Você está na página 1de 45

Giselle Spindler

2011
NOÇÕES SOBRE OS CONJUNTOS NUMÉRICOS

I) Conjunto dos números Naturais

Qualquer número que resulte de uma contagem de unidades é chamado de número

natural.

EXEMPLOS: - Quantos alunos temos nesta sala? _____

- Quantas diagonais têm um retângulo? ______

- Quantas diagonais têm um triângulo? ______

REPRESENTAÇÕES:

 = { 0, 1, 2, 3, 4, ...} conjunto dos números naturais

* = { 1, 2, 3, 4, ...} conjunto dos números naturais não nulos

CURIOSIDADE: Quem poderá dizer em que momento da história surgiu o número? Terá

surgido com o próprio homem? Ou mesmo antes da própria humanidade?

Existe uma explicação teológica para a origem dos números: "Os números originaram-se já no

primeiro dia da criação, pois nesse dia Deus separou a luz das trevas, surgindo assim duas

coisas no mundo. Como conseqüência desse ato ficou criado o número dois - o primeiro número!"

[KARLSON, Paul. A Magia dos números. Porto Alegre, Globo, 1961]

PROPRIEDADES:

P1 - Todo número natural possui sucessor.

P2 - A soma de dois números naturais quaisquer é um número natural.

P3 - O produto de dois números naturais quaisquer é um número natural.

EXEMPLOS:

1) Os números 3 e 4 são consecutivos

2) O número 4 é o sucessor do número 3.

3) O número 3 é o antecessor do número 4.

4) 5 . 6 = 30 ∈ 

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 2


5) 7 + 10 = 17 ∈ 

6) 7 - 10 = ? A subtração de dois números naturais nem sempre é um número natural.

II) Conjunto dos números Inteiros

Pelo último exemplo verifica-se que os números naturais não são suficientes para resolver

todos os problemas matemáticos. Por exemplo, em economia, define-se balança comercial como

a diferença entre o valor total das exportações e o valor total das importações de um país,

nesta ordem.

Observe a tabela a seguir, que mostra o valor total das exportações e das importações e

o que ocorre com a balança comercial de certo país nos anos de 1998, 1999 e 2000 (em milhões

de dólares):

Exportações Importações Balança Comercial

1998 20.200 18.000 20.200 - 18.000 = 2.200

1999 26.000 23.000 26.000 - 23.000 = 3.000

2000 19.000 21.000 19.000 - 21.000 = ?

Note que não existe nenhum número natural que represente a balança comercial desse

país no ano de 2000, pois, para que a diferença a - b exista em , devemos ter a ≥b. Para

representar este resultado de 19.000 - 21.000 é necessário um outro tipo de número, não-

natural: o número negativo -2.000. Assim dizemos que a balança comercial deste país em 2000

foi de -2.000 milhões de dólares, ou seja, o valor das exportações do país foi 2.000 milhões de

dólares menor que o valor das importações no mesmo ano.

REPRESENTAÇÕES:

 = { ..., -4, -3, -2, -1, 0, 1, 2, 3, 4, ...} conjunto dos números inteiros

* = { ..., -4, -3, -2, -1, 1, 2, 3, 4, ...} conjunto dos números inteiros não nulos

+ = {0, 1, 2, 3, 4, ...} conjunto dos números inteiros não negativos ( = )

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 3


*+ = {1, 2, 3, 4, ...} conjunto dos números inteiros positivos ( = *)

- = { ..., -4, -3, -2, -1, 0} conjunto dos números inteiros não positivos

*- = { ..., -4, -3, -2, -1} conjunto dos números inteiros negativos

CURIOSIDADE: Não se sabe exatamente quando se fez uso dos números negativos pela

primeira vez. Sabe-se, porém, que por volta de 300 a.C., os chineses já faziam cálculos usando

duas barras de bambu, marfim ou ferro - uma de barras vermelhas para indicar números

positivos e outra de barras pretas para indicar os negativos. Provavelmente esses cálculos se

referiam a débitos e créditos resultantes do comércio de mercadorias.

PROPRIEDADES:

P1 - Todo número natural é um número inteiro, isto é ,  ⊂ .

P2 - Todo número inteiro possui antecessor e sucessor.

P3 - A soma de dois números inteiros quaisquer é um número inteiro.

P4 - A diferença entre dois números inteiros quaisquer é um número inteiro.

P5 - O produto de dois números inteiros quaisquer é um número inteiro.

EXEMPLOS:

1) Os números -6 e -5 são consecutivos

2) O número -5 é o sucessor do número -6, pois -5 > -6.

3) O número -6 é o antecessor do número -5.

4) -5 . 8 = -40 ∈ 

5) -7 + 10 = 3 ∈ 

6) 7 - 10 = -3 ∈ 

7) 5 : (-3) = ??? A divisão de dois números inteiros nem sempre é um número inteiro.

☺ FRAÇÕES PRÓPRIAS, IMPRÓPRIAS, APARENTES E EQUIVALENTES E

NÚMEROS MISTOS

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 4


 Frações próprias são aquelas em que o numerador é menor que o denominador.
2 1 5
Exemplo: , , ,...
5 7 8

 Frações impróprias são aquelas em que o numerador é maior ou igual ao

denominador.
8 7 15
Exemplo: , , ,...
5 7 8

 Uma fração imprópria pode ser escrita na forma de número misto e vice-versa.
11 3 2 14
Exemplo: = 2 4 =
4
  4  3 3
Fração Número Número Fração
Imprópria Misto Misto Imprópria

 Frações aparentes são frações aparentes em que o numerador é múltiplo do

denominador.
25 7 24
Exemplo: , , ,...
5 7 8

 Duas frações são equivalentes quando representam a mesma parte do inteiro.


1 3
Exemplo: e são equivalentes
2 6
3 6
e são equivalentes
5 10

☺ OPERAÇÕES COM FRAÇÕES

I) Soma (ou subtração) de frações:

a) Na adição (ou subtração) de frações que têm o mesmo denominador, conserva-se o

denominador e somam-se (ou subtraem-se) os numeradores.


2 1 2+1 3
Exemplo: + = =
5 5 5 5
3 1 3−1 2 1
− = = =
4 4 4 4 2

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 5


b) Para somar (ou subtrair) frações com denominadores diferentes, devemos reduzir

ao mesmo denominador e então somar (ou subtrair) os numeradores.


1 1 3 2 3+2 5
Exemplo: + = + = =
2 3 6 6 6 6
3 1 9 4 9−4 5
− = − = =
4 3 12 12 12 12

II) Multiplicação de frações: O produto de duas frações é uma fração cujo numerador

é o produto dos numeradores e cujo denominador é o produto dos denominadores.


2 4 2.4 8
Exemplo: ⋅ = =
3 5 3.5 15

Observação 1: Frações inversas são aquelas em que o produto é igual a 1, ou o

numerador de uma é igual ao denominador de outra.


