Você está na página 1de 3

Meditação na letra Aleph

O Aleph pode ser usado para alguém se encher com a energia de Deus, para que a
Ru’ach de Deus se torne a minha Ru’ach. Por outras palavras, meditando na letra aleph,
eu posso identificar-me com a Ru’ach de Deus e estar num estado excelente para
transmitir a cura, posso-me tornar um canal da respiração curadora de Deus.
Etapas da Meditação
1. Feita no quarto, sentar-me numa cadeira, com as plantas dos pés firmemente
assentes no chão.
2. Respiração nasal lenta com os olhos fechados.
3. Olhar para a letra aleph, ver que é feita de um vav vertical e de um yod superior
e um yod inferior.
4. Estudar a letra e visualizá-la, visualizar o vav em branco com um brilho púrpura
à volta, visualizar os dois yods em branco com um brilho verde há volta.
5. O aleph ensina-nos que temos no interior da nossa alma um lado superior e
divino (Nefesh Elohit) e uma realidade inferior (Nefesh Behamit).
6. Visualizando o aleph, foco-me na energia divina que pulsa em nefesh elohit, a
realidade superior. Fecho os olhos e respiro profundamente pelo nariz esta
energia. Sinto esta energia a pulsar por todo o meu corpo e há medida que vou
respirando para fora, imagino esta energia a fluir em cada órgão e membro do
meu corpo.
7. Agora foco-me no yod inferior, vendo a energia que pulsa de nefesh behamit, a
realidade interior, fecho os olhos e inspiro devagar esta energia sinto a sua
pulsação no meu corpo. Ao expirar imagino esta energia a fluir pelo meu corpo.
8. Com os olhos fechados há medida que respiro, sinto o fluir da energia da minha
alma por todo o meu corpo. A minha energia da alma é a minha energia humana
e divina a fluírem juntas em harmonia pelo corpo.
9. Continuar de olhos fechados e visualizar o aleph dentro de mim no meu plexo
solar, ver o vav branco envolto em púrpura e os yods brancos envoltos em verde.
Este aleph divino é a presença de Deus no nosso interior, permitindo divindade e
humanidade em harmonia ao mesmo tempo.
10. Quando estou equilibrado assimilo a cura e também crio em mim as realidades
necessárias para curar os outros.

II Meditação Aleph
1. Passos 1-4 da primeira meditação.
2. Olhar de perto para a letra aleph, fechar os olhos e imaginá-la gigante do tamanho
da parede do meu quarto. Vejo-a em duas cores: púrpura e verde, as cores do anjo
da Cura Rafael. O vav diagonal é púrpura, os dois yods são verdes.
3. Reter esta imagem na mente por muito tempo.
4. Focar a mente no yod inferior, recebo-o como se fosse o meu mundo físico. Entre
nele, não tenho medo, é repleto de energia verde, recebo esta energia há medida
que estou nela. Esta é a energia de nefesh behamit, realidade inferior – o nosso
mundo, o nosso universo físico, a terra verde e os mares e o céu, todas as estrelas
e planetas.
5. Há medida que recebo esta energia, sei que há mundos espirituais correspondentes
ao nosso mundo físico. O mundo dos anjos e das almas, os mundos de yetziráh e
briáh. Recebo a energia destes mundos na minha alma. Talvez possa ver aqui o
arcanjo Rafael da cura com as suas asas verdes e púrpura. Permaneço no mundo
inferior a receber as vibrações.
6. Visualizamos agora o vav que separa os mundos inferiores e o mundo de Deus.
Isto é como se fosse um véu que separa a nossa consciência da consciência de
Deus. recebo a sua energia, visualizamos energia púrpura, esta energia
harmonizadora balança as energias dos mundos inferiores com as energias dos
mundos superiores.
7. Agora ascendo até ao yod superior, a realidade superior, visualizo-a como verde
e recebo a sua energia. Esta é a energia da nefesh elohit, o mundo celestial de
Deus, o mundo de Atzilut. Dissolvo o meu “eu” no Grande “eu sou” – contemplar
Deus e sentir a sua presença. Recebendo no meu corpo por meio da respiração e
da imaginação a energia do mundo superior de atzilut, o mundo da consciência
divina.
8. Desço agora para vav e recebo a energia cor púrpura, depois desço para yod e
visualizo a energia cor verde.
9. Visualizo novamente todo o aleph, meditando no seu vav púrpura e nos seus yods
verdes. Expressa a unidade divina e a sua harmonia no meu interior.
“Quando Deus soprou o seu sopro em nós, nós tornamo-nos divinos e humanos em
simultâneo”.
Deus está em toda a parte, Deus é a respiração viva que preenche o universo. Para curar
tenho que fazer exercícios espirituais todas as manhãs para me encher com a energia do
sopro de Deus todas as manhãs.
É necessário a Ru’ach para realizar a cura, é preciso identificar o meu sopro com o sopro
de Deus. Preciso de me tornar um com Deus na medida em que sinto a presença de Deus
a surgir através do meu sangue.