Você está na página 1de 8

de Figueir a

GUEIRA
FI
4 o trimestre de 2010
Ano 8 • Número 22
Circ ulaç ão gra t ui ta
23 anos

Terras da
I rmandade
A busca de uma
nova consciência

Encartes: Pensamentos do trimestre


Calendário 2o semestre
UEIRA
FIG

EDITORIAL

23 anos

E sta edição nos conduz para um contato mais


próximo com Figueira, na perspectiva de ser a
manifestação física de Mirna Jad. Somos convidados
a conhecer um pouco mais de suas áreas e a refletir
sobre o que representa coligar-se com esse Centro
Planetário, algo cujo alcance normalmente escapa à
nossa compreensão. Pág. 3 Perguntas a Trigueirinho
Na página 3, Trigueirinho procura ampliar as for-
mas de situar-nos diante dessa reflexão, lembrando,
logo de inicio, que estar em Mirna Jad pode repre- Pág. 4 Artigo:
sentar um portal para a existência supra-humana.
Como portal e como núcleo de irradiação da energia Terras da Irmandade –
vinda de planos superiores, estabelece uma ponte A busca de uma
entre a vida planetária e a consciência universal. nova consciência
Mesmo no que se refere a sua contraparte física, há
muito a ser revelado. Conhecemos pouco do que
ocorre nas áreas e setores de Figueira. Ampliações
de tarefas, desenvolvimento de setores, recuperação
das matas, reformas e novas construções, para citar
alguns exemplos, nem sempre são do conhecimento
dos colaboradores que frequentam esse centro espi-
ritual. Muitas vezes, passamos longos períodos sem
visitar uma área específica e ao reencontrá-la somos
surpreendidos com o que percebemos: o ambiente
renovado, colaboradores recém-chegados, novos
impulsos... Pág. 6 Meditação:
Nesta e nas próximas edições dos Sinais de Figueira, A Ciência do Amor
tentaremos sanar um pouco dessa lacuna, trazendo
atualizações sobre as áreas e refletindo sobre suas
características mais internas. Iniciamos com as Ter- Pág. 7 Meditação:
ras da Irmandade, que vêm se transformando signi-
ficativamente com os últimos impulsos recebidos. Na Caridade
A seção Meditação oferece-nos dois textos muito li-
gados entre si: a ciência do amor e a caridade, temas
elevados e de vivência fundamental nestes tempos. Pág. 8 Contatos de Figueira
O primeiro inspirado pela energia da constelação de
Cisne e o segundo, por Teresa de Calcutá. O encarte
com Pensamentos diários para o quarto trimestre
contém reflexões de Helena Roerich adaptados de
Fundamentos do Budismo.
Boa leitura,

IRDIN
EDITORA

Sinais de Figueir a No 22 o u t u b r o A d E z E M BRO d e 2 0 1 0 


UEIRA
FIG
PERGUNTAS A
TRIGUEIRINHO

23 anos

O que significa estar em Mirna Jad? dispor-se a viver também em corpo de luz, o veí-
Estar em Mirna Jad pode não significar en- culo que pode estar ativo em nosso nível espiritual
contrar-se lá consciente ou fisicamente. Para nós, – quando esse nível já se tornou campo de serviço
pode representar o portal para a existência supra- para o trabalho da mônada.
humana, e estarmos passando pelas primeiras Estar em Mirna Jad significa estar vivendo
experiências na vibração da vida em nível divino. uma linha superior de evolução, portanto, estar
Nesse caso, nós, como consciências monádicas, em contato com outros Centros Planetários cujas
estaremos vivendo em Mirna Jad. energias Mirna Jad sintetiza. Os seres humanos
Essa experiência de estar em Mirna Jad é para os que já exprimem padrões de conduta elevados irão
que já se acercam da consciência da mônada e que, naturalmente participando dessas experiências,
portanto, não oferecem resistência para transcen- até que possam se sentir estáveis nessa civilização
derem o grau evolutivo que já alcançaram. É para suprafísica que faz a ponte entre o planeta Terra e
os que não temem ir além da consciência comum a consciência universal.
da humanidade.
No livro “Mirna Jad, Santuário Interior”, Trigueirinho
Estar em Mirna Jad significa ter passado por transcreve esta mensagem: “A verdade não pode exprimir-se
uma profunda cura interior, ter os próprios corpos em meias medidas. Haveis de estar totalmente dispostos à
sutis já harmonizados e preparados para traslados transformação, pois de outra maneira não é possível que as
a outras dimensões, mais sutis que esta terceira na diversas dimensões se interpenetrem”.
qual vivem os homens da superfície. Como civili-
zação intraterrena, Mirna Jad está sob vibrações
solares e cósmicas, que a vida de superfície não
poderia suportar.
Mirna Jad, ao trazer equilíbrio a indivíduos e gru-
pos, leva-os a experienciarem Amor de uma quali-
Trigueirinho é filósofo espiritualista, autor de
dade desconhecida para a humanidade em geral. 77 livros e de mais de 1.600 palestras gra-
vadas ao vivo. É coordenador do Conselho de
Para estar em Mirna Jad é preciso ter renun- Figueira e membro do Conselho de Guiança
ciado às expectativas e às tendências humanas e Permanente da Ordem Graça Misericórdia.

