Você está na página 1de 26

Colegiado Acadêmico de Engenharia Elétrica

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS – ELET0051

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
Aula 9 – PARTE 2
Prof. RICARDO MENEZES PRATES

Universidade Federal do Vale do São Francisco


Instalações Elétricas 1
Conteúdo da Aula

 Luminotécnica
 Métodos de iluminação
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro
 Método do “Ponto a Ponto”

Instalações Elétricas 2
 Métodos de Iluminação

Método do Fluxo Luminoso

É baseado na determinação do fluxo luminoso


necessário para obter uma iluminância média desejada
sobre o plano de trabalho.

 O método mais utilizado para sistemas de iluminação


em edificações.

Instalações Elétricas 3
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Primeira Etapa: Escolha da iluminância, ofuscamento e


índice de reprodução de cor
A NBR ISSO 8995-1 apresenta, em função da atividade
desenvolvida, os valores recomendados de Em, UGR e Ra.

Instalações Elétricas 4
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Primeira Etapa: Escolha da iluminância, ofuscamento e


índice de reprodução de cor
O UGRL (Índice Limite de Ofuscamento Unificado) – os limites
máximos estão abaixo:

Obs.: A metodologia para cálculo do UGR pode ser identificada no item C.2.1 presente no anexo A da
Norma NBR ISO 8995-1.
Instalações Elétricas 5
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Segunda Etapa: Escolha da lâmpada e luminária


 A escolha das lâmpadas e luminárias deve obedecer aos aspectos
quantitativos de modo a atender as especificações da norma, mas
também os qualitativos, de modo a suprir as expectativas do
usuário. Algumas perguntas devem ser feitas:

 As lâmpadas e luminárias são adequadas ao ambiente (etapa


1)?

 O fator decoração é importante para o local?

 Há harmonia entre a iluminação proposta e a decoração


pretendida? Instalações Elétricas 6
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Segunda Etapa: Escolha da lâmpada e luminária

IRC 85

Fonte: Lumicenter (Catálogo) Instalações Elétricas 7


 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Terceira Etapa: Cálculo do fator do local (K)

Este índice é calculado relacionando as dimensões do local que vai


ser iluminado. Pode ser obtido pela seguinte expressão:

O fator do local (K) se faz necessário para determinação do fator de


utilização da luminária.

Instalações Elétricas 8
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Quarta Etapa: Determinar o coeficiente de utilização (u)


da luminária
 Parte do fluxo emitido pelas lâmpadas é perdido nas próprias
luminárias. Dessa forma, apenas uma parte do fluxo atinge o plano
de trabalho. Essa relação pode ser expressa como:

 O coeficiente de utilização depende das dimensões do local, da


cor do teto, das paredes e do acabamento da luminária.

 De posse do fator do local (K) e do valor das refletâncias do


ambiente a ser iluminado, busca-se na tabela do fabricante o
coeficiente de utilização (u) correspondente.
Instalações Elétricas 9
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Quarta Etapa: Determinar o coeficiente de utilização (u)


da luminária
 As refletâncias exprimem as reflexões médias das superfícies do
ambiente da instalação.

 As refletâncias são indicadas por três algarismos,


correspondendo a teto-paredes-piso;
Tabela – Índices de Reflexão

Instalações Elétricas 10
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Quarta Etapa: Determinar o coeficiente de utilização (u)


da luminária
Fator do Local
Refletâncias

Instalações Elétricas 11
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Quinta Etapa: Determinar o coeficiente de depreciação


(d)
 Com o passar do tempo as lâmpadas e luminárias apresentam:

 Acumulo poeira, resultando em diminuição do fluxo emitido.