3 5 3 5 15
Exemplo: e são inversas, pois, ⋅ = =1
5 3 5 3 15

Observação 2: Para calcular a fração de uma fração, basta calcular o produto das duas

frações.
2 1 2 1 2.1 2 1
Exemplo: Para calcular de , casta resolver ⋅ = = =
3 2 3 2 3.2 6 3

III) Divisão de frações: Para dividir uma fração por outra, multiplica-se a primeira

fração pela fração inversa da segunda.


2 3 2 4 2.4 8
Exemplo: : = . = =
3 4 3 3 3.3 9

IV) Potenciação de frações: Para elevar uma fração a um expoente, elevamos o

numerador e o denominador a este expoente.


3
3 33 27
Exemplo:   = =
5 5 3 125

V) Raiz de frações: Para se extrair a raiz de uma fração basta extrair a raiz do

numerador e a raiz do denominador.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 6


125 3 125 5
Exemplo: 3 = =
64 3 64 4

III) Conjunto dos números Racionais

Os números racionais foram criados a partir da necessidade de dividir dois

números inteiros (por exemplo, 1 por 4). Esse tipo de divisão, tão freqüente em nosso

cotidiano, é fundamental para resolver muitos problemas práticos, como por exemplo:

Um homem deseja dividir, em partes iguais, sua fazenda entre seus quatro filhos. Que

parte da fazenda caberá a cada filho?

Hoje em dia o problema é trivial: sabemos que a cada filho caberá 1/4 ou 0,25 da

fazenda. Porém, se você estivesse vivendo em uma época em que ainda não existissem

as frações, sentiria necessidade delas para responder o problema.

Acredita-se que já na idade do Bronze tenha surgido a necessidade do conceito

de fração e de uma notação para frações.

REPRESENTAÇÕES:

= conjunto dos racionais

* = conjunto dos racionais não-nulos

+ = conjunto dos racionais não-negativos

+* conjunto dos racionais positivos

- = conjunto dos racionais não-positivos

-* conjunto dos racionais negativos

CONCEITO: Número racional é todo aquele que pode ser representado por uma razão

entre dois números inteiros, sendo o segundo não-nulo, ou seja:

a
=  , a , b ∈ Ζ, b ≠ 0 
b 

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 7


EXEMPLOS:

a) 0,25 ∈ , pois 0,25 = 1/4 é uma razão entre dois inteiros

b) 3 ∈ , pois 3 = 3/1 é uma razão entre dois inteiros

c) 2,555... ∈ , pois 2,555... = 23/9 é uma razão entre dois inteiros. Neste exemplo,

temos que 2,555... é uma dízima periódica, onde 2 é a parte inteira e 5 é o período que

se repete infinitamente.

OBS: Como determinar a geratriz (razão) de uma dízima periódica????

i) Indicamos por g a dízima periódica: g = 2,555...

ii) Multiplicamos por 10 os dois lados da igualdade, pois temos um algarismo que se

repete infinitamente (se fossem 2 algarismos, multiplicaríamos por 100, se fossem 3,

por 1000, e assim sucessivamente): 10g = 25,555...

iii) Subtraem-se membro a membro as duas igualdades:

10g = 25,555...

-g = -2,5555...

9g = 23 ⇒ g = 23/9 esta é a razão geratriz da dízima periódica

Portanto 2,555... = 23/9 ∈

OUTROS EXEMPLOS: 0; 3/8; -4/3; 3,26; -5; -7,48; 8,33..; − 6 , 48

PROPRIEDADES:

P1 - Todo número inteiro x é racional ( x = x/1). Assim obtemos:  ⊂

P2 - A soma de quaisquer dois racionais é sempre um número racional.

P3 - A diferença de quaisquer dois racionais é sempre um número racional.

P4 - O produto de quaisquer dois racionais é sempre um número racional.

P5 - O quociente de quaisquer dois racionais sendo o divisor não-nulo, é sempre um

número racional.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 8


IV) Conjunto dos números Irracionais

Durante muito tempo acreditou-se que o conjunto dos racionais fossem

suficientes para resolver quaisquer problemas numéricos. Admitia-se que a medida de

uma grandeza, em qualquer unidade, podia sempre ser expressa através de um número

racional. Não se sabe ao certo, mas supõe-se que da escola pitagórica surgiu um

problema que lançou por terra a idéia da suficiência dos números racionais. Esse

problema era: Qual a medida da diagonal de um quadrado cujo lado mede uma unidade?

Esse problema certamente causou polêmica entre os matemáticos da época. Qual

é o número d cuja segunda potência é igual a 2?

Provavelmente muitos matemáticos fizeram os seguintes cálculos em busca do

número d.

O número d está entre 1,4 e 1,5, pois: 1,42 = 1,96 e 1,52 = 2,25.

A média aritmética entre 1,4 e 1,5 é 1,45. Como 1,452 = 2,1025, podemos diminuir

o intervalo. Então 1,4 < d < 1,45.

Da mesma forma a média aritmética entre 1,4 e 1,45 é 1,425 e como 1,4252 =

2,030625, temos que 1,4 < d < 1,425.

Podemos continuar este processo infinitamente e nunca chegaremos a um decimal

finito ou uma dízima periódica. Portanto d não é um número racional. Assim os

matemáticos constataram que existiam números que não podiam ser representados

como razão de dois inteiros. Em contraposição aos números racionais, deu-se o nome de

irracionais a esses "novos" números.

CONCEITO: Número irracional é toda dízima não-periódica, ou seja, é todo número

com infinitas casas decimais e não-periódico.

' = { x | x é dízima não-periódica}

EXEMPLOS: π = 3,14159265..., 2 = 1,41421356...

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 9


PROPRIEDADES:
n
P1 - Se o número a , com n ∈ * e a ∈ , não é inteiro, então este número é

racional.
6 5 7 3 7 3
Exemplo: 2, 5 , 3 ∈ ' mas 1 , 8 ∉ ', pois 1 = 1 é inteiro e 8 =2é

inteiro.

P2 - A soma de um número racional com um número irracional é um número irracional.

Exemplo: 1 + 3,14159265


 ... = 4,14159265
 ...
racional irracional irracional

OBS: Não vale o fato de que soma de dois números irracionais é sempre um número

3 ,
irracional, pois por exemplo:  14159265

  + (−
... 3 ,
14159265
 
...) = 0

irracional irracional racional

P3 - A diferença entre um número racional e um número irracional, em qualquer ordem,

é um número irracional.

Exemplo: 1 − 3,14159265


 ... = −
2,14159265
 ...
racional irracional irracional

OBS: Não vale o fato de que diferença entre dois números irracionais é sempre um

3 ,
número irracional, pois por exemplo:  14159265

  − 3,14159265
...  ... = 
0

irracional irracional racional

P4 - O produto de um número racional, não-nulo, por um número irracional é um número

irracional.

2
Exemplo:  .   = 2 3 = 
3 12
racional irracional irracional

OBS: Não vale o fato de que o produto entre dois números irracionais é sempre um
3
número irracional, pois por exemplo:  2

3
. 4  = 3 8 = 
2

irracional irracional racional

P5 - O quociente de um número racional, não-nulo, por um número irracional é um

número irracional.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 10


12 12 6
Exemplo: 
 2
1 : 6 = 6 = 6
= 2 6 =  24
racional irracional irracional

OBS: Não vale o fato de que o quociente entre dois números irracionais é sempre um
3
número irracional, pois por exemplo:  81 3
 : 3  = 3 81 : 3 = 3 27 = 
3

irracional irracional racional

V) Conjunto dos números Reais

CONCEITO: Qualquer número racional ou irracional é chamado de número real.