Lançamento
em inglês

Signs of Blavatsky
An unusual encounter for the present time
José Trigueirinho Netto
Irdin Editora

Disponível para download gratuito em:


www.irdin.org.br

Sinais de Figueir a No 22 o u t u b r o A d E z E M BRO d e 2 0 1 0 


UEIRA
FIG

ARTIGO

23 anos

Terras da Irmandade
A busca de uma nova
consciência

A o ingressarmos nas Terras


da Irmandade, uma pri-
meira impressão que temos é a
pleno acordo com a Lei da Econo-
mia, com a integração dos reinos
e o resgate de nossa relação com a
de um contato com o inusitado, consciência indígena, naturalmen-
algo que não conseguimos preci- te inclusiva e agregadora. O segun-
sar e que remete ao novo, ao que do é o caminho para se desligar
ainda está por vir. De um ponto do passado, liberar recordações e
de vista mais mental, a pergunta abrir espaço para o novo. Ambos
que surge é: mas afinal, por que a os aspectos atuam de forma inte-
área se denomina “Terras da Ir- grada, sem que possamos perceber
mandade”? Seria um espaço des- até onde vai um e onde começa o
tinado à fraternidade, a uma vida outro. São partes de uma mesma
de colaboração harmoniosa entre unidade, que nossa condição hu-
irmãos? Sim e não, ou melhor, mana leva a separar, com o intuito
mais do que isso. de poder compreendê-las.
Já nos foi dito que essas Terras Quando vemos tecnologias al-
representam o local da consciên- ternativas sendo aplicadas para
cia de Figueira, onde a vida deve respeitar o ambiente e promover
transcorrer em função da Irman- a integração dos reinos da Natu-
dade Branca, como um núcleo reza, presenciamos a austeridade
para se estar em permanente con- nortear as inter-relações e ga-
tato com a Hierarquia Planetária. rantir as bases do equilíbrio. Da
E por ser semente desse propósi- mesma forma, quando os meios
to, devemos projetar toda a nossa para a Cura são entendidos e tra-
intenção e deixá-la frutificar. balhados com base nas indica-
O Ensinamento anuncia que o ções da Hierarquia, percebemos
emergir de uma nova vida depen- que o passado é deixado para trás
de da estimulação das almas e da e que eles preparam as condições
união com os reinos da Natureza necessárias ao estabelecimento
e com o dévico, tão presente na- dos futuros padrões de conduta.
quela área. Instrui também que
para a semente germinar é ne- Harmonia ambiental
cessário uma vida simples, que
concentre a energia no desenvol- Nas Terras da Irmandade já po-
vimento de padrões favoráveis à demos observar o uso econômico
reconstrução do planeta. e harmonioso de alguns elemen-
tos necessários à vida:
Dois aspectos são fundamentais
para as bases desse novo modo de Utilização consciente da água,
vida: harmonia ambiental e ener- captada de fontes naturais e
gia de Cura. O primeiro está em 

