais para a adequada síntese de colágeno.

Apesar de ser o mais importante componente da matriz mesenquimal óssea, outras proteínas
participam do processo de iniciação da mineralização óssea, que corresponde a ligação do componente
mineral à matriz protéica. Na fase inicial ocorre um contato íntimo, estreito, da hidroxiapatita com
as fibrilas do colágeno, se situando em locais específicos que são denominados de ³buracos ³ que
existem entre as fibrilas que compõem a tri hélice do colágeno. Essa disposição arquitetural sobre
a matriz protéica básica resulta em um produto bilamelar, que é responsável pelas propriedades
mecânicas do osso, sendo portanto capaz de resistir a todo tipo de estresse mecânico.

Por sua vez, o colágeno propicia a todos os tipos de tecidos conjuntivos a sua forma básica e no tecido
ósseo é o principal responsável pela resistência tênsil (resistência à fratura). No entanto, os tipos, as
concentrações e a organização do colágeno são variáveis em cada tecido. O colágeno tipo I forma as
fibrilas de feixes transversais que podem ser observados na microscopia eletrônica em todos os tecidos
conjuntivos.

Tipos de células cartilaginosas

As células ósseas são na maioria estreladas. Podem ser de três


tipos:  ,  )$# e  $. Não há grandes diferenças entre esses tipos, que
são, na realidade, mudanças da forma de uma mesma célula, em diferentes estágios.

 

Células jovens com intensa atividade metabólica e responsáveis pela produção da parte orgânica da
matriz. São cúbicas ou cilíndricas e são encontradas na superfície do osso periósteo (membrana fina
que reveste o osso). Fazem a regeneração óssea após fraturas.

Os osteoblastos existem também no Endosteo (membrana de tecido conjuntivo que reveste o canal
medular da Diáfise e as cavidades menores do osso esponjoso e compacto).Os osteoclastos e células
progenitoras osteocondrais podem também ser encontradas no Endósteo.

 )$#

Durante a formação óssea, à medida que se dá a calcificação da matriz óssea, os osteoblastos acabam
ficando em lacunas chamadas , ou simplesmente Lacunas, diminuem sua atividade
metabólica e passam a ser osteócitos, células adultas que atuam na manutenção dos componentes
químicos da matriz. Nas regiões ocupadas pelas ramificações dos osteoblastos formam-se os canais e
canalículos, que permitem uma comunicação entre os osteócitos e os vasos sanguíneos que os
alimentam.Os osteócitos são protegidos pela osteona que os reveste.

 $

Células grandes com diversos núcleos (multinucleadas ou polinucleadas), originadas da fusão de


células ósseas(sincício). Fazem a reabsorção da matriz. Os osteoclastos são células gigantes,
multinucleadas responsáveis pela degradação do tecido ósseo em condições fisiológicas e patológicas.
Originam-se pela fusão de células mononucleares da medula óssea, sendo porém observadas somente
nas superfícies ósseas. Os osteoclastos secretam ácidos, colagenase e outras enzimas que atacam e
liberam Ca2+. Originam-se dos monócitos.
Tipos de tecido ósseo

Pode-se dividir o tecido ósseo em dois tipos: 4 ou  #$" e $$ ou " . Tais
tipos apresentam o mesmo tipo de célula e de substância intracelular, mudando apenas entre si a
disposição de seus elementos e a quantidade de espaços medulares. O tecido ósseo esponjoso e o
compacto aparecem juntos na grande maioria dos ossos dos vertebrados.

î $#")  4

Apresenta espaços medulares mais amplos, sendo formado por várias trabéculas, que dão um aspecto
poroso ao tecido.

O osso esponjoso é o de menor peso, tem forma de grade, com espaços ósseos nos que se encontra a
medula óssea. Existe a medula óssea vermelha, da qual produz grande quantidade de células do
sangue e a medula óssea amarela que diminui a quantidade de células no sangue. Ao avançar da idade,
nós perdemos medula óssea vermelha, e esta se transforma em amarela. Geralmente, o osso esponjoso
localiza-se na parte interna da diáfise ou corpo dos ossos e nas extremidades ou epífise. O osso está
revestido pelo periósteo que é uma membrana com uma particularidade fibrosa que se cola com
firmeza a ele. Na sua face interna possui os osteoblastos que participam do crescimento e da
restauração do osso. É vascularizada e essa é uma caraterística muito importante, posto que através de
seus vasos sangüíneos chegam substâncias nutrícias às células ósseas.

î $#") $$

Não apresenta quase nenhum espaço medular, possuindo, no entanto, um conjunto de canais que são
percorridos por nervos e vasos sangüíneos: $#" 5 e $#" 6' . Por serem
uma estrutura inervada e irrigada, os ossos têm sensibilidade, alto metabolismo e capacidade de
regeneração.

ë   


Os canais de Volkmann começam na superfície externa ou interna do osso, possuindo uma trajetória
perpendicular em relação ao eixo maior do osso. Esses canais se comunicam com os canais de Havers.
Os canais de Volkmann não apresentam lamelas concêntricas.

ë   

O ëanais de Havers percorrem o osso longitudinalmente e podem intercomunicar-se por projeções


laterais. Ao redor de cada canal de Havers existem, em cortes transversais, várias lamelas concêntricas
de substância intercelular e de células ósseas. Cada conjunto deste, formado pelo canal central de
Havers e por lamelas concêntricas, é chamado de Sistema de Havers ou Sistema haversiano.

[editar]Outra classificação dos ossos

.#/#*#+

Se forma primeiro no embrião e durante a regeneração, tem pouco cálcio e muitas células e fibras
colágenas alocadas caoticamente. É osso esponjoso visto a olho nú. No adulto é muito pouco
encontrado, persistindo apenas próximos às suturas do crânio, nos alvéolos dentários e em alguns
pontos de inserção dos tendões.

 $"/#* +

Tecido maduro formado de lamelas paralelas ou concêntricas, em torno dos vasos formando os
sistemas de Havers ou Osteons. Possui cálcio e o arranjo lamelar ajuda a distribuir a força pelo osso. É
o osso compacto visto a olho nú.

Você também pode gostar