Você está na página 1de 10

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO

TER – MT – TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL


EJE – ESCOLA JUDICIÁRIA ELEITORAL
SEDUC – SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
ESCOLA ESTADUAL LEOVEGILDO DE MELO
PROGRAMA VOTO CONSCIENTE

PROJETO PEDAGÓGICO:
PROGRAMA VOTO CONSCIENTE

CUIABÁ,
2019
SUMÁRIO

1 IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA............................................................................... p. 2
2 BENEFICIÁRIOS....................................................................................................... p. 2
3 ANÁLISE DO CONTEXTO...................................................................................... p. 2
4 OBJETIVOS............................................................................................................... p. 4
5 JUSTIFICATIVA........................................................................................................ p. 4
6 METODOLOGIA....................................................................................................... p. 5
7 CRONOGRAMA E ATIVIDADES........................................................................... p. 8
8 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS........................................................................ p. 9
1 IDENTIFICAÇÃO

 Nome: Escola Estadual Leovegildo de Melo.


 Endereço: rua 25, esquina com a rua 29, quadra 42, S/N, Bairro CPA III, Setor I. Cuiabá-
MT.
 Telefone: 3646-5843.
 E-mail: cba.ee.leovegildo.melo@educacao.mt.gov.br
 Modalidades: Ensino Fundamental – ciclo I (4º e 5º ano) e ciclo II (do 6º ao 9º ano) – e o
Ensino Médio.
 Equipe Gestora:
 Olício Dias Moreira Filho – diretor escolar.
 Gabriel da Silva Pereira – coordenador pedagógico responsável pelo Programa Voto
Consciente, na escola.
 Geliane Almeida Rosa – coordenadora pedagógica.
 Maristela Cordeiro – coordenadora pedagógica.
 Sandra Rosa da Silva – secretária escolar.
 Número de Professores:
 Número de Funcionários:
 Número de Alunos: 1462 estudantes, distribuídos entre os turnos matutino (509 alunos),
vespertino (487 alunos) e noturno (466 alunos).

2 BENEFICIÁRIOS

 Diretos: aproximadamente 370 alunos do Ensino Médio.


 Indiretos: 1462 estudantes, distribuídos entre os turnos matutino, vespertino e noturno.

3 ANÁLISE DO CONTEXTO

A Escola Estadual Leovegildo de Melo foi criada em 02 de maio de 19351, em


homenagem ao educador homônimo paulista2, que se estabeleceu em Cuiabá, com o intuito de

1
Conforme atesta o Decreto Estadual nº. 441, de 02 de maio de 1935.
2
Segundo dados da Gazeta Oficial do Estado de Mato Grosso, Leovegildo de Melo nasceu em Itararé-SP, em 27
de julho de 1889, e faleceu em Cuiabá, em 04 de agosto de 1922. Foi professor normalista e fundou o primeiro
2
desenvolver um importante trabalho na área educacional. Desde 1984, está localizada em um
edifício público, que se situa em uma região de periferia, atendendo diariamente estudantes
oriundos de 42 bairros próximos, na região da Morada da Serra (TESSELE DUTRA, 2013, p.
15).
Tal região, segundo o escritor Alinor Assumpção da Silva, era “desacreditada e
habitada por descendentes de escravos” e que teve um vertiginoso desenvolvimento por meio
da visão estratégica do Governo João Fragelli, quando houve a aprovação dos primeiros
projetos para a construção de casas da extinta Cohab3. Conforme relato do promotor
Alexandre de Matos Guedes, a escolha do nome “Morada da Serra” se deu através de votação
histórica, em 1982, em um período em que se encaminhava a redemocratização, no Brasil4.
Atualmente, a unidade escolar atende 1462 estudantes, distribuídos entre os turnos
matutino (509 alunos), vespertino (487 alunos) e noturno (466 alunos)5.
Do ponto de vista familiar, social, econômico e cultural, parte considerável dos
estudantes vive em situação bastante precária, o que acarreta em desafios para o processo de
ensino-aprendizagem. Nesse sentido, as famílias que possuem algum membro empregado
(formal ou informalmente) dedicam boa parte da renda ao pagamento dos aluguéis de suas
moradias. Devido a isso, parcela dos estudantes se inserem no mercado de trabalho, a fim de
auxiliarem na economia doméstica. Alguns moram “de favor”, em imóveis que foram
emprestados as suas famílias. É comum a moradia em regiões em que se nota a ausência de
serviços estatais básicos como, por exemplo, iluminação pública, rede de esgoto, segurança,
saúde, transporte público de qualidade e lazer. O desemprego afeta 40% dos pais e 70% das
mães. Desse modo, muitas famílias necessitam de auxílios governamentais, como o Bolsa
Família. Muitos estudantes são criados por pais separados, ou pai ou mãe solteiros, ou por
avós, ou tios6.