Podemos então dizer que um número real é todo número decimal, com um número finito

ou infinito de casas decimais. Indicamos este conjunto por .

 = { x | x é número racional ou irracional }

REPRESENTAÇÕES:

 = conjunto dos números reais

* = conjunto dos números reais não-nulos

+ = conjunto dos números reais não-negativos

+* = conjunto dos números reais positivos

- = conjunto dos números reais não-positivos

-* = conjunto dos números reais negativos

PROPRIEDADES

P1 - A soma de dois números reais quaisquer é sempre um número real.

P2 - A diferença entre dois números reais quaisquer é sempre um número real.

P3 - O produto de dois números reais quaisquer é sempre um número real..

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 11


P4 - O quociente entre dois números reais quaisquer, sendo o divisor diferente de

zero, é sempre um número real.

P5 - Para todo número real x existe o número real y, denominado oposto de x, tal que,

x + y = y + x = 0. Indicamos o oposto de x por -x.


Exemplo: O oposto de π é - π, pois π + (-π) = 0

P6 - Para todo número real não-nulo r existe o número real s, denominado inverso ou
1
recíproco de r, tal que, rs = sr = 1. Indicamos o inverso ou recíproco de r por .
r
1 1
Exemplo: O inverso de 2 é , pois 2 . =1
2 2
n
P7 - Se n é um número natural ímpar e a ∈ , então a ∈ .

Exemplo: 7
6 ∈ 3
−8 ∈ 

P8 - Sendo n um número natural par diferente de zero e a um número real, temos que

:
n
a ∈  ⇔a ≥0

Exemplo: 4
5 ∈ 6
0∈ −8 ∉ 

☺ POTENCIAÇÃO

Sendo a ∈ , n ∈ , temos: a n = a.a


.a
 .a ......
  a, n > 1
n vezes

a1 = a

a0 = 1, sendo a ≠ 0
1
a-n = , sendo a ≠ 0
an

☺ PROPRIEDADES DAS POTÊNCIAS

Para a, b ∈  e para m, n ∈

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 12


a) an . am = an+m

b) an : am = an-m para a ≠ 0

c) (an)m = an.m

d) (a . b)n = an . bn
n n
e) a  = a para b ≠ 0
 
b  bn

EXEMPLOS:

I) 53 . 54 = 53+4 = 57

II) 36 : 34 = 36-4 = 32

III) (62)4 = 62.4 = 68

IV) (5. a)2 = 52 . a2 = 25a2


3 3
5  5 125
V)   = 3 =
3  3 27
VI) 50 = 1
2
-2 1  1
VII) 5 =   =
5  25

VIII) (-10)1 = -10


2
−2  1  2
3   =  4  = 16
IX)   =  
4  3  3  9
 4 

☺ RADICIAÇÃO

Sendo a ∈ + e para n ∈ *, definimos: n


a = b ⇔ b n = a , onde b ∈ +

Exemplo: 3
8 = 2 , pois 23 = 8

9 = 3 , pois 32 = 9

Para a ∈ +* e para n ∈ * com n ímpar, definimos: n


− a = b ⇔ b n = −a , onde b ∈ +

Exemplo: 3
− 8 = −2 , pois (-2)3 = -8

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 13


5
− 1 = −1 , pois (-1)5 = -1

−9 =? Este valor não pertence aos reais, pois não existe nenhum número

real que elevado ao quadrado dê como resposta -9.

☺ PROPRIEDADES DOS RADICAIS

1) n
a .n b = n a .b
n
a na
2) n
= para b ≠ 0
b b
n .k
3) a k .p = n a p

4) (n a )p = n ap
n k
5) a = n .k a

Exemplos: 3
5 .3 2 = 3 10
5
8 58 5
5
= = 4
2 2
6
54 =352

 3 8 5  =
 
( 8)
3 5
= 2 5 = 32

3
7 = 67

☺ OPERAÇÕES COM RADICAIS

Exemplo: 6 5 + 3 5 − 2 5 = 7 5

4 18 + 3 8 = 4.3 2 + 3.2 2 = ( 12 + 6 ) 2 = 18 2

3 3 2 .5 3 3 = ( 3.5 ) 3 2 .3 3 = 15 3 6

4 6 4 6
4 6:2 3 = = =2 2
2 3 2 3

☺ POTÊNCIA COM EXPOENTE RACIONAL

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 14


n
Para a ∈ *+ e para n ∈ *, temos, ak/n = ak

Exemplo: 7 3 / 4 = 4 7 3

9 0 ,5 = 9 1 / 2 = 9 = 3

1 1
16 −0 ,25 = 16 −1 / 4 = 4 16 −1 = 4 =
16 2

☺ RACIONALIZAÇÃO DE DENOMINADORES

5 5 372 537 2 5 3 49
Exemplo: 3
= 3
. = =
7 7 372 3
73 7

10 10 5 10 5 10 5
= . = = =2 5
5 5 5 52 5

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 15


RAZÕES E PROPORÇÕES – GRANDEZAS DIRETAMENTE E INVERSAMENTE

PROPORCIONAIS - REGRAS DE TRÊS SIMPLES E COMPOSTAS

CONCEITOS E PROPRIEDADES IMPORTANTES

 A razão entre dois números é o quociente entre eles, onde o segundo é diferente

de zero.

Exemplo:

1) Durante um jogo de futebol entre Corinthians e Palmeiras, o estádio do Morumbi,

SP, estava lotado: havia 50.000 torcedores. De cada 5 torcedores, 3 torciam para o

Corinthians e 2 torciam para o Palmeiras.

a) Determine a razão entre o número de torcedores do Corinthians e o número de

torcedores do Palmeiras. 3/2

b) Determine a razão entre o número de torcedores do Corinthians e o total de

torcedores do estádio. 3/5

c) É correto afirmar que dos 50.000 torcedores 20.000 eram palmeirenses? Por quê?

Sim, pois 2/5 = 20.000/50.000

 A razão entre duas grandezas de mesma espécie é o quociente dos números

que expressam as medidas dessas grandezas numa mesma unidade.

Exemplo:

2) A caixa d’água do meu prédio tem capacidade de 1.000dm3. A piscina do prédio tem

capacidade de 60m3. Para determinar a razão entre a capacidade da caixa dágua e a

capacidade da piscina, devemos, inicialmente, escrever estas grandezas em uma mesma

unidade de medida.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 16


1.000dm3 = 1m3

Então a razão procurada é 1/60

 Proporção é uma igualdade entre duas razões.

Exemplo:

3) Observe as seguintes razões:

1/5 2/10 3/15 4/20

Todas elas são iguais a 1/5.

