Você está na página 1de 36

Gerência de Pessoas e

Intraempreendedorismo
Principais conclusões
Considerações iniciais
Este material foi construído colaborativamente através da discussão entre estudantes
do MBA em Gestão empreendedora e Inovação da UFCG sobre a relação entre a
Gerência de Pessoas e o Intraempreendedorismo.

Créditos do trabalho aos alunos Bryan Palhano, Danyllo Albuquerque, Thiago


Gusmão, Gutemberg Medeiros e Paulo César.
Considerações iniciais
Este material foi elaborado com base nos assuntos abordados nos seguintes vídeos:

1. Entrevista com Maira Habimorad, CEO da Cia de Talentos, no programa Conta


Corrente, sobre intraempreendedorismo -
https://www.youtube.com/watch?v=GMeUi2iOBUw

2. Entrevista com Luis França, diretor de RH da Kordsa Global para a América do


Sul, no canal RH365 sobre Liderança e Intraempreendedorismo na Kordsa Global -
https://www.youtube.com/watch?v=0FIAJut6Fqg

3. Uma empresa com propósito de Rony Meisler (sobre a RESERVA) -


www.youtube.com/watch?v=wOscqWfv4gM
Objetivos
Esta apresentação tem como objetivos:

1. Definir os conceitos de gerência de pessoas e liderança


2. Definir os conceitos de intraempreendedorismo
3. Estabelecer os principais fatores impeditivos em termos de gerência de pessoas
e intraempreendedorismo
4. Enumerar alguns benefícios advindos de boas práticas em termos de gerência
de pessoas e intraempreendedorismo
Roteiro
1. Introdução
2. Gerência de Pessoas
3. Intraempreendedorismo
4. Gerência de Pessoas vs Intraempreendedorismo
5. Mudança de Paradigma
6. Fatores impeditivos
7. Benefícios esperados
8. Considerações finais
1. Introdução
- Na medida em que a noção de que as pessoas são os principais responsáveis pelos
resultados da organização, a área de gerência de pessoas ganha relevância na
concepção e implementação das estratégias empresariais.

- A ampliação do entendimento dos modelos de gestão das organizações torna-se


relevante, bem como os meios pelos quais pode ser promovida a interlocução entre as
práticas de gerência de pessoas e os processos de inovação organizacional.

- A prática do intraempreendedorismo nas organizações tem se constituído em um dos


caminhos encontrados para promover tal interlocução.
1. Introdução
- Em grandes empresas brasileiras, encontram-se difundidos os programas internos de
estímulo à criatividade de fomento à inovação.

- Através destes os empregados contribuem com ideias inovadoras voltadas tanto para a
resolução de problemas, quanto para o aproveitamento de oportunidades de negócios.

- Concomitante a esse movimento, identificam-se os esforços das organizações em criar


condições adequadas para potencializar a capacidade empreendedora de seus
empregados, por meio do estabelecimento de um ambiente voltado para a satisfação e
fidelização dos empregados.
2. Gerência de Pessoas
- O conceito de gestão de pessoas é definido como um conjunto de habilidades e
métodos, técnicas, práticas e políticas, com o objetivo de administrar os recursos
humanos internos e potencializá-los o nas organizações.

- A gestão de pessoas tem uma grande responsabilidade no crescimento da empresa e


dos profissionais, além de superar desafios com o objetivo de desenvolver e colaborar
com o ambiente organizacional.
Função da gerência de pessoas

- Conectar as engrenagens

- Fazer funcionar da melhor forma

- Aproveitar as ideias

- Utilizar os recursos disponíveis


3. Intraempreendedorismo
- Intraempreendedorismo significa empreendedor interno, ou seja empreendedorismo
dentro dos limites de uma organização já estabelecida.

- O conceito estabelecido há três décadas, contudo as empresas...


- Não previam orçamento para financiar a inovação interna
- Não estavam dispostas a dar liberdade para os funcionários criarem
- Não queriam arcar com os custos dos erros que inevitavelmente aconteceriam no processo.

- Conceito atualmente muito difundido e valorizado nas organizações.

