Você está na página 1de 3

Processo Judicial Eletrônico: https://pje.jfce.jus.br/pje/Painel/painel_usuario/documentoHTML.sea...

PROCESSO Nº: 0801022-63.2016.4.05.8103 - AÇÃO CIVIL PÚBLICA

Documento assinado via Token digitalmente por PROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA RAQUEL ELIAS FERREIRA DODGE, em 13/12/2018 18:24. Para verificar a assinatura acesse
AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
REU: MUNICIPIO DE TIANGUA/PREFEITURA MUNICIPAL e outros
ADVOGADO: Jario Mario Alves Penha Junior e outros
18ª VARA FEDERAL - CE (JUIZ FEDERAL SUBSTITUTO)

DECISÃO

S
Vieram os autos conclusos para análise da petição de id. 4058103.3802128, na qual o promovido ZUELLINGTON QUEIROGA FREIRE requer a

UE
liberação dos honorários advocatícios destacados no processo de n. 0021950-97.2004.4.05.8100 (Precatório 2015.81.00006.000361).

Determinada a realização de diligências e intimação do Ministério Público Federal, que se manifestou de forma contrária a liberação, vieram os autos

RQ
conclusos.

Inicialmente, resta incontroversa a competência deste Juízo da 18ª Vara Federal para decidir acerca da liberação dos valores.

MA
Vê-se inicialmente que decisão deste Juízo indeferiu o pedido liminar do Ministério Público Federal para bloquear os valores oriundos do
mencionado precatório, tendo o Tribunal Regional Federal da 5ª Região julgado improcedente o agravo de instrumento, mas determinado o bloqueio
cautelar dos valores, pelo prazo de 30 (trinta) dias, a contar da publicação do acórdão, conforme informação de id. 4050000.9969176.

DO
Em consulta ao sistema PJE junto ao TRF5, pode-se destacar do andamento do agravo de instrumento 0802762-81.2017.4.05.0000, a decisão do
Exmo. Desembargador Federal Leonardo Augusto Nunes Coutinho, contida no id. 4050000.10802030, segundo a qual:

:40 HA
Cuida-se de requerimento denominado de pedido de providências, em que pugnam os ora peticionantes sejam oficiados: o juízo de origem, para que
proceda à expedição dos alvarás para liberação dos honorários contratuais; bem como a Subseção de Precatórios deste Egrégio Tribunal para que
efetive a liberação dos precatórios correspondentes, sob o fundamento de que já se teria exaurido o prazo cautelar de bloqueio fixado por ocasião

:46 C
do julgamento do agravo de instrumento.

12 MA
É o breve relatório. Passo a fundamentar para, ao final, decidir.

Do minucioso exame dos autos, observa-se tratarem-se os autos originários de agravo de instrumento ao qual a colenda Quarta Turma negou
provimento, mas com a concessão, de ofício, de medida cautelar para suspender o pagamento/levantamento de valores decorrentes do precatório
9 - US
destacado a título de honorários advocatícios, pelo prazo de 30 (trinta) dias úteis a partir da publicação do acórdão.

http://www.transparencia.mpf.mp.br/validacaodocumento. Chave 76ED8F8E.FF8082DA.D391EBED.144EFFD7


Assim é que, publicado o acórdão no agravo de instrumento, sucederam-se embargos de declaração, os quais foram julgados em 22/03/2018, de
01 ICI

modo que, intimado, o Ministério Público Federal apresentou Recurso Especial (4050000.10747220) e Recurso Extraordinário
(4050000.10747341), além de pedido de efeito suspensivo aos recursos (4050000.10747518).
1/2 IN

Diante dessas considerações, conquanto se reconheça constar, da proclamação do julgamento do agravo de instrumento, a concessão de medida
cautelar para suspender o pagamento/levantamento de valores decorrentes do precatório destacado a título de honorários advocatícios, pelo prazo
5/0 - V

de 30 (trinta) dias úteis a partir da publicação do acórdão, o fato é que, antes que fosse possível ao Ministério Público Federal a apresentação de
Recurso Especial/Extraordinário, não se poderia cogitar do requerimento de atribuição de efeito suspensivo ao julgado, razão pela qual, em
princípio, não se pode considerar como exaurido o trintídio fixado no acórdão resultante do agravo de instrumento.
: 2 49

Ademais, havendo sido apresentado, pelo Ministério Público Federal, pedido de efeito suspensivo aos recursos especial e extraordinário
(4050000.10747518), tem-se, em princípio, competir à Vice-Presidência deste Egrégio Tribunal Federal a análise do mencionado requerimento
Em 5935

apresentado pelo Parquet, nos exatos termos do que dispõe o inciso III do § 5º do art. 1.029 do Código de Processo Civil.

