Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

FACULDADE DE DIREITO
DEPARTAMENTO DE DIREITO PÚBLICO

Estrutura Curricular (EC)


FORMULÁRIO PROAC N. 13 – ESPECIFICAÇÃO DA DISCIPLINA/ATIVIDADE
CONTEÚDO DE ESTUDOS
ATUALIZAÇÃO DE CONTEÚDO E BIBLIOGRAFIA, APENAS
NOME DA DISCIPLINA/ATIVIDADE CÓDIGO CRIAÇÃO ( )
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO I ALTERAÇÃO: NOME ( ) CH ( )
DOCENTE RESPONSÁVEL PELA ESPECIFICAÇÃO ALEXANDRE VERONESE
DOCENTE RESPONSÁVEL PELA REVISÃO ROGÉRIO DULTRA DOS SANTOS
DEPARTAMENTO/COORDENAÇÃO DE EXECUÇÃO: DEPARTAMENTO DE DIREITO PÚBLICO (ESD/SDB)
CARGA HORÁRIA TOTAL: 60H TEÓRICA: 60H PRÁTICA: XX ESTÁGIO: XX
DISCIPLINA/ATIVIDADE: OBRIGATÓRIA ( X ) OPTATIVA ( ) AC ( )
OBJETIVOS DA DISCIPLINA/ATIVIDADE.
Compreender os conceitos centrais da teoria da norma jurídica, em especial a definição de prescrição jurídica e
sua relação com a noção de sanção jurídica, em contraposição à concepção sociológica, da norma como
referencial da vida social. Subsidiariamente, o aluno irá conhecer um pequeno panorama da diversidade do
fenômeno jurídico, com atenção ao debate sobre valores e a função da moral no direito contemporâneo.

DESCRIÇÃO DA EMENTA.
O direito como fenômeno social e normativo autônomo. As duas tradições culturais de sistemas jurídicos
ocidentais: o direito romano-germânico; o direito anglo-americano (“common law”). Funções do sistema jurídico
e a origem dos sistemas jurídicos modernos (estatais) na Europa. Modelo de Estado liberal e de Estado social
(providência). A crise atual do sistema jurídico. Quadro geral da teoria do direito (positivismo jurídico, realismo
jurídico, jus-naturalismo, versões positivistas moderadas, bem como pós-positivismo e formalismo
contemporâneo). Teoria da norma jurídica ou teoria analítica do direito: conceito, classificação e definição pela
sanção jurídica. Classificação dos ramos de direito na tradição ocidental: direito público e direito privado e sua
relação com a emergência do Estado moderno. Os vários ramos do direito positivo. A dificuldade de
classificação (unidade lógica do sistema) e a sua separação prática.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA (05 ATÉ 10 LIVROS).


1. BOBBIO, Norberto. Teoria da norma jurídica. São Paulo: EDIPRO, 2001. (Aquisição demandada).
2. DUGUIT, Leon. Fundamentos do direito. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 2005. (Aquisição
demandada)
3. FULLER, Lon L. O caso dos exploradores de cavernas. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1999.
4. KELSEN, Hans. Teoria geral do Direito e do Estado. 3ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
5. MACHADO. João Batista. Introdução ao direito e ao discurso legitimador. Coimbra: Almedina, 1994.
6. MIAILLE, Michel. Introdução crítica ao direito. 3 ed. Lisboa: Editorial Estampa, 2005. (aquisição
demandada)
7. SGARBI, Adrian. Hans Kelsen: ensaios Introdutórios. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2007. (aquisição
demandada)
8. STRUCHINER, Noel. O direito como um campo de escolhas. Rio de Janeiro: Renovar, 2009. (aquisição
demandada)
9. VASCONCELOS, Arnaldo. Teoria da norma jurídica. Rio de Janeiro: Forense, 1978. (novas edições: São
Paulo: Malheiros); (aquisição demandada).

APROVADO NO COLEGIADO DE CURSO APROVADO NA PLENÁRIA DEPARTAMENTAL


05 NOV. 2009 27 OUT. 2009
UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
FACULDADE DE DIREITO
DEPARTAMENTO DE DIREITO PÚBLICO

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR (ATÉ 20 LIVROS).


1. ARNAUD, André-Jean. Dicionário Enciclopédico de teoria e sociologia do direito. 2 ed. Rio de Janeiro:
Renovar, 1999.
2. BOBBIO, Norberto. O positivismo jurídico: lições de filosofia do direito. São Paulo: Ícone, 1995.
3. BOBBIO, Norberto. Direito e Estado no pensamento de Emmanuel Kant. 2 ed. Brasília: Ed. UnB, 1992.
4. HART, Herbert L. A. Direito, liberdade, moralidade. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1987.
5. KELSEN, Hans. A ilusão da justiça. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
6. KELSEN, Hans. A justiça e o direito natural. 2 ed. Coimbra: Armenio Amado, 1979.
7. KELSEN, Hans. A Democracia. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
8. KELSEN, Hans. O problema da justiça. 3 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
9. KELSEN, Hans. Jurisdição Constitucional. São Paulo: Martins Fontes, 2003. (Aquisição demandada).
10. KELSEN, Hans. O que é justiça? Justiça, o direito e a política no espelho da ciência. 3 ed. São Paulo:
Martins Fontes, 2001
11. KELSEN, Hans. Teoria geral das normas. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1986.
12. KELSEN, Hans. Teoria pura do direito. 6 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
13. KRAUSE, Bernardo. Instancia final: la libertad responsable. Buenos Aires, Crisol, 1980.
14. POUND, Roscoe. Introdução à filosofia do direito. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1965.
15. POUND, Roscoe. Justiça conforme a lei. 2 ed. São Paulo: IBRASA, 1976.
16. REALE, Miguel. Fontes e modelos do direito: para um novo paradigma hermenêutico. São Paulo:
Saraiva, 1999.
17. SCHAUER, Frederick. Las reglas en juego: um examen filosófico de la toma de decisiones basada em
las reglas en el derecho y en la vida cotidiana. Madrid: Marcial Pons, 2004. (Aquisição demandada).
18. SCHMITT, Carl. Legalidade e legitimidade. Belo Horizonte: Del Rey, 2008. (Aquisição demandada).
19. SCHMITT, Carl. O Guardião da Constituição. Belo Horizonte: Del Rey, 2008. (Aquisição demandada).
20. STRUCHINER, Noel. Direito e linguagem: uma análise da textura aberta da lingugem e sua aplicação no
direito. Rio de Janeiro: Renovar, 2002. (aquisição demandada)

APROVADO NO COLEGIADO DE CURSO APROVADO NA PLENÁRIA DEPARTAMENTAL


05 NOV. 2009 27 OUT. 2009