Sinais de Figueir a No 22 o u t u b r o A d E z E M BRO d e 2 0 1 0 


UEIRA
FIG

ARTIGO

23 anos

conduzidas aos reservatórios realizado em meio à mata nativa


por rodas d’água – mecanis- – tudo remete a uma sabedo-
mos que usam os próprios mo- ria que pode vir à luz plasmada
vimentos dos rios como força pelo trabalho dos devas e pela
motriz, sem qualquer impacto consciência indígena presentes
ambiental. naquele espaço.
O sol, como fonte energéti-
ca para inúmeras aplicações: Semeadura e renovação
aquecimento da água, funcio-
É como campo para expres-
namento de equipamentos bá-
são do novo que essas Ter-
sicos de comunicação, ilumina-
ção de ambientes, e cozimento ras expandem sua aura para
de alimentos. acolher também as crianças
que se aproximam de Figuei-
Agricultura orgânica. ra. Seja em relação direta com
Tratamento natural dos resí- os irmãos menores dos reinos
duos, reintegrando-os ao am- mineral, vegetal e animal, ou
biente. acompanhando os adultos em
As áreas externas guardam tarefas práticas, os seres jovens
energias e cenários que nos re- As ocas parecem encontram ali condições para
metem ao incomum. O cami- se desenvolverem em bases di-
nho que integra os doze iglus abrir as portas para ferentes das observadas na vida
comum. Não apenas as crian-
desperta em nosso consciente
estruturas ligadas a cidades do
um contato mais ças, mas todos, de modo geral,
futuro, em que as linhas geomé-
tricas das construções dialogam
próximo com a encontram naquele convívio a
energia propícia à renovação, ao
naturalmente com a Natureza consciência indígena, caminho para se transformar.
que as acolhe. As ocas, que serão
Por ser uma das áreas mais re-
destinadas a múltiplas ativida- que mantém centes de Figueira, no que diz
des, parecem abrir as portas que
levam a um contato mais próxi- muitas chaves do respeito à manifestação no
plano físico, as Terras da Ir-
mo com a consciência indígena,
que mantém muitas chaves do conhecimento e mandade guardam revelações
conhecimento e da sabedoria. e impulsos de grande auxílio
da sabedoria para a preparação do futuro
que se anuncia. Claro, cabe-nos
Energia de cura
limitam a ação harmoniosa dos vê-las em conjunto com todas
Para quem chega às Terras da corpos materiais: o físico-etéri- as demais áreas e setores que
Irmandade, a energia de cura co, o astral e o mental. formam este Centro Espiritu-
começa a se manifestar no aco- al, buscando manter a atitude
lhimento. Na vivência diária, O silêncio, a oração, a energia te-
correta ao nos aproximar dessa
práticas e procedimentos nos lúrica, o convívio com os reinos
realidade: a de abertura para o
impulsionam para o Alto, como e a marcante presença dévica
novo e de desapego às velhas
a observação do céu – uma pro- são determinantes nesse proces-
estruturas.
posta de aproximação entre so de cura. O cerimonial obser-
ciência e espiritualidade – e a vado na Praxis revela parte da Enfim, já nos perguntaram:
Praxis Vertebralis, terapêutica sutilização que permeia todos “Como é a vida nas Terras da
sutil que trabalha a coluna ver- os trabalhos: a acolhida do ser, Irmandade?” Também já nos foi
tebral, alinhando o ser e libe- os cuidados prévios, a prepara- respondido: “Não sabemos. É
rando energias bloqueadas que ção do ambiente, o atendimento preciso viver lá para saber.” n

Sinais de Figueir a No 22 o u t u b r o A d E z E M BRO d e 2 0 1 0 


UEIRA
FIG

MEDITAÇÃO

23 anos

A Ciência do Amor

O Amor traz consigo Por que vos defendeis de vossos irmãos?