Portanto podemos escrever as igualdades das razões. Assim construímos as

proporções:

1/5 = 2/10 1/5 = 3/15 1/5 = 4/20

Podemos também representar a proporção 1/5 = 2/10 da seguinte forma:

1:5 = 2:10 ⇒ “um está para cinco assim como 2 está para dez”

Os números a, b, c e d , não-nulos formam uma proporção, nesta ordem, quando


a c
=
b d

 Os números a, b, c e d são chamados termos da proporção.

 Os termos a e d são chamados extremos da proporção.

 Os termos b e c são chamados meios da proporção.

Propriedade
Fundamental
 Em toda proporção, o produto dos meios é igual ao produto dos extremos. das Proporções

Exemplo:
8 24
4) e formam uma proporção, pois: 8× 30 = 10 ×
24
10 30 
240

240

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 17


Produto dos Extremos Produto dos Meios

 Grandeza é tudo o que pode ser medido.

Exemplo:

5) Comprimento em m, dm, cm, km, ...

6) Área em m2, dm2, cm2, ...

7) Massa em kg, g, ...

8) Volume em l, dm3, m3, ...

 Existem grandezas que são chamadas de diretamente proporcionais, quando o

aumento de uma delas implica necessariamente no aumento da outra, na mesma

proporção.

Exemplo:

9) Observe a seguinte tabela que esta representando a relação existente entre o

número de tortas de morango e a quantidade de ovos necessária.

Número de tortas 1 2 3 4 5

Quantidade de ovos 4 8 12 16 20

Quando duplicamos o número de tortas, a quantidade de ovos também duplica.

 Existem grandezas que são chamadas de inversamente proporcionais, quando o

aumento de uma delas implica necessariamente na diminuição da outra, na mesma

proporção.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 18


Exemplo:

10) Observe na tabela a seguir a relação existente entre o número de funcionários e o

tempo gasto (em horas) para a produção das tortas do exemplo anterior:

Número de funcionários 1 2 3 4

Tempo (em horas) 6 3 2 1,5

Quando duplicamos o número de funcionários, o número de horas fica reduzido à

metade.

 Existem grandezas que quando relacionadas não podem ser chamadas de

inversamente proporcionais ou diretamente proporcionais, isto é, não são proporcionais.

Exemplo:

11) Observe na tabela a seguir a relação existente entre entre idade e altura média

de meninas de 1 a 6 anos:

Idade (em anos) 1 2 3 4 5 6

Altura média das 73,26 84,11 91,94 99,14 105,95 112,22

meninas (em cm)

Quando a idade é duplicada, a altura nem dobra e nem se reduz à metade. A altura

aumenta sem respeitar nenhuma proporção.

 Duas grandezas são diretamente proporcionais quando a razão entre os valores da

primeira é igual à razão entre os valores correspondentes da segunda.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 19


1 2 3 4 5
 Do exemplo 9 podemos escrever: = = = = . Todas estas frações são
4 8 12 16 20

redutíveis a uma mesma fração que é ¼. Desta forma dizemos que os números da

sequência 1, 2, 3, 4 e 5 são diretamente proporcionais aos números 4, 8, 12, 16 e 20. O

número ¼, que é a razão entre dois termos correspondentes em cada uma coluna da

tabela é chamado de fator de proporcionalidade.

Exemplo:

12) Determinar os valores das letras do quadro a seguir de modo que as sequências de

números sejam diretamente proporcionais.

4 6 8 a 20

10 15 b 25 c

Para que duas sequências sejam diretamente proporcionais, as razões entre os números
4 6 8 a 20
correspondentes devem ser iguais, isto é: = = = =
10 15 b 25 c
4 a
Assim: = ⇒ a = 10
10 25

4 8
= ⇒ b = 20
10 b

4 20
= ⇒ c = 50
10 c

Exemplo:

13) Considere o número 160. Vamos dividi-lo em partes diretamente proporcionais aos

números 5, 2 e 3. Para isso, vamos representar os números procurados por x, y e z. As

sequências x, y e z e 5, 2 e 3 são diretamente proporcionais, então podemos escrever :


x y z
= =
5 2 3

Como x + y + z = 160, temos:

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 20


 x + y + z = 160

x y z
 5 = 2 = 3 = r (fator de prporcionalidade)

Assim obtemos as seguintes proporções:


x r y r z r
= = =
5 1 2 1 3 1

Aplicando a propriedade fundamental das proporções, obtemos:

x = 5r y = 2r z = 3r

Substituindo os valores de x, y e z na expressão x + y + z = 160. Obtemos uma

equação em função de r:

5r + 2r + 3r = 160

Obtendo por fim r = 16.

Assim podemos encontrar os valores de x, y e z:

x = 5r ⇒ x = 5.16 = 80

y = 2r ⇒ y = 2.16 = 32

z = 3r ⇒ z = 3.16 = 48

Portanto os números são 80, 32 e 48. Isto é, 80, 32 e 48 são diretamente

proporcionais a 5, 2 e 3 e somam 160.

 Duas razões são ditas inversas quando o produto delas é 1.

Exemplo:

14) 4 é inverso de 4/3 pois 3/4 . 4/3 = 12/12 = 1

 Duas grandezas são inversamente proporcionais quando a razão entre os valores

da primeira é igual ao inverso razão entre os valores correspondentes da segunda.

Exemplo:

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 21


15) Durante alguns dias Lucas anotou a velocidade média atingida pelo automóvel dele e

o tempo gasto (em horas) para percorrer um determinado trajeto, obtendo a seguinte

tabela:

Velocidade Tempo (h) Examinando a tabela ao lado, observamos

(km/h) que:

30 12  Duplicando a velocidade do automóvel, o

60 6 número de horas fica reduzido à metade.

90 4

120 3

Observe ainda que, duas a duas, as razões entre os números que indicam a

velocidade são iguais ao inverso das razões que indicam o tempo.


30 6 6 12
= → é o inverso de
60 12 12 6
30 4 4 12
= → é o inverso de
90 12 12 4

Observe também que as razões entre os números da primeira coluna e os inversos

dos correspondentes da segunda coluna são iguais.


30 90
= 30.12 = 360 = 90.4 = 360
1 1
12 4
60 120
= 60.6 = 360 = 120.3 = 360
1 1
6 3

Os números da sequência 30, 60, 90 e 120 são inversamente proporcionais aos

números da sequência 12, 6, 4 e 3. O número 360, que é o produto entre os números da

primeira coluna e os correspondentes números da segunda coluna da tabela, é chamado

de fator de proporcionalidade.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 22


Exemplo:

16) Considere o número 45. Vamos dividi-lo em partes inversamente proporcionais aos

números 3, 4 e 6. Para isso, vamos representar os números procurados por x, y e z. As

sequências x, y e z e 3, 4 e 6 são inversamente proporcionais, então podemos escrever :


x y z
= = ⇒ 3x = 4 y = 6 z
1 1 1
3 4 6

Como x + y + z = 45, temos:

 x + y + z = 45

 3 x = 4 y = 6 z = r (fator de prporcionalidade)

Assim obtemos as seguintes igualdades:


r r r
x= y= z=
3 4 6

Substituindo os valores de x, y e z na expressão x + y + z = 45. Obtemos uma

equação em função de r:
r r r 4 r + 3r + 2 r
+ + = 45 ⇒ = 45 ⇒ 9 r = 540
3 4 6 12

Obtendo por fim r = 60.