grupo escolar da cidade e, depois, a Escola Normal de Cuiabá, onde foi diretor. Tornou-se o primeiro ocupante
da Academia Mato-grossense de Letras.
3
Cf.: Livro Conta história da “Grande Morada da Serra”. In: https://www.al.mt.gov.br/midia/texto/livro-
conta-historia-da-grande-morada-da-serra/visualizar.
4
Cf.: Detalhe da História. In: http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=442336&noticia=detalhe-
da-historia.
5
Conforme dados coletados na secretaria escolar. Fonte Sigeduca 2019.
6
Marco Situacional, Diagnóstico de Realidade Escolar, do Projeto Político Pedagógico da E. E. Leovegildo de
Melo, biênio 2017-2018.

3
4 OBJETIVOS

4.1 GERAL

Desenvolver, por meio da adoção de boas práticas políticas, ações de valorização


da educação, ética, cidadania, respeito e tolerância às diversidades, defesa do direito à vida e à
saúde e ao meio ambiente.

4.2 ESPECÍFICOS

 Estimular o protagonismo estudantil.


 Melhorar as práticas pedagógicas e, consequentemente, impactar as aprendizagens dos
estudantes e, assim, contribuir para desenvolvimento da cidadania dos alunos,
funcionários, pais e professores.
 Proporcionar condições para que os Partidos Políticos possam empreender suas
intervenções, dentro da unidade escolar.
 Registrar através de fotos, vídeos e áudios e divulgar por meio de mídias digitais e/ou
físicas a atuação dos Partidos Políticos;
 Estimular a participação da comunidade escolar no Programa Voto Consciente;
 Socializar os resultados obtidos com a implementação do Programa Voto Consciente;
 Prosseguir com intervenções políticas que forem positivas para a construção de um
ambiente escolar positivo, ético e cidadão.

5 JUSTIFICATIVA

A implementação do Programa Voto Consciente na Escola Estadual Leovegildo


de Melo se justifica por promover meios para que a educação seja uma prática social, tendo
como protagonista dessa práxis os estudantes, cujo aprendizado se dá a partir do aprender-
fazer, aprender-ser e aprender-conviver.
O Programa constitui-se, por conseguinte, por um espaço privilegiado de diálogo
e de exercício democrático e participativo, através de intervenções diferenciadas, com o fito
de produzir conhecimento e ações imbuídas de conscientização, ética e cidadania, no
ambiente escolar. É compreender que agir politicamente em nossa sociedade é mais do que

4
votar ou ser votado. O sufrágio universal engloba diversas ações e intervenções populares que
podem modificar o contexto social em que vivemos.
Nesse sentido, ele deve estimular a prática pedagógica, a possibilitar ao aluno o
desenvolvimento do pensamento crítico, da capacidade de comunicação oral e escrita e de
pesquisa, visto que – conforme ensina Verdum, (2013) sobre o papel que compete à escola –
é necessário que abandonemos a ideia de que educar é simplesmente transmitir conhecimento.
Desse modo, o Programa prevê a participação de professores-orientadores, cuja função é
mediar o conhecimento entre os sujeitos participantes. Contudo, para Libâneo (2013), a
transmissão de conteúdos é tarefa fundamental na escola, mas não de conteúdos abstratos,
mas significativos, concretos e, desse modo, indissociáveis das realidades sociais. Sendo a
escola parte integrante do todo social, atuar no espaço dela é ainda atuar na direção da
modificação da sociedade. Assim, ainda segundo o autor, “a condição para que a escola sirva
aos interesses populares é garantir a todos um bom ensino, isto é, a apropriação dos conteúdos
escolares básicos que tenham ressonância na vida dos alunos”. Desse modo, a educação é
"uma atividade mediadora no seio da prática social global".

6 METODOLOGIA

Foram organizados 05 (cinco) partidos, cada um contendo 05 (cinco) estudantes


de diferentes turmas e sendo orientados por 02 (dois) professores. Houve um momento de
sensibilização acerca do projeto, em que o coordenador pedagógico explicou a importância do
mesmo para a comunidade escolar, pois parte de práticas pedagógicas e políticas que visam
estimular o protagonismo estudantil.
Sendo assim, os estudantes e professores-orientadores foram organizados nos
seguintes Partidos Políticos, classificados de acordo com seus temas:

 Coordenador pedagógico responsável pelo Programa, na escola: Gabriel da Silva Pereira.