a Divina Perfeição. Por que vos limitais com vossos
O Amor arrebata. pensamentos que recaem sobre esses
O Amor resgata. mesmos irmãos como flechas que ferem e
sangram?
O Amor liberta.
O que vos impede de trazer para vosso
O Amor unifica. coração aquilo que é diferente, escuro ou
O Amor gera Alegria. claro, belo ou feio?
O Amor ama. O Amor que une as polaridades a Serviço
do Plano preparam o Amor da Nova Terra.
O Amor é simples.
O Amor assim é sutil, invisível , não é
O Amor é livre.
material, mas é Real como o Pai e a Mãe
O Amor é Mãe, é Pai, é Irmão. são Reais na vida do Cosmos.
O Amor é Paz. O Amor é canal reabilitante, redentor.
O Amor é a Caridade que vem do O Amor é arrebatador, é loucura santa.
seio do Pai Criador.
É loucura porque ama sem limites e sem escolhas.
O Amor é essência da
É santo porque é pureza, verdade, luz.
Vida Cósmica.
Gera vida trazendo do Universo Cósmico novos seres
O Amor é a única solução
que serão a continuidade da essência da Vida Única.
para todos vós.
Desta espécie de Amor é gerada a vida de todos os
O Amor é a forma de libertar-vos da hipocrisia,
Reinos.
da mentira, da falsa espiritualidade, das omissões,
dos obstáculos à evolução. Este Amor salta do âmago da Vida Única e torna
possível aos filhos de Pai e Mãe Criadores a
O Amor é a Essência do Coração de Deus.
expressão da sua pureza original.
Sem ele, tudo é escuro, tenebroso, nebuloso, sem saída.
O Amor é Comunhão.
Na ciência do Amor, as células iluminam-se e
O Amor é Fusão.
liberam crenças e passos em falso, metas errantes.
O Amor é União.
O passado é desacorrentado de suas prisões
limitadoras. O Amor é Paz.
Por que não amar? O Amor é Vida.
Por que não ser o verdadeiro Amor? O Amor é a branca e pura essência do Ser.
Por que não ser a verdade que o ser clama por O Amor atravessa e preenche com sua luz
expressar? libertadora, a escuridão mais escura, o abismo mais
profundo, o inferno mais escaldante.
Por que se esconder atrás de uma falsa
espiritualidade para evitar aquilo que tememos, o O Amor reveste de Paz o paradigma dos conflitos e
desconhecido? das guerras.
Temeis o Amor, temeis a Verdade, evitais entrar em
contato direto com o brilho de vossa essência solar?
Um Ser da constelação de Cisne

Sinais de Figueir a No 22 o u t u b r o A d E z E M BRO d e 2 0 1 0 


UEIRA
FIG

MEDITAÇÃO

23 anos

Na Caridade

Aquele que está no ioga da caridade vê o Cristo acender-se no


âmago do sofrimento.
Aquele que vive pelo ioga da caridade é atraído pela necessidade, assim
como as aves são atraídas para o céu.
Aquele que sustenta o ioga da caridade transforma os fardos com a leveza
do amor impessoal.
Aquele que transcende pela caridade vê em todo sofrimento uma manifestação
da Lei em expansão.
Aquele que ama a caridade não recua diante do inesperado, pois sabe que
Cristo o espera além do véu.
Aquele que ascende pela caridade usa como degrau o sacrifício de si
diante da necessidade do outro.
Aquele que Me espera pela caridade Me encontra no serviço
aos necessitados.
Aquele que Me aguarda em caridade Me encontrará no
vestíbulo dos mais pobres.
Aqueles que se unem pela caridade têm no Bem-comum o seu
tesouro.
Aquele que desperta pela caridade será como um recém-nascido
despido de ilusões humanas.
Aquele que Me ama e vê em Mim a caridade amplia sua visão até
ser levado a vislumbrar a Luz do Novo Horizonte.
Aquele que escuta com caridade reconhece a Lei por detrás dos discursos.
Aquele que foi tocado pelo sopro da caridade será impulsionado por Mim como um barco a um
porto seguro.
Aquele que sente pela caridade assume em si Meu Coração e aí descobre uma fonte de Misericórdia.
Se em caridade viveres, viverás em Mim.
Se em caridade buscares, encontrarás em Mim.
Se em caridade despertares, Serei um farol em teu caminho.
Se em caridade servires, reconhecerás Minha Luz brilhando no centro dos corações aflitos.
Se em paz Me seguires, Meus passos se tornarão teu caminho.
Piedade, piedade, piedade.

Teresa de Calcutá

Sinais de Figueir a No 22 o u t u b r o A d E z E M BRO d e 2 0 1 0 


UEIRA
FIG
C O N TAT O S
DE FIGUEIRA

23 anos

Centro Espiritual que presta serviços informalmente.