Assim podemos encontrar os valores de x, y e z:


r
x= ⇒ x = 60/3 = 20
3
r
y= ⇒ y = 60/4 = 15
4
r
z= ⇒ z = 60/6 = 10
6

Portanto os números são 20, 15 e 10. Isto é, 3, 4 e 6 são inversamente proporcionais

a 3, 4 e 6 e somam 45.

REGRA DE TRÊS SIMPLES

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 23


Exemplo:

17) Considere a seguinte situação: “Bibiana comprou 3 camisetas e pagou $120,00.

Quanto pagaria se comprasse 5 camisetas do mesmo tipo e preço?”

Existem dois valores da grandeza camiseta com dois valores da grandeza preço.

Organizamos estes dados em uma tabela:

Camisetas Preço

3 120

5 x

 Nesta tabela temos três elementos conhecidos e um desconhecido. Problemas

deste tipo são chamados de Regra de Três Simples.

Observe que as grandezas camisetas e preço são diretamente proporcionais; assim,

podemos escrever a proporção:


3 120
=
5 x

Aplicando a propriedade fundamental, obtemos:

3x = 120 . 5 ⇒ 3x = 600 ⇒ x = 200

Portanto, Bianca pagará $200,00 pelas 5 camisetas.

 Podemos estabelecer um processo prático para facilitar a resolução de problemas

deste tipo.

Exemplo:

18) Camila comprou 2 livros e pagou R$450,00. Quanto pagaria se comprasse 5 livros

do mesmo tipo e preço?

Primeiramente se organizam os dados da seguinte forma:

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 24


Livros preço (R$)

2 _____________________ 450,00

5 ______________________ x

Verificamos se as grandezas são direta ou inversamente proporcionais. Se forem

diretamente proporcionais coloca-se flechas de mesmo sentido, caso contrário flechas

em sentidos opostos.

Livros preço (R$)

2 _____________________ 450,00

5 ______________________ x

Como as grandezas são diretamente proporcionais, escreve-se a proporção na forma

direta:
2 450
= ⇒ x = 1.125
5 x

Assim, Camila pagaria R$1.125,00 pelos cinco livros.

Exemplo:

19) Com velocidade média de 500km/h, um avião percorre uma distância entre duas

cidades em 3h. Que tempo levaria uma aeronave que desenvolve 800km/h de velocidade

média para percorrer o mesmo espaço?

Primeiramente se organizam os dados da seguinte forma:

Velocidade (km/h) tempo (h)

500 _____________________ 3

800 ______________________ x

As grandezas velocidade e tempo são inversamente proporcionais. Portanto as flechas

terão sentidos opostos.

Velocidade (km/h) tempo (h)

500 _____________________ 3

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 25


800 ______________________ x

Como as grandezas são inversamente proporcionais, escreve-se a proporção na forma

inversa:
500 x 15 7
= ⇒ x= = 1 = 1h52 min 30 s
800 3 8 8

Assim, a aeronave levaria 1h52min30s para percorrer a mesma distância.

 15 7 7
 8 = 1 8 = 1 hora e mais 8 de uma hora.

7 7.60 420 4 1
OBS:  de uma hora = = = 52 = 52 minutos mais de um minuto.
8 8 8 8 2
1 1.60
 2 de um minuto = 2 = 30 segundos

REGRA DE TRÊS COMPOSTA

Exemplo:

20) Observe a seguinte situação: “Duas máquinas produzem 60m de tecido em 3h.

Quantos metros de tecido serão produzidos em 9h por 4 máquinas??”

Primeiramente organizamos os dados da situação da seguinte forma:

Máquinas Horas Metros de tecido

2 __________ 3 _________ 60

4 __________ 9 _________ x

Observamos agora se as grandezas são direta ou inversamente proporcionais, sempre

comparando com a grandeza onde está a incógnita. Observamos então que aumentando o

número de máquinas aumentará o número de metros de tecido. Ainda, aumentando o

número de horas aumentará o número de metros de tecido. Desta forma as grandezas

são diretamente proporcionais, então colocamos as setas no mesmo sentido.

Máquinas Horas Metros de tecido

2 __________ 3 _________ 60

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 26


4 __________ 9 _________ x

 Quando uma grandeza variável é proporcional a duas outras, a variação da

primeira é proporcional ao produto da variação das outras duas.

Máquinas por hora Metros de tecido

2.3 ______ 60

4.9 ______ x

2.3 60
= ⇒ x = 360
4.9 x

Assim, 4 máquinas produzirão, em 9 horas, 360m de tecido.

Exemplo:

21) Dois pedreiros levam 9 dias para construir um muro com 2m de altura.

Trabalhando 3 pedreiros e aumentando a altura para 4m, qual será o tempo necessário

para completar esse muro?

Organizando os dados:

Pedreiros Altura Dias

2 __________ 2m _________ 9

3 __________ 4m _________ x

Colocam-se flechas concordantes para as grandezas diretamente proporcionais com a

incógnita e discordantes para as grandezas inversamente proporcionais:

Pedreiros Altura Dias

2 __________ 2m _________ 9

3 __________ 4m _________ x

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 27


Escrevem-se os elementos do problema de modo que a variação de cada um deles seja

diretamente proporcional à variação da incógnita:

Pedreiros Altura Dias

3 __________ 2m _________ 9

2 __________ 4m _________ x

Agora calcula-se o valor de x:


3.2 9
= ⇒ x = 12
2.4 x

Portanto, para completar o muro serão necessários 12 dias.

PORCENTAGEM

 O que significa o símbolo %? O quer dizer “por cento”? Considere a seguinte

situação:

Uma pesquisa revelou que, nos últimos anos, para cada 2 automóveis vendidos para

mulheres, 5 automóveis são vendidos para homens.

Assim a razão entre o número de automóveis vendidos para mulheres e o número de

automóveis vendidos para homens é de 2/5.

Observe a seguinte equivalência:


2 40
=
5 100

Desta forma podemos dizer que para cada 40 automóveis vendidos para mulheres, 100

são vendidos para homens.

A expressão 40 em cada 100 pode ser dita como 40 por cento e pode ser escrita como

40%.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 28


Podemos ainda representar a fração 2/5 na forma decimal, efetuando a divisão de 2

por 5:
2
= 2 : 5 = 0 ,4
5

O número decimal encontrado pode ser escrito na forma de porcentagem da seguinte

maneira:
2 40
= 0 ,4 = 0 ,40 = = 40%
5 100

Assim as representações abaixo têm o mesmo significado:

Fração decimal Forma decimal Porcentagem

40/100 0,40 40%

Exemplo:

1) Um saco de arroz em casca, ao ser beneficiado, sofreu uma perda de 25%.

Quantos quilogramas forma perdidos no beneficiamento desse saco de arroz em casca,

sabendo que ele tinha 60kg?