Este o quadro, remetam-se os autos à Secretaria para o fim de serem os recorridos intimados, facultando-lhes a apresentação de contrarrazões aos
recursos Especial e Extraordinário, no prazo de 15 (quinze) dias, com posterior conclusão ao eminente Desembargador Federal Vice-Presidente
deste Egrégio Tribunal Regional Federal da 5ª Região (art. 1.030 do CPC).
22

Posteriormente, o Desembargador Federal MANOEL DE OLIVEIRA ERHARDT, proferiu decisão contida do id. 4050000.11323644, in verbis
37

O Particular peticionou (ID 4050000.10776446) requerendo que seja oficiado ao juízo de origem para que proceda à expedição dos alvarás para
liberação dos honorários contratuais, bem como à Subseção de Precatórios desta Corte para que efetive a liberação dos precatórios
correspondentes, uma vez que já exaurido o prazo cautelar fixado pela Turma Julgadora de suspensão do respectivo pagamento.
r: 6

Não é o caso de se conhecer do requerimento ora formulado, porque a Vice-Presidência deste Tribunal tem a competência adstrita, por delegação do
Presidente, ao juízo de admissibilidade dos Recursos Especial, Ordinário e Extraordinário e aos incidentes deles decorrentes (art. 17, § 3º, IV, "a",
po

do Regimento Interno do TRF5), cabendo ao Juízo de origem da demanda apreciar os requerimentos de medidas que impliquem o cumprimento da
decisão de mérito e seus consectários (art. 516, II, do CPC).
sso

Registre-se, por oportuno, que: 1) nada impede que o interessado extraia as cópias das peças processuais necessárias à análise de seu pleito pelo
juízo "a quo"; 2) é facultado à parte solicitar à SREEO a emissão da certidão de ausência de efeito suspensivo atribuído aos Recursos Especial e
Extraordinário, documento necessário à instauração do cumprimento da decisão de mérito; 3) cabe ao titular do direito obter, perante a primeira
pre

instância, as informações necessárias para viabilizar o cumprimento provisório do julgado (saber, por exemplo, qual a classe processual
adequada à obtenção do provimento almejado).

Com essas considerações, INDEFIRO o pedido (ID 4050000.10776446).


Im

Passo ao exame de admissibilidade dos Recursos Excepcionais.

Recursos Especial e Extraordinário interpostos pelo MPF, com fundamento nos arts. 105, III, "a" e 102, III, "a", da Constituição Federal, em face do
acórdão proferido por esta Corte.

Foram observados os requisitos gerais de admissibilidade extrínsecos (tempestividade, regularidade formal e preparo) e os intrínsecos (cabimento,
legitimação, interesse recursal e inexistência de fato impeditivo do poder de recorrer), tendo sido prequestionada a matéria objeto dos recursos e
suscitada a repercussão geral.

1 de 3 17/08/2018 17:12
Processo Judicial Eletrônico: https://pje.jfce.jus.br/pje/Painel/painel_usuario/documentoHTML.sea...

Exame de admissibilidade do Recurso Especial do MPF:

Documento assinado via Token digitalmente por PROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA RAQUEL ELIAS FERREIRA DODGE, em 13/12/2018 18:24. Para verificar a assinatura acesse
A matéria suscitada na peça recursal encontra jurisprudência consolidada no colendo STJ em sentido contrário ao pretendido pelo Recorrente: "É
pacífico, no Superior Tribunal de Justiça, o entendimento de que é possível ao patrono da causa, em seu próprio nome, requerer o destaque da
verba honorária, mediante juntada aos autos do contrato de honorários, nos termos do artigo 22, § 4º, da Lei 8.906/94, até a expedição do
mandado de levantamento ou precatório" (AgRg no AREsp 447.744/RS, Segunda Turma, Rel. Ministro Herman Benjamin, julgado em 20/3/2014,
DJe 27/3/2014).