 Depreciação do fluxo luminoso das lâmpadas ao longo de sua


vida útil. Tabela – Coeficientes de depreciação:

Fonte: Cotrim (2009)


Instalações Elétricas 12
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Quinta Etapa: Determinar o coeficiente de depreciação


(d)

Fonte: NBR ISO 8995-1/2013

Instalações Elétricas 13
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Quinta Etapa: Determinar o coeficiente de depreciação


(d)

Fonte: NBR ISO 8995-1/2013

Instalações Elétricas 14
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Sexta Etapa: Cálculo do fluxo total (ɸtotal - Lumens)

 A partir da determinação dos diversos índices, pode-se calcular o


fluxo luminoso total a ser produzido pelas lâmpadas através da
seguinte relação:

ɸtotal

ɸtotal

Instalações Elétricas 15
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Sétima Etapa: Cálculo do número de luminárias (n)

 Conhecendo-se o fluxo luminoso total, calcula-se o número n de


luminárias necessárias para o local em estudo, através da seguinte
relação:

ɸtotal
ɸluminária

 O fluxo luminoso emitido por uma luminária dependerá do tipo


e do número de lâmpadas instaladas por luminária.

Instalações Elétricas 16
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Oitava Etapa: Distribuição das luminárias


 Procurar obter uma distribuição razoavelmente uniforme. Isso
permite que a relação entre a menor e a maior iluminância seja
mínima;

 Recomenda-se que distância entre uma luminária e a parede


adjacente seja igual ou menor à metade da distância entre as
luminárias.

Instalações Elétricas 17
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Simulação – DIALUX (Fonte: GIACOBBO, 2014)


 Sala de atendimento bancário . Medidas: 12m x 8m x 3m

Instalações Elétricas 18
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Simulação – DIALUX (Fonte: GIACOBBO, 2014)

Instalações Elétricas 19
 Métodos de Iluminação

Método do “Ponto a Ponto”

 Também conhecido como método das intensidades


luminosas, é utilizado quando as dimensões da fonte
luminosa são muito pequenas em relação ao plano que
deve ser iluminado.

 É um método empregado para a iluminação de


exteriores ou para ajustes após o emprego de outros
métodos.

Instalações Elétricas 20
 Método de “Ponto a Ponto”.

 Parte-se da curva de
distribuição de intensidade
luminosa de uma fonte para
determinar-se a iluminância
em diversos pontos do
ambiente estudado. É um
método mais empregado para
a iluminação de exteriores ou
para ajustes após o emprego
de outros métodos.

Instalações Elétricas 21
 Método de “Ponto a Ponto”.

 A iluminância no ponto P obtida a partir da fonte luminosa


mostrada na figura pode ser calculada por:

Sendo:
E(p) = Iluminância, em lux.
I(θ) = intensidade luminosa, em candelas.
D = distância do foco luminoso ao
ponto[m].
Instalações Elétricas 22
 Método de “Ponto a Ponto”.

 Pode-se obter as iluminâncias horizontal (Eh) e vertical (Ev) nesse


ponto P, utilizando-se as relações fundamentais da luminotécnica e
empregando a trigonometria em um triângulo retângulo. Assim,
obtém-se:

Iluminância horizontal

Iluminância vertical

Instalações Elétricas 23
 Método de “Ponto a Ponto”.
Exercício 2:
Se usarmos a lâmpada de vapor de mercúrio HPL-N-400 W, cujo
fluxo luminoso é de 22.000 lumens, para os ângulos abaixo, quais
serão as iluminâncias horizontais?
Altura:
h = 6m.
Ângulos:
θ = 0°,
θ = 30°,
θ = 50°,

Curva de distribuição de 1.000 Lm.


Instalações Elétricas 24
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Dicas para o projeto luminotécnico – NBR ISO 8895-1

Nota: A uniformidade planejada pode ser U1≥ 0,6. Veja itens A.3.3 e A.3.4 da norma.
Instalações Elétricas 25
 Método do Fluxo Luminoso - Roteiro

Dicas para o projeto luminotécnico – NBR ISO 8895-1

Nota: A uniformidade planejada pode ser U1≥ 0,6. Veja itens A.3.3 e A.3.4 da norma.
Instalações Elétricas 26