Maneira I: Precisamos calcular 25% de 60. Como 25% = 25/100 = ¼, temos:

25% de 60 = ¼ de 60 = ¼ . 60 = 60/4 = 15.

Maneira II: Como 25% = 25/100 = 0,25, temos:

25% de 60 = 0,25 . 60 = 15

Maneira III: Como 100% de 60 é 60, indicando 25% de 60 por x, podemos resolver o

problema montando uma proporção:


100 60
= ⇒ x = 15
25 x

Portanto foram perdidos 15kg.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 29


Exemplo:

2) Numa escola 882 alunos estão matriculados no período da manhã. Isso

corresponde a 63% do total de alunos dessa escola. Quantos alunos estudam nessa

escola?

Maneira I: Representando o número de alunos por x, temos:


63
63% de x = 882 ⇒ .x = 882
100
63 x
= 882 ⇒ x = 1400
100

Maneira II: Como x representa 100% dos alunos da escola, podemos resolver o

problema montando uma proporção:


882 63
= ⇒ x = 1400
x 100

Logo estudam nessa escola 1.400 alunos.

Exemplo:

3) Uma prancha de surf é vendida nas seguintes condições: À vista = R$360,00 ou

à prazo = R$388,80. Qual é a taxa de porcentagem (ou quantos por cento) cobrada

sobre o preço à vista na compra a prazo?

Maneira I: Primeiro calculamos a diferença entre os preços à vista e à prazo para

encontrar a quantia correspondente à porcentagem procurada.

388,80 – 360,00 = 28,80

Indicando a taxa de porcentagem por x%, temos:


x
x% de 360 = 28,80 ⇒ .360 = 28 ,80
100
360 x
= 28 ,80 ⇒ x = 8
100

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 30


Maneira II: Podemos também montar uma proporção para resolver o problema:
360 100
= ⇒ x =8
28 ,80 x

Portanto, a taxa de porcentagem cobrada sobre o preço à vista era de 8%.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 31


PRODUTOS NOTÁVEIS E FATORAÇÃO

REGRA I: Quadrado da Soma de dois números

(
a + b )2
 
= ( a + b ) × ( a + b ) = a 2 + ab + ba + b 2 = a2
+2
ab+2
b
Quadrado da soma Quadrado do primeiro +
2 vezes o primeiro pelo segundo +
Quadrado do segundo

Exemplo 1:

Resolver (x + 3 )². Observe que o primeiro termo é igual a x e o segundo termo é igual

a 3.

( x + 3 )2 = x 2 + 2.x.3 + 3 2 = x 2 + 6 x + 9

Exemplo 2:

Resolver (3x + 5y )². Observe que o primeiro termo é igual a 3x e o segundo termo é

igual a 5y.

( 3 x + 5 y ) 2 = ( 3 x )2 + 2.3 x.5 y + ( 5 y )2 = 9 x 2 + 30 xy + 25 y 2

REGRA II: Quadrado da Diferença de dois números

(
a − b )2
 
= ( a − b ) × ( a − b ) = a 2 − ab − ba + b 2 = a2
−2
ab+2
b
Quadrado da diferença Quadrado do primeiro −
2 vezes o primeiro pelo segundo +
Quadrado do segundo

Exemplo 3:

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 32


Resolver (x - 4)². Observe que o primeiro termo é igual a x e o segundo termo é igual a

4.

( x − 4 )2 = x 2 − 2.x.4 + 4 2 = x 2 − 8 x + 16

Exemplo 4:

Resolver (3x – y³)². Observe que o primeiro termo é igual a 3x e o segundo termo é

igual a y³.

( 3 x − y 3 ) 2 = ( 3 x )2 − 2.3 x. y 3 + ( y 3 ) 2 = 9 x 2 − 6 xy 3 + y 6

REGRA IV: Produto da Soma pela Diferença de dois números

(
a + b )(a − b )

  
= ( a + b ) × ( a − b ) = a 2 + ab − ba + b 2 = a2
 −2
b
Produto da soma Quadrado do primeiro −
pela diferença Quadrado do segundo

Exemplo 5:

Resolver (x + 2).(x - 2). Observe que o primeiro termo é igual a x e o segundo termo é

igual a 2.

( x + 4 )( x − 2 ) = x 2 − 4 2 = x 2 − 16

Exemplo 6:

Resolver (3x² – 2y).(3x² + 2y). Observe que o primeiro termo é igual a 3x² e o

segundo termo é igual a 2y³.

( 3 x 2 − 2 y 3 )( 3 x 2 + 2 y 3 ) = ( 3 x 2) 2 − ( 2 y 3 )2 = 9 x 4 − 4 y 6

EQUAÇÕES, INEQUAÇÕES E SISTEMAS DE PRIMEIRO GRAU

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 33


- EQUAÇÕES

 Em um termo algébrico distinguimos o coeficiente (parte numérica) da parte

literal (parte com letras).

Exemplo 1:

Termo algébrico Coeficiente Parte Literal

5x 5 x

-m -1 m

-3/4 xy² -3/4 xy²

-ax/6

(7bcm)/(4dx²)

 Termos semelhantes são aqueles que possuem a mesma parte literal.

Exemplo 2:

a) - 2ax e (2ax)/3 são termos semelhantes

b) 5ax² e 3 a²x não são termos semelhantes.

 Às sentenças abertas não se pode atribuir um valor lógico verdadeiro ou falso,

pois existe uma incógnita.

Exemplo 3:

a) 12 + 3x = 4y – 6 é uma sentença aberta;

b) X + 1 > 0 é uma sentença aberta;

c) 25 + 12 = 37 é uma sentença fechada, pois podemos afirmar que ela é

verdadeira;

d) 10 + 32 = 20 é uma sentença fechada, pois podemos afirmar que ela é falsa;

 Equação é toda sentença matemática aberta expressa por uma igualdade.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 34


Exemplo 4:

a) 7x + 2 = 3

b) 2x – 3y = 10

 Um número é chamado de raiz de uma equação quando, ao substituir a incógnita

por ele, obtém-se uma sentença verdadeira.

 Conjunto universo é aquele formado por todos os valores que a incógnita pode

assumir.

 Soluções de uma equação são os valores do conjunto universo que tornam a

sentença verdadeira.

Exemplo 5: “ Um número natural par elevado ao quadrado e somado com 5 nos dá 21”

Escrevendo a sentença em linguagem matemática obtém-se: x² + 5 = 21

a) U = { 0, 2, 4, 6, 8, ...} = conjunto universo

b) Para x = - 4 temos: (-4)² + 5 = 21 ⇒ 16 + 5 = 21 (verdadeira)

Para x = 4 temos: (4)² + 5 = 21 ⇒ 16 + 5 = 21 (verdadeira)

Assim -4 e 4 são raízes da equação, mas como -4 não é um número natural par

então -4 ∉ U, desta forma -4 não é solução da equação.

Exemplo 6: Resolver a equação 5x + 3 = x + 15, no conjunto universo .