Inclusive, em se tratando de verbas relativas ao FUNDEF, o e. STJ já assentou o seguinte entendimento: "A Segunda Turma do STJ, no julgamento

S
do REsp 1509457/PE, Rel. Min. Humberto Martins, em idêntica questão jurídica, firmou compreensão de que é legítima a retenção da verba

UE
honorária, pois a previsão constitucional de vinculação à educação da verba do FUNDEF não retira do patrono o direito de retenção dos
honorários" (REsp 1.585.265/CE e REsp 1.604.440/PE, Segunda Turma, Rel. Ministro Humberto Martins, julgados em 14/6/2016, DJe
21/6/2016).

RQ
Logo, diante da consonância da decisão recorrida com a orientação do STJ, não deve ser admitido o recurso em questão (Súmula 83 do STJ).

Destarte, INADMITO o Recurso Especial.

MA
Exame de admissibilidade do Recurso Extraordinário do MPF:

Alega a parte recorrente ofensa ao disposto no art. 60, do ADCT; e nos arts. 165, III e 167, II, da Constituição Federal.

DO
No entanto, observo que o acórdão decidiu a causa (possibilidade de retenção de honorários em processo em que se pleiteia diferenças relativas ao
FUNDEF) à luz da legislação infraconstitucional, sendo a ofensa à Constituição indireta ou reflexa, e por isso seu exame na via extraordinária
mostra-se inadmissível, conforme entendimento firmado pelo STF. Incide, portanto, o enunciado nº 636 da Súmula do STF. Precedente: ARE-AgR nº

:40 HA
780.444/AP, Segunda Turma, Rel. Min. Cármen Lúcia, DJe de 24/02/2014.

Com essas considerações, INADMITO o Recurso Extraordinário.

:46 C
12 MA
Por consequência, resta prejudicado o pedido de atribuição de efeito suspensivo aos Recursos.

Por fim, consta nos autos a certidão de id. 4050000.11414936, segundo a qual:

Certifico, a pedido verbal da parte interessada, e em cumprimento ao artigo 522, parágrafo único, inciso III, do CPC/2015, que o MINISTÉRIO
9 - US
PÚBLICO FEDERAL interpôs recursos especial e extraordinário em 10/04/2018 contra acórdão proferido pela Quarta Turma deste Tribunal

http://www.transparencia.mpf.mp.br/validacaodocumento. Chave 76ED8F8E.FF8082DA.D391EBED.144EFFD7


Regional Federal da 5ª Região, no processo em epígrafe. Certifico, por fim, que os pedidos de atribuição de efeitos suspensivos aos recursos
interpostos restaram prejudicados ante as inadmissões dos apelos extremos, expresso no exame de admissibilidade das peças recursais proferidas em
01 ICI

14 de junho do presente ano e registrado no id. 4050000.11323644. O referido é verdade. Dou fé. Recife, 14 de junho de 2018 - José André Fonseca
Cavalcanti - Técnico Judiciário - Mat. 472 - Seção Cartorária da SREEO.
1/2 IN

Nessa situação, vê-se que o Egrégio Tribunal Regional Federal da 5ª Região entendeu que competia a este Juízo analisar o pedido de liberação dos
valores que foram bloqueados cautelarmente no agravo 0802762-81.2017.4.05.0000, visto que este foi julgado improcedente, sem admissão dos
5/0 - V

apelos extraordinários, ou concessão de efeito suspensivo.

Consta nos autos informação de id. 4058103.2169951 e de id. 4058103.2169950, explicitando que os valores estão a disposição deste Juízo, por
: 2 49

expressa determinação do Juízo da 6ª Vara Federal.