Suas atividades são realizadas por voluntários e mantidas por doações espontâneas.
figueir a Para visitar ou se hospedar, contate a Secretaria ou os colaboradores abaixo.
Caixa Postal 29 | Carmo da Cachoeira / MG Brasil | CEP 37225-000
Tel. (35) 3225-3100 (das 6h30 às 20h) | Fax (35) 3225-3128 (a qualquer hora)
E-mail secretaria@fazendafigueira.org.br

NÚCLEOs de Figueira Franca / SP exterior C hile – (DDI 56)


Sílvia Goulart (16) 3702-8186
em Belo Horizonte A lem anha – (DDI 49) Santiago
Guarujá/ SP Sara Muena (2) 9573062 / (9) 8249-3810
Rua As­tolfo Bueno, 20, Céu Azul Francisca Santana (13) 3352-2687 / 9719-4481 Berlim
Belo Horizonte / MG CEP 31545-350 Gabriele Braun (163) 348-0254
Juiz de Fora/ MG E quador – (DDI 593)
Te­l. (31) 3496-1019 Margarida Di Filippo (32) 3213-1215 esferasdeluz@yahoo.com
Te­lefax (31) 3447-2736 Quito / Pichincha
E-mail nucleobh@fazendafigueira.org.br Lavras / MG A ngola – (DDI 244) Yolanda Jaramillo (2) 254-0526
Lenilce Gomide (35) 3821-1673
em São Carlos Londrina/ PR
Luanda E spanha – (DDI 34)
Rua Abrahão João, 1.074 Francisco Keth (2) 92418-6710
Sonia Martins (43) 3338-8074 Barcelona / Barcelona
Jd. Bandeirantes francisketh@yahoo.com.br
São Carlos / SP CEP 13562-150 Nova Friburgo / RJ Concepción Zamora (93) 430-3223 /
Tel. (16) 3307-6790 Denise de Ruiz (22) 2522-8190 A rgentina – (DDI 54) 62974-5785
E-mail nucleosc@fazendafigueira.org.br Piracicaba / SP Buenos Aires
José Luiz Pereira (19) 3433-6191 F r anç a – (DDI 33)
em São Paulo Angelita Bianculli (11) 4831-1648
Porto Alegre / RS Lourdes
Rua Otelo Zeloni, 333, Granja Vianna Isabel Luna (11) 4832-2454
Ísis Borella (51) 3319-1626 / 8414-2823 Liliana Machado (11) 153327-1192 / Antonio Bernall
Carapicuíba / SP CEP 06351-160
Recife / PE (220) 483-1094 antorion33@hotmail.com
Telefax (11) 4169-8118
E-mail nucleosp@fazendafigueira.org.br Lenilza Cabral (81) 3459-4332 Roxana Nogueira (11) 156-710-5860 Marco João Carvalho
Lúcia Pereira Silva (81) 3459-2249 c.f.delapaz@fazendafigueira.org.br
Sânzio Cabral (81) 9133-3930 / Córdoba
outros contatos (83) 3241-6207 Ana Londero (3543) 44-3071 P ar aguai – (DDI 595)
Graciela Suárez (351) 471-0077
B r asil – (DDI 55) Ribeirão Preto / SP Asunción
Alfenas / MG Giselda Barban (16) 3625-5224 / Corrientes Emma Miró Ibars (21) 42-0416
Teresa Brasil (35) 3292-2916 (14) 3622-4719 Mercedes Cardozo (3783) 42-9257 María Epifânia Salinas (21) 67-5406 / 48-0297
Aracaju / SE Rio de Janeiro / RJ Formosa Fernando de la Mora — Central
Maria Luíza de Souza (79) 3044-0099 / Suely Cidade (21) 2426-1187 Mercedes Anchea (3717) 1530-9787 / 43-5733
Vera Beatriz (21) 2537-3001 / 2539-0393 Santa Cardozo de Acosta (21) 52-4254
9944-7528 La Plata
Vera Elian (21) 2502-3373
Atibaia / SP Ema Robledo (221) 424-1682 P eru – (DDI 51)
Salvador / BA
Maria Helena Rolli (11) 4412-4937 Lima
Dinamérica Ribeiro Nogueira (71) 9177-0115 Mar Del Plata