5 x + 3 = x + 15
5 x − x = 15 − 3
4 x = 12
12
x=
4
x=3

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 35


5x 2 5x
Exemplo 7: Resolver a equação + = − 1 , sendo U = .
6 3 4

Sendo mmc(6, 3, 4) = 12, vamos multiplicar os dois lados da igualdade por 12:
5x 2 5x
+ = −1
6 3 4
5x 2 5x
12. + 12. = 12. − 12.1
6 3 4
10 x + 8 = 15 x − 12
10 x − 15 x = −12 − 8
− 5 x = −20
− 20
x= =4
−5

Logo x = 4.

- INEQUAÇÕES

 Desigualdade é toda sentença matemática onde aparece um destes sinais: ≠

(diferente), > (maior), < (menor), ≥ (maior ou igual) ou ≤ (menor ou igual).

 Inequação é toda sentença matemática aberta expressa por uma desigualdade.

 Soluções de uma inequação são os valores do conjunto universo que tornam a

sentença verdadeira.

 PROPRIEDADES DA DESIGUALDADE - Na resolução de inequações aplica-se as

propriedades de desigualdades, dentre elas:

 Os sinais < e < têm o mesmo sentido;

 Os sinais > e > têm o mesmo sentido;

 Os sinais > e < têm sentidos opostos;

 Os sinais < e > têm sentidos opostos;

 Uma desigualdade não muda de sentido quando adicionamos ou subtraímos um

mesmo número aos seus dois membros.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 36


Exemplo 1: Se 8 > 3 então 8 + 2 > 3 + 2 , isto é, 10 > 5 ( a desigualdade não mudou o

sentido).

 Uma desigualdade não muda de sentido quando multiplicamos ou dividimos seus

dois membros por um mesmo número positivo.

Exemplo 2: Se 18 > 13 então 18 . 2 > 13 . 2 , isto é, 36 > 26 (a desigualdade não mudou

o sentido).

 Uma desigualdade muda de sentido quando multiplicamos ou dividimos seus dois

membros por um mesmo número negativo.

Exemplo 3: Se 6 > 2 então 6.(-2) < 2.(-2) , isto é, -12 < -4 (a desigualdade mudou o

sentido).

Exemplo 4: Resolver a inequação 2( x − 5 ) ≥ 3( x − 4 ) , sendo U = 

2( x − 5 ) ≥ 3( x − 4 )
2 x − 10 ≥ 3 x − 12
2 x − 3 x ≥ −12 + 10
− x ≥ −2( −1 )
x≤2

Logo qualquer número inteiro menor ou igual a 2 é solução desta inequação.

S = {x ∈  tal que x ≤ 2 } = { ... -2, -1, 0, 1,2}

Exemplo 5: Determinar os números racionais que satisfazem a inequação abaixo:

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 37


5x x − 3
− < 2x − 1
2 6
15 x x − 3 12 x 6
− < −
6 6 6 6
15 x − x + 3 < 12 x − 6
15 x − x − 12 x < −6 − 3
2 x < −9
2x − 9
<
2 2
−9
x<
2

Ou ainda podemos escrever x < -4,5

- SISTEMAS DE EQUAÇÕES

 Um sistema de equações de primeiro grau com duas incógnitas pode ser

representado da seguinte forma:

x + y = 6

x − y = 4

 Pode-se observar que quando x = 5 e y = 1 as duas equações são satisfeitas,

portanto dizemos que o par ordenado (5,1) é solução para o sistema de equações de 1°

grau com duas incógnitas.

- MÉTODO DA SUBSTITUIÇÃO

 Consiste em isolar uma das duas incógnitas em uma das duas equações e substituir

a expressão encontrada na outra equação.

x + y = 5
Exemplo 1: Resolver o sistema:  pelo método da substituição
x − y = 3

Vamos escolher, por exemplo, a equação x + y = 5 e isolar a incógnita x.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 38


x+y=5 ⇒ x=5–y

Agora substituímos x, por ( 5 – y) na outra equação, obtemos:

X – y = 3 ⇒ (5 – y) – y = 3 ⇒ 5 – 2y = 4

Resolvendo esta equação obtemos o valor de y:

5 – 2y = 3 ⇒ – 2y = 3 – 5 ⇒ – 2y = -2 ⇒ y = -2/-2 ⇒ y = 1

Substituindo y por 1 na expressão x = 5 – y, obtemos:

x=5–y ⇒ x=5-1 ⇒x=4

Desta forma obtém-se que a solução para o sistema de equações é o par ordenado (4,1),

ou seja S = {(4,1)}

- MÉTODO DA SOMA (OU ADIÇÃO)

 Consiste em somar membro a membro as equações de modo a anular uma das

incógnitas.

x + y = 8
Exemplo 2: Resolver o sistema:  pelo método da adição.
x − y = 6

Para resolvê-lo vamos adicionar membro a membro as equações:

x + y = 8
 ↓ Soma
x − y = 6

2x = 14 ⇒ x=7

Substituindo x por 7 na equação x + y = 8 (também poderia ser na outra), temos:

X+y=8 ⇒ 7+y=8 ⇒ y=8–7 ⇒ y=1

Desta forma obtém-se que a solução para o sistema de equações é o par ordenado (7,1),

ou seja S = {(7,1)}

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 39


2 x + 5 y = −1
Exemplo 3: Resolver o sistema:  pelo método da adição.
2 x + 3 y = 1

Note que para resolvê-lo não basta simplesmente adicionar membro a membro as

equações, pois neste caso nenhuma delas será eliminada. Desta forma antes de somar

devemos multiplicar qualquer uma das equações por uma constante conveniente. Vamos

escolher a primeira equação e a constante será -1, desta forma eliminaremos a

incógnita x.
( −1 )
2 x + 5 y = −1  − 2 x − 5 y = 1
 ⇒  ↓ Soma
2 x + 3 y = 1 2 x + 3 y = 1

-2y = 2 ⇒ y = -1

Substituindo y por -1 na equação 2x + 5y = -1 (também poderia ser na outra), temos:

2x + 5y = -1 ⇒ 2x + 5(-1) = -1 ⇒ 2x - 5 = -1 ⇒ 2x = -1 + 5 ⇒ 2x = 4 ⇒ x = 2

Desta forma obtém-se que a solução para o sistema de equações é o par ordenado (2,-

1), ou seja S = {(2,-1)}

2 x + 5 y = −4
Exemplo 4: Resolver o sistema:  pelo método da adição.
3 x + 4 y = 1

Para poder aplicar o método da adição devemos, neste caso, multiplicar a primeira

equação por -3 e a segunda por 2.