No que se refere à probabilidade de reforma da decisão, em virtude da pendência dos agravos em recurso especial e extraordinária em relação ao
Em 5935

mencionado agravo 0802762-81.2017.4.05.0000, tenho que não é óbice à liberação dos valores, visto que a sistemática processual civil exige a
concessão de tutela antecipada ou tutela cautelar para antecipação dos efeitos de uma decisão, o que não mais subsiste, conforme exaustivamente
descrito nos parágrafos anteriores.

Em relação à aplicação da Súmula Vinculante 47, o Ministério Público entendeu de forma equivocada sua aplicação. O Supremo Tribunal Federal
22

entende ser inviável fracionar em RPV ou Precatórios distintos os valores principais da condenação e os valores destacados a título de honorários
contratuais, devendo assim ser expedido um único precatório, com os respectivos destaques. Essa foi exatamente a metodologia utilizada pela 6ª Vara
Federal, pois todos os valores estão condensados no Precatório nº 2015.81.00.006.000361 (PRC 134676-CE).
37

Por fim, em relação ao agravo de instrumento 0801073-02.2017.4.05.0000, interposto em desfavor da decisão do Juízo da 6ª Vara Federal que
r: 6

determinou o destaque dos honorários contratuais, foi indeferido o pedido de efeito suspensivo pedido pela União, conforme decisão de id.
4050000.8731863, proferida em 16/07/2017.
po

Tem-se, então, que todas as decisões em sentido contrário já foram revertidas, não havendo qualquer empecilho ao pedido de expedição de alvará
formulado pelos promovidos.

No entanto, vê-se pela documentação oriunda do Setor de Precatórios do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, que o montante referente ao
sso

aludido precatório, encontra-se bloqueado por ordem da 6ª Vara Federal da Seção Judiciária do Ceará. Percebe-se, destarte, a incompatibilidade entre
manter os valores bloqueados e torná-los disponíveis a outro Juízo, como já foi relatado.
pre

Ante o exposto, oficie-se à 6ª Vara Federal, solicitando, com a maior brevidade possível, a efetiva disponibilização dos valores incontroversos
relativos ao Precatório nº 2015.81.00.006.000361 (PRC 134676-CE), a este Juízo, mediante comunicação ao Setor de Precatório e/ou à instituição
bancária, de forma a cessar o bloqueio atualmente existente. Encaminhe-se, em anexo, cópia do OFÍCIO Nº 2018.355 - SPRC.
Im

Após disponibilização dos valores a este Juízo, expeçam-se os alvarás para liberação exclusivamente dos VALORES INCONTROVERSOS
referentes aos honorários contratuais do Precatório nº 2015.81.00.006.000361 (PRC 134676-CE), nos exatos valores constantes da planilha de id.
4058103.2180531, oriunda da 6ª Vara Federal.

Ressalte-se que os valores controversos remanescerão bloqueados por decisão da 6ª Vara Federal da Seção Judiciária do Ceará.

Intimem-se as partes.

Sobral/CE, 3 de julho 2018.

2 de 3 17/08/2018 17:12
Processo Judicial Eletrônico: https://pje.jfce.jus.br/pje/Painel/painel_usuario/documentoHTML.sea...

Documento assinado via Token digitalmente por PROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA RAQUEL ELIAS FERREIRA DODGE, em 13/12/2018 18:24. Para verificar a assinatura acesse
Sérgio de Norões Milfont Júnior

Juiz Federal

S
Processo: 0801022-63.2016.4.05.8103

UE
Assinado eletronicamente por: 18070317523023600000003886132
SERGIO DE NOROES MILFONT JUNIOR - Magistrado
Data e hora da assinatura: 03/07/2018 18:35:48

RQ
Identificador: 4058103.3880654

Para conferência da autenticidade do documento:


https://pje.jfce.jus.br/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam

MA
DO
:40 HA
:46 C
12 MA
9 - US

http://www.transparencia.mpf.mp.br/validacaodocumento. Chave 76ED8F8E.FF8082DA.D391EBED.144EFFD7


01 ICI
1/2 IN
5/0 - V
: 2 49
Em 5935
22
37
r: 6
po
sso
pre
Im

3 de 3 17/08/2018 17:12

Você também pode gostar