Barra do Garças / MT Maria da Conceição Ferreira (71) 3332-4289 / María Dolores Gutiérrez (223) 451-3462 Rosa Eliana Ferreccio (1) 241-7868 /
Mônica Lobo (66) 3405-1157 9977-0173 99591-2684
Mendoza
Belo Horizonte / MG São Carlos / SP
Aparecida Barquete (Mira) (31) 3496-1019
Fátima Saada (261) 452-4188 P ortugal – (DDI 351)
Lia Mertzig (16) 3307-6790 Iris Mabel Gómez (261) 432-6108
Cibele Caporali (31) 3334-7432 Fernanda Januário (16) 3411-2609 Oeiras
Elizabeth Picorelli (31) 3332-4579 / 9638-0853 São João da Boa Vista / SP Posadas Margarida Pereira (2) 1441-2875 /
Regina Celli Prata (31) 3491-3619 Edson Coelho (19) 3631-8753 Nilda Mendez (3752) 42-7570 (91) 9227297
Renata Falci (31) 3353-7045 / 9633-2238 Sara Inés Gutiérrez (3752) 43-7584
Walma Gomide (31) 3225-4098 / 8798-1938 São José dos Campos / SP S uécia – (DDI 46)
Teresita (Alicia Sánchez) (3752) 45-6916
José Reis Carvalho (12) 3921-3231
Brasília / DF Santa Fe Kungsgarden
Helena Alves (61) 3568-1241 São Paulo / SP
Marina Reinares (342) 460-6125 Susanne Bilski (290) 707-22 88 52
Lúcia Tourino (61) 3272-3541 Camila Pavão (11) 8556-6697
Neyde Barreto (61) 3242-3639 Gizelda Ladeira (11) 3816-6889 / 9981-4973 Viedma U ruguai – (DDI 598)
Iany Moreira (11) 3865-1421 Hernán Pérez Huezó (2920) 1569-9988
Campinas / SP Lúcia Drumond (11) 3722-4448 Montevideo
Adriana Aggio (19) 3258-8900 Mirian Galvão (11) 3864-3285 Alicia Rodriguez (2) 508-8145
A ustr ália – (DDI 61)
Chapada dos Guimarães / MT Yara Fernandez (11) 2673-9889
Sidney / N S W USA – (DDI 1)
Corina Marta Gomes (65) 3301-2799 Três Corações / MG Isabel Portaro (2) 9826-8732
Curitiba / PR Clélia Sarrápio (35) 3231-2344 Ithaca / NY
isabel_portaro@bigpond.com
Lila Hossaka (41) 3233-4902 Uberlândia / MG Alan Berkowitz (Micha-El) (607) 277-1580
Florianópolis / SC Valda de Oliveira (34) 3238-8108 B olívia – (DDI 591) Gran Rockett (607) 279-6385
Levi Flores (48) 9104-8932 / 3245-6323 Viçosa / MG Santa Cruz de la Sierra Tahlequah / OK
Regina Santos (48) 3234-2808 Zenilda Vieira (31) 3891-8201 Margarita de Ishu (3) 333-5000 John David Cutrell (918) 431-0260
Formiga / MG Vinhedo/ SP
Julianne Caetano (37) 3322-4434 / 9985-2796 Cecilia Grellet (19) 3856-8169 C anadá V enezuel a – (DDI 58)
Fortaleza / CE Vitória / ES Victoria, BC Caracas
Ângela Magalhães (85) 3265-1823 Léa Penedo (27) 3345-0528 Ivana Cavallo: ivana.cavallo@gmail.com Nancy Rodriguez (212) 257-5730

de Figueira Associação
Irdin Editora
Jornalista responsável: Ana Maria Freitas MTb 15.670-SP
Versão digital disponível no site www.irdin.org.br CNPJ 07.449.047/0001-86
www.irdin.org.br
A Irdin Editora não tem fins lucrativos. Para colaborar com seus info@irdin.org.br
projetos de difusão, doações podem ser feitas por depósito bancário:
Telefone:
Associação Irdin Editora (35) 3225-2616
Bradesco (ou Banco Postal, nos Correios) | Agência 1487-7 | C/C 680.680-5

Sinais de Figueir a No 22 o u t u b r o A d E z E M BRO d e 2 0 1 0