- É um sistema que oferece uma maneira saudável para se reagir aos desafios
empresariais do novo milênio.
Intraempreendedor é aquele que...
- “Pensa fora da caixa”
- Tem vontade de fazer as coisas
- É sonhador que faz
- É aquele que põe a mão na massa.
Uma imagem vale mais que mil palavras...
Intraempreendedor
é aquele que...
Oportunidade

Capacidade Vontade
… assume a responsabilidade pela
criação de inovações (produtos,
modelos e processos) de qualquer
espécie dentro das organizações. Intraempreendedor
Diferenças entre Funcionário e Intraempreendedor...
- O empregado quando não empreendedor, fica limitado às tarefas ou desígnios da sua
função, limitando sua criatividade, fechando-se a novas possibilidades e não progride
enquanto empregado, isso gera insatisfação quanto a realização pessoal.

- O funcionário como empreendedor torna-se o agente responsável pelo objeto que vai
determinar seu próprio futuro, definindo contextos organizacionais e novas formas de
empreender.

- Um funcionário que tem um papel intraempreendedor e é incentivado a isso, ele tem


uma autogestão definida dentro de um padrão de crescimento elevado, pois trata-se de
uma realização pessoal, organizacional e coletiva.
Transformação de funcionário para intraempreendedor
Transformação de funcionário para intraempreendedor
- A chave para a mudança de um colaborador de “funcionário” para
“intraempreendedor” está diretamente relacionada ao modo em que as empresas
realizam a gerência de pessoas.

- Para que um “funcionário” transforme-se em “intraempreendedor” em sua essência se


faz necessária uma série medidas efetivas para dar mais liberdade de ação aos
colaboradores.

- As empresas precisam mudar radicalmente a gerência de pessoas, alterando o foco em


processos e ferramentas e voltando o mesmo para as pessoas que compõem a
organização em todos os níveis.
4. Gerência de Pessoas vs Intraempreendedorismo
- A gerência de pessoas como a conhecemos, ditados pelo padrão anterior, visavam
decisões unilaterais de determinados setores, como por exemplo: as decisões e
determinações eram definidas unicamente pela diretoria.

- No novo modelo de gerência, as decisões e novos rumos tomados pela empresa, são
definidos em conjunto com os funcionários dos diversos setores do ambiente
organizacional.

- Este novo modelo gera:


- Satisfação dos funcionários
- Motivação por fazer parte da empresa de modo mais efetivo,
- Realização pessoal e profissional.
4. Gerência de Pessoas vs Intraempreendedorismo
- A gerência de pessoas tem de acompanhar as mudanças do mundo de forma geral

- Para isso, é imprescindível que a gerência de pessoas aposte nos seus colaboradores,
tanto quanto nas ideias. Eles devem apoiar os intraempreendedores a encontrar
soluções e orientá-los em torno dos perigos de uma atitude inadequada.

- Para que o intraempreendedorismo seja eficaz, faz-se necessária uma mudança de


paradigma que deve ter como objetivo principal educar intraempreendedores e líderes.

- Deve-se criar um ambiente de confiança mútua e espaço para que as ideias dos
colaboradores possam ser colocadas na mesa.
A chave para essa
mudança de
paradigma...
está em empoderar e dar plena
liberdade de ação aos
colaboradores!
5. Mudança de paradigma
- Mudança de postura da liderança para com a nova geração que entra no mercado de
trabalho.

- Quebra do paradigma da relação líder-liderado, mudando as relações do modelo atual


para um modelo empreendedor.

- Liderança menos impositiva, mais participativa e incentivadora.

- Proporcionar um ambiente organizacional com organograma menos verticalizado,


visando a horizontalização, criando um sistema mais participativo com todos os
setores.
O mundo mudou...
… porque a economia também mudou!
Evolução da economia
Economia Passada Economia Atual

Funcionário Investidor

Assalariado Participação direta nos resultados

Lealdade à empresa lealdade ao trabalho

Aprendizado individual Formas sociais de aprendizado

Condições trabalho rígidas em termos de Condições de trabalho flexíveis


funções e horários

Avaliação impositiva Autogestão

Remuneração por tempo Recompensa por resultados

Informação controlada Livre acesso à informação

Sucesso individual Sucesso de equipe


6. Fatores impeditivos
- Ausência de políticas de reconhecimento e recompensa

- Falta de comprometimento das pessoas

- Falta de incentivo (superiores e colegas)

- Despreparo e desinteresse dos colaboradores

- Escassez de recursos
A organização
- É necessário que a organização invista nessa competência e disponibilize ferramentas
necessárias como suporte a apoio para que o colaborador explore com liberdade suas
novas ideias.