 80 – Partido da Educação e do Meio Ambiente – PEMA


 Tema: qualidade do ensino, inclusão escolar, vocação profissional do aluno,
valorização dos professores, responsabilidade individual e coletiva com o meio
ambiente, proteção ao Planeta, sustentabilidade, etc.
 Alunos: Julyenne Jhennefer de Almeida Fernandes (1F), Adenilson Pereira Alves

5
Junior (3B), Guilherme Henrick Soares De Amorim (1F), Giovanna Pietra De
Souza (3B), Kevin Francisco Artiaga De Araujo (2A).
 Professores-orientadores: Geliane Almeida Rosa e Juliana Ferreira de Almeida.
 81 – Partido da Ética e Cidadania – PEC
 Tema: participação política, combate à corrupção, responsabilidade social, etc.
 Alunos: Davidson Santos Ortiz (1A), Karinny Leticia Aguiar Silva Pintel (1E),
Luciana do Nascimento Lira (2A), Sérgio Alves de Lima Filho (2A).
 Professores-orientadores: Pedro Moreira dos Santos Neto e Rafael Gonçalves de
Oliveira.

 82 – Partido da Cultura, do Esporte e Lazer – PCEL


 Tema: diversidade cultural, atividades culturais e artísticas dentro e fora da escola,
acesso a atividades esportivas e de lazer, ocupação do tempo livre, etc.
 Alunos: Polianna Patrícia de Jesus Silva (2A), Hadassa Dos Santos Viana (2B),
Geislene Laysa Neres Carvalho (3A), Ivan Junior Tavares Filho (3A), Luanna
Thassiany De Oliveira Souza (1F).
 Professores-orientadores: Wesley de Oliveira Neto e Tânia Maria da Silva.

 83 – Partido do Respeito às Diversidades – PRD


 Tema: racismo, questões de gênero, discriminação, portadores de deficiência,
questão indígena e das minorias, bullying.
 Alunos: Maurianny Lima Morais (1B), Alecio Ezequiel Alves Santos Da Silva
(1B), Lauriany Lima Morais (1A), Luiz Henrique Araújo Da Silva (1B).
 Professores-orientadores: Noeli de Souza Pinto e Kelly Sanny Lopes Carvalho
Lima.

 84 – Partido do Direito à Vida e à Saúde – PDVS


 Tema: vida, saúde, autocuidado, autoproteção, drogas lícitas e ilícitas, organização
e acesso aos serviços de saúde, sexualidade na escola, gravidez na adolescência,
DST/Aids, violência social, domésticas e entre adolescentes, etc.
 Alunos: Victor Hugo Vicente Coutinho (2B), Rhyan Mendes Da Silva (2C),

6
Rayane Camili Anunciação Souza (2C), Rayane Da Silva Andrade (1F), Matheus
Melo De Queiroz (2C).
 Professores-orientadores: Lidiane Pereira de Souza e Sandoval Vieira Silva Júnior.

7
6 CRONOGRAMA E ATIVIDADES

Atividades Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Divulgar o Programa na Escola
Organizar e orientar os grupos de alunos que formarão os partidos
Orientar os professores que atuarão diretamente na implementação do Programa
Promover o intercambio entre as diferentes disciplinas que compõem o currículo
escolar para que deem suporte aos alunos
Oportunizar debates e atividades motivando os grupos a defenderem o partido que
representam
Divulgar à comunidade escolar local o que está sendo realizado
Eleição
Organizar a semana de atividades sobre o tema do Partido Vencedor
Avaliação do projeto

8
7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO MATO GROSSO (ALMT). Livro Conta


história da “Grande Morada da Serra”. In: https://www.al.mt.gov.br/midia/texto/livro-
conta-historia-da-grande-morada-da-serra/visualizar.

ESCOLA ESTADUAL LEOVEGILDO DE MELO. Plano Político Pedagógico: 2017- 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São


Paulo: Paz e Terra, 2011.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. Editora: Cortez, 1993.

OLHAR DIRETO. Detalhe da História. In:


http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=442336&noticia=detalhe-da-historia.

TESSELE DUTRA, Ana Maria. Abandono escolar na rede pública do Mato Grosso:
entraves para o acesso ao Ensino Médio. Dissertação de Mestrado: Universidade Federal de
Juiz de Fora (UFJF), 2015.

VERDUM, Priscila de Lima, Revista Educação por Escrito–PUCRS, v.4, n.1, jul. 2013.