 2 x + 5 y = −4 − 6 x − 15 y = 12
 ⇒  ↓ Soma
3 x + 4 y = 1 6 x + 8 y = 2

-7y = 14 ⇒ y = -2

Substituindo y por -2 na equação 2x + 5y = -4 (também poderia ser na outra), temos:

2x + 5y = -4 ⇒ 2x + 5(-2) = -4 ⇒ 2x - 10 = -4 ⇒ 2x = -4 + 10 ⇒ 2x = 6 ⇒ x = 3

Desta forma obtém-se que a solução para o sistema de equações é o par ordenado (3,-

2), ou seja S = {(3,-2)}

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 40


- MÉTODO DA COMPARAÇÃO

 Consiste em igualar as expressões do valor de uma mesma incógnita, obtidas em

ambas as equações.

x + 3 y = 8
Exemplo 5: Resolver o sistema:  pelo método da comparação.
2 x − 5 y = 5

Para resolvê-lo vamos isolar a incógnita x em ambas as equações:

x = 8 − 3 y ( I )
x + 3 y = 8 
 ⇒  5 + 5y Igualando os valores de x obtido em (I) e (II), temos:
 2 x − 5 y = 5  x = ( II )
2
5 + 5y
8 − 3y = ⇒ 16 − 6 y = 5 + 5 y ⇒ − 11 y = −11 ⇒ y = 1
2

O valor de y = 1 pode ser substituído em qualquer uma das expressões (I) ou (II). Assim

podemos obter:

(I) X = 8 – 3y ⇒ x = 8 - 3(1) ⇒ x=8-3 ⇒ x=5

Desta forma obtém-se que a solução para o sistema de equações é o par ordenado (5,1),

ou seja S = {(5,1)}

EQUAÇÕES E SISTEMAS DE EQUAÇÕES DE SEGUNDO GRAU

EQUAÇÕES DE SEGUNDO GRAU

RELEMBRANDO...

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 41


 Uma equação do segundo grau é uma equação do tipo:

ax² + bx + c = 0

onde, a, b e c ∈ .

 Para resolver uma equação de segundo grau completa devemos usar a fórmula de

Bhaskara, a saber:

−b± ∆
x= onde ∆ = b 2 − 4 ac
2a

 Uma equação de segundo grau sempre terá duas raízes que serão:

o Duas raízes reais e diferentes se ∆ > 0.

o Duas raízes reais e iguais se ∆ = 0

o Duas raízes não reais se ∆ < 0.

Exemplo 1: Equação incompleta faltando o termo em b: 3x² - 12 = 0.

Neste caso a = 3 e c = -12. Desta forma isolamos o valor de x:

3x² - 12 = 0 ⇒ 3x² = 12 ⇒ x² = 12/3 ⇒ x² = 4

⇒ x = ± 4 = ±2 ⇒ Desta forma as raízes da equação são x = +2 e x = -2.

Exemplo 2: Equação incompleta faltando o termo em c: 3x² - 9x = 0.

Neste caso a = 3 e b = -9. Desta forma colocamos em evidência 3x:

3x² - 9x = 0 ⇒ 3x( x – 3) = 0 ⇒ Assim temos:

3 x = 0 ⇒ x = 0

ou
x − 3 = 0 ⇒ x = 3

Desta forma as raízes da equação são x = 0 e x = 3.

Exemplo 3: Equação completa: x² - 6x + 9= 0.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 42


Neste caso a = 1, b = - 6 e c = 9. Desta forma devemos utilizar a fórmula de Bhaskara:

∆ = b 2 − 4 ac = ( −6 )² − 4( 1 )( 9 ) = 36 − 36 = 0
Desta forma, como Ä = 0, as duas raízes são reais e iguais.
− b ± ∆ -(-6 ) ± 0 6 ±0
Assim x= = = =3
2a 2( 1 ) 2

No nosso caso as raízes são x = 3.

SISTEMAS DE EQUAÇÕES DE SEGUNDO GRAU

 Um sistema de equações de segundo grau pode envolver uma equação de primeiro

grau com duas variáveis e uma de segundo grau com duas variáveis, ou ainda, duas

equações de segundo grau.

 Para resolver o primeiro tipo de sistema devemos isolar uma das variáveis na

equação de primeiro grau e substituir na de segundo.

Exemplo 4: Vamos resolver o sistema:

 x + y = 38

 x + 2 = ( y + 2 )²

Isolamos x na primeira equação e obtemos x = 38 – y. Agora substituímos a expressão

encontrada para x na segunda equação: x + 2 = (y + 2)² ⇒ (38 - y) + 2 = (y + 2)² ⇒

38 – y + 2 = y² + 4y + 4 ⇒ -y² - y – 4y + 38 + 2 – 4 = 0 ⇒ -y² -5y +36 = 0 ⇒

y = 4
Resolvendo a equação de segundo grau em y temos;  ⇒ Agora substituindo os
 y = −9

dois valores encontrados para y na expressão de x, encontraremos os pares que

 y = 4 ⇒ x = 38 − 4 = 34
resolvem o sistema de equações: x = 38 − y ⇒ 
 y = −9 ⇒ x = 38 − ( −9 ) = 38 + 9 = 47

Assim o conjunto solução é: S = {(34,4), (47,-9)}

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 43


 Para resolver o segundo tipo de sistema devemos usar o método da soma.

Exemplo 5: Vamos resolver o sistema:

2 x² + 3 y² = 14 2 x² + 3 y² = 14
 ⇒ ⇒ 17 x² = 17 ⇒ x² = 1 ⇒ x = 1
5 x² − y² = 1 15 x² − 3 y² = 3  ⇒ Agora substituindo
 x = −1
17x² = 17

os dois valores encontrados para x na equação 2x² + 3y² = 14, encontraremos os pares

que resolvem o sistema de equações:

Para x = 1 Para x = -1
2 x² + 3 y² = 14 2 x² + 3 y² = 14
2( 1 )² + y² = 14 2( −1 )² + y² = 14
3 y² = 14 − 2 3 y² = 14 − 2
3 y² = 12 3 y² = 12
y² = 4 y² = 4
y = ±2 y = ±2

Assim o conjunto solução é: S = {(1,2),(1,-2), (-1,2),(-1,-2)}

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 44


TEOREMA DE PITÁGORAS

 Um triângulo que possui um ângulo reto (90°) é denominado um triângulo retângulo.

 O lado do triângulo retângulo que se opõe ao ângulo de 90° é chamado de

hipotenusa. Os outros lados (os lados que formam o ângulo reto) são chamados de

catetos.

 Em todo triângulo retângulo o quadrado da medida da hipotenusa é igual à soma

dos quadrados das medidas dos catetos.

TEOREMA
DE
PITÁGORAS

 A expressão utilizada para representar matematicamente o Teorema de Pitágoras

é a² = b² + c², onde b e c representam os catetos e, a representa a hipotenusa.

Exemplo 1: Calcule o comprimento x de uma escada que está apoiada em uma parede a

4,8m do chão e cuja distância de seu pé até a parede de 3,6m.

Utilizando a relação do Teorema de Pitágoras,

temos que a hipotenusa é xm, e os catetos

valem b = 4,8m e c = 3,6m. Desta forma

4,8m colocando os valores na expressão, temos:


x
X² = 4,8² + 3,6² = 23,04 + 12,96

X² = 36 ⇒ X = ± 36 = ±6

Como x é o comprimento de uma escada, deve


3,6m
ser então um valor positivo. Portanto, o

comprimento da escada é de 6m.

MATEMÁTICA FUNDAMENTAL TEORIA GISELLE SPINDLER 45