- A empresa precisa permitir ao funcionário errar, sem prejuízos para seu cargo ou
função.

- Incentivar as ideias e promover brainstorm das equipes para gerar novas ideias
compartilhadas, ajudando no crescimento da equipe e construir projetos sólidos.
Estímulo
A empresa deve ter uma visão
empreendedora claramente definida e Descentralização
reforçada constantemente

Incentivar a iniciativa e a melhoria de


performance, assumindo riscos
calculados sem punição por falhas Delegar ações de cunho
(Tolerância ao erro)

Deve haver um sistema de recompensas Possibilitar livre acesso a informações a


e reconhecimento aos colaboradores todos da empresa e até mesmo os
(Meritocracia) clientes

É preciso criar um ambiente que estimule a criatividade e a inovação


Ambiente + pessoas treinadas + equipe = SUCESSO NOS NEGÓCIOS
O que as empresas
podem esperar com
esta mudança de
paradigma,
ou seja, na adoção de boas práticas de
gerências de pessoas e fomentar ações
de intraempreendedorismo na equipe
de trabalho.
7. Benefícios esperados
FORTALECE CONSOLIDA ELIMINA

❖ Postura mais criativa ❖ Postura ética ❖ Excesso de burocracia


❖ Rapidez nas decisões ❖ Responsabilidade social ❖ Distância entre comando
❖ Quebra de paradigmas ❖ Gestão por resultados e outros colaboradores
❖ Agilidade nos processos ❖ Capacidade de encontrar ❖ Individualismo
❖ Delegação clara e soluções inovadoras ❖ Falta de diálogo
definida com ❖ Reconhecimento ❖ Postura passiva
responsabilidade ❖ Compromisso e
❖ Maior transparência na comprometimento
comunicação interna
❖ Maior sinergia no
trabalho em equipe
● Performance financeira
● Desenvolvimento de novos

Benefícios para a
produtos
● Melhoria dos produtos existentes

Organização
● Incremento da vantagem
tecnológica
● Valorização da imagem da
empresa
● Concretização dos objetivos
● Processos de trabalho
● Reforço do espírito de equipe
● Criatividade

Benefícios para os
● Realização pessoal/profissional
● Proatividade

colaboradores
● Aprendizagem contínua
● Responsabilidade
● Dedicação
● Resiliência
8. Considerações finais
- “Intraempreendedorismo é a criação de um ambiente no qual a inovação pode
florescer de forma a transformar pessoas comuns, que nunca viram um cliente, em
empreendedores de sucesso que assumem responsabilidades e papéis dentro da
empresa”.

- A gerência de pessoas tem impacto significativo na criação e manutenção de um


ambiente favorável ao intraempreendedorismo

- Conhecer o funcionamento das variáveis existentes é parte fundamental nesse


processo.
Como isso funciona?

Variáveis
Organizacionais
-Estrutura
-Cultura

Comportamento Variáveis
Intraempreendedor Individuais
O que vem por ai?
Verdades de médio/curto prazo nas organizações
1. Coopetition
2. Performance como indicador
3. Remuneração variável
4. Inovação constante
5. Auto-motivação
6. Foco nas necessidades dos clientes
7. Trabalho em equipe…
8. … espalhadas pelo mundo
9. INTRAEMPREENDEDORISMO
10 mandamentos do intraempreendedor
De acordo com o autor Gifford Pinchot III existem os seguintes mandamentos

1. Vá trabalhar todos os dias disposto a fazer o melhor que puder


2. Negar-se a executar as ordens recebidas faz seus objetivos pararem
3. Faça todo e qualquer trabalho necessário, independente de ser sua função
4. Encontre pessoas para ajudá-lo
5. Siga sua intuição sobre as pessoas que você escolher e trabalhe com elas sempre para o melhor
6. A publicidade aciona o sistema imunológico corporativo
7. Nunca aposte em uma corrida a menos que você esteja participando dela
8. É mais fácil pedir perdão que permissão
9. Seja fiel ao seu objetivo e realista sobre os caminhos para alcançá-lo
10. Honre seus patrocinadores
Isso tudo é realmente necessário?
“A ação empreendedora nas organizações não é uma escolha, é a única atitude de
sobrevivência”

Gifford Pinchot III, 2000.

Você também pode gostar